Gestão da Saúde: Hemominas faz coleta de sangue em Belo Horizonte e Uberlândia

Expectativa é que compareçam 50 candidatos à doação de sangue em cada dia de coleta.

A Fundação Hemominas realiza coleta de sangue, nesta quinta-feira (10), na Caixa de Assistência dos Advogados, no bairro Barro Preto, em Belo Horizonte. Já nesta quarta (09) e quinta-feira (10), a Fundação Hemominas realiza coleta de sangue na Faculdade Esamc, em Uberlândia, no Triângulo Mineiro. A expectativa é que compareçam 50 candidatos à doação de sangue em cada dia de coleta.

Segundo a Portaria 1.353/2011 do Ministério da Saúde, podem doar sangue cidadãos com boa saúde, idade entre 18 e 67 anos. Os candidatos devem pesar acima de 50 quilos, não ter ingerido bebida alcoólica nas últimas 12 horas, não ter tido hepatite após os 11 anos de idade, e que não tenham doença de Chagas.

Jovens com 16 e 17 anos, somente poderão se candidatar à doação de sangue com a presença dos responsáveis legais ou autorização dos responsáveis com firma reconhecida em cartório, cujo modelo de autorização está disponível no site www.hemominas.mg.gov.br.

A idade máxima para a primeira doação de sangue é 60 anos. Os candidatos, que já tiverem doado pelo menos uma vez antes dos 60 anos, poderão doar até a idade de 67 anos.

Para mais informações sobre os critérios para doação de sangue acessar http://www.hemominas.mg.gov.br/hemominas/menu/cidadao/doacao/condicoes_doacao ou ligar para o 155. Com foco no público jovem, o hotsite www.projetonaveia.com.br promove interatividade e participação também na divulgação da doação. Acesse e conheça o Projeto na Veia.

Serviço:

Fundação Hemominas promove coleta de sangue

Belo Horizonte

Local: Caixa de Assistência dos Advogados, rua Ouro Preto, 67, Barro Preto.

Data: 10 de maio.

Horário: De 8h às 11h30.

Uberlândia

Local: Faculdade Esamc, Av. Vasconcelos Costa, 270, bairro Martins

Data: 09 e 10 de maio.

Horário: De 7h30 às 11h30.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/hemominas-faz-coleta-de-sangue-em-belo-horizonte-e-uberlandia/

Gestão da Saúde: Hemominas alerta sobre prazo para doação de sangue após vacinação

Cidadãos imunizados com a vacina trivalente devem aguardar quatro semanas para doar sangue

A Fundação Hemominas informa que todos os cidadãos que foram imunizados com a vacina trivalente, que protege contra três vírus diferentes, incluindo gripe sazonal e Influenza A H1N1, devem aguardar um prazo de quatro semanas para se candidatar à doação de sangue.

A Hemominas solicita aos candidatos que façam a sua doação antes de se vacinar.

Segundo a Portaria 1.353/2011, do Ministério da Saúde, podem doar sangue cidadãos com boa saúde, idade entre 18 e 67 anos. Os candidatos devem pesar acima de 50 quilos, não ter ingerido bebida alcoólica nas últimas 12 horas, não ter tido hepatite após os 11 anos de idade, e não ter doença de Chagas. Jovens com 16 e 17 anos, somente poderão se candidatar à doação de sangue com a presença dos responsáveis legais ou autorização dos responsáveis com firma reconhecida em cartório, cujo modelo de autorização está disponível no site da Hemominas.

A idade máxima para a primeira doação de sangue é 60 anos. Os candidatos, que já tiverem doado pelo menos uma vez antes dos 60 anos, poderão doar até a idade de 67 anos.

Para mais informações sobre os critérios para doação de sangue acessar http://www.hemominas.mg.gov.br/hemominas/menu/cidadao/doacao/condicoes_doacao ou ligar para o 155.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/hemominas-alerta-sobre-prazo-para-doacao-de-sangue-apos-vacinacao/

Gestão da Saúde: Hemominas promove coleta de sangue em Muriaé, na Zona da Mata

Expectativa é atender a cerca de 120 candidatos à doação, para abastecer banco de sangue

Neste mês de maio, a Fundação Hemominas em Juiz de Fora, na Zona da Mata, irá atender aos candidatos a doação de sangue de Muriaé, nos dias 09 e 23, de 7h30 às 15h, no Posto Avançado de Coleta Externa, na Policlínica de Safira, na rua Silvério Campos, Centro. A expectativa é atender a cerca de 120 candidatos à doação de sangue.

Podem doar sangue cidadãos com boa saúde e que tenham idade entre 18 e 67 anos, conforme determina a Portaria 1.353/2011, do Ministério da Saúde. Os candidatos devem pesar acima de 50 quilos, não ter ingerido bebida alcoólica nas últimas 12 horas, não ter tido hepatite após os 11 anos de idade, e que não tenham doença de Chagas.

Jovens com 16 e 17 anos somente poderão se candidatar à doação de sangue com a presença dos responsáveis legais ou autorização dos responsáveis, com firma reconhecida em cartório, cujo modelo de autorização está disponível no site http://www.hemominas.mg.gov.br.

A idade máxima para a primeira doação de sangue é 60 anos. Os candidatos, que já tiverem doado pelo menos uma vez antes dos 60 anos, poderão doar até a idade de 67 anos.

Para mais informações sobre os critérios para doação de sangue acesse o site  http://www.hemominas.mg.gov.br/hemominas/menu/cidadao/doacao/condicoes_doacao ou ligue para o 155. Para os jovens, principalmente, o hotsite http://www.projetonaveia.com.br promove interatividade e participação na divulgação da doação.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/hemominas-promove-coleta-de-sangue-em-muriae-na-zona-da-mata/

Gestão da Saúde: Hemominas realiza coleta de sangue em Bom Despacho

A expectativa é de que em apenas um dia, 200 pessoas participem da ação

A Fundação Hemominas realiza neste sábado (5), das 7 às 17 horas, coleta de sangue na Associação de Doadores de Sangue de Bom Despacho. A Associação de Doadores fica na Praça Olegário Maciel, n° 831, Centro. A expectativa é que 200 doadores participem da ação.

Segundo a Portaria 1.353/2011 do Ministério da Saúde, podem doar sangue cidadãos com boa saúde, idade entre 18 e 67 anos. Os candidatos devem pesar acima de 50 quilos, não ter ingerido bebida alcoólica nas últimas 12 horas, não ter tido hepatite após os 11 anos de idade, e que não tenham doença de Chagas.  Jovens com 16 e 17 anos, somente poderão se candidatar á doação de sangue com a presença dos responsáveis legais ou autorização dos responsáveis com firma reconhecida em cartório, cujo modelo de autorização está disponível no site http://www.hemominas.mg.gov.br.

A idade máxima para a primeira doação de sangue é 60 anos. Os candidatos, que já tiverem doado pelo menos uma vez antes dos 60 anos, poderão doar até a idade de 67 anos.

Para mais informações sobre os critérios para doação de sangue acessar http://www.hemominas.mg.gov.br/hemominas/menu/cidadao/doacao/condicoes_doacao ou ligar para o 155.

Para os jovens, o hotsite http://www.projetonaveia.com.br promove interatividade e participação também na divulgação da doação.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/hemominas-realiza-coleta-de-sangue-em-bom-despacho/

Gestão da Saúde: Hemominas realiza coleta de sangue em Ouro Preto

São esperadas mais de 200 candidatos a doação

A Fundação Hemominas realiza sábado (5) e domingo (6), coleta de sangue em Ouro Preto. No primeiro dia, a coleta será das 8h às 16h e no dia seguinte, das 8h às 12h, na Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP), Campus Morro do Cruzeiro, no prédio do curso de Medicina. A expectativa da Unidade da Hemominas de Coleta e Transfusão no Hospital Júlia Kubitschek, unidade responsável pela ação, é atender até 260 candidatos a doação de sangue. Toda a população está convidada a participar.

Segundo a Portaria 1.353/2011 do Ministério da Saúde, podem doar sangue cidadãos com boa saúde, idade entre 18 e 67 anos. Os candidatos devem pesar acima de 50 quilos, não ter ingerido bebida alcoólica nas últimas 12 horas, não ter tido hepatite após os 11 anos de idade, e que não tenham doença de Chagas.  Jovens com 16 e 17 anos, somente poderão se candidatar à doação de sangue com a presença dos responsáveis legais ou autorização dos responsáveis com firma reconhecida em cartório, cujo modelo de autorização está disponível no site http://www.hemominas.mg.gov.br.

A idade máxima para a primeira doação de sangue é 60 anos. Os candidatos, que já tiverem doado pelo menos uma vez antes dos 60 anos, poderão doar até a idade de 67 anos.

Para mais informações sobre os critérios para doação de sangue acessar http://www.hemominas.mg.gov.br/hemominas/menu/cidadao/doacao/condicoes_doacao ou ligar para o 155.

Para os jovens, principalmente, o hotsite www.projetonaveia.com.br promove interatividade e participação também na divulgação da doação.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/hemominas-realiza-coleta-de-sangue-em-ouro-preto/

Gestão Eficiente: técnicos do Pará visitam Hemominas para conhecer tratamento do paciente falciforme

O objetivo é levar para o Hemopa a técnica desenvolvida em Minas Gerais

Adair Gomez
Profissionais do Hemopa visitam Hemominas
Profissionais do Hemopa visitam Hemominas

A Fundação Hemoninas, recebe desde terça-feira (24), uma equipe multidisciplinar da Fundação Centro de Hemoterapia e Hematologia do Pará (Hemopa) para uma visita técnica. Com o objetivo de conhecer as experiências, processos e técnicas relacionadas às hemoglobinopatias, principalmente o atendimento ao paciente portador de doença falciforme, técnicos do norte do Brasil irão ficar aqui no Hemominas até quinta-feira (26).

Durante a visita, os noves profissionais da Hemopa puderam conhecer o Centro de Apoio para Hemoglobinopatias (Cehmob/MG). O centro é uma parceria da Hemominas com o Núcleo de Ações e Pesquisa em Apoio Diagnóstico da Universidade Federal de Minas Gerais (Nupad), instituição que apoia os doentes falciformes em suas mais diferentes demandas.

Para a coordenadora de Atendimento Ambulatorial da Hemopa, Ieda Solange Pinto, a ideia é seguir a mesma linha da Fundação Hemominas no tratamento do doente falciforme e se tornar, também, referência para as unidades básicas de saúde. “Achei muito interessante o trabalho desenvolvido pelo Cehmob/MG e levarei a proposta para nosso hemocentro”, ressalta.

De acordo com gerente técnica do Hemocentro de Belo Horizonte, Maria Regina Bastos, a Hemominas é referência no acompanhamento e tratamento da doença falciforme, e por isso foi escolhida para a visita técnica. “A aprendizagem das técnicas para a aplicação e desenvolvimento na Hemopa é muito importante para os pacientes da região atendida”, completa.

A equipe da Hemopa  ainda visitará  mais dois hemocentros na região sudeste do país, o Hemocentro de Ribeirão Preto em São Paulo e o Hemocentro do Rio de Janeiro.

Hemoglobinopatias

Hemoglobinopatias são doenças genéticas decorrentes de anormalidades na estrutura ou na produção da hemoglobina, molécula presente nos glóbulos vermelhos  do sangue  e responsável pelo transporte do oxigênio para os tecidos. Mais de 300 defeitos estruturais da hemoglobina já foram identificados, sendo a doença falciforme a hemoglobinopatia mais conhecida.

A doença falciforme é uma das doenças genéticas com alta prevalência na população brasileira. Em Minas Gerais, a Fundação Hemominas atende, atualmente, em onze ambulatórios, mais de seis mil pacientes com esta donça. Alguns deles sofrem dessa hemoglobinopatia em sua forma mais grave, apresentando “crises falcêmicas”, que são crises de dor. Os sintomas possíveis, além de uma anemia crônica, são disfunções no baço, queda de imunidade, deficiência no crescimento, alterações cardiovasculares, ósseas, renais, oftalmológicas, além do risco de sofrer acidente vascular cerebral (AVC), causando sequelas motoras e do desenvolvimento.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/tecnicos-do-para-visitam-hemominas-para-conhecer-tratamento-do-paciente-falciforme/

Gestão da Saúde: Hemominas em Ituiutaba faz coleta de sangue em horário alternativo

Unidade atenderá os doadores excepcionalmente das 17h às 20h

Na próxima quarta-feira (25), a unidade da Hemominas em Ituiutaba atenderá os doadores excepcionalmente das 17h às 20h, além de realizar o atendimento no horário normal, das 7h30 às 11h. A expectativa é atender cerca de 50 candidatos à doação de sangue durante o horário alternativo.

Coleta de sangue em Cachoeira Dourada

Já no dia 28 de abril, sábado, a equipe da Hemominas realizará uma coleta de sangue na cidade de Cachoeira Dourada. A ação acontece das 8h às 15h, no Posto de Saúde da Família Álvaro Osório Rodrigues, localizado na avenida das Nações, 6, Centro. A expectativa é atender 100 candidatos à doação de sangue.

Segundo a Portaria 1.353/2011 do Ministério da Saúde, podem doar sangue cidadãos com boa saúde, idade entre 18 e 67 anos. Os candidatos devem pesar acima de 50 quilos, não ter ingerido bebida alcoólica nas últimas 12 horas, não ter tido hepatite após os 11 anos de idade, e que não tenham doença de Chagas.  Jovens com 16 e 17 anos, somente poderão se candidatar à doação de sangue com a presença dos responsáveis legais ou autorização dos responsáveis com firma reconhecida em cartório, cujo modelo de autorização está disponível no site www.hemominas.mg.gov.br.

A idade máxima para a primeira doação de sangue é 60 anos. Os candidatos, que já tiverem doado pelo menos uma vez antes dos 60 anos, poderão doar até a idade de 67 anos.

Para mais informações sobre os critérios para doação de sangue acessar http://www.hemominas.mg.gov.br/hemominas/menu/cidadao/doacao/condicoes_doacao ou ligar para o 155. Para os jovens, principalmente, o hotsite www.projetonaveia.com.br promove interatividade e participação também na divulgação da doação. Acesse e conheça o Projeto na Veia.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/hemominas-em-ituiutaba-faz-coleta-de-sangue-em-horario-alternativo/

Gestão da Saúde: Hemominas realiza coleta noturna de sangue em Diamantina

A expectativa é atender cerca de 50 candidatos à doação de sangue

Hemominas realiza coleta noturna de sangue em Diamantina, nesta terça-feira (27), das 19h às 22h. A ação acontece na própria unidade, localizada na rua da Glória, 469, Centro. A expectativa é atender cerca de 50 candidatos à doação de sangue.

Segundo a Portaria 1.353/2011 do Ministério da Saúde, podem doar sangue cidadãos com boa saúde, idade entre 18 e 67 anos. Os candidatos devem pesar acima de 50 quilos, não ter ingerido bebida alcoólica nas últimas 12 horas, não ter tido hepatite após os 11 anos de idade, e que não tenham doença de Chagas.  Jovens com 16 e 17 anos, somente poderão se candidatar à doação de sangue com a presença dos responsáveis legais ou autorização dos responsáveis com firma reconhecida em cartório, cujo modelo de autorização está disponível no site www.hemominas.mg.gov.br.

A idade máxima para a primeira doação de sangue é 60 anos. Os candidatos, que já tiverem doado pelo menos uma vez antes dos 60 anos, poderão doar até a idade de 67 anos. Para mais informações sobre os critérios para doação de sangue acessar http://www.hemominas.mg.gov.br/hemominas/menu/cidadao/doacao/condicoes_doacao ou ligar para o 155.

Para os jovens, principalmente, o hotsite www.projetonaveia.com.br promove interatividade e participação também na divulgação da doação. Acesse e conheça o Projeto na Veia.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/hemominas-realiza-coleta-noturna-de-sangue-em-diamantina/

Gestão da Saúde: Simpósio discute avanços no tratamento da doença falciforme

O evento acontece no auditório da Santa Casa de Misericórdia, das 8h30 às 17h, em Juiz de Fora

Com o objetivo de promover o conhecimento sobre a doença falciforme, debatendo os temas que impactam no tratamento e na qualidade de vida dos pacientes, como os avanços tecnológicos, em especial a terapia celular, será realizado nesta terça-feira (20), em Juiz de Fora, o 3º Simpósio Municipal de Doença Falciforme. O evento acontece no auditório da Santa Casa de Misericórdia, das 8h30 às 17h, reunindo cerca de 150 pessoas, entre profissionais da área de saúde, pacientes e funcionários da Fundação Hemominas. O endereço é avenida Rio Branco, nº 3353, Centro.

Organizado por meio de uma parceria entre a Hemominas, a Secretaria Municipal de Saúde de Juiz de Fora, o Conselho Municipal de Saúde, a Santa Casa de Misericórdia e a Associação de Pessoas com Doença Falciforme (APAFTF), o encontro marca também o Dia Estadual da Conscientização da Síndrome da Doença Falciforme, comemorado em 20 de março.

A Fundação Hemominas, referência para o tratamento da doença falciforme no Estado, participa do simpósio com palestra da presidente da instituição, Júnia Cioffi, sobre o Centro de Tecidos Biológicos de Minas Gerais (Cetebio), em implantação pela Hemominas, e que constituirá o maior banco de tecidos biológicos da América Latina.

“O transplante de medula óssea e o transplante que envolve células de sangue de cordão umbilical se apresentam como uma nova alternativa para os pacientes com doença falciforme. O Cetebio, com bancos para processar e armazenar esses tecidos irá contribuir para o fornecimento de produtos de qualidade para estes pacientes”, afirma Júnia Cioffi.

A programação do evento inclui ainda debates sobre os novos avanços no tratamento da doença. O tema será apresentado pelo médico ortopedista e professor da Universidade Federal da Bahia (UFBA), Gildásio de Cerqueira Daltro, que tem experiência com terapia celular no tratamento das lesões ósseas da anemia falciforme. Também farão palestras o coordenador do Núcleo de Transplantes de Medula Òssea do Hospital Universitário da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), professor Ângelo Atalla, e o diretor do Núcleo de  Ações e Pesquisa em Apoio Diagnóstico da Universidade Federal de Minas Gerais (Nupad/UFMG), José Nélio Januário, que já participou dos simpósios anteriores realizados em 2005 e 2010,  e falará sobre a ”Política Pública sobre a Doença Falciforme em Minas Gerais”.

O encontro apresenta ainda o depoimento “Uma vida com e sem anemia falciforme” de Elvis Silva Magalhães, coordenador da Associação Brasiliense de Pessoas com Doença Falciforme, que foi submetido a um transplante de medula óssea, que o livrou da doença depois de quase 40 anos convivendo com ela.

Doença Falciforme

A doença falciforme é uma das doenças hereditárias mais comuns no Brasil e apresenta, já nos primeiros anos de vida, manifestações clínicas importantes, o que representa um sério problema de saúde pública no país. Em Minas Gerais, a doença falciforme foi incluída na triagem neonatal em 1998. A Fundação Hemominas é referência no acompanhamento e tratamento dos pacientes falciformes no Estado.

A doença é resultante de alteração genética caracterizada pela presença de um tipo anormal de hemoglobina denominada Hemoglobina S (HbS). Ela faz com que as hemácias adquiram a forma de foice (daí o nome falciforme), em ambiente de baixa oxigenação, dificultando sua circulação e provocando obstrução vascular. As hemácias têm a função de carregar oxigênio para os tecidos, principal combustível para os órgãos. No caso da doença falciforme, pelo fato de as hemácias apresentarem a forma de foice, elas são destruídas precocemente, além de se agregarem e diminuir a viscosidade do sangue nos pequenos vasos do corpo.

Entre os sintomas causados pela doença estão a anemia permanente, a cor amarelada na pele e nos olhos e as crises dolorosas, principalmente nos ossos, músculos e articulações. Diagnosticada precocemente pelo teste de triagem neonatal (teste do pezinho), a doença exige que o paciente receba assistência desde o nascimento por uma equipe multidisciplinar.

O evento acontece no auditório da Santa Casa de Misericórdia, das 8h30 às 17h, em Juiz de Fora

Com o objetivo de promover o conhecimento sobre a doença falciforme, debatendo os temas que impactam no tratamento e na qualidade de vida dos pacientes, como os avanços tecnológicos, em especial a terapia celular, será realizado nesta terça-feira (20), em Juiz de Fora, o 3º Simpósio Municipal de Doença Falciforme. O evento acontece no auditório da Santa Casa de Misericórdia, das 8h30 às 17h, reunindo cerca de 150 pessoas, entre profissionais da área de saúde, pacientes e funcionários da Fundação Hemominas. O endereço é avenida Rio Branco, nº 3353, Centro.

Organizado por meio de uma parceria entre a Hemominas, a Secretaria Municipal de Saúde de Juiz de Fora, o Conselho Municipal de Saúde, a Santa Casa de Misericórdia e a Associação de Pessoas com Doença Falciforme (APAFTF), o encontro marca também o Dia Estadual da Conscientização da Síndrome da Doença Falciforme, comemorado em 20 de março.

A Fundação Hemominas, referência para o tratamento da doença falciforme no Estado, participa do simpósio com palestra da presidente da instituição, Júnia Cioffi, sobre o Centro de Tecidos Biológicos de Minas Gerais (Cetebio), em implantação pela Hemominas, e que constituirá o maior banco de tecidos biológicos da América Latina.

“O transplante de medula óssea e o transplante que envolve células de sangue de cordão umbilical se apresentam como uma nova alternativa para os pacientes com doença falciforme. O Cetebio, com bancos para processar e armazenar esses tecidos irá contribuir para o fornecimento de produtos de qualidade para estes pacientes”, afirma Júnia Cioffi.

A programação do evento inclui ainda debates sobre os novos avanços no tratamento da doença. O tema será apresentado pelo médico ortopedista e professor da Universidade Federal da Bahia (UFBA), Gildásio de Cerqueira Daltro, que tem experiência com terapia celular no tratamento das lesões ósseas da anemia falciforme. Também farão palestras o coordenador do Núcleo de Transplantes de Medula Òssea do Hospital Universitário da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), professor Ângelo Atalla, e o diretor do Núcleo de  Ações e Pesquisa em Apoio Diagnóstico da Universidade Federal de Minas Gerais (Nupad/UFMG), José Nélio Januário, que já participou dos simpósios anteriores realizados em 2005 e 2010,  e falará sobre a ”Política Pública sobre a Doença Falciforme em Minas Gerais”.

O encontro apresenta ainda o depoimento “Uma vida com e sem anemia falciforme” de Elvis Silva Magalhães, coordenador da Associação Brasiliense de Pessoas com Doença Falciforme, que foi submetido a um transplante de medula óssea, que o livrou da doença depois de quase 40 anos convivendo com ela.

Doença Falciforme

A doença falciforme é uma das doenças hereditárias mais comuns no Brasil e apresenta, já nos primeiros anos de vida, manifestações clínicas importantes, o que representa um sério problema de saúde pública no país. Em Minas Gerais, a doença falciforme foi incluída na triagem neonatal em 1998. A Fundação Hemominas é referência no acompanhamento e tratamento dos pacientes falciformes no Estado.

A doença é resultante de alteração genética caracterizada pela presença de um tipo anormal de hemoglobina denominada Hemoglobina S (HbS). Ela faz com que as hemácias adquiram a forma de foice (daí o nome falciforme), em ambiente de baixa oxigenação, dificultando sua circulação e provocando obstrução vascular. As hemácias têm a função de carregar oxigênio para os tecidos, principal combustível para os órgãos. No caso da doença falciforme, pelo fato de as hemácias apresentarem a forma de foice, elas são destruídas precocemente, além de se agregarem e diminuir a viscosidade do sangue nos pequenos vasos do corpo.

Entre os sintomas causados pela doença estão a anemia permanente, a cor amarelada na pele e nos olhos e as crises dolorosas, principalmente nos ossos, músculos e articulações. Diagnosticada precocemente pelo teste de triagem neonatal (teste do pezinho), a doença exige que o paciente receba assistência desde o nascimento por uma equipe multidisciplinar.

Fonte:http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/simposio-discute-avancos-no-tratamento-da-doenca-falciforme/

Gestão da Saúde: unidade da Hemominas em Além Paraíba não funciona na segunda-feira

Unidade estará fechada devido ao feriado municipal

Devido ao feriado municipal na próxima segunda-feira (19) em Além Paraíba, a unidade da Hemominas não irá funcionar para atendimento ao doador de sangue. No dia 20 de março, terça-feira, a unidade volta a funcionar normalmente, a partir das 8h.

Doação de Sangue

Segundo a Portaria 1.353/2011 do Ministério da Saúde, podem doar sangue cidadãos com boa saúde, idade entre 18 e 67 anos. Os candidatos devem pesar acima de 50 quilos, não ter ingerido bebida alcoólica nas últimas 12 horas, não ter tido hepatite após os 11 anos de idade, e que não tenham doença de Chagas.  Jovens com 16 e 17 anos, somente poderão se candidatar á doação de sangue com a presença dos responsáveis legais ou autorização dos responsáveis com firma reconhecida em cartório, cujo modelo de autorização está disponível no site www.hemominas.mg.gov.br.

A idade máxima para a primeira doação de sangue é 60 anos. Os candidatos, que já tiverem doado pelo menos uma vez antes dos 60 anos, poderão doar até a idade de 67 anos. Para mais informações sobre os critérios para doação de sangue acessar http://www.hemominas.mg.gov.br/hemominas/menu/cidadao/doacao/condicoes_doacaoou ligar para o 155.

Para os jovens, principalmente, o hotsite www.projetonaveia.com.brpromove interatividade e participação também na divulgação da doação. Acesse e conheça o Projeto na Veia.

Fonte: Agência Minas