Gestão Anastasia: iniciativa do Governo de Minas para a segurança pública é referência para o Estado de Rondônia

Delegação da Secretaria de Justiça de Rondônia vem a Minas conhecer o cartão Trabalhando a Cidadania

Luiza Muzzi
Durante o encontro, foram apresentadas as diversas ações do programa Trabalhando a Cidadania
Durante o encontro, foram apresentadas as diversas ações do programa Trabalhando a Cidadania

A Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds) recebeu, nesta quinta-feira (10), representantes da Secretaria de Justiça do Estado de Rondônia, que vieram a Belo Horizonte conhecer o cartão Trabalhando a Cidadania. A iniciativa, pioneira no país, é fruto de trabalhos desenvolvidos pela Superintendência de Atendimento ao Preso (Sape), da Subsecretaria de Administração Prisional (Suapi), em parceria com o Banco do Brasil. Desde maio do ano passado, detentos de Minas Gerais que trabalham enquanto cumprem pena recebem o salário por meio de cartões magnéticos, que podem ser usados para sacar dinheiro ou realizar pagamentos a débito.

Segundo o superintendente de Atendimento ao Preso, Helil Bruzadelli, o governo de Rondônia procurou a Seds para aprender as boas práticas de ressocialização desenvolvidas em Minas. “A comitiva quer conhecer o cartão Trabalhando a Cidadania para depois implantar a inciativa naquele estado”, conta. Além dos representantes de Rondônia, a superintendência já recebeu visitas de comitivas de Santa Catarina e de Pernambuco, com o mesmo objetivo de conhecer a experiência mineira do cartão. “O mais importante nessas visitas é o intercâmbio de informações”, completou.

Durante o encontro, foram apresentadas as diversas ações do programa Trabalhando a Cidadania, que prevê a reinserção social de detentos. “Avançamos muito na área de ressocialização e atendimento nos últimos quatro anos e, nesse processo, é fundamental a participação da sociedade. Atualmente mantemos mais de 400 parcerias de trabalho”, destacou o superintendente Helil Bruzadelli.

Programação

Ao longo da manhã, o diretor de Trabalho e Produção da Suapi, Guilherme Augusto Lima, apresentou à comitiva o funcionamento do sistema de gerenciamento do trabalho dos presos e o fluxo operacional de pagamento. Na parte da tarde, os visitantes conheceram o Centro de Referência à Gestante Privada de Liberdade e o Presídio de Vespasiano.

Na sexta-feira (11), a Superintendência de Atendimento ao Preso vai apresentar para a equipe de Rondônia o sistema de classificação de presos, realizado por meio das Comissões Técnicas de Classificação (CTC). Em seguida, a comitiva irá conhecer as três unidades prisionais do complexo de São Joaquim de Bicas.

Benefícios

Atualmente, cerca de 11,5 mil presos trabalham enquanto cumprem pena nas unidades prisionais do Estado. Os detentos atuam nas mais diversas atividades, como produção de bolas, sacolas ecológicas, equipamentos eletrônicos, cortinas, uniformes, roupas e, até mesmo, na reforma do Mineirão para a Copa do Mundo de 2014. Pelo trabalho, os presos recebem redução da pena – a cada três dias trabalhados, um a menos na sentença a ser cumprida – e, em muitos casos, remuneração.

O valor do pagamento para o detento é distribuído em três partes: 50% pago ao preso no mês seguinte à realização do trabalho, 25% destinado a pecúlio, que é levantado quando o detento se desliga do sistema prisional e outros 25% utilizados para ressarcimento do Estado. Antes do cartão, o pagamento pelo trabalho era creditado em uma única conta por unidade prisional e um agente penitenciário ou servidor ficava responsável pelo repasse aos detentos, mediante assinatura de comprovante. Agora, o salário é depositado em uma conta-benefício e o próprio detento, ou alguma pessoa a quem ele concedeu procuração, pode sacá-lo em qualquer agência ou caixa eletrônico.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/iniciativa-do-governo-de-minas-para-a-seguranca-publica-e-referencia-para-o-estado-de-rondonia/

Anúncios

Governo de Minas: Defesa Social cria comitê para acompanhamento de internações compulsórias

Fruto de parceria entre órgãos públicos e a sociedade civil, colegiado busca humanizar atendimentos

Com o objetivo de formular estratégias para acompanhamento de internações compulsórias em Minas Gerais, membros do Comitê de Cooperação Institucional e Acompanhamento de Medidas de Internação tiveram a primeira reunião do colegiado, nesta quarta-feira (09), na sede da Subsecretaria de Políticas sobre Drogas (Supod), em Belo Horizonte.

O comitê foi criado para reunir esforços de instituições públicas e privadas envolvidas neste tipo de internação e evitar o atendimento de clínicas e comunidades terapêuticas sem condições estruturais e de recursos humanos de prestação do serviço. O grupo é gerido pela Secretaria de Estado de Defesa Social e conta com integrantes da Defensoria Pública de Minas, do Ministério Público Estadual e representantes da sociedade civil.

O subsecretário Cloves Benevides explica que “não estão previstas medidas higienistas, como a retirada à força das pessoas que usam crack e outras drogas nas ruas”. “Serão realizadas, entre outras ações, o mapeamento dos vínculos familiares destes usuários para que haja um envolvimento de parentes e responsáveis no tratamento”, afirma. A internação involuntária ocorre a partir da solicitação de familiares e avaliação médica, sem o consentimento do usuário, enquanto a compulsória é determinada pela Justiça.

A defensora pública Roberta de Mesquita Ribeiro, coordenadora da área criminal, esteve na reunião e avaliou de forma bastante positiva os temas discutidos e o encaminhamento dos trabalhos. “A Defensoria Pública já acompanha casos de internação involuntária e vamos intensificar, de forma conjunta, a fiscalização das internações inadequadas, inclusive com capacitação dos defensores”, conclui.

Apoio unânime

Dentre outros participantes da reunião estiveram presentes Robert Willian, presidente da ONG Defesa Social e Regina Coeli integrante do grupo Mães de Minas contra o Crack. Para Robert o Comitê “é um marco regulatório que possibilita interpretar com mais propriedade a necessidade de internação” e Regina avalia o comitê como “uma esperança de novos horizontes, pois analisará caso a caso”.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/defesa-social-cria-comite-para-acompanhamento-de-internacoes-compulsorias/

Gestão Anastasia: pedagogos do sistema prisional capacitados pelo Governo de Minas serão referências regionais

Pedagogos polo serão multiplicadores das ações desenvolvidas pela Diretoria de Ensino e Profissionalização da Subsecretaria de Administração Prisional

Divulgação/Seds
Uma reunião técnica traçou metodologia de trabalho para Minas Gerais
Uma reunião técnica traçou metodologia de trabalho para Minas Gerais

Quinze pedagogos que atuam nas unidades prisionais da Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds) são, a partir de agora, referências em suas regiões. Os profissionais participaram, nesta terça-feira (8), de reunião técnica para traçar uma metodologia de trabalho que atenda às diversas áreas de Minas Gerais.

Na prática, os pedagogos polo serão multiplicadores das ações desenvolvidas pela Diretoria de Ensino e Profissionalização (DEP) da Subsecretaria de Administração Prisional (Suapi), diagnosticando e implementando ações de ensino e profissionalização em todo o Estado.

Na abertura da reunião técnica, o superintendente de Atendimento ao Preso, Helil Bruzadelli, destacou a importância da capacitação para o Estado. “Percebo que hoje a sociedade está apta a aceitar o convívio dos presos e dar a eles novas oportunidades. Nossos desafios são grandes, mas tudo flui melhor quando trabalhamos em equipe”. Ainda segundo o superintendente, o objetivo é dar autonomia para as pessoas que serão referências em suas regiões. “Minas é um estado grande e diversificado, daí a necessidade de buscarmos a descentralização de algumas ações”, completou.

De acordo com a diretora de Ensino e Profissionalização, Sandra Madureira, os profissionais que se tornaram referência nesta terça-feira continuarão se preparando. “Em agosto realizaremos um treinamento para que esses pedagogos aperfeiçoem ainda mais as diretrizes apresentadas nesse primeiro encontro. A meta é que até o final de 2013 tenhamos implantado ações de ensino e profissionalização em todas as unidades da Suapi”.

Durante a reunião, foram discutidas as atribuições dos pedagogos polo, a divisão do atendimento por regiões, os planejamentos regionais, dentre outros temas. Os profissionais também participaram de uma palestra com a especialista em Neurolinguística, Cleise Aparecida de Souza, que abordou o tema “Aplicabilidade da Neurolinguística na Educação Prisional de Minas Gerais”.

Estudo

Atualmente, cerca de 6 mil presos estudam enquanto cumprem pena em unidades prisionais mineiras. Os detentos cursam a modalidade de ensino Educação de Jovens e Adultos, que inclui alfabetização, ensino fundamental e médio, em parceria com a Secretaria de Estado de Educação (SEE). Além disso, alguns presos também cursam universidades e fazem cursos profissionalizantes. Pelo estudo, os detentos recebem redução de pena – a cada 12h em sala de aula um dia é retirado da sentença a ser cumprida.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/pedagogos-do-sistema-prisional-capacitados-pelo-governo-de-minas-serao-referencias-regionais/

Gestão Anastasia: projeto piloto destina parte do salário de presos para vítimas no Sul de Minas

Parceria com Poder Judiciário de Santa Rita do Sapucaí garante ressarcimento de prejuízos causados pelos delitos

 Coordenadores de projeto piloto de ressocialização de detentos em Santa Rita do Sapucaí, Sul de Minas Gerais, encontraram uma forma de o condenado ressarcir parte do prejuízo causado pelos seus crimes. Parte do salário que os presos ganham fazendo trabalhos durante o dia, vai para a família das vítimas de seus delitos. Cinco detentos que cumprem pena no presídio da cidade e estão trabalhando na reforma do Fórum da comarca já estão inscritos no projeto. A iniciativa é realizada em parceria entre a Secretaria de Estado de Defesa Social e o Poder Judiciário.

O diretor geral do presídio de Santa Rita do Sapucaí, Gilson Rafael Silva, explica que o dinheiro para pagamento dos presos é arrecadado por meio de parcerias com empresários locais. Até que seja repassada às partes, em audiências de pagamento, a quantia fica depositada em uma conta do Conselho da Comunidade. “Até hoje, duas audiências já foram realizadas. Outras quatro ainda acontecerão”, conta.

De acordo com o juiz da comarca, José Henrique Mallmann, a iniciativa vai ao encontro do conceito de Justiça Restaurativa. “Não fica só na punição, vai um pouco adiante. Também devolve o custo que o preso tem para a sociedade. O trabalho é feito em prédios públicos e históricos, traz a ideia de preservação e pacificação social e a vítima também não foi esquecida”, explica. Apesar de ser um projeto piloto, o magistrado já avalia a iniciativa muito positivamente. “Não houve problema de disciplina e a gente percebe que a própria comunidade está elogiando o trabalho”, destacou.

A ação prioriza detentos que cometeram furtos, já que assim é possível realizar a restituição financeira da vítima. No entanto, há, também, um preso que foi condenado por tráfico. Nesse caso, metade do salário é repassada à Fazenda Esperança, que oferece tratamento a dependentes químicos.

De acordo com Gilson Silva, os detentos gostam, de forma especial, dessa nova oportunidade de trabalho. “Eles podem se desculpar pelo ato cometido às vítimas e ajudar a família enquanto estão ausentes”, afirmou. O diretor do presídio ressalta que o trabalho e o estudo durante o cumprimento da pena permitem aos presos se prepararem para o retorno ao convívio social e ao mercado de trabalho. “Eles aprendem uma profissão e tiram da cabeça aquele vício do crime”.

Atualmente, cerca de 12 mil presos trabalham e 4,5 mil estudam enquanto cumprem suas penas em unidades prisionais administradas pela Subsecretaria de Administração Prisional (Suapi), da Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds)..

Todos os presos que participam do projeto têm autorização judicial para trabalho externo. Eles trabalham de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, e, além do salário, têm a pena reduzida – a cada três dias trabalhados, um a menos no cumprimento da sentença.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/projeto-piloto-destina-parte-do-salario-de-presos-para-vitimas-no-sul-de-minas/

Governo de Minas: ex-detenta coordena equipe no Presídio Feminino José Abranches

Ana Carolina Moreira foi contratada pela empresa LT Confecção Ltda. após receber alvará judicial de prisão domiciliar

Divulgação/Seds MG
Ana Carolina foi contratada no mês passado para coordenar a produção das sacolas
Ana Carolina foi contratada no mês passado para coordenar a produção das sacolas

Coordenar a produção de aproximadamente 1.600 sacolas retornáveis por dia e uma equipe de 20 presas é responsabilidade da ex-detenta Ana Carolina Moreira, protagonista de uma história de ressocialização no Presídio Feminino José Abranches Gonçalves, situado em Ribeirão das Neves, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH). Ana Carolina foi contratada no mês passado pela empresa LT Confecção Ltda, após receber o alvará judicial de prisão domiciliar.

A proprietária da empresa, Thaís Rosa de Oliveira Lara, considera de extrema importância o trabalho de ressocialização realizado por todos os funcionários da unidade, principalmente os agentes penitenciários. Ela ainda conta que “a produção das detentas já forneceu bolsas para a Vale, o Sebrae, diversos supermercados na região metropolitana, além de várias empresas de outros ramos, inclusive no estado de São Paulo”.

Um curso de corte e costura – parceria da Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds), por meio das diretorias de ensino e trabalho da Subsecretaria de Administração Prisional (Suapi), com a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater-MG) – incentivou e capacitou Ana Carolina para iniciar o trabalho na produção das sacolas retornáveis em 2010. No ano seguinte, ela fez também um curso de produção industrial. “Estou me sentindo muito honrada, confiante e valorizada em poder retornar para exercer aqui uma profissão. Gosto muito das palavras de incentivo que tenho recebido de várias pessoas, dentro e fora do presídio”, revela Ana.

A satisfação da nova coordenadora de produção de sacolas retornáveis é compartilhada também pela diretora-geral da unidade, Raquel Alves de Paula, que considera uma grande recompensa acompanhar e dedicar-se a casos de sucesso em prol da ressocialização.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/ex-detenta-coordena-equipe-no-presidio-feminino-jose-abranches/

Gestão Anastasia: mais um criminoso, que integrava a lista do “Procura-se”, é detido em Minas Gerais

No mês de abril, pela segunda vez consecutiva, o Disque Denúncia Unificado bateu recorde histórico de denúncias recebidas

SEDS / Divulgação
Em abril, o Disque Denúncia recebeu 8.319 ligações, o maior número desde o lançamento do serviço
Em abril, o Disque Denúncia recebeu 8.319 ligações, o maior número desde o lançamento do serviço

Foi preso na madrugada desta quinta-feira (03) mais um integrante da lista do “Procura-se”, programa que lista os criminosos mais procurados do Estado. Wagner Luiz da Silva, 31 anos, também conhecido como “Fumaça”, foi detido pela Polícia Civil no município de Alvinópolis, na região Central de Minas Gerais, após investigações da Delegacia de Homicídios Leste. Ele é o décimo primeiro integrante do “Procura-se” a ser preso.

Wagner Luiz da Silva é procurado por homicídio e tráfico de drogas e teve o rosto estampado nas duas fases do programa “Procura-se”. Desde o lançamento da campanha, em outubro de 2011, o serviço 181 Disque Denúncia Unificado (DDU) recebeu 18 denúncias anônimas sobre o paradeiro do criminoso. Uma dessas denúncias, recebida no dia 14 de fevereiro, informava um possível endereço onde “Fumaça” estaria escondido, no município de Alvinópolis, bem como detalhes da moto usada por ele. A denúncia foi encaminhada à Polícia Civil como complemento às investigações.

Recorde

No mês de abril, pela segunda vez consecutiva, o Disque Denúncia Unificado bateu seu recorde histórico de denúncias recebidas. Foram 8.319 denúncias feitas ao 181 no mês passado, o maior número desde o lançamento do serviço, em 2007.

O programa “Procura-se” consiste na afixação de cartazes pelas cidades com fotos de foragidos da Justiça, com o objetivo de efetuar a prisão dos criminosos e inibir a sua circulação, por meio da participação da sociedade com denúncias ao 181. O projeto é da Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds), em parceria com a Polícia Militar, Polícia Civil, Corpo de Bombeiros Militar e Instituto Minas pela Paz.

Em sua primeira fase, o “Procura-se” teve início pela 1ª Região Integrada de Segurança Pública (1ª RISP) e, em dezembro de 2011, se estendeu para a Região Metropolitana de Belo Horizonte, abrangendo também a 2ª e a 3ª RISPs.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/mais-um-criminoso-que-integrava-a-lista-do-procura-se-e-detido-em-minas-gerais/

Governo de Minas: Vila Sumaré terá ações do Rua Livre neste sábado em Belo Horizonte

Haverá atendimento de assistentes sociais, psicólogos, advogados, atividades culturais, recreativas e palestras

Divulgação/Seds
Carreta do Rua Livre funciona de escritório e consultório
Carreta do Rua Livre funciona de escritório e consultório

Cerca de 1.500 moradores da região Noroeste de Belo Horizonte participam, neste sábado (28), de uma ação de prevenção ao uso de drogas e de acolhimento de usuários. A carreta do Projeto Rua Livre, projeto que integra o Programa Aliança pela Vida, da Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds), estará no bairro Vila Sumaré, a partir das 13h.

No local haverá atendimento de assistentes sociais, psicólogos e advogados e também atividades culturais, recreativas e palestras sobre planejamento familiar, empregabilidade, saúde e pedofilia. As atividades ocorrem com apoio e participação de igrejas evangélicas de Belo Horizonte, que possuem trabalhos de tratamento de dependentes químicos em comunidades terapêuticas.

O secretário de Políticas Sobre Drogas, Cloves Benevides, explica que o Rua Livre passou por uma reformulação e agora integra uma programação de música, dança e recreação para jovens e adultos. “Continuamos com a presença de uma equipe multidisciplinar de profissionais para acolher e dar informações sobre a infraestrutura disponível para o tratamento de dependências químicas”, explica Benevides. A carreta do Rua Livre funcionará como escritório e consultório.

Programação

Haverá recreação infantil, palestras e oficina de beleza, na qual serão oferecidos serviços de corte de cabelo, pintura e maquiagem, entre outros. O evento segue até às 21h30 com grupos de pagode, pop rock e outros ritmos, animados por vários músicos e grupos como Cris do Morro e Banda, Dinei Santos, Banda do Dogão, Banda Invoca-me, Grupo CBGD.

O Programa Aliança pela Vida foi lançado em agosto de 2011 pelo governador Antonio Anastasia para o combate e prevenção às drogas, como resultado de um decreto assinado pelo governador determinando a aplicação de até 1% do orçamento de órgãos e secretarias do Estado que desenvolvam programas sociais a projetos de prevenção e combate às drogas.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/vila-sumare-tera-acoes-do-rua-livre-neste-sabado-em-belo-horizonte/

Governo de Minas: Seds empossa novos membros do Conselho de Criminologia

Órgão é responsável por oferecer subsídios para implantação de política prisional do Estado

Divulgação / SEDS
Para secretário Rômulo Ferraz, conselho é de fundamental importância para o sistema de Defesa Social de Minas
Para secretário Rômulo Ferraz, conselho é de fundamental importância para o sistema de Defesa Social de Minas

Os novos membros do Conselho de Criminologia e Política Criminal de Minas Gerais tomaram posse nesta quarta-feira (25), no Prédio Minas da Cidade Administrativa Presidente Tancredo Neves, em Belo Horizonte. O conselho é um órgão subordinado à Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds) e tem por finalidade oferecer subsídios à formulação e à implantação da política prisional do Estado, observadas as diretrizes da política penitenciária nacional.

Foram empossados: o procurador de Justiça Antônio de Pádova Marchi Júnior; o representante da Associação Comercial de Minas (Aceminas), Carlos Henrique Magalhães Marques; a defensora pública Marina Lage Pessoa da Costa; o representante da Federação das Indústrias de Minas Gerais (Fiemg), Osmani Teixeira de Abreu, o deputado estadual Sebastião Costa da Silva e a professora de Administração, Valéria Evangelista. Todos assumem a vaga para um mandato de quatro anos.

Na solenidade, também foram reempossados o juiz de Direito, Juarez Morais de Azevedo; a desembargadora Jane Ribeiro Silva; os advogados e professores Décio Fulgêncio Alves da Cunha, Celso de Magalhães Pinto e Marcos Afonso de Souza; além do advogado e ex-juiz Federal, Antônio de Paula Oliveira, e o delegado geral, Paulo Roberto de Souza.

Política

Os conselheiros, que se reúnem duas vezes por semana, são escolhidos entre professores e profissionais das áreas do Direito Penal, Processual Penal e Penitenciário, de Criminologia, de Ciências Sociais, além de representantes da sociedade. Entre suas atribuições, destaca-se a contribuição para a investigação criminológica e análise de aspectos sociais e técnicos de projetos que visem à participação da comunidade em programas de tratamento penitenciário, assistência pós-penal e prevenção de marginalização social. O secretário de Defesa Social, Rômulo Ferraz, que deu posse aos membros, fez questão de destacar, durante a solenidade, que a “atuação dos conselheiros é de fundamental importância para o Sistema de Defesa Social.”

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/seds-empossa-novos-membros-do-conselho-de-criminologia/

Governo de Minas: detentos fazem plantio de mudas em estrada de Ponte Nova

Com o treinamento do Instituto Estadual de Florestas os presos do Complexo Penitenciário de Ponte Nova aprenderam um novo trabalho

Divulgação Seds
Detentos plantam mudas em Ponte Nova
Detentos plantam mudas em Ponte Nova

Quatorze presos do Complexo Penitenciário de Ponte Nova, na Zona da Mata, realizaram, na manhã desta sexta-feira (20), o plantio de 50 mudas na estrada que dá acesso à unidade prisional. A ação é uma iniciativa conjunta da Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds) e da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad), em parceria com o Escritório de Prioridades Estratégicas do Governo de Minas e com o Departamento de Estradas de Rodagem de Minas Gerais (DER-MG).

Na última semana, os presos e dois agentes penitenciários receberam capacitação para a produção e manejo de mudas no viveiro do Instituto Estadual de Florestas (IEF). Os detentos, de todos do regime semiaberto, foram escolhidos por uma Comissão Técnica de Classificação (CTC) e capacitados por instrutores do IEF, que fizeram a doação das mudas. Além dessa capacitação, os presos também receberam treinamento em educação ambiental e fizeram um curso para serem brigadistas de combate a incêndios florestais.

Para o Superintendente de Atendimento ao Preso da Seds, Helil Bruzadelli, a ressocialização é uma das principais políticas do sistema prisional mineiro. “Minas Gerais é referência nacional em trabalho de presos. Nossa intenção é expandir esse projeto desenvolvido em Ponte Nova para as demais unidades do Estado, a partir da experiência vivenciada aqui”, destaca.

Durante a solenidade, o representante regional do IEF, Alberto Iasbik, falou da importância de capacitar os presos em trabalhos de cunho ambiental. “Com os plantios de mudas estamos recuperando a vegetação nativa dos biomas do Estado. Apenas na Zona da Mata já foram 1.500 hectares de mudas nativas plantadas”. Alberto explicou que a produção de mudas contribui para o projeto de arborização urbana e, ao final, entregou certificados de conclusão do curso de brigadista aos 14 presos participantes. A partir de segunda-feira (23), quatro detentos já estarão trabalhando no viveiro do IEF, próximo à unidade prisional.

O prefeito de Ponte Nova, João Antônio Vidal de Carvalho, e o secretário municipal de Meio Ambiente, Marcelo Magalhães, também participaram da solenidade. “Estamos gratificados em poder contribuir com essa iniciativa”, ressaltou o secretário.

Projeto Árvores nas Estradas

A representante do Escritório de Prioridades do Governo, Letícia Torres, ressaltou que o Escritório tem como missão ser parceiro fundamental dos diversos órgãos na execução das prioridades estratégicas do Estado. “O mote do nosso governo é a gestão para a cidadania. Essa parceria que celebramos hoje é um exemplo desse trabalho de incluir o cidadão nas ações do Estado” afirma.

O projeto “Árvores nas Estradas” surgiu na 1ª reunião do Fórum Minas de Ideias, do Movimento Minas, em junho de 2011. O Movimento Minas, um dos projetos da Gestão para a Cidadania, tem como objetivo incentivar o cidadão a participar das ações governamentais. Em novembro de 2011, detentos de Teófilo Otoni também realizaram o plantio de mudas em rodovias da região.

Trabalho

Em todo o Estado, cerca de doze mil presos trabalham. Pelo trabalho, os detentos recebem redução da pena – a cada três dias trabalhados, um a menos na sentença a ser cumprida – e, em muitos casos, são também remunerados. Apenas em Ponte Nova são 140 detentos trabalhando nas mais diversas atividades, incluindo fábrica de gaiolas, capa de colchões, blocos, horta comunitária, fabricação de bolas e marcenaria.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/detentos-fazem-plantio-de-mudas-em-estrada-de-ponte-nova/

Governo de Minas: detentos e agentes penitenciários recebem formação para combate a incêndios

Iniciativa faz parte do Movimento Minas, que incorpora a sociedade civil nas ações de governo

Sisema / Divulgação
Curso tem como objetivo preparar os detentos e agentes para o combate a incêndios florestais
Curso tem como objetivo preparar os detentos e agentes para o combate a incêndios florestais

Uma parceria realizada entre o Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Sisema), a Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds), o Escritório de Prioridades Estratégicas do Governo de Minas e o Departamento de Estradas de Rodagem de Minas Gerais (DER), promoveu um curso para formação de brigadistas, voltado para detentos e agentes do complexo Penitenciário de Ponte Nova, na Zona da Mata. O treinamento, que teve duração de três dias, foi concluído nesta quarta-feira (18).

O curso tem como objetivo preparar os detentos e agentes para o combate a incêndios florestais, por meio de atividades teóricas e práticas. A turma, composta por 14 detentos e dois agentes penitenciários, recebeu instruções quanto ao comportamento do fogo, tipos de incêndios florestais, estratégias de combate e noções de segurança nas operações, além de uma aula prática de combate às queimadas.

A capacitação foi ministrada pela equipe do Programa de Prevenção e Combate a Incêndios Florestais (Previncêndio), da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável de Minas Gerais (Semad), e pelo Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais (CBMMG). Os detentos participantes foram selecionados para os cursos a partir de seleções feitas pela Comissão de Classificação da Seds.

Para o detento Marcos Divino de Almeida, o curso é uma oportunidade de trabalho quando obter a liberdade. “O curso é muito bom e estou aprendendo bastante coisa que eu não sabia. Além de poder passar os ensinamentos para outros presos e tomar mais cuidado na hora de apagar o fogo, poderei conseguir um emprego na área quando terminar de cumprir minha pena”, disse.

José Aparecido de Assis, outro detento participante do curso, também destaca a importância do curso. “Estou achando muito bom, o curso está me favorecendo e me dando mais conhecimento para que no futuro eu possa também auxiliar a sociedade. Espero que outros presos também tenham a mesma oportunidade que nós”, destaca.

Parcerias

A formação de detentos e agentes penitenciários é uma das iniciativas do Movimento Minas, Projeto de Gestão para a Cidadania, que incorpora como principal desafio para o Governo de Minas Gerais a participação da sociedade civil organizada na priorização das ações estratégicas.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/detentos-e-agentes-penitenciarios-recebem-formacao-para-combate-a-incendios/