Governo de Minas: educadores formulam criação do Curso de Extensão em Educação Musical

Especialistas e professores de conservatórios estaduais participam de planejamento.

Professores e especialistas dos 12 conservatórios estaduais de música de Minas Gerais iniciaram o planejamento para a criação do Curso de Extensão em Educação Musical. O objetivo é oferecer formação inicial e continuada em educação musical para professores da rede pública de educação básica. As reuniões começaram nesta semana na Escola de Formação e Desenvolvimento Profissional de Educadores (Magistra). O curso está previsto para começar no segundo semestre deste ano.

“Nesse encontro, pegamos as experiências que os Conservatórios Estaduais de Música têm para formular um plano de curso para trabalhar de forma criativa e inovadora com os professores das escolas regulares”, destacou Gilbert Gouvêa, coordenador dos Conservatórios.

Entre os temas discutidos no encontro estão: os componentes curriculares, a ementa, a carga horária, a metodologia, os procedimentos didáticos, as formas de monitoramento e avaliação e a organização do atendimento a partir das demandas dos candidatos. Todo o trabalho será construído a partir de uma articulação entres os conservatórios, a Secretaria de Estado de Educação (SEE) e a Magistra.

Nas reuniões, também foram debatidas as possíveis ferramentas de apoio que os participantes poderão contar durante o curso de formação. O Centro de Referência Virtual do professor (CRV) é uma dessas possibilidades para os educadores durante o curso.

O curso será desenvolvido pelos conservatórios em módulos semestrais e abordará conhecimentos teóricos e práticos da área musical. “Essa será uma retomada em uma das funções das escolas de música que é a da formação musical”, lembra Gilbert Gouvêa.

Em um primeiro momento, os cursos seriam ofertados para professores de arte, supervisores pedagógicos e estudantes dos cursos de Magistério e Pedagogia. Para a primeira fase. estão previstos 50 participantes distribuídos em duas turmas. Até o final do ano, a previsão é que o curso de extensão atenda a 600 cursistas.

 Conservatórios

Minas é o único estado do Brasil que conta com escolas de música na rede pública de ensino. São 12 Conservatórios de Música mantidos pela Secretaria de Estado de Educação. Com o objetivo de atender a diversas regiões do estado, Minas conta com escolas nas cidades de Araguari, Ituiutaba, Uberaba e Uberlândia, no Triângulo Mineiro, em São João Del Rei, Juiz de Fora, Leopoldina e Visconde do Rio Banco, cidades da Zona da Mata, em Montes Claros no Norte de Minas, Diamantina no Vale do Jequitinhonha, e em Pouso Alegre e Varginha, cidades do Sul do Estado. As escolas de música atendem cerca de 30 mil alunos com a oferta de cursos técnicos.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/educadores-formulam-criacao-do-curso-de-extensao-em-educacao-musical/

Anúncios

Gestão Anastasia: pedagogos do sistema prisional capacitados pelo Governo de Minas serão referências regionais

Pedagogos polo serão multiplicadores das ações desenvolvidas pela Diretoria de Ensino e Profissionalização da Subsecretaria de Administração Prisional

Divulgação/Seds
Uma reunião técnica traçou metodologia de trabalho para Minas Gerais
Uma reunião técnica traçou metodologia de trabalho para Minas Gerais

Quinze pedagogos que atuam nas unidades prisionais da Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds) são, a partir de agora, referências em suas regiões. Os profissionais participaram, nesta terça-feira (8), de reunião técnica para traçar uma metodologia de trabalho que atenda às diversas áreas de Minas Gerais.

Na prática, os pedagogos polo serão multiplicadores das ações desenvolvidas pela Diretoria de Ensino e Profissionalização (DEP) da Subsecretaria de Administração Prisional (Suapi), diagnosticando e implementando ações de ensino e profissionalização em todo o Estado.

Na abertura da reunião técnica, o superintendente de Atendimento ao Preso, Helil Bruzadelli, destacou a importância da capacitação para o Estado. “Percebo que hoje a sociedade está apta a aceitar o convívio dos presos e dar a eles novas oportunidades. Nossos desafios são grandes, mas tudo flui melhor quando trabalhamos em equipe”. Ainda segundo o superintendente, o objetivo é dar autonomia para as pessoas que serão referências em suas regiões. “Minas é um estado grande e diversificado, daí a necessidade de buscarmos a descentralização de algumas ações”, completou.

De acordo com a diretora de Ensino e Profissionalização, Sandra Madureira, os profissionais que se tornaram referência nesta terça-feira continuarão se preparando. “Em agosto realizaremos um treinamento para que esses pedagogos aperfeiçoem ainda mais as diretrizes apresentadas nesse primeiro encontro. A meta é que até o final de 2013 tenhamos implantado ações de ensino e profissionalização em todas as unidades da Suapi”.

Durante a reunião, foram discutidas as atribuições dos pedagogos polo, a divisão do atendimento por regiões, os planejamentos regionais, dentre outros temas. Os profissionais também participaram de uma palestra com a especialista em Neurolinguística, Cleise Aparecida de Souza, que abordou o tema “Aplicabilidade da Neurolinguística na Educação Prisional de Minas Gerais”.

Estudo

Atualmente, cerca de 6 mil presos estudam enquanto cumprem pena em unidades prisionais mineiras. Os detentos cursam a modalidade de ensino Educação de Jovens e Adultos, que inclui alfabetização, ensino fundamental e médio, em parceria com a Secretaria de Estado de Educação (SEE). Além disso, alguns presos também cursam universidades e fazem cursos profissionalizantes. Pelo estudo, os detentos recebem redução de pena – a cada 12h em sala de aula um dia é retirado da sentença a ser cumprida.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/pedagogos-do-sistema-prisional-capacitados-pelo-governo-de-minas-serao-referencias-regionais/

Gestão Eficiente: Educação Fiscal chega às escolas de Minas

Tributação, orçamento público, lei de responsabilidade fiscal são alguns dos temas que serão abordados no PROEFE

divulgação SEF
Programa Estadual de Educação Fiscal invade as escolas de Divinópolis e região
Programa Estadual de Educação Fiscal invade as escolas de Divinópolis e região

Educadores das redes estadual, municipal e particular das cidades que compõe a Superintendência Regional de Ensino (SER) de Divinópolis darão início ao processo de capacitação em Educação Fiscal na terça-feira (8).

Mais de 200 professores e técnicos educacionais participarão do Encontro Temático, onde conhecerão o Programa Estadual de Educação Fiscal (PROEFE) e discutirão aspectos relacionados ao exercício da cidadania fiscal, como tributação, orçamento público, lei de responsabilidade fiscal, controles interno e social da administração pública, ética e motivação. O programa integra a realização de oficinas que darão início à formatação do Caderno de Referência de Educação Fiscal da Regional.

A maioria dos profissionais que estarão reunidos no encontro já participou ou irão participar, nos próximos meses, do curso a distância oferecido pela Escola de Administração Fazendária do Ministério da Fazenda (ESAF/MF). O curso visa desenvolver habilidades para a inserção transversal da Educação Fiscal nas escolas de Minas Gerais, desafio constante de Carta de Missão do Governo de Minas.

A iniciativa compõe a vertente de conscientização do Programa Minas Legal, que tem o objetivo de integrar Governo e Sociedade na tarefa de informar o cidadão sobre a função socioeconômica do tributo, combater a pirataria e a sonegação, conferir maior transparência à gestão dos recursos públicos, além de premiar boas práticas de cidadania fiscal.

As Secretarias de Estado de Fazenda (SEF) e Educação (SEE) e a Secretaria Municipal de Educação de Divinópolis (SEMED) são as promotoras do Evento, que conta com o apoio e participação da Controladoria Geral do Estado (CGE), além dos parceiros institucionais do Programa de Educação Fiscal em Minas.

O objetivo é contar com disseminadores em Educação Fiscal em todas as cidades da regional, desenvolver projetos pedagógicos e alcançar todas as escolas e bibliotecas com um Kit do Programa.

Em 2012, está previsto o desenvolvimento do Projeto nas Regionais de Conselheiro Lafaiete, Pará de Minas, Ponte Nova e Divinópolis.

Informação, conhecimento, mudança formam o tripé da Educação Fiscal no fortalecimento da cidadania fiscal.

Para conhecer mais sobre o Programa Minas Legal e a Educação Fiscal acesse o site www.minaslegal.mg.gov.br.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/educacao-fiscal-chega-as-escolas-de-minas/

Gestão da Educação: em escola do Sul de Minas, música clássica é um estímulo ao aprendizado

Em Nova Resende, música enriquece a grade curricular dos alunos, de forma interdisciplinar

SEE / Divulgação
Na Escola Estadual Professor Caio Albuquerque, o trabalho será desenvolvido de forma interdisciplinar
Na Escola Estadual Professor Caio Albuquerque, o trabalho será desenvolvido de forma interdisciplinar

A Escola Estadual Professor Caio Albuquerque, no município de Nova Resende, no Sul de Minas, implementou, este ano, um projeto que tem entre seus objetivos apresentar para os estudantes o fantástico mundo da música clássica. O projeto “Criança Famosa” teve início com os alunos do projeto Educação em Tempo Integral, da Secretaria de Estado de Educação (SEE), e pretende estimular a paixão dos estudantes pela literatura e pela música.

Para a execução do projeto, a escola utiliza os livros da coleção “Criança Famosa”, que traz a história da infância de músicos consagrados, como Mozart, Bach e Vivaldi. A ideia é que os estudantes possam ler os livros durante visitas à biblioteca e ouvir diferentes canções. “A música clássica está presente em nossas vidas, seja em casamentos, em trilhas sonoras de filmes ou em apresentações esportivas, como na Ginástica Artística. Vamos mostrar para os estudantes que existem vários tipos de músicas, entre elas a música clássica. Queremos que eles tenham uma opção a mais”, ressalta a coordenadora do projeto, Eneida Evangelista Silva Pereira.

Na escola, o trabalho será desenvolvido de forma interdisciplinar. “O professor de Geografia, por exemplo, poderá estudar com os alunos o país onde determinado músico nasceu e procurar no atlas a localização daquele país. O professor de História também pode trabalhar acontecimentos históricos do período em que o músico viveu”, afirma Eneida.

Apesar de o projeto ainda estar na fase inicial, a estudante do 7º ano do ensino fundamental, Grazielli Favorito da Silva, já teve a oportunidade de conhecer diferentes canções. “Algumas músicas eu nunca tinha ouvido. Aprendi a gostar delas e acho muito legal”, destacou. Dentro do projeto, também serão realizadas apresentações musicais.

Estímulo às artes

A biblioteca da Escola Estadual Professor Caio Albuquerque conta com um espaço reservado para produções artísticas. “Eu percebi que os livros que falava de arte não eram muito acessados pelos estudantes. Então eu tomei a iniciativa de organizar um cantinho convidativo da arte. Nesse espaço nós temos pintura, artesanato, entre outros. Depois que criei o cantinho a procura pelas publicações sobre artes aumentou”, conclui Eneida.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/em-escola-do-sul-de-minas-musica-classica-e-um-estimulo-ao-aprendizado/

Gestão da Educação: escola do Sul de Minas conscientiza alunos sobre a Lei Maria da Penha

Estudantes aprendem sobre prevenção da violência doméstica e contra a mulher

Uma simples agenda doada à professora de língua portuguesa Lourdes Eliza de Seixas Oliveira, do município de Andrelândia, no Sul de Minas, cuja capa pregava o fim da violência contra a mulher, garantiu à Escola Estadual Visconde de Arantes, no bairro Rosário, a realização de um projeto de conscientização dos alunos sobre a violência doméstica e a importância da Lei Maria da Penha, por meio da produção de redações em sala de aula. E o resultado surpreendeu a direção da escola e professores, com o grande interesse e criatividade dos alunos, que demonstraram talento até para a poesia. Os trabalhos foram encaminhados ao Conselho Estadual da Mulher (CEM), vinculado à Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese).

Segundo Lourdes Eliza, a ideia do projeto “Na sociedade que a gente quer, basta de violência contra a mulher” surgiu no início de março, durante as comemorações do Dia Internacional da Mulher. O trabalho envolveu, inicialmente, o conhecimento de casos de violência contra a mulher, a leitura e interpretação da Lei Maria da Penha e, posteriormente, a produção dos textos, que foram feitos por oito turmas de alunos do ensino médio.

“Na cidade, temos muitos casos de violência em família. E o projeto despertou grande euforia entre os alunos”, conta Lourdes Eliza, que pretende ampliar o trabalho com os estudantes no próximo semestre, com o levantamento de casos de violência contra a mulher que ganharam repercussão tanto no Brasil quanto no exterior. “Nosso objetivo é desenvolver um trabalho de conscientização sobre os direitos da mulher, de ter uma vida livre de violência, com a divulgação dos melhores textos produzidos”, explica.

Exposição

As melhores redações feitas nessa primeira etapa do projeto ficaram expostas no saguão da Escola Visconde de Arantes, nos meses de março e abril. “Estamos pensando, mais para frente, até garantir uma premiação aos melhores trabalhos”, conta a professora Lourdes Eliza.

Um dos aspectos mais ressaltados nos textos produzidos pelos alunos foi a necessidade de conscientização da mulher vítima de violência, para que denuncie o agressor, evitando a impunidade. “É fácil se livrar da humilhação de ser agredida por um covarde, existem leis que preservam os direitos da mulher.  No século da tecnologia, da liberdade de expressão, das conquistas, conquistemos mais esta: basta de violência contra a mulher! Denuncie! Recorra à Lei Maria da Penha!”, enfatizou a aluna Camila Roberta em sua redação.

Lei Maria da Penha

A Lei Maria da Penha foi sancionada em 7 de agosto de 2006, como forma de coibir a violência contra as mulheres, estabelecendo medidas protetivas de urgência e punição ao agressor, que pode  cumprir detenção de 3 meses a 3 anos.

Considerada uma conquista da sociedade brasileira, a norma surgiu após a farmacêutica cearense Maria da Penha Maia Fernandes, que deu nome à lei, ter sido agredida a tiros pelo marido, em 1983, enquanto dormia. Ela ficou paraplégica e se viu presa a uma cadeira de rodas. Posteriormente, sofreu nova tentativa de morte, dessa vez por eletrocussão. A partir daí, iniciou uma luta para combater a violência contra a mulher no país, o que foi garantido com a criação da Lei 11.340.

Em Minas Gerais, uma parceria da Sedese e do CEM com a Secretaria de Estado de Educação (SEE) vai garantir a implementação do projeto “Maria da Penha vai às Escolas”, com o objetivo de desenvolver ações integradas para que as crianças e adolescentes reflitam sobre a violência doméstica e intrafamiliar, principalmente sofrida pelas mulheres.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/escola-do-sul-de-minas-conscientiza-alunos-sobre-a-lei-maria-da-penha/

Gestão da Educação: diretores de escolas estaduais são capacitados em oficinas e atividades lúdicas

Diretores de todas as escolas da rede estadual discutem temas relacionados ao ambiente escolar

Divulgação/SEE
Ao todo 3.762 gestores participam do encontro
Ao todo 3.762 gestores participam do encontro

Licitações, projeto pedagógico e organização do quadro de pessoal são alguns dos assuntos presentes no dia a dia dos diretores de escolas estaduais e que estão sendo discutidos durante toda essa semana, em capacitação organizada pelas Superintendências Regionais de Ensino (SREs). “O objetivo da capacitação é promover o desenvolvimento das competências dos diretores com vistas na elevação dos níveis de eficiência e eficácia da gestão escolar”, ressalta superintendente de Recursos Humanos, Fátima Perillo. Ao todo 3.762 gestores participam do encontro que termina nesta sexta-feira (27).

As capacitações estão sendo realizadas pelas diretorias de financeiro, pedagógico e de pessoal das superintendências. “Houve um envolvimento de todos os setores da Secretaria de Estado de Educação (SEE) para preparar os gestores das SREs para trabalharem como multiplicadores oferecendo aos diretores das escolas estaduais, sejam eles novatos ou reconduzidos, temas diretamente ligados a gestão da escola”, conclui Fátima.

Na Superintendência Regional de Ensino de Conselheiro Lafaiete, a divulgação das regras de utilização do recurso financeiro dos termos de compromisso será feita por meio de um teatro, como explica a diretora Administrativa e Financeira, Elaine Aparecida de Souza. “Temos uma legislação que regulamenta a utilização do recurso público no âmbito da caixa escolar. Já fizemos diversas capacitações e oficinas sobre o tema e dessa vez, além da explicação vamos vivenciar a realidade da caixa escolar por meio de um teatro. Vamos falar, por exemplo, como funciona uma licitação e encenar os erros mais comuns. Com isso, vamos tentar deixar tudo mais claro. A intenção é ensinar”. Na Superintendência, 60 diretores participam do encontro.

O diretor da Escola Estadual Monsenhor Horta, no município de Conselheiro Lafaiete, Paulo Roberto Tavares Batista, ressalta a importância da capacitação. “A capacitação está ajudando bastante. Eles acharam um bom caminho para o repasse das informações”. Paulo atua como diretor da escola desde 2004.

Já na SRE de Patos de Minas as orientações para os gestores estão sendo repassadas por meio de oficinas. “Tentamos buscar atividades práticas que ressaltassem o papel do gestor. Por meio de oficinas e dinâmicas estamos atendendo aos diretores novatos e reconduzidos. Por exemplo, teve uma oficina em que os gestores foram levados para o laboratório informática do Núcleo de Tecnologias Educacionais (NTE) e entraram no site do Sistema Mineiro de Administração Escolar (Simade) para conhecer as possibilidades do site”, ressalta a diretora da Superintendência, Susie Adriane Silva Pereira.

Durante essa semana, as capacitações estão acontecendo em 42 Superintendências Regionais de Ensino. Nas demais, cinco SREs o encontro não puderam ser realizado por causa de logística ou agenda. Essas Superintendências têm até o dia 31 de maio para realizar a capacitação.

Processo de indicação de diretores

Apesar de ser um cargo de confiança, cuja nomeação é de competência exclusiva do governador, a comunidade escolar teve a oportunidade de indicar os nomes de servidores de sua preferência que atendiam às normas estabelecidas pela SEE para a direção de sua escola. Em processo de consulta, organizado pela Secretaria de Estado de Educação, servidores das escolas, pais e alunos deram suas sugestões por meio do voto.

O resultado do processo de indicação foi apurado pelas comissões organizadoras de cada escola, encaminhado às Superintendências Regionais de Ensino e inseridos em sistema online da secretaria. Pela 7ª vez, a comunidade escolar foi consultada e teve a opção de sugerir os nomes de preferência, antes da nomeação oficializada pelo governador. Em janeiro de 2012, mais de 3700 gestores assumiram a direção das escolas.

Certificação Ocupacional de Dirigente Escolar

Em Minas Gerais, todos os educadores que queriam participar do processo de indicação de diretores de escolas estaduais devem participar do processo de Certificação Ocupacional de Dirigente Escolar. Ao participar do processo, os educadores fazem provas que têm seus conteúdos baseados no Programa de Capacitação a Distância para Gestores Escolares (Progestão). A certificação é concedida ao candidato que obteve o percentual mínimo estipulado para cada competência. A certificação é válida por quatro anos.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/diretores-de-escolas-estaduais-sao-capacitados-em-oficinas-e-atividades-ludicas/

Gestão da Educação: fórum Técnico de Ensino Médio elege Minas para representar o Sudeste em grupo de trabalho

Representantes das cinco regiões brasileiras discutem melhoras na qualidade do ensino médio noturno

SEE / Divulgação
Audrey Regina Carvalho Oliveira é a representante da região sudeste em grupo de trabalho para melhora do ensino médio noturno
Audrey Regina Carvalho Oliveira é a representante da região sudeste em grupo de trabalho para melhora do ensino médio noturno

Para aprimorar a qualidade de ensino dos alunos do período noturno do ensino médio, o Ministério de Educação, criou um grupo de trabalho composto por educadores que lecionam para estes adolescentes nas cinco regiões do Brasil. Na região Sudeste, a representante eleita durante o “Fórum Técnico de Ensino Médio”, realizado em Brasília, é a superintendente de Desenvolvimento do Ensino Médio da Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais (SEE), Audrey Regina Carvalho Oliveira.

Segundo a superintendente, é necessário haver um Fórum Nacional para o estudo do ensino médio noturno. “Por esse motivo, foi instituído um grupo de trabalho. A nossa primeira reunião será em maio. Depois teremos outros encontros para fazer um diagnóstico, debater as ações, contribuir com nossos relatos de experiências desenvolvidas e propor medidas para a qualidade de ensino no atendimento desses estudantes”, explica Audrey Oliveira.

A ideia é que no final do ano seja feito um relatório com as ações e os encaminhamentos voltados para o ensino médio no noturno, resultantes do Fórum. Essas medidas integram o ‘Ensino Médio Inovador’, do Ministério da Educação, que tem como objetivo fortalecer o desenvolvimento de propostas curriculares inovadoras nas escolas de ensino médio, como a capacitação de educadores. Minas Gerais fará adesão ao projeto em 2013 que será complementar às ações desenvolvidas pelo Estado como foco no ensino médio.

Exemplo mineiro

No Estado, estudantes desse nível de escolaridade contam com o ‘Reinventando o Ensino Médio’, projeto desenvolvido pela SEE em 11 escolas da região Norte de Belo Horizonte. O projeto começou em 2012 e a expectativa é ampliar para 120 escolas no próximo ano. No ‘Reinventando o Ensino Médio’, o foco está em tornar o currículo mais completo e atrativo, além de gerar competências e habilidades focadas na empregabilidade.

“Essas ações que desenvolvemos com os alunos do ensino médio, inclusive do noturno, serão apresentadas na reunião de maio e acredito que serão contempladas e muito bem aproveitadas pelo grupo de estudos”, avalia a superintendente de Desenvolvimento do Ensino Médio da SEE.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/forum-tecnico-de-ensino-medio-elege-minas-para-representar-o-sudeste-em-grupo-de-trabalho/

Governo de Minas: Câmara Multissetorial debate agenda regional e intersetorial do Estado em Rede

Encontro avaliou andamento de ações estratégias e prioridades regionais pactuadas no Acordo de Resultados 2012

José Carlos Paiva / Secom MG
Câmara discutiu assuntos estratégicos das regiões do Rio Doce, Zona da Mata e Norte de Minas
Câmara discutiu assuntos estratégicos das regiões do Rio Doce, Zona da Mata e Norte de Minas

A Câmara Multissetorial do Estado em Rede se reuniu pela quarta vez, nesta terça-feira (24), no Palácio Tiradentes, na Cidade Administrativa. Na reunião, foram apresentadas algumas das principais estratégias debatidas nas regiões de Minas onde o programa Estado em Rede já está em desenvolvimento.

Presidida pela Ouvidora Geral do Estado, Célia Barroso Pitchon, a reunião teve coordenação da secretária de Estado de Planejamento e Gestão, Renata Vilhena, e da secretária de Estado da Casa Civil e Relações Institucionais, Maria Coeli. O encontro contou ainda com a presença de todos os secretários adjuntos de cada pasta, ou seus representantes indicados.

O Estado em Rede trabalha a regionalização da gestão governamental, uma das prioridades do governador Antonio Anastasia, e já se encontra em desenvolvimento em seis regiões do Estado: Rio Doce, Norte de Minas, Zona da Mata, Jequitinhonha/ Mucuri, Sul de Minas e Triângulo.

As estratégias apresentadas envolvem a agenda de prioridades regionais, pactuadas junto às secretarias no Acordo de Resultados 2012 – uma iniciativa do Governo de Minas que busca garantir que os objetivos estratégicos traçados pela administração pública para a melhoria da vida do cidadão sejam, de fato, alcançados. Elas também tratam da agenda intersetorial, que envolve ações relevantes já pactuadas entre órgãos e secretarias estaduais.

Temas

Durante a reunião, secretários adjuntos e representantes de diversas áreas discutiram temas como a Integração da Secretaria de Estado de Educação (SEE) ao Conselho Estadual de Política Ambiental (Copam) no Rio Doce; a atenção prioritária às cidades com maior escassez de água, no Norte de Minas; e a reestruturação do fluxo de implantação dos aterros sanitários, na Zona da Mata.

Na próxima reunião da Câmara Multissetorial, prevista para julho, serão discutidas, além do acompanhamento das agendas regionais e intersetoriais dos comitês já implantados, também algumas das estratégias debatidas nos quatro novos comitês que tomam posse em junho (Noroeste, Alto Paranaíba, Centro-Oeste e Central), totalizando a formação de comitês regionais nas dez unidades de planejamento do Estado.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/camara-multissetorial-debate-agenda-regional-e-intersetorial-do-estado-em-rede/

Governo Anastasia: melhorias na alimentação escolar em Minas vão a debate em seminário

Seapa destaca que informação deve ser reforçada

A lei que estabelece o direito de todos os alunos matriculados na rede pública de ensino à alimentação irá a debate no segundo seminário regional para lançamento do Programa Estruturador Cultivar, Nutrir e Educar, do Governo de Minas. O evento será realizado nos dias 25 e 26 de abril, na cidade de Ipatinga, Vale do Rio Doce. A apresentação do tema será feita pelo superintendente de Agricultura Familiar (SAF) da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), José Antônio Ribeiro.

Conforme explica o superintendente, a Lei nº 11.947 de 2009 determinou, em seu artigo 14, que no mínimo 30% dos recursos repassados pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) para o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) sejam utilizados na aquisição de alimentos produzidos pela agricultura familiar. “A medida é obrigatória desde janeiro de 2010”, assinala. A lei é a base do programa estruturador, que tem a gestão compartilhada entre a Secretaria da Agricultura, Secretaria de Saúde, Secretaria de Educação, e Secretaria Executiva do Comitê Temático de Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável (CTSANS).

De acordo com Ribeiro, as medidas possibilitam o fortalecimento da atividade, gerando emprego e renda no campo, mas é fundamental que sejam amplamente difundidas principalmente entre as pessoas e instituições envolvidas nas ações da agricultura familiar.

Ele enfatiza que é necessário levar a informação sobre o programa a todos os segmentos que atuam na alimentação escolar. “Inclusive para esclarecer as pessoas envolvidas no preparo dos alimentos sobre as características do produto fornecido pela agricultura familiar”, explica o superintendente.

Outro desafio, segundo Ribeiro, é fazer alterações no cardápio básico das escolas para garantir um maior volume de produtos saudáveis. O fornecimento é garantido, pois o atendimento à rede escolar estadual (nível básico) depende do trabalho de 15 mil agricultores familiares, enquanto Minas Gerais conta com cerca de 720 mil em 440 mil propriedades.

Ribeiro ainda diz que está sendo estimulada a maior integração dos sistemas institucionais que participam do programa de abastecimento das escolas com produtos da agricultura familiar. Uma das propostas é a criação de comitês gestores para responder nos municípios pelas questões locais em relação ao programa.

Programação do seminário

A primeira palestra do seminário de Ipatinga, no dia 25, será “Binômio Educação e Nutrição: Direito Humano à Alimentação Saudável, Adequada e Solidária”, pelo presidente do Conselho de Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável de Minas Gerais (Consea-MG), Dom Mauro Morelli. Em seguida, a secretária-executiva do Comitê Temático de Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável, Jaqueline Junqueira abordará o “Programa Cultivar, Nutrir e Educar”.

Já no dia 26, a primeira palestra será de José Antônio Ribeiro (SAF), Desafios da Execução da Lei 11.947 de 2009. Em seguida, haverá apresentação sobre “Estratégias do Programa Estruturador Cultivar, Nutrir e Educar, por Jaqueline Miriam Maciel Junqueira, gerente do programa. O “Processo da Alimentação” será analisado pela gerente de Processo da Secretaria Estadual de Educação (SEE), Valéria Monteiro.

Depois, Ignes Botelho Figueiredo Matias, da SAF, vai falar sobre o projeto Fortalecimento da Agricultura Familiar para o Abastecimento Alimentar, do qual é gerente. Haverá ainda uma apresentação sobre Estratégias Nutricionais de Promoção à Saúde, por Marcelo Mascarenhas Corrêa, gerente de projeto da Secretaria Estadual de Saúde (SES).

Trabalho em parceria

O seminário de Ipatinga terá a participação também de representantes dos municípios de Belo Oriente, Bom Jesus do Galho, Caratinga, Iapu, Inhapim, Ipaba, Mesquita, Periquito e Tarumirim. É o segundo dos quatro encontros que serão promovidos no Estado. O primeiro foi realizado nos dias 11 e 12 de abril, em Taiobeiras, município do Norte de Minas. Os próximos serão em Viçosa, na Zona da Mata (9 e 10 de maio), e em Capelinha, Vale do Jequitinhonha  (30 e 31 de maio).

A série de eventos está sendo executada pela Secretaria-Geral da Governadoria por meio da Secretaria Executiva do Comitê Temático de Segurança Alimentar e Nutricional (CTSANS); Secretaria de Estado da Educação (SEE), por meio da Subsecretaria de Administração do Sistema Educacional; Secretaria de Estado da Saúde (SES) por meio da Subsecretaria de Vigilância e Proteção à Saúde; e Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento por meio da Subsecretaria de Agricultura Familiar (SAF).

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/melhorias-na-alimentacao-escolar-em-minas-vao-a-debate-em-seminario/

Gestão da Educação: programa de Avaliação da Aprendizagem Escolar recebe inscrições para oficinas

Há vagas para educadores das áreas de Biologia, Física, Química, Ciências e Geografia

Professores do ensino fundamental e médio ainda podem se inscrever para as oficinas do Programa de Avaliação da Aprendizagem Escolar (PAAE). Na capacitação “Oficinas de Análise e Elaboração de Questões de Múltipla Escolha’’, há vagas para educadores das disciplinas de Biologia/Ciências e Física/Ciências, Química/Ciências, Geografia e Educação Física. Os interessados devem fazer a inscrição pela internet, até o dia 23 de abril, no site https://www.educacao.mg.gov.br/imprensa/noticias/1555-programa-de-avaliacao-da-aprendizagem-escolar-paae.

As oficinas, a serem desenvolvidas pela Secretaria de Estado de Educação (SEE), serão realizadas na Magistra – Escola de Formação e Desenvolvimento Profissional de Educadores e ocorrerão nos dias 26 e 27 de abril e 3 e 4 de maio.

Nos dias do encontro, os professores irão analisar e elaborar questões/itens para a avaliação da aprendizagem do aluno nas diversas disciplinas que integram os Conteúdos Básicos Comuns (CBCs). Nas datas de abril, as oficinas se concentrarão nas disciplinas de Língua Portuguesa, Biologia/Ciências, Física/Ciências e Ciências. Já em maio, as oficinas vão contemplar as áreas de Geografia, Química/Ciências e Educação Física.

As questões elaboradas durante as oficinas poderão integrar o banco de itens da SEE e compor as avaliações do PAAE. Atualmente, o banco de itens da secretaria conta com mais de 50 mil questões disponíveis.

A confirmação da inscrição será feita por e-mail. Os professores receberão certificados pela participação integral nas oficinas. Mais informações sobre as oficinas podem ser obtida pelos telefones: (31) 3915-3598 e (31) 3915-3587.

Diagnóstico do ensino

O Programa de Avaliação da Aprendizagem Escolar (PAAE) é desenvolvido pela Secretaria de Estado de Educação. A iniciativa é um suporte didático para professores e gestores de escolas estaduais.

O PAAE disponibiliza as Avaliações Diagnósticas, Contínuas e da Aprendizagem Anual para as escolas estaduais de Ensino Médio. Essas avaliações possibilitam ao professor e à escola verificar as habilidades e competências adquiridas entre o diagnóstico inicial e final do ano letivo.

Por meio do Programa, as escolas geram provas de questões objetivas, diferenciadas em três níveis de dificuldade e vinculadas aos tópicos/habilidades dos CBCs que devem ser ensinados pelas escolas e aprendidos pelos alunos.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/programa-de-avaliacao-da-aprendizagem-escolar-recebe-inscricoes-para-oficinas/