Aécio Neves: senador ataca inflação e mostra Choque de Gestão

Aécio na TV apresentou ações de fomento ao empreendedorismo criado em Minas como porta de saída para beneficiários dos programas sociais.

Aécio: choque de gestão em Minas

“É preciso trabalhar para a superação real da pobreza, criando condições para que as pessoas possam trabalhar e crescer na vida. Não acho que a herança que um pai de família pode deixar pro seu filho é o cartão do Bolsa Família.”

Aécio Neves critica a inflação em programa de TV

Aécio Neves critica a inflação em programa de TV

Fonte: O Estado de S.Paulo

Aécio usa inflação e gestão em Minas para criticar Dilma

PSDB usou seu programa de TV que foi ao ar ontem à noite para apresentar ao eleitor de fora de Minas Gerais as realizações do senador Aécio Neves (PSDB-MG) à frente do governo do Estado e para tentar desgastar o governo de presidente Dilma Rousseff (PT) com a inflação.

Além disso, os tucanos apostaram no tema do fomento ao empreendedorismo como um contraponto aos programas de transferência de renda do governo petista, que tem neles seus “carros-chefe”, como o Bolsa Família e o Brasil Carinhoso.

Atacado por petistas por não ter usado palavras como “povo” e “pessoas” em seu discurso crítico aos dez anos do PT no poder, feito na tribuna do Senado em fevereiro, o presidente nacional do PSDB apareceu no programa visitando a população do interior de Minas e também em uma roda de conversa com um grupo de eleitores.

Veja o vídeo em: Aécio mostra a nova cara do PSDB para o Brasil

Aécio também aparece dentro de uma van em movimento, no qual percorre seu Estado. De saída, em São João del-Rei fala do avô, Tancredo Neves, e diz ter sido um “espectador privilegiado” da luta pela democracia por ter estado ao lado dele e de Ulysses Guimarães. Em traje informal, o mineiro usa jeans e camisa para fora da calça.

Em deferência ao PSDB paulista, em parte resistente à candidatura de Aécio, o programa mostrou trechos dos discursos do ex-governador José Serra, do atual governador, Geraldo Alckmin, e do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso na convenção do partido, há duas semanas.

Tomate. Na conversa com eleitores, o assunto foi a inflação. Uma mulher pergunta se os salários diminuíram ou se o custo de vida aumentou. Uma segunda reclama que o salário “não chega até a metade do mês, não dá nem para pagar as contas”. Uma terceira sustenta, em referência ao fruto que encarnou a alta dos preços, que “a sensação é de abuso, porque o tomate chegou a R$ 10 o quilo”.

Dizendo-se estar “muito preocupado” e tratar-se de “uma questão muito grave”, porque penaliza mais os pobres, o senador afirma que “a inflação deve ser tratada com tolerância zero”. “É preciso que o governo dê o exemplo.”

“Um governo que gasta mais do que arrecada é o governo que vai estar ao final estimulando a inflação”, diz Aécio aos eleitores. O tucano ainda recupera o Plano Real – “o mais exitoso plano de controle da inflação” – para defender a tese de que “tudo o que veio depois, veio com a estabilidade”. “A gente não teria os investimentos que o Brasil teve se não tivesse estabilidade. Não ia ter os programas de transferência de renda.”

Ele ainda critica a duração desses programas. “É preciso trabalhar para a superação real da pobreza, criando condições para que as pessoas possam trabalhar e crescer na vida. Não acho que a herança que um pai de família pode deixar pro seu filho é o cartão do Bolsa Família.”

O programa mostra uma artesã e um produtor rural mineiros que sustentam ter se desenvolvido profissionalmente a partir de ações de Aécio como governador – a primeira, porque o governo estimulou um circuito de artes; o segundo, porque fez estradas para escoar a produção.

O mineiro também voltou a defender o setor privado, tema abandonado pelos tucanos desde a eleição presidencial de 2002. Segundo Aécio, esse setor “é essencial” e não pode “ser tratado como inimigo”.

Governo de Minas: Conselho Estadual da Mulher tem nova diretoria

O conselho foi criado em 1983 para atender às reivindicações do movimento feminista e das mulheres mineiras

Renata Lauar
Secretário Cássio Soares durante a posse da nova diretoria do CEM
Secretário Cássio Soares durante a posse da nova diretoria do CEM

O Conselho Estadual da Mulher (CEM) ganhou uma nova presidente. A professora Jovita Levi Ginja tomou posse, nesta segunda-feira (2), em substituição à professora Carmen Rocha. Durante a cerimônia, no Palácio Tiradentes, na Cidade Administrativa, o secretário de Estado de Desenvolvimento Social, Cássio Soares, ressaltou a trajetória de conquistas do conselho, que há 29 anos luta pelos direitos da mulher em Minas Gerais.

“Já tive uma conversa com a Dona Jovita, na semana passada, para que iniciemos algumas tratativas de políticas de Estado que vão precisar do apoio do Conselho da Mulher. E a intenção da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese) é levar adiante as políticas públicas determinadas pelo governador Antonio Anastasia, dando sequência às boas práticas que começaram a ser implementadas pelo então governador Aécio Neves”, disse.

Sobre os desafios na caminhada das mulheres pela igualdade de direitos, Cássio Soares citou a baixa participação feminina nos parlamentos. “A presença de mulheres nos parlamentos mundiais não chega a 20%, segundo dados da União Interparlamentar. No Brasil, essa participação é ainda menor: em torno de 10%. A política tem que ser revista pela mulher como oportunidade de defesa dos seus direitos”, disse, lembrando que a política é uma ferramenta fundamental para mudar a vida das pessoas.

História

O Conselho Estadual da Mulher foi criado em 1983, na gestão do então governador de Minas, Tancredo Neves, para atender às reivindicações do movimento feminista e das mulheres mineiras. Ao longo desses anos, tem lutado em favor da igualdade de oportunidades e de direitos entre todas as pessoas.

“O trabalho desenvolvido pela professora Carmen Rocha e sua equipe aumenta ainda mais a nossa responsabilidade. Estamos vivendo um momento especial, pois o conselho está passando para as mãos da sociedade civil. Essa alternância de poder é muito desejável e importante para todos nós, pois a sociedade civil assume esse comando, certamente sem romper essa parceria tão saudável e importante com o poder público”, frisou a nova presidente, professora Jovita Levi Ginja.

Composição paritária

O Conselho da Mulher é formador por dez representantes do poder público e dez da sociedade civil. Consolidado como espaço democrático de participação e instrumento de desenvolvimento social de Minas, está sempre atento à eficácia e à efetividade das políticas públicas voltadas para o público feminino.

O CEM também tem trabalhado para ampliar, em Minas, a criação e o fortalecimento dos Conselhos Municipais dos Direitos da Mulher (CMDM). Hoje, o Estado já conta com aproximadamente 80 CMDM.

Além da presidente Jovita Levi Ginja, foram empossadas também as conselheiras representantes do poder público e da sociedade civil. O mandato é para o biênio 2012/2014.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/conselho-estadual-da-mulher-tem-nova-diretoria/

Antonio Anastasia busca inspiração em Tancredo Neves

Fonte: Douglas Couto O Tempo

Tucanos exaltam Tancredo

Minas: Anastasia e Aécio homenageiam ex-presidente em abertura de exposição dedicada ao

centenário

Feliz com estreia na TV, governador admite sobrecarga com jornada dupla

Ao participar da abertura da exposição dedicada ao centenário de Tancredo Neves (1910-1985), ontem, noExposição 100 Anos de Tancredo

es, o governador Antonio Anastasia, candidato do PSDB à reeleição, enalteceu a figura do ex-presidente como “gigante da política”, e aconselhou os homens públicos a se inspirarem na trajetória “ímpar” de Tancredo. “Todos que estamos na vida pública, que somos homens corretos, devemos sempre nos inspirar nos bons exemplos de figuras como Tancredo”, citou Anastasia.

Com entrada franca, a exposição Centenário de Tancredo Neves pode ser visitada até o dia 30 de setembro. A mostra interativa reúne cartas, documentos, livros, roupas e objetos pessoais do ex-presidente.

Ao lado do candidato, o ex-governador Aécio Neves, neto de Tancredo, participou da abertura da mostra e convidou principalmente os jovens a visitarem a exposição. “Lembrar Tancredo é, antes de tudo, lembrar do lado bom da política”, disse.

Campanha
Anastasia aproveitou para avaliar sua estreia no horário eleitoral gratuito. Ele disse estar satisfeito com o início da propaganda, mas resolveu fazer mistério sobre o conteúdo dos próximos dias. “Serão várias propostas inovadoras que, naturalmente, serão apresentadas em cada um dos nossos programas”, disse.

Apesar da realização de atos eleitorais no horário de expediente, Anastasia nega que esteja cometendo alguma irregularidade e descartou o uso da máquina pública. Segundo ele, é possível “conciliar bem as duas agendas”, mas admitiu estar com sobrecarga de atribuições.

“A agenda está cheia, mas estou acostumado a trabalhar muito. Não há duvida que há uma sobrecarga mas que termina daqui a poucas semanas”, disse.

Sensação de distância menor
O governador Antonio Anastasia (PSDB) afirmou ontem já estar sentindo a redução da distância entre ele o principal adversário na corrida ao governo, Hélio (PMDB), na preferência do eleitorado

Para Anastasia, a campanha está começando agora, com o início do programa eleitoral no rádio e na TV.
“Estamos sentindo um calor muito forte na campanha e essas visitas são importantes, levam nosso nome cada vez mais conhecido ao lado de Aécio e Itamar para ganharmos a eleição em Minas”, disse. (DC)

Link para assinantes: http://www.otempo.com.br/otempo/noticias/?IdEdicao=1761&IdCanal=1&IdSubCanal=&IdNoticia=148953&IdTipoNoticia=1