Gestão Anastasia: governo discute políticas e diretrizes para desenvolvimento tecnológico

Conselho estadual contribui na formulação e implantação de projetos científicos, tecnológicos e de inovação

Divulgação/Sectes
Projetos científicos, tecnológicos e de inovação foram discutidos na 59ª reunião ordinária do Conselho Estadual de Ciência e Tecnologia (Conecit)
Projetos científicos, tecnológicos e de inovação foram discutidos na 59ª reunião ordinária do Conselho Estadual de Ciência e Tecnologia (Conecit)

Os principais desafios da ciência, tecnologia, inovação e do ensino superior, foram colocados em pauta na 59ª reunião ordinária do Conselho Estadual de Ciência e Tecnologia (Conecit), realizada nesta segunda-feira (16), na Cidade Administrativa Tancredo Neves. Na ocasião foi reafirmada a importância de se gerar pesquisa e inovação para o desenvolvimento econômico do Estado. Houve posse dos novos conselheiros e apresentação dos principais programas e projetos em andamento na Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sectes).

O presidente do conselho, o secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Narcio Rodrigues, destacou a convivência absolutamente produtiva do Governo de Minas com o Legislativo, e que a participação e a integração são essenciais para o sucesso das ações. “Queremos propor a este conselho uma reestruturação e estimular os nossos objetivos, e assim inserir Minas Gerais efetivamente na sociedade da ciência e do conhecimento. E que até o ano de 2014, as nossas ações estejam materializadas”, comentou Rodrigues.

Na oportunidade, Narcio Rodrigues pontuou os principais programas e ações do Governo de Minas focadas no desenvolvimento científico e tecnológico, e de ensino superior, partindo da estratégia governamental e da Rede de Ciência, Tecnologia e Inovação.

O secretário apontou pontos como a Rede de Inovação Tecnológica e Cidadania Digital, que tem como prioridade consolidar as plataformas estabelecidas, por meio dos Arranjos Produtivos Locais (APLs), dos Polos de Excelência, dos Polos de Inovação e dos Parques Tecnológicos e Incubadoras de Empresa, reestruturando também a Rede de Centros Vocacionais Tecnológicos (CVTs) de Minas Gerais. A expansão do ensino superior, que tem como meta ampliar a oferta do ensino, redefinindo o papel das universidades estaduais, pactuando uma ação conjunta com todas as instituições de ensino superior e buscando, pela educação a distância, a interiorização e a democratização do acesso.

Outros dois pontos estratégicos do Governo de Minas foram apresentados, como a implementação da Cidade da Ciência e do Conhecimento em Belo Horizonte, que irá juntar no mesmo espaço, instituições ligadas à pesquisa, à produção e à difusão do conhecimento, assim como a Cidade das Águas (Unesco-Hidroex) e outras prioridades em andamento, como o Observatório De Águas  Minas – Inhotim, Instituto Bioerg, Complexo Aeronáutico de Minas Gerais e o centro de referência C-Minas.

Durante a apresentação foram feitas intervenções extremamente positiva dos conselheiros empossados, assim como sugestões para levar adiante as políticas propostas ou em andamento. “Acredito que este seja um momento história para Minas, porque de forma democrática este Conselho reúne pessoas e segmentos importantíssimos que vão permitir que o Estado possa dar um passo enorme, sobretudo em relação aos avanços tecnológicos e do ensino superior” comenta o representante da Assembleia Legislativa, deputado Bosco.

Os membros empossados do Conecit — que representam o governo mineiro, cientistas e sociedade civil organizada — são: Fábio Veras de Souza da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sede); Paulo Afonso Romano da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa); Soraya Naffah Ferreira da Secretaria de Estado da Fazenda (SEF); Adriano Sperandio Sá da Secretaria de Estado de Saúde (SES); deputado Bosco Assembleia Legislativa do Estado de Minas Gerais (ALMG); Mário Neto Borges Fundação de Amparo à Pesquisa do estado de Minas Gerais (Fapemig); Paulo Márcio Faria (reitor da Unifal e presidente do Fórum das IPES), João dos Reis Canela Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes); Renato Lima dos Santos (representante dos cientistas e tecnólogos); Áureo Eduardo Magalhães Ribeiro e Lourdes Aparecida de Jesus Vasconcelos (representantes dos trabalhadores). Da Sectes foram empossados Narcio Rodrigues como presidente do Conecit e Osmar Aleixo Rodrigues Filho, secretário executivo.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/governo-discute-politicas-e-diretrizes-para-desenvolvimento-tecnologico/

Blog do Anastasia – Governo de Minas: fiscalização do trânsito de animais e vegetais em Minas aumentou em 2011

BELO HORIZONTE (23/01/12) – Para controlar o transporte de animais e vegetais no Estado, o Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA), por meio de suas barreiras fixas, fiscalizou em 2011 mais de 140 mil documentos sanitários de permissão para transporte de animais, vegetais, seus produtos e subprodutos nas rodovias de Minas Gerais, sendo inspecionadas 10 mil documentações a mais que no ano de 2010.

Dados da Coordenadoria de Apoio à Operação Fiscal (COF) do instituto indicam que, desse total, 63.956 correspondem a documentos de Guia de Trânsito Animal (GTA) e 85.431 de Permissão de Trânsito de Vegetais (PTV).

O objetivo de fiscalizar a documentação sanitária para o transporte de animais é controlar o trânsito (incluindo o de produtos e subprodutos de origem animal) para garantir que esses produtos sejam transportados em condições adequadas, com proteção contra alterações e danos, para impedir a contaminação e proliferação de micro-organismos que possam ser prejudiciais à saúde humana.

Sendo assim, todo veículo que transporta produtos de origem animal está sujeito à fiscalização do IMA. Os produtos também devem estar devidamente identificados com rótulos, lacres, carimbos e chancelas de inspeção, esta última, indispensável a todos que são de origem animal.

Já as fiscalizações dos documentos para o transporte de vegetais visa impedir a disseminação de pragas no Estado. O trabalho é feito por meio de inspeções das cargas, aferição de notas fiscais, além da conferência da própria PTV. Todos esses documentos são exigidos por lei. A vistoria desta documentação acontece nas barreiras fixas de fiscalização sanitária e durante as blitze realizadas nas rodovias estaduais.

O IMA conta, atualmente, com 16 barreiras sanitárias fixas, que funcionam 24 horas por dia, em regime de plantão. A maioria trabalha em conjunto às barreiras fiscais da Secretaria de Estado da Fazenda (SEF) e contam com o apoio da Polícia Militar de Minas Gerais (PMMG) e Polícia Rodoviária Federal.

Os municípios onde essas unidades estão instaladas são Além Paraíba, Borda da Mata, Carneirinho, Córrego Danta, Conceição das Alagoas, Contagem, Delta, Divisa Alegre, Espinosa, Extrema, Fronteira, Martins Soares, Matias Barbosa, Teófilo Otoni, Paracatu e Planura. E se encontram na divisa entre os estados do Rio de Janeiro, Mato Grosso do Sul, São Paulo, Bahia, Espírito Santo e Goiás.

De acordo com o diretor-geral do IMA, Altino Rodrigues Neto, o balanço de fiscalizações realizadas durante o ano de 2011 foi positivo. Para ele, o controle intensivo do trânsito é uma ação de extrema importância, que colabora para o rastreamento de cargas em Minas. “A vigilância nas divisas do Estado colabora com a investigação e identificação de cargas irregulares, através de um controle on-line do trânsito de animais e vegetais, evitando que doenças e pragas sejam disseminadas”, informa.

Aumento das fiscalizações móveis

Outra estratégia utilizada pelo IMA para assegurar produtos e subprodutos de origem animal e vegetal de qualidade é a realização de fiscalizações móveis em todo o território mineiro: as blitze.

Essas operações, assim como as barreiras de fiscalizações fixas, visam à checagem da carga dos veículos e a verificação de documentos sanitários, como GTA e PTV. O número de fiscalizações móveis tem aumentando a cada ano. Em 2008 foram 792, chegando em 2009 a 1.022 e, em 2010, a 1.132 blitze. Durante 2011, foram realizadas 1.220 blitze, com a fiscalização de 49.871 veículos no Estado, sendo 2.710 veículos a mais que o ano anterior.

Fonte: Agência Minas