Eleições 2014: Diálogo entre Aécio e Campos fortalece o Nordeste

Eleições 2014: de olho na sucessão de Dilma, governador de pernambucano colhe vitórias expressivas

Eduardo Campos avisa: “PSB está no jogo”

Fonte: Autor(es): JOÃO VALADARES Correio Braziliense

De olho na sucessão de Dilma, Eduardo Campos avisa: "PSB está no jogo"

De olho na sucessão de Dilma, governador pernambucano colhe vitórias expressivas, vê PSB crescer e mantém boas relações políticas

Testado e aprovado pelas urnas após o primeiro turno das eleições municipais, com o crescimento do PSB em Pernambuco, no Nordeste e no Brasil, o governador Eduardo Campos, em meio à festa da vitória, deixou uma frase no ar: “Em 2014, o PSB está no jogo.” Mas qual o real tamanho do poderio do pernambucano? Cientistas políticos ouvidos pelo Correio atestam que, atualmente, Campos tem apenas um protagonismo político consolidado no quintal de casa. É como se ele ainda caminhasse num estrada de terra. Para pavimentar o caminho, é preciso muito mais.

O cientista político da PUC de São Paulo Rafael Cortez avalia que o segundo turno em São Paulo é uma oportunidade para o governador aumentar sua popularidade. “Ele pode se expor para aumentar o seu capital político. É uma possibilidade de ser mais conhecido fora da sua região”. Os movimentos ousados de Eduardo Campos no Recife, como se aliar a um inimigo político histórico, o senador do PMDB Jarbas Vasconcelos, para acabar com a hegemonia de 12 anos do PT na cidade, deixam lideranças petistas desconfiadas.

Reservadamente, alertam que é preciso cautela quando se trata de Eduardo Campos. “Entendemos que o quadro do Recife é pontual, no entanto, não podemos encher muito o balão dele. Os movimentos do governador recomendam prudência. Sabe aquela história da cobra? Você a alimenta e, no final, é picado por ela. Ele ainda não tem uma imagem consolidada no Brasil e sabe que uma das formas de se colocar nacionalmente é subindo nas costas do nosso partido”, ironizou um desses interlocutores do PT.

Túlio Velho Barreto, cientista político da Fundação Joaquim Nabuco, em Pernambuco, discorda e argumenta que a base do governador para o salto maior é bastante sólida. “Dos 184 prefeitos do estado, 170 são de partidos da base de apoio do governador. Ele tem uma aprovação superior a 80%.” O acadêmico alega que há outro ponto positivo que aumenta a munição eleitoral de Campos para um voo mais alto. “Ele é presidente nacional do PSB. O capital político que acumula em razão disso chama a atenção.”

Outro fator destacado para aumentar a estatura política do governador é o trânsito livre em vários campos políticos. “No PT, tem uma relação consolidada com Lula e Dilma. No PSDB, há um diálogo bastante natural com o senador Aécio Neves. No PMDB, se aliou a uma figura de destaque nacional, que é o senador Jarbas Vasconcelos. Essas relações o cacifam”, analisa Túlio.

Elogios a FHC
Ontem, um dia após o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) defender a importância da aproximação dos tucanos com os socialistas, Eduardo devolveu o elogio. “(FHC) deixou um legado que foi importante para o Brasil, inclusive para o êxito do governo Lula.” Mas ressalvou que as divergências entre tucanos e socialistas são conhecidas e que não é hora de discutir 2014. “Nenhum partido deve fazer isso agora.”

Na mesma entrevista, dada na sede provisória do governo do estado, Eduardo Campos avaliou que o resultado das eleições de ontem mostrou que a polarização entre PT e PSDB “está superada”.

A força eleitoral do governador de Pernambuco, até o momento, é quantificada no Recife. Lá, conseguiu eleger o candidato Geraldo Julio (PSB) — até então um ilustre desconhecido — no primeiro turno. Mostrou muita força ao “levar no colo” um candidato que nunca havia disputado uma eleição. Geraldo Julio entrou na disputa com apenas 4% das intenções de voto e conseguiu se eleger com maioria absoluta de 51,15% dos votos.

“Em suas declarações antes do pleito, o governador sempre dizia que o PT iria apontar o candidato para disputar a eleição no Recife. Pouco antes das convenções, ele lançou uma candidatura. É por isso que, se em 2014 Dilma não estiver bem avaliada ou a economia brasileira estiver atravessando um mau momento, não será surpresa a candidatura dele”, comentou Túlio Barreto.

O deputado petista Paulo Teixeira minimizou a possibilidade de Eduardo Campos usar o segundo turno das eleições em São Paulo como uma vitrine da própria candidatura para a Presidência da República. “Acho que o Eduardo estará conosco em 2014. Ele tem dito isso. O jogo é a Dilma”, cravou o deputado.

Crescimento do PSB
Número de prefeitos 2008 2012

Brasil 310 434
Nordeste 205 262
Pernambuco 50 58

“No PT, tem uma relação consolidada com Lula e Dilma. No PSDB, dialoga com Aécio Neves. No PMDB, se aliou a uma figura de destaque, o senador Jarbas Vasconcelos. Essas relações o cacifam”
Túlio Velho Barreto, cientista político da Fundação Joaquim Nabuco

“(FHC) deixou um legado que foi importante para o Brasil, inclusive para o êxito do governo Lula”

Eduardo Campos,governador de Pernambuco

CPI do Cachoeira: PT não blinda e Delta é investigada

CPI do Cachoeira: ficou decidido nesta que Cachoeira vai prestar depoimento à CPI no dia 15. CPI também aprovou 51 requerimentos.

Fonte: João Domingos e Eugênia Lopes – O Estado de S. Paulo

CPI do Cachoeira

Blindagem governista cai na CPI, e Delta será investigada em todo o País

Relator tenta restringir foco às relações da empreiteira, mas apuração deve abranger obras federais

BRASÍLIA – A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Cachoeira furou nesta quarta-feira, 2, a blindagem montada pelo PT para proteger o governo federal e decidiu investigar as ligações da Delta Construções S.A. com o empresário Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, em todo o Brasil, e não somente na Região Centro-Oeste, como havia sido proposto pelo relator Odair Cunha (PT-MG). A CPI determinou a quebra dos sigilos bancário, fiscal e telefônico de Cachoeira a partir de 1.º de janeiro de 2002.

No entanto, a posição branda do relator foi seguida quando o foco passou a ser a relação de governadores com o esquema investigado pela Polícia Federal. Nos casos de Marconi Perillo (PSDB-GO), Agnelo Queiroz (PT-DF) e Sérgio Cabral (PMDB-RJ), a CPI nada decidiu sobre eles.

A Operação Monte Carlo, da Polícia Federal, que investigou e desbaratou o esquema de Carlinhos Cachoeira, gravou conversas em que aparecem os nomes de Agnelo e Perillo. Quanto a Cabral, os parlamentares de oposição desejam convocá-lo por causa da ligação com o empresário Fernando Cavendish, ex-diretor da Delta.

Senador. Também ficou decidido nesta quarta-feira que Cachoeira vai prestar depoimento à CPI no dia 15. O senador Demóstenes Torres (sem partido-GO) vai depor no dia 31. Já o ex-diretor da Delta no Centro-Oeste Cláudio Abreu será ouvido pela CPI do Cachoeira no dia 29. Os arapongas Idalberto Matias de Araújo, o Dadá, e Jairo Martins, vão depor no dia 24. José Olímpio de Queiroga Neto, Gleyb Ferreira da Cruz, Geovani Pereira da Silva, Wladimir Garcêz e Lenine Araújo de Souza, integrantes do esquema de Cachoeira, vão prestar depoimento no dia 22.

Ao todo, a CPI aprovou 51 requerimentos. Um plano de trabalho apresentado por Odair Cunha prevê que a situação dos governadores só deverá ser examinada a partir de junho. Cunha e a base do governo entenderam que não têm condições técnicas para convocá-los agora. Os partidos de oposição acabaram concordando com eles.

Caso os exames dos documentos das Operações Vegas e Monte Carlo – as duas que investigaram as ligações de Cachoeira com agentes públicos e privados – mostrem o comprometimento dos governadores, serão apresentados novos requerimentos. A intenção da oposição era convocar Cabral e Agnelo. O governo, de seu lado, queria ouvir o tucano Perillo.

Delegados. Ficou decidido ainda pela CPI do Cachoeira que os delegados Raul Alexandre Marques Souza e Matheus Mello Rodrigues e os procuradores da República Daniel de Rezende Salgado e Lea Batista de Oliveira, responsáveis pela operações Vegas e Monte Carlo, serão convidados a comparecer à CPI na semana que vem, para sessões reservadas nos dias 8 e 10. A princípio, eles deveriam conversar com os parlamentares da CPI numa sessão aberta.

Mas a senadora Kátia Abreu (PSD-TO) e o deputado Luís Pitiman (PMDB-DF) pediram que fossem ouvidos secretamente. Argumentaram que os advogados de Cachoeira e de outros envolvidos com o esquema do contraventor ouviriam tudo e depois contariam para seus clientes, o que poderia atrapalhar os planos de investigação da CPI.

Na opinião do deputado Carlos Sampaio (PSDB-SP), a pressão dos partidos de oposição, que contaram com o apoio de partidos da base, como o PDT, o PMDB e o PCdoB, possibilitaram mudar o plano de trabalho do relator Odair Cunha, tirando o foco de investigação da Delta somente no Centro-Oeste, e levando-o para todo o País.

A Delta é a empresa que mais tem obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). De 2007 até agora ela recebeu R$ 4,13 bilhões do governo federal. Pressionado, restou a Cunha admitir que não havia como manter as investigações apenas no Centro-Oeste. “Vamos ver o papel da Delta na organização criminosa. Há elementos contundentes e suspeitas de que Cavendish seria sócio oculto do Cachoeira.”

Link da matéria: CPI do Cachoeira

Veja também:
link CPI antecipa depoimento de Carlinhos Cachoeira para 15 de maio 
link Cabral entra na mira da CPI do Cachoeira 
link ESPECIAL – Tudo sobre a CPI do Cachoeira 

Reta final: Pesquisa do Estado de Minas mostra que Antonio Anastasia tem 12 pontos de diferença para Hélio Costa

EM Data: vantagem de Anastasia sobe para 12 pontos

Fonte: Isabella Souto e Juliana Cipriani – Estado de Minas

Anastasia amplia vantagem e pode vencer amanhã

Tucano tem 43% da preferência do eleitorado mineiro, 12 pontos percentuais à frente de Hélio Costa, e 55% do total de votos válidos, segundo pesquisa do Instituto EM Data

A dois dias das eleições, o governador Antonio Anastasia (PSDB) ampliou a vantagem em relação ao principal adversário, o senador Hélio Costa (PMDB), e pode ser reeleito amanhã em primeiro turno. Na corrida pelo Palácio da Liberdade, o tucano tem 43% das intenções de voto dos mineiros, 12 pontos percentuais à frente do peemedebista, preferido por 31% dos eleitores. O número de indecisos ou de quem não vai votar em nenhum dos oito candidatos a governador chega a 22% dos entrevistados. Os dados fazem parte da terceira rodada da pesquisa do Instituto EM Data, realizada entre 29 de setembro e ontem com 1,1 mil eleitores de 51 municípios de Minas Gerais.

De acordo com o levantamento, o governador Anastasia passou de 32% em pesquisa feita no fim de agosto para 40% das intenções de voto entre 19 e 21 de setembro, chegando a 43% agora. Já Hélio Costa, preferido por 33% do eleitorado na última rodada do levantamento, registrou oscilação negativa de dois pontos percentuais. A margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos. Todos os demais candidatos somaram apenas 3% das intenções de voto. Os únicos que pontuaram foram o deputado federal José Fernando Aparecido Oliveira (PV) e o professor Luiz Carlos (PSOL), apontados por 2% e 1%, respectivamente.

Na análise apenas dos votos válidos – excluídos os brancos e nulos -, Anastasia aparece com 55% das intenções de voto e Hélio Costa com 40%. Os demais candidatos somam 6% – o que garantiria a vitória do tucano já amanhã. Para haver um segundo turno é necessário que a soma dos votos de todos os adversários seja um número superior ao do primeiro colocado. Ainda assim o EM Data fez uma simulação de segundo turno, quando mais uma vez Anastasia assume a dianteira: recebeu 47% das citações contra 34% do candidato do PMDB.

“A pesquisa confirma a tendência de crescimento de Anastasia, que já tem uma frente mais confortável de votos sobre Hélio Costa. Então, há um indicativo de que ele deve ganhar em primeiro turno”, disse o diretor do Instituto EM Data, Adriano Cerqueira. Segundo ele, mesmo com a margem de erro, Anastasia teria no mínimo 52% dos votos válidos, o suficiente para terminar as eleições amanhã. O único risco para um segundo turno em Minas seria um aumento nas abstenções – pessoas que não vão votar.

REGIÕES
O levantamento mostra ainda que o governador Anastasia tem a preferência do eleitorado em cinco das seis mesorregiões de Minas Gerais. O maior percentual de intenções de voto atingido pelo tucano foi na Região Central e no Campo das Vertentes, onde obteve 52% das preferências, seguido do Norte e Jequitinhonha com 51%. Já Hélio Costa assume a liderança na corrida pelo governo estadual apenas no Triângulo Mineiro, onde obteve 42% das citações dos entrevistados, sete pontos percentuais à frente de Anastasia. A pior votação do peemedebista é na Zona da Mata, onde recebeu o voto de 25% dos eleitores que responderam ao questionário.

Levando-se em conta a faixa etária, Anastasia lidera em todas elas, com destaque para os jovens entre 16 e 24 anos: 52% deles pretendem votar pela reeleição do atual governador, enquanto 31% devem digitar o número de Hélio Costa. O maior percentual de preferência pelo peemedebista corresponde à faixa de eleitores entre 35 e 44 anos: 37%. O tucano lidera ainda em todas as faixas de renda, com destaque para 50% daqueles que disseram ganhar entre 5 e 10 salários mínimos. Faixa que destina o menor percentual de votos para Hélio Costa, 28%. Outros 17% desse grupo de renda estão indecisos ou vão votar nulo e 5% preferem os outros candidatos.

Tom Cavalcante rebate Hélio Costa: “Se fazer humor no Brasil é uma ameaça às candidaturas, tenho um sentimento que existe algo de errado no ar”, disse

Vídeo de Costa é ‘liberdade de expressão’, diz humorista

Fonte: Eduardo Kattah – Estado de S. Paulo

EDUARDO KATTAH – Agência Estado

O humorista Tom Cavalcante alegou hoje que o vídeo que circula na internet e no qual satiriza o candidato peemedebista ao governo de Minas Gerais, Hélio Costa, faz parte da “liberdade de expressão legitimada pelo Supremo”. Cavalcante admitiu que tem “forte ligação e crença” na política praticada pelo ex-governador Aécio Neves (PSDB), de quem é amigo.

A coordenação da candidatura de Costa atribuiu à campanha do tucano Antonio Anastasia a responsabilidade pelo vídeo. A campanha do governador e candidato à reeleição negou qualquer vinculação com a sátira, na qual o humorista aparece caracterizado como o candidato do PMDB e ironiza a estratégia da chapa que tem como vice o ex-ministro Patrus Ananias (PT). No vídeo, o humorista se apresenta como “Discosta” e se refere a Patrus como “Patrás”.

“Se fazer humor no Brasil é uma ameaça às candidaturas, tenho um sentimento que existe algo de errado no ar. Humor não modifica voto verdadeiro. O candidato o terá sempre de quem acredita no seu projeto. Humor faz rir. Devagarinho vamos avançando e saindo do primarismo”, disse.

“Tenho uma forte ligação e crença pela política praticada por Aécio, além de sermos amigos”, também declarou Cavalcante, em manifestação distribuída por sua assessoria. “Faço humor político há muitos anos imitando nossos políticos FHC (Fernando Henrique Cardoso), Lula, (José) Sarney, (Fernando) Collor, Itamar (Franco), Aécio e agora Hélio.”

Ao participar de uma carreata em Contagem, Aécio defendeu o vídeo do humorista, que classificou como uma “manifestação artística, engraçada”. “Quando a coisa é feita respeitosamente e com assinatura, é parte da democracia. O que deve ser condenado veementemente é a utilização de documentos apócrifos, da internet para calúnias e mentiras, sem que se tenha coragem de assumi-las. Fizemos a campanha limpa, a campanha correta”, afirmou.

Link da matéria: http://www.estadao.com.br/noticias/nacional,video-de-costa-e-liberdade-de-expressao-diz-humorista,618499,0.htm

Anastasia consegue com TRE 7º direito de resposta no site de Hélio Costa que insiste em divulgar informações falsas

TRE-MG concede novo direito de resposta para Antonio Anastasia no site de Hélio Costa

Fonte: Coligação “Somos Minas Gerais”

Justiça Eleitoral considerou que candidato adversário divulgou informação inverídica sobre ICMS cobrado no Estado

Este é o sétimo direito de resposta concedido ao governador durante campanha eleitoral por veiculação de informações falsas

Os juízes do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MG) decidiram por maioria, na sessão plenária desta terça-feira (28/09), conceder mais um direito de resposta em favor do candidato Antonio Anastasia, em razão da veiculação de informações inverídicas pelo seu adversário Hélio Calixto Costa. A decisão de hoje refere-se à veiculação no site da campanha do candidato do PMDB, onde são feitas afirmações sobre a cobrança da alíquota do Imposto sobre Mercadorias e Serviços (ICMS) incidente sobre o álcool em Minas Gerais.

Em seu voto, a juíza Mariza Porto entendeu que houve veiculação de informação inverídica. “É inverídica a suposição de que qualquer cidadão deslocar-se-ia por grandes distâncias para abastecer seu veículo, no intento de receber benefício relativo ao valor do ICMS”.

Pela decisão, o direito de resposta terá que ser veiculado e publicado no site oficial de campanha de Hélio Costa, com duração de um minuto, pelo prazo de 10 dias.

Informações Inverídicas
Com a decisão desta terça-feira, a coligação “Somos Minas Gerais” já obteve sete direitos de resposta em razão de informações inverídicas divulgadas durante a campanha de Hélio Costa. No dia 18 de setembro, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) considerou que houve tentativa de induzir o eleitor a erro ao prestar  informação falsa sobre a cobrança de impostos na atividade de exploração de minério de ferro.

O ministro do TSE, Marco Aurélio Mello, considerou irregular a tentativa do candidato do PMDB de responsabilizar o governador de Minas, Antonio Anastasia, pela isenção de ICMS às empresas mineradoras no Estado, quando, na verdade, o benefício foi concedido pelo governo federal.  O ministro afirmou que a falta de veracidade das informações é incompatível com o “equilíbrio que deve reinar em uma disputa eleitoral”.

De acordo com o Tribunal, o direito de resposta ao candidato da Coligação Somos Minas Gerais, primeiro a ser concedido na campanha eleitoral ao Governo de Minas em 2010, teria que ser veiculado durante o programa eleitoral de Costa, no dia 20/09 e ainda durante dez dias no site oficial do candidato do PMDB.

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) concedeu também outros 5 (cinco) direitos de resposta a Antonio Anastasia, no último dia 26 de setembro, no programa eleitoral de Hélio Costa. A avaliação do ministro do TSE, Gilmar Mendes, é de que houve distorção na informação contida no programa eleitoral do candidato do PMDB ao comparar a alíquota de Imposto Sobre Circulação de Mercadorias (ICMS) incidente sobre o álcool em Minas Gerais a dos estados de Mato Grosso do Sul e Goiás.

O ministro Gilmar Mendes destacou em sua decisão, “que é público e notório o fato de que as alíquotas do ICMS aplicadas às operações internas de circulação de mercadorias e serviços são estabelecidas e regulamentadas por leis e decretos dos Estados e do Distrito Federal. É o que se verifica, inclusive, no art. 155 da constituição federal. Nesse sentido, parece ser suficiente a consulta à legislação estadual pelos responsáveis do programa eleitoral impugnado, por se tratar de dado objetivo, específico e de fácil pesquisa”.

PT partido em Minas: Patrus culpa militância por queda de Hélio Costa

Militância ferida explica queda

Fonte: Rodrigo Freitas – O Tempo

De acordo com o candidato a vice na chapa de Hélio Costa, eleição de 2008 não foi esquecida

O candidato a vice na chapa de Hélio Costa (PMDB) ao governo de Minas Gerais, Patrus Ananias (PT), justificou ontem a subida nas pesquisas do principal adversário, Antonio Anastasia (PSDB), na região metropolitana de Belo Horizonte. Segundo Patrus, a militância petista em Minas está “ferida” e “machucada” depois das eleições de 2008, quando o PT deixou o comando da Prefeitura de Belo Horizonte nas mãos do PSB.

“O PT tinha a prefeitura e nós abdicamos de manter essa liderança na capital. Eu sinto, no contato com a militância, que isso, infelizmente, fragilizou o nosso partido e a nossa militância em Belo Horizonte e, por conseguinte, em todo o Estado de Minas Gerais”, disse Patrus.

O petista afirmou ainda que, nesta reta final de campanha, está nas ruas para tentar animar novamente os militantes do PT. “Nós estamos agora na rua exatamente para levantar o ânimo da militância do PT, dos partidos que somam conosco e também da militância das pessoas de boa vontade”, afirmou o candidato a vice-governador.

Em suas declarações, Patrus não citou o nome do ex-prefeito e candidato ao Senado, Fernando Pimentel (PT), que idealizou a aliança responsável pela eleição do prefeito Marcio Lacerda (PSB) com o ex-governador e candidato ao Senado Aécio Neves (PSDB). Em 2008, Patrus Ananias foi contra a aliança.

Desânimo
Questionado sobre se as últimas pesquisas, que apontam a ampliação da vantagem de Anastasia sobre Hélio, estão desanimando o candidato, Patrus foi enfático e negou categoricamente. “Não senti isso”, afirmou Patrus, dizendo ainda que o peemedebista está “animado” e “bem disposto” para os últimos dias da corrida eleitoral.

Influência
Patrus voltou a criticar o poder do governo estadual sobre os prefeitos do interior, referindo-se ao chamado “Partido do Palácio da Liberdade”. “Eu sempre soube que não é fácil disputar com um partido secular em Minas, que é o Partido do Palácio da Liberdade, com o governador disputando a reeleição”, disse.

Leia no original: http://www.otempo.com.br/otempo/noticias/?IdEdicao=1802&IdCanal=1&IdSubCanal=&IdNoticia=152277&IdTipoNoticia=1

Hélio Costa é representado, mais uma vez, no TRE por mentir durante programa eleitoral de TV e rádio

Inverdades de Hélio Costa motivam representação ao TRE-Minas

Fonte: Coligação “Somos Minas Gerais”

A Coligação Somos Minas Gerais informa que sua assessoria jurídica entrou com representação junto ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE/MG), em razão de declarações inverídicas feitas pelo candidato do PMDB, Hélio Calixto Costa, durante programa eleitoral de TV e rádio.

Ao contrário do que afirma no programa, o Governo de Minas investiu, ano passado, 13,51% da receita do Estado em ações de manutenção e desenvolvimento da saúde, cumprindo integralmente a Instrução Normativa 19/2008 do Tribunal de Contas do Estado (TCE).

Em relação aos hospitais citados pelo candidato do PMDB, o documento entregue ao TRE esclarece:

É incorreta a afirmação de que o Hospital Regional de Varginha é mantido pela Prefeitura Municipal. A instituição é mantida com repasses financeiros do Estado, prefeitura, pagamentos de serviços prestados aos usuários do SUS e de convênios particulares.

O candidato também mentiu ao afirmar que “se depender do Estado, o hospital fecha”. O Governo de Minas transferiu para o Hospital Regional de Varginha, apenas neste ano, R$ 1,5 milhão, por meio de convênios e do Programa de Melhoria e Fortalecimento dos Hospitais de Minas Gerais (Pro-Hosp), recursos indispensáveis à manutenção da instituição.

Hélio Calixto Costa faltou com a verdade ao afirmar que o Hospital de Janaúba não tem aparelho de raio-X.  O setor de urgência e emergência do Hospital Regional de Janaúba tem um aparelho de raio-X funcionando normalmente. O Hospital e Maternidade Sagrado Coração de Jesus, no município, conta com outros dois aparelhos de raio-X, um móvel e outro fixo, prestando apoio aos serviços de clínica médica, pediatria, cirurgia e UTI Neonatal.

O Governo de Minas investiu R$ 20 milhões na melhoria da qualidade dos serviços de saúde prestados à população de Janaúba. Através do Pro-Hosp e de convênios, foram destinados R$ 5,9 milhões à Fundação de Assistência Social de Janaúba, que mantém o Hospital Regional e o Hospital e Maternidade Sagrado Coração de Jesus.

Do total investido, R$ 1,7 milhão foi destinado à construção e montagem do Centro Viva Vida, unidade especializada na área de reprodução e sexualidade que presta atendimento gratuito a mulheres, gestantes e recém-nascidos. O Centro conta com aparelhos de alta tecnologia, como ultra-som, ecocardiograma e mamógrafo custeados integralmente com recursos estaduais.

O Governo de Minas também investiu R$ 250 milhões na construção de dois postos de saúde que oferecem serviços ambulatoriais. Os recursos foram ainda empregados na compra de dois microônibus climatizados para transportes de pessoas que agendam consulta médica e exames laboratoriais em outros municípios.

Janaúba também recebeu do Estado uma ambulância equipada com CTI móvel e duas ambulâncias de suporte básico de vida, além de um caminhão para remoção de resíduos hospitalares.
A assessoria jurídica da Coligação Somos Minas Gerais também entrou com pedido de resposta junto ao TRE em razão de falsas afirmações feitas pelo candidato do PCB, Fábio Bezerra, durante programa eleitoral exibido na mesma segunda-feira (20/09).

Ao contrário do que afirmou o candidato, na administração Aécio Neves e Antonio Anastasia, os investimentos em educação foram crescentes. Neste ano, os recursos do orçamento estadual destinados à educação somam R$ 5,2 bilhões, valor 10% superior aos R$ 4,7 bilhões aplicados na área em 2009.

Coligação Somos Minas Gerais.

Belo Horizonte, 23 de setembro de 2010.

Alberto Pinto Coelho para Hélio Costa: “assusta a falta de resposta sobre os Correios”

Alberto Pinto Coelho: “assusta a falta de resposta sobre os Correios”

Resposta do candidato a vice-governador da coligação “Somos Minas Gerais”, deputado Alberto Pinto Coelho, sobre ataques do candidato a vice da coligação PMDB/PT, Patrus Ananias, nesta quinta-feira (23/09)

Fonte: Coligação “Somos Minas Gerais”

“Há mais um equívoco do candidato a vice na chapa de Hélio Costa. Na realidade, o partido forte é a gestão pública competente e ética que traz resultados; reconhecida e aplaudida por todos os mineiros e mineiras. Um reconhecimento que vai além das fronteiras do nosso Estado. Desviar-se disso é criar factóide. A gente encontra resposta para esta atitude no campo adversário, motivada pela queda nas pesquisas, na sabedoria popular: estão querendo tapar o sol com a peneira. Mas o que mais me assusta é a falta de resposta sobre os escândalos nos Correios. Uma empresa pública que diz respeito a todos os brasileiros. Tentar excluir Minas do interesse dessa questão, que tem a responsabilidade direta da gestão do então ministro e hoje candidato Hélio Costa, é titubear ou tergiversar. Isso não fica bem a nenhum homem público”.

Uol Eleições: Mesmo com apoio de Lula a Hélio Costa em Minas, Anastasia cresce

Mesmo com apoio de Lula a Hélio Costa em Minas, candidato adversário cresce

Fonte: Rayder Bragon – UOL Eleições

A participação mais intensa do presidente Luiz Inácio Lula da Silva na campanha de Hélio Costa (PMDB) ao governo de Minas Gerais, com a presença em comícios e declarações de apoio na propaganda eleitoral, ainda não surtiu efeito na campanha do ex-ministro, avaliam especialistas ouvidos pela reportagem do UOL Eleições.

OS NÚMEROS
Veja infográfico com pesquisas em MG

Lula esteve em comícios realizados em Betim, região metropolitana de Belo Horizonte, no dia 8, e em Juiz de Fora, Zona da Mata, no dia 17 deste mês.  A estratégia de colar o nome de Costa ao de Lula, e mostrá-lo como candidato da base aliada do governo federal, foi definida após o início da campanha eleitoral no rádio e na TV.

Nesse período, o principal adversário do ex-ministro das Comunicações, o atual governador e candidato do PSDB, Antonio Anastasia, suplantou o oponente, depois de iniciar a corrida eleitoral de forma tímida nas sondagens de intenção de voto.

Pesquisa Ibope divulgada nesta terça-feira (21) aponta o tucano, que é apoiado pelo ex-governador Aécio Neves, com 8 pontos percentuais a mais que o peemedebista. Anastasia tem 42%, contra 34% de Costa.

“A campanha do Hélio Costa vem tentando colocar para o eleitor uma oposição entre Lula e Aécio Neves. O problema é que o eleitor mineiro gosta de Lula e Aécio. O eleitor não quer escolher entre Lula e Aécio, ele quer ficar com os dois”, avaliou o cientista político Malco Camargos, professor da PUC-MG (Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais).

“E, nesse momento nada o impede de votar na candidata do Lula à Presidência, a ex-ministra Dilma (Rousseff) e no candidato de Aécio Neves ao governo, o Anastasia, consolidando o fenômeno Dilmasia”, disse o especialista.

Para Camargos, a tendência observada nesse momento, sob análise das pesquisas eleitorais, é a preferência do eleitor  “por continuidade de projeto, tanto estadual quanto federal, que ele experimentou e gostou”.

Já Magna Inácio, cientista política e professora da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais), considera que o “efeito Lula” é importante, mas esbarra, no momento, na percepção do eleitor mineiro para avaliar positivamente a gestão tucana.

“É uma avaliação muito positiva que os eleitores fazem da administração (tucana). A presença do Lula é importante, mas é preciso destacar que esse resultado reflete o caráter competitivo da outra candidatura que, embora em um primeiro momento tenha apresentado um resultado tímido, revelou-se sustentável e competitiva”, disse Magna.

Segundo a analista, além do apoio de Aécio Neves, que deixou o governo em março deste ano, com alto índice de popularidade, para disputar uma cadeira no Senado, as alianças em torno do nome de Anastasia, que conta com um arco elástico de prefeitos mineiros a apoiá-lo, também surtiram efeito.

Mentira I: TSE concede direito de resposta na TV contra Hélio Costa por mentira em relação ao ICMS das mineradoras

TSE concede direito de resposta na TV para Antonio Anastasia

Fonte: Coligação “Somos Minas Gerais”

Tribunal Superior Eleitoral concede primeiro direito de resposta na disputa em Minas

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) concedeu, neste sábado (18/09), direito de resposta à Coligação Somos Minas Gerais, que apoia a reeleição do governador Antonio Anastasia, em razão da veiculação de informações inverídicas durante o programa do candidato Hélio Calixto Costa (PMDB). Na decisão, o ministro Marco Aurélio Mello considerou ainda que houve tentativa de induzir o eleitor a erro ao prestar  informação falsa durante o programa eleitoral de TV e no site oficial da campanha de Costa.

A decisão refere-se à informação prestada aos eleitores sobre a cobrança de impostos na atividade de exploração de minério de ferro. O ministro do TSE considerou irregular a tentativa do candidato do PMDB de responsabilizar o governador de Minas, Antonio Anastasia, pela isenção de ICMS às empresas mineradoras no Estado, quando, na verdade, o benefício foi concedido pelo governo federal.  O ministro Marco Aurélio afirmou que a falta de veracidade das informações é incompatível com o “equilíbrio que deve reinar em uma disputa eleitoral”.

“Fazer alusão a impostos incidentes sobre produtos do dia a dia do cidadão e aludir ao fato de as mineradoras, nas exportações, não recolherem tributo implica induzimento incompatível com o equilíbrio que deve reinar em uma disputa eleitoral. A equiparação mostra-se improcedente, inverídica, visto que se refere a disciplina federal – Lei Kandir, Lei Complementar nº 87, de 13 de setembro se 1996”, conclui o ministro.

O direito de resposta ao candidato da Coligação Somos Minas Gerais, primeiro a ser concedido na campanha eleitoral ao Governo de Minas em 2010, será veiculado durante o programa eleitoral de Costa, nesta segunda-feira à noite, e ainda durante dez dias no site oficial do candidato do PMDB.

“A divulgação da resposta dar-se-á no mesmo veículo, espaço, local, horário, página eletrônica, tamanho, caracteres e outros elementos de realce usados na ofensa, em até 48 horas após a entrega da mídia física com a resposta do ofendido” , diz a decisão divulgada.