Governo de Minas: Fundação de Arte de Ouro Preto restaura fazenda do século XVIII em Betim

Obra será realizada na sede da antiga Fazenda Ponte Nova

Douglas Aparecido
Equipe da Faop aplica oficinas sobre técnicas de construção e restauração
Equipe da Faop aplica oficinas sobre técnicas de construção e restauração

Seguindo a missão de valorizar a arte em todas as suas dimensões e incentivar a preservação do patrimônio cultural, a Fundação de Arte de Ouro Preto (Faop) mais uma vez expande os horizontes de suas ações. Trata-se da obra de restauração da sede da antiga Fazenda Ponte Nova, localizada no Núcleo Histórico do Assentamento 2 de Julho do MST, no município de Betim. Nesta quarta-feira (11), às 16h, será realizada a solenidade que marcará o início do restauro na sede da fazenda, situada na MG-050, km 5.

A Faop foi contratada pela Prefeitura de Betim, por meio da Fundação Artístico-Cultural de Betim (Funarbe), para realizar a obra. Desde o ano passado, a equipe da Faop tem aplicado oficinas sobre técnicas tradicionais de construção, restauração e formas de preservação do patrimônio. A ideia é capacitar parte dos assentados para trabalhar na obra.

De acordo com o diretor de Promoção e Extensão Cultural, Celmar Ataídes Júnior, a capacitação oferece uma nova oportunidade de conhecimento, que poderá ser aplicado inclusive na construção das casas no próprio Assentamento 2 de Julho. A iniciativa também cria a conscientização sobre a importância de se preservar, após a restauração, do patrimônio da sede da Fazenda Ponte Nova, datada do século XVIII.

Para a presidente da Faop, Ana Pacheco, a parceria com Betim é positiva e mostra o intuito da fundação de ser uma multiplicadora de conhecimentos técnicos na área de preservação e da arte. Em Betim, a Faop também já restaurou a Capela Nossa Senhora do Rosário, símbolo do congado da cidade. “Assim como foi executada na capela, a restauração da antiga fazenda terá a participação ativa da comunidade, pois acreditamos que é fundamental o envolvimento dos moradores na preservação do patrimônio”, salientou o presidente da Funarbe, Rodrigo Cunha.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/fundacao-de-arte-de-ouro-preto-restaura-fazenda-do-seculo-xviii-em-betim/

Governo de Minas: operação especial de fiscalização tem foco em mineração e desmatamento

Começou nessa segunda-feira (26) a operação especial de fiscalização Alto Rio das Velhas, com foco em atividades minerárias e pontos de supressão vegetal identificados ao longo da Bacia Hidrográfica do Rio das Velhas. De 26 a 30 de março, técnicos da Subsecretaria de Controle e Fiscalização Ambiental (Sucfis) da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável de Minas Gerais (Semad), com apoio operacional da Polícia Militar do Estado de Minas Gerais (PMMG), fiscalizarão empreendimentos nos municípios de Caeté, Sabará, Nova Lima, Itabirito e Ouro Preto.

“O objetivo da operação é coibir irregularidades em atividades minerarias, principalmente no que se refere aos sistemas de controle como a emissão de particulados e o lançamento de efluentes”, disse o diretor de fiscalização de recursos hídricos atmosféricos e do solo da Semad, Marcelo da Fonseca.

Por meio de sobrevoo anterior à operação foram identificados focos de supressão vegetal e atividades minerarias, bem como processo de assoreamento em alguns corpos d´água. Durante toda a semana, cinco equipes formadas por técnicos e policiais militares percorrerão 29 pontos considerados prioritários durante o planejamento da operação. Além dos sistemas de controle, serão observados também se os empreendimentos estão atuando dentro dos padrões ambientais e se estão devidamente regularizados.

Meta 2014 

A operação especial de fiscalização Alto Rio das Velhas é também uma das ações do Projeto Estratégico do Governo de Minas “Meta 2014”. O principal objetivo do projeto é recuperar a qualidade das águas, permitindo a volta do peixe e a natação no trecho do Rio das Velhas, localizado na Região Metropolitana de Belo Horizonte. O projeto abrange as sub-bacias que vão dos rios Itabirito até o Jequitibá, além da bacia do Rio Cipó e das nascentes localizadas em Ouro Preto.

As atividades mineradoras nessa região representam forte pressão na qualidade ambiental da Bacia. Dados do último relatório de monitoramento da qualidade das águas superficiais de Minas Gerais, realizado pelo Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam), por meio do Projeto Águas de Minas, referente ao 1º trimestre de 2011, revelaram que a região do Alto Rio das Velhas apresenta predomínio do índice de qualidade da água ruim. Um dos fatores de forte pressão para esse resultado é a extração de minério de ferro na região.

A contaminação por tóxicos alta obtida em algumas estações do alto Rio das Velhas foi atribuída ao arsênio total, sendo que, sua presença se deve principalmente a fontes naturais bem como ao beneficiamento de minério de ouro na região. Na bacia do Rio das Velhas o monitoramento da qualidade das águas superficiais engloba 35 estações de amostragem, que fornecem dados abrangentes da situação de toda a Bacia.

Serra do Gandarela

Durante operação de fiscalização na Serra do Gandarela, realizada em abril de 2011, foram detectados problemas principalmente com relação à produção de carvão vegetal com utilização de mata nativa sem a autorização do órgão ambiental competente, bem como intervenções em áreas de preservação permanente (APP). Em continuidade às ações realizadas em 2011, durante a operação Alto Rio das Velhas, uma equipe da Diretoria de Fiscalização dos Recursos Florestais e Biodiversidade (DFBIO) irá monitorar os pontos de supressão vegetal identificados durante a operação Serra do Gandarela.

Serra da Moeda

Também como consequência da operação de fiscalização Serra da Moeda, realizada em maio de 2011 nos municípios de Brumadinho, Belo Vale, Moeda, Ouro Branco, Congonhas e Belo Horizonte, foi apresentado na última sexta-feira (23), durante reunião com a Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg), o Sindicato da indústria Mineral do Estado de Minas Gerais (Sindiextra) e representantes de empresas, o 1º Plano de Monitoramento Serra da Moeda.

O plano pretende garantir que as empresas fiscalizadas no ano passado, continuem a operar dentro dos padrões ambientais. Ele define também pontos que serão monitorados com mais frequência pelas equipes de fiscalização, a fim de evitar o aumento das pressões antrópicas identificados na Serra da Moeda.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/operacao-especial-de-fiscalizacao-tem-foco-em-mineracao-e-desmatamento/

Gestão Antonio Anastasia: Governador visita São Lourenço e entrega comenda ambiental

Medalha das Águas faz parte das comemorações da Semana da Água

Wellington Pedro/Imprensa MG
O governador ressaltou a oportunidade do evento em promover e divulgar uma das grandes riquezas de Minas Gerais, que é a questão ambiental
O governador ressaltou a oportunidade do evento em promover e divulgar uma das grandes riquezas de Minas Gerais, que é a questão ambiental

O governador Antonio Anastasia visitou a cidade de São Lourenço, no Sul de Minas, neste domingo (25), onde presidiu a cerimônia de entrega da Comenda Ambiental Estância Hidromineral, a ‘Medalha das Águas’. O evento faz parte das comemorações da Semana da Água, organizada pela Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) em parceria com instituições públicas e privadas.

“Este é um evento muito importante porque dá a oportunidade de promover e divulgar uma das grandes riquezas de Minas Gerais, que é a questão ambiental. Nós temos no chamado ecoturismo, na qualidade das nossas águas, na hospitalidade em relação ao ambiente, um dos grandes trunfos de Minas Gerais e a estância hidromineral de São Lourenço tem o seu destaque”, afirmou Anastasia.

A Comenda foi criada em 2010 por Lei Municipal, sendo entregue anualmente no domingo próximo ao Dia Mundial da Água, comemorado no último dia 22. Durante o evento, o governador também destacou a importância da preservação do meio ambiente para o futuro e para a melhoria constante da qualidade de vida em todo o Estado.

“A nossa função estratégica é conservar e conservar crescendo. Agora em junho no Rio de Janeiro na Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (Rio+20), nós teremos chefes de Estado do mundo inteiro, cientistas, profissionais de diversos países debatendo. E Minas Gerais estará presente mostrando que, como somos o Estado aonde brota o maior número de fontes de água para abastecer o Sul, o Sudeste e parte do Centro-Oeste de nosso país, nós estamos solidários à Federação, à República, mas da mesma forma queremos essa solidariedade invertida para que Minas Gerais tenha a proteção e as condições para proteger e proteger bem esses mananciais de água riquíssimos que fazem daqui, de fato, uma terra diferenciada, não só nossa porque não somos egoístas, mas de todos os brasileiros”, afirmou Anastasia.

Agraciados

Cento e sessenta pessoas foram agraciadas com a comenda, entregue pelo governador Anastasia. Na cerimônia, foram condecorados cidadãos brasileiros e estrangeiros que se destacaram no incentivo, apoio e divulgação das atividades relacionadas ao turismo, à preservação ecológica e ambiental, além do desenvolvimento socioeconômico e cultural de São Lourenço e de Minas Gerais.

O presidente da Associação Brasileira dos Membros do Ministério Público de Meio Ambiente (Abrampa), Sávio Renato Bittencourt Soares Silva, orador oficial do evento, lembrou a importância da água para o presente e o futuro da humanidade. Para ele, assim como o primeiro grito de independência ecoou de Minas para alcançar o Brasil, é do Estado mineiro que começa a sair o exemplo da união entre desenvolvimento sustentável e geração de empregos.

“O meio ambiente hoje é apontado como um entrave para o desenvolvimento. Isso é uma mentira. O meio ambiente é um campo generoso de oportunidades, de novas carreiras, de novas engenharias, de novos gestores e novos advogados, de novas produções jamais pensadas anteriormente que terão a oportunidade de dar à nova geração não só os empregos que precisamos, mas, sobretudo, a qualidade de vida que nós lhes devemos”, disse.

A condecoração é um tributo de São Lourenço às águas que deram origem ao Município e são, até hoje, as principais responsáveis pelo desenvolvimento da economia local. Há muitos anos as águas com propriedades medicinais atraíram visitantes que, em busca de tratamentos e curas, acabaram estimulando o desenvolvimento das cidades de Caxambu, Cambuquira, Lambari e São Lourenço. Juntas elas formaram o primeiro circuito turístico do País, o Circuito das Águas, até hoje um dos principais destinos turísticos do país, atraindo pessoas de vários locais do mundo.

Além da entrega da Comenda, outros dois eventos organizados pelo Governo de Minas marcaram a Semana da Água no Estado: o Seminário de Chuvas e Desastres Urbanos, realizado na quarta-feira última (22) em Ouro Preto, e o Seminário Rio+20: Água, Mudanças Climáticas e Economia Verde, na última sexta-feira (23), na sede da Federação das Indústrias (Fiemg), em Belo Horizonte.

Recursos Hídricos em Minas

A preservação dos recursos hídricos, com o objetivo de garantir um meio ambiente sustentável e a qualidade de vida dos cidadãos mineiros, é uma das prioridades do Governo do Estado. Minas Gerais é considerada a caixa d´água do Brasil, por possuir 8,3% de rios e lagos naturais e artificiais e 17 bacias hidrográficas federais, que banham quase 67% do território mineiro e mais de 10 mil cursos d’água.

Para garantir o uso sustentável dos recursos hídricos em Minas, o Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam) investiu na elaboração de planos, cadastro de usuários, ampliação da rede de monitoramento da qualidade das águas e na promoção da participação da sociedade na gestão das águas. Todas as ações são metas do Projeto Estruturador do Governo de Minas ‘Consolidação da Gestão de Recursos Hídricos em Bacias Hidrográficas’.

Aprovado pelo Conselho Estadual de Recursos Hídricos (CERH-MG) em 2010, o Plano Estadual é o principal instrumento para orientar a gestão das águas em Minas, e interage com o Plano Nacional de Recursos Hídricos, aprovado em 2006 e com os Planos Diretores de Recursos Hídricos das Bacias Hidrográficas do Estado. A elaboração do Plano dividiu-se em duas etapas: a primeira, concluída em 2006, apresentou um diagnóstico da situação das águas no Estado, com um panorama da implementação da gestão de recursos hídricos em Minas Gerais.

A segunda etapa de elaboração do Plano começou em 2008 e teve um investimento de cerca de R$ 3 milhões. O Plano indica novos critérios para a emissão de outorgas para o uso da água, programas de melhoria da quantidade e da qualidade das águas nos rios mineiros, ações para manejo do solo e de vegetação que são essenciais para a conservação dos recursos hídricos.

Além do Plano Estadual, 19 planos de bacias hidrográficas já foram concluídos. Estes planos são estratégicos para o planejamento e o controle adequado do uso da água no Estado e para subsidiar a tomada de decisões do governo e dos gestores locais no âmbito de cada bacia, incluindo o enquadramento dos cursos d’água, iniciativa inadiável para assegurar a total integração das políticas de meio ambiente e gerenciamento dos recursos hídricos.

Ao mesmo tempo, o Estado já criou 36 comitês de bacia hidrográfica (CBHs). São órgãos normativos e deliberativos que têm por finalidade promover o gerenciamento de recursos hídricos nas suas respectivas bacias hidrográficas. Os esforços realizados pelo governo de Minas, no período 2003-2010, colocaram o Estado no patamar mais avançado de gestão de recursos hídricos do país, incluindo a adoção de medidas que asseguram o financiamento de todos os Comitês e seu pleno funcionamento.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/governador-visita-sao-lourenco-e-entrega-comenda-ambiental/

Governo de Minas: prevenção de desastres naturais é tema em seminário em Ouro Preto

Implantar uma cultura de prevenção e alerta no país é um dos principais desafios debatidos no evento

Divulgação/Sectes
O secretário Narcio Rodrigues assintou termo de cooperação com o objetivo promover cursos de capacitação em defesa civil
O secretário Narcio Rodrigues assintou termo de cooperação com o objetivo promover cursos de capacitação em defesa civil

Buscar soluções para situações emergenciais e criar mecanismos de prevenção de desastres urbanos causados por eventos naturais. Este é um dos principais objetivos do Seminário Internacional “Chuvas e Desastres Urbanos”, que está acontecendo em Ouro Preto. O Estado de Minas Gerais, no mais recente período de chuvas, entre os meses de dezembro e janeiro, teve 234 municípios em estado de emergência prejudicados pelas chuvas, contabilizando cerca de 3,2 milhões de pessoas atingidas. Esta é uma situação que preocupa muito o Governo de Minas, que através da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sectes), assinou, nesta terça-feira (20), durante a abertura do seminário, Termo de Cooperação Técnica com o Gabinete Militar do Governador (GMG), através da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec-MG), que tem como objetivo promover cursos de capacitação em defesa civil à distância e presencial; também aconteceu a assinatura do Ato que prevê a instalação de uma estação sismógrafa na Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes).

Os documentos assinados entram em consonância com os propósitos do Seminário, e das instituições parceiras, como o Unesco – HidroEX; o Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam); Universidade Federal de Ouro Preto (Ufop); Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG); e a Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig), que buscam soluções onde a disseminação de informações, somadas as tecnologias existentes e as ações bem sucedidas, se tornem um fator importante para a melhoria no planejamento urbano e para a tomada de ações emergenciais, sob a ótica da prevenção, minimização e mitigação de desastres naturais.

O termo assinado com a Cedec-MG vai promover cursos de capacitação em defesa civil, utilizando os aparatos tecnológicos das unidades dos Centros Vocacionais Tecnológicos (CVTs) e Telecentros do Estado, que fazem parte da Rede de Formação Profissional Orientada pelo Mercado (RFPOM) da Sectes, para realização dos cursos. Assim como, a disponibilização e customização do software GPweb e a transferência de metodologia. Com previsão para ter início ainda no segundo semestre deste ano, a parceria irá oferecer cursos básicos voltados para a sociedade com o intuito de capacitar, mobilizar e criar ações preventivas de socorro assistenciais, assim restabelecendo a normalidade social.

Já em decorrência aos constantes tremores que vem acontecendo no Norte de Minas, assim também como para subsidiar estudos e pesquisas no solo da região, o secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Narcio Rodrigues, anunciou a adoção de providências necessárias para instalar uma estação sismógrafa no campus da Unimontes em Montes Claros.

Principais desafios

A palestra magna do evento destacou os principais desafios do Centro Nacional de Monitoramento e Alerta de Desastres Naturais (Cemaden) para redução de risco de desastres e deslizamentos no Brasil, proferida pelo Coordenador da Área de Geologia/Geotécnica do Cemaden, Agostinho Tadashi Ogura.

Para Ogura, a questão dos desastres naturais no Brasil está diretamente ligada à grande incidência e intensificação dos eventos climatológicos extremos, e é necessário que os governos, em todas as suas estâncias, federal, estadual e municipal, se conscientizem das áreas de riscos do território brasileiro. “O país ainda caminha em passos lentos na questão de monitoramento e alerta de desastres, e hoje contamos, é muito importante, que a população observe os sinais dos terrenos das áreas de risco e notifique a defesa civil. Mas esperemos que nos próximos cinco anos tenhamos uma estrutura significativa para monitorar estas áreas e alertar prontamente a população”, comenta o palestrante.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/prevencao-de-desastres-naturais-e-tema-em-seminario-em-ouro-preto/

Gestão Anastasia: governo de Minas realiza seminário sobre Chuvas e Desastres Urbanos

Ouro Preto recebe evento que vai disseminar informações, tecnologias e ações bem sucedidas para minimização e mitigação de desastres naturais

Para buscar meios que minimizem tragédias decorrentes do aumento na ocorrência de enchentes urbanas, deslizamentos e quedas de encostas causadas por grandes volumes de chuva, o Governo de Minas, por meio do Centro Internacional de Educação, Capacitação e Pesquisa Aplicada em Água Unesco-Hidroex, promove, nos dias 20 e 21 de março, na cidade de Ouro Preto, região Central do Estado, o Seminário Internacional Chuvas e Desastres Urbanos. O evento será realizado em parceria com a Universidade Federal de Ouro Preto (Ufop).

O objetivo do evento é atualizar conceitos e técnicas referentes à prevenção de desastres urbanos causados por eventos climáticos extremos, às estratégias geotécnicas de proteção de encostas e ao replanejamento das ocupações de encostas e margens de rios em cidades. O seminário também vai abordar as questões relativas a enchentes, como alertas e logísticas de ação e socorro durante desastres urbanos.

O seminário destina-se, principalmente, a gestores municipais e estaduais, defesa civil, companhias de abastecimento público e de geração de energia, órgãos de fiscalização, representantes de Comitês de Bacias Hidrográficas e comunidade acadêmica.

A abertura do seminário contará com a participação do secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Narcio Rodrigues; o presidente do Unesco-Hidroex, Octávio Elísio Alves de Brito; o reitor da Ufop, João Luiz Martins; e o prefeito de Ouro Preto, Ângelo Osvaldo de Araújo Santos.

O destaque da programação é a palestra do pesquisador do Laboratório de Riscos Ambientais do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), Agostinho Tadashi Ogura, que vai abordar o tema “Os desafios do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas e Desastres Naturais (Cemaden), para redução de risco de desastres e deslizamentos no Brasil”.

O seminário também vai contar com participação da pesquisadora italiana do Instituto Unesco-IHE (Delft-Holanda), LuigiaBrandimarte, que fará palestra sobre “Enchentes urbanas: novas oportunidades, incerteza e gestão de risco”.

O evento se encerra com uma Mesa Redonda para discutir os principais temas abordados durante o seminário.

Clique aqui para ver a programação completa do seminário (Arquivo PDF).

Evento: Seminário Chuvas e Desastres Urbanos

Dia: 20 e 21de março

Horário: 9h

Local: Centro de Artes e Convenções da Ufop (rua Diogo de Vasconcelos, 328 – Pilar, Ouro Preto)

Fonte: Agência Minas

Governo de Minas: Nefrologia de hospital de Mariana é referência na microrregião

Programa de melhorias para hospitais do Governo de Minas disponibilizou R$ 2,5 milhões para reestruturação do serviço

Divulgação/HMH
São realizadas mais de 1.200 sessões nos dois turnos de funcionamento da unidade
São realizadas mais de 1.200 sessões nos dois turnos de funcionamento da unidade

A Unidade de Nefrologia do Hospital Monsenhor Horta, em Mariana, é hoje referência microrregional no tratamento a pacientes com insuficiência renal. O reconhecimento veio após a reestruturação do serviço, que utilizou recursos do Programa de Fortalecimento e Melhoria da Qualidade dos Hospitais do SUS (Pro-Hosp), do Governo de Minas.

Foram repassados para o Hospital Monsenhor Horta (HMH), R$ 2,5 milhões, desde 2005 e, além das obras do novo prédio do serviço de Nefrologia, foram adquiridos equipamentos e reformadas as áreas da enfermaria e internação da clínica pediátrica, do pronto atendimento, do centro cirúrgico e lavanderia, entre outras melhorias.

Desde a inauguração da nova Unidade de Nefrologia, realizada há pouco mais de três anos, as populações das cidades de Mariana, Ouro Preto e Itabirito deixaram de se deslocar para a capital mineira em busca de tratamento renal crônico. “A partir de recursos do Pro-Hosp, a obra concluída no ano de 2008 colocou a Unidade de Nefrologia no HMH como referência microrregional com abrangência a uma população estimada em 170 mil habitantes. Os benefícios são incalculáveis, pela praticidade e eficiência nas sessões de hemodiálise, que são realizadas nos pacientes encaminhados pelas Secretarias Municipais de Saúde dos municípios do entorno”, afirma a diretora administrativa do Hospital, Edla Rodrigues do Carmo.

Em média, são contemplados cerca de 90 pacientes com insuficiência renal e realizadas mais de 1.200 sessões nos dois turnos de funcionamento da Unidade. “O atendimento aumentou em mais de 100% após a reforma, tendo em vista que antes das obras, eram contemplados em média 40 pacientes. As sessões aumentaram gradativamente, ano após ano”, informa a diretora.

Vicente de Paula é morador de Ouro Preto e, três vezes por semana, se desloca até Mariana para fazer hemodiálise no HMH. “O atendimento é bom e fica fácil, porque Mariana é bem perto, gastamos só meia hora para ir”, conta ele, que há oito meses realiza o tratamento no hospital.

Eliane Basílio, moradora de Itabirito, também utiliza o serviço em Mariana. Há cerca de quatro anos, ela faz hemodiálise na unidade e, entre os pontos positivos, cita o atendimento dos profissionais. “Tem bons enfermeiros e médicos, que dão atenção para a gente”, diz.

A assistência realizada pela Unidade de Nefrologia do Hospital Monsenhor Horta é 100% destinada aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS). De acordo com o coordenador do Programa de Fortalecimento e Melhoria da Qualidade dos Hospitais, Tiago Lucas, o Pro-Hosp possibilita aos cidadãos mineiros atendimento hospitalar de qualidade e com resolutividade, o mais próximo possível das suas residências. “O objetivo é que o paciente se desloque o mínimo possível de seu município para receber assistência médica necessária, evitando ter que viajar ou ser transportado para os grandes centros ou para Belo Horizonte”, explica.

Pro-Hosp em Ouro Preto

O Programa de Fortalecimento e Melhoria da Qualidade dos Hospitais do SUS (Pro-Hosp) do Governo de Minas também disponibilizou recursos para a Santa Casa de Misericórdia de Ouro Preto, utilizados para reforma da área física da UTI Adulto, com ampliação de 06 para 10 leitos.

“Desta forma, a população da microrregião de Ouro Preto, Mariana e Itabirito passaram a contar com uma Unidade de Terapia Intensiva moderna e bem equipada aliada a uma equipe de profissionais de qualidade”, ressalta a gestora hospitalar da Santa Casa, Glauciane Gusmão. Com o aumento do número de leitos disponíveis na UTI, cerca de mais 1.300 pessoas puderam ser atendidas até hoje, expandindo em 40% a capacidade da unidade.

Desde 2003, o Governo de Minas já liberou, por meio da Secretaria de Estado de Saúde (SES/MG), que coordena o Pro-Hosp, cerca de R$ 700 milhões para unidades hospitalares em todo o Estado. Apenas em 2011 foram aplicados R$ 115 milhões. Para 2012, a previsão de investimentos do programa é da ordem de R$ 130 milhões.

Fonte: Agência Minas

Governo de Minas: fiscalização do DER prepara operação para o próximo feriado

Ideia é manter a parceria entre as polícias Militar Rodoviária e Rodoviária Federal e realizar ações por meio de todas as coordenadorias regionais do departamento
Bernadete Amado
Para o feriado da Semana Santa, o DER vai promover blitze para combater transporte irregular
Para o feriado da Semana Santa, o DER vai promover blitze para combater transporte irregular

O Departamento de Estradas de Rodagem de Minas Gerais (DER/MG) já tem uma programação de fiscalização a ser utilizada durante o feriado da Semana Santa. A ideia será manter a parceria entre as polícias Militar Rodoviária e Rodoviária Federal e realizar ações por meio de todas as coordenadorias regionais do departamento, repetindo o resultado positivo alcançado durante a Operação Carnaval, finalizada em 29 de fevereiro.

Para o diretor de fiscalização do DER/MG, João Afonso Baeta, “os resultados foram positivos e isso deverá incentivar a manutenção das parcerias realizadas. Estamos com um planejamento em andamento, visando à preparação de um plano de ações para o próximo feriado prolongado, que será a Semana Santa, quando está previsto um aumento do número de veículos nas rodovias mineiras e de viagens fretadas. Temos de coibir o transporte clandestino e orientar tanto os motoristas que atuam com fretamento quanto os passageiros”, concluiu João Baeta.

Operação Carnaval

No Carnaval, a preparação das blitze foi feita com base em informações pesquisadas, monitoradas e planejadas com táticas de inteligência logística. A distribuição dos fiscais permitiu o mapeamento dos acessos e rotas de fugas dos acessos à Serra do Cipó, Diamantina, Pirapora, Ouro Preto, Mariana, São João del-Rei, Região Metropolitana de Belo Horizonte e alguns outros pontos mais regionalizados. Em todas as atividades foram utilizadas viaturas dotadas de equipamentos de última geração, que permitem checar em tempo real várias situações encontradas no trânsito, com acesso direto à internet, além de atuarem sem pontos fixos que, por sua natureza, permitiram antecipar situações de risco.

“A cada operação que fazemos, sentimos que os transportadores ilegais estão sendo sufocados e que muitos já pensam em parar com o negócio, devido à ostensividade e a permanente atuação de nossa fiscalização”, analisou o diretor de Fiscalização do DER/MG, João Afonso Baeta Costa Machado.

A estratégia elaborada para o período de Carnaval envolveu um trabalho que iniciou antes dos feriados, no dia 10 de fevereiro, e só terminou depois, em 29 de fevereiro. Durante este período, foram abordados 18.500 veículos em 450 ações de fiscalização e lavrados 2.100 autos. Somente de transporte irregular foram efetuadas 150 apreensões de veículos por estarem infringindo os dispositivos legais da legislação estadual e federal. Medidas administrativas de fiscalização foram responsáveis pelo desembarque de 1.100 passageiros de transporte, que viram suas viagens serem atrasadas e a folia prejudicada por terem feito a opção por um meio ilegal de transporte.

Resultado positivo

“Estamos considerando as blitze realizadas este ano um sucesso porque, apesar do maior número de ações de fiscalização realizadas, em relação ao ano anterior, do melhor mapeamento das rotas utilizadas no período de Carnaval e dos cerca de 2.000 agentes fiscalizadores que trabalharam durante a operação, o número de veículos autuados diminuiu, o que permite concluir que houve no período um uso menor do transporte ilegal, maior conscientização dos nossos passageiros e de quem se presta a atividade de fretamento”, analisou João Afonso Baeta.

O DER/MG realizou operações de fiscalização em todo o Estado, através das 40 coordenadorias regionais de departamento, com a participação de 250 agentes/fiscais da entidade, em parceria com as polícias Militar Rodoviária e Rodoviária Federal. Também no nível municipal, foram intensificadas as ações da RMBH e no hipercentro da capital, em conjunto com a BHTrans, ANTT, Polícia Civil e PMMG, com ênfase no transporte fretado intermunicipal e interestadual, visando coibir as ações de transporte irregular de passageiros.

Fonte: Agência Minas

Governo de Minas: Polícia e Família chega a 21 bairros da Região Metropolitana de BH e interior

Serviço lançado nesta quinta-feira tem objetivo de aproximar PM e comunidade
Divulgação/PMMG
O serviço tem como foco a comunidade e estará presente em diversos bairros da capital e interior
O serviço tem como foco a comunidade e estará presente em diversos bairros da capital e interior

A Polícia Militar de Minas Gerais (PMMG) lançou, nesta quinta-feira (1º) na Praça da Estação, em Belo Horizonte, o Programa Polícia e Família que será levado, inicialmente, a 21 bairros da capital e região metropolitana e às cidades de Juiz de Fora, Uberlândia, Ouro Preto e Ubá. O serviço tem como foco a comunidade e estará presente nesses bairros com uma Base Comunitária Móvel e 33 policiais atuando em cada uma delas. Além disso, as bases contam com bicicletas, viaturas e motos para monitoramento.

De acordo com o comandante-geral da Polícia Militar, Márcio Martins Sant´Ana, 700 policiais militares foram especialmente treinados para atuar no serviço, que pretende contribuir na solução de problemas de segurança pública e em situações que possam desestruturar uma família ou um núcleo familiar. O comandante informou que os policiais militares do serviço já começaram a cadastrar famílias e a estabelecer contatos com a comunidade.

“O serviço Polícia e Família muda o cenário de BH, RMBH e dessas cidades do interior. Os militares tomarão a iniciativa dos contatos com a comunidade assim que as bases se instalarem nos bairros. Tudo será feito de forma amigável”, explicou.

Os militares passaram por uma capacitação com psicólogos e especialistas em rede de proteção à criança, ao adolescente, à mulher e ao idoso. Segundo o comandante-geral, a população pode esperar uma Polícia Militar organizada, com logística adequada, militares capacitados e prontos para prestar um serviço de qualidade. “O sucesso depende do trabalho de todos. A teoria do projeto foi muito bem concebida e arquitetada. Conto com o compromisso de cada um”, disse o oficial, dirigindo-se aos militares que atuarão neste novo serviço.

Para o comandante do 5º BPM, tenente-coronel João Carlos, este novo conceito de segurança vai proporcionar um maior sentimento de segurança. “É o momento de a comunidade ocupar os espaços públicos. A PM vai desarticular o crime, inviabilizando a ação do infrator, empregando, para isso, a prevenção. Para este trabalho, temos grupos formados para se envolver com o cidadão, preparados para entender e respeitar as características socioeconômicas e culturais de cada ambiente”, enfatizou o comandante.

Serviço aprovado pela população

Uma Base Comunitária foi instalada na Avenida do Contorno com Rua Curvelo, na Floresta. Trinta e três militares do 16º BPM receberam instruções do tenente Philippe Viana, comandante de setor do serviço Polícia e Família do 16º BPM, sediado no Bairro Santa Tereza. Em seguida, foram divididos em duplas para atuarem nos bairros Colégio Batista, Lagoinha e Floresta. Simultaneamente, militares utilizando motos percorreram os bairros apresentando o serviço. O próximo passo será fazer o cadastramento dos moradores, das famílias e comerciantes, além de fazer o policiamento rotineiro.

Os soldados Marcos Filipe e Ialla Garcia dos Santos percorreram as ruas e conversaram com moradores e trabalhadores. “É importante saber que a Polícia Militar está por perto”, disse Vilma Barcelar de Moura, que trabalha com reciclagem de materiais. “Se é para o bem da comunidade, este serviço será bem-vindo”, elogiou o aposentado João Rocha. A vendedora Elisabete Pinheiro Monteiro ressaltou a aproximação dos militares. “Eu gostei. Eles me falaram deste novo serviço e me disseram que, se precisar, é só fazer contatos. Deixaram um número de telefone”.

Depois de três meses, o trabalho será avaliado em todos os 21 pontos onde os militares estão trabalhando e, posteriormente, levado a outras localidades da capital e do interior. Para a implantação do serviço, a PM observou critérios, como a sensação de segurança, as zonas de criminalidade e a incidência de crimes.

Fonte: Agência Minas

Governo de Minas: blitze do DER combatem transporte clandestino nas rodovias mineiras

DER obteve resultado positivo em balanço parcial nas blitze de combate ao transporte ilegal em Minas

O Departamento de Estradas de Rodagem de Minas Gerais (DER/MG), em conjunto com Departamento de Estradas de Rodagem de Minas Gerais (DER/MG), BHTrans e Agência Nacional de Transporte Terrestre (ANTT), obteve resultado positivo em balanço parcial nas blitze de combate ao transporte clandestino no Estado. Nesse Carnaval, foram abordados 14 mil veículos e lavrados 1005 autos de infração nas 350 blitze realizadas. O número de veículos autuados diminuiu em relação ao Carnaval de 2011, quando foram abordados 13.046 veículos e lavrados 2.556 autos de infração.

“Estamos considerando as blitze realizadas este ano um sucesso porque, apesar do maior número de ações de fiscalização realizadas em relação ao ano anterior, do melhor mapeamento das rotas utilizadas no período de Carnaval e dos cerca de 2.000 agentes fiscalizadores que estão trabalhando durante a operação, o número de veículos autuados diminuiu, o que permite concluir que houve no período um uso menor do transporte ilegal, maior conscientização dos nossos passageiros e de quem se presta a atividade de fretamento”, analisou o diretor de Fiscalização do DER/MG, João Afonso Baeta Costa Machado.

Segundo João Baeta, “as estratégias serão permanentemente aprimoradas e a diminuição do número de autos lavrados significa que a instituição está no caminho certo contra os transportadores ilegais, mas que infelizmente a imprudência ainda é significativa por parte dos condutores infratores causadores de muitos acidentes com vitimas fatais”, finalizou o diretor.

Ação conjunta

A repressão ao trânsito de motoristas alcoolizados também foi intensificada nas blitze, já que além dos 383 etilômetros das policiais Civil e Militar, os condutores sob suspeita foram submetidos ao teste do bafômetro nos 140 aparelhos da PRF. A participação da Subsecretaria de Políticas sobre Drogas no Plano Mineiro de Prevenção e Atendimento a Acidentes de Trânsito Terrestre garantiu a abordagem aos estabelecimentos às margens das rodovias, visando o combate à venda de bebidas alcoólicas nestes locais. A campanha advertiu também para o risco do uso de drogas ilícitas.

A ação conjunta permitiu colocar ao mesmo tempo, em diferentes pontos das estradas mineiras, 33 radares móveis, sendo 15 da PRF e os 18 da Polícia Militar, reforçando o papel dos 211 radares fixos já instalados na malha rodoviária sob jurisdição do DER/MG.

“O poder multiplicador do grupo permitiu que as rotas das cidades mais procuradas pelos foliões que permanecem em Minas Gerais – Diamantina, Ouro Preto, Pompéu, Pará de Minas, Abaeté, São João del-Rei e Tiradentes, entre outras, pudessem ser fiscalizadas com mais rigor. Os acessos  a estas cidades receberam um reforço na distribuição do efetivo policial, obtendo desta forma uma melhor cobertura na malha rodoviária, assim como as rotas mais utilizadas no deslocamento para o litoral, o que inibiu, em muito, o transportador clandestino”, acrescentou Baeta.

Uma portaria federal limitou o tráfego de carretas, caminhões bitrens, caminhões silo, de siderúrgicas e de transporte de bobinas durante o Carnaval. O cumprimento da determinação foi fiscalizado pelos agentes do DER/MG, sendo que as mesmas medidas restritivas também foram adotadas pelo DER/MG nas rodovias estaduais (as MGs e federais delegadas) e serão adotadas em todos os feriados do ano de 2012”, finalizou o diretor.

Fonte: Agência Minas

Gestão Anastasia: alunos do Centro de Formação Artística da Fundação Clóvis Salgado destacam-se em vestibulares pelo Brasil

Aprovações nos melhores cursos de música, dança e teatro demonstram trabalho sério do Cefar

Alunos e ex-alunos do Centro de Formação Artística (Cefar) da Fundação Clóvis Salgado (FCS) destacaram-se, no início de 2012, com aprovações em vestibulares de importantes universidades do Brasil. Foram aprovadas 26 pessoas para cursos nas áreas de música, dança e teatro.

“Esta é a comprovação do trabalho sério e comprometido que desenvolvemos aqui, capaz de preparar os alunos, na teoria e na prática, para ingressarem nos melhores cursos de suas respectivas áreas do país e se dedicarem à arte como profissão”, afirma a Diretora de Ensino e Extensão da FCS, Patrícia Avellar.

O estudante Paulo Augusto da Fonseca Fróes, por exemplo,passou em 1º lugar no curso de Bacharelado em Música da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Já o aluno José Vitor Assis de Souza foi aprovado para o curso de Música em três universidades: UFMG, Universidade Estadual de Minas Gerais (UEMG) e Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP).

Outros destaques foram Marcelo Arlei Gonçalves,aprovado no curso de Música da UEMG e da UFMG, e Rosinei Barbosa de Andrade. O ex-aluno, formado em Músicapelo Cefar em 2006 e professor acompanhador de Percussão na Dança na instituição desde 2007, foi aprovado para o curso de Licenciatura em Música da UEMG.

O Centro de Formação Artística, sediado no Palácio das Artes, é constituído por escolas de dança, teatro e música, sendo referência em Minas Gerais no desenvolvimento artístico de jovens talentos e profissionais. Além dos cursos regulares, oferece oficinas e cursos livres destinados à capacitação, qualificação, aperfeiçoamento e atualização de profissionais da arte e da cultura.

O Cefar desenvolve ainda projetos como a Big Band, o Grupo de Choro, o Ballet Jovem e o Coral Infantojuvenil Palácio das Artes, que possuem agenda permanente de apresentações.
Lista dos aprovados:
Música – USP

Ariane Rovesse Alencar Freitas

Música – Bacharelado UEMG – habilitação em instrumento ou canto

José Vitor Assis de Souza

Michelle Aparecida S. Barreto

Natalie Christine A. Gonçalves

Paulo Moreira de Souza

Pedro Lucas Viana da S. Tavares

Raíssa Andrade Caldeira Brant

Música – Licenciatura UEMG – habilitação em instrumento ou canto

Diego Barbosa Rodrigues

Marcelo Arlei Gonçalves

Marcelo Vicente da Silva

Música – UFOP

José Vitor Assis de Souza

Música – Bacharelado UFMG

Allysson Henrique Mendes Fróes Couto

José Vitor Assis de Souza

Lucas Filipe Alves de Oliveira

Luis Fernando Umbelino da Silva

Marcelo Arlei Gonçalves

Paulo Augusto da Fonseca Fróes

Rômulo Salobrenha Garcia dos Santos

Vinícius Mendes Rodrigues

Musicoterapia – UFMG

Luiza Mariz

Dança – Licenciatura UFMG

Diogo Lima de Paula

Teatro – UFMG

Lorena Tofani Horta

Ex-alunos

Música – Bacharelado UEMG

Henrique Gonçalves de Toledo

Ricardo Luiz do Nascimento

Samuel Passos Costa

Wellington Cordeiro dos Santos

Música – Licenciatura UEMG

Othon Paulo Tavares de Almeida

Raíssa Lutes Lourenço

Rosinei Barbosa de Andrade

Música – Licenciatura UFMG

Alexsander Souza Freitas Reis

Música – Bacharelado UFMG

Gabriel Ladeira Maciel

Henrique Gonçalves Toledo

Sarah Ponzo Lugon

Fonte: Agência Minas