Gestão da Saúde: SES promove pesquisa para mapear a saúde bucal da população do Estado

Exames clínicos e questionários vão permitir a caracterização do nível de utilização de serviços odontológicos e dos riscos à Saúde Bucal dos mineiros

links relacionados
Pedro Cisalpino
SB Minas Gerais mapeia a condição da saúde bucal da população mineira
SB Minas Gerais mapeia a condição da saúde bucal da população mineira

A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) está realizando uma pesquisa que tem como objetivo mapear as condições de saúde bucal da população mineira, o SB Minas Gerais. Por meio do projeto, a SES-MG pretende identificar os problemas bucais mais frequentes na população, a fim de diagnosticar as necessidades e, formular ações que contemplem prevenção, tratamentos e reabilitação adequados à realidade das comunidades.

Desde o final de abril, moradores de 60 municípios mineiros estão participando do inquérito epidemiológico. Em cada município serão feitos cerca de 100 exames, totalizando, aproximadamente, seis mil exames no Estado. De acordo com a diretora de Saúde Bucal da SES-MG, Daniele Lopes Leal, a pesquisa vai fortalecer a Política de Saúde Bucal, que vem sendo delineada no estado.

“O SB Minas Gerais vai trazer como resultado o diagnóstico epidemiológico de Saúde Bucal da população mineira, a partir do qual serão formuladas ações que contemplem esta população com o desenvolvimento de programas de âmbito estadual”, explica.

Durante a pesquisa, além dos índices tradicionais de medição dos agravos bucais, será aplicado, também, um questionário aos indivíduos examinados.  Dessa forma, serão analisadas as condições de problemas como cárie, doença periodontal, oclusopatias, fluorose (intoxicação pelo flúor e seus derivados), dentre ouras, no sentido de se verificar, além da prevalência, a extensão da gravidade das doenças bucais.

Segundo a diretora, Daniele Leal, a Política Nacional de Saúde Bucal determina a realização de estudos epidemiológicos desse porte como parte componente da Vigilância em Saúde. “A nossa proposta é realizar pesquisas desse tipo a cada 10 anos, com o intuito de avaliar as alterações no quadro epidemiológico da população”, afirma.

O projeto terá financiamento da SES-MG, através da Diretoria de Saúde Bucal, no valor de R$168 mil, sendo que cada município participante vai receber R$ 2.800,00 para pagamento de pessoal e ressarcimento de despesas de deslocamento, além de receber todo o material para realização dos exames.

“Os municípios investem disponibilizando os profissionais para a pesquisa. E o Ministério da Saúde é parceiro no processo, uma vez que toda a metodologia do projeto é do Ministério”, acrescenta a diretora de Saúde Bucal, Daniele Leal.

Participação dos municípios

Para que houvesse representatividade em todo o território do estado de Minas Gerais, os municípios participantes do projeto SB Minas Gerais foram sorteados, seguindo um processo de amostragem probalística.

Nesse processo, foram considerados os grupos etários e o fator de alocação dos municípios, definidos a partir da associação dos índices de necessidade em saúde e de porte econômico, que levam em conta variáveis epidemiológicas e socioeconômicas, além da capacidade do município financiar, com recursos próprios, os cuidados com a saúde dos cidadãos.

Para execução do projeto, os municípios participantes contam com um examinador, um anotador e um coordenador municipal, sendo que os exames são realizados por Cirurgiões Dentistas e os anotadores são profissionais de nível médio, geralmente técnico em Saúde Bucal (TSB) ou auxiliar em Saúde Bucal (ASB), das Secretarias Municipais de Saúde dos próprios municípios.

“As equipes de campo foram treinadas, em oficina com duração de 24 horas, onde foi possível discutir a operacionalização das etapas do trabalho e as atribuições de cada participante, a fim de assegurar um grau aceitável de uniformidade nos procedimentos”, esclarece a diretora de Saúde Bucal da SES-MG.

Metodologia de pesquisa

Durante a pesquisa, o cirurgião dentista vai percorrer a cidade e examinar, em domicílio, o morador que se interessar em participar voluntariamente do Projeto, sendo aptas a participar da pesquisa, pessoas com idades de 05 e 12 anos, 15 a19 anos, 35 a 44 anos e 65 a74 anos.

O voluntário deverá, também, responder um questionário, composto por perguntas subjetivas que vão ajudar na compreensão do processo saúde/doença bucal. “O questionário vai contribuir para a avaliação das condições socioeconômica e de utilização dos serviços, sendo fundamental para a estruturação da Rede Assistencial em Saúde Bucal”, afirma Daniele Leal.

O projeto segue a metodologia do SB Brasil 2010, do Ministério da Saúde, e conta com a colaboração da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-MG), que vai avaliar os resultados através do Conselho de Ética em Pesquisa. Outra instituição a avaliar o resultado da pesquisa será o Comitê de Ética em Pesquisa cadastrado junto à Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (CONEP).

Municípios Participantes

Guaxupé, Conselheiro Lafaiete, Capela Nova, Betim, Contagem, Itabirito, Sabará, Igarapé, Coronel Fabriciano, Pingo-D’água, Naque, Diamantina, Jenipapo de Minas, Serro, Divinópolis, Lagoa da Prata, Onça de Pitangui, Governador Valadares, Central de Minas, Peçanha, São José da Safira, João Monlevade, Virginópolis, Centralina, São Romão, Varzelândia, Juiz de Fora, Arantina, Cataguases, Simonésia, Pedra Bonita, Montes Claros, Janaúba, Monte Azul, Capitão Enéas, Padre Carvalho, Rio Pardo de Minas, Piumhi, Patos de Minas, João Pinheiro, Águas Vermelhas, Santa Maria do Salto, Santa Fé de Minas, Paula Cândido, Santa Rita do Sapucaí, Turvolândia, Piedade do Rio Grande, Sete Lagoas, Teófilo Otoni, Machacalis,Crisólita,Malacacheta, Ubá, Rosário da Limeira, Araxá, Perdizes, Uberlândia, Unaí, Boa Esperança e Varginha.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/ses-promove-pesquisa-para-mapear-a-saude-bucal-da-populacao-do-estado/

Anúncios

Gestão Anastasia: Governo de Minas implanta Rede de Urgência e Emergência da Região Central

Projeto vai beneficiar cerca de seis milhões de pessoas em 104 municípios

Wellington Pedro/Imprensa MG
Governador em exercício, Dinis Pinheiro, durante pronunciamento na abertura da runião
Governador em exercício, Dinis Pinheiro, durante pronunciamento na abertura da runião

O governador em exercício, Dinis Pinheiro, abriu, nesta quinta-feira (10), na Cidade Administrativa, reunião para a apresentação da proposta para a implantação do Consórcio Aliança pela Saúde como instrumento de gestão da Rede de Urgência e Emergência da Macrorregião Centro e do Samu Macrorregional. Essa rede irá atender a 6 milhões de pessoas de 104 municípios. A Rede de Urgência e Emergência é uma parceria do Governo de Minas com o governo federal e os municípios para agilizar e melhorar a qualidade dos serviços para as pessoas que precisam de rapidez no atendimento médico.

“A rede irá funcionar de forma integrada e em permanente sintonia com os municípios e o governo federal. Essa rede tem um objetivo que é dar celeridade, rapidez e, evidentemente, melhorar o atendimento das pessoas no setor da saúde. Essa rede resultará em mais recursos, mais ambulâncias e os hospitais localizados estrategicamente serão dotados de melhor estrutura”, destacou o governador em exercício.

Nas redes, as unidades do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) atuam integradas a um Complexo Regulador, que controla o fluxo do atendimento. A ambulância, ao resgatar o paciente, saberá qual é o hospital mais próximo tem leito disponível e está em condições de atender adequadamente. A proposta é que em cada região onde a Rede de Urgência e Emergência esteja implantada, 90% da população tenha acesso rápido a um serviço de saúde – ambulância, Unidade de Pronto Atendimento (UPA) ou hospital.

O secretário de Estado de Saúde, Antônio Jorge de Souza Marques, explicou que o projeto do fortalecimento da Urgência e Emergência na Macrorregião Centro vai além da implantação da rede.

“Para que uma rede possa funcionar, precisamos de um elemento logístico que liga essas pontas que é o Samu, um serviço muito conhecido na Região Metropolitana de Belo Horizonte, mas que estava restrito às cidades com mais de 100 mil habitantes. O que fizemos foi estender o Samu. Assim, qualquer cidadão da Macrorregião Centro, que congrega 104 municípios, terá acesso ao serviço”, explicou Antônio Jorge.

Fortalecimento da Rede

O projeto, aprovado junto ao Ministério da Saúde para a implantação da Rede na região Central, prevê investimentos de R$ 5,16 milhões para auxiliar no custeio de prontos-socorros de hospitais e UPAs, que funcionam como porta de entrada dos pacientes. Do total, R$ 2,36 milhões serão disponibilizados pelo Governo de Minas. Até 2014, estáprevista a abertura de 790 leitos clínicos, 340 leitos de UTI adulto e pediátrico e 390 leitos de longa permanência nos hospitais participantes do projeto.

A implantação da Rede de Urgência e Emergência prevê a criação de 52 equipes multiprofissionais de atenção domiciliar, que continuarão acompanhando o paciente após a alta hospitalar. Cada equipe será composta por dois médicos, dois enfermeiros, um fisioterapeuta e um assistente social e quatro técnicos de enfermagem. Serão também criadas 25 equipes multiprofissionais de apoio, compostas por três profissionais – psicólogo, fonoaudiólogo, assistente social ou fisioterapeuta, terapeuta ocupacional, farmacêutico ou nutricionista.

O projeto prevê também a implantação de sete salas de estabilização, a serem utilizadas como local de assistência temporária para estabilização de pacientes críticos/graves e posterior encaminhamento a outros pontos da rede de atenção à saúde. As salas serão implantadas nos municípios de Belo Vale, Jaboticatubas, Felixlândia, Rio Vermelho, Barão de Cocais, Ferros e Morada Nova de Minas. A manutenção dessas salas está orçada em R$ 35 mil mensais, sendo R$ 25 mil recursos do Ministério da Saúde e R$ 10 mil, investimento do Governo de Minas.

Outras Redes

A primeira Rede de Urgência e Emergência de Minas Gerais foi implantada no Norte, em 2008, abrangendo 86 municípios e beneficiando 1,5 milhão de pessoas. Em fevereiro deste ano, foi inaugurada a Rede na região Centro-Sul, com investimentos de R$ 7 milhões, com sede em Barbacena, e beneficiando 723 mil pessoas de 50 municípios. Em abril, foi implantada a Rede nas regiões Nordeste e Jequitinhonha, sediada em Teófilo Otoni. Foram investidos R$ 6,7 milhões e deve ser atendida uma população de 1,2 milhão de pessoas, de 86 municípios. Até o fim de 2012, deverá ser implantada a rede Macro Sul, com sede em Varginha.

Atualmente, 232 municípios são atendidos pelo Samu, o que corresponde a 45% da população mineira. Com o funcionamento de mais duas redes (Centro e Sul), a cobertura saltará para 70% da população. A meta, até o final de 2014, é cobrir as 13 macrorregiões de saúde em que o Estado é dividido, com 12 redes de Urgência e Emergência em atuação.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/governo-de-minas-implanta-rede-de-urgencia-e-emergencia-da-regiao-central/

Governo de Minas: Defesa Social capacita 320 pessoas em policiamento comunitário

Oito municípios mineiros participaram do curso que tem com objetivo a tranquilidade e a segurança da população

Policiais civis e militares, representantes do Corpo de Bombeiros, guardas municipais, líderes comunitários e membros de Conselhos Municipais de Segurança Pública (Consep) participaram de um curso Promotor Especial de Polícia Comunitária. A capacitação oferecida pela Gerência da Qualidade da Atuação do Sistema de Defesa Social da Secretaria de Defesa Social (Seds) foi oferecida para trezentas e vinte pessoas em oito municípios sedes de Regiões Intergradas de Segurança Pública (Risps) que são: Belo Horizonte, Ipatinga, Governador Valadares, Teófilo Otoni, Uberlândia, Montes Claros, Juiz de Fora e Poços de Caldas.

Com carga horária de 352 horas de curso, os alunos assistiram a aulas teóricas e visitaram projetos comunitários. O objetivo foi garantir mais tranquilidade e segurança à população, capacitando agentes da área e lideranças locais a participar da filosofia da polícia comunitária, que considera a população corresponsável pela segurança pública.

O gestor da Qualidade da Atuação do Sistema de Defesa Social, José Francisco da Silva, chamou atenção para a expressiva participação da comunidade e para o entrosamento dos moradores com os policiais e os guardas municipais durante o curso. “Percebemos como é franca a relação entre eles, o que demonstra que a polícia comunitária é bem coordenada e está construindo uma relação de confiança com a população”, disse.

O município de Montes Claros, no Norte de Minas, é um exemplo do desejo da população em participar das ações de segurança pública. Os interessados no treinamento excederam o número de vagas e já preencheram lista para a próxima edição do curso Especial Promotor de Polícia Comunitária.

De acordo com o investigador de polícia e coordenador do curso na cidade, William César Ireno, o treinamento permite mostrar à população outro lado do trabalho policial. “A maioria das pessoas conhece o braço ostensivo e fiscalizador da polícia, mas esse curso permitiu mostrar que os profissionais da segurança pública garantem apoio e parceria também a iniciativas que visam ao desenvolvimento comunitário”, afirmou.

A mesma avaliação foi feita pelo coordenador do curso em Governador Valadares, Julimar Vilela Oliveira. “A iniciativa contribuiu para quebrar o tabu de que os policiais não podem ser amigos da população. Todos perceberam que a comunidade deve sair da posição de mero informante da polícia e participar de verdade da gestão da Defesa Social”, disse.

Em Ipatinga, mais de 20 líderes comunitários participaram do curso, representando cerca de 200 mil habitantes. Também fizeram parte da capacitação integrantes dos Conselhos Comunitários do próprio município e de Coronel Fabriciano e servidores da Prefeitura Municipal.

A delegada Eliete Maria de Carvalho coordenou o curso em Poços de Caldas, na região Sul do Estado, e destacou a atividade em que os alunos entrevistaram a população do bairro São José. “Eles fizeram o diagnóstico da realidade local e das necessidades das famílias e elaboraram um bom projeto, que tem grandes chances de ser executado”, contou.

Já em Uberlândia houve apresentação cultural dos jovens que participam do “Bombeiros Mirim”, projeto que promove atividades de treinamento em primeiros socorros, combate a princípio e ameaças de incêndio e proteção a crianças e adolescentes em situação de risco social.

O coordenador do curso em Juiz de Fora, Moisés Ricardo Pinto, destacou a importância da adesão dos moradores para garantir o sucesso dos projetos sociais desenvolvidos pelos órgãos policiais.

Na capital , o curso foi positivamente avaliado pelo coordenador, José Paulo Lomba Filho. “Os participantes demonstraram satisfação em compartilhar ideias e experiências, bem como refletir sobre aspectos inerentes à rotina do trabalho”, disse. Em Belo horizonte  os participantes visitaram o Centro de Prevenção à Criminalidade Morro das Pedras para conhecer o programa de controle de homicídios Fica Vivo!

Para o capitão PM Evandro Ferreira Neves, coordenador do curso em Teófilo Otoni, o treinamento contribuiu para “despertar a consciência coletiva da população”. Entre as iniciativas que contam com o apoio do policiamento comunitário e do Consep do município tem destaque o projeto Policiamento de Proteção Integral à Criança e ao Adolescente, que já conseguiu significativa redução dos níveis de violência escolar.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/defesa-social-capacita-320-pessoas-em-policiamento-comunitario/

Governo de Minas: índios Maxacalis são alvo de ações para superação da extrema pobreza

Equipe da Secretaria de Trabalho e Emprego visitou quatro municípios para conhecer melhor a comunidade indígena

O Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de Trabalho e Emprego (Sete), deu início ao diagnostico das ações de desenvolvimento local e territorial para a superação da extrema pobreza. O foco dessa primeira etapa é a comunidade dos índios Maxacalis, localizada no Noroeste de Minas e no Vale do Mucuri.

Uma equipe técnica da Sete visitou quatro municípios – Santa Helena de Minas, Bertópolis, Ladainha e Teófilo Otoni – para melhor conhecer a cultura, as necessidades e as peculiaridades da comunidade indígena. As demandas levantadas irão subsidiar as ações de geração de trabalho e renda em atividades de economia solidária, com vistas a atenuar a condição de marginalidade econômica, social e de dependência de políticas de transferência de renda sofridas pela comunidade.

A ação faz parte do projeto “Promoção de Ações Integradas de Economia Solidária para o Desenvolvimento Local e Territorial, visando à Superação da Extrema Pobreza”, que vai contemplar 50 empreendimentos e mil famílias, tendo como premissa a fixação da população no território, com a implantação efetiva da economia solidária na promoção do desenvolvimento sustentável da comunidade. Cerca de 1,5 mil Maxacalis vivem em Minas Gerais e serão beneficiados pelo projeto.

Segundo o secretário de Estado de Trabalho e Emprego, Carlos Pimenta, o desenvolvimento dessas ações são metas importantes do Governo de Minas. “Temos que proporcionar melhores condições de vida para todos os mineiros e esses povos não podem ser esquecidos. Vamos desenvolver ações de trabalho e renda para que eles possam ter uma vida digna e de qualidade”, explicou o secretário.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/indios-maxacalis-sao-alvo-de-acoes-para-superacao-da-extrema-pobreza/

Gestão da Saúde: Força Tarefa de combate a dengue mobiliza a população de Teófilo Otoni

Projeto da Secretaria de Estado de Saúde busca envolver a população na guerra contra a dengue em Minas

Augusto do Monte – ACS/TO
Força Tarefa de combate à Dengue, da Secretaria de Estado de Saúde, mobiliza população de Teófilo Otoni
Força Tarefa de combate à Dengue, da Secretaria de Estado de Saúde, mobiliza população de Teófilo Otoni

A Força Tarefa de combate à Dengue, da Secretaria de Estado de Saúde, mobilizou, neste fim de semana, a população de Teófilo Otoni, no Vale do Mucuri. O projeto busca reforçar a guerra contra a dengue por meio da divulgação de informações sobre a doença e do combate aos os focos do mosquito.

Para intensificar a luta, os profissionais que atuam no programa fizeram vistorias nas áreas consideradas de risco, percorreram casas, fizeram limpeza de lotes baldios para eliminar os possíveis criadouros do Aedes Aegypti. Em Teófilo Otoni, a mobilização foi realizada entre os dias 23 de abril e 04 de maio.

Os trabalhos contaram, também, com o Dengue Móvel, por meio do qual os moradores puderam trocar objetos que acumulam água por material escolar, em um total de 9.000 borrachas, 14.240 lápis, 1.000 cadernos, entre outros produtos.

A Coordenadora do Programa Municipal de controle da Dengue, Grazielly Gusmão, ressaltou que o objetivo é conscientizar a população para o combate à dengue, retirando do ambiente todo o material inservível que serve de criadouro do mosquito, trocando-os por material escolar. A população tem participado ativamente, com a entrega de latas, garrafas pet e pneus. “Esperamos que nosso objetivo seja alcançado e que a população continue realizando esse combate da Dengue no seu dia-a-dia”, afirmou.

Fábio Oliveira Dantas, 35 anos, pedreiro, morador do Bairro Vila Pedrosa, em Teófilo Otoni, disse que “o trabalho foi muito bom”. “Além de acabar com o Aedes Aegypti, ajuda as crianças com o material escolar e a estudar, conscientizando-os também a ajudar a combater a dengue”, afirmou.

Força Tarefa

Lançada em novembro de 2010, a Força Tarefa faz parte do Programa Estadual de Controle Permanente da Dengue. A ação é formada por 432 pessoas, sendo 200 soldados do Exército, 40 da Aeronáutica e 192 agentes de saúde.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/forca-tarefa-de-combate-a-dengue-mobiliza-a-populacao-de-teofilo-otoni/

Gestão Anastasia: Caravana Mães de Minas mobiliza população da Zona da Mata

Programa de atenção integral às mulheres e crianças do Governo de Minas estará em Juiz de Fora

Henrique Chendes
Caravana Mães de Minas visitará 12 municípios mineiros no período de 16 de março a 26 de setembro
Caravana Mães de Minas visitará 12 municípios mineiros no período de 16 de março a 26 de setembro

A partir desta sexta-feira (04), Juiz de Fora, na Zona da Mata, recebe a 4ª parada da Caravana Mães de Minas, parte do Programa Mães de Minas, realizado pelo Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG).

A iniciativa conta com a parceria da Secretaria Municipal de Saúde de Juiz de Fora, Pastoral da Criança, Polícia Militar de Minas Gerais, Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg) e a Unimed para redução da mortalidade materna e infantil no Estado. O evento ocorrerá de 9h às 17h30, até o próximo domingo (06), na quadra da Escola de Samba Feliz Lembrança, avenida Antônio Guimarães Peralva, nº126, Bairro Barbosa Lage.

Para o secretário de Estado de Saúde, Antônio Jorge de Souza Marques, a caravana será fundamental para unir esforços que garantam a prioridade da causa em Minas. “Ao cuidarmos da concepção ao primeiro ano de vida, buscando mobilizar a sociedade para transformar a maternidade no maior patrimônio dos mineiros, nós estamos plantando uma infância mais saudável. E quem planta uma infância mais saudável, terá adiante uma sociedade mais saudável”, destacou.

Gestantes, mães com crianças de até um ano de idade e familiares poderão participar de diversas oficinas e atividades de formação e sensibilização voltadas ao acompanhamento da gravidez e da criança. A caravana é um espaço composto por estandes, nos quais o público terá acesso ao cadastramento no 155;  oficina de aleitamento materno; oficina de cuidados com o bebê e com a gestante; oficina sobre o parto normal; oficinas de brinquedos; cabine de vídeo e foto; roda de memória e a exposição do “túnel da vida”.

Caravana

A ação constitui importante frente de mobilização do Programa Mães de Minas e visitará 12 municípios mineiros no período de 16 de março a 26 de setembro, permanecendo em cada cidade durante três dias. A caravana que já passou por Belo Horizonte, Ribeirão das Neves e Divinópolis e visitará outros nove municípios: Juiz de Fora, Varginha, Diamantina, Governador Valadares, Montes Claros, Teófilo Otoni, Patos de Minas, Uberaba e Uberlândia.

A caravana é formada por uma equipe de 15 pessoas, entre técnicos da área de saúde, lideranças comunitárias e profissionais com experiência em trabalhos voltados para a mulher. A capacitação foi acompanhada pela SES e pelo Unicef, instituição que também desenvolve ações em parceiras com o Governo de Minas no combate à mortalidade infantil e materna no Norte e Nordeste do Estado.

Mães de Minas

Em 2003, a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais implantou a Rede Viva Vida, que reúne uma série de medidas com a finalidade de oferecer atenção integral às mulheres e crianças e, também, reduzir as taxas de mortalidade infantil e materna neste Estado.

Para o ano de 2012, foi estruturado o Programa Mães de Minas, que é um recorte da rede Viva Vida de Atenção Integral à Saúde da Mulher e da Criança e, como tal, deverá estimular um processo de mobilização social que contemple monitoramento e acompanhamento das mães e de seus filhos até um ano de idade, pelo sistema telefônico. Esse processo deverá envolver Estado e sociedade civil para reunir esforços com vistas à redução da mortalidade infantil e materna.

Serviço 155

Para ser acompanhada e garantir uma gravidez saudável, a gestante assistida pela rede pública e particular deve ligar para o call center 155 e se cadastrar no Sistema de Identificação da Gravidez. Já foram cadastradas 9996 gestantes e mães, em 647 municípios mineiros. Feito o cadastro, as mulheres passam a ser acompanhadas.

A equipe de atendentes é formada por avós e mães treinadas para oferecer atendimento humanizado. Elas checam se a gestante foi à consulta agendada; ligam para saber sobre o parecer médico e resultado de exames, se foram diagnosticadas com gravidez de alto risco.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/caravana-maes-de-minas-mobiliza-populacao-da-zona-da-mata/

Gestão da Educação: em Minas, estudos em ciência e tecnologia estão ao alcance de todos

Programa da Sectes estimula estudantes a apreciar e conhecer mais sobre o assunto

Sectes / Divulgação
Alunos visitam Parque da Ciência
Alunos visitam Parque da Ciência

O programa de popularização da Ciência e Tecnologia, desenvolvido pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sectes), já atingiu desde o início desse ano, 2.500 pessoas em Teófilo Otoni e região.

Com a mobilização do Polo de Inovação, aproximadamente 900 crianças e jovens foram estimuladas a visitar o Parque da Ciência na Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM) e a participar da elaboração de programas para a Rádio Ciência. Nas redes sociais, cerca de mil pessoas já integram um grupo no Facebook que discute iniciativas de ciência e tecnologia no nordeste de Minas Gerais.

Na escola Tiradentes de Teófilo Otoni, em apenas um dia, o projeto “Ciência na Escola” atendeu a 500 alunos. Eles participaram de diversas oficinas com os equipamentos do Parque e da Rádio Ciência, que fizeram parte de uma exposição na escola.

Na área externa do campus da UFVJM em Teófilo Otoni, o projeto “Terça no espaço” possibilitou que mais de 100 pessoas pudessem observar o espaço com o telescópio do Parque da Ciência.

De acordo com o coordenador do programa de Popularização da Ciência e Tecnologia em Teófilo Otoni, Wallas Siqueira Jardim, a parceria entre o Polo de Inovação e a UFVJM é importante para o desenvolvimento da educação na região. A estrutura da Universidade permite ao Polo promover o contato dos estudantes com diversos jogos, experimentos, brinquedos e desafios propostos nas visitas ao Parque da Ciência e à emissora de rádio.

“Os alunos percebem que a ciência não está apenas nos livros e decoreba das fórmulas matemáticas, mas também no olhar e no toque. O mundo a sua volta pode ser percebido e entendido de uma maneira fácil e divertida”, explicou Wallas.

Polos de Inovação

O polo de Teófilo Otoni é um dos oito instalados também nos municípios de Araçuaí, Almenara, Janaúba, Diamantina Januária, Pirapora e Salinas. Eles atuam no norte de Minas e vales do Jequitinhonha e Mucuri com o objetivo de catalisar oportunidades para o desenvolvimento econômico e social da região. As atividades oferecidas pelos Polos desenvolvem potenciais, fortalecem vocações e promovem a cidadania.

Para saber mais e participar das ações de popularização da ciência e tecnologia em Teófilo Otoni, entre em contato com o coordenador de Popularização da Ciência do Polo de Inovação de Teófilo Otoni, pelo email wallasmat@yahoo.com.br .

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/em-minas-estudos-em-ciencia-e-tecnologia-estao-ao-alcance-de-todos/

Governo de Minas: investimentos no SAMU 192 das macros Nordeste e Jequitinhonha já dão resultados

Mais de um milhão de pessoas em 86 municípios são beneficiadas pelo Complexo Regulador

Augusto Monte/SRS/TO
Complexo Regularizador recebeu do Governo de Minas R$ 4 milhões em investimentos
Complexo Regularizador recebeu do Governo de Minas R$ 4 milhões em investimentos

A primeira quinzena de funcionamento da Central de Regularização do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) das macrorregiões Nordeste e Jequitinhonha, que opera em Teófilo Otoni, registrou 1240 chamadas pelo número 192. Uma análise das ligações revelou que 800 chamadas foram de real necessidade de envio de unidades móveis aos locais indicados pelos usuários para prestar atendimento.

O Complexo Regulador da região é fruto de um investimento do Governo de Minas de R$ 4 milhões e visa infraestrutura entre obras e equipamentos. A unidade atende a toda macrorregião, totalizando 86 municípios e cerca de 1,2 milhão de pessoas. No total são 26 ambulâncias à disposição da população, que foram doadas pelo Ministério de Saúde. O serviço funciona 24 horas, todos os dias da semana.

Segundo o coordenador Estadual de Urgência e Emergência da Secretaria de Estado de Saúde (SES), Rasível dos Reis Santos Júnior, a inauguração da Central de Regulação Assistencial do Samu é fundamental para facilitar o acesso qualificado da população aos atendimentos de urgência e emergência. “O principal objetivo é a redução das mortes e sequelas evitáveis. O novo modelo de governança vai atuar através do Comitê Gestor Macrorregional, Central de Regulação Única e a CIB Macrorregional”, declarou.

Ainda de acordo com Rasível, foi construída uma estrutura que soma os esforços dos prefeitos da região. “Os municípios se congregaram numa nova estrutura pública para fazer funcionar uma central com ganho em escala, inovações em gestão e tecnológicas, mas, acima de tudo, uma nova página da saúde pública de toda a região”, afirmou.

Por meio da Secretaria de Estado de Saúde, o Governo de Minas possibilita a construção de redes macrorregionais de atenção às urgências e emergências. Neste contexto, o Samu 192 atua como ponto de atenção dessa rede e o Complexo Regulador atua como centro de comunicação da Rede de Atenção à Saúde, com a função de coordenação dos seus fluxos e contrafluxos.

Desenvolvimento

Para a coordenadora do SAMU 192 da macro Nordeste e secretária executiva do Consórcio Intermunicipal de Saúde da Rede de Urgência do Nordeste/Jequitinhonha (Cisnorje), Elaine Souza Guedes, a implantação da Rede de Urgência e Emergência nas macros Nordeste/Jequitinhonha, é de fundamental importância no desenvolvimento da atenção em saúde da população de 86 municípios que compõem estas macros. “O SAMU é um dos componentes desta rede, favorecendo qualidade no atendimento pré-hospitalar de urgência, visando minimizar o agravo e aumentar a possibilidade de sucesso no cuidado da saúde do usuário”, explica.

Para atender toda população, 22 cidades, estrategicamente distribuídas, funcionam como pontos de apoio da rede, considerando a localização geográfica em relação as outras cidades. “A rede é composta por 26 unidades móveis, sendo 05 unidades avançadas, com UTI móvel e 21 unidades básicas, com profissionais qualificados e capacitados no atendimento pré-hospitalar. Desta forma, acreditamos que é possível dar uma boa resposta ao usuário e salvar muitas vidas”, finalizou.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/investimentos-no-samu-192-das-macros-nordeste-e-jequitinhonha-ja-dao-resultados/

Gestão da Saúde: Teófilo Otoni recebe mobilização contra a dengue

As ações no município preveem distribuição de material educativo e troca de entulhos recicláveis por material escolar

Durante esta semana e até o dia 4 de maio, o município de Teófilo Otoni, localizado na macrorregião sanitária Nordeste, terá um importante reforço na continuidade da Guerra contra a Dengue. Uma equipe de mobilização para o combate à doença estará na cidade promovendo diversas ações que visam engajar os cidadãos a derrotarem o Aedes Aegypti.

As ações no município preveem distribuição de material educativo e troca de entulhos recicláveis por material escolar. Latas, garrafas pets e pneus serão trocados por cadernos, borrachas e lápis, para estimular a população a retirar de casa os objetos que possam acumular água e tornarem-se possíveis criadouros do mosquito.

Além disso, agentes da força-tarefa percorrerão o município para realizar eliminação de focos em imóveis. Serão realizadas também reuniões com a prefeitura, organizações da sociedade civil, visita a locais estratégicos. Durante estes encontros, a equipe de mobilização apresentará a proposta de trabalho e tentará sensibilizar autoridades, instituições não governamentais, entidades, empresas e a comunidade no combate à dengue.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/teofilo-otoni-recebe-mobilizacao-contra-a-dengue/

Gestão Anastasia: caravana Mães de Minas encerra atividades em Divinópolis

As oficinas levaram informações bem práticas ao dia a dia das mães e familiares

Willian Pacheco/SES-MG
As oficinas passaram informações essenciais que a mulher precisa saber durante a gravidez
As oficinas passaram informações essenciais que a mulher precisa saber durante a gravidez

A caravana Mães de Minas, da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG), encerrou suas atividades nessa segunda-feira (16), em Divinópolis, com mais 105 gestantes cadastradas no programa. As oficinas levaram informações bem práticas ao dia a dia das mães e familiares, com a participação das moradoras de Medeiros, Campo Belo, Santo Antônio do Monte, Carmo do Cajurú e Lagoa da Prata.

Informações essenciais que a mulher precisa saber neste momento especial da vida, como a posição adequada para a amamentação, o que é o colostro, horário e duração das mamadas, arroto, elementos presentes no leite materno, cuidados com o umbigo, ter atenção para cor das fezes, assaduras, cólicas, troca de fraldas e banho do bebê foram alguns dos temas abordados nas oficinas em formato de roda de conversa.

Além de participar das oficinas, gestantes, mães e familiares tiveram a oportunidade de gravar seus depoimentos no Stand Roda de Conversa, onde puderam expor suas expectativas e sentimentos com relação à maternidade. Os interessados puderam, também, tirar fotos na cabine disponibilizada no local do evento.

A superintendente adjunta da Regional de Saúde de Divinópolis, Kênia Carvalho, explica que a caravana faz parte do programa Mães de Minas e tem como principal objetivo a redução da mortalidade infantil e materna. “O programa deriva do Viva Vida e busca atender as gestantes tanto da rede pública quanto da privada. E a caravana veio para isto. Para orientar mães e familiares  durante a gestação”, explica.

Para a moradora de Divinópolis, Renata Cristina, grávida de quase nove meses, e participante da Oficina de Brinquedos, a caravana foi muito proveitosa. “Gostei muito, principalmente de tirar fotos na cabine. É uma recordação”, conta. A moradora de Campo Belo, Jéssica Amanda, grávida de seis meses, compartilha da mesma opinião. “Eu adorei. Foi ótimo. Eu participei da Oficina de Brinquedos, contei minha história e tirei fotos”, comenta.

Para a secretária de Saúde de Divinópolis, Rosenilce Cherrie Mourão, a caravana é um exemplo nítido de promoção à saúde. “O que está acontecendo em Divinópolis é promoção e valorização da saúde da gestante. São esclarecimentos de tudo aquilo que as mães e gestantes precisam saber”.

Caravana      

A caravana já passou por Ribeirão das Neves e Divinópolis, e ainda passará por Juiz de Fora, Varginha, Diamantina, Governador Valadares, Montes Claros, Teófilo Otoni, Patos de Minas, Uberaba e Uberlândia. Ela é formada por uma equipe de 15 pessoas, entre técnicos da área de saúde, lideranças comunitárias e profissionais com experiência em trabalhos voltados para a mulher.

A capacitação foi acompanhada pela SES e pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), instituição que também desenvolve ações em parceiras com o Governo de Minas no combate à mortalidade infantil e materna no Norte e Nordeste do Estado.

Serviço 155

Para ser acompanhada e garantir uma gravidez saudável, a gestante assistida pela rede pública e particular deve ligar para o call center 155 e se cadastrar no Sistema de Identificação da Gravidez. Já foram cadastradas, até o momento, 5.093 gestantes, de 377 municípios mineiros. Feito o cadastro, as mulheres passam a ter acompanhamento especializado.

A equipe de atendentes é formada por avós e mães treinadas para oferecer atendimento humanizado. Elas checam se a gestante foi à consulta agendada; ligam para saber sobre o parecer médico e resultado de exames, se foram diagnosticadas com gravidez de alto risco.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/caravana-maes-de-minas-encerra-atividades-em-divinopolis/