Gestão Eficiente: Governo Anastasia vai expandir BH-Tec

Gestão Eficiente: BH-Tec se prepara para uma expansão com investimentos de meio bilhão de reais

Gestão Eficiente: Governo Anastasia

Para a construção da fase II, composta de cinco edifícios de 18 andares cada um, há uma previsão de investimentos de R$ 464 milhões

Divulgação
Perspectiva do novo BH-Tec
Perspectiva do novo BH-Tec

O Parque Tecnológico de Belo Horizonte — inaugurado em maio de 2012 — ganhará uma expansão nos próximos anos para abrigar novas empresas de tecnologia. Para a construção da fase II, composta de cinco edifícios de 18 andares cada um, há uma previsão de investimentos privados que chegarão a R$ 464 milhões. Nesta sexta-feira (22) no BH-Tec, houve uma audiência aberta a empresas interessadas no processo de concessão ao setor privado de direito para a construção de um complexo imobiliário. Essa audiência faz parte da Consulta Pública aberta em fevereiro. Entre as diversas construtoras interessadas, compareceram à sede do BH-Tec: Odebrecht, Cowan e Camargo Correa. Todas elas estão interessadas no projeto de expansão.

Segundo o secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Narcio Rodrigues, o Governo de Minas investiu quase R$ 40 milhões na construção da primeira fase do BH-Tec, que tem 15 empresas de alto conteúdo tecnológico em funcionamento, além do escritório institucional do BH-Tec. A construção de 7.550 m2 se deu no terreno cedido por 30 anos em regime de comodato pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). A iniciativa teve a parceria da Prefeitura de Belo Horizonte, Agência Brasileira de Inovação (Finep), Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg) e Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).

Narcio Rodrigues assegura que o Governo de Minas está trabalhando intensamente para ampliar o ambiente de inovação no Estado e o BH-Tec é um dos mais importantes espaços em funcionamento, que tem despertado o interesse de empresas diversas, entre elas alguns gigantes da área de tecnologia.  A fase II vem exatamente para abrigar as empresas interessadas em desenvolver produtos e serviços de alta tecnologia, segmento que mais cresce na economia globalizada.  As novas edificações se darão em um novo modelo gerenciado pelo BH-Tec, porém com recursos totalmente privados.

Fase II – construção

Toda a fase II será custeada pela iniciativa privada e a área construída alcançará 207 mil metros quadrados nos cinco edifícios. A construção se dará em três fases, iniciando em julho de 2013 e sendo concluída em 2018. Ao final da concessão em 2041 todos os ativos serão transferidos para a UFMG. Os estudos para se chegar a quase meio bilhão de reais foram feitos pelo Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG), Accenture e Junqueira Ferraz Advogados.

De acordo com os estudos imobiliários apresentados, a licitação deverá ocorrer em maio e a celebração do contrato com a empresa vencedora, em julho. A escolha da construtora se dará pelo maior valor de outorga e haverá condicionantes técnicos e financeiros de acordo com a Consulta Pública no www.bhtec.org.br

UFMG como âncora do BH-Tec

O Parque Tecnológico de Belo Horizonte oferece excelentes perspectivas para os interessados, uma vez que está fisicamente e em pesquisas, ligado à UFMG. Essa instituição é considerada a terceira maior e melhor universidade do Brasil com 50 mil estudantes, 700 doutores e 1300 mestres e 800 grupos de pesquisa. A Universidade Federal de Minas Gerais possui a maior escola de engenharia do Brasil com a formação de 1000 profissionais por ano.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/bh-tec-se-prepara-para-uma-expansao-com-investimentos-de-meio-bilhao-de-reais/

Gestão em Minas: cobertura do Novo Mineirão começa a ser montada

Com as obras mais avançadas do Brasil, estádio será referência na Copa do Mundo de 2014

Sylvio Coutinho/Divulgação
Material, feito de dióxido de titânio, permite melhor passagem de luz natural
Material, feito de dióxido de titânio, permite melhor passagem de luz natural

Os trabalhos de modernização do estádio da Pampulha avançam com a recente chegada da estrutura metálica da cobertura do novo Mineirão. As novas treliças tubulares de aço vão receber uma membrana translúcida e auto-limpante em sua parte superior. O material, feito de dióxido de titânio, permite melhor passagem de luz natural e oferece maior resistência contra intempéries, além de ser mais econômico.

A cobertura está sendo instalada para proporcionar maior segurança e conforto a todos os visitantes da nova arena. A estrutura atual será expandida em 26 metros com a instalação das treliças para proteger os assentos mais próximos ao gramado. As cerca de 500 peças em fabricação vão totalizar aproximadamente mil toneladas. O projeto da nova cobertura foi concebido pela empresa Engserj, de renomados acadêmicos da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). As treliças, fabricadas em São Paulo, são empregadas também no estádio de Durban, África do Sul, e em outros de futebol americano dos EUA.

Iniciado em outubro de 2011, o trabalho de reforço da estrutura atual deu início à preparação para instalação da nova cobertura. Nessa etapa, foi construída a estrutura que hoje recebe os chamados tirantes, que são cabos de tração com a finalidade de sustentar o peso da cobertura. Esses cabos serão tensionados à uma força equivalente ao peso de 5 mil toneladas. Foi necessário, inclusive, fazer reforço na fundação do estádio.

O trabalho será executado por cerca de 100 operários especializados, incluindo profissionais com formação em montanhismo. Tem previsão de término para novembro deste ano. “Será uma nova cobertura feita com estruturas mais leves, material com alto desempenho, além de esteticamente agradáveis”, conclui José Severiano Braga da Silva, gerente de operações da obra.

Estágio avançado

Esta semana, a obra atingiu o pico máximo de trabalhadores, com 2.000 operários em campo, e a marca de 58% dos trabalhos concluídos. Cerca de 80% das peças da esplanada já foram instaladas ao redor da fachada 100% já tratada. Na parte interna, 30% da arquibancada inferior está instalada e 80% dos bares e banheiros já receberam acabamento (reboco e piso) com instalação de bancadas e divisórios de granito (50%).

As instalações do novo fosso de segurança também estão em fase final, com 90% de execução. Seguem em andamento as atividades de infraestrutura elétrica, hidráulica e de drenagem, além da execução dos pisos da esplanada e do estacionamento coberto. Serão disputadas no novo estádio três partidas durante a Copa das Confederações, em 2013, e outros seis jogos na Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014 (quatro na primeira fase, um na oitava de final e outro na semifinal).

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/cobertura-do-novo-mineirao-comeca-a-ser-montada/

Governo de Minas: atriz de ‘Xingu’ deixa Amazonas para estudar em Minas Gerais

Adana Kambeba passou em medicina na UFMG por meio do vestibular indígena da universidade

A atriz Adana Kambeba, pelo Registro Administrativo de Nascimento de Índio, ou Danielle Soprano Pereira, pela Certidão de Nascimento, deixou o Amazonas para cursar medicina na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Ela representou o papel da índia Kaiulú no filme ‘Xingu’, que conta a história da saga dos irmãos Villas Bôas que resultou na criação do Parque Indígena do Xingu, a primeira grande reserva do tipo no país. Adana conta sua nova experiência em morar em Belo Horizonte e como pretende aliar a sabedoria dos índios com o conhecimento adquirido na universidade. As informações são do site G1.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/atriz-de-xingu-deixa-amazonas-para-estudar-em-minas-gerais/

Governo de Minas: disque Direitos Humanos registra média mensal de 95 denúncias contra idosos em 2012

Relatos de maus-tratos familiares representaram 63% do total de denúncias contra idosos recebidas pelo Disque Direitos Humanos no primeiro trimestre deste ano

O Disque Direitos Humanos (0800 031 11 19) recebeu 285 relatos de crimes contra idosos no primeiro semestre deste ano, o que corresponde a uma média mensal de 95 denúncias. O número de 2012 é 10% superior ao registrado nos primeiros três meses de 2011, quando 259 pessoas recorreram ao serviço para relatar esse tipo de violência. Assim como ocorreu no ano passado, neste ano, os relatos de maus-tratos familiares representaram a maioria das denúncias contra idosos recebidas pelo serviço, chegando a 63% do total, 179 relatos em números absolutos.

Para o coordenador Especial de Políticas para o Idoso, Felipe Willer, não existe uma cultura de envelhecimento no país. “Muitas vezes essa violência ocorre porque algumas pessoas não entendem o envelhecimento como um processo contínuo da vida. Todos os dias nós envelhecemos um pouco. Em algumas situações, os familiares isolam o idoso dentro da própria casa. Falta também afeto”, completa.

Em outubro do ano passado, a Coordenadoria Especial de Políticas para o Idoso (Cepid), vinculada à Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese), lançou a Campanha “Envelhecimento Digno – uma Questão de Direitos Humanos: Minas abraça essa causa”, que consiste na divulgação do Disque Direitos Humanos em todo o Estado para sensibilizar as pessoas.

Com o objetivo de incentivar a população a fazer a denúncia, foram afixados mais de 8 mil cartazes da campanha em postos de saúde, rodoviárias, escolas, hospitais, Centros de Referência de Assistência Social, em unidades da Universidade Federal de Minas Gerais e espaços públicos em geral.

Além disso, mais 10 mil exemplares do Estatuto do Idoso foram distribuídos para conselhos municipais e entidades que lutam pela garantia dos direitos da pessoa idosa.  Felipe Willer ressalta que os crimes cometidos por familiares são mais difíceis de serem percebidos por terceiros, uma vez que ocorrem dentro da própria casa. Apesar dessa dificuldade, o coordenador ressalta que “o caminho é não se calar”.

Os relatos de crimes contra idosos aparecem em segundo lugar na lista dos mais denunciados do Disque Direitos Humanos (0800 031 11 19). Somente as violações cometidas contra crianças e adolescentes, com 584 denúncias feitas no primeiro trimestre deste ano, superaram os relatos de crimes contra idosos.

Criado em 2000 pelo Governo de Minas, o Disque Direitos Humanos recebe ligações de todo o Estado e sobre qualquer tipo de violação dos direitos humanos. A população pode recorrer ao serviço para denunciar crimes contra mulheres, pessoas com deficiência, meio ambiente, entre outros. A ligação é gratuita e sigilosa.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/disque-direitos-humanos-registra-media-mensal-de-95-denuncias-contra-idosos-em-2012/

Gestão da Saúde: Hemominas realiza coleta de sangue na UFMG

Fundação Hemominas realiza coleta de sangue nos dias 27 e 29 de março, na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Nesta terça-feira (27), a ação será na Faculdade de Farmácia, no campus da UFMG no bairro Pampulha. Na quinta-feira (29), será na Faculdade de Direito, também da Universidade, localizada na avenida João Pinheiro, 100, 10º andar, no prédio da Pós-graduação, de 8h30 às 11h30. A expectativa é atender cerca de 50 candidatos à doação de sangue em cada coleta.

Segundo a Portaria 1.353/2011 do Ministério da Saúde, podem doar sangue cidadãos com boa saúde, idade entre 18 e 67 anos. Os candidatos devem pesar acima de 50 quilos, não ter ingerido bebida alcoólica nas últimas 12 horas, não ter tido hepatite após os 11 anos de idade, e que não tenham doença de Chagas.  Jovens com 16 e 17 anos, somente poderão se candidatar à doação de sangue com a presença dos responsáveis legais ou autorização dos responsáveis com firma reconhecida em cartório, cujo modelo de autorização está disponível no site www.hemominas.mg.gov.br.

A idade máxima para a primeira doação de sangue é 60 anos. Os candidatos, que já tiverem doado pelo menos uma vez antes dos 60 anos, poderão doar até a idade de 67 anos. Para mais informações sobre os critérios para doação de sangue acessar http://www.hemominas.mg.gov.br/hemominas/menu/cidadao/doacao/condicoes_doacao ou ligar para o 155.

Para os jovens, principalmente, o hotsite www.projetonaveia.com.br promove interatividade e participação também na divulgação da doação. Acesse e conheça o Projeto na Veia.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/hemominas-realiza-coleta-de-sangue-na-ufmg/

Governo de Minas: Conselho de Segurança Alimentar apoia projeto de piscicultura em Teófilo Otoni

Parceria com Secretaria de Defesa Social visa garantir ressocialização de detentos

Divulgação/Consea-MG
Detentos de Teófilo Otoni participam de diversas atividades profissionais, como a produção de hortaliças
Detentos de Teófilo Otoni participam de diversas atividades profissionais, como a produção de hortaliças

Conselho de Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável de Minas Gerais (Consea-MG), em parceria com a Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds), está elaborando um levantamento sobre as entidades carentes beneficiadas pelo projeto de piscicultura, que será instalado na Penitenciária de Teófilo Otoni, no Vale do Mucuri.

Nos dias 26 e 27 de março, os técnicos da Seds e do Conselho de Segurança Alimentar deverão fazer nova visita à penitenciária para dar continuidade aos estudos para a implantação do projeto de piscicultura. A primeira visita aconteceu em 29 de fevereiro, com a participação de representantes do Consea-MG, do Ministério da Pesca Aquicultura, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Emater, além da Seds.

Com esse sistema, cerca de 200 presos deverão ser beneficiados, tanto com a capacitação – que será oferecida pela UFMG – quanto para remissão de sua pena. A cada dia trabalhado, será descontado um dia de sua pena. Com mais de 30 anos de funcionamento, a Penitenciária de Teófilo Otoni é uma das unidades prisionais mais antigas do Estado e abriga, hoje, cerca de 300 detentos.

O assessor técnico do Consea-MG Gildázio Santos lembra que a parceria com a Penitenciária de Teófilo Otoni é baseada na lei 15.982/2006, que trata do apoio às ações integradas dos órgãos governamentais e das organizações da sociedade civil envolvidos na promoção da alimentação saudável e de combate à fome e à desnutrição.

“A nossa visita à penitenciária, juntamente com as instituições parceiras, reflete o compromisso com o fortalecimento das políticas de segurança alimentar e nutricional sustentável. É uma experiência exitosa e que beneficia não só os sentenciados, mas também pessoas carentes da região, dando a eles o direito humano à alimentação adequada”, acrescentou.

De acordo com o diretor-geral da unidade, Ademílson Rodrigues Jardim, a instituição oferece uma série de atividades com o intuito de ressocialização dos sentenciados. “Nosso objetivo é prepará-los para a reintegração à sociedade. Para isso, oferecemos oficinas de artesanato, alfaiataria, horticultura, jardinagem, bovinocultura, suinocultura, assim como trabalhos na lavanderia e serviços gerais. Queremos oferecer oportunidades a eles”, explicou Ademílson.

Nessas atividades, cerca de 250 crianças e 25 idosos são beneficiados. É que toda a produção da penitenciária é doada a quatro instituições de caridade de Teófilo Otoni. Já os artesanatos são entregues às famílias dos presos para que possam ser vendidos, o que representa um importante meio de complemento de renda.

Além dos setores de trabalho e produção, a Penitenciária de Teófilo Otoni possui ainda uma escola com capacidade para atender a 150 presos, com a aplicação do Sistema de Educação de Jovens e Adulto (EJA), voltado ao ensino fundamental e médio.

Abrangência

Atualmente, cerca de 12 mil presos trabalham em diversas atividades em todo o Estado nas oficinas de marcenaria, fabricação de produtos eletrônicos, piscicultura, hortas, caprinocultura, suinocultura, artesanatos, entre outros. O objetivo, segundo o diretor de trabalho e produção da Sape, Guilherme Augusto Alves Lima, é retirar o detento da ociosidade, incentivando atividades profissionais que irão favorecê-lo, tanto no cumprimento da pena quanto na reinserção social.

“Além disso, há uma preocupação com a questão social. Toda a produção de alimentos é doada às entidades carentes da região onde estão localizadas as penitenciárias. Nesse sentido, o Consea-MG tem papel fundamental para articular e apontar as instituições e entidades que receberão os produtos”, comentou.

Segundo Guilherme, após a implantação dessas oficinas, pôde-se observar que uma mudança de comportamento. “Os sentenciados têm buscado uma profissionalização, não ficam utilizando seu tempo para planejar fugas. Tivemos também uma queda considerável de utilização de medicamentos e de atendimentos psicológicos”, explicou.

Essas oficinas, de acordo com Guilherme, não oneram o Estado, já que o custo dos produtos é baixo. “Na piscicultura, por exemplo, o governo doa a ração e os alevinos. A UFMG oferece a capacitação e temos outros parceiros que também nos auxiliam nesses programas”, ressaltou.

Piscicultura

Minas Gerais é o primeiro Estado do país a produzir peixes dentro de uma unidade prisional. A iniciativa começou no ano passado, no Presídio Antônio Dutra Ladeira, em Ribeirão das Neves. A previsão é de que outras penitenciárias serão beneficiadas com o projeto, dentre elas Governador Valadares, duas em Ribeirão das Neves e uma em Ponte Nova.

Nos dias 29 e 30 de março será realizada uma reunião, em Governador Valadares, para discutir a implantação do programa de piscicultura, com o intuito de beneficiar mais de 200 sentenciados. Os pescados são mantidos em criatórios, localizados dentro das áreas de responsabilidade das unidades prisionais. Quando os peixes atingem o peso ideal para pesca, são doados a instituições indicadas pelo Consea-MG.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/conselho-de-seguranca-alimentar-apoia-projeto-de-piscicultura-em-teofilo-otoni/

Governo de Minas: Conselho de Segurança Alimentar realiza plenária para definir estratégias de 2012

Descentralização das ações do Consea-MG está entre as prioridades para este ano

Arquivo/Consea-MG
Presidente do Consea-MG, Dom Mauro Morelli, ministrará palestra sobre a estratégia de descentralização do conselho
Presidente do Consea-MG, Dom Mauro Morelli, ministrará palestra sobre a estratégia de descentralização do conselho

O Conselho de Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável de Minas Gerais (Consea-MG) realiza, nos dias 12 e 13 de março, sua 1ª Plenária Ordinária de 2012. O encontro será realizado no Retiro São José, no bairro Coração Eucarístico, em Belo Horizonte. Participam da plenária cerca de 70 pessoas, entre conselheiros governamentais e da sociedade civil, convidados e palestrantes.

A abertura será às 9h, com um debate sobre “O Papel dos Conselhos e Conselheiros no Controle Social”, intermediado pela professora da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) Eleonora Schettini Martins Cunha. Em seguida, a vice-presidente do Conselho Estadual de Assistência Social (Ceas-MG), Maria Juanita Godinho Pimenta, ministrará debate com o tema “Experiência de Descentralização do Ceas-MG”.

Na plenária, o presidente do Consea-MG, Dom Mauro Morelli, proferirá palestra com o tema “Estratégia de Descentralização do Consea e o Projeto Exemplar”. O primeiro dia do encontro será encerrado com a apresentação da sistematização dos Seminários Regionais de Planejamento, realizados em fevereiro deste ano.

O segundo dia do encontro contará com debates sobre os programas de Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável (SANS) e com a apresentação do planejamento do Consea-MG para 2012, a participação do Consea-MG no Conselho de Alimentação Escolar (CAE). Haverá, ainda, a apresentação dos programas “Um leite pela vida” e “Água para todos”, do Instituto de Desenvolvimento do Norte e Nordeste de Minas Gerais (Idene).

Consea-MG

Criado em 1999 pelo Decreto n° 40.324 do governador do Estado, o Conselho de Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável de Minas Gerais (Consea-MG) é um órgão colegiado de interação do poder público estadual com a sociedade civil, vinculado ao Gabinete do Governador. Seu objetivo é deliberar, propor e monitorar ações e políticas de segurança alimentar e nutricional sustentável em Minas.

O conceito de segurança alimentar consiste na realização do direito de todos ao acesso regular e permanente a alimentos de qualidade, em quantidade suficiente, sem comprometer o acesso a outras necessidades essenciais, tendo como base práticas alimentares promotoras da saúde que respeitem a diversidade cultural e que seja ambiental, cultural, econômica e socialmente sustentável.

Fonte: Agência Minas

Governo de Minas: abertas inscrições de trabalhos para o 6º Seminário de Literatura Brasileira

Inscrições poderão ser feitas até 11 de maio

Estão abertas as inscrições dos trabalhos a serem apresentados durante o 6º Seminário de Literatura Brasileira, que será realizado pela Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes) no período de 13 a 15 de junho. O evento é organizado pelo Grupo de Pesquisas em Estudos Literários (GEL), Departamento de Comunicação e Letras e a coordenação do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Letras – Estudos Literários.

As inscrições poderão ser feitas até 11 de maio pela internet, e-mail seminarioliteratura@unimontes.br ou pessoalmente (sala do Grupo de Pesquisas em Estudos Literários e na Secretaria do Mestrado em Letras/Estudos Literários – prédio 2/campus-sede). Outras informações pelo site http://www.cch.unimontes.br/seminariodeliteratura.

Temas

O seminário terá como tema central “Minas e o Modernismo: Memórias, Subjetividade e Ruínas”. Um dos objetivos é debater sobre a literatura contemporânea no Brasil. Uma novidade na programação será o intercâmbio científico diante da participação de outras instituições de ensino superior no evento. Serão parceiros na iniciativa a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-Minas), Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), Centro de Estudos Sociais de Juiz de Fora (CES/JF) e a Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ).

O coordenador geral do evento, Osmar Pereira Oliva, salienta que o seminário pretende debater o Modernismo Brasileiro, com ênfase à literatura produzida em Minas Gerais. “Além disso, em conjunto “com as demais instituições de ensino, vamos também promover e institucionalizar o Projeto “Literatura de Minas Gerais em Rede”, que visa a maior aproximação dos professores e alunos dos programas de pós-graduação em Letras e áreas afins”, explica Osmar Oliva, também pró-reitor de Pós-Graduação da Unimontes.

Outras informações também pelos telefones 3229-8248, 3229-8170 e 3229-8234.

Fonte: Agência Minas

Governador Anastasia participa da primeira retirada de peixes criados por detentos

Minas Gerais é o primeiro estado do país a criar peixes em unidade prisional. Produção será distribuída para instituições beneficentes.
Wellington Pedro/Imprensa MG
Serão retiradas do açude da unidade 1,5 mil tilápias, aproximadamente 1,2 mil quilos de peixe
Serão retiradas do açude da unidade 1,5 mil tilápias, aproximadamente 1,2 mil quilos de peixe

O governador Antonio Anastasia acompanhou, nesta terça-feira (07), juntamente com o ministro da Pesca e Aquicultura, Luiz Sérgio Nóbrega de Oliveira, e o secretário de Defesa Social, Lafayette Andrada, a retirada dos primeiros peixes criados por detentos do Presídio Antônio Dutra Ladeira, em Ribeirão das Neves. Ao todo, estão sendo retiradas do açude da unidade 1,5 mil tilápias, que equivalem a aproximadamente 1,2 mil quilos de peixe.

Minas Gerais é o primeiro estado do país a produzir peixes em unidade prisional. A iniciativa, parceria entre o Governo de Minas e o governo federal, tem o objetivo de facilitar a reintegração social dos detentos, que passam a ter uma qualificação profissional. Os presos recebem remissão da pena em um dia a cada três trabalhados.

Anastasia destacou o caráter de ressocialização do projeto, além da possibilidade de auxiliar entidades carentes, que receberão os peixes coletados no açude. Segundo o governador, a intenção é, a partir da primeira experiência, em Neves, expandir o programa para outras unidades prisionais do Estado.

“Estamos diante de um projeto aparentemente simples, mas com um resultado muito efetivo. Ele ocupa os presos e, ao mesmo tempo, permite a criação de uma profissão que vai crescer no futuro, o criatório de peixes. É um projeto que atende a todos, muito positivo. Nós vamos estendê-lo para outras unidades que tenham possibilidade de ter nos seus terrenos também reservatórios de água e tenho certeza que é um modelo que irá para o Brasil afora”, afirmou o governador.

Os peixes coletados serão doados ao Banco de Alimentos de Ribeirão das Neves, montado pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, em 2007. O banco fará a distribuição dos peixes para 22 instituições (entre creches, lares de idosos, Associações de Paes e Amigos de Excepcionais e obras sociais) e sete Centros de Referência de Assistência Social (Cras).

O secretário Lafayette Andrada afirmou que o projeto faz parte da busca do Governo de Minas por humanizar os presídios do Estado, garantindo aos detentos condições de trabalho após cumprirem a pena.

“Minas Gerais vem realizando, de maneira muito consciente, a ressocialização e humanização do sistema prisional por meio do trabalho. Temos parcerias com quase 300 empresas que dão trabalho a cerca de 12 mil detentos. Isso representa 40% da nossa população de presos condenados, índice maior que qualquer outro Estado da federação. As estatísticas nos incentivam a continuar nesse caminho quando mostram que a reinserção no sistema prisional daqueles que trabalham é mínima”, disse Andrada.

Novos tanques

Durante a solenidade, foram entregues pelo Ministério da Pesca, quatro novos tanques redes, que também serão instalados no Presídio Dutra Ladeira, aumentando para dez o número desse equipamento na unidade.

O ministro Luiz Sérgio Nóbrega de Oliveira destacou a posição de Minas Gerais como grande produtor de alimentos e apontou o programa como forma de se perseguir disponibilidade e qualidade alimentar para a população. Ele destacou ainda a importância da parceria entre as diferentes esferas governamentais para o sucesso e a expansão do programa.

“Vejo esse projeto com muita alegria, uma experiência pioneira, que tenho muita esperança possa ser copiada. Nós queremos consolidar em Minas Gerais, nos lagos e reservatórios, porque é um Estado grande produtor de alimentos em nosso país – de leite, carne bovina – e, certamente, será também um grande produtor de peixes. Nós precisamos incentivar e aqui deu resultados porque temos excelente convergência de fatores, com a presença do Governo do Estado, do Governo Federal, da universidade”, explicou o ministro.

Os presos que participam do projeto fizeram um curso de piscicultura, ministrado pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Um doutorando da universidade acompanha o trabalho com visitas regulares ao presídio.

A criação de tilápias acontece na Dutra Ladeira, como projeto piloto, desde julho do ano passado, quando os primeiros 1,5 mil alevinos – filhotes de peixes logo após o nascimento – foram colocados no açude da unidade.

Em outubro, outra remessa com a mesma quantidade de peixes foi depositada no local. Por fim, uma terceira remessa de 1,5 mil alevinos foi colocada no tanque na semana passada. Há ainda uma quarta remessa que será colocada no açude em março.

Entre outros, participaram da solenidade o secretário de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Adriano Magalhães, o prefeito de Ribeirão das Neves, Walace Ventura, e o superintendente Federal de Pesca e Aquicultura de Minas Gerais, Wagner Benevides.

Fonte: agência Minas

Gestão Anastasia: ano letivo de 2012 começa na rede estadual de ensino de Minas Gerais

Mais de 90% das 3.779 escolas estaduais iniciam as aulas nesta segunda-feira (6)
Ivanir Diniz
Por causa das chuvas, foram liberados R$ 947 mil adicionais para reparos e obras em 13 escolas
Por causa das chuvas, foram liberados R$ 947 mil adicionais para reparos e obras em 13 escolas

Começa nesta segunda-feira (6) o ano letivo de 2012 para mais de 90% das 3.779 escolas da rede estadual de ensino. Cerca de 2,4 milhões de estudantes de todas as regiões do Estado se preparam para retomar os estudos e os compromissos com os livros, pesquisas e bibliotecas e, principalmente, com os professores.

De acordo com a subsecretária de Educação Básica, Raquel Elizabete, as fortes chuvas que caíram sobre Minas Gerais no início deste ano foram motivo de preocupação para o início do ano letivo. “Os estragos, em todo o Estado, foram grandes, mas a Secretaria de Estado de Educação articulou um esquema especial para fazer reparos e obras de emergências nas unidades escolares atingidas pelas fortes chuvas”, destaca Raquel Elizabete. Ao todo, foram liberados R$ 947 mil adicionais para 13 escolas.

A subsecretária está otimista. Para ela, o ano de 2012 já começa com grandes desafios. “Logo no primeiro semestre, os estudantes terão a oportunidade de conferir os resultados obtidos no Programa de Avaliação da Rede Pública da Educação Básica (Proeb)”, informa Raquel Elizabete.  Em 2011, foi aplicado R$ 1,9 milhão de provas no Estado e a previsão é que os resultados sejam divulgados em março. O Proeb avalia os níveis de conhecimento dos estudantes do 5º e 9º anos do ensino fundamental e do 3º ano do ensino médio, em Português e Matemática.

A expectativa é de que os resultados do Proeb sigam a tendência de crescimento observada nos últimos números do Programa de Avaliação da Alfabetização (Proalfa), divulgados no ano passado. Os resultados do Proalfa 2011 apontaram que 88,9% dos estudantes do 3º ano do ensino fundamental no Estado sabem ler, escrever e interpretar em um nível considerado recomendável de acordo com padrões internacionais. “Em 2006, quando o Proalfa foi aplicado pela primeira vez, esse índice era de 48,6%”, lembra a subsecretária. As provas da próxima edição do Proalfa estão prevista para o segundo semestre.

Alunos campeões

O mês de reinício do ano letivo de 2012 marca também a divulgação dos resultados da última Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (Obmep). As provas, realizadas em agosto e novembro de 2011, envolveram alunos de todos os 853 municípios mineiros e esses jovens estão na expectativa dos próximos resultados. Minas foi o primeiro estado em número de medalhas de ouro nas últimas quatro edições da competição, cujos resultados já foram divulgados. As inscrições para a 8ª edição da Obmep devem acontecer logo no início do ano letivo.

Para quem começa o 3º ano do ensino médio este ano, o foco certamente será o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). O exame é porta de entrada para as principais universidades do país. Os estudantes da rede pública estadual deram exemplo, em 2011, de como o esforço na escola pode recompensar. No último vestibular da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), de acordo com a Comissão Permanente do Vestibular da Universidade, 32% dos aprovados são estudantes da rede estadual de ensino.

“Temos conquistado um índice de aprovação em vestibulares, em todo o Estado, muito significativo, e o resultado alcançado na UFMG, a maior universidade de Minas Gerais, reflete a permanente melhoria de qualidade de nossa educação. Alunos, professores, pais e técnicos, enfim, todo o sistema, estão fazendo um ótimo trabalho”, destaca Raquel Elizabete.

A subsecretária lembra, ainda, que 2012 será um ano decisivo para o Ensino Médio na rede estadual. A partir desta segunda-feira começa o projeto “Reinventando o Ensino Médio”, realizado como projeto piloto em 11 escolas da região Norte da capital. Novas opções de formação começarão a ser oferecidas aos 6 mil alunos dessas escolas, com foco em Comunicação Aplicada, Tecnologia da Informação e Turismo”, explica. “Nossa expectativa é tornar o ensino médio mais instigante, desafiador”, completa Raquel Elizabete.

Nos esportes, os estudantes da rede estadual terão a oportunidade de participar dos Jogos Escolares de Minas Gerais (Jemg).  Em 2011, alunos de mais de 20 escolas da rede estadual de ensino foram classificados para participar da etapa nacional dos Jogos Escolares. Está prevista para fevereiro a divulgação das sedes dos jogos em 2012.

Reposição de aulas

Do total de 3.779 escolas estaduais, 271 unidades escolares continuam a reposição das aulas e vão dar início ao calendário letivo após o dia 6 de fevereiro. As escolas que fizerem a reposição em fevereiro e março devem dar, ao fim da reposição, ao menos uma semana de recesso antes do início do ano letivo de 2012

Fonte: Agência Minas