Governo de Minas: obras do BRT alteram pontos do transporte coletivo no Centro de Belo Horizonte

No total, 94 linhas gerenciadas pela Setop e 67 pela BHTrans terão seus itinerários alterados

Em função das obras do BRT, Transporte Rápido por Ônibus, na área central de Belo Horizonte, a Secretaria de Estado de Transportes e Obras Públicas (Setop), em ação conjunta com a BHTrans, realizará alteração dos pontos das linhas metropolitanas que trafegam pela avenida Santos Dumont, entre as ruas da Bahia e São Paulo. As alterações entrarão em funcionamento a partir da próxima terça-feira (15).

Noventa e quatro linhas gerenciadas pela Setop e 67 pela BHTrans terão seus itinerários alterados. As linhas metropolitanas que antes trafegavam pela Santos Dumont, no sentido entre a Rodoviária e a Praça da Estação passarão, agora, pelas ruas São Paulo e Caetés.

As linhas metropolitanas que circulavam pela Avenida Santos Dumont, no sentido inverso, entre a Praça da Estação e a Rodoviária, passarão a circular pelas ruas Guaicurus e São Paulo, retornando para a Avenida Santos Dumont.

Todos os pontos de embarque e desembarque localizados na Avenida Santos Dumont, entre as ruas da Bahia e São Paulo, deixarão de operar. As calçadas permanecerão inalteradas, possibilitando o deslocamento dos pedestres e o acesso ao comércio.

Informações

Os usuários do sistema metropolitano serão informados sobre as alterações por meio de cartazes, que serão afixados nos pontos de embarque e desembarque e no interior dos ônibus, onde também receberão informativos. As dúvidas poderão ser obtidas pelo telefone 155, opção 6.

Os locais das alterações serão sinalizados com faixas de tecido para orientação aos condutores. Agentes da Unidade Integrada de Trânsito, BHTrans, Polícia Militar de Minas Gerais e Guarda Municipal irão operar o tráfego na região.

Para mais detalhes sobre as alterações nos itinerários das linhas de ônibus gerenciadas pela Secretaria de Estado de Transportes e Obras Públicas clique aqui (arquivo PDF).

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/obras-do-brt-alteram-pontos-do-transporte-coletivo-no-centro-de-belo-horizonte/

Governo de Minas: Antonio Anastasia assegura destinação de recursos para ampliação do metrô de BH

Serão destinados R$ 3,16 bilhões para o transporte público, com contrapartida de R$ 1,15 bilhão do Governo de Minas e prefeituras

O governador Antonio Anastasia participou nesta terça-feira (24), em Brasília, do lançamento do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) Mobilidade Grandes Cidades, do governo federal. Foram confirmados investimentos de R$ 3,16 bilhões na melhoria do transporte público na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH). Desse total, R$ 1,15 bilhão virá dos cofres do Governo de Minas e dos municípios contemplados, o que representa 36,4% do investimento anunciado.

Os recursos serão aplicados na implantação e revitalização de linhas do metrô de Belo Horizonte, na implantação de terminais metropolitanos em sete municípios da região e na complementação do Complexo da Lagoinha. “Esse é mais um passo importante para ampliação e modernização do metrô da nossa capital. É um resgate histórico com a Região Metropolitana de Belo Horizonte, que carece cada vez mais de um transporte coletivo eficiente e que atenda às demandas do cidadão. Essa parceria vai garantir um transporte coletivo de mais qualidade e o metrô tão sonhado pelos mineiros”, disse o governador, durante a solenidade, em Brasília.

A presidente Dilma exaltou o trabalho em conjunto com governadores e prefeitos, que vão colocar, segundo ela, “expressivas contrapartidas nos projetos”. “Com o PAC Mobilidade Grandes Cidades reaprendemos a atuar em parceria de forma extremamente republicana, nos relacionamos como líderes escolhidos pelo povo brasileiro para enfrentar os desafios. Quem sabe melhor a realidade local do que governadores e prefeitos? Os projetos foram apresentados por quem conhece a realidade local e por quem sabe apresentar projetos de qualidade. Isso resulta em melhoria para a população. Agradeço a parceria e o empenho dos governadores que vão colocar expressivas contrapartidas nos projetos”, disse a presidente.

Metrô

As obras no metrô de Belo Horizonte vão contar com recursos dos governos estadual, federal e municipal e também da iniciativa privada que, juntos, vão investir R$ 2,86 bilhões. Desses, R$ 1 bilhão será do Orçamento Geral da União, R$ 750 milhões financiados junto ao Banco Nacional do Desenvolvimento (BNDES) e R$ 1,1 bilhão de contrapartida do Estado, município e iniciativa privada. As obras serão geridas pelo Governo de Minas.

Além de contemplar obras de expansão e modernização da Linha 1 (Eldorado-Vilarinho), o projeto prevê a implantação das linhas 2 (Calafate-Barreiro) e 3 (Lagoinha Savassi). Com as intervenções, a capacidade de atendimento do metrô passará dos atuais 200 mil passageiros/dia para 980 mil usuários/dia.

A empresa Trem Metropolitano de Belo Horizonte (Metrominas), vinculada à Secretaria de Estado de Transportes e Obras Públicas (Setop), divulgou em março passado os avisos de licitação para a contratação de serviços de topografia e sondagem, necessários ao desenvolvimento dos projetos de engenharia que vão atender à modernização e ampliação da Linha 1, implantação das Linhas 2 e 3 e estudo de topografia da Estação Eldorado, em Contagem, até Betim.

Os serviços de topografia e sondagem previstos no edital, estimados em R$ 8,5 milhões, vão empregar recursos do Governo do Estado e da Prefeitura de Belo Horizonte, até que sejam liberados pela União os recursos previstos no PAC Mobilidade. A entrega da documentação, da proposta de preços e a abertura dos envelopes, que marca o início dos processos licitatórios, acontecerá no próximo mês.

Terminais metropolitanos

Os recursos do PAC também serão investidos na construção de terminais metropolitanos de integração de transporte em sete municípios da RMBH. O valor total das obras é estimado em R$ 164 milhões, sendo R$ 29 milhões de contrapartida estadual. Os terminais estarão localizados em regiões de alta concentração de demanda.

O Complexo da Lagoinha – que interliga o Centro e as regiões Leste e Oeste às avenidas Cristiano Machado, Antônio Carlos e Pedro II – também será contemplado com um corredor de ônibus, visando facilitar o trânsito na região. Os investimentos para a obra são estimados em R$ 131 milhões, sendo R$ 3 milhões de contrapartida da prefeitura.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/antonio-anastasia-assegura-destinacao-de-recursos-para-ampliacao-do-metro-de-bh/

Gestão em Minas: Setop licita equipamentos de combate a incêndio para aeroportos do interior

Veículos serão destinados inicialmente para Diamantina, São João Del Rei e Patos de Minas

Divulgação / Imprensa MG
Veículos serão semelhantes a este, já em operação no aeroporto regional Presidente Itamar Franco, em Goianá, na Zona da Mata
Veículos serão semelhantes a este, já em operação no aeroporto regional Presidente Itamar Franco, em Goianá, na Zona da Mata

A Secretaria de Estado de Transportes e Obras Públicas de Minas Gerais (Setop) publicou no “Minas Gerais”, diário oficial dos Poderes do Estado, no último sábado (21), o aviso de licitação para a aquisição de onze veículos de combate a incêndio em aeródromos de Minas. Esta medida é uma das ações do Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) apresentado pela Setop e que define critérios para adequação às normas de combate a incêndios nos aeroportos de Patos de Minas, São João Del Rei e Diamantina. O objetivo é atender as exigências da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e fomentar a aviação comercial no Estado.

Para o secretário de Estado de Transportes e Obras Públicas, Carlos Melles, a questão de segurança é primordial. “Estamos realizando uma série de entendimentos junto à ANAC para manter a qualidade, conforto e a segurança nos aeroportos de Minas. Primeiro, por meio do Proaero, temos providenciado a reforma e melhoria de diversos aeroportos, e agora, ao licitar os equipamentos de combate a incêndio, vamos auxiliar as prefeituras oferecendo mais segurança”, explicou.

Modalidade

A licitação ocorrerá na modalidade de registro de preço. A empresa vencedora terá que apresentar à Setop equipamentos com os requisitos técnicos exigidos pela Anac. A modalidade de registro de preço permitirá maior agilidade na aquisição desses equipamentos em função da demanda dos aeroportos. Inicialmente, os equipamentos serão empregados na segurança dos aeroportos de Patos de Minas, São João Del Rei e Diamantina.

A abertura da sessão de lances no processo licitatório de registro de preços vai ocorrer no dia 08/05, às 14 horas, através do site de compras do Governo de Minas. As propostas comerciais deverão ser enviadas ao mesmo site, até a data e horário marcados no edital, que estará disponível para consulta nos sites: www.compras.mg.gov.br e www.transportes.mg.gov.br.

Proaero

Desde 2003, o Governo de Minas realiza, através do Programa Aeroportuário de Minas Gerais (Proaero), consideráveis investimentos nos aeroportos mineiros, visando ampliar a capacidade de operação e aumentar a segurança desses aeródromos. “O valor investido diretamente pelo Estado nos 23 aeroportos já beneficiados pelo Proaero ultrapassa R$ 265 milhões, o que demonstra a importância deste programa para o nosso governo. Esses investimentos abrangem a reforma e ampliação das pistas de pouso e decolagem, construção ou reforma de terminais de passageiros, aquisição de equipamentos de auxílio à navegação e a construção das Seções de Salvamento e Combate a Incêndio”, destacou o secretário Carlos Melles.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/setop-licita-equipamentos-de-combate-a-incendio-para-aeroportos-do-interior/

Gestão Eficiente: Aeroporto Regional Presidente Itamar Franco tem tecnologia de ponta contra incêndios

Caminhão AP4 opera em conjunto com carreta-tanque, formato inovador no país

Divulgação
O caminhão AP4 tem capacidade para 10 mil litros de água
O caminhão AP4 tem capacidade para 10 mil litros de água

Desde que começou a operar, em agosto de 2011, o Aeroporto Regional Presidente Itamar Augusto Cautieiro Franco, na Zona da Mata, conta com uma tecnologia de ponta, que apenas os grandes aeroportos do mundo disponibilizam: o caminhão AP4, contra incêndios. O veículo foi importado da França com investimentos de R$ 2,5 milhões, pesa quase três toneladas e tem tração 6X6 nas rodas. Em Minas, além do Aeroporto Itamar Franco, atualmente apenas o Aeroporto Internacional Tancredo Neves/Confins, possui a mesma tecnologia.

Além disso, como diferencial, o caminhão atua em conjunto com uma carreta-tanque, que realiza o reabastecimento concomitantemente ao combate ao fogo. A capacidade do AP4 é de 10 mil litros de água e a da carreta é de 25 mil litros, com desempenho para reabastecimento de 5.500 litros por minuto. A seção contra incêndio do Aeroporto conta, ainda, com um caminhão AC3 e um carro de resgate, totalizando investimentos de cerca de R$ 3,6 milhões em equipamentos móveis.

Segundo o diretor da empresa Multiterminais Logística Integrada, Denilson Duarte, licitada pelo Governo de Minas para administrar o aeroporto, a tecnologia que o AP4 apresenta é de ponta. “Temos um alto grau de qualidade, caso ocorra necessidade de combate ao fogo”, afirma. Ele destaca, também, a presença do carro de resgate no Aeroporto Regional Presidente Itamar Franco. “É um veículo que possui 250 itens para salvamento, se acontecer algum sinistro”, informa. “Mas a gente espera mesmo é que nunca precisemos usar nenhum desses recursos”, conclui.

Janaína Kostaneski, supervisora comercial de viaturas especiais da Triel-HT, empresa que trouxe a tecnologia para o aeroporto regional, considera a seção contra incêndio modelo para o país. “Estou sempre viajando e não conheço outro aeroporto que realize o ataque contra incêndio utilizando o AP4 e a carreta-tanque. Normalmente o caminhão precisa se deslocar para o reabastecimento”, relata.

O chefe da equipe de Bombeiro de Aeródromo do aeroporto regional, Joel Pedro Gonçalves, conta também que o AP4 possui dois canhões para liberar espuma, com alcance de até 80 metros. “O AP4 é o que há de melhor no mercado hoje, é a tecnologia mais avançada que existe e utilizada apenas pelos principais aeroportos do mundo”, completa.

Wilie Bahia, gerente operacional do aeroporto, informa, ainda, que a equipe de combate a incêndios é composta por 24 profissionais e que, mensalmente, são realizadas ações de simulação.

Operações

O primeiro voo doméstico no Aeroporto Regional Presidente Itamar Franco, que está localizado entre as cidades de Goianá e Rio Novo, aconteceu no dia 22 de agosto de 2011, após a mudança na administração do local, da Infraero para o Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de Transportes e Obras Públicas (Setop).

A retirada de obstáculos naturais, com investimento do Governo do Estado de aproximadamente R$ 16,7 milhões, resultou na ampliação do uso da pista de pouso e decolagem para 1.800 metros, sendo que a pista existente é de 2.525 metros. Com essa extensão, é permitida a manobra de aeronaves de grande porte com o objetivo de transportar passageiros e cargas. Em janeiro de 2012 o Estado deu ordem de início para execução da segunda etapa da retirada dos obstáculos naturais, com investimento de aproximadamente R$ 10,7 milhões, que possibilitará a utilização da pista de pouso de decolagens em sua totalidade.

“Com a estrutura concluída para atuar no transporte aéreo de passageiros e cargas, o aeroporto se torna um importante hub logístico, se apresentando como um canal de importações e exportações, capaz de atrair e canalizar inúmeros investimentos para a região”, afirma o secretário de Estado de Transportes e Obras Públicas, Carlos Melles.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/aeroporto-regional-presidente-itamar-franco-tem-tecnologia-de-ponta-contra-incendios/

Gestão Anastasia: governo inicia processo de estruturação da infraestrutura viária no entorno da Cidade Administrativa

Está aberta a consulta pública para futuro processo de licitação da rede viária que contorna a sede administrativa do Governo

O Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de Transportes e Obras Públicas (Setop) e da Unidade Central de Parcerias Público Privadas (PPP) da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sede), abriu nesta quarta-feira (28) a consulta pública da minuta do edital para o futuro processo de licitação da infraestrutura viária do entorno da Cidade Administrativa Presidente Tancredo Neves, que compreende uma extensão de 24,3 quilômetros.

O projeto busca viabilizar uma Parceria Público-Privada, na modalidade de concessão administrativa, que prevê a implantação, pavimentação, recuperação, operação, manutenção, conservação e melhoramentos das vias que circundam a sede administrativa do Governo de Minas Gerais, em um prazo de 25 anos.

O projeto do contorno viário da Cidade Administrativa envolve a ampliação e recuperação de quatro trechos rodoviários – Alameda José Maria Alckmin, Avenida Senhor do Bonfim, Avenida Oceano Atlântico e Avenida Leontino Francisco Alves, bem como a duplicação dos viadutos São Benedito e Morro Alto. Está prevista também a implantação de duas rodovias, uma ligando a MG-010 à Via 220 e, futuramente, outra de conexão ao Contorno Metropolitano norte, projeto que vem sendo desenvolvido pelo Dnit.

A implantação e operação das vias ocorrerão por meio de uma parceria com a iniciativa privada. Nesta parceria, investidores serão responsáveis pelo financiamento e construção da infraestrutura, além da gestão e manutenção de todas as vias. A partir da efetiva disponibilização da infraestrutura para os usuários, o Governo iniciará os pagamentos ao parceiro privado. Esses pagamentos estarão submetidos a indicadores de desempenho e o concessionário privado receberá maior contraprestação pública quanto melhor for a qualidade das vias. Trata-se de um modelo inédito no Brasil, que busca criar incentivos para otimização e modernização da gestão da infraestrutura viária.

Plano Macroestrutural

A implantação desta infraestrutura viária está inserida no Plano Macroestrutural do Vetor Norte da Região Metropolitana de Belo Horizonte, que introduziu os aeroportos Internacional Tancredo Neves (AITN) e o da Pampulha como âncoras do desenvolvimento desta região.

A proposta é implementar uma grande artéria que conecte os vetores Norte, Sul e Oeste da Região Metropolitana de Belo Horizonte, criando novas rotas de acesso e trafegabilidade. Além dos documentos do edital, o Governo de Minas irá disponibilizar estudos referenciais de engenharia, incluindo o projeto básico e seus quantitativos, além do Plano de Operação e Manutenção.

Durante o período de consulta pública, os interessados em participar do processo poderão apresentar comentários e sugestões, por meio do endereço eletrônico entornoca@ppp.mg.gov.br. A participação será fundamental para o aprimoramento do projeto. Os comentários e sugestões deverão ser encaminhados com a identificação completa do autor (denominação, endereço, e-mail, responsável, tele/fax). As minutas de edital e dos seus respectivos anexos, e os estudos poderão ser obtidos no link www.ppp.mg.gov.br.

De acordo com o subsecretário de Transportes, da Secretaria de Transportes e Obras Públicas, Diogo Prosdocimi “esta iniciativa representa o esforço do Governo de Minas para resolver a questão da mobilidade, decorrente do desenvolvimento do Vetor Norte da Região Metropolitana. A consulta ao setor privado e à população em geral constitui uma forma de buscar soluções que possam aumentar a viabilidade e adaptar os projetos às melhores práticas do mercado, tornando-o mais atrativo e em consonância com as demandas sociais”.

Segundo o coordenador da Unidade Central de PPP do Governo de Minas, Marcos Siqueira Moraes, o projeto representa uma enorme oportunidade de modernização das práticas de implantação e gestão de infraestrutura no Estado, já que alinha esforços do governo e da iniciativa privada para melhorar as condições da rede viária. ”O sucesso deste modelo servirá de exemplo para todo o Estado”, afirma Marcos Siqueira.

Após a conclusão da consulta pública, o Governo irá alinhar o edital e seus anexos às sugestões e considerações recebidas, consolidando o texto final dos documentos, que irá se configurar em mais um edital de PPP no Estado de Minas Gerais. Este projeto comprova a expertise do Governo de Minas Gerais em relação aos outros estados, no provimento de infraestrutura mais eficiente por meio de Parcerias Público-Privadas.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/governo-inicia-processo-de-estruturacao-da-infraestrutura-viaria-no-entorno-da-cidade-administrativa/

Gestão Anastasia: Minas amplia acesso ao ensino superior gratuito a toda região Sudoeste do Estado

Governo de Minas assinou acordo de cooperação técnica referente à ampliação regional da Fundação de Ensino Superior

Osana Cristina
Autoridades políticas da região se unem para a regionaização da Fesp
Autoridades políticas da região se unem para a regionaização da Fesp

Mais um passo fundamental foi dado nesta sexta-feira (9) para favorecer o ensino superior na região Sudoeste de Minas. O secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Narcio Rodrigues, esteve na Fundação de Ensino Superior (Fesp) para apresentar e debater a proposta de estadualização da entidade associada à Universidade do Estado de Minas Gerais (Uemg), e a ampliação do ensino superior na região. A exposição aconteceu durante o “Encontro Regional – Estadualização da Fesp: o Ensino Superior como ferramenta do desenvolvimento de Minas Gerais”, promovido pelo subsecretário de Ensino Superior e presidente do Conselho Curador da Fesp, Fábio Kallas.

Durante o evento, foi realizada a assinaturado acordo de cooperação técnica referente à ampliação regional da Fesp. O convênio foi firmado entre as secretarias de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sectes), de Desenvolvimento Social (Sedese), de Desenvolvimento Regional e Política Urbana (Sedru) e de Transportes e Obras Publicas (Setop); além da Fesp, da Associação dos Municípios do Médio Rio Grande (Ameg), da Associação dos Municípios da Microrregião Baixa Mogiana (Amog), do Centro Educacional Alto São Francisco e da Prefeitura Municipal de São Sebastião do Paraíso.

A ação será concretizada com a presença de duas unidades de ensino superior presencial e a distância nas cidades de Piumhi e São Sebastião do Paraíso. Para o secretário Narcio Rodrigues, a iniciativa possibilita a Fesp ter estrutura para atender mais pessoas na região, principalmente quando for estadualizada, situação prevista para acontecer até 2014. “Sinto que hoje estamos avançando em uma direção melhor, que é fazer com que a conquista da estadualização não se dê apenas para Passos. É preciso fazer com que toda a região Sudoeste possa se beneficiar da estrutura que a Uemg trará e do que ela representará para o desenvolvimento regional”, ressaltou.

Para a realização do evento, estiveram presentes os secretários Carlos Melles (Setop), Cássio Soares (Sedese), o subsecretário de Política Urbana, Renato Andrade, além de prefeitos, autoridades e lideranças políticas da região.

Durante o evento, o subsecretário de Ensino Superior, Fabio Kallas, falou sobre as obras do campus da Fesp. ”Essa reunião acontece em um momento histórico. Aqui neste local estamos erguendo o novo campus da Fesp, com três prédios e 87 novas salas de aula. No total, hoje temos 14 blocos em Passos, cerca de 600 funcionários e 52% de nossos alunos são de fora, ou seja, a Fesp é da região, sobretudo da Ameg e Amog”, destacou Fábio Kallas.

O secretário de Estado de Transportes e Obras Públicas, Carlos Melles, lembrou-se como a ampliação do ensino superior na região era uma luta antiga. “Hoje eu só tenho a agradecer. Alguns sonhos que a gente tinha há 20 anos se transformaram ou estão virando realidade, e isto nos emociona. Estamos vivendo novos tempos mesmo”, disse.

O prefeito de São Sebastião do paraíso ressaltou a importância da regionalização para os estudantes. “Eu vejo como um senso de oportunidade. A Fesp já conquistou essa possibilidade de estadualização até 2014 e isso precisa ganhar esta capilaridade para a região Sudoeste. Hoje, a Fesp já cumpre esse papel, porque tem 50% dos alunos da região, mas com um braço em Piumhi e um braço em São Sebastião do Paraíso, ela vai abranger um número ainda maior de alunos e facilitar a vida desses estudantes, que são o foco do nosso trabalho”, disse o prefeito Mauro Zanin.

“Estamos passando por um processo de realização, de transformação de sonhos em realidade, e um deles é este projeto da estadualização da Fesp, da Fesp-Uemg, encampada pelo Governo do Estado que estamos em vias de concretizar graças ao grande empenho do secretário Narcio, do subsecretário Fábio”, ressaltou o secretario de Estado de Desenvolvimento Social, Cassio Soares.

Estadualização das fundações ligadas a Uemg

O ensino superior de Minas Gerais vive um novo momento com a possibilidade de estadualização das seis fundações associadas à Universidade do Estado de Minas Gerais (Uemg) e aumentar consideravelmente o número de vagas gratuitas. O compromisso do Governo de Minas é também com o fortalecimento das instituições já existentes, como a Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes) e Fundação Helena Antipoff (FHA), além da própria Uemg. O projeto é coordenado pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sectes).

De acordo com a Subsecretaria de Ensino Superior, das seis fundações que serão estadualizadas, três delas passarão primeiro pelo processo: Faculdade de Ciências Exatas e Humanas da Campanha (FCCP), Faculdades Vale do Carangola (Favale) e Fundação Educacional do Vale do Jequitinhonha (Fevale), de Diamantina. Juntas, essas três escolas têm 1500 alunos matriculados em 12 cursos e um total de 200 funcionários, incluindo os professores. As outras três fundações de Ituiutaba, Divinópolis e Passos serão encampadas até 2014.

Fonte: Agência Minas

Governo de Minas vai instalar sistema de segurança e combate a incêndio em aeroportos

Processo licitatório será inicialmente para os aeroportos de Diamantina, Patos de Minas e São João del-Rei.

Gil Leonardi/Imprensa MG
O Aeroporto Regional Presidente Itamar Franco conta com equipamentos de combate a incêndios
O Aeroporto Regional Presidente Itamar Franco conta com equipamentos de combate a incêndios

O Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de Transportes e Obras Públicas (Setop), deu início esta semana, ao processo licitatório para a compra de equipamentos de combate a incêndio, inicialmente, nos aeroportos de Diamantina, Patos de Minas e São João del-Rei. O Aeroporto Regional Presidente Itamar Franco, na Zona da Mata, já conta com esses equipamentos.

A previsão da Setop é de publicar o aviso de licitação, na modalidade de registro de preço, em um prazo de até 45 dias, com o objetivo de adquirir, em conformidade com especificações técnicas da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), agentes extintores, carro contra incêndio de aeródromo, veículo de apoio às operações da Sessão de Combate a Incêndio (Sescinc), equipamento de proteção individual ao bombeiro, material de apoio às operações de resgate e de combate a incêndio, sistemas de comunicação e de alarme, equipamentos de operação aeroportuária, de movimentação e armazenamento de cargas e de segurança, informação, conforto ao usuário, para os três aeroportos citados.

Para o secretário de Estado de Transportes e Obras Públicas, Carlos Melles, a questão de segurança é primordial. “Estamos realizando uma série de entendimentos junto à ANAC para manter a qualidade, conforto e a segurança nos aeroportos mineiros. Primeiro, por meio do Proaero, temos providenciado a reforma e melhoria de diversos aeroportos mineiros e agora ao licitar os veículos de combate a incêndio, vamos auxiliar as prefeituras oferecendo mais segurança”, explicou Melles.

O Governo de Minas já investiu cerca de R$ 300 milhões na reforma e melhoria de 23 aeroportos no Estado. “Recentemente firmamos convênio com a Secretaria Nacional de Aviação Civil (SAC) para a reforma do Terminal de Passageiros no aeroporto de Governador Valadares e para melhorias no de Caxambu”, destacou o secretário. “Agora que temos empresas operando vôos regulares comerciais, possibilitando um avanço no sistema logístico de Minas, cabe ao Governo do Estado, por meio da Setop, atuar na montagem de equipes de brigadistas e a aquisição de veículos especiais de combate a incêndio”, concluiu Melles.

O trabalho de montagem das equipes que irão compor as brigadas de incêndio, que vão operar nos aeroportos de Diamantina, Patos de Minas e São João del-Rei, será efetuado a partir de uma parceria da Defesa Civil e do Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais.

Tecnologia de ponta

Na Zona da Mata, o Aeroporto Regional Presidente Itamar Augusto Cautieiro Franco, entre os municípios de Goianá e Rio Novo, conta com uma tecnologia de ponta na sessão de combate a incêndios: o caminhão AP4, importado da França com investimentos de R$ 2,5 milhões, que pesa quase três toneladas e tem tração 6X6 nas rodas. O veículo atua em conjunto com uma carreta-tanque, que realiza o reabastecimento concomitantemente ao combate ao fogo, em um formato inovador. A capacidade do AP4 é de 10 mil litros de água e a da carreta é de 25 mil litros, com desempenho para reabastecimento de 5.500 litros por minuto.

O aeroporto entrou em funcionamento em agosto de 2011, quando realizou seu primeiro voo doméstico. O início das operações aconteceu após a mudança na administração do local, da Infraero para o Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de Transportes e Obras Públicas (Setop).

Fonte: Agência Minas

Gestão em Minas: DER instala mais sete radares em rodovias estaduais de diversas regiões do Estado

Estradas mineiras passam a contar com 218 equipamentos em operação

Divulgação/Setop MG
Novos radares entram em funcionamento a partir de zero hora desta sexta-feira
Novos radares entram em funcionamento a partir de zero hora desta sexta-feira

O Departamento de Estradas de Rodagem de Minas Gerais (DER-MG) colocará em operação mais sete novos radares em rodovias estaduais em diversas regiões do Estado, a partir de zero hora desta sexta-feira (24).

Dois equipamentos passam a operar na MGC-367, nos quilômetros 587,5 e 582,8, próximos ao município de Diamantina, no Vale do Jequitinhonha. Na região Central, em Curvelo, serão instalados dois novos equipamentos: o primeiro na AMG-910, no quilômetro 9,4, e o outro na MGC-259, quilômetro 558,8.

No Triângulo Mineiro, em Uberlândia, haverá um equipamento de controle de velocidade na BR-452, quilômetro 175,7. E a região Sul de Minas receberá dois radares, que passam a operar na MG-290, nos quilômetros  0,1 e 1,5, em Pouso Alegre. A velocidade máxima permitida para todos os radares é de 60Km por hora.

A implantação dos novos radares é uma das ações previstas no Programa Estruturador de Aumento da Capacidade de Segurança dos Corredores de Transporte (Proseg) da Secretaria de Estado de Transportes e Obras Públicas (Setop), cujo objetivo é aumentar a segurança nas rodovias estaduais mineiras. Com a implantação destes sete novos equipamentos, as estradas mineiras agora contam com 218 radares em operação.

O local com maior número de radares é a Região Metropolitana de Belo Horizonte, com 43 unidades. A região Central possui outros 40. E a Zona da Mata, 42, sendo que 16 deles estão nas vias de responsabilidade da 5ª Coordenadoria Regional do DER-MG, localizada em Ubá.

Estudo técnico

Os radares são instalados pelo DER-MG após elaboração de estudo técnico e implantação de projeto específico de sinalização. Os equipamentos só entram em operação depois de aferidos pelo Instituto de Pesos e Medidas do Estado de Minas Gerais (Ipem-MG), órgão credenciado pelo Instituto Nacional de Metrologia, Normatização e Qualidade Industrial (Inmetro), e em conformidade com as determinações do Código de Trânsito Brasileiro (CTB).

Fonte: Agência Minas

Gestão Antonio Anastasia: secretaria de educação investiu mais de R$ 245 milhões em infraestrutura escolar no ano passado

Investimentos englobam reforma e construções de novos prédios, além de compra de mobiliário e equipamentos
Divulgação/SEE
A Escola Estadual Joelma Alves de Oliveira, em Igarapé, foi toda reformada
A Escola Estadual Joelma Alves de Oliveira, em Igarapé, foi toda reformada

A Secretaria de Estado de Educação (SEE) está investindo cada vez mais na melhoria da infraestrutura das escolas estaduais mineiras. Em 2011, foram investidos R$ 245,8 milhões na estrutura física da rede estadual. Este valor engloba desde reformas e construções de novos prédios, até compra de mobiliário e equipamento para as escolas.

Foram autorizadas construções e reformas de 28 prédios via Departamento de Obras Públicas do Estado de Minas Gerais (Deop), da Secretaria de Estado de Transporte e Obras Públicas (Setop). Essas obras estão distribuídas em 18 Superintendências Regionais de Ensino (SREs). Foram liberados R$ 46 milhões para a execução das obras.

A secretaria também repassou recursos para obras realizadas via caixa escolar, como reformas, ampliações e outras intervenções. No último ano, foram liberadas de R$ 141,6 milhões via caixa escolar. Nessa modalidade, os recursos são repassados diretamente para as escolas, que fazem a administração da obra. Foram atendidas 710 escolas da rede estadual de ensino.

Segundo o subsecretário de Administração do Sistema Educacional de Minas Gerais, Leonardo Petrus, as ações de melhoria de infraestrutura foram desenvolvidas em todas as regiões do Estado. “Embora 2011 tenha sido um ano de restrições orçamentárias por causa dos impactos na arrecadação do Estado, a secretaria realizou significativos investimentos em infraestrutura escolar, com amplo atendimento em obras e mobiliários”, explica. “Esperamos que esses investimentos melhorem substancialmente as condições de nossas escolas e possibilitem oferecer aos nossos alunos um ambiente adequado e estimulante para a prática pedagógica, refletindo assim, na melhoria do desempenho educacional da nossa rede”, completa.

Mobiliário e equipamentos

Para a compra de mobiliário e equipamento a SEE liberou R$ 43 milhões em recursos, em 2011. Essa verba é utilizada para compra de materiais como carteiras, bebedouros, geladeiras e outros equipamentos que a escola possa solicitar. Uma das compras da Secretaria foram equipamentos de higiene e segurança para cantineiras. Esses equipamentos beneficiaram 3.611 escolas.

De acordo com Leonardo Petrus, para a liberação de mobiliário e equipamentos foram priorizadas as novas escolas. “No caso de mobiliários e equipamentos, priorizamos a liberação para novas escolas construídas, com a aquisição de todo mobiliário novo, a ampliação de novos espaços e a necessidade de reposição ou substituição dos existentes”.

Antenas – Canal Minas Saúde

Quase todas as escolas da rede estadual de Minas já contam com antenas que retransmitem a programação do Canal Minas Saúde. Ao todo, as antenas já foram instaladas em 3.483 escolas. O número corresponde a 92% do total das escolas da rede. A expectativa é que até o final de fevereiro de 2012, as antenas já estejam instaladas em todas as 3.769 escolas estaduais que necessitam dos equipamentos.

Com as antenas, as escolas, além de ter acesso à programação do Canal Saúde, poderão ter acesso a outros conteúdos relacionados à educação. A ideia é que a SEE tenha uma parte da programação do Canal e possa utilizar esse espaço para complementar a formação de profissionais ligados à educação.

Transporte Escolar

Além dos investimentos em obras, mobiliário e equipamento, a secretaria investiu também no transporte escolar para os alunos que moram na Zona Rural. Em 2011, foram investidos mais de R$ 132 milhões para 828 municípios mineiros. No início de 2012, a secretaria autorizou aditivos nos convênios de transporte escolar com prefeituras de municípios que têm escolas estaduais em processo de reposição, com aulas aos sábados, feriados e período de férias. No total, a secretaria liberou R$3,7 milhões adicionais para 144 municípios.

Fonte: Agência Minas

Governo de Minas: Sistema de Gestão de Emergências faz diagnóstico das cidades atingidas pelas chuvas

Ferramenta irá diagnosticar a situação da infraestrutura desses municípios, auxiliando no atendimento de demandas que competem à Secretaria de Transportes e Obras, como doações de vigas e tabuleiros para pontes entre outros

Reprodução
Sigem permite o cadastro remoto das solicitações pelas prefeituras, evitando o deslocamento de representantes à capital
Sigem permite o cadastro remoto das solicitações pelas prefeituras, evitando o deslocamento de representantes à capital

Com objetivo de agilizar o atendimento aos municípios mineiros atingidos pelas chuvas no Estado, a Secretaria de Estado de Transportes e Obras Públicas (Setop) desenvolveu o Sistema de Gestão de Emergências (Sigem). A ferramenta irá diagnosticar a situação da infraestrutura desses municípios, auxiliando no atendimento de demandas que competem à Setop, como doações de vigas e tabuleiros para pontes, entre outros.

Criado em plataforma web, o Sigem permite o cadastro remoto das solicitações pelas prefeituras, evitando o deslocamento de representantes à capital. Cinquenta e dois municípios já efetuaram cadastro no Sigem e a maior parte das demandas refere-se à contenção de encosta (33%), seguida por canalização de curso d’água (22%), drenagem de curso d’água (16%) e reconstrução de ponte (12%). São consideradas prioritárias as demandas referentes à reconstrução e restabelecimento da normalidade.

Para o secretário de Estado de Transportes e Obras Públicas, Carlos Melles, esse sistema de informações foi criado pela Setop como resposta ao cenário de catástrofes que assolou os municípios de Minas durante as últimas chuvas. “Ciente de nosso papel estratégico nas ações voltadas à reconstrução das cidades devastadas, desenvolvemos o Sigem para trazer agilidade no diagnóstico dos problemas desta natureza, possibilitando, assim, ações mais imediatas”, disse.

Cadastro

O sistema pode ser acessado em http://www.sistop.mg.gov.br/sigem ou por meio da página da Setop (www.transportes.mg.gov.br), no ícone Sigem, localizado na página principal. Ao iniciar seu cadastro, as prefeituras devem ter em mãos informações gerais sobre o dano ocorrido, as intervenções sugeridas, custo estimado, localização, de forma a proporcionar um panorama geral sobre a solicitação.

Inicialmente, pretende-se realizar um diagnóstico preliminar das intervenções necessárias nos municípios, limitando-se àqueles com situação de emergência homologada pela Defesa Civil. As demandas estão subdividas em oito grupos, que englobam a reconstrução de pontes, passarelas, drenagem de cursos d’água; melhoramento de vias públicas, dentre outras solicitações na área de infraestrutura.

Atendimento

Uma vez concluída a etapa de cadastramento no Sigem, as solicitações que puderem ser atendidas pela Setop, como pontes, mata-burros e bueiros, vão passar por novas fases dentro da Subsecretaria de Infraestrutura. Uma destas fases é a análise preliminar da demanda, que poderá incluir a vistoria do local indicado para intervenção pela prefeitura.

Aquelas demandas sinalizadas como prioritárias, onde se inclui a reconstrução e o restabelecimento da normalidade, serão indicadas para atendimento e, a partir desse momento, a prefeitura será comunicada acerca da aprovação. Em seguida, nas fases de planejamento e preparação, serão estudadas as ações necessárias, as definições de custo e prazo, e os instrumentos formais a serem celebrados.

O atendimento à demanda selecionada só será considerado encerrado após a prestação de contas pela prefeitura.

Fonte: Agência Minas