Governo Anastasia: secretaria de Estado de Saúde libera parcela de R$ 1 milhão para Contagem

Os recursos visam à construção do Centro Materno Infantil no município

O município de Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), recebeu a terceira parcela de R$ 1 milhão, visando à construção do Centro Materno Infantil. O convênio firmado entre o Governo de Minas e a prefeitura totaliza R$ 10 milhões, oriundos do Tesouro Estadual. A unidade também terá investimentos do município, com contrapartida de R$ 2,8 milhões, e do Ministério da Saúde, com repasse de R$ 9 milhões, totalizando mais de R$ 21 milhões.

De acordo com o secretário de Estado de Saúde, Antônio Jorge de Souza Marques, a maternidade tem como objetivo reforçar as ações de assistência à saúde da mulher e da criança, e vai oferecer mais conforto e atendimento humanizado. “Com esta construção iremos ampliar a cobertura dos partos atendidos pelo SUS dentro do município, que passará de 35% para 100%. Serão 550 partos por mês. Temos a convicção que teremos um belo desempenho”, afirmou.

A nova Unidade, que funcionará dentro do mesmo terreno onde está localizado o Hospital Municipal e Maternidade de Contagem, contará com 30 leitos de UTI neonatal, dez leitos de enfermaria mãe-canguru, dez leitos de UTI pediátrica, 34 leitos de enfermaria pediátrica, 62 leitos de internação em alojamento conjunto e ginecologia, além de um pronto-socorro 24 horas, com dez leitos de observação e um centro obstetrício totalmente equipado com seis apartamentos e quatro salas de parto cirúrgico.

Para as mães que desejam acompanhar mais de perto a internação de seus filhos na UTI neonatal, a maternidade ainda contará com uma casa que servirá de alojamento. Serão 32 vagas, com espaço de convivência para a troca de experiências.

Sobre a parceria que viabilizou a implantação do centro, Antônio Jorge afirma que há grande otimismo, visto que há alinhamento das políticas públicas entre Ministério, Governo de Minas e municípios no setor de saúde. “Em Minas, temos experiências exitosas na construção das redes de atenção. Um bom exemplo é a Rede de Urgência e Emergência Macro Norte. Nesta rede, os resultados têm se mostrado impactantes. São cerca de menos duas mil mortes/ano desde a implantação da rede”, finalizou Antônio Jorge.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/secretaria-de-estado-de-saude-libera-parcela-de-r-1-milhao-para-contagem/

Governo de Minas: laboratórios da Funed mantêm acreditação de qualidade junto a organização nacional

Acreditação comprova a qualidade dos serviços prestados pela Funed no monitoramento de 33 enfermidades

Leo Drumond
Todos os meses são realizadas, em média, 25 mil análises, atingindo 300 mil exames ao ano
Todos os meses são realizadas, em média, 25 mil análises, atingindo 300 mil exames ao ano

Uma auditoria realizada nos laboratórios que realizam diagnóstico de doenças da Fundação Ezequiel Dias (Funed) garantiu a manutenção da acreditação junto à Organização Nacional de Acreditação (ONA). O termo “acreditação” significa a consolidação do papel de excelência das organizações e, neste caso, comprova a qualidade dos serviços prestados pela Funed no monitoramento de 33 enfermidades, a exemplo de dengue, febre amarela, meningite, tuberculose, Aids, leishmaniose, dentre outras. Todos os meses são realizadas, em média, 25 mil análises, atingindo 300 mil exames ao ano.

A ONA, entidade não governamental reconhecida pelo Ministério da Saúde (MS), avalia e certifica a qualidade de serviços de saúde, de forma voluntária e periódica, a partir de um manual próprio, que inclui critérios de biossegurança, relacionamento com clientes e fornecedores e capacitação de pessoal, por exemplo. O processo é voltado para a melhoria contínua. A Funed conquistou a primeira acreditação junto à ONA em 2009 e, no ano seguinte, numa nova auditoria, a Organização recomendou a renovação por mais três anos, ou seja, até 2013, da certificação dos Laboratórios da Funed.

Durante esse período, a Funed fica submetida a avaliações de manutenção da condição de acreditado, como a que ocorreu dessa vez. Além dos laboratórios, foram avaliadas áreas administrativas, a exemplo dos serviços de manutenção e dos setores responsáveis pelo processo de compras. Isso exigiu uma integração ainda maior entre as diretorias da Funed, que trabalham em equipe para alcançar os bons resultados. Após o processo de auditoria, a ONA recomendou novamente a manutenção da acreditação da Fundação Ezequiel Dias.

As instituições acreditadas pela ONA são reconhecidas por oferecer mais segurança para pacientes e profissionais, qualidade na assistência, capacitação contínua das equipes e gerenciamento eficaz. “Essa recomendação confirma nosso compromisso com a qualidade do serviço prestado e soma-se a outros esforços nesse mesmo sentido”, afirma o presidente da Funed, Augusto Monteiro Guimarães.

A Fundação Ezequiel Dias tem ensaios habilitados junto a outras organizações de qualidade como a Rede Brasileira de Laboratórios Analíticos em Saúde (Reblas), o Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro) e também possui processos certificados pela norma ISO 9001:2008. “A avaliação externa é uma forma de manter constante o desafio de melhorar, sempre, a qualidade dos serviços prestados à população”, afirma o presidente.

Um relatório conclusivo da auditoria será enviado pela equipe da ONA à Funed que terá o prazo de 15 dias para desenvolver o plano de ação para correção de pequenas não conformidades verificadas. “Enviaremos evidências de atuação aos auditores que verificarão, in loco, a eficácia das ações realizadas nas próximas auditorias”, explica o analista de saúde e tecnologia da Funed, Marcelo Pimenta.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/laboratorios-da-funed-mantem-acreditacao-de-qualidade-junto-a-organizacao-nacional/

Gestão da Saúde: hemocentro de Belo Horizonte faz coleta de sangue na UFMG

A expectativa é atender cerca de 50 candidatos à doação de sangue

O Hemocentro de Belo Horizonte realiza coleta de sangue, nesta terça-feira (3), das 8h30 às 11h30, na Faculdade de Engenharia, localizada no Campus Pampulha da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). A expectativa é atender cerca de 50 candidatos à doação de sangue.

Segundo a Portaria 1.353/2011 do Ministério da Saúde, podem doar sangue cidadãos com boa saúde, idade entre 18 e 67 anos. Os candidatos devem pesar acima de 50 quilos, não ter ingerido bebida alcoólica nas últimas 12 horas, não ter tido hepatite após os 11 anos de idade, e que não tenham doença de Chagas.  Jovens com 16 e 17 anos, somente poderão se candidatar à doação de sangue com a presença dos responsáveis legais ou autorização dos responsáveis com firma reconhecida em cartório, cujo modelo de autorização está disponível no site www.hemominas.mg.gov.br.

A idade máxima para a primeira doação de sangue é 60 anos. Os candidatos, que já tiverem doado pelo menos uma vez antes dos 60 anos, poderão doar até a idade de 67 anos. Para mais informações sobre os critérios para doação de sangue acessar http://www.hemominas.mg.gov.br/hemominas/menu/cidadao/doacao/condicoes_doacao ou ligar para o 155.

Para os jovens, principalmente, o hotsite www.projetonaveia.com.br promove interatividade e participação também na divulgação da doação. Acesse e conheça o Projeto na Veia.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/hemocentro-de-belo-horizonte-faz-coleta-de-sangue-na-ufmg/

Gestão Anastasia: regional de Saúde de Valadares finaliza capacitação na atenção básica

Objetivo da oficina é aprimorar o conhecimento dos municípios sobre a importância da atenção primária

Frederico Bussinger
Coordenadores de atenção básica participam de capacitação oferecida pela Secretaria de Estado de Saúde
Coordenadores de atenção básica participam de capacitação oferecida pela Secretaria de Estado de Saúde

A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG), por meio da Superintendência Regional de Saúde de Governador Valadares, em parceria com o Colegiado dos Secretários Municipais de Saúde (Cosems-MG), concluiu a oficina de capacitação do Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica (PMAQ). O curso foi iniciado na última semana, para os municípios da microrregião de Governador Valadares, e agora foi aplicado para os coordenadores da atenção primária das microrregiões de Resplendor, Mantena e Santa Maria do Suaçuí/São João Evangelista.

O PMAQ é um programa do Ministério da Saúde, que procura induzir as instituições de processos que ampliem a capacidade das gestões federal, estadual e municipal, além das equipes de atenção básica, em ofertarem serviços para maior acesso e qualidade de acordo com as necessidades concretas da população.

A coordenadora de Atenção Primária à Saúde da SRS-GV, Flávia Augusta Viana, explicou que “o objetivo da capacitação é que os participantes compreendam o projeto de fortalecimento da qualidade da atenção nos municípios de suas regiões; entendam os fundamentos sobre a qualidade na APS; realizem o diagnóstico da gestão da qualidade, identifiquem as situações problemas a partir do diagnóstico e elaborem matriz de intervenção”, afirmou.

Segundo ela, “a proposta do PMAQ é garantir a universalidade e o acesso dos usuários à saúde, por meio dos cuidados primários, otimizando a promoção, a prevenção, assistência e reabilitação com foco na comunidade, propondo a redução das desigualdades”.

O secretário municipal de Saúde de São João Evangelista, Franklin Lima da Cruz, falou sobre a iniciativa de reunir os municípios que têm problemas afins, mas experiências diferentes, colocando-os juntos para encontrar soluções. “Acredito que o PMAQ, assim como o Saúde em Casa, são ações muito efetivas e resolutivas”, declarou.

Para a coordenadora de Atenção Primária de Resplendor, Anna Paula Marques, a capacitação foi importante para aprimorar a atenção primária nos municípios. “Através das oficinas, vamos ter competências para retornar aos nossos municípios e repassar para as equipes, corrigindo deficiências e, com isso, conseguindo uma melhoria na atenção primária. Com o PMAQ, vamos ter instrumentos de avaliação para avaliação da qualidade das ações da APS”, ressaltou.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/regional-de-saude-de-valadares-finaliza-capacitacao-na-atencao-basica/

Gestão Anastasia: atenção básica à saúde recebe reforço no Norte de Minas Gerais

Meta é qualificar os coordenadores para uma melhor gestão dos serviços

Jerúsia Arruda
Durante o curso, os participantes recebem orientações para fortalecer equipes de atenção básica
Durante o curso, os participantes recebem orientações para fortalecer equipes de atenção básica

A Superintendência Regional de Saúde de Montes Claros realizou, durante toda a segunda quinzena de março, um intenso treinamento para coordenadores de atenção básica dos 53 municípios sob sua jurisdição. O objetivo é qualificá-los para uma melhor gestão dos serviços de saúde em seus respectivos municípios.

O curso faz parte de uma série de iniciativas visando à implantação do Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica (Pmaq), do Ministério da Saúde. A meta é promover a instituição de processos que ampliem a capacidade das equipes de atenção básica em ofertarem serviços para assegurar maior acesso e qualidade, de acordo com a necessidade da população.

A superintendente da Regional de Montes Claros, Olívia Pereira de Loiola, explica que a atenção básica é o elemento integrador do cuidado e quando se investe na qualidade dos serviços prestados nesse nível, a saúde como um todo se qualifica. “As políticas públicas de saúde são um assunto que não se esgota, ao contrário, se renova a cada dia. À medida que as tecnologias vão se atualizando, fica mais fácil acompanhar e avaliar a aplicação dessas políticas de forma a assegurar que a população tenha ao seu alcance serviços que atendam às suas reais necessidades. Essa é a proposta do Pmaq que, além de um incremento no orçamento dos municípios, visa promover a qualidade da atenção básica, que é o centro gravitacional da assistência à saúde, e que certamente irá impactar em todos dos níveis de atenção à saúde”, avalia.

Os municípios da SRS-MOC possuem 556 equipes de Saúde da Família, 2.010 agentes comunitários de saúde e 97,21% de cobertura da Estratégia Saúde da Família. Com o Pmaq, os municípios poderão inscrever as equipes de atenção básica para serem acompanhadas e avaliadas e, dependendo dos resultados alcançados, poderão receber até o dobro do financiamento. No Norte de Minas, o Pmaq teve adesão de 100% dos municípios e vai acompanhar na região 237 equipes de atenção básica.

Ao efetivar sua adesão ao programa, o município receberá 20% do Componente Pmaq, o que representa um valor adicional de até R$ 1.700 por equipe a cada mês. Seis meses após a adesão, o Ministério da Saúde fará uma verificação in loco para determinar novos valores de repasse para o município que, dependendo do desempenho, poderá receber mensalmente até R$ 6.500 por equipe, e até R$ 8.500 por equipe com saúde bucal vinculada.

O programa vai verificar indicadores de atendimento pré-natal, acompanhamento de pessoas em situação crônica, redução do tempo de espera por consulta e atenção adequada à saúde do idoso. “Para receber conceito ótimo e repasse máximo do valor, um dos critérios será a satisfação do usuário”, observa a coordenadora de Atenção Primária da SRS-MOC, Renata Fiúza. Segundo a enfermeira, o programa também vai considerar na avaliação o acesso, utilização e qualidade dos serviços e as equipes que tiverem um desempenho insatisfatório terão o incentivo suspenso.

Curso

Durante o curso, ministrado em parceria com o Colegiado de Secretário Municipais de Saúde do Norte de Minas (Cosems Norte), os participantes estão recebendo orientações para fortalecer as ações das equipes de atenção básica. “Neste momento, estamos orientando os coordenadores para realizar a autoavaliação, monitoramento, educação permanente e apoio institucional, de forma a promover uma melhoria na gestão da atenção básica. Os municípios já aderiram formalmente ao programa, definiram as metas e indicadores, e agora precisam se preparar para cumprir essas metas”, explica Renata Fiúza.

Segundo a coordenadora, na próxima fase do programa os municípios e equipes participantes passarão por uma avaliação para averiguar as condições de acesso e a qualidade dos serviços ofertados. “A partir dessa avaliação, o desdobramento previsto será a pactuação das equipes e dos municípios, já com incremento de novos padrões e indicadores de qualidade, definidos a partir dos resultados alcançados”, observa Renata, ressaltando que o programa vai promover um processo cíclico e sistemático, reconhecendo o esforço dos gestores municipais e dos profissionais de saúde por meio da transferência de recursos.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/atencao-basica-a-saude-recebe-reforco-no-norte-de-minas-gerais/

Gestão da Saúde: Hemominas realiza coleta noturna de sangue em Diamantina

A expectativa é atender cerca de 50 candidatos à doação de sangue

Hemominas realiza coleta noturna de sangue em Diamantina, nesta terça-feira (27), das 19h às 22h. A ação acontece na própria unidade, localizada na rua da Glória, 469, Centro. A expectativa é atender cerca de 50 candidatos à doação de sangue.

Segundo a Portaria 1.353/2011 do Ministério da Saúde, podem doar sangue cidadãos com boa saúde, idade entre 18 e 67 anos. Os candidatos devem pesar acima de 50 quilos, não ter ingerido bebida alcoólica nas últimas 12 horas, não ter tido hepatite após os 11 anos de idade, e que não tenham doença de Chagas.  Jovens com 16 e 17 anos, somente poderão se candidatar à doação de sangue com a presença dos responsáveis legais ou autorização dos responsáveis com firma reconhecida em cartório, cujo modelo de autorização está disponível no site www.hemominas.mg.gov.br.

A idade máxima para a primeira doação de sangue é 60 anos. Os candidatos, que já tiverem doado pelo menos uma vez antes dos 60 anos, poderão doar até a idade de 67 anos. Para mais informações sobre os critérios para doação de sangue acessar http://www.hemominas.mg.gov.br/hemominas/menu/cidadao/doacao/condicoes_doacao ou ligar para o 155.

Para os jovens, principalmente, o hotsite www.projetonaveia.com.br promove interatividade e participação também na divulgação da doação. Acesse e conheça o Projeto na Veia.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/hemominas-realiza-coleta-noturna-de-sangue-em-diamantina/

Gestão da Saúde: Uberaba capacita referências para novos Sistemas de Informação de Imunizações e Vacinas

O sistema coleta dados referentes às atividades de vacinação de forma individualizada

O Núcleo de Vigilância Epidemiológica da Superintendência Regional de Saúde, da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) promoveu, entre os dias 20 e 22 de março, capacitação dos profissionais de imunização na sede da SRS. A partir de agora, as salas de vacina da macrorregião Triângulo do Sul serão gradativamente informatizadas, utilizando o Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunizações (SI-PNI). O sistema foi desenvolvido pelo Ministério da Saúde com o objetivo de coletar dados referentes às atividades de vacinação de forma individualizada, a partir da instância local, para subsidiar decisões e ações de gestão.

A referência técnica regional do SI-PNI, Roberta Resende, explica que, de acordo com o Ministério da Saúde, o novo sistema poderá subsidiar decisões e planejamentos mais adequados às realidades das equipes de saúde, pois permite a entrada de dados por indivíduo vacinado. “Informações como agendamento e estratégia de vacinação, grupos populacionais específicos, mobilidade do indivíduo, entre outras, oferecerão indicadores de coberturas vacinais mais consistentes”, conclui Roberta.

A coordenadora do Núcleo de Epidemiologia, Mirley Azambuja, acredita que a implantação do sistema será tranquila, “até porque os profissionais da área já esperavam por este programa há bastante tempo”. Ela diz ainda, que “nos municípios que possuem apenas uma sala de vacina, a implantação será imediata. Já nos de maior porte, talvez seja necessário um pouco mais de tempo, para adquirir os equipamentos necessários”.

Para o superintendente Regional de Saúde de Uberaba, Iraci Neto, o Estado vem implementando e sistematizando ações de saúde voltadas à população. Segundo ele, “a informatização vem qualificar os serviços de imunização, garantindo a fidelidade dos dados, qualificando os serviços e facilitando o planejamento de ações das equipes”.

Sistema de Informações de Insumos Estratégicos

A capacitação também abrangeu o Sistema de Informações de Insumos Estratégicos (SIES), através do qual as equipes farão controle de estoque e solicitação de imunobiológicos online. Anteriormente, cada município enviava um mapa de planejamento de material a ser utilizado durante o mês. Agora, os pedidos serão realizados diretamente no sistema. A referência técnica do programa na SRS, Maria Amélia da Silveira, afirma que o sistema proporcionará um registro mais preciso do consumo mensal dos municípios. A secretária de Saúde de Itapagipe, Maria Eduarda Cordeiro, acredita que “os serviços ficarão mais ágeis, otimizando o trabalho dos profissionais da área”.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/uberaba-capacita-referencias-para-novos-sistemas-de-informacao-de-imunizacoes-e-vacinas/

Gestão da saúde: estudantes promovem ação contra a dengue na região Noroeste de BH

Saúde mobiliza estudantes da capital para o combate ao mosquito
Alexandre Ribeiro
Alunos orientam moradores do bairro Dom Bosco sobre o trabalho de prevenção aos focos do mosquito
Alunos orientam moradores do bairro Dom Bosco sobre o trabalho de prevenção aos focos do mosquito

A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG), em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde de Belo Horizonte, promoveu no sábado (11) uma gincana comunitária de combate à dengue para os alunos da Escola Municipal Dom Bosco, região Noroeste da capital.

Participaram da ação aproximadamente 100 alunos da escola, que contaram com o apoio de outros 100 voluntários da Associação Profissionalizante do Menor de Belo Horizonte (Assprom). Os alunos foram divididos em equipes de até 25 componentes, que percorreram o bairro Dom Bosco orientando a comunidade para o trabalho de prevenção aos focos do mosquito da dengue e, ao mesmo tempo, recolheram os inservíveis (materiais que podem acumular água) como parte da gincana.

Ao final, as equipes que tiveram maior sucesso no recolhimento dos potenciais focos da dengue receberam como prêmio kits com o material escolar do “Agora é Guerra”, contendo lápis, caderno e borracha. O aprendiz da Assprom Gabriel Pacífico, 16 anos, pouco antes do início das atividades no bairro, conheceu o Dengueville, um aplicativo em forma de jogo virtual para as redes sociais que ensina como combater o mosquito da dengue e evitar a doença de forma lúdica. “Foi legal, porque no jogo deu pra ver os lugares comuns onde se acumula água, que foram parecidos com os locais que achamos algumas garrafas pets na gincana”, disse.

A referência em mobilização do Núcleo de Mobilização Social da Secretaria Municipal de Saúde (Mobiliza SUS), Carlos Fernandes, explica que é grande a necessidade de trabalhos de mobilização não somente no bairro Dom Bosco, como em toda região Noroeste de Belo Horizonte, que apresenta índices preocupantes para a dengue. “Acreditamos no potencial das crianças como multiplicadores de informação para mobilizar a comunidade e impedir a infestação generalizada nessa região”, afirmou.

O último levantamento do Índice Rápido de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa) no bairro Dom Bosco, referente ao mês de janeiro, indicou 6,28%. Segundo o Ministério da Saúde, LIRAa acima de 4% representa risco de epidemia.

Por esta razão, as ações de mobilização são fundamentais no atual período de alta transmissão da doença, caracterizados pelas altas temperaturas registradas, com possibilidades de chuva. Como explica a referência técnica em dengue da Secretaria de Estado de Saúde, Geane Andrade, as ações de mobilização social são vitais em períodos de entre chuvas. “Reforçar a prevenção no momento atual é essencial, uma vez que as chuvas concentradas, previstas para os próximos períodos, podem agravar o controle da dengue”, alerta.

Escola integrada

A ação que culminou na gincana contra a dengue é parte das atividades do projeto Escola Integrada no bairro Dom Bosco. Durante as semanas que precederam o evento de mobilização, os alunos da Escola Municipal Dom Bosco conheceram, por meio de palestras e oficinas com técnicos em saúde, os modos de prevenção e as consequências decorrentes da dengue.

Segundo a coordenadora da Escola Integrada da Escola Municipal Dom Bosco, Ana Paula Costa, a abordagem pela sensibilização dos técnicos fez com que os alunos compreendessem a verdadeira dimensão do problema. “As crianças estão acostumadas a apenas ver a doença sob a forma do mosquito, mas quando vêem como é um enfermo que está com dengue eles percebem o quanto a situação é grave”, afirmou.

Fonte: Agência Minas

Blog do Anastasia – Governador de Minas lança Força Estadual de Saúde para atender vítimas das chuvas em Minas Gerais

BELO HORIZONTE (10/01/12) – O governador Antonio Anastasia se reuniu nessa terça-feira (10) com profissionais – médicos, enfermeiros, psicólogos e assistentes sociais – que vão integrar a Força Estadual de Saúde, montada em caráter emergencial para atender e levar auxílio aos moradores das cidades mais atingidas pelas chuvas este ano. Cada equipe será formada por pelo menos um médico e um enfermeiro. Dependendo da necessidade, elas contarão também com um psicólogo ou assistente social.

Os profissionais atenderão nos abrigos ou tendas montadas pela Defesa Civil e contarão, para acesso aos locais mais difíceis, com 20 caminhonetes 4 x 4.  Os integrantes da Força Estadual de Saúde receberão ajuda de custo para alimentação e hospedagem nas cidades para os quais forem designados, além de todo o material necessário para atender a população.

O cadastro, realizado a partir de sexta-feira (6), pelo site da Secretaria de Estado de Saúde (SES), já reúne mais de 490 colaboradores. Os profissionais serão selecionados e designados de acordo com as necessidades de cada região ou município.

O objetivo da Força de Saúde é assistir aos pacientes que, devido aos estragos provocados pelas chuvas, estão com dificuldades de acesso aos hospitais e às Unidades Básicas de Saúde (UBS) e não encontram meios para garantir a continuidade de seus tratamentos. Tem como público alvo os pacientes hipertensos, diabéticos, cardíacos, em tratamento de quimioterapia e radioterapia e, ainda, grávidas a partir do sexto mês.

Também serão atendidos casos agudos, como febres, diarreias, entre outros sinais de alerta de doenças infecciosas, reduzindo, assim, as sequelas e mortes evitáveis, além de prestar assistência de qualidade e em tempo hábil às populações atingidas pelas enchentes.

Em caso de necessidade, os pacientes poderão ser encaminhados para a rede de assistência da região, cujo levantamento está sendo atualizado pela Secretaria de Saúde. As equipes também poderão fortalecer as equipes de plantão nas urgências dos hospitais de referência.

A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais doou, nesta segunda-feira (9), duas ambulâncias (doblô) e emprestou duas caminhonetes 4×4 para o município de Guidoval, na Zona da Mata, uma das regiões mais afetadas com o período chuvoso. O município também recebeu 100 pares de botas. Outro apoio foi a doação de kits de medicamentos e insumos estratégicos, conseguidos pela SES junto ao Ministério da Saúde.

Além de Guidoval, a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais irá doar outras nove ambulâncias e dez carros Fiat Uno para os municípios afetados. A SES está realizando um levantamento das UBS que foram destruídas pela chuva ou estão muito danificadas para recuperá-las.

A criação da Força Estadual de Saúde conta com o apoio dos Conselhos Regionais de Medicina (CRM), Enfermagem (CRE) e Psicologia (CRP), Associação Médica de Minas Gerais (AMMG), além das fundações Ezequiel Dias (Funed), Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig), Centro de Hematologia e Hemoterapia de Minas Gerais (Hemominas) e Ministério da Saúde.

Atendimento a calamidades

O Governo de Minas já colocou à disposição, por meio da SES, os “Kits de Atendimento às Calamidades” para uso em caso de enfermidades, decorrentes das chuvas, para a população de municípios afetados. Estão sendo distribuídos também medicamentos, de acordo com a demanda apresentada pela Coordenadoria Estadual de Defesa Civil.

Compõem os Kits 30 medicamentos e 18 insumos estratégicos, como ataduras, esparadrapos, seringas, equipamentos para soroterapia, além de amoxicilina, analségicos, paracetamol, sais de reidratação e sulfametoxazol. A quantidade de medicamentos é suficiente para atender 500 pessoas durante três meses.

Fonte: Agência Minas