Gestão Anastasia: cotação da mandioca estimula produtor de Minas Gerais

Próximo plantio deve aumentar para atender ao mercado na Copa do Mundo

Divulgação/Seapa MG
A agricultura familiar em Minas responde por 84% da produção estadual de mandioca
A agricultura familiar em Minas responde por 84% da produção estadual de mandioca

Com base nos resultados contabilizados nos dois últimos meses, os produtores mineiros de mandioca para consumo de mesa apostam na manutenção de boas vendas em 2012. Neste início de colheita, o valor da caixa de 22 quilos nas propriedades alcança até R$ 20,00, uma alta de 150% em relação ao preço médio registrado há um ano, informa a Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa).

A perspectiva de aumento da remuneração, principalmente no período de frio, estimula os agricultores de Bonfim, município da Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH). Eles estão interessados também na ampliação da área plantada de mandioca, a partir de outubro, para atender ao possível aumento do consumo na Copa do Mundo de 2014.

O extensionista da Emater-MG, Sidney Lacerda Marcelino do Carmo, explica que o período de cultivo da mandioca é de cerca de um ano e meio. “Portanto, a parte principal da colheita nas lavouras em expansão deverá coincidir mesmo com o período dos jogos, e tudo indica que a demanda do produto pelos bares, restaurantes e hotéis será incrementada”, ressalta.

Produtor tradicional

Diante da perspectiva de aumento temporário do número de consumidores –  grande parte constituída por turistas dispostos a pagar mais pelo produto –, os agricultores de Bonfim acreditam que a posição do município como um dos polos tradicionais da mandioca em Minas será reforçada. Entre os 500 produtores locais que se dedicam à cultura, a maioria trabalha em lavouras de até quatro hectares, conforme a avaliação de Sidney Lacerda.

“Além de aumentar a área de plantio, os produtores também deverão investir mais em tecnologia”, enfatiza o extensionista. Por enquanto, o foco para os produtores é atender à expansão da demanda por mandioca no mercado da RMBH. Dados da Ceasa Minas mostram que, no acumulado de fevereiro e março deste ano, o município de Bonfim colocou no entreposto 1,1 mil tonelada de mandioca. Esse volume equivale a 37,1% da entrega total do produto pelos agricultores mineiros à Ceasa nesse período.

Da lavoura do agricultor Vandeir Fernandes do Carmo, numa área de 20 hectares, saíram 18 mil caixas de 22 quilos em 2011. Embora a colheita prevista para este ano seja um pouco menor, por causa de problemas climáticos no período anterior, a cotação do mercado deverá compensar. “O preço varia de R$ 25,00 a R$ 26,00 a caixa nas vendas para a Ceasa e para um grande supermercado de Belo Horizonte”, ele explica.

O custo médio de produção, principalmente com a aquisição de adubo e calcário, é R$ 4,00 por caixa, segundo a avaliação do produtor. “Por isso, a caixa deve ser vendida no mínimo por R$ 10,00 para garantir algum retorno”, finaliza Vandeir.

Agricultura familiar

De acordo com o Censo Agropecuário 2006 do IBGE, a agricultura familiar em Minas, contando com cerca de 440 mil estabelecimentos, responde por 84% da produção estadual de mandioca (o total estimado para este ano é 808,4 mil toneladas). Para o subsecretário de Agricultura Familiar, Edmar Gadelha, esse número mostra a importância da atividade voltada para um produto utilizado em grande escala na culinária do Estado, tanto para o consumo “in natura” quanto nas formas processadas.

O subsecretário também observa que as diversas variedades de mandioca existentes em Minas facilitam a produção. “Em Almenara, no Vale do Jequitinhonha, foram identificadas mais de 30 variedades com resistências diferentes às situações de clima e solo”, ele explica.

Gadelha destaca, ainda, a importância da assistência da Emater-MG aos estabelecimentos de agricultura familiar na adoção de boas práticas com o objetivo de garantir mandioca de alta qualidade para consumo de mesa ou industrialização. “Esse acompanhamento é fundamental também para a inclusão, nos estabelecimentos, de tecnologias de baixo custo que possibilitem o processamento da mandioca conforme as normas de qualidade e segurança alimentar e, como consequência, ajudem a aumentar a renda do produtor”, finaliza.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/cotacao-da-mandioca-estimula-produtor-de-minas-gerais/

Governo de Minas: ex-detenta coordena equipe no Presídio Feminino José Abranches

Ana Carolina Moreira foi contratada pela empresa LT Confecção Ltda. após receber alvará judicial de prisão domiciliar

Divulgação/Seds MG
Ana Carolina foi contratada no mês passado para coordenar a produção das sacolas
Ana Carolina foi contratada no mês passado para coordenar a produção das sacolas

Coordenar a produção de aproximadamente 1.600 sacolas retornáveis por dia e uma equipe de 20 presas é responsabilidade da ex-detenta Ana Carolina Moreira, protagonista de uma história de ressocialização no Presídio Feminino José Abranches Gonçalves, situado em Ribeirão das Neves, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH). Ana Carolina foi contratada no mês passado pela empresa LT Confecção Ltda, após receber o alvará judicial de prisão domiciliar.

A proprietária da empresa, Thaís Rosa de Oliveira Lara, considera de extrema importância o trabalho de ressocialização realizado por todos os funcionários da unidade, principalmente os agentes penitenciários. Ela ainda conta que “a produção das detentas já forneceu bolsas para a Vale, o Sebrae, diversos supermercados na região metropolitana, além de várias empresas de outros ramos, inclusive no estado de São Paulo”.

Um curso de corte e costura – parceria da Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds), por meio das diretorias de ensino e trabalho da Subsecretaria de Administração Prisional (Suapi), com a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater-MG) – incentivou e capacitou Ana Carolina para iniciar o trabalho na produção das sacolas retornáveis em 2010. No ano seguinte, ela fez também um curso de produção industrial. “Estou me sentindo muito honrada, confiante e valorizada em poder retornar para exercer aqui uma profissão. Gosto muito das palavras de incentivo que tenho recebido de várias pessoas, dentro e fora do presídio”, revela Ana.

A satisfação da nova coordenadora de produção de sacolas retornáveis é compartilhada também pela diretora-geral da unidade, Raquel Alves de Paula, que considera uma grande recompensa acompanhar e dedicar-se a casos de sucesso em prol da ressocialização.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/ex-detenta-coordena-equipe-no-presidio-feminino-jose-abranches/

Governo de Minas: Fundação Utramig participa do Ação Global Nacional 2012

Os cidadãos terão a oportunidade de participar da “Ciranda das Profissões”, quando poderão obter informações sobre a tendência do mercado e as carreiras em alta

A Fundação Utramig, vinculada à Secretaria de Estado de Trabalho e Emprego (Sete), participará do Ação Global Nacional 2012. O evento será neste sábado (5), das 9h às 16h, no Complexo Esportivo do Teresópolis, em Betim, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH). Serão oferecidos serviços gratuitos nas áreas de educação, saúde, meio ambiente, cultura, alimentação, esporte e lazer, além de cidadania.

Os psicólogos da Fundação Utramig irão aplicar testes vocacionais para a população, com o objetivo de orientar na escolha da carreira. Os cidadãos terão ainda a oportunidade de participar da “Ciranda das Profissões”, quando poderão obter informações sobre a tendência do mercado e as carreiras em alta.

Segundo a diretora de Qualificação e Extensão da Utramig, Roseli de Coimbra, a falta de informação na hora da escolha da profissão pode gerar frustrações posteriores. “É muito importante que haja espaços de reflexão, como o que será oferecido no Ação Global, que permita ao jovem pensar em suas opções profissionais, promovendo o debate e verificando sua percepção acerca das profissões que ele considera atuar”.

Para o presidente da Fundação Utramig, José Murilo Resende, o desafio para a aquisição do primeiro emprego está na falta de profissionais qualificados para atender às demandas do mercado. “É muito importante que o profissional obtenha informações sobre as profissões, pois as vagas existem. Minas Gerais tem batido vários recordes em geração de postos de trabalho, ainda assim temos condições de ampliar mais o aproveitamento das vagas se preparamos melhor o cidadão”, completa o José Murilo Resende.

Serviço:

Ação Global Nacional

Data: 05/05/2012 – sábado

Horário: 9h às 16h

Local: Complexo Esportivo Jardim Teresópolis – Rua Dulce Brandão, 52 – bairro Jardim Teresópolis – Betim/MG

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/fundacao-utramig-participa-do-acao-global-nacional-2012/

Gestão Anastasia: Centro Mineiro de Referência em Resíduos promove consulta para realização de PPP

Edital prevê parcerias para a gestão de resíduos sólidos em 46 municípios mineiros

Servas / Divulgação
José Aparecido Gonçalves destacou o papel do CMRR na implantação da coleta seletiva no Estado
José Aparecido Gonçalves destacou o papel do CMRR na implantação da coleta seletiva no Estado

Catadores de material reciclável e técnicos de associações e cooperativas se reuniram no Centro Mineiro de Referência em Resíduos (CMRR), nesta quinta-feira (26), na primeira consulta pública para validação do edital da Participação Público Privada para Gestão de Resíduos Sólidos Urbanos na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH) e Colar Metropolitano.

Publicado há uma semana pelo Governo de Minas, o edital prevê a realização de Parcerias Público Privadas (PPP) para a gestão de resíduos sólidos urbanos em 46 municípios mineiros. Essa é uma iniciativa compartilhada entre o governo e os municípios e a Secretaria de Estado Extraordinária de Gestão Metropolitana (Segem), que prevê ações para adequada gestão dos resíduos.

Na reunião no CMRR, para construir e validar a PPP, os catadores de material reciclável tiveram a oportunidade de se informar sobre o que é a PPP, qual o seu papel nesse processo, sua viabilidade e interação com a Segem, por meio da Agência Metropolitana de Belo Horizonte (AMBH) e parceiros como a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sede).

Por sua vez, o diretor executivo, José Aparecido Gonçalves, destacou o pioneirismo do CMRR e seu importante papel na coordenação para implantação da coleta seletiva no Estado. Ele lembrou que o CMRR é uma iniciativa do Servas,  inédita no país, em parceria com o Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Sustentável (Semad) e a Fundação Estadual do Meio Ambiente (Feam) e apoio do Sebrae-MG, que busca orientar o consumo consciente, a reutilização, reciclagem de materiais e a inclusão sócio produtiva dos catadores de materiais recicláveis.

O representante do Movimento Nacional dos Catadores de Material Reciclável (MNCR), Jucilei Borges Custódio, apresentou conquistas já alcançadas pelos catadores, como a inclusão sócio produtiva destes trabalhadores na legislação nacional e estadual de resíduos sólidos. “A partir da organização em associações, cooperativas e redes, nós catadores ganhamos espaço para o diálogo com governos, acesso a crédito e a erradicação dos trabalhadores em lixões”, ressaltou.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/centro-mineiro-de-referencia-em-residuos-promove-consulta-para-realizacao-de-ppp/

Governo Anastasia: secretaria de Estado de Saúde libera parcela de R$ 1 milhão para Contagem

Os recursos visam à construção do Centro Materno Infantil no município

O município de Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), recebeu a terceira parcela de R$ 1 milhão, visando à construção do Centro Materno Infantil. O convênio firmado entre o Governo de Minas e a prefeitura totaliza R$ 10 milhões, oriundos do Tesouro Estadual. A unidade também terá investimentos do município, com contrapartida de R$ 2,8 milhões, e do Ministério da Saúde, com repasse de R$ 9 milhões, totalizando mais de R$ 21 milhões.

De acordo com o secretário de Estado de Saúde, Antônio Jorge de Souza Marques, a maternidade tem como objetivo reforçar as ações de assistência à saúde da mulher e da criança, e vai oferecer mais conforto e atendimento humanizado. “Com esta construção iremos ampliar a cobertura dos partos atendidos pelo SUS dentro do município, que passará de 35% para 100%. Serão 550 partos por mês. Temos a convicção que teremos um belo desempenho”, afirmou.

A nova Unidade, que funcionará dentro do mesmo terreno onde está localizado o Hospital Municipal e Maternidade de Contagem, contará com 30 leitos de UTI neonatal, dez leitos de enfermaria mãe-canguru, dez leitos de UTI pediátrica, 34 leitos de enfermaria pediátrica, 62 leitos de internação em alojamento conjunto e ginecologia, além de um pronto-socorro 24 horas, com dez leitos de observação e um centro obstetrício totalmente equipado com seis apartamentos e quatro salas de parto cirúrgico.

Para as mães que desejam acompanhar mais de perto a internação de seus filhos na UTI neonatal, a maternidade ainda contará com uma casa que servirá de alojamento. Serão 32 vagas, com espaço de convivência para a troca de experiências.

Sobre a parceria que viabilizou a implantação do centro, Antônio Jorge afirma que há grande otimismo, visto que há alinhamento das políticas públicas entre Ministério, Governo de Minas e municípios no setor de saúde. “Em Minas, temos experiências exitosas na construção das redes de atenção. Um bom exemplo é a Rede de Urgência e Emergência Macro Norte. Nesta rede, os resultados têm se mostrado impactantes. São cerca de menos duas mil mortes/ano desde a implantação da rede”, finalizou Antônio Jorge.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/secretaria-de-estado-de-saude-libera-parcela-de-r-1-milhao-para-contagem/

Governo de Minas: taxa de desemprego na RMBH é a menor já registrada para o mês de março

Número de desempregados tem ligeira alta em relação a fevereiro, mas é o mais baixo desde 1996

A taxa de desemprego na Região Metropolitana de Belo Horizonte passou dos 5,1% registrados em fevereiro para 5,4% em março. Apesar do acréscimo, o número é o menor relativo ao mês de março, de acordo com a série histórica iniciada em 1996. Os dados são parte da Pesquisa de Emprego e Desemprego na Região Metropolitana de Belo Horizonte (PED-RMBH) e foram divulgados nesta quarta-feira (25) pela Fundação João Pinheiro, Dieese, Secretaria de Estado de Trabalho e Emprego (Sete) e Fundação Seade.

Entre as sete Regiões Metropolitanas avaliadas pela PED (Distrito Federal, Fortaleza, Porto Alegre, Recife, Salvador e São Paulo), a de Belo Horizonte mantém a menor taxa de desemprego pelo 9º mês consecutivo.

O número de ocupados teve queda de 22 mil pessoas (1,0%) em relação a fevereiro e 15 mil pessoas deixaram de fazer parte do mercado de trabalho, o que resultou no acréscimo de 7 mil pessoas no número de desempregados (5,6%). No período, o tempo médio de procura por trabalho foi de 26 semanas, duas a menos em relação a fevereiro.

“Este também é o menor tempo médio de procura já registrado desde o início da série histórica. Em julho de 2004 chegamos a apresentar média de 70 semanas. Hoje, metade das pessoas que estão à procura de emprego encontram em apenas 13 semanas”, analisa a coordenadora da PED pelo Dieese, Gabrielle Selani.

Setores

Na comparação com o mês de fevereiro, o agregado “outros setores” registrou aumento de 3.000 mil empregos, enquanto que o contingente de ocupados na construção civil permaneceu estável. Em movimento contrário, comércio e indústria sofreram reduções de 10 mil vagas cada e o setor de serviços, de 5 mil.

Segundo a pesquisa, entre março de 2011 e março de 2012, houve acréscimo de 61 mil postos de trabalho no setor privado (4,9%). Foi registrada ainda relativa estabilidade no emprego público (alta de  0,3%) e o número de assalariados com carteira de trabalho assinada aumentou em 63 mil (5,7%). No período analisado, o número de empregados domésticos decresceu em 11 mil (7,0%).

“Os setores de serviços e da construção civil destacam-se com crescimentos significativos quando comparados a março do ano passado. São setores muito importantes para a economia da RMBH e ocupam atualmente cerca de 1,4 milhão de pessoas”, observa Selani.

Rendimentos

Em fevereiro, o rendimento real médio dos ocupados foi estimado em R$ 1.441, redução de 2,7% em comparação com janeiro. Já no setor privado, foi observado aumento no salário médio do comércio (2,7%) e reduções no setor de serviços (5,4%) e na indústria (3,8%).

Perspectivas

Para o secretário de Estado de Trabalho e Emprego, Carlos Pimenta, os números apontados são um bom indicativo de que o desemprego vai permanecer estável. “Não podemos almejar taxas mais baixas, pois há jovens em busca do primeiro emprego ou trabalhadores que estavam inativos e estão retornando ao mercado de trabalho, por exemplo, e que sempre contarão na taxa de desemprego. Mas estamos realmente felizes por termos os melhores números em todo o país”, afirmou.

Gabrielle Selani também avalia que a atual taxa de desemprego da RMBH está bastante positiva, não há espaço para uma grande redução.  “É normal haver uma pequena elevação nos meses iniciais do ano e, caso não haja surpresas na economia ao longo de 2012, as taxas poderão, inclusive, diminuir no segundo semestre”, conclui.

Fonte: http:// www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/taxa-de-desemprego-na-rmbh-e-a-menor-ja-registrada-para-o-mes-de-marco/

Governo de Minas: Antonio Anastasia assegura destinação de recursos para ampliação do metrô de BH

Serão destinados R$ 3,16 bilhões para o transporte público, com contrapartida de R$ 1,15 bilhão do Governo de Minas e prefeituras

O governador Antonio Anastasia participou nesta terça-feira (24), em Brasília, do lançamento do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) Mobilidade Grandes Cidades, do governo federal. Foram confirmados investimentos de R$ 3,16 bilhões na melhoria do transporte público na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH). Desse total, R$ 1,15 bilhão virá dos cofres do Governo de Minas e dos municípios contemplados, o que representa 36,4% do investimento anunciado.

Os recursos serão aplicados na implantação e revitalização de linhas do metrô de Belo Horizonte, na implantação de terminais metropolitanos em sete municípios da região e na complementação do Complexo da Lagoinha. “Esse é mais um passo importante para ampliação e modernização do metrô da nossa capital. É um resgate histórico com a Região Metropolitana de Belo Horizonte, que carece cada vez mais de um transporte coletivo eficiente e que atenda às demandas do cidadão. Essa parceria vai garantir um transporte coletivo de mais qualidade e o metrô tão sonhado pelos mineiros”, disse o governador, durante a solenidade, em Brasília.

A presidente Dilma exaltou o trabalho em conjunto com governadores e prefeitos, que vão colocar, segundo ela, “expressivas contrapartidas nos projetos”. “Com o PAC Mobilidade Grandes Cidades reaprendemos a atuar em parceria de forma extremamente republicana, nos relacionamos como líderes escolhidos pelo povo brasileiro para enfrentar os desafios. Quem sabe melhor a realidade local do que governadores e prefeitos? Os projetos foram apresentados por quem conhece a realidade local e por quem sabe apresentar projetos de qualidade. Isso resulta em melhoria para a população. Agradeço a parceria e o empenho dos governadores que vão colocar expressivas contrapartidas nos projetos”, disse a presidente.

Metrô

As obras no metrô de Belo Horizonte vão contar com recursos dos governos estadual, federal e municipal e também da iniciativa privada que, juntos, vão investir R$ 2,86 bilhões. Desses, R$ 1 bilhão será do Orçamento Geral da União, R$ 750 milhões financiados junto ao Banco Nacional do Desenvolvimento (BNDES) e R$ 1,1 bilhão de contrapartida do Estado, município e iniciativa privada. As obras serão geridas pelo Governo de Minas.

Além de contemplar obras de expansão e modernização da Linha 1 (Eldorado-Vilarinho), o projeto prevê a implantação das linhas 2 (Calafate-Barreiro) e 3 (Lagoinha Savassi). Com as intervenções, a capacidade de atendimento do metrô passará dos atuais 200 mil passageiros/dia para 980 mil usuários/dia.

A empresa Trem Metropolitano de Belo Horizonte (Metrominas), vinculada à Secretaria de Estado de Transportes e Obras Públicas (Setop), divulgou em março passado os avisos de licitação para a contratação de serviços de topografia e sondagem, necessários ao desenvolvimento dos projetos de engenharia que vão atender à modernização e ampliação da Linha 1, implantação das Linhas 2 e 3 e estudo de topografia da Estação Eldorado, em Contagem, até Betim.

Os serviços de topografia e sondagem previstos no edital, estimados em R$ 8,5 milhões, vão empregar recursos do Governo do Estado e da Prefeitura de Belo Horizonte, até que sejam liberados pela União os recursos previstos no PAC Mobilidade. A entrega da documentação, da proposta de preços e a abertura dos envelopes, que marca o início dos processos licitatórios, acontecerá no próximo mês.

Terminais metropolitanos

Os recursos do PAC também serão investidos na construção de terminais metropolitanos de integração de transporte em sete municípios da RMBH. O valor total das obras é estimado em R$ 164 milhões, sendo R$ 29 milhões de contrapartida estadual. Os terminais estarão localizados em regiões de alta concentração de demanda.

O Complexo da Lagoinha – que interliga o Centro e as regiões Leste e Oeste às avenidas Cristiano Machado, Antônio Carlos e Pedro II – também será contemplado com um corredor de ônibus, visando facilitar o trânsito na região. Os investimentos para a obra são estimados em R$ 131 milhões, sendo R$ 3 milhões de contrapartida da prefeitura.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/antonio-anastasia-assegura-destinacao-de-recursos-para-ampliacao-do-metro-de-bh/

Gestão Anastasia: escola cria horta para estimular consumo de alimentos saudáveis

A horta também é estudada em disciplinas como a Matemática e a Educação Física

Divulgação/SEE
Estudantes do Projeto Educação de Tempo Integral estão retomando os cuidados com a horta da escola
Estudantes do Projeto Educação de Tempo Integral estão retomando os cuidados com a horta da escola

Na Escola Estadual Geraldo Teixeira da Costa, em Santa Luzia, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), a importância da alimentação saudável não é trabalhada apenas nas salas de aula. Os estudantes que participam do Projeto Educação de Tempo Integral estão retomando, neste mês, os cuidados com a horta da escola. “Os alunos estão plantando couve, cebolinhas, alface, entre outros. Eles são os responsáveis por molhar os canteiros e colher os alimentos”, ressalta a diretora Cássia de Carvalho Pimentel. Para montar os canteiros, os estudantes levaram sementes e mudas.

O projeto teve início em 2011, quando a cantineira da escola percebeu que os alunos não estavam consumindo verduras e legumes. “Estávamos revitalizando a escola. Por meio de uma parceria com a prefeitura, montamos um jardim e pensamos em outras possibilidades para o espaço. Em uma conversa, a cantineira disse que na hora da merenda, os alunos pediam para que não colocasse verduras. Foi ai que resolvemos criar a horta”, conta Cássia.

Segundo a diretora, o objetivo é que o projeto desenvolvido este ano seja semelhante ao do ano passado. Além dos estudantes aprenderem sobre a importância da alimentação saudável, a horta também é estudada em disciplinas como a Matemática e a Educação Física. “Os alunos aprenderam a contar calorias, a importância de se consumir certos tipos de alimentos e nutrientes. Eles também estudaram medidas e formas geométricas na hora de montar os canteiros”.

Outra iniciativa que deve ser repetida é o sorteio de Kits com diferentes verduras. “Nas reuniões de pais nós distribuíamos algumas verduras. Uma vez por mês, também pretendemos fazer um sorteio de um Kit contendo verduras e legumes da horta. Todos os alunos sempre pedem para levar para casa”, conclui Cássia.

A estudante do 9º ano do ensino fundamental, Carolaine Pereira de Sena, ressalta a importância da horta para a escola. “Aprender a mexer com a horta foi muito bom. Aprendemos sobre alimentação saudável. Teve uma vez que eu fui sorteada e levei couve para casa”.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/escola-cria-horta-para-estimular-consumo-de-alimentos-saudaveis/

Governo de Minas: Presídio Antônio Dutra Ladeira faz nova doação de peixes criados por detentos

Tilápias serão distribuídas a 22 instituições carentes, entre creches, lares de idosos, Apaes e obras sociais

Wellington Pedro/Imprensa MG
Peixes são tratados por detentos no açude do Presídio Antônio Dutra Ladeira
Peixes são tratados por detentos no açude do Presídio Antônio Dutra Ladeira

Uma tonelada de tilápias criadas por detentos do Presídio Antônio Dutra Ladeira, em Ribeirão das Neves, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), foi doada nesta segunda-feira (2) ao Banco de Alimentos do município. Os peixes, tratados atualmente por seis presos no açude da unidade prisional, serão distribuídos a 22 instituições carentes, entre creches, lares de idosos, Apaes e obras sociais.

Essa é a segunda despesca de tilápias realizada no Presídio Antônio Dutra Ladeira. A primeira aconteceu no início de fevereiro e também resultou na doação de mais de uma tonelada de peixes. A iniciativa de produzir peixes dentro de uma unidade prisional é pioneira no país e fruto de uma parceria entre a Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds), o Ministério da Pesca e Aquicultura (MPA) e a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), que capacitou os presos em um curso de piscicultura.

O projeto teve início em julho de 2011, quando os detentos começaram a aprender como tratar os animais, qual ração utilizar em cada fase da vida, como fazer a higienização do local e, por fim, como realizar a retirada dos peixes. No dia 28 de fevereiro, os presos receberam certificados de conclusão do curso oferecido por professores e doutorandos da Escola de Medicina Veterinária da UFMG.

Participaram da solenidade de doação dos peixes representantes do Ministério da Pesca, da UFMG e da Secretaria de Assistência Social da Prefeitura de Ribeirão das Neves. A previsão é de seja feita uma nova despesca em dois meses.

Trabalho

Segundo o gerente de produção do Presídio Antônio Dutra Ladeira, José Rezende, os presos envolvidos no trabalho de piscicultura estão bastante satisfeitos. “Os detentos ficaram bastante empolgados quando souberam que aqueles peixes que eles criam estão sendo doados para pessoas que passam necessidade”, conta.

Além de aprenderem um novo ofício, os presos recebem redução de um dia na sentença a cada três dias trabalhados. Atualmente, são quase 12 mil detentos trabalhando enquanto cumprem pena em todo o Estado. Os presos trabalham nas mais diversas atividades, como produção de bolas, sacolas ecológicas, equipamentos eletrônicos, cortinas, uniformes, roupas e, até mesmo, na reforma do Mineirão para a Copa do Mundo de 2014.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/presidio-antonio-dutra-ladeira-faz-nova-doacao-de-peixes-criados-por-detentos/

Governo de Minas: Centros Vocacionais Tecnológicos qualificam cidadãos e fazem trabalho social

Unidades voltadas para qualificação profissional consolidam parcerias com entidades para desenvolver seus trabalhos sociais

Divulgação/Sectes MG
Funcionária do CVT de Patos de Minas ministra palestra sobre qualificação profissional para jovens de escolas públicas de Presidente Olegário
Funcionária do CVT de Patos de Minas ministra palestra sobre qualificação profissional para jovens de escolas públicas de Presidente Olegário

A Rede CVT Mineira tem expandido suas ações para toda a comunidade. Nos últimos meses, várias unidades formalizaram parcerias com instituições locais e nacionais com o intuito de ampliar o trabalho que fazem para desenvolver a inclusão social.

O Centro Vocacional Tecnológico (CVT) de Brumadinho, localizado na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), e a empresa de medicamentos LG Farma, realizou ação itinerante na zona rural de Melo Franco. O objetivo foi atender à comunidade carente com serviços de saúde, nutrição e orientação de causas jurídicas. O projeto Reciclando com Arte – promovido pelo CVT desde 2011 e formado por artesãs da região – organizou oficina. “Iniciativas como essa, possibilitam que o CVT de Brumadinho desenvolva ações fora de seu espaço, abrangendo assim um público diversificado”, esclareceu a coordenadora do Núcleo de Apoio ao Empreendedor (Nae) do CVT de Brumadinho,Mariza Elizaria.

Em Formiga, no Oeste de Minas, a equipe do CVT reafirmou parceria com o Tiro de Guerra TG 04030. Em 2011, o CVT recebeu atiradores para realizarem os mais de 40 cursos de ensino a distância que a unidade oferece, além das capacitações presenciais, como eletricidade básica e manutenção de computadores. Neste ano, a unidade de Formiga espera receber mais integrantes do Tiro de Guerra 04030, por isso reuniu-se, neste final de mês, com o Subtenente de Engenharia, Nilson Alcântara, o 1º Sargento de Infantaria, Alessandro Marcos de Pádua, e alguns atiradores para divulgar os cursos ofertados na unidade. A equipe expôs os serviços disponíveis no portal do Governo de Minas, como a emissão do documento de arrecadação estadual (DAE) para produção da Carteira de Identidade – 1ª e 2ª via – e a emissão de boletim resumo para renovação de CNH.

O combate às drogas foi o que mobilizou o CVT de Ituiutaba, no Triângulo Mineiro, a trabalhar junto com o Conselho Municipal de Assistência Social e o Instituto Social Viva a Vida (Sovida). As entidades organizaram no CVT palestra sobre o Programa de Auxílio Comunitário ao Toxicômano. Durante oito horas, o palestrante, Padre Vitor Hugo, especialista em fazendas terapêuticas, orientou profissionais no exercício de combate às drogas. Temas como esse e o papel da família na prevenção, recuperação e ressocialização do dependente químico foram discutidos com as mais de 50 profissionais, entre médicos, assistentes sociais, psicólogos e pedagogos. “O nosso foco é possibilitar que entidades municipais trabalhem com a recuperação de dependência química para consolidar uma rede de parcerias e autoajuda para enfrentar o problema das drogas em Ituiutaba”, destacou o coordenador geral do CVT de Ituiutaba, André Luis de Oliveira.

A unidade de Monte Azul, no Norte de Minas, com o apoio do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac), da Prefeitura Municipal e da Câmara dos vereadores realizou a Rua do Lazer para as crianças do bairro Novo Alvorada. O evento possibilitou que crianças comessem e brincassem gratuitamente, além de cortarem e arrumarem os cabelos com os formandos do curso de cabelereiro do CVT. Além disso, esses alunos entregaram mais de 100 brinquedos, arrecadados durante as aulas no CVT de atendimento ao público, para as crianças. “Este dia de beleza e lazer promovido no Bairro Novo Alvorada trouxe aos moradores diversão, alegria, e, principalmente, beleza e autoestima”, ressaltou o coordenador geral do CVT, Ramon Custódio. A Rua do Lazer é um projeto do CVT de Monte Azul. Ela trabalha na divulgação dos cursos que a entidade promove e possibilita que seus alunos pratiquem o que aprenderam.

O CVT de Patos de Minas, em parceria como Senac Minas, avançou as fronteiras do município e foi a Presidente Olegário (Alto Paranaíba) para apresentar os cursos do portal da inclusão digital e ressaltar a importância da qualificação profissional, sobretudo aos jovens do ensino médio que estão em período de escolha profissional. A palestra foi realizada na carreta itinerante do Senac Minas, que recebeu mais de 300 alunos da rede pública. Além do trabalho do CVT, os jovens tiveram esclarecimentos sobre drogas e orientação profissional.

Saúde e cidadania são os temas trabalhados pelo Projeto Ação Legal, desenvolvido pelo CVT de Taiobeiras, no Norte de Minas, em parceria com a secretaria municipal de Saúde e a prefeitura local. O programa leva serviços gratuitos de saúde preventiva e cidadania, envolvendo entidades como Correios, Cartório Eleitoral, Polícia Militar e Civil, Conselho Tutelar e Antidrogas. A primeira ação foi promovida na zona rural de Lagoa Grande e na comunidade de Mirandópolis. De acordo com o coordenador geral do CVT de Taiobeiras, Welton Silveira, ao todo serão oito ações incluindo todos os bairros da cidade, numa tentativa de divulgar o CVT e estabelecer parcerias estratégicas. “Com esse projeto, queremos tornar ainda mais pública as ações do CVT e do Núcleo de Apoio ao Programa Saúde Família (Nasf), por meio dos diversos parceiros que aderiram ao projeto. Sou grato ao apoio da Prefeitura e da Câmara Municipal e, principalmente, às pessoas que estão sendo beneficiadas com os nossos serviços”, afirma Welton.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/centros-vocacionais-tecnologicos-qualificam-cidadaos-e-fazem-trabalho-social/