Governo de Minas lança edição 2012 da revista do Arquivo Público Mineiro

Governo de Minas: Secretaria de Cultura lança nova edição da Revista do Arquivo Público Mineiro

Governo de Minas: Publicação traz reflexão sobre o tema “Bibliotecas, leitura e educação”

Fonte: Agência Minas

Divulgação

A Revista do Arquivo Público Mineiro teve o seu primeiro número lançado em 1896

A Revista do Arquivo Público Mineiro teve o seu primeiro número lançado em 1896

A Secretaria de Estado de Cultura (SEC), lançou nesta terça-feira (27), a Revista do Arquivo Público edição janeiro-dezembro 2012. Trata-se de uma publicação que está em circulação há 116 anos, dedicada aos estudos históricos sobre Minas Gerais. Esta nova edição, que contou com a coordenação de Luiz Carlos Villalta, professor associado do Departamento de História da Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas da UFMG, tem como tema ‘Bibliotecas, leitura e educação’, em que o livro é abordado em suas relações com outros elementos da cultura material, ou ainda, com as imagens e a oralidade.

Cinco artigos compõem o dossiê ‘Bibliotecas, leitura e educação’. São eles: ‘Escrever, ler e rezar’, de Leila Mezan Algranti; ‘Humanamente indispensável’, de Christianni Cardoso Morais; ‘O ouro das estantes’, de Laura de Mello e Souza; ‘Do impresso à pintura’, de Camila Fernanda Guimarães Santiago; e ‘Leituras Libertinas’, de Luiz Carlos Villalta.

O novo projeto gráfico, inaugurado em 2005, inovou em termos estéticos e de conteúdo, passando a veicular trabalhos resultantes de pesquisas universitárias nacionais e internacionais nas áreas de história e arquivística, além de introduzir as seções de entrevista e de resenhas bibliográficas referentes à produção historiográfica sobre minas gerais e brasil.

A secretária de Estado de Cultura, Eliane Parreiras, ressalta a importância da publicação para a democratização do acesso aos arquivos históricos produzidos no Estado. “A Revista do Arquivo Público Mineiro é a melhor expressão do compromisso histórico assumido pelo governo estadual em preservar, valorizar e divulgar o patrimônio material e imaterial de Minas. Temos orgulho em levar adiante esse projeto tão antigo e tão importante para a memória do povo mineiro”.

O conteúdo

A revista tem seus assuntos divididos em seções fixas. Nesta edição, a seção que traz o nome de ‘Dossiê’, a mais extensa da publicação, tem como tema a história da leitura e das bibliotecas mineiras coloniais. As matérias que compõem o ‘Dossiê’ têm as seguintes abordagens: os hábitos femininos de leitura dentro dos recolhimentos religiosos; o incentivo ao ensino da leitura promovido pelas câmaras coloniais; as coleções de livros especiais que eram mantidas por negociantes e artistas mineiros da época; a circulação de livros com conteúdo libertino, durante os últimos anos do século XVIII.

Outra seção, intitulada ‘Ensaios’, apresenta duas pesquisas recentes: ‘o povoamento do sertão da Mantiqueira’ e a ‘produção açucareira em Minas no século XIX’. Em ‘Arquivística’ o leitor encontra estudos que remetem à origem do Arquivo Público Mineiro, bem como uma análise sobre os desafios na gestão de grandes volumes documentais.

Já as seções ‘Estante’ e ‘Estante Antiga’ têm a função de trazer os últimos lançamentos de livros a respeito da história de Minas, sempre com sugestão de uma obra que componha o acervo da Biblioteca do Arquivo Público Mineiro. Como complemento, este volume ainda traz uma entrevista especial com o diretor do Arquivo Público Mineiro do Estado de São Paulo.

Revista do Arquivo Público Mineiro

Idealizada pelo fundador e primeiro diretor do Arquivo Público Mineiro, José Pedro Xavier da Veiga, a Revista do Arquivo Público Mineiro teve o seu primeiro número lançado em 1896. Naquela época, ao apresentar a publicação, Xavier da Veiga afirmava a necessidade de se organizar “séria e sistematicamente” os arquivos administrativos, históricos e políticos dispersos em Minas Gerais.

Desde 2005, graças ao esforço da Secretaria de Estado de Cultura, com apoio do Programa Cultural da Cemig, a Revista do Arquivo Público Mineiro está sendo publicada em uma nova versão, com projeto gráfico moderno que busca honrar a tradição da mais antiga revista de História de Minas Gerais.

Serviço:

Evento: Lançamento da Revista do Arquivo Público Mineiro

Local: Teatro da Biblioteca Pública Estadual Luiz de Bessa, Praça da Liberdade, 21

Data: 27 de novembro de 2012

Horário: 17h30

Informações: (31) 3269-1167

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/secretaria-de-cultura-lanca-nova-edicao-da-revista-do-arquivo-publico-mineiro/

Gestão Anastasia: Governo de Minas promove curso de capacitação para gestores de bibliotecas públicas municipais

Ação integra o programa “Construindo uma Minas leitora”, que implementa bibliotecas em municípios do interior, moderniza seus acervos e capacita seus gestores

A Superintendência de Bibliotecas Públicas de Minas Gerais, unidade da Secretaria de Estado de Cultura (SEC), por meio da Diretoria do Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas Municipais (SEBPM), realiza, de 22 a 24 de maio, o curso “Literatura: importância, mediação e suas formas de atuação dentro da biblioteca pública municipal”.

A ação integra o programa “Construindo Uma Minas Leitora”, que além de implementar bibliotecas nos municípios do interior do Estado, moderniza seus acervos e capacita seus gestores. De 2005 a 2012, o programa beneficiou 199 municípios, com a criação de 146 bibliotecas e modernização de outras 53. No período de 2007 a 2011, foram realizados 27 cursos e capacitação de 948 gestores.

“Os cursos de capacitação, já consolidados na atuação do Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas Municipais, visam à melhoria dos trabalhos realizados nas bibliotecas do Estado”, explica a diretora do SEBPM, Michelle Venuto.

A iniciativa é destinada a gestores e bibliotecários que atuam em bibliotecas públicas municipais, e tem como objetivo discutir e refletir a importância da literatura, visando à mediação da leitura literária, bem como o que vem a ser uma ação cultural dentro da biblioteca pública.

O curso será realizado no teatro da Biblioteca Pública Estadual Luiz de Bessa, em Belo Horizonte. Mais informações e inscrições pelo telefone (31) 3269-1202 ou pelo e-mail sistema.sub@cultura.mg.gov.br.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/governo-de-minas-promove-curso-de-capacitacao-para-gestores-de-bibliotecas-publicas-municipais/

Governo de Minas: Filme Girimunho estreia em BH após várias premiações internacionais

Longa metragem patrocinado pelo projeto Filme em Minas, do Governo do Estado, tem como cenário o Rio São Francisco

Divulgação / SEC
Filme retrata vida de comunidades no entorno do rio São Francisco
Filme retrata vida de comunidades no entorno do rio São Francisco

Após conquistar prêmios dos festivais de Veneza, Nantes, Havana, Mar Del Plata, o filme Girimunho, de Clarissa Campolina e Helvécio Martins Jr, estreia neste fim de semana em Belo Horizonte. Além de ser genuinamente mineira, tanto na temática quanto na produção, a obra foi realizada com recursos oriundos de dois editais do Filme em Minas (produção e distribuição), programa da Secretaria de Estado de Cultura (SEC) voltado para o setor áudio visual.

Depois de estrear em festivais internacionais de cinema, o filme foi exibido no Brasil, pela primeira vez, no Festival do Rio e depois participou das mostras de São Paulo, Tiradentes e da Janela do Recife. Neste mês de abril, o longa-metragem inicia seu percurso no circuito comercial dos cinemas brasileiros. Na capital mineira, ele ficará em cartaz no ‘Cine Belas Artes’ a partir dessa sexta-feira (27) , com exibições às 15h30 e 19h30. No sábado (28), terá exibição especial para a comunidade da cidade de São Romão, Norte de Minas, onde foi rodado.

Tendo como cenário os entornos do Rio São Francisco e a cidade de São Romão, no Norte de Minas, o filme começou a ser gestado há oito anos, quando os diretores trabalhavam no projeto Cinema no Rio, que tem a proposta de introduzir as comunidades ribeirinhas do São Francisco no universo cinematográfico, levando até essa população curtas e longas-metragens. Inseridos e familiarizados já com as paisagens e costumes locais, os diretores iniciaram as filmagens de Girimunho.

No enredo da obra, os contrastes estão em evidência. A dualidade da vida é exposta, denotando o movimento ao qual estamos todos regidos ao longo do caminho. Essa bilateralidade é percebida pela trajetória das personagens ‘Bastu’ e ‘Maria do Boi’.

É também marcante no filme a exaltação da vida pitoresca do sertão brasileiro de Guimarães Rosa, que é explicitada com carga subjetiva, pela vivência rica das personagens, que comungam de uma sabedoria ímpar calcada nas experiências empíricas adquiridas durante o percurso da vida, e somada ao aprendizado obtido nas tradições das gerações anteriores.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/filme-girimunho-estreia-em-bh-apos-varias-premiacoes-internacionais/

Gestão Eficiente: governo de Minas lança Núcleo de Interiorização da Cultura em Uberlândia

Haverá também encontro de secretários municipais de Cultura e gestores culturais

A Secretaria de Estado de Cultura (SEC) lança nesta segunda-feira (16), às 18h, mais um Núcleo de Interiorização, desta vez, em Uberlândia, no Triângulo Mineiro. O lançamento faz parte da estratégia da SEC de descentralizar e regionalizar suas ações, aumentando o diálogo com o interior de Minas Gerais e promovendo a gestão compartilhada da política cultural do Estado. O Núcleo de Interiorização de Uberlândia atenderá as demandas de artistas, produtores culturais e gestores públicos das macrorregiões do Triângulo Mineiro e do Alto Paranaíba, num total de 66 municípios.

Os Núcleos de Interiorização correspondem a representações físicas da Secretaria de Estado de Cultura no interior, com atuação em diversas frentes como mapeamento de manifestações, espaços e eventos culturais; dando apoio técnico a gestores de cultura e contribuindo para a implementação da rede de serviços da SEC nas localidades. Os núcleos serão responsáveis também por oferecer informações sobre os serviços do Sistema Estadual de Cultura; estimular parcerias; divulgar e apoiar as ações realizadas pela Secretaria e parceiros.

Em 2011, foram lançados os Núcleos de Interiorização de Araçuaí, com atuação nas macrorregiões dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri e do Norte de Minas; e de São João del-Rei, com presença nas macrorregiões Central e Noroeste. Neste ano, a Secretaria de Estado de Cultura lançou outros dois Núcleos: em Pouso Alegre, que atenderá às macrorregiões Sul e Centro-Oeste do Estado; e em Governador Valadares, com âmbito de atuação nas macrorregiões do Vale do Rio Doce e da Zona da Mata.

A secretária de Estado de Cultura, Eliane Parreiras, explica que os Núcleos de Interiorização da SEC fazem parte de uma estratégia inovadora de planejamento compartilhado da política cultural do Estado. “Cultura deve ser compreendida como instrumento de desenvolvimento, por meio de uma política cultural bem articulada, descentralizada e regionalizada. Nesse sentido, queremos qualificar o diálogo da SEC com os representantes do setor cultural do interior do Estado, localizando e atendendo às demandas específicas de cada macrorregião”, explica.

Atividades

O lançamento do Núcleo de Interiorização de Uberlândia terá início com a realização do I Encontro de Secretários Municipais de Cultura e Gestores Culturais das macrorregiões, onde serão definidas as prioridades dos gestores culturais públicos e privados. Em seguida, será criado um plano de orientação para a seleção das prioridades e elaboração de um cronograma de trabalho. Todo o processo será acompanhado pela equipe da Superintendência de Interiorização da SEC.

Posteriormente ao lançamento, serão realizados Encontros de Secretários Municipais de Cultura e Gestores Culturais em cada região. O evento terá a finalidade de qualificar os gestores e entidades culturais públicas e privadas com informações sobre fomento, investimento cultural e relações com o mercado.

O encontro terá como objetivos: apresentar os serviços oferecidos pelo Sistema Estadual de Cultura, incentivar o intercâmbio cultural, ampliar a capilaridade no acesso às informações culturais e intensificar a rede de articuladores da cultura em Minas Gerais. As vagas são limitadas e as inscrições devem ser feitas por e-mail (interiorizacao@cultura.mg.gov.br) ou telefone (31- 3915-2688).

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/governo-de-minas-lanca-nucleo-de-interiorizacao-da-cultura-em-uberlandia/

Gestão da Educação: em Minas, primeiro contato com mercado de trabalho ocorre já no ensino médio

Em 2011, Minas Gerais foi o segundo Estado que mais contratou menores e jovens aprendizes no país

Divulgação/Sete
Durante a audiência na Assembleia, o secretário Carlos Pimenta ressaltou a relevância do debate
Durante a audiência na Assembleia, o secretário Carlos Pimenta ressaltou a relevância do debate

O secretário de Estado de Trabalho e Emprego, Carlos Pimenta, e o coordenador do Observatório do Trabalho da Sete, Igor Coura, participaram de uma audiência pública, na Assembleia Legislativa de Minas Gerais, que teve como objetivo a discussão da inclusão do estágio na grade curricular do ensino médio da rede pública de educação e a inserção dos estudantes no mercado de trabalho. O autor do requerimento desta discussão, realizada pela Comissão do Trabalho, da Providência e da Ação Social da Assembleia, foi o deputado estadual Doutor Viana. A sessão foi presidida pela deputada Rosângela Reis.

Durante a audiência, o secretário Carlos Pimenta ressaltou a relevância do debate. “Essa é uma temática de suma importância para ser discutida, pois trata dos nossos jovens, do mercado de trabalho e do desenvolvimento do Estado. A taxa de desemprego entre os jovens não é satisfatória, bem como o rendimento e o tempo médio que eles ficam em uma empresa. Todos esses dados são inferiores quando comparados aos números gerais. Temos que mudar esse cenário, e, para isso, o Governo de Minas desenvolve várias ações voltadas para esse público”, destacou. “A inserção do estágio na grade curricular do ensino médio é um desafio necessário, pois o mercado de trabalho é dinâmico e exigente. Esse primeiro contato com o mercado, por meio do estágio, pode abrir muitas portas”, completou o secretário.

Igor Coura apresentou os dados sobre desemprego e ocupação dos jovens, com idade entre 16 e 29 anos, no mercado de trabalho e destacou as principais ações do Governo de Minas voltadas para as pessoas desta faixa etária, como o ProJovem Trabalhador, da Sete; o Programa de Educação Profissional (PEP) e o Reinventando o Ensino Médio, da Secretaria de Estado de Educação (SEE); o Poupança Jovem, da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese); o PlugMinas, da Secretaria de Estado de Cultura (SEC), em parceria com a Secretaria de Estado de Esportes e Juventude (Seej); e o Aliança pela Vida, que têm ações coordenadas pela Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds) e envolve diversos outros órgãos do Estado.

Destaque nacional

Minas Gerais foi o segundo Estado que mais contratou menores e jovens aprendizes no ano de 2011. Foram 32 mil admitidos. Configura-se como menor ou jovem aprendiz cidadãos com idade entre 14 e 24 anos que estejam matriculados, seja no ensino fundamental, médio ou algum outro curso de aprendizagem. Já em relação aos jovens que ingressaram no mercado de trabalho em seu primeiro emprego, o Estado admitiu cerca de 270 mil. O setor que mais contratou esse público foi o comércio, com 76.106 contratações, seguido pelo de serviços (70.510); indústria da transformação (66.673); construção civil (37.162).

De acordo com dados da Pesquisa por Amostra de Domicílios (PAD), da Fundação João Pinheiro, a taxa de desocupação entre os jovens, com idade entre 16 e 29 anos, no ano de 2009 (ano que foi realizada a última pesquisa com esse foco), foi de 12,8%, muito acima do índice de desemprego total apresentado no período que foi de 8%.

Já em relação ao rendimento desses jovens, pesquisa mais recente, divulgada pelo Ministério do Trabalho, por meio Cadastro Geral de Emprego e Desemprego (Caged), em 2011, aponta que o valor médio pago por hora é de R$3,80, enquanto a média geral é de R$4,90.  A mesma pesquisa aponta que o tempo médio que os jovens ficam em determinada empresa é de 8,9 meses. Já o dado do mercado em geral é de 15 meses.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/em-minas-primeiro-contato-com-mercado-de-trabalho-ocorre-ja-no-ensino-medio/

Governo de Minas: Alberto Pinto Coelho participa dos 40 anos do Palácio da Inconfidência

Governador em exercício destacou o papel do Legislativo para a democracia e o desenvolvimento do Estado

Omar Freire/Imprensa MG
Governador em exercício participa da Reunião Ordinária da ALMG, em que foram comemorados os 40 anos do Palácio da Inconfidência
Governador em exercício participa da Reunião Ordinária da ALMG, em que foram comemorados os 40 anos do Palácio da Inconfidência

O governador em exercício Alberto Pinto Coelho participou na tarde desta terça-feira (13) da Reunião Ordinária da Assembleia Legislativa do Estado (ALMG), em que foram comemorados os 40 anos do Palácio da Inconfidência, sede do parlamento mineiro. Durante a solenidade, Alberto Pinto Coelho, ex-presidente da Casa, ressaltou o papel do Legislativo para a democracia e o desenvolvimento constante de Minas Gerais.

“É uma solenidade expressiva, comemorando os 40 anos do Palácio dos Inconfidentes, essa Casa que faz parte da história política de Minas Gerais. Aqui passei 16 anos, quatro mandatos, tive a honra, por delegação de meus pares, de presidir o Parlamento por quatro anos. Hoje estou no Executivo, mas tenho nessa Casa a escola permanente de política. Ela nos ensina a conviver com os contrários, a estabelecer o contraditório, a respeitar aqueles que pensam diferente e, tanto quanto possível, buscar o consenso em torno das ideias para o desenvolvimento e crescimento da sociedade como um todo”, destacou Alberto.

Para ele, a Assembleia colabora não só com a criação e elaboração de leis, mas com a discussão das propostas do Executivo, melhorando projetos e representando interesses de diferentes regiões e setores da sociedade. “Estou cada vez mais convencido e mais consciente de que o Legislativo é, por excelência, o Poder que representa com legitimidade inquestionável, a liberdade cidadã como espinha dorsal do Estado Democrático de Direito e dos valores republicanos”, afirmou.

A solenidade contou com a presença de deputados, ex-deputados, servidores e ex-servidores da Casa, além de engenheiros e arquitetos que participaram da construção do prédio. Durante a cerimônia, eles lembraram a importância da obra para a época. Inaugurado em março de 1972, o Palácio da Inconfidência foi tombado como patrimônio cultural de Belo Horizonte em 2009.

Convênio

Antes da reunião, no Salão Nobre da Casa, Alberto participou da assinatura de um convênio entre a Assembleia e a Secretaria de Estado de Cultura (SEC) para microfilmagem e digitalização de documentos da Assembleia Provincial (1835/1889), que estão no Arquivo Público Mineiro. São correspondências, atas e anotações que juntas somam cerca de 35 metros lineares de documentos.

Para o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Dinis Pinheiro, a parceria será mais um importante instrumento para se guardar a memória da política de Minas Gerais. “Nós temos que ter preocupação permanente em armazenar a História. A partir do momento em que você faz isso, você prepara o seu povo, a sua gente a ter um futuro melhor. Somente a História pode conceder ao povo a consciência de si mesmo. Nada melhor do que nos transportar ao nosso passado, rever as coisas boas e, evidentemente, nos qualificar para ter um futuro muito mais promissor e realizador”, afirmou.

A secretária de Estado de Cultura, Eliane Parreiras, explicou que a digitalização poderá facilitar o acesso do cidadão aos documentos. “Esse processo é muito importante. É um grande prazer para a Secretaria de Estado de Cultura, por meio do Arquivo Público Mineiro, fazer essa parceria com a Assembleia Legislativa, não só colaborando com a História Legislativa de Minas Gerais, mas também disponibilizando esse acervo para o público”, afirmou.

Fonte: Agência Minas

Gestão Anastasia: governo de Minas lança Núcleo de Interiorização da Cultura em Pouso Alegre

Haverá também encontro de secretários municipais e gestores culturais do Sul e Centro-Oeste do Estado

A Secretaria de Estado de Cultura (SEC) dá continuidade ao processo de descentralização e regionalização das políticas públicas para a área cultural e lança, nesta quinta-feira (15), seu terceiro Núcleo de Interiorização, desta vez, no município de Pouso Alegre, no Sul de Minas. Com âmbito de atuação no Sul e Centro-Oeste de Minas, o Núcleo de Interiorização funcionará como uma representação física da secretaria, promovendo e qualificando a interlocução com os 211 municípios das duas macrorregiões e atendendo às demandas de artistas, produtores culturais e gestores públicos locais.

O Núcleo de Pouso Alegre atuará em diversas frentes, como no mapeamento das manifestações culturais regionais; no levantamento de demandas dos setores artístico e cultural; no suporte técnico a prefeitos, secretários municipais de Cultura e demais gestores públicos do segmento cultural; na divulgação das ações e serviços do Sistema Estadual de Cultura junto aos municípios; na proposição de parcerias entre poder público, agentes culturais e iniciativa privada; entre outras funções.

A secretária de Estado de Cultura, Eliane Parreiras, explica que os núcleos de Interiorização fazem parte de uma estratégia do Governo de Minas de promover o planejamento compartilhado das políticas culturais, por meio de uma metodologia sustentável. “Acreditamos que o investimento em Cultura é sinônimo de investimento em desenvolvimento em todos os sentidos: humano, social e econômico. Queremos ampliar o diálogo com os agentes culturais dos municípios para que possamos desenhar uma estratégia de fomento mais focada e sistematizada”, ressalta.

Em 2011, foram lançados os núcleos de interiorização de Araçuaí, que atende os municípios das macrorregiões Norte de Minas, Vale do Jequitinhonha e Vale do Mucuri; e de São João del-Rei; com âmbito de atuação nas macrorregiões Central e Noroeste do Estado. Até o mês de abril, outros dois núcleos também serão inaugurados: em Governador Valadares, que atuará junto aos municípios das macrorregiões do Vale do Rio Doce e da Zona da Mata; e em Uberlândia, com foco nas macrorregiões do Triângulo Mineiro e do Alto Paranaíba.

Atividades

O lançamento do Núcleo de Interiorização de Pouso Alegre terá início com a realização do I Encontro de Secretários Municipais de Cultura e Gestores Culturais das macrorregiões do Sul e Centro-Oeste do Estado, onde serão definidas as prioridades dos gestores culturais públicos e privados. Em seguida, será criado um plano de orientação para a seleção das prioridades e elaboração de um cronograma de trabalho. Todo o processo será acompanhado pela equipe da Superintendência de Interiorização da SEC que, ao final, apresentará uma análise de resultados aos municípios. As vagas são limitadas e as inscrições devem ser feitas por e-mail (interiorizacao@cultura.mg.gov.br) ou telefone (31- 3915-2688).

O encontro terá como objetivos: apresentar os serviços oferecidos pelo Sistema Estadual de Cultura, incentivar o intercâmbio cultural, ampliar a capilaridade no acesso às informações culturais e intensificar a rede de articuladores da cultura em Minas Gerais.

Posteriormente ao lançamento, serão realizados encontros periódicos de secretários municipais de Cultura e gestores culturais em cada região. O evento terá a finalidade de qualificar os gestores e entidades culturais públicas e privadas com informações sobre fomento, investimento cultural e relações com o mercado.

Programação – Inauguração do Núcleo de Pouso Alegre

1º dia

– 18h – Credenciamento

– 18h – Apresentação Artística Local (a definir)

– 19h – Abertura Oficial

Palestra: Sistema Estadual de Cultura

Eliane Parreiras- Secretária de Estado de Cultura

2º dia

– Das 9h às 10h

– Palestra: Interiorização da Cultura com Fátima Tropia- Sup. de Interiorização

– Das 10h às 12h – Trabalhos Práticos

– Divisão em grupos: Levantamento das demandas dos participantes

Evento: Lançamento do Núcleo de Interiorização de Pouso Alegre,

macrorregião Sul e Centro-Oeste do estado

Local: Sede da Fiemg, Rua Adolfo Olinto, 316 – Centro – Pouso Alegre

Data: dia 15 de março de 2012

Hora: 18h

 

Outras Informações: Superintendência de Interiorização

Fone: (31) 3915-2688 ou pelo e-mail interiorização@cultura.mg.gov.br

Fonte: Agência Minas

Governador recebe equipe responsável por restaurar o acervo de livros da biblioteca do Palácio das Mangabeiras

Equipes da Biblioteca Pública Estadual Luiz de Bessa e do Arquivo Público Mineiro foram responsáveis pela restauração de 1.038 obras literárias

imagem.title
Anastasia recebeu a equipe responsável por restaurar as obras literáriasO governador Antonio Anastasia recebeu, nesta quinta-feira (16), no Palácio das Mangabeiras, equipes da Biblioteca Pública Estadual Luiz de Bessa e do Arquivo Público Mineiro responsáveis pela restauração do acervo de 1.038 obras literárias da biblioteca da residência oficial dos governadores de Minas. O trabalho foi orientado pela Secretaria de Estado de Cultura (SEC).

“Fiquei muito orgulhoso com o trabalho realizado pelos técnicos da nossa Biblioteca Pública e do Arquivo Público Mineiro, pela qualidade na restauração das obras raras que pertencem ao acervo da biblioteca do Palácio Mangabeiras. É um trabalho de excelente qualidade e que, de fato, permite a conservação desses livros que são patrimônio de todos os mineiros”, destacou o governador.

De acordo com a superintendente de Bibliotecas Públicas de Minas Gerais, Áurea Eloísa Godinho, foi feito um trabalho minucioso de restauração, higienização e de procedimentos adequados para conservação das obras. “A catalogação e o processamento técnico dos livros também foram realizados. O acervo da biblioteca do Mangabeiras está em uma base de dados informatizada, utilizando o Sistema Pergamum, mesma metodologia usada para catalogar os livros da Biblioteca Pública”, explicou.

Para o diretor de Conservação de Documentos do Arquivo Público Mineiro, Pedro de Brito Soares, a integração e a cooperação entre as equipes dos dois órgãos foram fundamentais no processo de restauração. “Além disso, contamos com o valoroso trabalho de três graduandos do curso de Conservação e Restauração de Bens Culturais Móveis, da UFMG. Este projeto também possibilitou a formação deles”, disse Pedro.

A diretora de Formação e Processamento Técnico de Acervos da Biblioteca Luiz de Bessa, Maria da Conceição Araújo, contou que foram utilizadas as mesmas técnicas de restauração e cuidados tomados com as obras raras e patrimoniais da Biblioteca Pública.

Quinze pessoas, entre técnicos e bibliotecários, trabalharam na restauração dos livros durante quatro meses. O acervo da biblioteca do Palácio das Mangabeiras é composto por coleções de Rui Barbosa, Machado de Assis e Monteiro Lobato, obras de Direito, Constituições comentadas, enciclopédias, dicionários, livros de arte e de música, dentre outras.

Patrimônio público

Minas Gerais possui a maior rede de bibliotecas públicas do país, com 832 bibliotecas, instaladas em 800 municípios mineiros. A Biblioteca Pública Luiz de Bessa possui um arquivo de 250 mil exemplares de livros, jornais e revistas e conta com 87.673 usuários cadastrados, atendendo, anualmente, cerca de 400 mil pessoas. Foi a primeira, no Brasil, a ser totalmente informatizada.

O Arquivo Público Mineiro guarda documentos produzidos e acumulados por órgãos da Administração Pública de Minas Gerais e por arquivos privados, desde o século XVIII. Além de manuscritos e impressos, reúne mapas, plantas, fotografias, gravuras, filmes, livros, folhetos e periódicos. A Biblioteca do Arquivo Público Mineiro, com cerca de 12 mil títulos, destina-se ao atendimento da pesquisa institucional para organização de acervos e suporte à pesquisa de seus usuários.

Fazem parte do acervo publicações técnicas de arquivos e bibliotecas, anais e anuários de órgãos públicos estaduais e federais, mensagens e relatórios do governo mineiro, legislação estadual e federal, biografias, genealogias, bibliografia e um número relevante de livros, periódicos e folhetos sobre a história de Minas Gerais, do Brasil e do Império Português.

Fonte: Agência Minas

Governo de Minas entrega instrumentos para 26 bandas da Zona da Mata

Por meio do Programa Bandas de Minas, foram entregues 155 instrumentos para grupos da região

O Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de Cultura (SEC), entregou 802 instrumentos de sopro, metal e percussão a 126 corporações musicais contempladas por meio do Edital 2011 do programa “Bandas de Minas”. Na Zona da Mata, 26 bandas foram beneficiadas, com a entrega de 155 instrumentos musicais.

Além da doação de instrumentos musicais, o Programa Bandas de Minas vai realizar cursos/oficinas de capacitação e aperfeiçoamento artístico, e o lançamento de um CD, que será gravado com a participação de bandas agraciadas nesta edição.

As bandas civis representam uma instância de valorização da cultura popular, e contam com o apoio da Secretaria de Estado de Cultura, por meio de convênio com a Codemig, que garante a doação de instrumentos musicais e a democratização do acesso a diferentes repertórios.

Novidade

Uma das mudanças implementadas em 2011 foi a criação de um edital específico para o programa. Segundo a secretária de Estado de Cultura, Eliane Parreiras, este é um mecanismo que favorece o relacionamento institucional entre os grupos e a secretaria, estimula o cadastramento das bandas, democratiza o processo de seleção, entre outros benefícios. “A criação do edital foi uma maneira de estabelecer um relacionamento formal entre essas corporações e a Secretaria de Estado de Cultura, para detectarmos o número de bandas existentes em Minas, se elas estão ou não ativas, e se representam instituições jurídicas ou não”, explica.

Nesta edição, o programa recebeu 350 projetos de 323 municípios mineiros. De acordo com Eliane Parreiras, o sucesso do número de inscrições ocorreu graças ao estreito diálogo entre a SEC e as corporações musicais. “A equipe técnica da secretaria realizou um atendimento minucioso, auxiliando desde a emissão de documentos e certidões, até no esclarecimento de dúvidas sobre registros”, comenta. “O processo foi extremamente democrático, justamente por levar em conta as limitações de cada corporação, bastando a elas apenas estarem devidamente legalizadas junto à secretaria”, completa.

Investimento crescente

Minas Gerais é um dos estados brasileiros que abriga o maior número de corporações musicais e, a cada ano, novas instituições participam do programa. Das cerca de 800 bandas civis distribuídas pelo território mineiro, 753 estão cadastradas na Secretaria de Estado de Cultura, sendo que 537 delas já foram beneficiadas com a entrega de 7.435 instrumentos musicais, nos últimos oito anos (2003 a 2011). Os recursos destinados ao programa ultrapassam a soma de R$ 5,67 milhões.

Tradição das bandas em Minas

De caráter popular e espontâneo, as corporações musicais são consideradas patrimônio do povo mineiro, por serem guardiãs de uma tradição que data do século 18, no período aurífero. As bandas civis no Estado agregam cerca de 30 mil músicos.

A importância das bandas em Minas também se dá pelo fato de que essas corporações desempenham ações de caráter técnico-musical e comunitário, atraindo em torno de si a formação de verdadeiras escolas de música, oferecendo a todas as comunidades a oportunidade de exercitar talentos e descobrir vocações artísticas transmitidas há gerações.

Justamente por entender que as bandas são elementos primordiais de construção de relações culturais e históricas nas comunidades, o Governo de Minas reserva atenção especial a esse segmento da cultura, por meio do Programa Estadual de Apoio às Bandas de Música.

Relação das bandas contempladas na Zona da Mata pelo Edital 2011:

Além Paraíba                                              Sociedade Musical Carlos Gomes

Amparo da Serra                             Corporação Musical Lira N. S. do Amparo

Araponga                                         Corporação Musical Coração de Jesus

Argirita                                              Sociedade Musical Lira 1.º de Maio

Bias Fortes                                       Sociedade Musical Padre Silveira

Carangola                                        Sociedade 21 de Abril

Cipotânea                                        Corporação Musical Santa Cecília

Coimbra                                            Lira Coimbrense

Dores do Turvo                               Corporação Musical Nossa Senhora dasDores

Ervália                                              Corporação Musical Lira São José

Faria Lemos                                     Corporação Musical José Ferreira

Guarará                                            Banda de Música Guarará

Itamarati de Minas                          Corporação Musical Santa Cecília

Lamim                                               Corporação Musical Divino Espírito Santo

Leopoldina                                       Lira Musical 1.º de Maio

Leopoldina                                       Banda Musical Princesa Leopoldina

Paiva                                                 Corporação Musical “Santa Rosa”

Paula Cândido                                Corporação Musical Monsenhor Lisboa

Pedra do Anta                                 Corporação Musical São Sebastião

Raul Soares                                    Corporação Musical Raulsoarense

Santana de Cataguases               Sociedade Musical Lira Santanense

Santo Antônio do Grama              Corporação Musical Nelson Borges

Santos Dumont                               Sociedade Musical Carlos Gomes

Sem Peixe                                       Corporação Musical Nossa Senhora das Graças

Senador Firmino                             Corporação Musical N. S. da Conceição

Tabuleiro                                  Sociedade Musical Santa Terezinha

Fonte: Agência Minas