Gestão da Educação: produtos da agricultura familiar mineira farão parte da merenda escolar

O programa “Cultivar, nutrir e Educar” será implantado em 45 municípios inicialmente e irá beneficiar a alimentação saudável dos alunos

Albany Arcega
Queijos fabricados por agricultores familiares vão abastecer escolas públicas
Queijos fabricados por agricultores familiares vão abastecer escolas públicas

O Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA) irá participar em 2012, do programa estruturador “Cultivar, Nutrir e Educar”, criado pelo Governo de Minas. O objetivo é apoiar a produção, beneficiamento e comercialização de alimentos provenientes da agricultura familiar para o abastecimento de escolas da rede pública de ensino além de incentivar a educação nutricional para fortalecer a alimentação dos estudantes.

O “Cultivar, Nutrir e Educar” possui recursos na ordem de 30 milhões que serão aplicados gradativamente até 2015. O programa será implementado inicialmente em 45 municípios, abrangendo as regiões Norte de Minas, Zona da Mata, Vales do Jequitinhonha, Mucuri e Rio Doce. A expectativa é beneficiar em torno de mil agricultores familiares. O programa tem como meta atingir 4.500 agricultores até o ano de 2013.

A execução será feita pelas Secretarias de Estado de Agricultura, Educação e Saúde respectivamente, em parceria com o IMA, a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater-MG) e a Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig).

Ações

As ações serão de identificar potenciais estabelecimentos rurais de pequeno porte, fornecedores de produto agro industrializados de origem animal e vegetal, tais como queijos, mel, ovos e doces. Além disso, capacitar e dar orientação técnica aos agricultores familiares em processamento de alimentos, boas práticas de fabricação e habilitação sanitária para torna-los aptos a oferecerem produtos de mais qualidade.

O IMA irá atuar diretamente no subprojeto de Apoio a Habilitação Sanitária das Agroindústrias Familiares, auxiliando, os subprojetos de Fomento a Produção Sustentável da Agricultura Familiar e de Apoio ao Acesso a Mercados e Comercialização.

O projeto estruturador também fornecerá equipamentos para a modernização e adequação das agroindústrias familiares, de acordo com a Lei Estadual 19.476/2011 – que trata da habilitação sanitária de estabelecimentos agroindustriais rurais de pequeno porte no estado.

O diretor-geral do IMA, Altino Rodrigues Neto destaca a importância de um programa estruturador voltado para o desenvolvimento e formalização da agricultura familiar. “É uma ação importante do governo que será realizada em parceria com diversas instituições. Incentivará diretamente os produtores rurais do estado e dará oportunidade para que os alunos da rede pública tenham acesso a uma alimentação mais saudável e de qualidade, que valoriza acima de tudo, a cultura do campo”, comenta.

Ele informa ainda, que o programa se justifica pelo desafio lançado pela Lei nº 11.947/2009, cuja determinação é de que, no mínimo, 30% do recurso da alimentação escolar seja comprado em gêneros alimentícios da agricultura familiar.

Agenda

Em abril, o programa foi lançado no município de Taiobeiras e Ipatinga. Outros encontros para apresentação do programa e capacitação técnica acontecerão em Viçosa, na quarta-feira (9) e na quinta-feira (10) e em Capelinha, nos dias na quarta-feira (30) e na quinta-feira (31).

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/produtos-da-agricultura-familiar-mineira-farao-parte-da-merenda-escolar/

Governo Anastasia: recolhimento de embalagens vazias de agrotóxicos cresce 26% em Minas Gerais

Foram devolvidas 945 mil toneladas de embalagens de agrotóxicos vazias

Os agricultores mineiros devolveram 945 mil toneladas de embalagens de agrotóxicos vazias aos postos de recolhimento do Estado, de janeiro a março deste ano. O índice é 26% maior que o do ano anterior, que foi de 748 mil toneladas. Segundo dados do Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias (Inpev), Minas foi o quinto estado a dar destinação correta aos recipientes, ficando atrás de Mato Grosso, São Paulo, Paraná e Goiás.

O diretor-geral do Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA), Altino Rodrigues Neto, salienta a importância desta ação. “O recolhimento das embalagens de agrotóxicos é de extrema importância, pois evita que este resíduo, potencialmente poluidor, contamine o solo e a água podendo causar doenças graves. Além disso, todo material recolhido é reciclado por uma empresa especializada, o que diminui os impactos ambientais”, afirma.

Após a utilização do produto, a embalagem deve ser lavada três vezes (tríplice lavagem) e inutilizada com perfurações no fundo do frasco. Também deve ser armazenada em local apropriado até que seja devolvida no prazo de um ano a uma unidade de recebimento indicada pelo estabelecimento onde foi adquirido o agrotóxico.

O recolhimento das embalagens vazias de agrotóxicos é obrigatório, previsto em lei desde o ano 2000. A destinação final das embalagens é obrigação das indústrias, mas o revendedor precisa ter um local adequado para armazenar o produto. As especificações técnicas incluem pontos como o cuidado com o chão, que deve ser impermeabilizado para evitar vazamento de resto de agrotóxico. E o agricultor deve cumprir sua obrigação, levando as embalagens vazias para os postos de recolhimento. Dessa forma, estará colaborando para a conservação ambiental.

É responsabilidade do IMA a fiscalização das revendas mineiras onde os produtos são estocados e vendidos e das propriedades rurais, para verificar se os produtores estão devolvendo as embalagens corretamente. Durante o ano de 2011 foram fiscalizados 3.738 estabelecimentos comerciais e 5.470 propriedades rurais, totalizando 9.208 fiscalizações.

Audiência Pública

Os malefícios causados pelo uso abusivo de agrotóxicos aos trabalhadores rurais, bem como aos consumidores é o tema da audiência pública que a Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) realizará nesta sexta-feira (27), às 10h, em Belo Horizonte. Esta audiência foi proposta pelo deputado Pompílio Canavez.

O gerente de Defesa Sanitária Vegetal do IMA, Nataniel Nogueira, estará presente para apresentar o cenário mineiro com relação a fiscalização de agrotóxicos no Estado.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/recolhimento-de-embalagens-vazias-de-agrotoxicos-cresce-26-em-minas-gerais/

Gestão Anastasia: governo de Minas atende reivindicações históricas e propõe ajuste em carreiras de servidores

Projeto enviado à Assembleia prevê inúmeras melhorias ao funcionalismo

O Governo de Minas enviou à Assembleia Legislativa o Projeto de Lei (PL) nº 3.099 de 2012, que promove ajustes em carreiras dos servidores do Estado pertencentes às universidades estaduais, ao Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA), à Controladoria-Geral do Estado (CGE) e à Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag).

Com esse projeto, o Governo atende a antigas reivindicações, como a publicação semestral de promoções na carreira de Professor de Educação Superior da Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG) e Universidade de Montes Claros (Unimontes).

Além disso, atendendo a demanda dos representantes dos professores das universidades estaduais, o projeto prevê que gratificações específicas que compõem a remuneração da categoria (gratificação de desempenho, gratificação de dedicação exclusiva e gratificação de incentivo à docência) possam ser incorporadas aos proventos de aposentadoria, uma vez que atualmente já integram a base de cálculo da contribuição previdenciária.

O PL prevê ainda o reajuste dos valores da tabela de vencimento básico da carreira de Auditor Interno, escalonado em três etapas a serem implementadas de agosto de 2012 a agosto de 2014. Atualmente, o número de servidores da carreira é insuficiente para atender à demanda. A remuneração dos novos auditores deve ser compatível com a qualificação exigida e com o grau de responsabilidade do cargo.

Entre as carreiras contempladas no projeto está a de Especialista em Políticas Públicas e Gestão Governamental, para a qual são previstas alterações no sistema de sistema de progressões e promoções, visando ao reconhecimento do esforço individual e profissional do servidor, bem como correção de distorções de remuneração do modelo vigente, de maneira escalonada e sustentável, com vistas à retenção desses profissionais na administração pública estadual.

IMA

Servidores de carreira do Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA) serão beneficiados pela incorporação da parcela fixa da Gratificação de Escolaridade, Desempenho e Produtividade Individual e Institucional (Gedima) ao vencimento básico. Serão promovidos acréscimos nas tabelas de vencimento básico proporcionais aos valores a serem deduzidos da gratificação. A incorporação será realizada em duas etapas – em agosto de 2012 e agosto de 2013.

A Gedima integra a remuneração dos servidores desde 2008 e é composta por uma parcela fixa e uma variável. A parcela variável, com valores proporcionais à escolaridade, ao tempo de serviço e aos resultados das avaliações de desempenho individual e institucional, será mantida.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/governo-de-minas-atende-reivindicacoes-historicas-e-propoe-ajuste-em-carreiras-de-servidores/

Governo Anastasia: vacinação contra febre aftosa começa no dia 1º de maio em Minas

Expectativa do IMA é que quase 24 milhões de animais sejam imunizados para manter Estado como área livre da doença

Emater-MG / Divulgação
Além de abrigar o segundo maior rebanho do país, Minas é considerada área livre da febre aftosa
Além de abrigar o segundo maior rebanho do país, Minas é considerada área livre da febre aftosa

A Campanha Nacional de Vacinação contra a Febre Aftosa vai começar no dia 1º de maio em Minas Gerais e nos principais Estados pecuários brasileiros, além do Distrito Federal. O lançamento oficial da vacinação no Estado será no dia 3, às 10h, no Parque de Exposições Fernando Costa, em Uberaba, no Triângulo Mineiro, durante a ExpoZebu. A expectativa do Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA) é que sejam imunizados 23,8 milhões de bovinos e bubalinos nas 346 mil propriedades rurais de Minas. O período de vacinação segue até o dia 31 de maio.

Segundo maior rebanho do país, atrás somente de Mato Grosso, Minas Gerais conquistou o reconhecimento de área livre da febre aftosa, com o trabalho desenvolvido pelos órgãos governamentais, produtores rurais e entidades regionais nos últimos anos. A classificação representa a possibilidade estratégica de inserção no mercado nacional e internacional da carne bovina mineira.

No entanto, o diretor-geral do IMA, Altino Rodrigues Neto, destaca que a erradicação definitiva da febre aftosa ainda depende da manutenção da imunização dos animais em todas as regiões do Estado. “A meta do Governo de Minas para esta etapa da campanha é de vacinar 100% do rebanho mineiro”, afirma.

Nesta primeira etapa de vacinação contra a aftosa, além da nota fiscal da vacina e a declaração de todo o gado vacinado, o produtor deverá entregar ao escritório do IMA uma cópia da conta de luz de sua propriedade rural.

Meta nacional

O Brasil, sob a coordenação do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (Mapa), e com a participação dos serviços veterinários estaduais e do setor agroprodutivo, segue na luta contra a febre aftosa em busca de um país livre da doença. O Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa (PNEFA) tem como estratégia principal a implementação progressiva e manutenção de zonas livres da doença, de acordo com as diretrizes estabelecidas pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE). De acordo com o Mapa, o Brasil busca alcançar até dezembro de 2012 a meta de ser um país livre de febre aftosa com vacinação. O prazo definido anteriormente pelo governo era 2013.

Responsabilidade

A vacinação contra a febre aftosa é de responsabilidade dos produtores rurais, que devem comprovar a aquisição da vacina em quantidade compatível com a exploração pecuária sob a responsabilidade dos mesmos e declarar sua aplicação dentro dos prazos estabelecidos pelo Governo de Minas.

Os estabelecimentos distribuidores ou revendedores cumprirão as determinações dos serviços veterinários oficiais referentes à conservação, comercialização e controle de vacina contra a febre aftosa. O produto somente poderá sair do estabelecimento revendedor em condições que permitam a adequada conservação de sua temperatura (2º a 8º graus) durante o transporte até a propriedade rural, principalmente para aquelas que possuem um número reduzido de animais para vacinar.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/vacinacao-contra-febre-aftosa-comeca-no-dia-1o-de-maio-em-minas/

Governo de Minas: Alberto Pinto Coelho participa do lançamento da SuperAgro 2012

Vice-governador ressalta importância do agronegócio mineiro para o país

Carlos Alberto/Imprensa MG
Alberto Pinto Coelho afirmou, durante pronunciamento, que o Governo de Minas estuda alternativas para não transferir o Parque da Gameleira para outro local
Alberto Pinto Coelho afirmou, durante pronunciamento, que o Governo de Minas estuda alternativas para não transferir o Parque da Gameleira para outro local

O vice-governador Alberto Pinto Coelho participou, nesta quinta-feira (19), do lançamento da Superagro 2012, maior e mais diversificada mostra do agronegócio mineiro, que na edição deste ano será realizada entre os dias 3 e 10 de junho, no Parque de Exposições da Gameleira/Expominas. Durante o lançamento do evento, na sede da Federação de Agricultura e Pecuária de Minas Gerais (Faemg), o vice-governador ressaltou a importância do Estado para o agronegócio do Brasil.

“Minas Gerais tem a felicidade de ter um sistema operacional de primeira linha no Estado. Temos as universidades e, mais do que isso, fundamentalmente, temos aqueles que se dedicam à atividade e que fazem de Minas Gerais uma referência no setor do agronegócio, que a cada dia ganha maior expressão e maior representatividade na economia de nosso Estado e país”, destacou o vice-governador.

Os promotores da feira estão otimistas para a edição 2012 e esperam bons negócios, após o recorde alcançado pelo Produto Interno Bruto (PIB) agrícola mineiro em 2011, de R$ 118 bilhões, de acordo com o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), da USP. A Superagro é realizada pelo Governo de Minas Gerais – por meio da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa) e Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA) – em parceria com a Federação de Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais (Faemg) e Sebrae Minas.

O presidente da Faemg, Roberto Simões, agradeceu o apoio do vice-governador Alberto Pinto Coelho na realização da mostra. “A Superagro tem um significado maior do que exposições comuns. Além da exposição agropecuária, temos uma série de eventos e novidades. A Superagro vai além dos objetivos normais de uma promoção dessa natureza. Além dos negócios, a feira tem o aspecto educativo e social”, afirmou Roberto Simões.

Parque da Gameleira

Durante o lançamento da Superagro 2012, Alberto Pinto Coelho afirmou que o Governo de Minas estuda alternativas para não transferir o Parque da Gameleira para outro local, mantendo as principais exposições agropecuárias.

“Essa é uma discussão que se arrasta há anos. O Estado está buscando soluções, já que as atividades no parque aumentam a cada ano”, disse o vice-governador. Alberto Pinto Coelho afirmou que as associações do Parque da Gameleira estão sendo ouvidas para agregar o parque ao Expominas, de forma que o local se transforme em um centro de convenções completo.

“Essa dicotomia de separar o Expominas do Parque da Gameleira caiu por terra e estamos estudando uma solução para integrar os dois espaços”, afirmou o vice-governador. Ele explicou que já foi aberta a consulta pública para coletar sugestões a essas mudanças. A ideia é construir no parque por meio de uma parceria público-privada, um complexo multiuso, mantendo o espaço para as exposições agropecuárias.

Alberto Pinto Coelho disse, ainda, que quatro parceiros já manifestaram interesse em participar da parceria público-privada para a reforma do parque de exposições. “Estamos na consulta pública e quatro parceiros já se manifestaram. Seguiremos no prazo para colher as sugestões para aprimorar a proposta de reforma inicialmente colocada. Em nenhum momento o setor do agronegócio, assim como o setor de eventos e o trade turístico, deixará de estar presente com voz e vez para contribuir na solução que queremos encontrar”, afirmou Alberto Pinto Coelho.

Também participaram da cerimônia o secretário de Estado de Transportes e Obras públicas, Carlos Melles; o ex-secretário de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Gilman Viana; o presidente do Conselho Regional de Veterinária, Nivaldo de Freitas; além de deputados estaduais e autoridades.

Superagro

A Superagro abriga dois importantes eventos de abrangência nacional, representados pela Exposição Estadual Agropecuária e pela Feira e Festival Internacional da Cachaça (Expocachaça), incorporada à feira em 2005.

A exposição conta com a presença de animais, entre bovinos, equídeos, caprinos, ovinos e bubalinos, de propriedade de criadores de Minas Gerais e de vários outros estados brasileiros. A Expocachaça oferece um amplo leque de marcas da bebida para a venda no atacado e no varejo, procedentes de Minas e outros estados, e também equipamentos e máquinas utilizadas em toda a cadeia produtiva da cachaça.

A Feira reúne empresas fornecedoras de produtos, equipamentos, insumos em geral e novas tecnologias de suporte a diferentes atividades do agronegócio, especialmente nas áreas de saúde, genética e nutrição animal, equipamentos para manejo do gado, como troncos e balanças, máquinas agrícolas e veículos utilitários, entre muitos outros.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/alberto-pinto-coelho-participa-do-lancamento-da-superagro-2012/

Gestão Anastasia: autoridades e lideranças do agronegócio mineiro reunidas no lançamento da Superagro Minas 2012

Expectativa de bons negócios na oitava edição de exposição é alta devido ao recorde do PIB agrícola mineiro

O vice-governador de Minas Gerais, Alberto Pinto Coelho, o secretário de Estado de Agricultura, Elmiro Nascimento, o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais (Faemg), Roberto Simões, junto com outras autoridades e lideranças das instituições que representam o agronegócio mineiro, estarão reunidos, em Belo Horizonte, para o lançamento da maior feira do agronegócio no Estado, a Superagro 2012.

O evento de lançamento será nesta quinta-feira (19), às 10h, no auditório da Faemg, em Belo Horizonte. Os promotores da feira estão otimistas para a edição 2012, após o recorde alcançado pelo Produto Interno Bruto (PIB) agrícola mineiro em 2011, de R$ 118 bilhões, de acordo com o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), da USP, aliado à tendência de crescimento do agronegócio mineiro, já registrada neste início de ano.

A oitava edição da Superagro será realizada entre os dias 03 e 10 de junho, no complexo Parque de Exposições da Gameleira, o Expominas. Compõem a feira, entre outros, a 52ª Exposição Estadual Agropecuária, a 20ª Expocachaça, a 3ª Expovet e a Vila da Agricultura Familiar.

Novidades

Entre as novidades desta edição, a Superagro terá a cozinha experimental do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac Minas), com o preparo de pratos especiais utilizando como ingredientes principais os produtos da agricultura familiar, além do Festival de Caipirinhas e Caipifrutas, na Expocachaça, com vários estandes e bartenders fazendo as bebidas. O público poderá comprar as bebidas e votar para eleger a melhor caipirinha e o melhor bartender.

A Superagro é uma iniciativa do Governo de Minas, por intermédio da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa) e o Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA), da Faemg e do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-MG).

Mais informações no site: www.superagro2012.com.br

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/autoridades-e-liderancas-do-agronegocio-mineiro-reunidas-no-lancamento-da-superagro-minas-2012/

Gestão Anastasia: programa de apoio ao agronegócio atinge a marca de 221 cachaças certificadas em Minas

IMA prevê crescimento de 10% no número de certificações até o final deste ano

Divulgação/IMA
Programa do IMA engloba cachaça artesanal, com fermento natural e destilada em alambique de cobre
Programa do IMA engloba cachaça artesanal, com fermento natural e destilada em alambique de cobre

Uma das bebidas mais populares de Minas Gerais e do Brasil, a cachaça tem ganhado cada vez mais mercado com a certificação concedida pelo Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA). O Estado já atingiu a marca de 221 aguardentes certificadas por meio do programa voltado para produtos agropecuários e agroindustriais, que é executado pelo IMA desde o ano 2009.

A certificação é voltada para produtores de cachaças artesanais, produzidas com fermento natural e destiladas em alambique de cobre e é de adesão voluntária. As cachaçarias são certificadas segundo o processo de produção utilizado, que devem atender os procedimentos de boas práticas, adequação social e responsabilidade ambiental. Com isso, esses estabelecimentos passam a ter o direito de uso do certificado, da marca de conformidade e dos selos de certificação oficiais do estado de Minas Gerais, que são adesivados nas garrafas comercializadas.

O produtor Fernando de Castro Furtado, do município São João Nepomuceno, na Zona da Mata, foi o primeiro a ser certificado no IMA, em 2009. Para ele, a certificação abriu portas e tornou o seu produto mais reconhecido no mercado mineiro e nacional. “Minha cachaça está há poucos anos no mercado e já é reconhecida pelo público devido ao selo do IMA, que atesta ao consumidor a qualidade e a procedência de meu produto. A certificação abriu portas para que eu participasse de eventos de grande porte fora do estado, aumentando minhas vendas e estando ao lado de outras marcas que são referências nacionais”, comenta.

A cachaça de Fernando de Castro Furtado tem o selo de qualidade do IMA e do Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro). Isso é possível, já que desde o ano 2009 o IMA é acreditado por esta instituição como Organismo de Certificação de Produtos (OCP) para cachaça. Esta condição propicia maior credibilidade e notoriedade em âmbito nacional e internacional para o processo de certificação de produtos agropecuários.

Das marcas certificadas, 26 são orgânicas (produzidas sem a utilização de agrotóxico e adubos químicos), 189 são convencionais, e seis são produzidas pelo sistema SAT, sem agrotóxicos, porém com a utilização de adubos.

Segundo o diretor-geral do IMA, Altino Rodrigues Neto, a expectativa é que até o final de 2012, o número de estabelecimentos certificados no Estado aumente em torno de 10%. “A intenção é continuar incentivando os produtores a aderirem à certificação, pois é um instrumento que dá maior garantia de qualidade à bebida, abre portas para novos mercados e colabora para o desenvolvimento do setor produtivo da cachaça”, completa.

O interessado em participar desse processo de certificação deve procurar um dos escritórios do IMA mais próximo de sua região para receber as orientações necessárias. Ou consultar o site http://www.ima.mg.gov.br/certificacao para conhecer as etapas da certificação.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/programa-de-apoio-ao-agronegocio-atinge-a-marca-de-221-cachacas-certificadas-em-minas/

Gestão Antonio Anastasia: FrutificaMinas leva boas práticas a produtores de mudas

Encontro em Teófilo Otoni abre o circuito de 2012

A primeira etapa do Circuito Mineiro de Fruticultura (FrutificaMinas), em 2012, será realizada nesta terça-feira (17), em Teófilo Otoni, município do Vale do Mucuri. Criado pela Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa) e coordenado pela Empresa de Assistência Técnica de Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater-MG), o circuito tem como objetivo realizar encontros para difundir boas práticas de produção entre os fruticultores, melhorar a gestão do negócio e estimular a organização dos produtores principalmente para o aperfeiçoamento da comercialização.

O encontro de Teófilo Otoni visa atender os produtores de mudas frutíferas e ornamentais, informa a assessora técnica da Subsecretaria de Agricultura Familiar, Thyara Rocha Ribeiro. Ela explica que o município é o segundo do ranking de Minas Gerais nesse segmento da fruticultura, depois de Dona Euzébia, na Zona da Mata. “Será uma boa oportunidade para os produtores se atualizarem quanto a aspectos práticos e teóricos da produção de mudas frutíferas”, diz a assessora.

O encontro será dividido em duas partes. Pela manhã, haverá uma palestra do fiscal agropecuário do Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA), Thiago Henrique Pena Moreira, sobre a legislação de defesa vegetal, com ênfase nas normas para a produção e transporte de mudas. A segunda parte, no período da tarde, técnicos da Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig) irão ministrar um curso teórico e prático sobre a produção de mudas, envolvendo temas como enxertia, semeadura e outros.

Parceria indispensável

Essa etapa do FrutificaMinas tem o apoio e a coordenação local do Polo de Fruticultura da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sectes), que também responde pela mobilização dos produtores para participarem do encontro.

Para o secretário de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Elmiro Nascimento, “o trabalho em parceria é a melhor alternativa para iniciativas como o Circuito FrutificaMinas. O objetivo é o fortalecimento de um setor do agronegócio que apresenta grande potencial, mas depende da ação de diversos segmentos públicos e privados.” Ele acrescenta que a demanda por frutas é crescente no mercado interno, mas é necessário trabalhar também para a obtenção de espaço no mercado externo, que já manifesta interesse por diversos produtos dos pomares mineiros. “Por isso é necessária uma produção sustentável de frutas de alta qualidade”, finaliza Nascimento.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/frutificaminas-leva-boas-praticas-a-produtores-de-mudas/

Governo de Minas: IMA se tornará referência em certificação de produtos orgânicos

Credenciamento será concedido pelo Ministério da Agricultura

Divulgação/IMA
Principal característica dos produtos orgânicos é a ausência de aplicação de agrotóxicos
Principal característica dos produtos orgânicos é a ausência de aplicação de agrotóxicos

O Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA) passa por um processo de credenciamento, pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), para se tornar um Organismo de Avaliação de Conformidade (OAC). Esta nova atribuição fará com que o IMA possa exercer a certificação de produtos orgânicos de origem vegetal em todo o território nacional. A produção orgânica é uma atividade que cresce a cada dia em Minas e no Brasil.

Desde 2011, o credenciamento das certificadoras de produtos orgânicos junto ao Mapa, com aval do Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro), é obrigatório. O Mapa já aprovou a documentação enviada pelo IMA, sendo que, agora, o Instituto aguarda o aval do Inmetro, que ainda realizará uma avaliação do processo de certificação orgânica adotado pela Instituição, para iniciar os trabalhos.

O IMA é a instituição estadual responsável pela certificação de origem e qualidade dos produtos agropecuários e agroindustriais produzidos em Minas. O órgão já possui a chancela do Inmetro para certificar cachaças. No caso da certificação de produtos orgânicos, será solicitada junto ao Mapa uma extensão de escopo, ou seja, um aumento da abrangência de atuação, para que o Instituto se torne um Organismo de Avaliação de Conformidade Orgânica.

A principal característica dos produtos orgânicos é a ausência de aplicação de agrotóxicos, adubos químicos ou substâncias sintéticas que prejudiquem o meio ambiente e a saúde do consumidor. De acordo com o Mapa, para ser considerado orgânico, o processo produtivo contempla o uso responsável do solo, da água, do ar e dos demais recursos naturais.

Qualificação reconhecida

Para o diretor-geral do IMA, Altino Rodrigues Neto, o aval do ministério representa um reconhecimento dos trabalhos desenvolvidos pelos técnicos do Instituto. “Passamos por um processo rigoroso de qualificação e sabemos que os credenciamentos obtidos nessas instituições irão valorizar o trabalho dos pequenos produtores”, afirma.

Altino Rodrigues Neto acrescenta, ainda, que o consumo de produtos isentos de agrotóxicos e de resíduos químicos está aumentando. “Este é um mercado que cresce a cada dia. Por isso é fundamental que o IMA acompanhe esta tendência, para proporcionar ao consumidor a oferta de alimentos mais seguros e saudáveis”, comenta.

O Instituto alcançou a condição de Organismo Certificador de Produto com chancela do Inmetro em 2009, para certificar cachaças artesanais de alambique. Esta atribuição permite ao IMA certificar produtos com base em princípios internacionais, considerados de grande confiabilidade sendo membro de certificadores nacionais e internacionais.

A intenção do IMA é estender esta condição para outros produtos de relevância no mercado mineiro como produtos lácteos e cárneos, a fim de oferecer à população alimentos cada vez mais seguros e confiáveis.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/ima-se-tornara-referencia-em-certificacao-de-produtos-organicos/

Gestão Anastasia: Agricultura familiar de Minas terá impulso com programa estruturador

Ações para fortalecer abastecimento às escolas vão a debate em seminários regionais

Divulgação/Seapa
O Programa Estruturador Cultivar, Nutrir e Educar tem como base o direito de todos os alunos matriculados na rede pública de ensino à alimentação escolar
O Programa Estruturador Cultivar, Nutrir e Educar tem como base o direito de todos os alunos matriculados na rede pública de ensino à alimentação escolar

A Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais (Seapa), por meio da Subsecretaria de Agricultura Familiar (SAF), vai participar dos seminários regionais que serão realizados a partir deste mês para o lançamento do Programa Estruturador Cultivar, Nutrir e Educar, do governo estadual. Também farão parte dos trabalhos o Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA) e a Emater-MG, instituições vinculadas à secretaria.

Nos encontros serão apresentadas propostas para promover a educação alimentar e nutricional e fortalecer a agricultura familiar em Minas Gerais, informa a SAF. O programa estruturador prevê ações destinadas a tornar os agricultores familiares aptos a fornecer produtos de qualidade e conforme as normas de segurança alimentar.

Programação

A série de seminários será iniciada em Taiobeiras, município do Norte de Minas, com apresentações e debates nos dias 11 e 12 (quarta e quinta-feira).  No primeiro dia, o presidente do Conselho Estadual de Segurança Alimentar (Consea), Dom Mauro Morelli, fará uma palestra sobre “O binômio Humano à Alimentação Saudável, Adequada e Solidária”. Também haverá apresentação sobre o Programa Cultivar, Nutrir e Educar, pela gerente do programa, Jaqueline Míriam Maciel Junqueira.

Já no segundo dia, uma das apresentações será de Ignes Botelho Matias, assessora técnica da Subsecretaria, que vai abordar o projeto Fortalecimento da Agricultura Familiar para o Abastecimento Alimentar. Ela explica que “as ações destinam-se ao fomento da produção sustentável da agricultura familiar; à elaboração de planos de negócio e projetos de comercialização para associações e cooperativas; acesso a mercados institucionais; e apoio à habilitação sanitária das agroindústrias familiares.” A programação do seminário de Taiobeiras ainda prevê para o segundo dia uma apresentação sobre os desafios da Lei 11.947.

Seminários para o lançamento do Programa Estruturador Cultivar, Nutrir e Educar serão realizados também nos municípios de Capelinha (Jequitinhonha/Mucuri; Viçosa (Zona da Mata); e Ipatinga (Leste). Nestas regiões, além do Norte de Minas, as ações do programa serão destinadas inicialmente às escolas públicas estaduais de 45 municípios.

Apoio à atividade

“A série de encontros representa uma boa oportunidade principalmente para a Secretaria da Agricultura explicar o Projeto de Fortalecimento da Agricultura Familiar para o Abastecimento Alimentar, que está sob a coordenação da Subsecretaria”, acrescenta Ignes Matias. “Com o fortalecimento da atividade, os agricultores e estabelecimentos agroindustriais rurais de pequeno porte obtêm qualificação e tornam-se aptos para o abastecimento de alimentos aos mercados institucionais. Neste caso, a prioridade é a rede pública estadual de ensino em atendimento ao Programa Nacional de Abastecimento Escolar (PNAE).”

O direito de todos os alunos matriculados na rede pública de ensino à alimentação escolar é a base do Programa Estruturador Cultivar, Nutrir e Educar, diz ainda a assessora. A Lei nº 11.947 de 2009 determinou, em seu artigo 14, que no mínimo 30% dos recursos repassados pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) para o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) sejam utilizados na aquisição de alimentos produzidos pela agricultura familiar, ampliando a geração de emprego e renda no campo.

A gestão do programa é compartilhada entre a Secretaria da Agricultura, Secretaria de Saúde, Secretaria de Educação, e Secretaria Executiva do Comitê Temático de Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável (CTSANS).

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/agricultura-familiar-de-minas-tera-impulso-com-programa-estruturador/