Governo de Minas: Defesa Civil Estadual oferece capacitação para enfrentamento a desastres naturais

Participantes poderão atuar como multiplicadores na capital e em cidades do interior

Divulgação/Cedec
Agentes de defesa civil recebem orientações sobre a atuação em situações de desastres naturais
Agentes de defesa civil recebem orientações sobre a atuação em situações de desastres naturais

A Coordenadoria Estadual de Defesa Civil de Minas Gerais (Cedec-MG) promove, a partir desta terça-feira (10), na Cidade Administrativa, em  Belo Horizonte, o Curso Básico de Defesa Civil (CBDC). O treinamento, promovido pela Escola Permanente de Defesa Civil, tem duração de três dias.

O principal objetivo do curso é treinar os agentes da defesa civil para atuação em ações que possam minimizar os danos causados por desastres naturais, como alagamentos, enchentes, escorregamentos e secas. Os participantes do treinamento estarão aptos a aplicarem da melhor forma possível ações de prevenção e estabilização em situações críticas, para proteger vidas, propriedades e o meio ambiente.

Os 20 alunos participam de aulas que têm como tema conceitos básicos de mapeamento de áreas de risco, administração de abrigo temporário, codificação de desastres, preenchimento da Notificação Preliminar de Desastres (Nopred), Avaliação de Danos (Avadan), declaração municipal de atuação emergencial e  combate à dengue, entre outros assuntos.

O evento reúne integrantes da BHTrans, Polícia Militar de Brasília, Cemig, Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds), Bombeiro Militar, equipes do Gabinete Militar do Governador e representantes de órgãos públicos municipais de Belo Horizonte, Congonhas, Espera Feliz, Ijaci, Ipanema, Ipuiuna, São Sebastião da Vargem Alegre e Santos Dumont. Ao final do curso, todos os participantes receberão um certificado.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/defesa-civil-estadual-oferece-capacitacao-para-enfrentamento-a-desastres-naturais/

Governo de Minas: Programa de Educação Profissional abre portas para jovens da Zona da Mata

Governo de Minas já formou mais de 9.500 alunos na região

Divulgação/Senac Juiz de Fora
O programa tem como objetivo principal oferecer educação profissionalizante gratuita de qualidade
O programa tem como objetivo principal oferecer educação profissionalizante gratuita de qualidade

Dival Ribeiro Netto Rezende, de 26 anos, hoje é técnico em enfermagem, concursado da Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig), e trabalha em uma unidade da rede, o Hospital Regional João Penido, em Juiz de Fora. A carreira na área da saúde teve início quando ele se inscreveu para o Programa de Educação Profissional (PEP) e passou na prova.“Um amigo me falou sobre o PEP. Antes mesmo de eu terminar o curso, fiz o concurso da Fhemig e passei. Depois que me formei, fui chamado para o Hospital João Penido”, conta.

Dival classificao papel do curso como determinante para seu direcionamento profissional. “O programa é muito bom, incentivador. Para as pessoas jovens, que não têm condições de pagar, é uma oportunidade para a conquista do emprego. Aprendi bastante, fiz estágio pelo curso, trabalhei em uma casa de idosos. A prática leva a uma maior experiência. Com certeza foi um dos pontos que me ajudou a passar no concurso”, avalia.

Segundo o coordenador do programa, Roberto Guerra, “o PEP potencializa o desenvolvimento do Estado, buscando promover formação profissional, atendendo a demandas regionais, necessidades de mão de obra, qualificando o cidadão, formando técnicos em vários segmentos e contribuindo para o desenvolvimento”.

Tânia Maria Fonseca Hermes Zuquin Alves, diretora do Centro Educacional Conceição Ferreira Nunes (Cecon), que oferece cursos do PEP em Juiz de Fora, destaca o papel transformador do programa. “Para vários alunos ocorreram mudanças radicais. Muitos chegaram aqui perdidos, sem expectativas, e hoje estão atuando no mercado de trabalho, bem empregados”, destaca.

O PEP é um programa mantido pelo Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de Educação (SEE), e tem como objetivo principal oferecer educação profissionalizante gratuita de qualidade, criando, para seus participantes, oportunidades reais no mercado de trabalho. Criado em 2007, o programa é desenvolvido em todas as regiões do Estado. Na Zona da Mata, já foram beneficiados 9.553 alunos.

Da eletromecânica para a enfermagem

MarceloGonçalves, de 27 anos,também se formou técnico em enfermagem pelo PEP em Juiz de Fora, no Cecon. A primeira opção era a eletromecânica, mas o curso não era ministrado no período noturno. “Eu precisava continuar trabalhando, então fui para a minha segunda opção, a enfermagem, gostei e não me arrependo. Tudo que tenho foi a enfermagem que me deu”, afirma.

Ele lembra o primeiro estágio, indicado pelo curso. “Fui encaminhado pelo PEP para uma clínica, me destaquei e fui contratado antes mesmo de me formar”, comenta.

Hoje, Marcelo possui dois empregos como técnico em enfermagem e só tem boas referências do programa. “Não tenho do que reclamar, ao contrário, o curso me encaminhou para um bom estágio, os professores foram muito bons, assim como a estrutura. A minha turma era grande e posso dizer que, hoje, 90% dos colegas estão empregados na área”, ressalta.

Contratação garantida

De atendente de telemarketing para técnica em contabilidade. Steicy da Silva Pandolfi, de 19 anos,ainda não concluiu o curso do PEP ministrado no Senac, mas já faz estágio em um escritório de contabilidade em Juiz de Fora. Ela foi informada de que será contratada assim que se formar, em junho próximo. “Saí do telemarketing e estou gostando muito do trabalho, pois complementa o curso. Está sendo tão bom que vou também fazer vestibular no final do ano na mesma área”, afirma.

Wagner Isaías Toledo de Oliveira, de 20 anos, é mais um aluno do PEP no Senac e que pretende cursar o nível superior. Da turma de técnico em contabilidade, ele faz estágio remunerado em um banco de crédito popular, vaga conquistada por meio do curso. “Fiz a inscrição no último dia, fiz a prova e passei. Estou adorando, o estágio ajuda muito no entendimento das disciplinas, a prática é importante”, frisa ele, que recomenda o PEP para amigos e familiares sempre que fica sabendo que as inscrições estão abertas.

Sexta edição do programa deve ter início ainda neste mês

Ainda em março, está previsto o início das aulas da sexta edição do Programa de Educação Profissional nos municípios de Além Paraíba (60 vagas), Cataguases (140), Juiz de Fora (410), Leopoldina (90), Muriaé (195), Pirapetinga (70), Ponte Nova (70), Santos Dumont (60), Ubá (275) e Viçosa (350), totalizando 1.720 vagas na região.

Os alunos da Zona da Mata terão acesso aos seguintescursos técnicos: Automação Industrial, Comércio, Design de Móveis, Eletromecânica, Eletrônica, Eletrotécnica, Enfermagem, Farmácia, Higiene Dental, Informática, Logística, Mecânica, Meio Ambiente, Nutrição e Dietética, Radiologia e Segurança do Trabalho.

Em todo o Estado, são 30 mil vagas apenas neste ano. Desde o início do programa, mais de 200 mil alunos já foram atendidos e o investimento total do Estado chega a R$ 569 milhões.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/programa-de-educacao-profissional-abre-portas-para-jovens-da-zona-da-mata/

Governo de Minas: Regional de Juiz de Fora reúne técnicos para dar continuidade ao Projeto de Fortalecimento da Vigilância em Saúde

A Vigilância em Saúde prioriza fortalecer ações capazes de eliminar, diminuir ou prevenir os riscos e agravos à saúde da população

Marcella Marques
Técnicos da Regional de Saúde de Juiz de Fora se reuniram nesta sexta-feira (2)
Técnicos da Regional de Saúde de Juiz de Fora se reuniram nesta sexta-feira (2)

Técnicos da Superintendência Regional de Saúde de Juiz de Fora se reuniram, nesta sexta-feira (2), para dar continuidade ao Projeto de Adesão à Descentralização das Ações da Vigilância em Saúde na região. A Resolução SES nº 3049/2011, que aprova o Projeto de Fortalecimento de Vigilância em Saúde no Estado de Minas Gerais, apoia as descentralizações dessas ações no âmbito dos respectivos territórios sanitários.

Segundo o coordenador da Vigilância em Saúde da SRS-JF, José Geraldo Leal de Castro, a Vigilância em Saúde pressupõe a busca de uma atuação racional para enfrentar individual e coletivamente os problemas de saúde. “O objetivo é otimizar a política de promoção e proteção à saúde da população. É uma concepção ampliada de vigilância em uma construção coletiva que imprime nas ações do SUS novas formas de agir e pensar a saúde”.

A proposta da Vigilância Sanitária em Minas faz-se necessária para garantir o permanente e contínuo aperfeiçoamento de ações que atendam aos avanços da sociedade moderna e ao impacto causado em determinado território. Dentro desse contexto, a Vigilância em Saúde prioriza fortalecer ações capazes de eliminar, diminuir ou prevenir os riscos e agravos à saúde da população.

Ao todo, serão 35 técnicos da SRS-JF, atuantes na Vigilância Sanitária, Vigilância Epidemiológica, Núcleo de Gestão Microrregional, Saúde do Trabalhador e Atenção Primária à Saúde, acompanhando e coordenando as ações que visam ao fortalecimento da vigilância nas microrregiões de Juiz de Fora/ Lima Duarte/ Bom Jardim de Minas, São João Nepomuceno/Bicas e Juiz de Fora/Santos Dumont, que englobam os 37 municípios que estão sob jurisdição da Regional Juiz de Fora.

Fonte: Agência Minas

Governo de Minas: Secretaria de Estado de Turismo monitora cidades afetadas pelas chuvas

Trabalho realizado pelo Governo de Minas para divulgar situação de normalidade nos municípios turísticos minimizou prejuízos com os cancelamentos das viagens

As 27 cidades turísticas afetadas pelas chuvas no mês de janeiro vêm sendo monitoradas pela Secretaria de Estado de Turismo (Setur). Estimativas apontam que a média da diminuição da taxa de ocupação hoteleira nesses municípios ficou em torno de 13,3% no último mês.

De acordo com o secretário de Estado de Turismo, Agostinho Patrus Filho, o trabalho realizado pelo Governo de Minas e parceiros para divulgação da situação de normalidade nos municípios turísticos atingidos foi importante para que os prejuízos com os cancelamentos das viagens fossem minimizados.

“Entidades do trade, prefeituras e circuitos turísticos participaram da iniciativa de informar à sociedade de que essas cidades estavam com acessos e atrativos turísticos sem restrições e, por isso, de portas abertas para receber o visitante. Sem essa iniciativa, a queda da taxa de ocupação hoteleira poderia ter sido maior”, ressalta Patrus Filho.

Casos semelhantes ocorridos no Rio de Janeiro no ano passado trouxeram prejuízos maiores às cidades atingidas pelas chuvas. Angra dos Reis, por exemplo, que passou por deslizamentos de terra com dezenas de vítimas no Réveillon, de 2010 para 2011, apresentou redução de 53% das reservas no mês de janeiro de 2011. Já o município de Petrópolis, que sofreu com a mesma situação, teve 79% das reservas do mesmo mês canceladas e 87,25% de cancelamentos no Carnaval do ano passado, segundo pesquisa do Petrópolis Convention & Visitors Bureau.

Boas perspectivas

Em Ouro Preto, um dos mais tradicionais e procurados destinos turísticos de Minas Gerais, conhecido internacionalmente por sua riqueza e arquitetura colonial de estilo barroco, houve queda no percentual de ocupação hoteleira de cerca de 20% em relação a janeiro do ano passado, devido às quedas de barreiras e obstrução das estradas no período chuvoso.

“Estamos otimistas, pois na segunda quinzena de janeiro o município já teve uma boa procura por hospedagens, principalmente por famílias. Para fevereiro, nossos 100 hotéis e pousadas de pequeno porte, que totalizam dois mil leitos, têm garantia de 60% de suas reserva”, enfatizou a presidente regional da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis Regional/Circuito do Ouro (ABIH), Sônia Vianna.

O secretário municipal de Turismo de Tiradentes, Felipe Barbosa, afirma que as chuvas não trouxeram grandes danos ao turismo da cidade, de forma que a ocupação dos leitos totalizados no município não foi afetada. Segundo ele, a ocupação hoteleira da cidade gira agora em torno de 85%.

“Logo após as chuvas, nosso município realizou um de seus principais eventos, que é a Mostra de Cinema. A iniciativa aqueceu o movimento local, proporcionou lotação máxima da rede hoteleira e, ainda, foi uma oportunidade de mostrarmos que nossa a cidade continua linda e com todos os seus atrativos à disposição do público”, enfatizou Barbosa.

Levantamento

Das 224 cidades mineiras que decretaram situação de emergência até o momento, 27 têm o turismo como uma de suas principais atividades econômicas. São elas: Alfenas, Barbacena, Brumadinho, Capitólio, Conceição do Mato Dentro, Congonhas, Coronel Xavier Chaves, Diamantina, Divinópolis, Formiga, Governador Valadares, Itabirito, Lavras, Lima Duarte, Mariana, Moeda, Montes Claros, Muriaé, Nova Lima, Ouro Preto, Pirapora, Prados, Santa Bárbara, Santos Dumont, São João del-Rei, Serro e Tiradentes.

A situação das cidades quanto aos acessos e atrativos turísticos está disponível no endereço http://www.minasgerais.com.br .

Fonte: Agência Minas

Governo de Minas: Consea-MG discute segurança alimentar na Zona Mata e Campo das Vertentes

Presidente do conselho, Dom Mauro Morelli, visitará Ouro Branco, Barbacena, Santos Dumont e Juiz de Fora

O presidente do Conselho de Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável de Minas Gerais (Consea-MG), Dom Mauro Morelli, visita entre esta quinta-feira (9) e sábado (11) os municípios de Ouro Branco e Barbacena, no Campo das Vertentes, além de Santos Dumont e Juiz de Fora, na Zona da Mata. O secretário executivo, Marcos Jota, e a assessora técnica do Consea-MG, Michele Pereira, também participam da caravana.

A visita tem o objetivo de promover a aproximação do Consea-MG com as comissões regionais e os conselhos municipais de Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável de cada região mineira. Desta forma, o conselho estadual busca descentralizar suas ações e fortalecer as articulações das entidades que promovem a segurança alimentar e nutricional sustentável em Minas.

Segundo a assessora técnica do conselho, Michele Pereira, o trabalho será baseado na sensibilização dos municípios “para uma participação mais efetiva na segurança alimentar e nutricional”. “Vamos nos reunir com representantes da agricultura familiar, do Sindicato dos Trabalhadores Rurais, prefeituras, conselhos municipais e regionais, secretarias de assistência social, agricultura, saúde e educação”, explicou Michele Pereira.

No último dia 1º de fevereiro, Dom Mauro Morelli visitou a Comissão Regional de Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável do Centro-Oeste. Sediada em Divinópolis, a comissão é formada 53 municípios. No mesmo dia, Dom Mauro também esteve no município de Cláudio, onde foram apresentados projetos realizados pela Associação dos Municípios do Vale do Itapecerica na área de segurança alimentar. Com ações baseadas no Programa de Segurança Alimentar e Nutricional (Prosan), as comissões regionais de Minas foram criadas entre 2001 e 2003 e têm como objetivo o desenvolvimento de trabalhos voltados às políticas públicas e de mobilização social.

Programação

Ouro Branco

Local: Prefeitura de Ouro Branco, Praça Sagrados Corações, 200 – Centro

Data: 09/02/12

Horário: 10 horas

Barbacena

Local: Sítio do Sapateiro, na parada de ônibus, 1 km após o trevo de Barbacena

Data: 09/02/12

Horário: 16 horas

Santos Dumont

Local: Câmara Municipal, Av. Presidente Getúlio Vargas,231 – Centro

Data: 10/02/12

Horário: 10 horas

Juiz de Fora

Local: Sindicato dos Comerciários, Av. Barão do Rio Branco, 2067 – Centro

Data: 10/02/12

Horário: 19 horas

Fonte: Agência Minas