Governo de Minas: Anastasia lança Plano de Ação de Combate a Incêndios Florestais

Seis programas operacionais divididos em prevenção e controle, capacitação, combate, infraestrutura e logística, comunicação, fiscalização e investigação integram a proposta

Osvaldo Afonso / Imprensa MG
Segundo Anastasia, plano envolve o poder público, os cidadãos e a sociedade civil nas ações de prevenção
Segundo Anastasia, plano envolve o poder público, os cidadãos e a sociedade civil nas ações de prevenção

O governador Antonio Anastasia lançou, nesta quarta-feira (02), no Palácio Tiradentes, o Plano de Ação 2012 de Prevenção e Combate a Incêndios Florestais, que irá receber investimentos de R$ 26 milhões. O objetivo do Plano é diminuir o número de ocorrências de queimadas nas Unidades de Conservação (UCs) de Minas e dar respostas rápidas no combate ao fogo, além de envolver cidadãos e sociedade civil nas ações de prevenção.

“Estamos chamando toda Minas Gerais para em conjunto combatermos a essa questão do fogo descontrolado no período da seca. Vamos trabalhar duplicado, triplicado, quadriplicado, quintuplicado de maneira muito enfática durante este ano para diminuirmos os efeitos do fogo e seus prejuízos. Peço, não só aos presentes, às instituições presentes, mas a todos os mineiros, para que tenham muita cautela. Vamos trabalhar na prevenção para que, em 2012, tenhamos um ano menos sofrido”, afirmou o governador Antonio Anastasia.

O secretário de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Adriano Magalhães, destacou os investimentos para 2012, inclusive em parceria com entidades privadas.

“Saímos de um orçamento de R$ 4 milhões para um orçamento direto de R$ 26 milhões, ou seja, quase sete vezes mais. Além das parcerias com as empresas, que representam mais R$ 9 milhões e a contratação de pessoal para as nossas unidades de conservação, que são 75 ao todo no Estado. Com isso, somamos um investimento superior a R$ 50 milhões, o que mostra a relevância e a preocupação do Estado com o tema”, disse Magalhães.

Plano

Levantamentos da Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) apontam que 90% das queimadas nas unidades de conservação estaduais têm origem criminosa. Integram o Plano de Ação 2012 de Prevenção e Combate a Incêndios Florestais seis programas operacionais divididos em Prevenção e Controle, Capacitação, Combate, Infraestrutura e Logística, Comunicação, Fiscalização e Investigação.

“Orientei ao secretário Adriano Magalhães a sermos, neste ano, mais cautelosos, mais empreendedores e mais prevenidos em relação ao que fomos no passado e prepararmos um projeto mais amplo, ambicioso e abrangente para não permitirmos que, em 2012, tenhamos a repetição do que ocorreu em anos anteriores quando os incêndios grassaram nosso Estado”, afirmou Anastasia.

Combate a incêndios

O governador assinou decreto que define diretrizes para a Força Tarefa do Programa de Prevenção e Combate a Incêndios Florestais de Minas Gerais (Previncêndio), voltado para a proteção das Unidades de Conservação (UCs) sob responsabilidade do Estado, seus entornos e áreas de relevante interesse ecológico.

O decreto cria, ainda, uma sub-base da Força Tarefa, que será instalada na estrutura da Adjuntoria de Emergência Ambiental do Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais, instalada no Parque Estadual Serra do Rola Moça. Com isso, serão intensificadas as ações de prevenção e combate dentro de uma das mais importantes unidades de conservação estaduais da Região Metropolitana de Belo Horizonte. Além da sede do Previncêndio em Curvelo, estão em funcionamento sub-sedes em Januária e Viçosa.

A Diretoria de Meio Ambiente e Trânsito (DMAT) da Polícia Militar de Minas Gerais (PMMG) recebeu 28 viaturas que reforçarão a frota que atua dentro das UCs estaduais e nas rodovias que cortam essas áreas protegidas. São 16 blazers e 12 caminhonetes, nos quais foram investidos R$ 2,5 milhões.

Depois da solenidade, a Força Tarefa Previncêndio (FTP) fez uma simulação de combate a incêndio na Praça Cívica da Cidade Administrativa. Foram usados helicópteros do Comando de Radiopatrulhamento Aéreo (Corpaer) da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros no combate aéreo e equipes de brigadistas simularam o combate em solo. Uma exposição apresentou os equipamentos e veículos usados no combate às chamas.

Força Tarefa Previncêndio

A Força Tarefa (FTP) do Programa de Prevenção e Combate a Incêndios Florestais de Minas Gerais (Previncêndio) foi criada em 2005, para aperfeiçoar o trabalho de combate a incêndios florestais no Estado. É a primeira do gênero na América Latina e integrada pela Semad, Instituto Estadual de Florestas, o Corpo de Bombeiros Militar, as Polícias Militar e Civil e a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec). Integra a estrutura da Semad.

O objetivo da FTP é apoiar as ações de prevenção e coordenar o combate a incêndios florestais nas unidades de conservação sob responsabilidade do Estado. A equipe da Força Tarefa está de prontidão 24 horas por dia para atendimento às ocorrências e denúncias pelo telefone 0800 28 32323.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/anastasia-lanca-plano-de-acao-de-combate-a-incendios-florestais/

Gestão Anastasia: governo de Minas capacita cidadãos para gerir negócio

Workshop Gestão para Oficinas Artesanais beneficiou empreendedores de Salinas e região

Os empreendedores de Salinas e região estão mais capacitados para gerir seus negócios. Na última semana, cerca de 30 pessoas participaram do workshop “Gestão para Oficinas Artesanais”, oferecido pelo Polo de Inovação da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sectes), em parceria com Sebrae-MG e o Centro Vocacional Tecnológico (CVT) de Salinas.

Durante as atividades, os pequenos empreendedores aprenderam a importância de se apurar os custos corretamente para avaliar se o preço de venda dos seus produtos está de acordo com os gastos.

“O workshop vai contribuir com a organização do meu negócio, pois tive a oportunidade de verificar o que estava fazendo de errado. A partir de agora, poderei controlar meus gastos e meu tempo de forma adequada, aumentando a minha produção e lucro”, disse a costureira Rosiane Rocha.

“As atividades mostraram que não sabia colocar o preço no meu produto. Aprendi a avaliar direito o que gasto e me organizar melhor para vender mais”, explicou Maria do Carmo Ferreira da Silva, que trabalha com pintura em tecido.

Polos de inovação

O polo de Salinas é uma das oito unidades instaladas também nos municípios de Araçuaí, Almenara, Janaúba, Januária, Pirapora e Teófilo Otoni. Eles atuam no Norte de Minas e vales do Jequitinhonha e Mucuri com o objetivo de catalisar oportunidades para o desenvolvimento econômico e social da região. As capacitações oferecidas pelos polos desenvolvem potenciais, fortalecem vocações e promovem a cidadania.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/governo-de-minas-capacita-cidadaos-para-gerir-negocios/

Gestão Anastasia: governo de Minas entrega casas em três regiões do Estado

As casas são em Monte Alegre de Minas, no Triângulo Mineiro, Januária e Juvenília, no Norte de Minas, e em de Rio Paranaíba, na região do Alto Paranaíba

O Governo de Minas, por meio da Cohab, entrega  nesta sexta (30) e sábado (31) casas nos municípios de Monte Alegre de Minas, no Triângulo Mineiro, Januária e Juvenília, no Norte de Minas,  e em de Rio Paranaíba, na região do Alto Paranaíba.

Vinte e cinco mulheres de Monte Alegre de Minas, no Triângulo Mineiro, recebem nesta sexta-feira (30), as chaves de suas novas casas, graças à parceria do Lares Geraes Habitação Popular com o Minha Casa, Minha Vida. As mulheres compraram quase todas as casas do Conjunto Habitacional Jota Tolendal Bittencourt II, que têm 30 unidades, sendo uma delas adquirida por um idoso, que também tem prioridade na seleção de candidatos inscritos no Lares Geraes.

A inauguração do conjunto acontecerá às 19h. Nas obras foram aplicados R$ 990.746,17, sendo R$ 510.746,17 pelo Governo de Minas; e R$ 390.000,00 pelo governo federal. A prefeitura municipal participou com a contrapartida de R$ 90.000,00 em doação e urbanização do terreno.

Rio Paranaíba

O município de Rio Paranaíba, na região do Alto Paranaíba, também recebe nesta sexta-feira (30), às 19h, o Conjunto Habitacional Novo Horizonte, com 30 casas construídas pela Cohab Minas para a parceria do Lares Geraes Habitação Popular – programa habitacional do Governo de Minas – com o Minha Casa, Minha Vida.

Das 30 casas, 20 pertencerão a mulheres chefes de família. O Governo de Minas investiu nas obras do conjunto R$ 551.230,62; o programa Minha Casa, Minha Vida, R$ 390.000,00; e a Prefeitura Municipal, R$90.000,00 na doação e urbanização da área onde as casas foram levantadas.

Januária e Juvenília

Mais duas cidades do Norte de Minas, Januária e Juvenília, recebem neste final de semana novos conjuntos habitacionais construídos pela Cohab Minas para a parceria do Governo do Estado com o governo federal, por meio do fundo Nacional de Habitação de Interesse Social – FNHIS, gerido pela Caixa. No primeiro município serão atendidas 22 famílias carentes; e no segundo, 43. Com as 65 novas casas do Norte de Minas, a região chega a 4.167 unidades construídas pela Cohab Minas.

Desse total, 222 resultaram da parceria do Governo de Minas com o FNHIS. Esta visa dar acesso à casa própria para pessoas que não têm renda mínima para adquirir as moradias do Programa Lares Geraes Habitação Popular, destinado àqueles que têm renda mensal de 1 a 3 salários mínimos.

Em Januária, as chaves das unidades do Conjunto Habitacional Loteamento Alameda serão liberadas às 15h deste sábado (31). Das 22 moradias, 20 foram adquiridas por mulheres responsáveis pelo domicílio; e uma, por um idoso.  A construção custou R$ 641.145,61. O Governo de Minas investiu R$ 331.312,35; e governo federal, R$ 273.542,00, por meio da Caixa Econômica.

Também às 15h deste sábado, as 43 famílias de Juvenília receberão as chaves de suas casas do Conjunto Habitacional Prefeito Laurindo B. Ferreira. Vinte mulheres e dois idosos adquiriram a casa própria. Foi investido na construção do conjunto o total de R$ 1.216.882,11, sendo R$ 729.076,92 aplicados pelo Governo de Minas; e R$ 418.925,07, pelo governo federal, via Caixa Econômica.

Quase 30 mil

Desde que o Programa Lares Geraes Habitação Popular foi criado em 2005, até o momento o Governo de Minas já entregou 29.515 casas. Desse total 25.512 foram construídas apenas para o programa habitacional do Governo de Minas, e o restante para a sua parceria com programas federais e parcerias avulsas. Além disso, a Cohab Minas tem mais 3.025 casas prontas para serem entregues, aguardando apenas o término de obras de infraestrutura a cargo de prefeituras conveniadas.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/governo-de-minas-entrega-casas-em-tres-regioes-do-estado/

Governo de Minas: Anastasia participa de lançamento do livro “A Execução Penal à Luz do Método Apac”

Para governador, resultados da metodologia de recuperação são muito melhores do que os alcançados pelas instituições prisionais tradicionais

Omar Freire/Imprensa MG
Anastasia recebe livro das mãos do presidente do TJMG, desembargador Cláudio Costa
Anastasia recebe livro das mãos do presidente do TJMG, desembargador Cláudio Costa

O governador Antonio Anastasia participou, nesta sexta-feira (16), no auditório da Unidade Raja Gabaglia do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), do lançamento do livro A Execução Penal à Luz do Método APAC. Organizado pela desembargadora Jane Ribeiro Silva, a publicação tem prefácio do governador Anastasia, posfácio do desembargador Joaquim Alves de Andrade e artigos de 23 advogados, juízes, procuradores e desembargadores de Justiça.

O objetivo do livro é divulgar o método da Associação de Proteção e Assistência aos Condenados (Apac) para recuperar e ressocializar presos que cumprem pena nas penitenciárias do país e que se tornou referência para a Lei de Execução Penal brasileira. As Apacs se tornaram importantes instrumentos para desafogar o sistema prisional.

O presidente do TJMG, desembargador Cláudio Costa, entregou um exemplar do livro ao governador Anastasia. Também participaram da solenidade, o presidente do Conselho da Apac, juiz Paulo Antônio de Carvalho, o segundo vice-presidente do TJMG, Joaquim Herculano Rodrigues, entre outras autoridades.

Antonio Anastasia classificou como fato memorável a organização e publicação do livro. “Há alguns anos, muitos duvidavam das ações do método Apac. Hoje, pelo esforço da doutora Jane e dos autores deste livro, já temos uma doutrina do método Apac. Temos de apostar e investir em uma metodologia muito mais racional, com resultados muito melhores de recuperação do que os das instituições prisionais tradicionais. A publicação desta obra é o reconhecimento publico de que estamos no caminho certo com reconhecimento judicial e da sociedade”, afirmou.

Apac

As unidades Apac funcionam como albergues, em que os condenados são mantidos em regime semiaberto. As ações de recuperação e ressocialização são baseadas na participação da comunidade, no trabalho, religião, na assistência jurídica e de saúde, na valorização humana e no apoio da família.

Em Minas, existem 36 unidades Apac. A primeira experiência foi implantada em 1986, em Itaúna, e hoje é reconhecida nacionalmente como modelo na recuperação de condenados. Desde 2003, o Governo de Minas celebrou 36 convênios com as Apacs, sendo nove para construção e 27 para manutenção e despesas, totalizando 2.164 vagas mantidas com verbas do Estado. Cumprem pena em Apacs 1.556 recuperandos. Em 2011, o Governo de Minas investiu R$ 15,2 milhões na manutenção e construção de unidades. Este ano, a previsão de investimentos é de R$ 16 milhões.

As Apacs conveniadas estão localizadas nos municípios de Alfenas, Araxá, Arcos, Campo Belo, Caratinga, Frutal, Governador Valadares, Inhapim, Itajubá, Itaúna, Ituiutaba, Januária, Lagoa da Prata, Leopoldina, Machado, Manhuaçu, Nova Lima, Paracatu, Passos, Patrocínio, Perdões, Pirapora, Pouso Alegre, Rio Piracicaba, Sacramento, Santa Bárbara, Santa Luzia, Santa Maria do Suaçuí, São João del-Rei, Sete Lagoas, Uberlândia e Viçosa.

Fonte: Agência Minas

Gestão Anastasia: educação profissionalizante abre perspectivas para a juventude no Norte de Minas

Programa já investiu cerca de R$ 600 milhões e atendeu a mais de 200 mil alunos em todas as regiões do Estado

José Carlos Paiva/Imprensa MG
O PEP conta com a parceria das unidades regionais do Senac e do Senai em Montes Claros
O PEP conta com a parceria das unidades regionais do Senac e do Senai em Montes Claros

Cerca de 2,8 mil profissionais capacitados em 13 cursos nos últimos quatro anos. Esse é o resultado alcançado pelo Governo de Minas com a implementação do Programa de Educação Profissionalizante (PEP) no Norte de Minas. O PEP é um programa mantido pelo Governo de Minas Geais, por meio da Secretaria de Estado de Educação, e conta com a parceria das unidades regionais do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac) e o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), em Montes Claros.

“No Norte de Minas o PEP veio a calhar, principalmente no que diz respeito à viabilização da empregabilidade de jovens que não vislumbravam uma oportunidade de se profissionalizarem sem que suas famílias fossem obrigadas a arcar com o investimento financeiro. Além de uma nova perspectiva de vida, os estudantes que estão concluindo o ensino médio já estão conseguindo se inserir no mercado de trabalho”, destacam as supervisoras pedagógicas do centro de formação profissional do Senac em Montes Claros, Joana D´Arc Souza Prates e Cléia Terezinha Fernandes Silva.

Além da relevância do investimento viabilizado pelo Governo do Estado visando suprir a demanda de profissionais que atendam as exigências do mercado de trabalho, Joana D´Arc observa que a iniciativa representa um investimento social de grande importância, pelo fato de evitar que muitos jovens ingressem numa situação de vulnerabilidade diante do crescente aumento da criminalidade e da violência. “Além disso, o programa estimula os estudantes conciliar a conclusão do ensino médio a uma formação profissional na área técnica, atendendo as necessidades do mercado de trabalho em todas as regiões do Estado,” ressalta.

De acordo com as supervisoras do Senac, pelo fato dos cursos ministrados através do PEP levarem em conta um levantamento preliminar das necessidades dos mercados regionais de trabalho, muitos jovens antes mesmo de concluírem os cursos já estão sendo contratados como estagiários e, posteriormente, em sua maioria são efetivados nas empresas. “Isso estimula os jovens a se profissionalizarem, pois veem de forma concreta a possibilidade de conseguirem um emprego”, afirmam.

O estímulo ao empreendedorismo é outra vertente do programa considerada importante. Nos últimos anos, várias empresas foram abertas não só em Montes Claros, mas em várias cidades do Norte de Minas, envolvendo profissionais qualificados através do Programa de Educação Profissionalizante. Um bom exemplo disso é o surgimento de um crescente número de empresas especializadas na prestação de serviços, entre elas clínicas de estética, tendo como dirigentes técnicos que fizeram cursos no Senac.

Cursos técnicos com perfil diferenciado

Na avaliação do gerente do Senac em Montes Claros, André Gomes Coimbra, pelo fato de antes de ingressarem nos cursos técnicos os jovens passarem por processo de seleção coordenado pelo Governo do Estado, o índice de aproveitamento dos cursos é considerado “altamente satisfatório”. Com a experiência de já ter ocupado a função de instrutor do curso de redes de computadores, André Coimbra garante que os alunos selecionados através do PEP têm bom aproveitamento e, por isso, são facilmente absorvidos pelo mercado de trabalho. “O processo seletivo viabiliza ao aluno ingressar nos cursos técnicos com perfil diferenciado, pois eles se inscrevem já levando em conta uma área de trabalho pela qual têm interesse prévio”, observa o gerente.

Além de estudantes de Montes Claros, através do PEP o centro de formação profissional do Senac no Norte de Minas atendeu 2.008 alunos, nos últimos quatro anos, provenientes de várias cidades do Norte de Minas. Os cursos envolvem a formação de técnicos em administração, redes de computadores, farmácia, contabilidade, análises clínicas, segurança do trabalho, enfermagem e estética. Os cursos têm duração média variável de 800 a 1,8 mil horas e têm suas despesas totalmente custeadas pelo Governo de Minas.

Dirigentes e estudantes do centro de formação profissional do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) de Montes Claros também avaliam como positivos os resultados alcançados pelo Programa de Educação Profissionalizante. Entre 2008 e 2011 já passaram pelos cursos de eletrônica, mecânica, edificações e eletromecânica um total de 760 jovens, a maioria em fase de conclusão do ensino médio e integrantes de famílias de baixa renda.

“O PEP tem sido muito importante pois oportuniza aos jovens mais carentes uma excelente oportunidade de profissionalização e o ingresso no mercado de trabalho. Só quem não quer dar sequencia aos estudos é que não consegue evoluir na formação técnica e, consequentemente, não aproveita as oportunidades oferecidas pelas empresas ”, enfatiza o supervisor do Senai em Montes Claros, Alexandre Guimarães.

Assim como acontece no Senac, onde nos últimos quatro anos mais de 580 estudantes foram encaminhados para estágio em empresas privadas, também no Senai a procura por estagiários é grande. “As indústrias tem na instituição uma referência positiva na formação de bons profissionais e, por isso, quem passa por aqui dificilmente fica desempregado”,  explica o gerente do Senai em Montes Claros, Izac Lopes Veloso.

No Norte de Minas o curso de eletromecânica é um dos mais procurados, tanto por jovens como também por empresários interessados na contratação de profissionais. Em virtude dessa situação, através do PEP, o Senai tem atendido estudantes residentes tanto em Montes Claros como em outras cidades norte-mineiras, principalmente Bocaiúva, Capitão Enéas, Januária e Janaúba.

Mais de meio bilhão de reais em investimentos

Em sua sexta edição, o PEP oferece neste ano 30 mil vagas em 60 cursos técnicos. Criado em 2007, o Programa já ultrapassa a marca de 200 mil estudantes atendidos e o investimento total chega a R$ 569 milhões. Os cursos do PEP são oferecidos pela Rede Mineira de Formação, que tem como parceiras instituições públicas e privadas credenciadas pela SEE.

No PEP, os estudantes se inscrevem para o seu curso de interesse, de acordo com o município. O curso que tem a maior proporção candidatos/vaga em Minas Gerais é o de técnico em farmácia, ministrado pelo Senac, em Montes Claros. No ano passado o número de candidatos por vaga chegou a 61,13 inscritos.

“O Norte de Minas vem se desenvolvendo muito nos últimos 20 anos. A economia é dividida entre indústria, prestação de serviços, agropecuária e pecuária. Conta com grandes multinacionais. O PEP busca prover educação profissional na região atendendo a este perfil. Mais de 13 mil alunos já foram beneficiados em 17 municípios, com 28 cursos ofertados.

Ex-Aluno do PEP conquista cargo de instrutor do Senac

Com apenas 23 anos de idade, Josué Batista Antunes viu sua vida dar  um salto em apenas quatro anos de dedicação aos estudos. Em maio de 2008 ele foi selecionado para ingressar numa das primeiras turmas do Programa de Educação Profissionalizante (PEP). Diante do bom desempenho obtido no curso de redes de computadores, após a conclusão dos estudos em maio de 2010 o jovem foi contratado para o cargo de instrutor do Senac. Pouco tempo depois, ele concluiu o curso superior de sistemas de informação, ministrado pela Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes) e, atualmente, se dedica integralmente à formação de novos profissionais na área da informática.

“A oportunidade de fazer o curso técnico através do PEP me proporcionou aliar o interesse pessoal à aprendizagem prática. Além disso, me ajudou a construir uma base sólida para ingressar no ensino superior e obter um bom desempenho,” avalia o jovem instrutor, egresso da Escola Estadual Padre José Silveira, sediada no município norte-mineiro de Varzelândia.

Seguindo os passos do instrutor que atualmente lhe ensina os segredos da informática, o jovem Luan Rafael Silva Neves que está em fase de conclusão do curso técnico de redes de computadores, também já vislumbra a oportunidade de evoluir nos estudos. Mesmo antes da conclusão do curso técnico, no segundo semestre de 2011 o jovem foi contratado para trabalhar na empresa ADV Link e, em 2012, pretende aplicar parte do salário no custeio de um curso superior na área de computação.

“Penso que a oportunidade de fazer um curso técnico me ajudou aliar o interesse pessoal à busca de conhecimentos numa área que evolui continuamente. Tenho tido acesso a bons professores e, por isso, vislumbro boas oportunidades no mercado de trabalho”, conclui Luan Neves.

Jovens mais qualificados para o futuro

Com previsão de em março de 2012 concluir o curso técnico de análises clinicas, a jovem Cintia Meriá de Jesus Gusmão, de 17 anos, garante que abriu novas perspectivas de vida a partir do momento que começou a frequentar o curso técnico no Senac, em Montes Claros. “Apesar de ter a intenção de trabalhar na área da saúde, antes não possuía nenhum direcionamento para algum curso de qualificação profissional. A oportunidade de participar do Programa de Educação Profissionalizante foi ótima, pois, como estou concluindo o ensino médio em 2011, já penso em conseguir um emprego e investir numa faculdade de farmácia ou bioquímica”, planeja Cintia Gusmão.

O sonho de uma vida melhor também alimenta as perspectivas dos jovens Ernane Fiúza Rodrigues, 27 anos, e Nayara Gonçalves Gusmão, 17, alunos do curso de eletrônica ministrado pelo Senai, em Montes Claros.

“Na última hora fiz a inscrição para concorrer a uma vaga no PEP e consegui ser aprovado em 2011. Depois de ter trabalhado em lavouras de café no pequeno município de Patis, penso que terei oportunidade de conseguir um bom emprego e continuar morando em Montes Claros. Isso me abrirá novas perspectivas de crescimento profissional”, avalia Ernane Fiúza.

Por sua vez, estimulada pelo curso técnico no Senai, Nayara Gusmão revela que já está se preparando para, neste ano, ingressar no curso de engenharia elétrica na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), em Belo Horizonte, ou numa faculdade particular em Montes Claros.

“O curso técnico vai me ajudar muito no ensino superior e, assim como outros colegas, avalio que a oportunidade obtida através do PEP tem sido muito positiva”, conclui a potencial futura engenheira.

Fonte: Agência Minas

Gestão Anastasia: silvicultura terá incremento de 30 mil hectares nos Vales do Mucuri e Jequitinhonha e no Norte de Minas

A previsão é que, em 2012, investimentos no setor alcançarão R$ 180 milhões

Carlos Alberto/Imprensa MG
Parceria entre Banco do Nordeste e Governo de Minas abre perspectiva promissora para o incremento da silvicultura em Minas
Parceria entre Banco do Nordeste e Governo de Minas abre perspectiva promissora para o incremento da silvicultura em Minas

Termo de Cooperação Técnica firmado em janeiro entre o Governo de Minas e o Banco do Nordeste, através do qual serão investidos R$ 1,55 bilhão na implementação do Plano Agrícola 2012/2015 voltado para a região do Grande Norte – que compreende os  vales do Jequitinhonhae do Mucuri e o Norte de Minas, poderá viabilizar já neste ano o plantio de 30 mil hectares de florestas renováveis na região do semiárido. Os investimentos previstos pela Associação Mineira de Silvicultura (AMS) são da ordem de R$ 180 milhões, com cada hectare plantado custando, em média, R$ 6 mil.

O diretor superintendente da AMS, Antônio Tarcizo de Andrade e Silva destaca que o fortalecimento da parceria entre o Banco do Nordeste e o Governo de Minas abre perspectiva promissora para o incremento da silvicultura em Minas Gerais, com geração de emprego e renda, inclusive, para o segmento da agricultura familiar.

“O Banco do Nordeste é um grande parceiro no incremento da silvicultura em Minas Gerais, especialmente nas regiões do Norte e vales do Jequitinhonha e Mucuri. A disponibilização de recursos para o incremento da produção agropecuária da região, especialmente para a silvicultura, cria expectativas favoráveis para o desenvolvimento com o aproveitamento de uma atividade que atualmente gera cerca de oito mil empregos diretos e outros 18 mil postos de trabalho indiretos”,  destaca Andrade.

Além do plantio de novas áreas de florestas renováveis por parte de grupos empresariais que objetivam atender a demanda de empresas do segmento de ferro gusa, no ano passado a Associação Mineira de Silvicultura firmou parceria com o escritório da Emater de Januária através da qual foram distribuídas mais de 42 mil mudas de árvores para pequenos produtores rurais. As mudas estão sendo utilizadas no reflorestamento de áreas nos municípios de Ibiracatu, Itacarambi, Chapada Gaúcha, Manga, Miravânia, Lontra e Japonvar. Do total de mudas disponibilizadas, mais de duas mil foram destinadas à ampliação do Programa de Integração Lavoura, Pecuária, Florestas (ILPF).

Em janeiro,a AMS ampliou parceria firmada com a Emater com o repasse de mais 200 mil mudas para cerca de 30 mil agricultores do Norte de Minas. O objetivo é possibilitar a famílias de pequenos produtores rurais nova alternativa para geração de renda, com a venda de madeira e a diminuição de custos da pecuária leiteira, através do ILPF.

Incentivos

Durante o lançamento do Plano Agrícola de Minas Gerais, em janeiro, o  governador Antonio Anastasia afirmou que a região do Grande Norte –  que compreende os vales do Jequitinhonha e do Mucuri e o Norte de Minas – têm toda confiança e crédito de que conseguirá responder de forma positiva ao apoio que vem recebendo do Governo do Estado para que consiga superar as desigualdades sociais e econômicas ainda existentes.“Toda semente ali plantada frutifica e, por esse motivo, não temos dúvidas de que a região se constitui na nova fronteira de desenvolvimento de Minas Gerais”, assinalou o governador.

Por sua vez o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais (Faemg), Roberto Simões disse, no mesmo evento, que ainiciativa do Governo de Minas em fortalecer atuação com o Banco do Nordeste tem condições de acelerar o desenvolvimento dos vales do Jequitinhonha, Mucuri e Norte de Minas. “A região tem muitas potencialidades, mas a superação das desigualdades econômicas e sociais só será viabilizada através de investimentos. O apoio à produção agropecuária é um importante segmento a ser explorado, dentro da meta de se procurar igualar o desenvolvimento do Grande Norte às demais regiões do Estado”, afirmou.

Já o secretário de Estado de Desenvolvimento dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri e do Norte de Minas, Gil Pereira, comentou a importância da relação estabelecida entre o Governo de Minas e o Banco do Nordeste do Brasil (BNB): “O investimento em silvicultura previsto pelo Banco para o período 2012/2015 é muito significativo para o Grande Norte, que vive momento positivo em que são absolutamente estratégicas as parcerias financeiras. Neste caso, a geração de empregos é um dos pontos mais relevantes a serem destacados”.

BNB prevê aporte de R$ 250 milhões até 2015

Para o período de 2012/2015, a Superintendência do Banco do Nordeste em Minas Gerais tem previsão de investir R$ 250 milhões na expansão da silvicultura na região do Grande Norte. A instituição iniciou o ano com uma demanda de R$ 18 milhões para o plantio de 5,5 mil hectares de florestas na região do semiárido. Para 2012 a projeção de aportes do Banco para a silvicultura é da ordem de R$ 50 milhões.

No ano passado o BNB liberou mais de R$ 47,4 milhões de financiamentos para o plantio de uma área superior a 24,1 mil hectares de florestas renováveis em Minas. Os municípios onde o BNB possui agências que disponibilizaram maior volume de recursos para a cadeia produtiva da silvicultura foram Capelinha, Salinas, Pirapora, Januária, Montes Claros e Brasília de Minas. Nestas regiões a extensão das áreas plantadas variou de 7,3 mil a 1,3 mil hectares.

O superintendente do BNB em Minas Gerais, José Mendes Batista avalia que “as parcerias firmadas pela instituição com o Governo de Minas tem alcançado resultados positivos visto que, pela primeira vez, em 2011, o Banco conseguiu bater o recorde na liberação de financiamentos no Estado, totalizando quase R$ 1 bilhão. Só através do Fundo Constitucional do Nordeste (FNE) o total de financiamentos liberados em 2011 chegou a R$ 500 milhões”.

Plano Agrícola

O Plano Agrícola 2012/2015 da região do Grande Norte se destina ao custeio, investimento e comercialização das atividades agropecuárias, entre elas a bovinocultura de leite e corte, fruticultura, produção de cachaça e silvicultura. O montante de financiamento será distribuído num prazo de quatro anos sendo, R$ 300 milhões a serem aplicados em 2011 e R$ 350 milhões em 2013. Para 2014 a previsão é de que sejam disponibilizados R$ 400 milhões, montante que aumentará para R$ 500 milhões em 2015.

No mínimo 50% dos recursos serão destinados ao financiamento de mini e pequenos produtores rurais, incluindo a agricultura familiar por meio do Plano Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf). No máximo, 20% dos recursos serão destinados ao financiamento de grandes produtores rurais.

Para a agricultura familiar o prazo para pagamento dos financiamentos poderá chegar a até dez anos, incluindo cinco anos de carência. A taxa de juros vai variar entre 1% e 5% ao ano, com bônus de 25% para parcelas pagas pontualmente.

Os agricultores do segmento de médios e grandes produtores rurais, que não fazem parte do Pronaf, poderão pagar os financiamentos num de até 12 anos, incluindo quatro anos de carência. As atividades de reflorestamento têm prazo diferenciado, podendo chegar a 16 anos, já contemplados sete anos de carência. Os juros variam de 5% a 8,5% ao ano, com bônus de 25% para parcelas pagas pontualmente.

Fonte: Agência Minas

Governo de Minas: Secretaria de Saúde divulga o primeiro levantamento de infestação para o Aedes aegypti de 2012

Pesquisa indica que o lixo doméstico, bebedouros de animais e pratinhos de plantas são os focos mais comuns de dengue no Estado
Divulgação/SES
Setenta e quatro municípios já realizaram o levantamento em 2012
Setenta e quatro municípios já realizaram o levantamento em 2012

Dados da Secretaria de Estado de Saúde (SES) apontam que dos 74 municípios que realizaram o Levantamento Rápido de Índices de Infestação para Aedes aegypti (LirAa), em 2012, 30 apresentaram alto índice de infestação (acima de 3,9%); 42 apresentaram médio risco (LirAa entre 1,0% e 3,9%) e duas cidades (Conselheiro Lafaiete, com 0,7% e Poços de Caldas, com 0,1%) tiveram baixo risco. Até o momento, foram notificados, em 2012, 4.491 casos de dengue em Minas Gerais.

De acordo com o subsecretário de Vigilância em Saúde, Carlos Alberto Gomes, comparando os dados de janeiro de 2012 com o mesmo período de 2011, observa-se que dois terços dessas cidades mantiveram os mesmos índices ou abaixaram, porém as demais pioraram. “Quando se faz o LirAa, são identificados quais são os focos mais comuns de infestação pelo Aedes aegypti. Neste LirAa de janeiro de 2012, por exemplo, pudemos constatar que os focos mais comuns foram o lixo (doméstico, principalmente), bebedouros de animais (lata d’água de cães e gatos) e os pratinhos para plantas”, detalhou Carlos Alberto.

O LirAa é uma pesquisa de verificação domiciliar por amostragem que revela o índice de infestação da larva do mosquito. Ele ajuda os municípios a acompanharem de forma rápida e atualizada a situação da infestação, além de ser um instrumento que auxilia na rápida tomada de decisões dos gestores para o controle da doença e demonstra como os municípios estão distribuídos em todas as regiões do Estado, o que espelha o aumento da infestação.

“O levantamento funciona como um alerta para os municípios e aponta para um potencial de epidemia, se nada for feito para impedir. A primeira providência dos municípios, e dos estados, com base nesses números, é intensificar as ações de controle nos pontos críticos, utilizando os indicadores como referência, principalmente, os depósitos predominantes. Também é fundamental a mobilização da sociedade civil, pois 85% dos focos de dengue estão dentro da casa das pessoas”, afirma a referência técnica em dengue da SES, Geane Andrade.

Minas Gerais conta com a Força-Tarefa de combate a dengue. Ela já atuou em vários municípios do Estado reforçando as ações de combate à dengue e mobilizando a população sobre a necessidade de evitar a doença. Aimorés, no Leste de Minas, é uma das cidades que recebe a equipe da força tarefa a partir desta semana.

Reunião com 30 municípios

No dia 1º de fevereiro, o secretário de Estado de Saúde, Antônio Jorge de Souza Marques, recebeu secretários municipais de saúde de 30 municípios mineiros com o objetivo de reforçar o combate ao vetor e impedir o avanço da doença, que causou 23 mortes no Estado em 2011.

Entre as ações efetivas para a solução do problema, Antônio Jorge anunciou a liberação de R$ 1 milhão, recurso do Sistema Estadual de Transporte em Saúde (Sets), para a compra de 30 veículos do tipo picape, que irão auxiliar no transporte dos agentes e insumos, considerado pelos secretários municipais como um dos grandes gargalos na promoção das ações.

Além disso, vem sendo feito o treinamento de 50 médicos que irão, por meio das regionais de saúde, aprimorar e capacitar a ação de profissionais locais para um eficaz diagnóstico da doença, uma vez que muitos dos casos que evoluem para óbito estão diretamente ligados ao manejo clínico.

Outro anúncio feito pelo secretário foi que, neste ano, os municípios não serão mais responsáveis pela hospedagem e alimentação dos agentes da Força-Tarefa, transferindo a responsabilidade para a SES.

Os municípios convocados foram: Pocrane, São José da Safira, Marilac, Recreio, Glaucilândia, Central de Minas, Mathias Lobato, Naque, Aimorés, Araguari, Bocaiúva, Bom Despacho, Campo Belo, Curvelo, Dores do Indaiá, Ipatinga, Itabira, Itaúna, Ituiutaba, Januária, Montes Claros, Nova Serrana, Pará de Minas, Pirapora, Pompéu, Teófilo Otoni, Timóteo, Ubá, Unaí e Várzea da Palma.

Clique aqui para ver os índices do LirAa de janeiro/2012 (arquivo Word).

Fonte: Agência Minas

Gestão da Saúde: Itabirito mobiliza moradores na guerra contra dengue

Ação consiste em mobilizar e conscientizar a população e o poder público sobre a corresponsabilidade no combate a doença
Leandro Peters Heringer
Estudantes de Itabitirito participaram em grande número da ação
Estudantes de Itabitirito participaram em grande número da ação

Neste ano, o carnaval em Itabirito começou mais cedo. A cidade da região central de Minas Gerais recebeu, nesta quinta-feira (09) e sexta-feira (10), o Dengômetro e o Dengue Móvel da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), em parceria com o município.

A coordenadora de Educação em Saúde da Secretaria Municipal de Saúde, Sabrina Leite, ressalta que a ação consiste tanto em mobilizar e conscientizar a população, quanto ao poder público sobre a corresponsabilidade no combate a doença. “Sem a participação da população a ação não tem a mesma eficácia. Vamos chamar a atenção novamente da população para o dever dela, já que 85% dos focos estão nas residências”. O Dengômetro esteve na Praça da Estação, com informação e troca de material inservível (lata, garrafa pet e pneu) por material didático (lápis, borracha e caderno).

Para o superintendente da Regional de Saúde de Belo Horizonte, Paulo de Tarso Machado Auais é fundamental a existência desta parceria tríplice. “O Estado incentiva a mobilização como estratégia na guerra contra a dengue. É importante que Estado e município trabalhem conjuntamente, mas o principal ator é o cidadão. Investir 10 minutos do tempo para verificar a existência de focos e acabar com eles é essencial”.

O secretário municipal de saúde de Itabirito, Guilherme Carvalho, aponta a mobilização como uma das causas principais na redução de notificações da doença no município. “Em 2010, tivemos mais de 750 notificações e de 350 positivos confirmados. Em 2011, foram 15 notificações e 5 positivos”. Para Carvalho, a ação é oportuna. “Nossa microrregião, composta por Itabirito, Ouro Preto e Mariana, recebe grande número de turistas no carnaval, portanto, vemos que causará impacto na população e na mobilização em relação à dengue”.

Para a estudante Mariana Viana, do 8º ano do Centro Educacional Municipal de Itabirito (CEMI), 12 anos, é importante “ficar ligado” no combate à doença. “É legal ter informação de como evitar a doença mesmo porque recebemos muitos turistas e podemos passar a informação para eles”. Para a professora do CEMI, Helen Barbosa, o evento proporciona conscientização dos alunos por um mundo melhor. “Aqui, temos informação, palestras e eles vão saber o que fazer para ajudar no combate a doença. Exercem a cidadania por um mundo melhor”.

Segundo o secretário, haverá concurso envolvendo estudantes com a temática da dengue. ”Nosso pensamento é conseguir duas ou três bolsas em instituição de ensino na cidade para os alunos que participarem de concurso de redação ou desenho que conseguirem trazer enfoque novo no enfrentamento da dengue. Sabemos que, através da criança, conseguimos sensibilizar a família em nova postura frente a este problema que é sério e pode resultar na morte”.

Fonte: Agência Minas

Governo de Minas: Secretaria de Estado de Saúde capacita profissionais para combate à dengue

Cinquenta novos epidemiologistas e técnicos contratos pelo Estado foram preparados para reforçar a guerra contra o mosquito em 28 municípios

Cica Almeida/SES MG
Curso abordou os procedimentos de classificação de risco, monitoramento e tratamento da doença
Curso abordou os procedimentos de classificação de risco, monitoramento e tratamento da doença

A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) capacitou, nos dias 7 e 8 de fevereiro, uma nova equipe de 50 epidemiologistas e técnicos contratos pelo Estado, visando reforçar o combate à dengue em 28 municípios. No encontro, foram discutidos os procedimentos de classificação de risco, monitoramento e tratamento da doença, e como agir diante de suspeitas ou casos confirmados da doença.

De acordo com o médico infectologista da Superintendência de Vigilância Epidemiológica da SES, Frederico Figueiredo, um dos pontos fortes dessa ação é a capacitação de médicos, que qualificam as equipes de suas regionais, facilitando assim o combate à doença. Para a referência técnica em Dengue de Teófilo Otoni, Ana Luisa Pinheiro, “a ideia do médico treinar suas equipes vai facilitar o compartilhamento de dados, melhorando a aprendizagem”.

Participaram do curso, representantes dos municípios de Pirapora, Ituiutaba, Teófilo Otoni, Passos, Sete Lagoas, Coronel Fabriciano, Divinópolis, Uberlândia, Varginha, São João Del Rei, Pouso Alegre, Itabira, Patos de Minas, Uberaba, Alfenas, Unaí, Juiz de Fora, Manhumirim, Ubá, Montes Claros, Diamantina, Pedra Azul, Leopoldina, Ponte Nova, Governador Valadares, Januária, Itabira e Barbacena.

Fonte: Agência Minas

Gestão Anastasia: saúde reúne 30 municípios mineiros para aprimorar o combate à dengue

Entre as ações efetivas anunciadas está a liberação de R$ 1 milhão para a compra de 30 veículos que irão auxiliar no transporte dos agentes e insumos.
Vivian Campos/SES-MG
Secretário de Saúde, Antônio Jorge Souza Marques, anuncia medidas para impedir o avanço da dengue em 30 municípios
Secretário de Saúde, Antônio Jorge Souza Marques, anuncia medidas para impedir o avanço da dengue em 30 municípios

Secretários municipais de saúde de 30 municípios mineiros em situação crítica de infestação do mosquito Aedes aegipty se reuniram, nesta quarta-feira (1), com o secretário de Estado de Saúde, Antônio Jorge Souza Marques, com o objetivo de reforçar o combate ao vetor e impedir o avanço da doença, que causou 23 mortes no Estado em 2011. A média de infestação por dengue (LirAa) nessas cidades chega a 4,6%, e a Organização Mundial de Saúde (OMS) e o Ministério da Saúde consideram 1% como Alto Risco de Transmissão de Dengue.

De acordo com o secretário Antônio Jorge, o Estado apresenta uma situação climática totalmente favorável ao mosquito, mas isso não pode ser usado como justificativa para 100% do problema, mesmo que o volume de água trazido pelas chuvas tenha representado, em algumas cidades, o maior volume de água dos últimos 100 anos. “Tivemos um enorme êxito em 2011, se compararmos com 2010, em que houve uma redução de mais de 80% dos casos notificados. Porém, é fundamental que os gestores municipais tenham uma atenção especial e redobrem a atenção em 2012”. Ele ressaltou, ainda, a introdução do sorotipo 4 do mosquito, que aumenta e fragiliza a cadeia de contaminação.

Entre as ações efetivas para a solução do problema, Antônio Jorge anunciou a liberação de R$ 1 milhão, recurso do Sistema Estadual de Transporte em Saúde (Sets), para a compra de aproximadamente 30 veículos do tipo picape, que irão auxiliar no transporte dos agentes e insumos, considerado pelos secretários municipais, como um dos grandes gargalos na promoção das ações.

Além disso, vem sendo feito o treinamento de 50 médicos que irão, por meio das regionais de saúde, otimizar e capacitar a ação de profissionais locais para um eficaz diagnóstico da doença, uma vez que muitos dos casos que evoluem para óbito estão diretamente ligados ao manejo clínico.

Outro anúncio feito pelo secretário é que, neste ano, os municípios não serão mais responsáveis pela hospedagem e alimentação dos agentes da força-tarefa, transferindo a responsabilidade para a SES.

Notificações

Este ano, dos 2.459 casos de dengue notificados nas 853 cidades mineiras, 30% estão nos municípios convocados, o que representa 328 casos e 10% da população do Estado. “Estamos atentos a qualquer necessidade e pedimos que esses municípios redobrem a atenção para a dengue. Queremos entender os problemas e resolver as questões pontuais”, disse Antônio Jorge.

Outra proposta foi a criação de uma feira, ainda no primeiro semestre, em que os gestores de saúde terão a oportunidade de apresentar e trocar experiências exitosas das ações de dengue. “Parte do resultado negativo nesta guerra contra o mosquito está ligada às políticas de gestão, que muitas vezes podem ser mal aplicadas ou formatadas. Sendo assim, devemos pensar em estratégicas, ações diferentes para provocar melhores resultados, pois a dengue já é uma agenda no Estado há 15 anos e com resultados de melhora distintos”, explicou o secretário.

Os municípios convocados foram: Pocrane, São José da Safira, Marilac, Recreio, Glaucilândia, Central de Minas, Mathias Lobato, Naque, Aimorés, Araguari, Bocaiúva, Bom Despacho, Campo Belo, Curvelo, Dores do Indaiá, Ipatinga, Itabira, Itaúna, Ituiutaba, Januária, Montes Claros, Nova Serrana, Pará de Minas, Pirapora, Pompéu, Teófilo Otoni, Timóteo, Ubá, Unaí e Várzea da Palma.

Fonte: Agência Minas