Gestão Eficiente: Educação Fiscal chega às escolas de Minas

Tributação, orçamento público, lei de responsabilidade fiscal são alguns dos temas que serão abordados no PROEFE

divulgação SEF
Programa Estadual de Educação Fiscal invade as escolas de Divinópolis e região
Programa Estadual de Educação Fiscal invade as escolas de Divinópolis e região

Educadores das redes estadual, municipal e particular das cidades que compõe a Superintendência Regional de Ensino (SER) de Divinópolis darão início ao processo de capacitação em Educação Fiscal na terça-feira (8).

Mais de 200 professores e técnicos educacionais participarão do Encontro Temático, onde conhecerão o Programa Estadual de Educação Fiscal (PROEFE) e discutirão aspectos relacionados ao exercício da cidadania fiscal, como tributação, orçamento público, lei de responsabilidade fiscal, controles interno e social da administração pública, ética e motivação. O programa integra a realização de oficinas que darão início à formatação do Caderno de Referência de Educação Fiscal da Regional.

A maioria dos profissionais que estarão reunidos no encontro já participou ou irão participar, nos próximos meses, do curso a distância oferecido pela Escola de Administração Fazendária do Ministério da Fazenda (ESAF/MF). O curso visa desenvolver habilidades para a inserção transversal da Educação Fiscal nas escolas de Minas Gerais, desafio constante de Carta de Missão do Governo de Minas.

A iniciativa compõe a vertente de conscientização do Programa Minas Legal, que tem o objetivo de integrar Governo e Sociedade na tarefa de informar o cidadão sobre a função socioeconômica do tributo, combater a pirataria e a sonegação, conferir maior transparência à gestão dos recursos públicos, além de premiar boas práticas de cidadania fiscal.

As Secretarias de Estado de Fazenda (SEF) e Educação (SEE) e a Secretaria Municipal de Educação de Divinópolis (SEMED) são as promotoras do Evento, que conta com o apoio e participação da Controladoria Geral do Estado (CGE), além dos parceiros institucionais do Programa de Educação Fiscal em Minas.

O objetivo é contar com disseminadores em Educação Fiscal em todas as cidades da regional, desenvolver projetos pedagógicos e alcançar todas as escolas e bibliotecas com um Kit do Programa.

Em 2012, está previsto o desenvolvimento do Projeto nas Regionais de Conselheiro Lafaiete, Pará de Minas, Ponte Nova e Divinópolis.

Informação, conhecimento, mudança formam o tripé da Educação Fiscal no fortalecimento da cidadania fiscal.

Para conhecer mais sobre o Programa Minas Legal e a Educação Fiscal acesse o site www.minaslegal.mg.gov.br.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/educacao-fiscal-chega-as-escolas-de-minas/

Governo de Minas: detentos fazem plantio de mudas em estrada de Ponte Nova

Com o treinamento do Instituto Estadual de Florestas os presos do Complexo Penitenciário de Ponte Nova aprenderam um novo trabalho

Divulgação Seds
Detentos plantam mudas em Ponte Nova
Detentos plantam mudas em Ponte Nova

Quatorze presos do Complexo Penitenciário de Ponte Nova, na Zona da Mata, realizaram, na manhã desta sexta-feira (20), o plantio de 50 mudas na estrada que dá acesso à unidade prisional. A ação é uma iniciativa conjunta da Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds) e da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad), em parceria com o Escritório de Prioridades Estratégicas do Governo de Minas e com o Departamento de Estradas de Rodagem de Minas Gerais (DER-MG).

Na última semana, os presos e dois agentes penitenciários receberam capacitação para a produção e manejo de mudas no viveiro do Instituto Estadual de Florestas (IEF). Os detentos, de todos do regime semiaberto, foram escolhidos por uma Comissão Técnica de Classificação (CTC) e capacitados por instrutores do IEF, que fizeram a doação das mudas. Além dessa capacitação, os presos também receberam treinamento em educação ambiental e fizeram um curso para serem brigadistas de combate a incêndios florestais.

Para o Superintendente de Atendimento ao Preso da Seds, Helil Bruzadelli, a ressocialização é uma das principais políticas do sistema prisional mineiro. “Minas Gerais é referência nacional em trabalho de presos. Nossa intenção é expandir esse projeto desenvolvido em Ponte Nova para as demais unidades do Estado, a partir da experiência vivenciada aqui”, destaca.

Durante a solenidade, o representante regional do IEF, Alberto Iasbik, falou da importância de capacitar os presos em trabalhos de cunho ambiental. “Com os plantios de mudas estamos recuperando a vegetação nativa dos biomas do Estado. Apenas na Zona da Mata já foram 1.500 hectares de mudas nativas plantadas”. Alberto explicou que a produção de mudas contribui para o projeto de arborização urbana e, ao final, entregou certificados de conclusão do curso de brigadista aos 14 presos participantes. A partir de segunda-feira (23), quatro detentos já estarão trabalhando no viveiro do IEF, próximo à unidade prisional.

O prefeito de Ponte Nova, João Antônio Vidal de Carvalho, e o secretário municipal de Meio Ambiente, Marcelo Magalhães, também participaram da solenidade. “Estamos gratificados em poder contribuir com essa iniciativa”, ressaltou o secretário.

Projeto Árvores nas Estradas

A representante do Escritório de Prioridades do Governo, Letícia Torres, ressaltou que o Escritório tem como missão ser parceiro fundamental dos diversos órgãos na execução das prioridades estratégicas do Estado. “O mote do nosso governo é a gestão para a cidadania. Essa parceria que celebramos hoje é um exemplo desse trabalho de incluir o cidadão nas ações do Estado” afirma.

O projeto “Árvores nas Estradas” surgiu na 1ª reunião do Fórum Minas de Ideias, do Movimento Minas, em junho de 2011. O Movimento Minas, um dos projetos da Gestão para a Cidadania, tem como objetivo incentivar o cidadão a participar das ações governamentais. Em novembro de 2011, detentos de Teófilo Otoni também realizaram o plantio de mudas em rodovias da região.

Trabalho

Em todo o Estado, cerca de doze mil presos trabalham. Pelo trabalho, os detentos recebem redução da pena – a cada três dias trabalhados, um a menos na sentença a ser cumprida – e, em muitos casos, são também remunerados. Apenas em Ponte Nova são 140 detentos trabalhando nas mais diversas atividades, incluindo fábrica de gaiolas, capa de colchões, blocos, horta comunitária, fabricação de bolas e marcenaria.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/detentos-fazem-plantio-de-mudas-em-estrada-de-ponte-nova/

Governo de Minas: Zona da Mata é beneficiada com a entrega de 14 veículos para vigilância sanitária animal e vegetal

Os veículos auxiliarão os trabalhos de fiscalização nos municípios e entornos de Bicas, Cataguases, Juiz de Fora, Lima Duarte, Muriaé, Ponte Nova, Rio Pomba, Ubá, Viçosa e Visconde do Rio Branco

Governo de Minas doou, nessa quinta-feira (22), 135 veículos para o Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA) para serem utilizados pelas coordenadorias regionais e escritórios seccionais do órgão. O objetivo é fortalecer os sistemas de vigilância sanitária animal e vegetal do Estado. O governador Antonio Anastasia fez a entrega simbólica da chave de um dos veículos ao diretor-geral do IMA, Altino Rodrigues Neto.

Para a Zona da Mata são 14 veículos. Eles auxiliarão os trabalhos de fiscalização nos municípios e entornos de Bicas, Cataguases, Juiz de Fora, Lima Duarte, Muriaé, Ponte Nova, Rio Pomba, Ubá, Viçosa e Visconde do Rio Branco. “Vamos, cada vez mais, levar infraestrutura para atuação dos órgãos estaduais no interior. Minas é um Estado muito vasto, com muitos municípios e a atuação do IMA é exemplar, por isso o instituto precisa de boa infraestrutura. Agradeço a parceria do governo federal e vamos trabalhar integrados exatamente para melhorar a qualidade do nosso rebanho e também da nossa produção vegetal”, ressaltou o governador.

Foram investidos R$ 6 milhões na aquisição de todos os veículos, sendo R$ 1,2 milhão do Governo de Minas e R$ 4,8 milhões do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.  Dos 135 veículos, 106 serão utilizados nos trabalhos do sistema de vigilância animal do IMA. Os demais serão destinados à área vegetal. Os veículos estão sendo distribuídos para todas as 20 coordenadorias regionais do IMA.

O Sistema de Vigilância Sanitária Animal do instituto tem o objetivo de prevenir, controlar e erradicar as doenças animais. São combatidas enfermidades como febre aftosa, peste suína clássica, brucelose e tuberculose, influenza aviária e raiva. Já o Sistema de Vigilância Sanitária Vegetal é responsável pela prevenção e controle de pragas, fazendo, também, a vigilância e fiscalização do trânsito interestadual de vegetais.

Municípios e veículos:

Coordenadoria de Juiz de Fora: Meriva / 2 Unos 1.4 / Ranger 4×4

Escritório Cataguases: Uno 1.4

Escritório Bicas: Uno 1.4

Escritório Lima Duarte: Uno 1.4

Escritório Ubá: Uno 1.4

Escritório Visconde do Rio Branco: Uno 1.4

Escritório Rio Pomba: Uno 1.4

Escritório Viçosa: 2 Unos 1.4

Escritório Muriaé: Ranger 4×4

Escritório Ponte Nova: Uno 1.4

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/zona-da-mata-e-beneficiada-com-a-entrega-de-14-veiculos-para-vigilancia-sanitaria-animal-e-vegetal/

Governo de Minas: Conselho de Segurança Alimentar apoia projeto de piscicultura em Teófilo Otoni

Parceria com Secretaria de Defesa Social visa garantir ressocialização de detentos

Divulgação/Consea-MG
Detentos de Teófilo Otoni participam de diversas atividades profissionais, como a produção de hortaliças
Detentos de Teófilo Otoni participam de diversas atividades profissionais, como a produção de hortaliças

Conselho de Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável de Minas Gerais (Consea-MG), em parceria com a Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds), está elaborando um levantamento sobre as entidades carentes beneficiadas pelo projeto de piscicultura, que será instalado na Penitenciária de Teófilo Otoni, no Vale do Mucuri.

Nos dias 26 e 27 de março, os técnicos da Seds e do Conselho de Segurança Alimentar deverão fazer nova visita à penitenciária para dar continuidade aos estudos para a implantação do projeto de piscicultura. A primeira visita aconteceu em 29 de fevereiro, com a participação de representantes do Consea-MG, do Ministério da Pesca Aquicultura, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Emater, além da Seds.

Com esse sistema, cerca de 200 presos deverão ser beneficiados, tanto com a capacitação – que será oferecida pela UFMG – quanto para remissão de sua pena. A cada dia trabalhado, será descontado um dia de sua pena. Com mais de 30 anos de funcionamento, a Penitenciária de Teófilo Otoni é uma das unidades prisionais mais antigas do Estado e abriga, hoje, cerca de 300 detentos.

O assessor técnico do Consea-MG Gildázio Santos lembra que a parceria com a Penitenciária de Teófilo Otoni é baseada na lei 15.982/2006, que trata do apoio às ações integradas dos órgãos governamentais e das organizações da sociedade civil envolvidos na promoção da alimentação saudável e de combate à fome e à desnutrição.

“A nossa visita à penitenciária, juntamente com as instituições parceiras, reflete o compromisso com o fortalecimento das políticas de segurança alimentar e nutricional sustentável. É uma experiência exitosa e que beneficia não só os sentenciados, mas também pessoas carentes da região, dando a eles o direito humano à alimentação adequada”, acrescentou.

De acordo com o diretor-geral da unidade, Ademílson Rodrigues Jardim, a instituição oferece uma série de atividades com o intuito de ressocialização dos sentenciados. “Nosso objetivo é prepará-los para a reintegração à sociedade. Para isso, oferecemos oficinas de artesanato, alfaiataria, horticultura, jardinagem, bovinocultura, suinocultura, assim como trabalhos na lavanderia e serviços gerais. Queremos oferecer oportunidades a eles”, explicou Ademílson.

Nessas atividades, cerca de 250 crianças e 25 idosos são beneficiados. É que toda a produção da penitenciária é doada a quatro instituições de caridade de Teófilo Otoni. Já os artesanatos são entregues às famílias dos presos para que possam ser vendidos, o que representa um importante meio de complemento de renda.

Além dos setores de trabalho e produção, a Penitenciária de Teófilo Otoni possui ainda uma escola com capacidade para atender a 150 presos, com a aplicação do Sistema de Educação de Jovens e Adulto (EJA), voltado ao ensino fundamental e médio.

Abrangência

Atualmente, cerca de 12 mil presos trabalham em diversas atividades em todo o Estado nas oficinas de marcenaria, fabricação de produtos eletrônicos, piscicultura, hortas, caprinocultura, suinocultura, artesanatos, entre outros. O objetivo, segundo o diretor de trabalho e produção da Sape, Guilherme Augusto Alves Lima, é retirar o detento da ociosidade, incentivando atividades profissionais que irão favorecê-lo, tanto no cumprimento da pena quanto na reinserção social.

“Além disso, há uma preocupação com a questão social. Toda a produção de alimentos é doada às entidades carentes da região onde estão localizadas as penitenciárias. Nesse sentido, o Consea-MG tem papel fundamental para articular e apontar as instituições e entidades que receberão os produtos”, comentou.

Segundo Guilherme, após a implantação dessas oficinas, pôde-se observar que uma mudança de comportamento. “Os sentenciados têm buscado uma profissionalização, não ficam utilizando seu tempo para planejar fugas. Tivemos também uma queda considerável de utilização de medicamentos e de atendimentos psicológicos”, explicou.

Essas oficinas, de acordo com Guilherme, não oneram o Estado, já que o custo dos produtos é baixo. “Na piscicultura, por exemplo, o governo doa a ração e os alevinos. A UFMG oferece a capacitação e temos outros parceiros que também nos auxiliam nesses programas”, ressaltou.

Piscicultura

Minas Gerais é o primeiro Estado do país a produzir peixes dentro de uma unidade prisional. A iniciativa começou no ano passado, no Presídio Antônio Dutra Ladeira, em Ribeirão das Neves. A previsão é de que outras penitenciárias serão beneficiadas com o projeto, dentre elas Governador Valadares, duas em Ribeirão das Neves e uma em Ponte Nova.

Nos dias 29 e 30 de março será realizada uma reunião, em Governador Valadares, para discutir a implantação do programa de piscicultura, com o intuito de beneficiar mais de 200 sentenciados. Os pescados são mantidos em criatórios, localizados dentro das áreas de responsabilidade das unidades prisionais. Quando os peixes atingem o peso ideal para pesca, são doados a instituições indicadas pelo Consea-MG.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/conselho-de-seguranca-alimentar-apoia-projeto-de-piscicultura-em-teofilo-otoni/

Gestão em Minas: Emater-MG capacita técnicos em agricultura urbana agroecológica

Objetivo é estimular a implantação de hortas e lavouras em benefício de comunidades carentes

Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater-MG) vai ampliar a assistência às comunidades urbanas interessadas em implantar hortas e lavouras com as técnicas da agroecologia. Afinal, aquele lote vago na rua, os terrenos abaixo das linhas de transmissão de energia ou uma área sem uso na escola do bairro podem se transformar em fonte de alimentação saudável e até renda para comunidades carentes.

Para estimular a chamada agricultura urbana, a Emater-MG está capacitando técnicos em vários municípios. O primeiro treinamento formou 30 profissionais de Belo Horizonte, Sete Lagoas, Divinópolis, São João del-Rei, Ponte Nova e Diamantina.

Durante as aulas, os técnicos se preparam para orientar os agricultores familiares em todas as etapas de formação de hortas e lavouras em perímetros urbanos, sempre com foco na produção agroecológica, ou seja, sem a utilização de adubos químicos e agrotóxicos.

O coordenador de Meio Ambiente e Agriculturas de Base Ecológica da Emater, Marco Aurélio Moreira, explica que as técnicas de produção sem uso de agrotóxicos, além de serem uma demanda das comunidades atendidas, também é uma exigência da legislação, que trata da produção agrícola nas cidades. “O uso de agrotóxicos é proibido dentro dos perímetros urbanos”, afirma.

Entre os temas desenvolvidos nos treinamentos dos técnicos, além das técnicas naturais de combate a pragas e doenças, estão os cuidados com a água da irrigação, a legislação específica sobre o uso do solo em áreas urbanas e sobre agricultura familiar, experiência prática em campo e segurança alimentar e nutricional.

De acordo com o coordenador Marco Aurélio Moreira, a Emater-MG já trabalha com várias ações no sentido de proporcionar atendimento à produção agroecológica, tanto em áreas urbanas quanto rurais. “Atuamos também em programas de transição agroecológica voltada para a área de educação ecológica, no sentido de reduzir o uso racional de agrotóxicos”, informa.

No total, a Emater-MG deverá capacitar 70 técnicos em agricultura urbana de base ecológica, no primeiro semestre de 2012. Já estão programados outros cursos, a serem realizados em maio, para técnicos que atuam no Norte de Minas e na região do Vale do Jequitinhonha.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/emater-mg-capacita-tecnicos-em-agricultura-urbana-agroecologica/

Governo de Minas: Programa de Educação Profissional abre portas para jovens da Zona da Mata

Governo de Minas já formou mais de 9.500 alunos na região

Divulgação/Senac Juiz de Fora
O programa tem como objetivo principal oferecer educação profissionalizante gratuita de qualidade
O programa tem como objetivo principal oferecer educação profissionalizante gratuita de qualidade

Dival Ribeiro Netto Rezende, de 26 anos, hoje é técnico em enfermagem, concursado da Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig), e trabalha em uma unidade da rede, o Hospital Regional João Penido, em Juiz de Fora. A carreira na área da saúde teve início quando ele se inscreveu para o Programa de Educação Profissional (PEP) e passou na prova.“Um amigo me falou sobre o PEP. Antes mesmo de eu terminar o curso, fiz o concurso da Fhemig e passei. Depois que me formei, fui chamado para o Hospital João Penido”, conta.

Dival classificao papel do curso como determinante para seu direcionamento profissional. “O programa é muito bom, incentivador. Para as pessoas jovens, que não têm condições de pagar, é uma oportunidade para a conquista do emprego. Aprendi bastante, fiz estágio pelo curso, trabalhei em uma casa de idosos. A prática leva a uma maior experiência. Com certeza foi um dos pontos que me ajudou a passar no concurso”, avalia.

Segundo o coordenador do programa, Roberto Guerra, “o PEP potencializa o desenvolvimento do Estado, buscando promover formação profissional, atendendo a demandas regionais, necessidades de mão de obra, qualificando o cidadão, formando técnicos em vários segmentos e contribuindo para o desenvolvimento”.

Tânia Maria Fonseca Hermes Zuquin Alves, diretora do Centro Educacional Conceição Ferreira Nunes (Cecon), que oferece cursos do PEP em Juiz de Fora, destaca o papel transformador do programa. “Para vários alunos ocorreram mudanças radicais. Muitos chegaram aqui perdidos, sem expectativas, e hoje estão atuando no mercado de trabalho, bem empregados”, destaca.

O PEP é um programa mantido pelo Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de Educação (SEE), e tem como objetivo principal oferecer educação profissionalizante gratuita de qualidade, criando, para seus participantes, oportunidades reais no mercado de trabalho. Criado em 2007, o programa é desenvolvido em todas as regiões do Estado. Na Zona da Mata, já foram beneficiados 9.553 alunos.

Da eletromecânica para a enfermagem

MarceloGonçalves, de 27 anos,também se formou técnico em enfermagem pelo PEP em Juiz de Fora, no Cecon. A primeira opção era a eletromecânica, mas o curso não era ministrado no período noturno. “Eu precisava continuar trabalhando, então fui para a minha segunda opção, a enfermagem, gostei e não me arrependo. Tudo que tenho foi a enfermagem que me deu”, afirma.

Ele lembra o primeiro estágio, indicado pelo curso. “Fui encaminhado pelo PEP para uma clínica, me destaquei e fui contratado antes mesmo de me formar”, comenta.

Hoje, Marcelo possui dois empregos como técnico em enfermagem e só tem boas referências do programa. “Não tenho do que reclamar, ao contrário, o curso me encaminhou para um bom estágio, os professores foram muito bons, assim como a estrutura. A minha turma era grande e posso dizer que, hoje, 90% dos colegas estão empregados na área”, ressalta.

Contratação garantida

De atendente de telemarketing para técnica em contabilidade. Steicy da Silva Pandolfi, de 19 anos,ainda não concluiu o curso do PEP ministrado no Senac, mas já faz estágio em um escritório de contabilidade em Juiz de Fora. Ela foi informada de que será contratada assim que se formar, em junho próximo. “Saí do telemarketing e estou gostando muito do trabalho, pois complementa o curso. Está sendo tão bom que vou também fazer vestibular no final do ano na mesma área”, afirma.

Wagner Isaías Toledo de Oliveira, de 20 anos, é mais um aluno do PEP no Senac e que pretende cursar o nível superior. Da turma de técnico em contabilidade, ele faz estágio remunerado em um banco de crédito popular, vaga conquistada por meio do curso. “Fiz a inscrição no último dia, fiz a prova e passei. Estou adorando, o estágio ajuda muito no entendimento das disciplinas, a prática é importante”, frisa ele, que recomenda o PEP para amigos e familiares sempre que fica sabendo que as inscrições estão abertas.

Sexta edição do programa deve ter início ainda neste mês

Ainda em março, está previsto o início das aulas da sexta edição do Programa de Educação Profissional nos municípios de Além Paraíba (60 vagas), Cataguases (140), Juiz de Fora (410), Leopoldina (90), Muriaé (195), Pirapetinga (70), Ponte Nova (70), Santos Dumont (60), Ubá (275) e Viçosa (350), totalizando 1.720 vagas na região.

Os alunos da Zona da Mata terão acesso aos seguintescursos técnicos: Automação Industrial, Comércio, Design de Móveis, Eletromecânica, Eletrônica, Eletrotécnica, Enfermagem, Farmácia, Higiene Dental, Informática, Logística, Mecânica, Meio Ambiente, Nutrição e Dietética, Radiologia e Segurança do Trabalho.

Em todo o Estado, são 30 mil vagas apenas neste ano. Desde o início do programa, mais de 200 mil alunos já foram atendidos e o investimento total do Estado chega a R$ 569 milhões.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/programa-de-educacao-profissional-abre-portas-para-jovens-da-zona-da-mata/

Governo de Minas: hospital de Ubá se torna referência em Teste da Orelhinha

Com recursos do Pro-Hosp, unidade passou a disponibilizar o exame gratuitamente
Divulgação/SES
O Teste da Orelhinha é realizado desde 2009 no Hospital Santa Izabel, em Ubá
O Teste da Orelhinha é realizado desde 2009 no Hospital Santa Izabel, em Ubá

Desde que passou a disponibilizar o Teste da Orelhinha, ou Triagem Auditiva Neonatal pelo Sistema Único de Saúde, em 2009, o Hospital Santa Izabel, em Ubá, já avaliou 3.932 crianças. Hoje referência na realização do exame, a unidade adquiriu o equipamento de emissão otoacústica com recursos do Programa de Fortalecimento e Melhoria da Qualidade dos Hospitais do SUS (Pro-Hosp), do Governo de Minas.

O teste é obrigatório por lei desde 2010 e é imprescindível para o diagnóstico e intervenção, caso seja detectada alguma deficiência auditiva. Estudos indicam que, se identificada até os seis meses de idade, a criança pode desenvolver linguagem muito próxima a de uma criança ouvinte.

A fonoaudióloga responsável do Hospital Santa Izabel, Nayara Lana Silva Simões, conta que, hoje, todos os bebês nascidos no hospital já têm alta com a data do exame agendada. “Nos casos de crianças com fatores de risco, elas já vão para casa com o teste realizado e uma nova triagem agendada. Como o hospital atende a 20 municípios da microrregião, os recém-nascidos dos demais hospitais e cidades têm seus exames agendados através do Programa Saúde da Família e secretarias de saúde municipais”, informa.

Edimeire Aparecida Alves de Oliveira, moradora de Ubá, é mãe de duas crianças que nasceram prematuras e ficou aliviada depois que os filhos fizeram o Teste da Orelhinha. “A mãe hipertensa pode gerar problemas para o filho, então eu tinha medo que eles tivessem alguma deficiência”, comenta. Ela lembra a tensão quando o segundo filho nasceu, na transição do sétimo para o oitavo mês. “Ele era muito pequeno e precisou ficar 30 dias sem sair ou receber visitas. Então eu tinha muito receio. Ele fez o exame, que não acusou nada. Eu chamo, ele olha, adora barulho, mas mesmo assim eu voltei para fazer o teste novamente, assim que ele completou seis meses, como fui aconselhada no hospital. E não deu nada”, conta, feliz.

Edimeire considera o exame fundamental. “É muito importante, muitas vezes os pais só desconfiam de alguma coisa quando a criança já está na escola. Tenho uma sobrinha que aconteceu assim, ela está com quatro anos e agora descobrimos que tem problema de audição. Se ela tivesse passado pelo teste, poderia ter cuidado desde cedo”, diz.

O Hospital Santa Izabel tem capacidade para realizar 120 exames por mês, o que equivale a uma média de seis testes do SUS ao dia. O exame utiliza o método de Emissões Otoacústicas Evocadas, com procedimento simples e indolor, que consiste na colocação de uma pequena sonda no ouvido do bebê. O equipamento emite sons que estimulam a cóclea, que responde com outros sons que o aparelho capta. O resultado do exame é emitido imediatamente.

Segundo a fonoaudióloga Nayara Lana, “quando diagnosticada alguma alteração repete-se o procedimento em um intervalo de 15 dias e, caso o resultado se mantenha, o bebê é encaminhado para avaliação complementar em Juiz de Fora”. Ela reforça a importância do exame, principalmente para o público de risco. “Para se ter dimensão da importância da realização do exame é só compará-lo ao teste do pezinho, que aponta em média uma criança com alteração a cada 10 mil nascimentos. Já o teste da orelhinha, a média varia de 1 a 3 crianças diagnosticadas deficientes auditivas a cada mil nascimentos”, explica.

De acordo com a coordenadora do Núcleo de Rede de Atenção à Saúde da Gerência Regional de Saúde de Ubá, Maria das Graças Nascimento Souza, a descentralização e o credenciamento do Serviço de Triagem Auditiva Neonatal em Ubá, facilitaram muito o acesso dos recém-nascidos da microrregião.  “Com isto, pode-se ter um diagnóstico precoce e, consequentemente, melhores prognósticos para os recém-nascidos que apresentarem alguma alteração auditiva, trazendo grande tranquilidade aos pais e profissionais de saúde”, conclui.

Recursos

Desde 2005, o Hospital de Santa Izabel, em Ubá, recebeu R$ 4,9 milhões por meio do Pro-Hosp, que foram aplicados em obras do UTI neonatal e do bloco cirúrgico, além de aquisição de equipamentos. Com os investimentos, serviços como consultas especializadas de otorrino, urologia, neurologia pediátrica, neurocirurgia, neurologia, oftalmologia e procedimentos cirúrgicos de otorrino e urologia foram possibilitados, atendendo à demanda reprimida nos municípios da microrregião.

Pro-Hosp na Zona da Mata

Em toda a Zona da Mata, foram investidos, por meio do Programa de Fortalecimento e Melhoria da Qualidade dos Hospitais do SUS, R$ 65,1 milhões, beneficiando 18 hospitais. Além do Santa Izabel, de Ubá, receberam recursos: Hospital São Paulo (Muriaé); Hospital e Maternidade Therezinha de Jesus (Juiz de Fora); Hospital Municipal Mozart Teixeira (Juiz de Fora); Santa Casa de Misericórdia de Juiz de Fora; Hospital Universitário da Universidade Federal de Juiz de Fora; Santa Casa de Misericórdia de Lima Duarte; Hospital Misericórdia de Santos Dumont; Associação de Caridade de São João Nepomuceno; Hospital Arnaldo Gavazza (Ponte Nova); Hospital Nossa Senhora das Dores (Ponte Nova); Hospital Nossa Senhora da Conceição (Rio Casca); Hospital São João Batista (Viçosa); Hospital São Sebastião de Viçosa; Casa de Caridade de Carangola; Hospital São Salvador (Além Paraíba); Hospital de Cataguases; e Casa de Caridade Leopoldinense.

Fonte: Agência Minas

Antonio Anastasia inaugura novo centro de distribuição supermercadista na Zona da Mata

Governador destacou empreendimento como demonstração do crescimento da economia de Minas Gerais
Carlos Alberto/Imprensa MG
Governador Anastasia inaugura as instalações do novo centro de distribuição do Grupo Bahamas em Juiz de Fora
Governador Anastasia inaugura as instalações do novo centro de distribuição do Grupo Bahamas em Juiz de Fora

O governador Antonio Anastasia participou, neste sábado (11/02), em Juiz de Fora, na Zona da Mata, da inauguração do novo Centro de Distribuição do Grupo Bahamas, 3º maior grupo do setor supermercadista mineiro. Com investimentos de R$ 23 milhões, a nova unidade irá gerar 500 novos empregos diretos e resultará em redução de custos e maior agilidade para o abastecimento das lojas do grupo no Estado.

Durante seu pronunciamento Antonio Anastasia apontou o crescimento do grupo Bahamas como símbolo do desenvolvimento da região da Zona da Mata e de Minas Gerais, destacando os índices econômicos estaduais como fundamentais para a indústria brasileira.

O governador citou dados divulgados, nesta sexta-feira (10/02), pelo IBGE que apontam Minas Gerais como principal responsável pelo aumento de 4,2% na remuneração dos empregados da indústria nacional em 2011, em comparação a 2010.

“A indústria brasileira só atingiu esse índice porque em Minas Gerais a remuneração subiu 10%. Da mesma forma a balança comercial brasileira tanto de 2010, como de 2011, só teve superávit graças às exportações de Minas Gerais. O superávit mineiro foi exatamente o superávit nacional. Portanto, é esse reconhecimento da nossa economia que nós precisamos cada vez mais ter”, afirmou o governador.

De acordo com Jovino Campos, diretor do Grupo Bahamas, o novo centro de distribuição, localizado às margens da BR-040, no trevo para Caxambu, irá sustentar a expansão do grupo, que pretende dobrar de tamanho até 2015, alcançando um faturamento de R$ 2 bilhões. Atual 20ª empresa do ranking nacional de supermercados, o Bahamas quer chegar ao primeiro lugar em Minas e estar entre os dez primeiros do Brasil.

Com 29 anos de atividade, o Bahamas emprega 5 mil pessoas e conta 28 lojas – 19 em Juiz de Fora, duas em Cataguases, duas em Barbacena, uma em Viçosa, Ponte Nova, Ubá, Além Paraíba e São João Del Rei. A intenção é chegar a 50 lojas até 2016.

O centro de distribuição ocupa área total de 380 mil m², com 25 mil m² de área construída. No prédio funciona o centro de distribuição, escritório central, departamentos comercial e financeiro. A capacidade de carregamento é de 100 caminhões diários.

Estiveram presentes à cerimônia de inauguração o secretário de Defesa Social, Lafayette Andrada, o secretário de Saúde, Antônio Jorge de Souza Marques, além do prefeito de Juiz de Fora, Custódio Mattos, e autoridades da região.

Fonte: Agência Minas

Governo de Minas: Secretaria de Estado de Saúde capacita profissionais para combate à dengue

Cinquenta novos epidemiologistas e técnicos contratos pelo Estado foram preparados para reforçar a guerra contra o mosquito em 28 municípios

Cica Almeida/SES MG
Curso abordou os procedimentos de classificação de risco, monitoramento e tratamento da doença
Curso abordou os procedimentos de classificação de risco, monitoramento e tratamento da doença

A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) capacitou, nos dias 7 e 8 de fevereiro, uma nova equipe de 50 epidemiologistas e técnicos contratos pelo Estado, visando reforçar o combate à dengue em 28 municípios. No encontro, foram discutidos os procedimentos de classificação de risco, monitoramento e tratamento da doença, e como agir diante de suspeitas ou casos confirmados da doença.

De acordo com o médico infectologista da Superintendência de Vigilância Epidemiológica da SES, Frederico Figueiredo, um dos pontos fortes dessa ação é a capacitação de médicos, que qualificam as equipes de suas regionais, facilitando assim o combate à doença. Para a referência técnica em Dengue de Teófilo Otoni, Ana Luisa Pinheiro, “a ideia do médico treinar suas equipes vai facilitar o compartilhamento de dados, melhorando a aprendizagem”.

Participaram do curso, representantes dos municípios de Pirapora, Ituiutaba, Teófilo Otoni, Passos, Sete Lagoas, Coronel Fabriciano, Divinópolis, Uberlândia, Varginha, São João Del Rei, Pouso Alegre, Itabira, Patos de Minas, Uberaba, Alfenas, Unaí, Juiz de Fora, Manhumirim, Ubá, Montes Claros, Diamantina, Pedra Azul, Leopoldina, Ponte Nova, Governador Valadares, Januária, Itabira e Barbacena.

Fonte: Agência Minas

Governador Anastasia recebe prefeitos do Vale do Rio Piranga

Prefeitos apresentaram as demandas da região, que foi fortemente atingida pelas chuvas, e agradeceram a ajuda imediata e os investimentos realizados nos municípios nos últimos anos
Gil Leonardi/Imprensa MG
Estiveram presentes 9 prefeitos, das 11 cidades que compõe a área da Amapi
Estiveram presentes 9 prefeitos, das 11 cidades que compõe a área da Amapi

O governador Antonio Anastasia recebeu, nesta segunda-feira (6), no Palácio Tiradentes, nove prefeitos das 11 cidades que compõe a área da Associação dos Municípios da Microrregião do Vale do Rio Piranga (Amapi). Eles levaram ao governador demandas da região, que foi fortemente atingida pelas chuvas, e agradeceram pela ajuda imediata e pelos investimentos realizados nos municípios mineiros nos últimos anos.

Participaram da reunião o presidente Amapi e prefeito de Guaraciaba, Eli Dorneles; os prefeitos João do Carmo Macedo (Acaiaca), Fernando Magalhães (Barra Longa), Aroldo Gomes (Diogo de Vasconcelos), João Antônio Vidal (Ponte Nova), Vicente de Paula Barboza (Raul Soares), José Sílvios Rios (São Pedro dos Ferros), Maria das Dores Vilas Boas (Jequeri) e Terezinha Ramos (Mariana); além do deputado estadual, Bonifácio Mourão.

Fonte: Agência Minas