Governo de Minas: obras de construção da ponte de Guidoval estão a todo vapor

O contrato, assinado no dia 18 de janeiro, tem prazo previsto de cinco meses para a conclusão dos trabalhos
Divulgação/Setop
Obras para a construção da ponte sobre o Rio Xopotó, no município de Guidoval
Obras para a construção da ponte sobre o Rio Xopotó, no município de Guidoval

As obras para a construção da ponte sobre o Rio Xopotó, em Guidoval, destruída com as chuvas que castigaram grande a Zona da Mata, em janeiro, estão dentro do cronograma acertado pelo Departamento de Estradas de Rodagens de Minas Gerais (DER/MG). O contrato, assinado no dia 18 de janeiro, tem prazo previsto de cinco meses para a conclusão dos trabalhos.

A nova ponte de Guidoval terá 130 metros de comprimento por 11 de largura, com cinco metros de altura a mais e está sendo construída em local próximo a que havia anteriormente. Estão sendo investidos cerca de R$ 18 milhões, valor que também inclui a implantação de uma variante de 1,8 quilômetros que garante a mobilidade entre os dois lados da cidade.

Segundo o diretor de operações do DER/MG, Luiz Alberto Dias Mendes, tudo está acontecendo dentro do previsto. “Estamos cumprindo a etapa de fundação da ponte, faltando apenas à construção de dois pilares.” Para concluir essa fase é necessária a desapropriação de dois imóveis às margens do rio, e isso está programado para acontecer até o final da semana seguinte.

Para garantir a mobilidade dos moradores, o DER providenciou a melhoria dos acessos por estradas municipais e estaduais como alternativas de tráfego. A reconstrução imediata da ponte foi uma determinação do Governador Antônio Anastasia, em visita ao município. A força das águas destruiu além da ponte, casas, estradas e deixou famílias desabrigadas.

O município de Guidoval, localizado na Zona da Mata Mineira, foi um dos mais castigados pelas fortes chuvas do final do ano, que derrubaram a ponte que existia no local. O Exército Brasileiro construiu uma ponte provisória para garantir o acesso à região e não interromper o fluxo de caminhões.

Fonte: Agência Minas

Anúncios

Governo de Minas: Congonhas recebe Sine Móvel para prestação de serviços aos trabalhadores

Chuvas inundaram a unidade do Sine na cidade e os serviços tiveram que ser temporariamente suspensos, até que um novo local seja providenciado

Desde janeiro, Sine Móvel emitiu 874 carteiras de trabalho em municípios afetados pelas chuvas
Desde janeiro, Sine Móvel emitiu 874 carteiras de trabalho em municípios afetados pelas chuvas

O Sine Móvel, unidade itinerante de atendimento ao trabalhador da Secretaria de Estado de Trabalho e Emprego (Sete), vai estar nesta quinta (9) e sexta-feira (10), na cidade de Congonhas, região Central do Estado, prestando os serviços de emissão de Carteira de Trabalho e Previdência Social e postagem do benefício do seguro-desemprego.

Por intermédio da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese), a iniciativa da Sete conta com o apoio do Sindicato dos Oficiais do Registro Civil das Pessoas Naturais do Estado de Minas Gerais (Recivil), que também estará presente, emitindo a segunda via das certidões de nascimento, casamento e óbito aos moradores que perderam os seus documentos com as fortes chuvas dos meses de dezembro e janeiro.

A calamidade que atingiu o município também prejudicou o atendimento aos trabalhadores, pois com a completa inundação da unidade do Sine de Congonhas, todos os serviços foram temporariamente suspensos. A Sete já está avaliando as perdas e providenciando, junto à Prefeitura Municipal, novo local para a instalação da unidade. Todavia, não há previsão para retorno do expediente.

A caravana do Sine Móvel já esteve, desde o dia 16 de janeiro, nos municípios de Guidoval, Além Paraíba, Dona Euzébia e Cataguases, tendo emitido 874 carteiras de trabalho e postado 6 requerimentos do seguro-desemprego.

Documentos necessários

Para a emissão da Carteira de Trabalho o trabalhador deve levar um documento de identificação, que pode ser Carteira de Identidade, Certificado de Reservista, Registro de Conselho de Classe, Dispensa de Incorporação, Certidões de nascimento ou casamento. Casados ou viúvos deverão apresentar certidão de casamento original. Também são necessárias três fotos 3X4.

Para a postagem do seguro-desemprego são exigidos: requerimento do seguro-desemprego SD/CD (2 vias – verde e marrom); cartão do PIS-Pasep, extrato atualizado ou Cartão do Cidadão; Carteira de Trabalho e Previdência Social (todas que o requerente possuir); Termo de Rescisão do Contrato de Trabalho – TRCT devidamente quitado; documento de identidade – Carteira de Identidade ou Certidão de Nascimento ou Certidão de Casamento ou Carteira Nacional de Habilitação (modelo novo) ou Passaporte ou Certificado de Reservista; CPF; e documento de levantamento dos depósitos do FGTS (CPFGTS) ou extrato comprobatório dos depósitos ou relatório da fiscalização ou documento judicial (Certidão das Comissões de Conciliação Prévia/ Núcleos Intersindicais / Sentença / Certidão da Justiça).

Serviço: Atendimento do Sine Móvel em Congonhas

Local: Praça da Matriz (ao lado da igreja)

Data: 09 e 10/02

Horário: das 9h às 17h

Fonte: Agência Minas

Governo de Minas: farmácia de Minas humaniza atendimento a pacientes na Zona da Mata

Região já tem 42 unidades, que disponibilizam 162 tipos de medicamentos
Divulgação/Prefeitura Municipal
A farmacêutica Dhyemila Mantovani, de Patrocínio de Muriaé, hoje consegue dar mais atenção à população
A farmacêutica Dhyemila Mantovani, de Patrocínio de Muriaé, hoje consegue dar mais atenção à população

Ar-condicionado, água gelada, cadeiras confortáveis, ambiente claro e arejado. O espaço, todo em branco e verde, é onde funciona a unidade farmacêutica do programa Farmácia de Minas, que realiza a distribuição de medicamentos para as populações carentes de 42 municípios com até 30 mil habitantes na Zona da Mata. A iniciativa é do Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG), e o objetivo do programa é garantir o acesso da população a medicamentos gratuitos voltados para a atenção primária à saúde, melhorando a assistência farmacêutica e incentivando a busca ativa do paciente.

Em Patrocínio do Muriaé, a Farmácia de Minas, inaugurada em setembro de 2011, está ajudando a mudar a vida de muita gente. Dhyemila de Paula Mantovani, farmacêutica responsável da unidade, relata que, hoje, é possível conhecer melhor a pessoa, adequando o atendimento. “Antes eu fazia só a dispensação do medicamento, porque não tinha como dar assistência. A gente trabalhava em um cubículo, abria a metade de cima da porta e fazia as entregas”, conta.

Como exemplo, ela cita uma paciente que sofre de surto psicótico e, constantemente, precisava ser internada. “Depois que abriu a Farmácia de Minas, ela nunca mais foi internada. Descobri que ela conseguia ler e anotei em todas as caixinhas dos medicamentos as orientações de como ela deveria tomar cada um”, lembra. A paciente faz uso de prometazina, clorpromazina, aloperidol e biperideno. “Hoje ela vem mais à farmácia, percebi que ela aderiu ao tratamento com mais facilidade. Isso porque tive a possibilidade de trabalhar mais diretamente com ela”, afirma.

A farmacêutica aponta também o trabalho desenvolvido com os pacientes diabéticos do município. “Antes tínhamos contato apenas com pacientes diabéticos que usavam medicamentos hipoglicemiantes orais. Depois da nova estrutura, pude trazer as insulinas para a farmácia, graças ao refrigerador e, hoje, temos contato também com os pacientes insulino-dependentes. Antes não havia local adequado para armazenamento”, destaca.

Geraldo de Oliveira Martins, diabético há mais de 20 anos, é um dos beneficiados. “Antes os postos eram muito restritos, pela limitação, só era possível fazer a entrega. Agora com as insulinas aqui, melhorou muito a relação humana. O local antes dificultava a interação, o contato. Às vezes o paciente não precisa só pegar o remédio, ele precisa de uma atenção e, com essas farmácias, isso é possível hoje”, conclui.

A Farmácia de Minas de Patrocínio de Muriaé atende a aproximadamente 130 pacientes por dia.

Mais comodidade e acesso facilitado

Em Vieiras, a Farmácia de Minas também foi inaugurada em setembro de 2011 e, atualmente, atende a cerca de 150 pacientes por dia. Walfrido Cristian Cassin de Oliveira, farmacêutico responsável da unidade, considera que a melhoria no atendimento ultrapassou os 100%. “A comodidade para todo mundo melhorou, tanto para quem trabalha, quanto para quem é beneficiado”, ressalta.

Maria das Graças Ferreira Araújo faz uso contínuo de cinco medicamentos e confirma a melhora. “Está sendo muito bom. A gente aqui fica bem atendida. Venho todo mês e, se acaba um remédio antes, uma dipirona, eu venho de novo, porque sei que vai ter. Ficou melhor”, diz. Ela busca na Farmácia de Minas clorpromazina, carbamazepina, glidenclamida, metiodopa e dipirona.

Hipertensa, Sônia do Carmo Silva Souza vai todo mês à Farmácia de Minas na cidade de Presidente Bernardes, e considera que a nova unidade facilitou o acesso. “Achei a nova estrutura muito boa, uma sala bem confortável, duas atendentes, ficou mais fácil buscar o remédio e até uma orientação”, opina.

Christina Cerneiro Faria, farmacêutica responsável da unidade, que foi inaugurada em agosto de 2011, destaca a melhoria para todos os usuários. “Hoje temos mais equipamentos, internet, até mais funcionários. A espera também melhorou, é mais rápido e ninguém fica em pé, não tem mais fila”, conta.

Ela cita também o Sistema Integrado de Gerenciamento da Assistência Farmacêutica (Sigaf), utilizado pela Rede Farmácia de Minas. “Pelo Sigaf fazemos o cadastro dos pacientes, hoje de uma forma bem mais organizada, melhorando nosso controle. Um exemplo são os pacientes de medicamentos excepcionais, antes não havia nenhum cadastrado, agora já temos 18”, comenta. Os medicamentos excepcionais são aqueles para o tratamento da Tuberculose, Hanseníase, Endemias Focais, DST/Aids e tam¬bém Sangue e Hemoderivados.

Rede em expansão

Atualmente, 200 cidades do Estado já têm unidades do Farmácia de Minas e disponibilizam para a população 162 tipos de medicamentos. Apenas em 2011, o governador de Minas Antonio Anastasia inaugurou 32 unidades na Zona da Mata, simultaneamente a outras 168 no restante do Estado.

“A meta do Governo de Minas é chegar a 700 municípios até 2014. É bom dizer que entre 2007 e agora nós já aumentamos em mais de 70% o volume de recursos financeiros do tesouro nesse programa e aumentamos também, consideravelmente, os medicamentos disponibilizados”, afirma a governador.

Confira a lista das 42 unidades do programa Farmácia de Minas localizadas em municípios da Zona da Mata: Acaiaca, Antônio Prado de Minas, Barão do Monte Alto, Barra Longa, Bias Fortes, Bicas, Brás Pires, Cajuri, Dom Silvério, Dores do Turvo, Ervália, Eugenópolis, Goianá, Guarani, Guidoval, Guiricema, Jequeri, Lamim, Laranjal, Miraí, Paiva, Patrocínio do Muriaé, Palma, Paula Cândido, Pedra Dourada, Pedro Teixeira, Piau, Pirapetinga, Presidente Bernardes, Rio Doce, Rio Preto, Rodeiro, Santa Cruz do Escalvado, Santana de Cataguases, Santo Antônio do Grama, São Geraldo, São Miguel do Anta, São Pedro dos Ferros, Senador Cortes, Sericita e Vieiras.

Fonte: Agência Minas

Gestão Antonio Anastasia: força-tarefa agiliza projetos para recuperação de danos causados pelas chuvas

Minas buscar obter liberação, pelo governo federal, de R$ 2 bilhões em investimentos para drenagem, contenção de encostas, esgotos, estudos e planos de redução de riscos

Divulgação/Sedru
Força-tarefa formada pelo governador Anastasia se reúne para apressar projetos para recuperação de estragos
Força-tarefa formada pelo governador Anastasia se reúne para apressar projetos para recuperação de estragos

A força-tarefa do Governo de Minas, encarregada pelo governador Antonio Anastasia de captar recursos para obras de prevenção de riscos e de recuperação dos estragos causados pelas chuvas no Estado, intensifica os trabalhos para obter liberação, pelo governo federal, de cerca de R$ 2 bilhões em investimentos para drenagem, contenção de encostas, esgotos, estudos e planos de redução de riscos.

Comandada pelo secretário de Estado de Desenvolvimento Regional e Polícia Urbana, Bilac Pinto, a força-tarefa discutiu esta semana, na Cidade Administrativa, detalhes das obras emergenciais, já em análise pelo Ministério do Planejamento, em Brasília, abrangendo de imediato R$ 1,05 bilhão para projetos de drenagem, R$ 330,4 milhões para contenção de encostas, R$ 590,4 milhões para redes de esgotos, R$ 31 milhões para estudos e R$ 6 milhões para planos de redução de riscos. Além de ações preventivas, o documento contempla projetos estruturantes de saneamento básico em municípios de todas as regiões mineiras.

Além de especialistas da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Regional e Política Urbana (Sedru), a força-tarefa é integrada por dirigentes e técnicos da Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa), da Companhia de Habitação de Minas Gerais (Cohab Minas), da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec) e do Escritório de Prioridades Estratégicas.

O maior volume de recursos, de R$ 481 milhões, está previsto para o sistema integrado de contenção de cheias na Bacia do Rio Sapucaí nos municípios de Itajubá, Santa Rita do Sapucaí e Pouso Alegre, já com projetos de engenharia concluídos. O objetivo é a construção de um dique em Pouso Alegre e de três barragens de contenção nos rios Sapucaí, Vargem Grande e Lourenço Velho. Além disso, o projeto de R$ 27 milhões prevê a construção de um dique e de galerias em Pouso Alegre, para evitar que as águas do Rio Mandu invadam casas e ruas durante as chuvas.

Ribeirão Arrudas

A proposta prevê ainda a aplicação de R$ 147 milhões em obras na Bacia do Ribeirão Arrudas em Belo Horizonte e Contagem, já com projetos de engenharia concluídos. Um deles, de R$ 127,2 milhões, prevê obras de contenção de cheias no Córrego Riacho das Pedras, tributário do Córrego do Ferrugem, em Contagem. Outro, no valor de R$ 16,3 milhões, é destinado a requalificação urbana e ambiental de aglomerados, estando previstos ainda R$ 3,41 milhões para complementação de obras no PAC no Arrudas.

Estão incluídos, ainda, R$ 99,2 milhões para recuperação e ampliação de calha de drenagem no Rio Betim, na Grande BH, já com projeto básico de engenharia concluído. Projeto de engenharia já finalizado prevê implantação de um sistema de contenção de cheias nos rios Muriaé e Preto, na Zona da Mata, com remoção de rochas, ampliação de calhas, construção de muros-dique, avenidas sanitárias e barragens de retenção, num valor total de R$ 300 milhões. “A importância da participação da Cohab Minas é, principalmente, a de contribuir com sua experiência, a exemplo do que aconteceu na execução do Proacesso, no qual foi necessário um trabalho muito grande na remoção e reassentamento das famílias”, afirmou o presidente da Cohab Minas, Octacílio Machado.

De acordo com a proposta, apenas para a contenção de encostas e obras de prevenção são solicitados R$ 256 milhões. Para a Bacia do Rio Paraopeba, está prevista a aplicação de R$ 112 milhões para ampliação de esgotamento sanitário em Betim, Bonfim, Contagem, Esmeraldas, Juatuba e Sarzedo, beneficiando mais de 690 mil pessoas. Na Bacia do Rio das Velhas, os projetos contemplam com esgotamento sanitário os municípios de Nova Lima, Ribeirão das Neves e Vespasiano, num total de 208 milhões.

Também já está com projeto de engenharia concluído a despoluição da Bacia do Rio Grande, envolvendo a implantação de esgotamento sanitário nos municípios de Barbacena, Botelhos, Campanha, Congonhal, Guaxupé, Tiradentes e Três Corações, no valor total de R$ 176 milhões. Recursos de R$ 51 milhões estão previstos para esgotamento sanitário nas bacias dos rios Paraíba do Sul e Paraná, envolvendo os municípios de Além Paraíba, Camanducaia e Patos de Minas e beneficiando população de 165 mil pessoas. Foram ainda incluídos no documento a liberação de R$ 43,5 milhões para projetos de esgotamento sanitário em 14 municípios às margens do Lago de Furnas.

Para a contratação de projetos emergenciais de recuperação dos estragos das chuvas, a Sedru reivindica R$ 31 milhões, sendo R$ 6 milhões para a Região Metropolitana de Belo Horizonte; R$ 10 milhões para Além Paraíba, Cataguases, Dona Euzébia, Guidoval, Governador Valadares, Jeceaba, Ouro Preto, Ponte Nova e Ubá; e para ações nas bacias dos rios Doce, Itabapoana e Paraíba do Sul. O Estado pretende aplicar ainda R$ 6 milhões em planos municipais de redução de riscos de 38 municípios assolados pelas cheias.

Fonte: Agência Minas

Blog do Anastasia – Governo de Minas: onze municípios afetados pelas chuvas receberão a Caravana Solidária do BDMG

BELO HORIZONTE (16/01/12) – Equipes do Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG) começaram, nesta semana, a apresentar aos municípios mineiros o Programa Emergencial de Socorro a Empresas e Cooperativas com Empreendimentos Afetados por Chuvas Intensas (Fundese Solidário VI). Trata-se de uma linha de crédito especial para atender às empresas que sofreram prejuízos com as chuvas. No total, 11 cidades receberão os técnicos do banco nesta semana.

Até esta quarta-feira (18), serão visitados os municípios de Além Paraíba, Dona Euzébia, Cataguases, Guidoval, Ubá, Miraí, Viçosa, Muriaé, Ponte Nova, Leopoldina e Ouro Preto. Nesta segunda-feira (16), a Caravana Solidária do BDMG estará em Além Paraíba e Dona Eusébia. Empresários e lideranças foram convidados. Já nesta terça-feira (17), a equipe vai a Guidoval e Cataguases.

O cronograma visa atender a todas as regiões do Estado afetadas pelas chuvas. A criação do programa foi uma das determinações do governador Antonio Anastasia para auxílio emergencial aos municípios.

O empresário interessado nos recursos desta linha de crédito deve fazer a solicitação pelo site do BDMG. Se preferir, pode também procurar um dos parceiros do banco – Cecremge, Crediminas, Fiemg, FCDL, Fecomércio, Federação dos Contabilistas, Federaminas e Sebrae-MG – na cidade ou região em que está localizada a empresa.

Este ano, o BDMG conta também com a força das cooperativas de crédito que estão trabalhando como correspondentes bancárias do banco. Há 36 cooperativas já credenciadas, que poderão auxiliar as empresas a solicitar o financiamento.

Fundese Solidário

O programa Fundese Solidário, que está na sexta edição, é destinado às empresas e cooperativas localizadas nos municípios declarados em situação de emergência, que sofreram danos em decorrência das chuvas. Além de documentos técnicos, os interessados devem agregar ao processo um laudo da Defesa Civil, estadual ou municipal, comprovando o  prejuízo.

O financiamento tem carência de até seis meses para o início do pagamento, que pode ser feito em até três anos, com juros de 6% ao ano. Podem ser financiados de R$ 5 mil a R$ 100 mil por empresa, com valor limitado a 20% do faturamento anual.

Os recursos poderão ser usados em investimentos fixos, como realização de obras físicas, reparos de ativos danificados e também para recomposição de capital de giro, para cobrir gastos com a folha de pagamento, fornecedores, impostos, taxas, aquisição de insumos, mercadorias para revenda e material de consumo.

Os pedidos de financiamento devem ser encaminhados ao BDMG até o dia 31 de maio de 2012 e a documentação, até 30 de junho. Mais informações sobre o Fundese Solidário VI pelo telefone 0800-283-83-37 ou pelo e-mail solidario@bdmg.mg.gov.br.

Programação:

Data: 16 de janeiro

Local: Além Paraíba

Horário: 11h

Endereço: Cine Teatro Brasil, Rua Paulo de Frontin, 18, Centro

Data: 16 de janeiro

Local: Dona Euzébia

Horário: 16h

Endereço: Sede da Prefeitura Municipal, Av. Antônio Esteves Ribeiro, 340

Data: 17 de janeiro

Local: Cataguases

Horário: 9h

Endereço: Salão do Paço Municipal, Praça Santa Rita 462 – Centro.

Data: 17 de janeiro

Local: Guidoval

Horário: 13 horas

Endereço: Escola Estadual Mariana de Paiva, Rua Padre Baião, s/n –  Centro.

Data: 17 de janeiro

Local: Ubá

Horário: 9h

Endereço: Câmara Municipal, Rua Santa Cruz, 301 – Centro.

Data: 17 de janeiro

Local: Miraí

Horário: 17h

Endereço: Associação Comercial e Industrial de Miraí, Av. Presidente Médici, 428, sla 101.

Data: 17 de janeiro

Local: Viçosa

Horário: 18h30

Endereço: Câmara dos Vereadores de Viçosa, Praça Silviano Brandão, 05 – Centro.

Data: 18 de janeiro

Local: Ponte Nova

Horário: 10h

Endereço: Sede da ACIP, Praça Getúlio Vargas, 19 – Centro.

Data: 18 de janeiro

Local: Leopoldina

Horário: 16h

Endereço: Paço Municipal, Rua Lucas Augusto, 68 – Centro.

Data: 18 de janeiro

Local: Muriaé

Horário: 9h

Endereço: CD Moda, Rua Sinval Florêncio da Silva, 02 – Centro.

Data: 19 de janeiro

Local: Ouro Preto

Horário: 9h30

Endereço: Associação Comercial de Ouro Preto, Rua São José, 32  – Centro

Fonte: Agência Minas

Blog do Anastasia – Governador recebe 150 toneladas de produtos em doações para vítimas das chuvas em Minas

BELO HORIZONTE (16/01/12) – O governador Antonio Anastasia recebeu, nesta segunda-feira (16), representantes dos setores do comércio e indústria dos ramos de supermercados e alimentícios que doaram mais de 150 toneladas de alimentos e materiais para as famílias atingidas pelas chuvas em Minas Gerais. O governador determinou o envio imediato dos produtos para 27 cidades com maior carência de donativos no momento. Os 23 caminhões saíram da Praça da Liberdade na manhã desta segunda-feira.

“Em nome dos mineiros, agradeço essas empresas pelas doações que se fazem expressivas. Estamos diante de um gesto solidário, um gesto generoso de doação àquelas famílias afligidas e que foram afetadas pelas chuvas. As empresas demonstram o aspecto sempre generoso e solidário da alma mineira. É fundamental, porque nós temos em Minas centenas de milhares de famílias atingidas. Muitas cidades de Minas estão em situação difícil ainda, de reconstrução, de volta à normalidade. Essas doações são muito importantes”, afirmou Anastasia.

Os materiais foram destinados para as cidades de Acaiaca, Barra Longa, Barroso, Claro dos Poções, Conceição da Barra de Minas, Guaraciaba, Mariana, Matipó, Muriaé, Nazareno, Patrocínio de Muriaé, Ponte Nova, Prados, Raposos, Santa Cruz de Minas, São João del-Rei, São Sebastião da Vargem Alegre, Setubinha, Tiradentes e Visconde do Rio Branco. Outras cidades já foram atendidas com o envio de material da Defesa Civil e das doações recebidas por populares.

“Quero agradecer aos milhões de mineiros anônimos que também fizeram suas doações, levando seus produtos, suas roupas, gêneros alimentícios às unidades da Polícia Militar e dos Bombeiros por todo o Estado. A eles também o meu agradecimento muito forte, porque demonstra essa alma generosa do mineiro que auxilia o seu irmão na hora da dificuldade”, agradeceu o governador.

A arrecadação de donativos está sendo realizado pelo Movimento Minas Solidária, programa coordenado pelo Serviço Voluntário de Assistência Social (Servas) e Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec).

“A certeza que nós temos é que o atendimento que pode ser feito através das doações está sendo feito. Ou seja, não está faltando doação a nenhuma família mineira nesse momento. Dentro do âmbito da campanha Minas Solidária que começou há cerca de 10 dias já foram arrecadados 380 toneladas de donativos. A esse número se soma hoje mais 150 e ainda temos a previsão de uma série de outras doações que vão fazer com que esse número fique ainda mais significativo”, afirmou a presente do Servas, Andrea Neves.

O governador Antonio Anastasia lembrou que o Governo do Estado continua trabalhando para garantir a volta da normalidade às cidades mais afetadas pelas chuvas. Todas as secretarias estão mobilizadas para atendimento das demandas relativas às suas áreas. As secretarias de Desenvolvimento Social, Saúde, Fazenda, Desenvolvimento Regional e Política Urbana, Transporte e Obras Públicas, além da Cemig, Copasa, Defesa Civil, Corpo de Bombeiros e Polícia Militar continuam mobilizados para garantir a ajuda aos municípios.

O governador afirmou que entrará em contato com mais empresários para também garantir a ajuda, especialmente com mobiliário, às famílias mais atingidas. “Nós vamos ver com os empresários da área mobiliária a possibilidade eventual de algum tipo de doação, porque, um primeiro momento, é a recuperação da normalidade, um segundo, a recomposição das casas”, lembrou o governador.

Nesse período chuvoso Anastasia já visitou as cidades de Florestal, Ubá, Guidoval, Dona Euzébia, Muriaé, Ouro Preto e Além Paraíba para verificar os estragos causados pela chuva e levar a ajuda do Estado às populações.

Solidariedade

As entidades que doaram os produtos atenderam ao chamado do Movimento Minas Solidária, coordenado pelo Serviço Voluntário de Assistência Social (Servas) e da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil. Até agora, computadas as doações recebidas pelas entidades, já foram arrecadados mais de 530 toneladas de leite, material de higiene pessoal e de limpeza doméstica, colchões, fogões, roupas e roupas de cama e banho.

Participaram das doações dessa segunda-feira a Associação Mineira de Supermercados (Amis), Sistema Fecomércio/Sesc, Sistema Fiemg/Sesi, e as empresas  Super Nosso, Bretas/Cencosud, Extra, BH, Wall-Mart, Carrefour, EPA, Verdemar, Vilma Alimentos, Cemil, Itambé e Drogarias Araújo.

Fonte: Agência Minas

Blog do Anastasia – Governador Antonio Anastasia visita Além Paraíba

ALÉM PARAÍBA (11/01/12) – O governador Antonio Anastasia determinou nesta quarta-feira (11), durante visita a Além Paraíba, na Zona da Mata, novas medidas emergenciais nas áreas de transportes e obras públicas, saúde e abastecimento de água, para o retorno imediato à normalidade na cidade. Equipes do Departamento de Estradas de Rodagem (DER-MG) vão trabalhar na retirada de entulho para melhorar o acesso aos bairros atingidos.

Outra determinação é o início de estudo para construção de novo prédio para abrigar o Hospital São Salvador, localizado em área afetada pela chuva. O governador também determinou o envio de caminhões-pipa para o abastecimento de água, até que o serviço seja restabelecido pela Copasa.

Além Paraíba é uma das 127 cidades mineiras que decretaram situação de emergência, por causa das fortes chuvas. A Defesa Civil estadual registrou três óbitos e uma pessoa desaparecida na cidade. Desde segunda-feira, as equipes trabalham em ações emergenciais e de assistência humanitária para minimizar os efeitos dos temporais.

Essa é a segunda visita do governador Anastasia à Zona da Mata, a região mais castigada neste período chuvoso. Na semana passada, ele e o vice-governador Alberto Pinto Coelho estiveram em Ubá, Guidoval, Muriaé, Dona Euzébia, Cataguases e Visconde do Rio Branco.

“Todas as cidades merecem atenção absoluta do Governo de Minas. Já determinei, no caso de Além Paraíba, à equipe do DER a adoção de medidas imediatas, juntamente com a prefeitura, para o imediato retorno à normalidade das vias terrestres que foram as mais afetadas, com a retirada dos entulhos e, inclusive, de algo que é inacreditável, uma casa que foi trazida pela força das águas para dentro do córrego e está impedindo o curso normal das águas”, disse.

Hospital

O governador anunciou ter determinado à Secretaria de Estado de Saúde que, juntamente com a prefeitura, identifique uma área para a construção de um novo hospital. “O novo hospital deve estar longe da área das enchentes para deixar tranquila a população de Além Paraíba e da região, já que o hospital atende também municípios vizinhos”.

Anastasia conheceu o posto de comando da Coordenadoria de Defesa Civil de Minas Gerais (Cedec-MG), no parque de exposições, local de onde estão sendo coordenadas todas as ações integradas para minimizar os danos causados pela chuva na cidade. Ele se solidarizou com famílias que aguardavam atendimento no Lions Clube de Além Paraíba, ponto de coleta e distribuição de donativos.

Depois, o governador Anastasia, acompanhado do prefeito Wolney Freitas, do secretário de Estado de Transportes e Obras Públicas, Carlos Melles, e do coordenador da Defesa Civil Estadual, coronel Luis Carlos Dias Martins, visitou moradores das ruas Mangueiras e Joaquim Lopes, na Vila Caxias, uma das 15 regiões atingidas pelas enchentes e inundações. Ele ouviu críticas e sugestões para a melhoria das condições de vida da população.

“Estamos assistindo aqui, em Além Paraíba, uma situação muito triste. É praticamente um cenário de guerra que eu acabo de ver. O córrego Limoeiros transbordou, com impressionante força das águas. Só estando aqui para ver o que aconteceu. Casas destruídas, comércio destruído, lamentavelmente perdas de vidas humanas. As ruas foram completamente arrasadas. Temos de fazer agora um trabalho imediato de reconstrução e de volta à normalidade, que significa o abastecimento de água, que é nossa prioridade. Ao mesmo tempo, proporcionar atendimento médico, abastecimento de gêneros alimentícios, de tal modo que haja também o início da limpeza da cidade, especialmente das ruas que foram muito afetadas” afirmou.

Copasa

Por determinação do governador Anastasia, a Copasa está disponibilizando dez caminhões-pipa para o abastecimento de serviços essenciais, como hospitais, creches e unidades de saúde, até que o serviço seja normalizado. Locais onde estão desabrigados e desalojados também terão preferência no atendimento.

Segundo o diretor da Copasa, Valério Parreira, responsável pelo abastecimento de água na Zona as Mata e Leste mineiro, a companhia já enviou equipamentos pesados e 25 técnicos, e contratou equipes da própria região para recuperar um trecho de 48 metros de adutora que foi arrancada pelas fortes correntezas do rio Aventureiro.

“A força da água foi tão forte que oito tubos de 500 milímetros de diâmetro, seis metros de comprimento e pesando quase uma tonelada cada, que ficavam apoiados em uma estrutura de concreto que passava por sobre o ribeirão, foram arrastados”, disse. A expectativa da Copasa é que nesta quinta-feira (12) o serviço comece a ser normalizado, ainda que com uma produção reduzida em cerca de 50% da vazão normal.

Plano de Ações

Coordenada pela Cedec-MG, a força tarefa, que atua em Além Paraíba, é integrada por equipes do Corpo de Bombeiros, Polícia Militar, Copasa, Gerência Regional de Saúde, DER-MG, além de agentes de diversos órgãos da prefeitura municipal. Entre as principais tarefas planejadas está o trabalho contínuo de busca e resgate de uma pessoa desaparecida, a cargo do Corpo de Bombeiros. Outras em curso são a limpeza e desobstrução das ruas, avaliação dos danos materiais, recuperação de pontes.

Fonte: Agência Minas

Blog do Anastasia – Governo de Minas: força-tarefa no município de Guidoval ganha reforço do Exército Brasileiro

GUIDOVAL (06/01/12) – A força-tarefa criada para minimizar os efeitos da chuva em Guidoval, na Zona da Mata, e coordenada pela Defesa Civil Estadual (Cedec), ganhou nesta sexta-feira (6) o reforço de 37 homens do Exército Brasileiro. Uma equipe do 4º Batalhão de Engenharia de Combate de Itajubá foi deslocada para montar uma passarela flutuante sobre o rio Xopotó, que transbordou na segunda-feira passada. Equipes médicas, policiais e voluntários se revezam no atendimento à população da cidade, que conta duas mil pessoas desalojadas e 96 desabrigadas.

O secretário-executivo da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec-MG), coronel Eduardo Reis, explica que a montagem da passarela foi uma das 17 ações previstas para o dia. “A prefeitura, em parceria com cidades vizinhas, começou o serviço de limpeza da cidade. O Departamento de Estradas de Rodagem (DER-MG) continua o trabalho de melhoria dos acessos a Guidoval, via Rodeiro e Visconde do Rio Branco. A Copasa mantém o esforço de garantir o abastecimento de água para 100% da população. Aos poucos, as condições para o funcionamento da cidade estão sendo restabelecidas”, disse.

A missão do Exército é uma das diversas ações coordenadas pela força-tarefa, formada pela Cedec-MG, Prefeitura de Guidoval, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, DER-MG, Copasa e Gerência Estadual de Saúde.

De acordo com o tenente Diniz, engenheiro responsável pelo trabalho, a estrutura permite a passagem, ida e volta, de até 120 pessoas por minuto. “Acredito que será suficiente para atender à população, que se encontrava ilhada”, disse. A cheia do rio acabou destruindo a ponte, que era o principal acesso do município a Ubá. Agora, a redução das chuvas e a baixa do nível das águas do rio permitiram a abertura da travessia.

Integração

Tenente Diniz ressalta que a integração é fundamental para que a normalidade seja restabelecida. “Fizemos essa mesma operação ano passado, em Sabará, por causa da cheia do Rio das Velhas”, lembrou.

Além da montagem, o efetivo ficará responsável pelo controle da passagem de pedestres e ainda por possíveis serviços de manutenção. “Vamos ficar no local o tempo necessário para atender à população de Guidoval”, afirmou.

Voluntariado

Um grupo de estudantes, que pertencem à Ordem Demolay de Viçosa, também está dando sua contribuição a Guidoval. Munidos de pá, rodos, vassouras e mangueiras, eles ajudam na limpeza de casas e ruas atingidas pelas chuvas. “Nós sempre praticamos a filantropia”, disse o coordenador do grupo, Luiz Augusto Aguiar, doutorando em Ciência e Tecnologia de Alimentos, na Universidade Federal de Viçosa (UFV). Ele explica que a Ordem Demolay de Viçosa existe há 20 anos e é uma confraria ligada à maçonaria.

O tenente da PM Maury Arthur, responsável pela organização da logística de recebimento e distribuição de donativos, destacou a importância do voluntariado neste momento de crise. “O que chama a atenção é a solidariedade do povo mineiro, que vem respondendo às demandas dos mais necessitados em Guidoval”, disse.

Banco do Brasil

O início da limpeza da cidade permitiu a chegada de uma unidade móvel do Banco do Brasil para fazer o atendimento a aposentados, servidores públicos e correntistas de Guidoval. Por meio do posto, instalado na rua Padre Baião, região central do município, a população pode realizar saques de até R$ 500, pagar contas, consultar extratos e saldos. O chamado Comércio Eletrônico Fácil (Comef) ficará na cidade por um período de 15 dias.

Ex-servidor da prefeitura, o aposentado Celso Luiz da Silva ficou aliviado, pois depende de seu benefício para sobreviver. “Se não fosse esse banco, teria que ir até Ubá ou Rodeiro para receber minha aposentadoria”, disse.

Fonte: Agência Minas

Blog do Anastasia – Vice-governador dará início a operações em escritório estratégico na Zona da Mata

BELO HORIZONTE (06/01/12) – A partir desta segunda-feira (9), o Governo de Minas passará a contar com um escritório estratégico de apoio aos municípios afetados pelas chuvas. A unidade de apoio, que será integrada às ações da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil de Minas Gerais (Cedec-MG), funcionará em Ubá, na Zona da Mata. A iniciativa será desenvolvida em parceria com a União.
Os trabalhos do escritório serão abertos, às 14h, pelo vice-governador de Minas Gerais, Alberto Pinto Coelho, pelo coordenador da Defesa Civil Estadual, coronel Luis Carlos Dias Martins, e pelo diretor do Departamento de Minimização de Desastres da Secretaria Nacional de Defesa Civil, Rafael Schadeck. Técnicos do governo federal realizarão um workshop com gestores da região para o repasse de toda orientação necessária.
O escritório vai oferecer completo auxílio para que os prefeitos possam providenciar, conforme critérios legais, a documentação necessária para obtenção de recursos federais, além da análise de projetos de reconstrução, com o objetivo de agilizar as ações de enfrentamento ao período chuvoso. Os prefeitos também serão orientados sobre a aplicação adequada dos recursos e sobre a utilização do Cartão de Pagamento da Defesa Civil Nacional, distribuído às prefeituras para que elas possam normalizar a prestação dos serviços públicos essenciais à população.
O posto avançado irá funcionar na Câmara Municipal de Ubá.“Hoje, a maioria dos municípios afetados está na região da Zona da Mata. A partir desta segunda-feira (9), será implantada uma estrutura dos governos estadual e federal na cidade de Ubá, para que os técnicos do Estado e da União recebam os prefeitos e seus representantes, para que eles possam apresentar ao governo federal suas necessidades e, a partir dali, iniciarmos o processo de reconstrução. Esse trabalho vai ser feito pela equipe do governo federal porque os recursos serão federais. Todo esse processo será feito diretamente com municípios, evitando a intermediação no repasse das verbas de urgência”, destacou o coronel Martins.
Segundo a Cedec-MG, é fundamental que os municípios apresentem  o documento de avaliação de dados (Avadan), preparado pelas Coordenadorias Municipais de Defesa Civil (Comdec), e que  precisa ser agregado aos pedidos dos prefeitos à Secretaria Nacional de Defesa Civil. De acordo com coronel Luis Carlos Martins, esses projetos não irão requerer burocracia, porque deverão ser feitos e atendidos em caráter de emergência e poderão ser iniciados tão logo os projetos sejam aprovados pela Secretaria Nacional.
“Neste momento, está sendo realizado um apoio emergencial aos municípios atingidos. A orientação do governador Antonio Anastasia é de restabelecer a normalidade nos municípios, seja por meio das vias de acesso, do atendimento à saúde e apoiando as comunidades que foram atingidas diretamente, com ajuda humanitária, como distribuição de alimentos, água potável, material de limpeza e higiene pessoal. Vamos continuar com esse acompanhamento, com nossas equipes em todos os municípios. Então, temos que continuar nosso trabalho, emitir nossos alertas, orientar as cidades que eventualmente poderão ser atingidas e manter um atendimento específico e essencial a todos os municípios”, concluiu o coronel Martins.
Logo após a inauguração do escritório, o vice-governador irá até a cidade de Guidoval.
Fonte: Agência Minas

Blog do Anastasia – Governo de Minas adiantará recursos de assistência social para municípios

BELO HORIZONTE (06/01/12) –  O Governo de Minas vai adiantar os recursos do Piso Mineiro de Assistência Social dos próximos seis meses aos municípios que tiveram situação de emergência homologada pelo Estado e têm direito ao benefício em 2012. O Piso Mineiro consiste em um valor básico para o cofinanciamento estadual dos serviços e benefícios de assistência social, prestados pelo Centro de Referência de Assistência Social (Cras).

Cada município poderá utilizar o recurso de acordo com suas necessidades para serviços socioassistenciais, de acordo com as demandas e prioridades locais. Os valores que cada cidade receberá dependem de uma combinação que tem como critérios a população do município e o número de famílias cadastradas no perfil Cadastro Único para Programas Sociais (Cadúnico) do Ministério do Desenvolvimento Social.

Antecipação do Bolsa Família

A Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese) continua em negociação com o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) para estender a antecipação do pagamento do Bolsa Família para todos o municípios que decretarem estado de emergência. Até quinta-feira (5), a Secretaria conseguiu antecipar o recurso para as primeiras 52 cidades mais atingidas pelos temporais.

À medida que os municípios decretem oficialmente o estado de emergência, a Sedese vai solicitar o adiantamento do beneficio. Com a antecipação, o pagamento de janeiro e fevereiro que são feitos de forma escalonada, de 25 a 31 de cada mês, será efetuado de uma só vez para todos beneficiários. Em janeiro, o pagamento será no dia 18, e em fevereiro no dia 14.  Só nos 52 municípios, mais de 150 mil famílias recebem o benefício, que varia entre R$ 36 (mínimo) e R$ 306 (máximo).

Os moradores que perderam os documentos pessoais e o cartão do Bolsa Família terão que apresentar a “Declaração Especial de Pagamento”, expedida pelas prefeituras, por meio de uma guia individual.  A declaração é mensal e servirá para o pagamento do benefício do respectivo mês. Assim, deverão ser emitidas vias distintas para o pagamento de janeiro e fevereiro de 2012. No caso de beneficiário analfabeto, a prefeitura deverá colher  impressão digital do cidadão, no lugar da assinatura prevista na declaração.

Envio de equipes para apoio aos municípios afetados

A Sedese está encaminhando funcionários da Subsecretaria de Assistência Social aos municípios mais afetados pela chuva. Os assistentes sociais e psicólogos estão prestando apoio às prefeituras no sentido de organizar a logística nos abrigos e da distribuição de donativos (alimentos, roupas, remédios e água).

Os técnicos vão ficar nas cidades de Guidoval, Cataquases, Guiricema, Muriaé, Dona Euzébia, na Zona da Mata; Brumadinho, Congonhas e Belo Vale, na Região Central, o tempo que for necessário para atender emergencialmente às famílias desabrigadas. Segundo a subsecretária estadual de Assistência Social, Nívia Soares, a Sedese está trabalhando em conjunto com a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec) e à disposição para atender solicitações de outros municípios.