Gestão Anastasia: Fundação Helena Antipoff em Ibirité pode ser transformada em campus da UEMG

Além dos curos de licenciaturas, Universidade poderá oferecer também cursos de educação a distância

Divulgação/Sectes MG
Equipes da Sectes e da Uemg visitaram a instituição para acertar parceria
Equipes da Sectes e da Uemg visitaram a instituição para acertar parceria

Com o plano de expanção e fortalecimento do ensino superior público em Minas Gerais, o secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Narcio Rodrigues, esteve nessa terça-feira (7), com o reitor da Universidade do Estado de Minas Gerais (Uemg), Dijon Moraes, na Fundação Helena Antipoff (FHA), em Ibirité, para conhecer melhor a instituição e avaliar a possibilidade dela se tornar um campus da Uemg voltado para a licenciatura.

A presidente da FHA, professora Irene de Melo Pinheiro, apresentou toda a estrutura da escola e suas diretorias para as equipes da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sectes) e da Uemg. Após a reunião, os presentes visitaram o campus para conhecer as instalações.

“Estamos trazendo uma proposta para ser discutida com a Fundação Helena Antipoff. A Uemg está passando por uma completa reestruturação e o nosso objetivo é fortalecer a universidade e a fundação, constituindo aqui a Uemg – campus Helena Antipoff. Ao trazer a Uemg para dentro do complexo da FHA, potencializando a sua vocação em licenciaturas e aplicando, ainda, cursos de educação a distância, caminhamos mais para o nosso objetivo de consolidar a Uemg numa grande universidade estadual a serviço de Minas Gerais”, explicou Narcio Rodrigues.

“O projeto de estadualização das seis associadas à Uemg em Campanha, Carangola, Diamantina, Divinópolis, Ituiutaba e Passos nos transformará numa das maiores universidade públicas de Minas Gerais. A Fundação Helena Antipoff também é muito bem vinda aos braços da Uemg, que dará um salto ainda maior com a sua inclusão na nossa rede”, destacou o reitor da Uemg, Dijon Moraes.

Hoje, a Uemg tem aproximadamente seis mil alunos matriculados nos 32 cursos de graduação oferecidos. Além das cinco unidades em Belo Horizonte, a universidade mantém outros seis campi nos municípios de Barbacena, Frutal, João Monlevade, Leopoldina, Poços de Caldas e Ubá.

A partir de agora, o subsecretário de Ensino Superior, Fábio Kallas, estará à disposição para receber toda a direção e equipe administrativa da FHA, para esclarecer qualquer dúvida sobre a proposta. “Talvez, ainda neste semestre, possamos consolidar a inserção da FHA no sistema Uemg, sem abandonar nenhuma ação que a Fundação já vem conduzindo”, disse.

Fundação Helena Antipoff

O espaço que começou como escola rural em 1955 abriga hoje cerca de dois mil alunos matriculados em cinco cursos de licenciatura – Ciências Biológicas, Educação Física, Letras, Matemática e Pedagogia. A cada semestre, são ofertadas cerca de 350 vagas. Neste semestre, a Fundação terá ainda processo seletivo para dois cursos de pós-graduação: Educação Física Escolar e Língua Portuguesa e Literatura.

Em uma área total de quase 500 mil m², a Fundação Helena Antipoff mantém em funcionamento o Instituto Superior de Educação Anísio Teixeira (Iseat), onde são conduzidos os cursos de licenciatura e pós, e a Escola de Educação Básica Sandoval Soares de Azevedo, com 2.400 alunos. No espaço, também está instalada uma biblioteca comunitária, nove laboratórios, telecentro, quatro quadras esportivas, um ginásio coberto com piscina olímpica, auditório, horta e oficinas para trabalhos de pedagogia, psicologia, educação física e carpintaria.

Fonte: Agência Minas