Lula e Haddad punidos por propaganda antecipada

Lula e Haddad punidos por propaganda –  Ratinho do SBT também pagará multa de R$ 5 mil, 2º juíza houve clara ‘indução no pedido de votos”.

Lula e Haddad: propaganda eleitoral fora de época

Lula e Haddad punidos por propaganda -  Ratinho do SBT também pagará multa de R$ 5 mil, 2º juíza houve clara 'indução no pedido de votos".

Lula e Haddad punidos por propaganda – Ratinho do SBT também pagará multa de R$ 5 mil, 2º juíza houve clara ‘indução no pedido de votos” – Reprodução Blog do Noblat

Fonte: O Globo

Lula, Haddad e Ratinho são multados em R$ 5 mil

Juíza eleitoral entendeu que houve propaganda aberta do ex-presidente para o candidato do PT

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o apresentador Ratinho, o SBT e o candidato do PT à prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad, foram multados em R$ 5 mil cada um pela Justiça Eleitoral.

A juíza auxiliar da propaganda eleitoral Carla Themis Lagrotta Germano entendeu que houve propaganda antecipada durante a participação dos petistas no programa de Ratinho no dia 31 de maio. A representação havia sido apresentada pelo PSDB e pelo PPS.

Na sentença, a juíza escreveu que no programa “houve propaganda ainda que de forma dissimulada”. “Há clara indução ao eleitor no pedido de votos, na medida em que o pré-candidato (Haddad) se identifica como sendo o novo na política, e naquele em que a população irá votar, porque quer mudança”, escreveu a juíza.

Na avaliação de Carla Germano, Lula fez “propaganda aberta” para o pré-candidato do PT. A coordenação da campanha de Haddad informou que irá recorrer da decisão ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE). O Instituto Lula e o SBT não quiseram se manifestar. Ratinho ainda seria consultado sobre o caso.

Lula e Haddad – Link da matéria: http://oglobo.globo.com/pais/lula-haddad-ratinho-sao-multados-em-5-mil-5323298#ixzz1z0KrKtXu

Leia também:

Aécio Neves: líder da oposição questiona Governo Dilma do PT

Aécio Neves: líder da oposição também criticou a desindustrialização e diz que Governo do PT vai deixar “herança maldita” para o Brasil.

Em Brasília, senador Aécio Neves critica governo federal por cancelamento de instalação das UPPs em Minas 

Fonte: Site do senador Aécio Neves

Aécio Neves: líder da oposição

Sobre as críticas feitas ao governo federal e à presidente Dilma Rousseff em discurso na tribuna do Senado Federal:

Aécio Neves

“Todo governo tem uma carência. Achamos que essa carência terminou. Nós, da oposição, não apenas do PSDB, mas do Democratas, do PPS e alguns outros senadores e parlamentares que fazem oposição, vamos inaugurar uma nova fase: a da cobrança. A fase onde vamos colocar, de um lado, as promessas e os compromissos do governo, e de outro, a realidade. O governo, e a grande verdade é essa, está absolutamente paralisado. Paralisado do ponto de vista das iniciativas políticas, 15 meses se passaram e nenhuma reforma estrutural chegou a esta Casa. E do ponto de vista administrativo, as grandes obras e os grandes projetos estão todos com seus prazos já vencidos e muitos deles sem qualquer planejamento em relação a quando vai terminar.

“A situação econômica de hoje não é a do passado, o governo parece repetir a mesma receita do governo do presidente Lula, se omitindo em questões essenciais, como, por exemplo, a questão da segurança pública. É vergonhoso o anúncio feito hoje pelo Ministério da Justiça de cancelamento do programa das UPPs. Muitos estados, e Minas Gerais, de forma especial, contavam com isso, esperavam esses recursos. Seriam cerca de 3,3 mil UPPs em todo o Brasil. De hora para a noite – inclusive, apresentei requerimento de informações hoje ao ministro da Justiça – o governo diz que esse projeto não é mais prioritário. Exatamente no momento em que recrudesce a violência em várias partes do País.

“Da mesma forma que o governo virou as costas para a saúde pública, não aprovando a participação de 10% das receitas da União no momento da votação da emenda 29, ao mesmo tempo em que estados e municípios têm seus percentuais obrigatórios, nessa hora o governo também para a segurança pública definitivamente vira as costas. Não dá mais para aceitarmos a propaganda oficial de que estamos vivendo em um país das maravilhas. O Brasil foi o país que menos cresceu em toda a América do Sul. Na América Latina, crescemos mais do que dois países de muito menor porte. Alguma coisa precisa ser feita.

“O processo de desindustrialização é grave. Isso durará anos e essa sim é a herança maldita que o governo do PT vai deixar para o Brasil, o retorno aos idos da década de 1950, quando éramos simplesmente exportadores de commodities, de matérias-primas. Nós, que já tivemos na composição do nosso PIB, 26% de contribuição da indústria, de manufaturados, hoje não chega a 15% essa participação. Portanto, estamos agora começando a fazer alertas claros. Vamos visitar as obras inacabadas.

“Vamos no roteiro que a assessoria, os conselheiros da Presidência, impediram que ela (presidente Dilma Rousseff) fosse. Porque lá estão os canteiros e o desperdício de dinheiro público. Porque não existe, e falo aqui como ex-governador de Minas Gerais, maior desperdício de dinheiro público, maior acinte para com a população, do que uma obra inacabada. Uma obra iniciada sem planejamento, sem financiamento, porque os benefícios dessa obra jamais existirão. Mas os recursos ali alocados estarão perdidos. Portanto, vamos sim, a partir de agora, mensalmente, apresentar os resultados do PAC, o andamento das principais obras e os resultados das políticas sociais, em relação aos quais voltarei à tribuna em algumas semanas para dissecar e mostrar que o Brasil está parado. O que hoje avança no Brasil, e avança de forma muito vigorosa, é a propaganda oficial.”

O senhor está mandando o ofício ao ministro da Justiça?

Estou oficiando ao ministro da Justiça porque não é possível que uma matéria dessa relevância tenha uma solução tão prática. Simplesmente anuncia-se o cancelamento do programa. E o que vai se colocar no lugar? E os estados que esperavam essa parceria com o governo federal? Na segurança pública, o que o governo vem cometendo é uma irresponsabilidade com o País. O Fundo Nacional de Segurança Pública (FNSP) e o Fundo Penitenciário (Funpen) têm sido, há vários anos, em todo o período do governo do PT, contingenciados ao final de cada ano. Com isso, os estados não planejam a sua segurança com participação de investimentos federais. E, no final do ano, esses recursos são distribuídos de forma muito pouco republicana. Portanto, esse ofício vai cobrar, inclusive, a liberação desses recursos dos fundos, como é feito com a educação, tenho inclusive uma proposta tramitando na Casa, sem o apoio do governo, é preciso que se diga, nessa direção, que esses recursos sejam transferidos por duodécimos para os estados brasileiros para que eles possam planejar seus investimentos em segurança.

A presidente fala, em uma reunião recente com grandes empresários nacionais, que quer caminhar para baixar os impostos no Brasil. Apenas recordo a ela uma proposta feita em sua campanha eleitoral, uma promessa feita, de zerar os impostos, PIS /Cofins, das empresas de saneamento. A proposta está aqui, de minha autoria, tramitando na Casa, sem apoio do governo. As empresas de saneamento estão gastando, e gastaram em 2011, veja bem, mais em impostos do que em obras de saneamento no Brasil. Um país onde 48% da população não têm esgoto dentro de Casa. Portanto, vamos mostrar o País real. Essa é a responsabilidade da oposição e quem sabe, com isso, acordarmos o governo. Tirarmos o governo do imobilismo e do improviso, que tem sido, a meu ver, as duas principais marcas dos 10 anos de governo do PT.

E a campainha da presidente Marta Suplicy, atrapalhou?  (durante o pronunciamento do senador foi interrompido quatro vezes em razão do tempo)

A presidente é muito ciosa em relação ao regimento quanto estão na tribuna membros da oposição. Não tem essa mesma rigidez quando estão, enfim, figuras próximas ao governo ou que ela acha que deveriam ter um pouco mais de tempo. Mas isso é irrelevante. O que queria dizer foi dito. Vamos voltar agora mais cotidianamente à tribuna, para tratar de questões específicas, dos programas sociais, especificamente do que está acontecendo com a saúde pública no Brasil em razão da omissão do governo federal. Os municípios entram com 15% das suas receitas. A União com 12%. Propusemos, aliás, um senador do PT propôs, o senador Tião Viana, que o governo entrasse com 10%, que é quem concentra receitas hoje. É o governo federal. Propusemos que isso pudesse ser feito de forma gradual, paulatina, ao longo dos anos. Nem isso. Há hoje um descompromisso do governo com as promessas de campanha e com aquelas que são as emergências maiores, as demandas maiores, da população brasileira. Em especial segurança pública, saneamento, saúde e educação.

Aécio Neves: líder da oposição questiona Governo Dilma do PT

Aécio Neves: líder da oposição também criticou a desindustrialização e diz que Governo do PT vai deixar “herança maldita” para o Brasil.

Em Brasília, senador Aécio Neves critica governo federal por cancelamento de instalação das UPPs em Minas 

Fonte: Site do senador Aécio Neves

Aécio Neves: líder da oposição

Sobre as críticas feitas ao governo federal e à presidente Dilma Rousseff em discurso na tribuna do Senado Federal:

Aécio Neves

“Todo governo tem uma carência. Achamos que essa carência terminou. Nós, da oposição, não apenas do PSDB, mas do Democratas, do PPS e alguns outros senadores e parlamentares que fazem oposição, vamos inaugurar uma nova fase: a da cobrança. A fase onde vamos colocar, de um lado, as promessas e os compromissos do governo, e de outro, a realidade. O governo, e a grande verdade é essa, está absolutamente paralisado. Paralisado do ponto de vista das iniciativas políticas, 15 meses se passaram e nenhuma reforma estrutural chegou a esta Casa. E do ponto de vista administrativo, as grandes obras e os grandes projetos estão todos com seus prazos já vencidos e muitos deles sem qualquer planejamento em relação a quando vai terminar.

“A situação econômica de hoje não é a do passado, o governo parece repetir a mesma receita do governo do presidente Lula, se omitindo em questões essenciais, como, por exemplo, a questão da segurança pública. É vergonhoso o anúncio feito hoje pelo Ministério da Justiça de cancelamento do programa das UPPs. Muitos estados, e Minas Gerais, de forma especial, contavam com isso, esperavam esses recursos. Seriam cerca de 3,3 mil UPPs em todo o Brasil. De hora para a noite – inclusive, apresentei requerimento de informações hoje ao ministro da Justiça – o governo diz que esse projeto não é mais prioritário. Exatamente no momento em que recrudesce a violência em várias partes do País.

“Da mesma forma que o governo virou as costas para a saúde pública, não aprovando a participação de 10% das receitas da União no momento da votação da emenda 29, ao mesmo tempo em que estados e municípios têm seus percentuais obrigatórios, nessa hora o governo também para a segurança pública definitivamente vira as costas. Não dá mais para aceitarmos a propaganda oficial de que estamos vivendo em um país das maravilhas. O Brasil foi o país que menos cresceu em toda a América do Sul. Na América Latina, crescemos mais do que dois países de muito menor porte. Alguma coisa precisa ser feita.

“O processo de desindustrialização é grave. Isso durará anos e essa sim é a herança maldita que o governo do PT vai deixar para o Brasil, o retorno aos idos da década de 1950, quando éramos simplesmente exportadores de commodities, de matérias-primas. Nós, que já tivemos na composição do nosso PIB, 26% de contribuição da indústria, de manufaturados, hoje não chega a 15% essa participação. Portanto, estamos agora começando a fazer alertas claros. Vamos visitar as obras inacabadas.

“Vamos no roteiro que a assessoria, os conselheiros da Presidência, impediram que ela (presidente Dilma Rousseff) fosse. Porque lá estão os canteiros e o desperdício de dinheiro público. Porque não existe, e falo aqui como ex-governador de Minas Gerais, maior desperdício de dinheiro público, maior acinte para com a população, do que uma obra inacabada. Uma obra iniciada sem planejamento, sem financiamento, porque os benefícios dessa obra jamais existirão. Mas os recursos ali alocados estarão perdidos. Portanto, vamos sim, a partir de agora, mensalmente, apresentar os resultados do PAC, o andamento das principais obras e os resultados das políticas sociais, em relação aos quais voltarei à tribuna em algumas semanas para dissecar e mostrar que o Brasil está parado. O que hoje avança no Brasil, e avança de forma muito vigorosa, é a propaganda oficial.”

O senhor está mandando o ofício ao ministro da Justiça?

Estou oficiando ao ministro da Justiça porque não é possível que uma matéria dessa relevância tenha uma solução tão prática. Simplesmente anuncia-se o cancelamento do programa. E o que vai se colocar no lugar? E os estados que esperavam essa parceria com o governo federal? Na segurança pública, o que o governo vem cometendo é uma irresponsabilidade com o País. O Fundo Nacional de Segurança Pública (FNSP) e o Fundo Penitenciário (Funpen) têm sido, há vários anos, em todo o período do governo do PT, contingenciados ao final de cada ano. Com isso, os estados não planejam a sua segurança com participação de investimentos federais. E, no final do ano, esses recursos são distribuídos de forma muito pouco republicana. Portanto, esse ofício vai cobrar, inclusive, a liberação desses recursos dos fundos, como é feito com a educação, tenho inclusive uma proposta tramitando na Casa, sem o apoio do governo, é preciso que se diga, nessa direção, que esses recursos sejam transferidos por duodécimos para os estados brasileiros para que eles possam planejar seus investimentos em segurança.

A presidente fala, em uma reunião recente com grandes empresários nacionais, que quer caminhar para baixar os impostos no Brasil. Apenas recordo a ela uma proposta feita em sua campanha eleitoral, uma promessa feita, de zerar os impostos, PIS /Cofins, das empresas de saneamento. A proposta está aqui, de minha autoria, tramitando na Casa, sem apoio do governo. As empresas de saneamento estão gastando, e gastaram em 2011, veja bem, mais em impostos do que em obras de saneamento no Brasil. Um país onde 48% da população não têm esgoto dentro de Casa. Portanto, vamos mostrar o País real. Essa é a responsabilidade da oposição e quem sabe, com isso, acordarmos o governo. Tirarmos o governo do imobilismo e do improviso, que tem sido, a meu ver, as duas principais marcas dos 10 anos de governo do PT.

E a campainha da presidente Marta Suplicy, atrapalhou?  (durante o pronunciamento do senador foi interrompido quatro vezes em razão do tempo)

A presidente é muito ciosa em relação ao regimento quanto estão na tribuna membros da oposição. Não tem essa mesma rigidez quando estão, enfim, figuras próximas ao governo ou que ela acha que deveriam ter um pouco mais de tempo. Mas isso é irrelevante. O que queria dizer foi dito. Vamos voltar agora mais cotidianamente à tribuna, para tratar de questões específicas, dos programas sociais, especificamente do que está acontecendo com a saúde pública no Brasil em razão da omissão do governo federal. Os municípios entram com 15% das suas receitas. A União com 12%. Propusemos, aliás, um senador do PT propôs, o senador Tião Viana, que o governo entrasse com 10%, que é quem concentra receitas hoje. É o governo federal. Propusemos que isso pudesse ser feito de forma gradual, paulatina, ao longo dos anos. Nem isso. Há hoje um descompromisso do governo com as promessas de campanha e com aquelas que são as emergências maiores, as demandas maiores, da população brasileira. Em especial segurança pública, saneamento, saúde e educação.

Gestão Anastasia: Deputado Bonifácio Mourão é o novo líder do Governo de Minas na Assembleia Legisltativa

O governador Antonio Anastasia encaminhou à Assembleia Legislativa mensagem indicando o parlamentar do PSDB para a função

O governador Antonio Anastasia encaminhou, nesta sexta-feira (23), à Assembleia Legislativa, mensagem indicando o deputado Bonifácio Mourão (PSDB) para a função de líder do Governo. Ele substitui o deputado Luiz Humberto (PSDB), que assumiu a função no início de 2011.

O primeiro contato do governador com o novo líder ocorreu durante os trabalhos da Constituinte de 1989, quando Anastasia assessorou Mourão, então relator da Constituição Mineira.

“Tenho a convicção de que o exercício da liderança do deputado Bonifácio Mourão, ao lado de seus ilustres pares, transmitirá a esse Parlamento o renovado respeito institucional do Governo, bem como evidenciará aos mineiros o compromisso do Poder Executivo com os mais elevados valores democráticos”, afirmou o governador na mensagem encaminhada ao presidente da Assembleia Legislativa, deputado Dinis Pinheiro.

Advogado formado pela Universidade Federal de Minas Gerais, turma de 1967, Bonifácio Mourão é doutor em Direito pela mesma UFMG, tendo atuado na profissão até 1982, quando começou a carreira política como vice-prefeito de Governador Valadares. Foi prefeito em duas oportunidades daquela cidade do Vale do Rio Doce. No Executivo estadual, foi subsecretário de Desenvolvimento Social e de Obras Públicas.  Mourão é natural de Sabinópolis, no Vale do Rio Doce, e tem 71 anos.

Bonifácio Mourão, que já está na sua quinta legislatura, tornou, em seu primeiro mandato, relator da Constituinte Estadual em 1989. Foi nesse período que trabalhou com o governador Antonio Anastasia, então integrante do grupo de assessoria direta da relatoria, nascendo daí uma relação de confiança e respeito mútuo.

Como parlamentar, presidiu as comissões de Constituição e Justiça, Administração Pública e Fiscalização Financeira e Orçamentária.  Mourão ocupava, atualmente, a liderança do Bloco Transparência e Resultado, composto por PSDB, PHS, PPS, PR, PRP, PRTB, PSD, PT DO B e PTB.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/deputado-bonifacio-mourao-e-o-novo-lider-do-governo-de-minas-na-assembleia-legisltativa/

Itamar defenderá no Senado aumento do repasse do FPM aos municípios

Itamar Franco afirma que defenderá no Senado aumento do repasse do FPM aos municípios

Fonte: Coligação “Somos Minas Gerais”

Em visita a Coromandel, no Alto Paranaíba, ex-presidente destaca que prefeitos mineiros terão mais representatividade com Aécio e Itamar no Congresso

O ex-presidente Itamar Franco, candidato ao Senado Federal, reafirmou, nesta segunda-feira (27/09), o compromisso de trabalhar no Senado, ao lado do ex-governador Aécio Neves, pelo aumento do repasse do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) e pela diminuição da dependência das prefeituras em relação aos recursos do fundo.

Em visita às regiões do Alto Paranaíba e Triângulo Mineiro, ao lado do governador Antonio Anastasia, candidato à reeleição, Itamar Franco também destacou a força demonstrada pelos prefeitos mineiros nas eleições deste ano. Segundo o ex-presidente, o apoio dos prefeitos e das lideranças municipais a Antonio Anastasia, Aécio e ele, será fundamental para aumentar a representatividade das prefeituras mineiras no Congresso Nacional nos próximos anos.  Itamar lembra que já foi prefeito de Juiz de Fora por dois mandatos e conhece bem as dificuldades dos administradores municipais.

“A maioria dos prefeitos de Minas está precisando muito dessa representação política, porque vive do Fundo de Participação dos Municípios e esse fundo, hoje, a União trouxe quase todo para si. Então, é necessária essa luta no Senado, para que tenhamos senadores como Aécio e outros para defender os prefeitos. O Senado é um grande defensor, e digamos, é a Câmara Alta que examina os problemas dos municípios”, disse Itamar Franco.

Os recursos do FPM são repassados pela União às prefeituras e têm o percentual determinado, principalmente, pela proporção do número de habitantes estimado pelo IBGE. O fundo é responsável pela maioria das receitas das prefeituras dos pequenos municípios brasileiros. No ano passado, com a crise financeira mundial, muitos municípios tiveram redução dos repasses do FPM pelo governo federal. Também perderam recursos com os cortes de IPI para veículos novos, promovidos pelo governo federal.

Para diminuir os efeitos da crise e da carência de recursos, o Governo de Minas realizou parcerias com as prefeituras para a realização de obras de infraestrutura importantes para o desenvolvimento econômico e social dos municípios, gerando mais empregos e melhorando a qualidade de vida da população.

Liderança nas pesquisas
Aécio e Itamar lideram todas as pesquisas eleitorais realizadas para medir as intenções de voto dos mineiros para as duas vagas de Minas no Senado Federal. De acordo com pesquisa Ibope, divulgada hoje (27/09), o ex-governador Aécio Neves e o ex-presidente Itamar Franco estariam eleitos. Aécio Neves, que tinha 67% das intenções na última pesquisa, agora passou para 69%. Itamar Franco manteve os 44% na preferência dos eleitores de Minas. Já o candidato que aparece em terceiro lugar caiu para 29%.

Considerando apenas os votos válidos para o Senado, quando se exclui os votos brancos, nulos e eleitores indecisos, o ex-governador Aécio Neves continua em primeiro lugar, com 46% das intenções de voto, seguido por Itamar Franco com 30% das intenções. Já o terceiro colocado aparece apenas com 19%.

A nova pesquisa Ibope foi realizada entre os dias 23 e 25 de setembro. Foram entrevistados 2.002 eleitores em Minas. A margem de erro é de dois pontos percentuais. A pesquisa está registrada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MG) com o número 74106/2010.

Datafolha confirma liderança de Aécio e Itamar na disputa pelo Senado

Datafolha confirma liderança de Aécio e Itamar para o Senado

Fonte: Coligação “Somos Minas Gerais”

Candidatos da coligação “Somos Minas Gerais” defenderão os interesses de Minas no Senado

Nova pesquisa Datafolha divulgada, neste sábado (18/09), demonstrou que os candidatos da coligação “Somos Minas Gerais” lideram a disputa pelas duas vagas ao Senado Federal por Minas Gerais. A pesquisa, realizada nos dias 13 e 14 de setembro, mostra o ex-governador Aécio Neves com 71% das intenções de votos e o ex-presidente Itamar Franco com 40%. De acordo com a pesquisa, 23% dos eleitores ainda não decidiram em quem votar.

O coordenador político da campanha da coligação “Somos Minas Gerais” e ex-secretário do Governo, Danilo de Castro, afirmou que a eleição de Aécio Neves e Itamar Franco será fundamental para defender os interesses de Minas no Senado e consolidar o projeto de governo de Antonio Anastasia, candidato à reeleição.
“As pesquisas demonstram que os mineiros já têm uma visão muito clara da importância da eleição de Aécio e Itamar. Minas é um dos estados mais importantes do Brasil. Tem hoje indicadores econômicos e sociais superiores aos resultados nacionais e, certamente, a eleição de Aécio e Itamar dará continuidade a esses avanços. Aécio e Itamar são os candidatos que têm as mãos limpas, um passado de trabalho e representam, hoje, uma candidatura nascida em Minas, com os melhores valores do nosso Estado”, afirmou Danilo de Castro.

Anastasia lidera disputa para Governo
Na disputa pelo Governo de Minas, o Datafolha confirmou a liderança de Antonio Anastasia na preferência dos eleitores mineiros, já apontada também na semana passada, pelo Ibope. Na pesquisa divulgada ontem (17/09), o governador está com 40% das intenções de votos, com crescimento de 23 pontos percentuais em pouco mais de um mês. Os números comprovam que é cada vez maior o reconhecimento da população pelo trabalho desenvolvido por Anastasia, nos últimos oito anos, ao lado do ex-governador Aécio Neves.

O Datafolha confirma que desde o início de agosto, a candidatura de Antonio Anastasia tem mantido crescimento permanente entre os eleitores. Na pesquisa realizada entre os dias 9 e 12 de agosto, Anastasia tinha 17% das intenções de voto. No dia 27 do mês passado, subiu para 29%. Em 3 de setembro, Anastasia passou para 35% e atingiu 36% em 11 de setembro.

Os números do Datafolha também mostram que a situação do principal adversário do governador é exatamente oposta. O candidato do PMDB, Hélio Calixto Costa, continua caindo nas pesquisas e está com 37%. Na pesquisa Ibope divulgada na última sexta-feira, Hélio Costa caiu para 32%, enquanto Antonio Anastasia atingiu 41% das intenções de voto.
.
A pesquisa Datafolha entrevistou 1.837 eleitores em 83 municípios mineiros. O levantamento foi registrado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com o número 30.021/2010. A margem de erro da pesquisa é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.

Em visita à Zona da Mata, Anastasia ressalta que é o candidato “das mãos limpas, da ética e da responsabilidade”

Antonio Anastasia: “sou o candidato das mãos limpas, da ética e da responsabilidade”

Fonte: Coligação “Somos Minas Gerais”

Ao lado de Itamar Franco, governador é recebido com entusiasmo em cinco cidades da Zona da Mata

A população da Zona da Mata abraçou a campanha de Antonio Anastasia e foi às ruas para receber o governador Antonio Anastasia, nesta sexta-feira (17/09). Ao lado do ex-presidente Itamar Franco, mineiro de Juiz de Fora, Antonio Anastasia visitou Goianá, São João Nepomuceno, Além Paraíba, Visconde do Rio Branco e Leopoldina. Por onde passaram, Anastasia e Itamar foram recebidos com muito carinho e entusiasmo pela população, que já demonstrou ter feito a melhor escolha para governar Minas Gerais. Vários prefeitos da região garantiram um esforço ainda maior para a reeleição de Antonio Anastasia nesta reta final de campanha.

“Avançamos muito, mas ainda há muito o que fazer. Quero estar ao lado de vocês trazendo o progresso para Minas Gerais. Quero assumir o compromisso público para trazermos empregos, empregos, empregos e, para isso, o Estado estará ao lado das prefeituras, dos empresários e dos trabalhadores. Falo com orgulho que sou o candidato das mãos limpas, da ética e da responsabilidade. Sou o candidato do trabalho. Já estamos à frente das pesquisas, mas não podemos descansar, temos que trabalhar e arregaçar as mangas”, afirmou o governador em Visconde do Rio Branco.

Antonio Anastasia destacou, durante a visita que fez à Zona da Mata, a importância do apoio do Governo de Minas para a melhoria da infraestrutura dos municípios mineiros e reafirmou o seu compromisso com a geração de empregos em todas as regiões do estado. O governador comemorou o resultado das pesquisas que apontam a liderança de sua candidatura ao Governo de Minas e garantiu que, reeleito, promoverá novos avanços sociais à população mineira.

Na pesquisa divulgada nesta sexta-feira, pelo Datafolha, Anastasia assumiu a liderança com 40% das intenções de votos com crescimento de 23 pontos percentuais em pouco mais de um mês. O candidato adversário Hélio Calixto Costa está com 37%. O Datafolha confirma a preferência do eleitor mineiro por Anastasia, já apontada pelo Ibope na semana passada, que registrou 41% das intenções de voto para o governador e 32% para o candidato do PMDB.

População quer mais avanços

A visita de Anastasia e Itamar à Zona da Mata começou em Goianá, cidade localizada a 35 km de Juiz de Fora. Os candidatos desembarcaram no Aeroporto Internacional da Zona da Mata, projeto criado pelo então governador Itamar Franco e concluído no governo Aécio Neves. Antonio Anastasia foi recebido por prefeitos e lideranças políticas da região, para quem garantiu que, reeleito, contará com o aeroporto para implantar um importante polo logístico na região.

Do aeroporto de Goianá, Antonio Anastasia e Itamar Franco, acompanhados de lideranças e parlamentares, seguiram para São João Nepomuceno. Um grande foguetório marcou a chegada dos candidatos ao município. A população saiu às ruas com bandeiras para saudar Anastasia e Itamar. Integrantes da Juventude Imperial, escola de samba da região, tocaram bateria e animaram a festa.

Os candidatos fizeram carreata pela rua Tancredo Neves, e caminhada no calçadão, sendo cumprimentados e saudados por comerciantes e moradores da cidade. O centro comercial de São João Nepomuceno parou durante a caminhada de Anastasia e Itamar que discursaram para mais de 400 pessoas.

A aposentada Déa Monteiro, que mora na Rua Tancredo Neves, enfeitou a porta de sua casa com adesivos para a passagem dos candidatos. Atenta ao crescimento da candidatura de Anastasia, a aposentada garantiu o apoio de toda a sua família. “Na minha família, todo mundo está com eles. E as pesquisas já mostram que os mineiros também querem Anastasia para governador e Aécio e Itamar no Senado. O mineiro não é bobo, não quer andar para trás”, disse.

A vendedora Vera Lúcia Ferreira também está confiante. “Vamos com Anastasia, que tanto fez pela Zona da Mata. O eleitor já decidiu porque quer a continuidade das melhorias para toda a população de Minas”, afirmou.

Festa nas ruas
Em Além Paraíba, o governador Anastasia e o ex-presidente Itamar foram recebidos pela população e por lideranças políticas no estádio municipal. Na saída do estádio, Anastasia foi abordado por um grupo de estudantes da Escola Estadual Alfredo Castelo Branco que tiraram fotos com o governador e pediram autógrafo. Durante a carreata pelas principais ruas da cidade, os moradores foram para as portas das casas e das lojas para saudar os candidatos.

A servidora da Escola Estadual São José, de Além Paraíba, fez questão de ir à praça para conhecer o governador e desejar boa sorte. Depois de abraçá-lo, a servidora agradeceu ao governador pelos avanços na educação de Minas.

“O funcionalismo público estadual, na área da educação, vem percebendo as mudanças que o governo Aécio Neves proporcionou. Conseguimos nosso plano de carreira. Agradeci ao governador por tudo. Ele tem que ser reeleito para que dê continuidade a essas propostas, para melhorar os nossos salários e a educação de Minas”, disse.

Em Visconde do Rio Branco, o governador e o ex-presidente foram recebidos por várias lideranças municipais da região. Eles fizeram carreata até a Praça 28 de Setembro, tradicional ponto de encontro da cidade. Uma multidão aguardava Anastasia e Itamar, que foram recebidos com as músicas “Peixe Vivo” e “Oh, Minas Gerais” interpretadas pela Banda 13 de Maio, formada por crianças, jovens e adultos.
A dona de casa Letícia Pazini, levou a filha Yasmin à praça para conhecer o governador e tirar uma foto com ele. “É o melhor governador para Minas, pois conta com o apoio do Aécio Neves e do Itamar Franco. Precisa ser reeleito para continuar fazendo um bom governo”, disse Letícia.

Anastasia e Itamar Franco encerraram em Leopoldina o dia de campanha na Zona da Mata. Uma grande festa foi preparada pela população para receber os candidatos. Para espantar o forte calor, eles fizeram uma parada na Sorveteria Sol e Neve. Os candidatos ainda discursaram para cerca de 500 pessoas e foram muito aplaudidos. O pequeno João Vitor Silva, 10, que já atuou em filmes do cinema, entregou ao governador uma foto de Anastasia no início da campanha, em visita a Leopoldina. Com bandeiras, fogos e muita música, a população mostrou que está confiante na reeleição do governador.

Prefeitos reforçam candidatura
Anastasia e Itamar Franco receberam o apoio de prefeitos e lideranças políticas em todas as cidades que visitaram na Zona da Mata. Eles se comprometeram a arregaçar as mangas nos últimos 15 dias de campanha levando as propostas de Antonio Anastasia aos eleitores.

“Anastasia entende que é no pequeno município que os problemas têm que ser resolvidos. Ele transmite para a gente segurança, vontade de querer fazer cada vez mais por Minas Gerais. Tudo que conseguimos aqui na Zona da Mata contamos com ajuda do governo do Estado. Hoje, São João Nepomuceno é um polo microrregional de saúde”, afirmou a prefeita de São João Nepomuceno, Edmea Moreira Machado (PSDB).

O prefeito de Pequeri, Raul Salles (PSDB), afirmou que Anastasia conhece a realidade de Minas e soube, ao lado de Aécio Neves, contornar os efeitos da crise financeira internacional nos municípios.
“O governador Anastasia já conhece o Estado, os nossos problemas e os nossos potenciais, além de ser um grande intelectual, um conhecedor do Direito Constitucional. Essas coisas a gente tem que levar em conta. O governo do Estado conseguiu dar um retorno a todos os municípios como compensação pelas perdas com a crise financeira. Um governador como esse tem que ser reeleito”, disse.

O prefeito de Visconde do Rio Branco, João Antônio de Souza (PSDB), está confiante na vitória de Antonio Anastasia para garantir novos avanços sociais para o Estado. “A dupla Aécio/Anastasia revigorou Minas. Estou na política há muitos anos, acompanho Minas Gerais politicamente desde 1988 e nunca houve assim um resgate do povo mineiro, como aconteceu com Aécio e Anastasia. O mineiro, que é mineiro, tem que votar em Anastasia”, disse.

O prefeito de Guiricema, Antônio Vaz de Melo (DEM), garantiu que os prefeitos apoiarão a candidatura de Antonio Anastasia. “O Anastasia, pelo que vejo e conheço, é a pessoa mais competente para governar Minas. Já foi vice-governador, assessorando o Aécio, com um trabalho brilhante e vamos dar apoio a ele na região. É o melhor para Minas Gerais”.

O prefeito de Senador Firmino, William Mussi (PSDB), afirmou que a Zona da Mata apostou em Anastasia para ser o futuro governador de Minas. “Anastasia está continuando o trabalho do governador Aécio Neves e, mais que isso, ele tem um projeto de avançar cada vez mais na nossa região, com a indústria, com o asfalto, com o emprego principalmente”, disse.

O prefeito de Leopoldina, Bené Guedes (PSDB), destacou a capacidade administrativa de Antonio Anastasia para governar um estado tão diversificado com Minas Gerais.
“Anastasia é um grande gestor e junto com Aécio Neves deu muita força para nós. Aécio, mais uma vez, demonstrou a sua sabedoria e colocou esse grande líder para nos comandar nos próximos quatros anos. Anastasia é uma pessoa extraordinária, transparente, um grande gestor. Tem muita sensibilidade política. É uma grande revelação da política mineira”, afirmou.

Itamar Franco defende Senado independente

Itamar Franco defende Senado independente

Fonte: Coligação “Somos Minas Gerais”

Ex-presidente diz que Constituição estabelece que o senador deve julgar o presidente da República e que, para isso, não deve ser atrelado ao Poder Executivo

O candidato ao Senado pela coligação “Somos Minas Gerais”, Itamar Franco, defende a independência dos senadores em relação ao Poder Executivo. Ontem, em seu twitter, Itamar afirmou que a primeira atribuição constitucional de um senador é julgar o presidente da República.
“A primeira atribuição constitucional de um senador é julgar o presidente da República”. E perguntou: “Como pode um candidato anunciar-se senador do presidente?”

No entendimento de Itamar Franco, que já foi senador por 16 anos, em dois mandatos, o parlamentar deve preservar sua isenção, em vez de dizer que será um representante do presidente da República. Um dos motivos que teriam levado ao enfraquecimento do Poder Legislativo, segundo o ex-presidente da República, foi o atrelamento do Congresso ao Governo Federal. “Precisamos resgatar a independência dos Poderes”, afirma.

Ao longo dos dois mandatos como senador, Itamar sempre atuou no campo da oposição, eleito pelo antigo MDB. “Éramos minoria, mas sempre procuramos estudar e nos preparar, como recomendava o saudoso Franco Montoro”, afirma o ex-presidente da República.
Itamar acredita que o senador deve defender os interesses do seu Estado de origem na Câmara Alta. “Outra atribuição, além de julgar o presidente, é estudar o endividamento dos estados e municípios. Dessa forma, ele pode atuar em prol do Estado e dos prefeitos, que é o que Aécio e eu pretendemos fazer caso eleitos”, diz o ex-presidente.

Pacto Federativo
Uma das frentes de trabalho em que pretende atuar é a defesa do pacto federativo. Segundo ele, a União arrecada muito e transfere pouco para os outros entes federativos. “Precisamos efetivar uma distribuição mais justa dos recursos, de tal forma que as cidades que dependem do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) tenham como sobreviver”, disse o candidato. Itamar também pretende lutar pela elevação da alíquota da Cfem, o royaltie do minério, hoje da ordem de 1,6%. “É um absurdo que cidades como Congonhas e Conselheiro Lafaiete, por exemplo, tenham seu subsolo explorado à exaustão e, depois, não recebam uma compensação à altura”.

Itamar Franco disse ainda não compreender o questionamento que está se fazendo sobre as pesquisas divulgadas na última semana. Segundo o Ibope, o governador Antonio Anastasia ultrapassou seu adversário e lidera a disputa para o Governo de Minas. “A candidatura do adversário foi definida com base em pesquisas. Agora, querem desqualificar as mesmas pesquisas?”, perguntou. Segundo ele, pesquisa é um retrato do momento e deve ser relativizada. “Temos que arregaçar as mangas e trabalhar muito para sermos aprovados na verdadeira pesquisa, que é a das urnas”, diz.

Itamar Franco diz estar otimista com pesquisa Ibope e que o momento é de trabalhar

Itamar Franco diz estar otimista com pesquisa, mas afirma que momento é de trabalhar

Fonte: Coligação “Somos Minas Gerais”

Ex-presidente convoca aliados para arregaçar as mangas e eleger Antonio Anastasia

O candidato ao Senado, ex-presidente Itamar Franco (PPS), recebeu com otimismo a nova pesquisa Ibope divulgada pela Rede Globo Minas, nesta segunda-feira (23/8). A pesquisa mostra Itamar Franco em segundo lugar, com 43% das intenções de voto, na disputa por duas vagas ao Senado. O ex-governador Aécio Neves (PSDB) está em primeiro lugar e, se as eleições fossem hoje, estaria eleito com 69% da preferência dos mineiros.

“Esses números nos animam, Aécio e eu, e confirmam a correção da nossa campanha”, afirmou Itamar Franco.

Itamar Franco destacou que as pesquisas mostram a “fotografia” do momento e que o verdadeiro levantamento será realizado no dia 3 de outubro, quando os eleitores irão às urnas. O ex-presidente afirmou que este é o momento de unir os apoios e trabalhar com determinação para reeleger Antonio Anastasia.

“Prefeitos, lideranças políticas e sociais, militantes, juventude, homens e mulheres, todos estão convocados para dar as mãos a Aécio e Anastasia e confirmar esse projeto que deu certo e que tem muito ainda por ser feito, no governo de Minas e no Senado. Temos o grande desafio de eleger Aécio e Anastasia, para confirmar a correção desse projeto”, afirmou Itamar Franco.

Na pesquisa Ibope para o Senado, Itamar Franco apresentou maior crescimento, de 4 pontos percentuais, em relação ao último levantamento publicado em 30 de julho. O terceiro colocado nas pesquisas aparece com 19% dos votos. A pesquisa foi realizada entre os dias 18 e 20 deste mês e ouviu 2.002 eleitores em 110 cidades mineiras, e está registrada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) com o número 68.810/2010. A margem de erro é de dois pontos percentuais.

Confiança em Antonio Anastasia
O ex-presidente avaliou com otimismo os números do Ibope para governador, em que o candidato Antonio Anastasia cresceu seis pontos percentuais, reduzindo para 11% a diferença entre o candidato do PMDB. O ex-presidente da República observa que já participou de diversas eleições no país e que, em várias ocasiões, as pesquisas eleitorais indicavam um resultado no início e outro no final.

“Já vi candidato sair dos 3% para a vitória. Na medida em que o governador for mais conhecido seus índices irão crescer”, disse.

Itamar Franco afirmou que Antonio Anastasia é um homem simples, mineiro de coração, com elevado espírito público e grande conhecedor dos problemas do Estado. “É um dos homens mais brilhantes desta geração”, afirmou o candidato.

Itamar Franco reafirma compromisso com interesses de Minas

Itamar Franco reafirma compromisso com interesses de Minas

Fonte: Coligação “Somos Minas Gerais”

Criador do Plano Real, candidato ao Senado usa primeiro programa para mostrar sua experiência política como prefeito, governador, Presidente da República e embaixador

No primeiro programa do candidato ao Senado pela coligação “Somos Minas Gerais” Itamar Franco, exibido nesta quarta-feira (18/8), passagens da vida pública do criador do Plano Real foram os destaques. O horário eleitoral gratuito nas emissoras de televisão mostrou o compromisso de Itamar Franco com Minas Gerais e com o Brasil. Ao responder por que é candidato, Itamar Franco afirmou que volta para lutar.

“Luta de quem tem um profundo compromisso com Minas e com o Brasil. Muitas pessoas perguntam por que eu resolvi voltar ao Senado. Respondo que é porque tenho compromisso com o país e com Minas Gerais”, explicou o ex-presidente. Em seguida, citou o escritor Guimarães Rosa: “O que a vida quer da gente é coragem.”

A abertura do programa teve a emocionante participação de um jovem que, caminhando por uma longa estrada, enumera as realizações de Itamar Franco sem citar seu nome. O jovem conta a história do homem público que, quando prefeito de Juiz de Fora, apresentou orçamento e preço das obras contratadas em Juiz de Fora, muito antes da palavra transparência entrar na moda.

“Esse homem teve pulso, teve serenidade para conduzir o país em um dos momentos mais sérios da história, criou o Plano Real e teve 40 anos de vida pública sem qualquer mancha. Esse homem é tão importante que você já sabe quem ele é, sem que eu tenha dito seu nome uma única vez”, fala o jovem na abertura do programa eleitoral.

Defesa da candidatura avulsa
Ao longo da campanha o candidato apresentará sua plataforma para o Senado, que inclui a defesa das reformas tributária, fiscal e política, e do pacto federativo. Uma das plataformas de Itamar Franco é a instituição da candidatura avulsa, que abriria espaço para a participação política dos jovens.

“Vamos defender a reforma política junto com Aécio e outros senadores de todos os partidos. Os jovens estão distantes da política. Penso que a candidatura avulsa criaria condições para uma participação mais intensa da juventude e dos representantes da sociedade civil”, disse o ex-presidente.

Na questão tributária, Itamar Franco afirmou que a União arrecada muito e repassa pouco para os municípios, criando dificuldades para os prefeitos.

“Vamos defender o pacto federativo e a revisão dos royalties, que deixam muito pouco para as cidades de vocação minerária”, afirmou.

No programa da coligação “Somos Minas Gerais”, o ex-governador Aécio Neves, também candidato ao Senado, fala sobre o orgulho que sente ao fazer campanha ao lado de Itamar Franco. A coligação reafirma a união das candidaturas de Itamar Franco, Aécio Neves, Antonio Anastasia e seu vice, deputado Alberto Pinto Coelho.

A campanha de Itamar Franco é unificada com a do ex-governador Aécio Neves. Ambos integram a coligação, formada por 12 partidos. Todos os materiais de campanha são unificados, informando que, nesta eleição, cada eleitor irá votar duas vezes para o Senado. Itamar, do PPS, tem o número 234. Aécio, do PSDB, é 456.

“Aécio fez um excelente governo em Minas Gerais e apresentou o professor Antonio Anastasia como seu sucessor. É uma dobradinha que deu certo e que fez Minas Gerais se destacar no cenário nacional”, afirmou Itamar Franco. Juntos, Itamar Franco e Aécio Neves terão 6 minutos e 48 segundos de tempo e 245 inserções comerciais.

O programa eleitoral será exibido às segundas, quartas e quintas-feiras nas emissoras de rádio, às 7h e meio-dia, e de televisão, às 13h e às 20h30.

O programa do ex-presidente é dirigido pelo publicitário Cacá Moreno. “Vamos mostrar a estatura de Itamar Franco. É um homem querido pela população, como estamos vendo em todas as cidades de Minas”, afirmou o pulbicitário.