Gestão da Educação: alunos de escola do Centro-Oeste criam projetos de cidades sustentáveis

Dentro do estudo da Língua Portuguesa, estudantes imaginam como devem ser as construções daqui a duas ou três décadas

Divulgação / SEE
Alunos de Carmo do Cajuru aprendem como transformar as cidades por meio de construções sustentáveis
Alunos de Carmo do Cajuru aprendem como transformar as cidades por meio de construções sustentáveis

Eles não são arquitetos, nem engenheiros, pelo menos ainda, mas já projetam a urbanização do planeta para o futuro. Cerca de 140 alunos do 8º ano do ensino fundamental da Escola Estadual Padre João Parreiras Vilaça, em Carmo do Cajuru, Centro-Oeste de Minas, participam do projeto “Designer Futurista: o impacto da ciência sobre a sociedade”. A ação, que tem o apoio da Secretaria de Estado da Educação, partiu da seguinte pergunta: como serão as cidades nos próximos 20, 30 anos?

O trabalho teve início com o estudo do gênero textual “ficção científica”, na disciplina Língua Portuguesa. Os estudantes realizaram leituras e pesquisas sobre como deverão ser pensadas as construções no futuro de modo que não prejudicassem o meio ambiente. “Após esse trabalho os nossos estudantes produziram textos nos quais destacavam como deveriam ser as construções dos prédios e casas no futuro. Essas obras deverão ser feitas sem prejuízo ao meio ambiente”, explica a professora Edna Matos.

Porém, o trabalho não parou nas ideias. Os estudantes também produziram maquetes nas quais apresentam propostas de construções de prédios e casas com um olhar na sustentabilidade. “O meu grupo desenvolveu uma maquete de como seria uma cidade sustentável. Pensamos que as construções deveriam utilizar tijolos ecológicos que são feitos de água, cimento e terra. Os prédios também deveriam ter mais vidros, pois isso facilita uma maior penetração da luz solar, fazendo com que as pessoas gastem menos energia elétrica”, detalha a estudante Laura Elisa Marra de Melo.

O grupo de Karollayne de Oliveira Vasconcelos, de 13 anos, mostrou que as mudanças também estarão no comportamento das pessoas. “Todo o lixo orgânico deverá ser transformado em adubo e distribuído às pessoas. As cidades vão contar com mais áreas de lazer, pois as pessoas vão trabalhar muito e, para não se estressarem, vão precisar sair mais”, adianta a estudante.

Para a confecção das maquetes a escola não poderia deixar o foco na sustentabilidade de lado. “Orientamos os nossos alunos que todos os materiais deveriam ser recicláveis. Então eles foram a fábricas de móveis, por exemplo, e recolheram chapas de madeira que não seriam utilizados. Os pais também colaboram com essa tarefa”, lembra a professora de Língua Portuguesa Ana Kátia Gonçalves Rabelo.

Lições aprendidas

Deixando a imaginação livre, mas sem tirar os pés da realidade, a educadora ainda destaca que o projeto é uma forma de pensar em um futuro ideal e começar a construí-lo desde já. “A gente vê nos noticiários que a natureza está se revoltando contra a gente. Precisamos mudar essa situação. Achei muito legal participar do projeto, porque com a correria do dia-a-dia, nós nem paramos para pensar em como ajudar o meio ambiente”, avalia Ana Kátia.

Com as maquetes produzidas pelos alunos do 8º ano do ensino fundamental, a escola vai organizar uma exposição. O trabalho poderá ser contemplado pelos demais alunos e familiares que passarem pelas dependências da escola.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/alunos-de-escola-do-centro-oeste-criam-projetos-de-cidades-sustentaveis/

Governo Anastasia: melhorias na alimentação escolar em Minas vão a debate em seminário

Seapa destaca que informação deve ser reforçada

A lei que estabelece o direito de todos os alunos matriculados na rede pública de ensino à alimentação irá a debate no segundo seminário regional para lançamento do Programa Estruturador Cultivar, Nutrir e Educar, do Governo de Minas. O evento será realizado nos dias 25 e 26 de abril, na cidade de Ipatinga, Vale do Rio Doce. A apresentação do tema será feita pelo superintendente de Agricultura Familiar (SAF) da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), José Antônio Ribeiro.

Conforme explica o superintendente, a Lei nº 11.947 de 2009 determinou, em seu artigo 14, que no mínimo 30% dos recursos repassados pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) para o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) sejam utilizados na aquisição de alimentos produzidos pela agricultura familiar. “A medida é obrigatória desde janeiro de 2010”, assinala. A lei é a base do programa estruturador, que tem a gestão compartilhada entre a Secretaria da Agricultura, Secretaria de Saúde, Secretaria de Educação, e Secretaria Executiva do Comitê Temático de Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável (CTSANS).

De acordo com Ribeiro, as medidas possibilitam o fortalecimento da atividade, gerando emprego e renda no campo, mas é fundamental que sejam amplamente difundidas principalmente entre as pessoas e instituições envolvidas nas ações da agricultura familiar.

Ele enfatiza que é necessário levar a informação sobre o programa a todos os segmentos que atuam na alimentação escolar. “Inclusive para esclarecer as pessoas envolvidas no preparo dos alimentos sobre as características do produto fornecido pela agricultura familiar”, explica o superintendente.

Outro desafio, segundo Ribeiro, é fazer alterações no cardápio básico das escolas para garantir um maior volume de produtos saudáveis. O fornecimento é garantido, pois o atendimento à rede escolar estadual (nível básico) depende do trabalho de 15 mil agricultores familiares, enquanto Minas Gerais conta com cerca de 720 mil em 440 mil propriedades.

Ribeiro ainda diz que está sendo estimulada a maior integração dos sistemas institucionais que participam do programa de abastecimento das escolas com produtos da agricultura familiar. Uma das propostas é a criação de comitês gestores para responder nos municípios pelas questões locais em relação ao programa.

Programação do seminário

A primeira palestra do seminário de Ipatinga, no dia 25, será “Binômio Educação e Nutrição: Direito Humano à Alimentação Saudável, Adequada e Solidária”, pelo presidente do Conselho de Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável de Minas Gerais (Consea-MG), Dom Mauro Morelli. Em seguida, a secretária-executiva do Comitê Temático de Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável, Jaqueline Junqueira abordará o “Programa Cultivar, Nutrir e Educar”.

Já no dia 26, a primeira palestra será de José Antônio Ribeiro (SAF), Desafios da Execução da Lei 11.947 de 2009. Em seguida, haverá apresentação sobre “Estratégias do Programa Estruturador Cultivar, Nutrir e Educar, por Jaqueline Miriam Maciel Junqueira, gerente do programa. O “Processo da Alimentação” será analisado pela gerente de Processo da Secretaria Estadual de Educação (SEE), Valéria Monteiro.

Depois, Ignes Botelho Figueiredo Matias, da SAF, vai falar sobre o projeto Fortalecimento da Agricultura Familiar para o Abastecimento Alimentar, do qual é gerente. Haverá ainda uma apresentação sobre Estratégias Nutricionais de Promoção à Saúde, por Marcelo Mascarenhas Corrêa, gerente de projeto da Secretaria Estadual de Saúde (SES).

Trabalho em parceria

O seminário de Ipatinga terá a participação também de representantes dos municípios de Belo Oriente, Bom Jesus do Galho, Caratinga, Iapu, Inhapim, Ipaba, Mesquita, Periquito e Tarumirim. É o segundo dos quatro encontros que serão promovidos no Estado. O primeiro foi realizado nos dias 11 e 12 de abril, em Taiobeiras, município do Norte de Minas. Os próximos serão em Viçosa, na Zona da Mata (9 e 10 de maio), e em Capelinha, Vale do Jequitinhonha  (30 e 31 de maio).

A série de eventos está sendo executada pela Secretaria-Geral da Governadoria por meio da Secretaria Executiva do Comitê Temático de Segurança Alimentar e Nutricional (CTSANS); Secretaria de Estado da Educação (SEE), por meio da Subsecretaria de Administração do Sistema Educacional; Secretaria de Estado da Saúde (SES) por meio da Subsecretaria de Vigilância e Proteção à Saúde; e Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento por meio da Subsecretaria de Agricultura Familiar (SAF).

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/melhorias-na-alimentacao-escolar-em-minas-vao-a-debate-em-seminario/

Gestão da Educação: inscrições para os Exames Supletivos do primeiro semestre de 2012 começam nesta quarta-feira

Inscrições dos candidatos que buscam certificação devem ser feitas pela internet até 13 de maio

Começam nesta quarta-feira (18), as inscrições para os Exames Supletivos do primeiro semestre de 2012. Os jovens e adultos interessados em fazer as provas e conseguir os certificados de conclusão do ensino fundamental ou médio, devem fazer a inscrição pela internet, no site www.educacao.mg.gov.br/supletivo, até o dia 13 de maio. Para se inscrever, os candidatos devem ter idade mínima de 15 anos para o ensino fundamental e 18 anos para o ensino médio, completos ou a completar até o dia 15 de julho, data de término da realização das provas.

Candidatos que não têm acesso à internet poderão se inscrever nas Superintendências Regionais de Ensino (SREs) entre os dias 18 de abril a 11 de maio.  O valor da taxa é de R$ 6,00, por área de conhecimento. A taxa de inscrição deverá ser paga com boleto bancário, emitido no ato da inscrição, nos guichês dos bancos conveniados. Para se inscrever é necessário o documento de identificação e CPF.

As inscrições dos candidatos presos ou em cumprimento de medida socioeducativa em regime de internato serão efetuadas pelas próprias unidades prisionais, centros e associações, no período de 18/04/2012 a 08/05/2012.

“É importante que os candidatos não deixem para fazer a inscrição na última hora e que lembrem que a inscrição só será efetivada quando a taxa de inscrição for paga”, destaca a diretora de Educação de Jovens e Adultos da Secretaria de Estado de Educação, Edir Petruceli Carayon Xavier.

O candidato inscrito deverá emitir seu comprovante definitivo, contendo o local da prova, data e horário, a partir do dia 04 de junho. As provas serão realizadas nos dias 14 e 15 de julho nos períodos da manhã e da tarde. O edital e os programas de estudo também estão disponíveis no site do supletivo (http://www.supletivomg.caedufjf.net/supletivo/docs/Edital2012_1.pdf).

Isenção da taxa de inscrição

Uma parceria entre a Secretaria de Estado da Educação (SEE) e a Secretaria de Estado de Trabalho e Emprego (SETE) vai beneficiar quem pretende retomar os estudos, mas está desempregado e, portanto, não tem condições de pagar pela inscrição. O candidato desempregado poderá se inscrever, com isenção da taxa, em no máximo duas áreas de conhecimento, até o dia 8 de maio. Nesse caso, a inscrição deve ser feita nos Postos do Sine, (relacionados no anexo III do edital) no período de 18/04 a 08/05. O candidato desempregado que após ter realizado sua inscrição no Sine desejar inscrever-se em mais áreas do conhecimento poderá realizar a inscrição dessas áreas, via internet, efetuando o pagamento da taxa.

Disciplinas avaliadas

Os Exames Supletivos do Ensino Fundamental e Médio serão oferecidos por área de conhecimento. Os candidatos do Ensino Fundamental farão provas de Língua Portuguesa, Língua Estrangeira Moderna (Inglês), Artes, Educação Física e Redação, Matemática, História e Geografia e Ciências Naturais. Já para o Ensino Médio as provas serão de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias e Redação (Língua Portuguesa, Língua Estrangeira Moderna, Arte e Educação Física), Matemática e suas Tecnologias (Matemática), Ciências Humanas e suas Tecnologias (História, Geografia, Filosofia e Sociologia) e Ciências da Natureza e suas Tecnologias (Química, Física e Biologia).

O programa de estudos para cada disciplina também está disponível na página do supletivo (http://www.supletivomg.caedufjf.net/supletivo/inicio.faces).

Os gabaritos oficiais serão divulgados no dia seguinte à realização do exame pelo site do supletivo.  Serão considerados aprovados os candidatos que obtiverem um mínimo de 50% dos pontos em cada área de conhecimento. O resultado oficial dos Exames Supletivos será divulgado a partir do dia 24 de agosto, nos sites pelos sítios eletrônicos www.educacao.mg.gov.br/supletivo e www.supletivomg.caedufjf.net.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/inscricoes-para-os-exames-supletivos-do-primeiro-semestre-de-2012-comecam-nesta-quarta-feira/

Gestão da Educação: projeto em escola do Sul de Minas ensina cidadania e solidariedade

Alunos de Boa Esperança já arrecadaram mais de duas toneladas de alimentos e entregaram a famílias carentes

Divulgação
Alunos e professores doam cestas básicas arrecadadas a famílias carentes
Alunos e professores doam cestas básicas arrecadadas a famílias carentes

Educação e solidariedade caminham lado a lado na Escola Estadual Casimiro Silva, no município de Boa Esperança, no Sul de Minas. Alunos da instituição conseguiram arrecadar neste ano mais de duas toneladas de alimentos, que foram doados para famílias carentes do município. A ação faz parte do projeto Saúde em Foco, criado na própria escola com o objetivo desenvolver com os alunos ações que envolvam várias disciplinas do currículo básico ao mesmo tempo, mas que são voltadas para ações de solidariedade e o bem-estar da comunidade. A iniciativa segue diretriz da Secretaria de Estado da Educação (SEE) que incentiva a elaboração e a realização de projetos que complementem a formação do estudante da escola pública .

Os alimentos foram arrecadados em uma gincana realizada entre os alunos da escola Casimiro Silva. Após a arrecadação, foi feito um verdadeiro mutirão para montar cerca de 100 cestas básicas, que foram destinadas a famílias carentes indicadas pelos próprios alunos.

A equipe vencedora arrecadou cerca de 300 quilos e ganhou um passeio por um clube da cidade. Pedro Henrique Felício Ribeiro, de 13 anos, um dos alunos da turma vencedora, diz que ele e os colegas ficaram felizes com o gesto de solidariedade. “Todos da turma ficaram empolgados com o projeto. Nós passamos de casa em casa para arrecadar os alimentos. Também trouxemos de nossas casas alimentos como arroz e açúcar, pois eram os que as famílias mais precisavam”, explica o estudante do 8º ano.

O contato com as famílias durante a entrega das cestas foi vivenciado por Otávio José dos Reis Silva, de 13 anos. O estudante do 8º ano confessa que quando ajuda o próximo se sente bem. “Foi muito bom, pois nós ajudamos famílias que precisavam. Algumas pessoas até se emocionaram com as cestas. Eu fiquei muito feliz, pois ajudar o próximo é muito bom. A pessoa quando ajuda tem uma sensação muito boa”, comenta.

Teatro

O ato em si já seria uma atitude louvável, mas alunos e professores resolveram exercer a cidadania sob vários aspectos. Ainda dentro do projeto Saúde em Foco, os estudantes do ensino médio ensaiaram peças da mitologia grega e apresentaram em entidades filantrópicas da cidade (creches, asilos e espaço para tratamento de dependentes químicos). O objetivo era levar alegria às pessoas que passam por algum tipo de dificuldade.

Em cada uma das encenações, os estudantes procuraram deixar nos locais em que visitaram um ensinamento. Com a peça ‘Caixa de Pandora’, os estudantes quiseram levar a lição da esperança; na peça ‘Penúria: você tem fome de que?’, foi destacado o nascimento do amor; e na encenação do ‘Mito da Caverna-Alegoria de Platão’, o foco estava na importância do conhecimento.

“Eles nos recepcionaram com muita educação e respeito e ficaram felizes, porque sabem que do lado de fora tem pessoas que se preocupam com eles e querem proporcionar a eles momentos de alegria. Foi uma experiência muito boa”, lembra a estudante Fernanda Ciribelle da Silva. As visitas ocorreram no final de março.

A professora Elenice de Lara Monteiro Miranda é uma das coordenadoras do projeto. De acordo com a educadora, as várias ações do projeto Saúde em Foco, mostram aos estudantes que muitas das melhorias desejadas para a sociedade podem ser feitas por eles mesmos. “O objetivo do projeto é conscientizar os adolescentes sobre como a esperança e a solidariedade podem vencer a injustiça social”, ressalta.

A ideia é que as ações do projeto também sejam realizadas de forma interdisciplinar com os conteúdos de Biologia, Física, Química, Matemática e Língua Portuguesa e Ciências para o ensino fundamental. Assim, as ações do ‘Saúde em Foco’ continuam durante o ano de 2012.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/projeto-em-escola-do-sul-de-minas-ensina-cidadania-e-solidariedade/

Governo de Minas: programa estruturador voltado à segurança alimentar será lançado em Taiobeiras

Governo de Minas também promoverá debates em Ipatinga, Viçosa e Capelinha

Divulgação/Emater
Governo de Minas estabeleceu a alimentação escolar de qualidade como uma prioridade na rede estadual de ensino
Governo de Minas estabeleceu a alimentação escolar de qualidade como uma prioridade na rede estadual de ensino

Cerca de 150 pessoas são esperadas no município de Taiobeiras, na região Norte de Minas, para o lançamento do Programa “Cultivar, Nutrir e Educar”, nos dias 11 e 12 de abril. O “Cultivar, Nutrir e Educar” é um dos programas estruturadores estabelecidos pelo Governo de Minas. A iniciativa tem por objetivo garantir o direito à alimentação saudável, adequada e solidária, contemplando o binômio “educação e nutrição”, para os alunos das escolas públicas estaduais de educação básica. Por meio deste programa, o Governo de Minas pretende fortalecer a agricultura familiar e promover o aprimoramento da educação alimentar e nutricional.

O evento será organizado pelo Conselho de Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável de Minas Gerais (Consea-MG). Este será o primeiro dos quatro encontros que serão realizados no Estado até maio deste ano. Além da reunião de Taiobeiras, o programa estruturador “Cultivar, Nutrir e Educar” também será tema de discussões em Ipatinga, no Vale do Aço, nos dias 25 e 26 de abril; em Viçosa, na Zona da Mata, nos dias 9 e 10 de maio; e em Capelinha, no Vale do Jequitinhonha, nos dias 30 e 31 de maio.

Também participam da realização do encontro a Secretaria-Geral da Governadoria do Estado de Minas Gerais, por meio da Secretaria Executiva do Comitê Temático de Segurança Alimentar e Nutricional (CTSANS); a Secretaria de Estado da Educação (SEE), por meio da Subsecretaria de Administração do Sistema Educacional; a Secretaria de Estado da Saúde (SES), por meio da Subsecretaria de Vigilância e Proteção à Saúde; e a Secretaria de Estado da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), por meio da Subsecretaria de Agricultura Familiar.

Segundo a secretária executiva do CTSANS, Jacqueline Junqueira, além de apresentar o programa, “o seminário visa promover a interlocução com os gestores locais, sejam da sociedade civil ou de órgãos públicos, para a implementação das ações nos municípios”. “Queremos informar às instituições e parceiros locais sobre o detalhamento das ações a serem desenvolvidas. De forma intersetorial e participativa, pretendemos envolvê-los no planejamento e execução do programa. Desta forma, vamos incentivar a formação de Comitê Gestor local, que será um meio fundamental para atender às necessidades específicas de cada município”, explicou.

Alimentação escolar

No país, a alimentação escolar é tratada como política pública fundamental desde a década de 1950, por proporcionar aos alunos acesso a refeições no período de permanência na escola. Segundo pesquisa do Instituto Brasileiro de Análises Sociais e Econômicas (Ibase), a alimentação escolar é, atualmente, a segunda forma mais importante de acesso à refeição para jovens e crianças em situação de pobreza ou extrema pobreza.

A lei federal 11.947/2009 determina que, no mínimo, 30% do recurso repassado pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) para o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) seja utilizado na aquisição de gêneros alimentícios da agricultura familiar. A lei atribui como competência dos estados a promoção da educação alimentar, nutricional sanitária e ambiental.

Neste contexto, o programa estruturador “Cultivar, Nutrir e Educar”, do Governo de Minas, tem como estratégia articular, entre as secretarias de Estado, demais órgãos e setores envolvidos, o fomento à produção de alimentos saudáveis, provenientes da agricultura familiar, para o abastecimento da rede pública estadual de ensino. O programa visa, ainda, o atendimento parcial das necessidades nutricionais dos alunos, de acordo com o tempo de permanência na escola; a promoção da educação alimentar e nutricional; a identificação de distúrbios nutricionais e encaminhamento para atenção básica; e a promoção de ações educativas em vigilância sanitária de alimentos.

Serviço

Lançamento do Programa Estruturador “Cultivar, Nutrir e Educar”

Local: Rua Mato Grosso, 450, Sagrada Família, Taiobeiras.

Datas: 11 e 12 de abril.

Mais informações: http://www.conselhos.mg.gov.br/consea

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/programa-estruturador-voltado-a-seguranca-alimentar-sera-lancado-em-taiobeiras/