Governo de Minas: governador em exercício visita Ibirité e determina conclusão de estudos para integrar FHA à Uemg

Interinamente à frente do governo, Dinis Pinheiro também entregou obras de construção de quadra poliesportiva

O governador em exercício, Dinis Pinheiro, foi recebido com festa nesta terça-feira (8) em Ibirité, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Durante evento na Fundação Helena Antipoff (FHA), Dinis assinou ato em que determina a conclusão dos estudos para encampação dos cursos superiores da instituição pela Universidade do Estado de Minas Gerais (Uemg).

O governador em exercício também premiou o município que, no ano passado, foi destaque no cumprimento das metas do Poupança Jovem, que tem o objetivo de estimular a capacidade de planejar o futuro e criar melhores condições de ingresso dos jovens que cursam o ensino médio no mercado de trabalho. Os estudantes que concluem o curso têm direito ao saque de bolsa no valor de R$ 3 mil. Na Escola Estadual João Antônio Siqueira, Dinis ainda entregou as obras de nova quadra poliesportiva.

Segundo o governador em exercício, Minas vai continuar a investir em educação para que a melhoria na qualidade de vida dos mineiros possa continuar constante. “É dessa forma que vamos continuar esse processo de revolução que vai melhorar o futuro do nosso povo”, afirmou.

Os cursos superiores oferecidos hoje pela Fundação Helena Antipoff — que têm 1700 alunos matriculados — são gratuitos desde 2009. São oferecidas na instituição 350 vagas semestrais para os cursos de Ciências Biológicas, Pedagogia, Matemática, Letras e Educação Física.

A presidente da fundação, Irene de Melo Pinheiro, agradeceu o esforço do Governo de Minasem transformar a instituição em novo campus da Uemg. “Sou uma das poucas testemunhas vivas. Em 1955, essa casa foi inaugurada para ser universidade. Só agora, nesse governo, o sonho vai ser realizado. A nossa gratidão é eterna, como eterna é a obra da educação”, afirmou.

A proposta para Ibirité sediar um campus da Uemg faz parte do projeto de expansão do ensino superior do Governo de Minas para ser concluído em 2014. “Inicia-se, nesta tarde, a realização de um sonho de todos. Era um sonho também da Uemg poder participar da construção do trabalho aqui realizado. A Uemg começa hoje a sua efetiva reestruturação. A determinação do governador Antonio Anastasia é de qualificar a Universidade Estadual e expandir o ensino superior em Minas Gerais. E estamos dando hoje o pontapé inicial”, afirmou o secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Narcio Rodrigues, durante a solenidade.

Poupança Jovem

O governador em exercício entregou ao prefeito de Ibirité, Laércio Marinho Dias, placa de melhor desempenho do programa Poupança Jovem em 2011. No ano passado, Ibirité ficou em primeiro lugar no ranking de execução das metas estipuladas pelo programa. Desde 2008, quando foi implantado no município, o Poupança Jovem atendeu 8.300 alunos. No ano passado, 1.832 jovens aderiram à iniciativa. A previsão, para este ano, é de que outros 2 mil alunos sejam atendidos na cidade.

Criado em 2007, o Poupança Jovem é destinado a estudantes do ensino médio público estadual que residem em municípios com alto índice de evasão escolar e vulnerabilidade social.

Além de Ibirité, o programa atende alunos de Ribeirão das Neves, Esmeraldas, Governador Valadares, Sabará, Montes Claros, Teófilo Otoni, Juiz de Fora e Pouso Alegre. O Poupança Jovem beneficiou 76.690 jovens, nos nove municípios. Até abril último, 7.690 alunos concluíram as atividades e receberam a bolsa.

Nova Quadra

O governador em exercício entregou também a quadra poliesportiva da Escola Estadual João Antônio Siqueira, para a qual o Governo de Minas destinou R$ 18,9 mil. A inauguração foi comemorada pelos alunos não apenas como importante espaço para a prática do esporte, mas também como lugar de convívio social e prática de atividades diversas de lazer.

A EE João Antônio Siqueira tem 27 anos e está localizada no bairro Washington Pires, uma das áreas mais carentes da cidade. A escola tem 364 alunos matriculados em turmas do ensino fundamental. Dentre os 40 servidores que formam o quadro de funcionários da escola, 26 são professores.

Programa Novo Somma

Durante o evento, foi assinado, ainda, contrato entre o Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG) e a Prefeitura de Ibirité visando à participação do município no Programa Novo Somma Urbaniza. Serão destinados R$ 15 milhões para financiar obras de melhoria no bairro Redenção e para construção de avenida sanitária no vale do Córrego do Fubá e da via de ligação do estádio municipal com a rua Ambrosina de Freitas. O prazo para pagamento é de até 15 anos, com juros de 4% ao ano mais correção pela Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP).

O Novo Somma é uma linha de crédito especial do BDMG para apoiar a modernização dos municípios e a melhoria da qualidade de vida da população mineira.

“Estamos tendo a oportunidade de anunciar um grande programa de investimento em infraestrutura com a canalização de córregos, pavimentação de vias e, sobretudo, um apoio maciço ao bairro Redenção, que é uma demanda antiga da cidade. Vai ser um bairro totalmente reestruturado, mais alegre, mais feliz e muito mais humano”, afirmou Dinis.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/governador-em-exercicio-visita-ibirite-e-determina-conclusao-de-estudos-para-integrar-fha-a-uemg/

Governo de Minas busca estratégias para ampliar a oferta de educação profissional

Unidade do Brasil Profissionalizado, em Ibirité, terá como objetivo refletir sobre novas possibilidades para enfrentar os desafios da educação
Divulgação/SEE
Secretária de Estado de Educação, Ana Lúcia Gazolla, durante reunião em Ibirité
Secretária de Estado de Educação, Ana Lúcia Gazolla, durante reunião em Ibirité

O Governo de Minas, por meio das secretarias de Estado de Educação (SEE) e de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sectes), estuda alternativas para ampliar as possibilidades de cursos técnicos para os profissionais da educação. A iniciativa se soma ao recente lançamento da Magistra, escola de formação e desenvolvimento profissional de educadores, inaugurada no dia 2 de fevereiro de 2012.

O projeto, que está em fase de elaboração, contará com o apoio da Fundação Helena Antipoff (FHA) e da Universidade do Estado de Minas Gerais (Uemg). Em reunião, realizada nesta sexta-feira (10), no campus da fundação, em Ibirité, foram definidos os coordenadores do grupo de trabalho que vai elaborar o plano de ações. A proposta é que a unidade se torne um centro de referência para profissionais da educação, capacitando e criando métodos inovadores para o novo cenário que se estabelece na educação.

A expectativa é de que a implantação da unidade em Ibirité se dê em sintonia com o Programa Brasil Profissionalizado. Esta iniciativa, do governo federal, possibilita a modernização e a expansão das redes públicas de ensino médio integradas à educação profissional, e os recursos repassados podem ser empregados em obras de infraestrutura, desenvolvimento de gestão, práticas pedagógicas e formação de professores.

“A ideia é que o ‘Brasil Profissionalizado’, aqui em Ibirité, seja parte de um sistema integrado entre as duas secretarias, a Fundação Helena Antipoff e a Universidade do Estado de Minas Gerais”, explicou a secretária de Estado de Educação, Ana Lúcia Gazzola. “O nosso objeto aqui será a escola, desde o ponto de vista da gestão até a capacitação técnica dos vários profissionais até a produção de material a ser usado com as tecnologias de informação hoje disponíveis para melhorar cada vez mais a qualidade do ensino e criar a oportunidade de emprego para os nossos jovens”, completou.

Para o secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Narcio Rodrigues, o projeto, que ainda está em fase embrionária, promete ser um grande passo para que a educação em Minas se desenvolva ainda mais. “Tenho certeza de que nós estamos dando um passo muito importante para fortalecer todas as instituições que estão envolvidas neste processo, começando pela fundação e indo até à Uemg e a Magistra. É um esforço gigantesco para que Minas crie condições de ter uma qualidade ainda maior no ensino”, destacou.

O que está sendo proposto é algo extremamente inovador, ou seja, que a unidade de Ibirité seja parte de um sistema integrado entre a Sectes, a SEE, a Uemg e a própria FHA, onde o campus para licenciaturas capacite em nível técnico os profissionais de educação. Haverá uma diferença das outras 12 unidades do Brasil Profissionalizado a serem implantadas em Minas Gerais, priorizando o desenvolvimento de metodologias, tecnologias sociais e pedagógicas, como aplicativos para smartphones e tablets e materiais didáticos.  O projeto entra em consonância com a proposta do Governo de Minas de expansão e fortalecimento do ensino, em todos os níveis, para melhorar cada vez mais a qualidade.

Fonte: Agência Minas

Gestão Anastasia: Fundação Helena Antipoff em Ibirité pode ser transformada em campus da UEMG

Além dos curos de licenciaturas, Universidade poderá oferecer também cursos de educação a distância

Divulgação/Sectes MG
Equipes da Sectes e da Uemg visitaram a instituição para acertar parceria
Equipes da Sectes e da Uemg visitaram a instituição para acertar parceria

Com o plano de expanção e fortalecimento do ensino superior público em Minas Gerais, o secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Narcio Rodrigues, esteve nessa terça-feira (7), com o reitor da Universidade do Estado de Minas Gerais (Uemg), Dijon Moraes, na Fundação Helena Antipoff (FHA), em Ibirité, para conhecer melhor a instituição e avaliar a possibilidade dela se tornar um campus da Uemg voltado para a licenciatura.

A presidente da FHA, professora Irene de Melo Pinheiro, apresentou toda a estrutura da escola e suas diretorias para as equipes da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sectes) e da Uemg. Após a reunião, os presentes visitaram o campus para conhecer as instalações.

“Estamos trazendo uma proposta para ser discutida com a Fundação Helena Antipoff. A Uemg está passando por uma completa reestruturação e o nosso objetivo é fortalecer a universidade e a fundação, constituindo aqui a Uemg – campus Helena Antipoff. Ao trazer a Uemg para dentro do complexo da FHA, potencializando a sua vocação em licenciaturas e aplicando, ainda, cursos de educação a distância, caminhamos mais para o nosso objetivo de consolidar a Uemg numa grande universidade estadual a serviço de Minas Gerais”, explicou Narcio Rodrigues.

“O projeto de estadualização das seis associadas à Uemg em Campanha, Carangola, Diamantina, Divinópolis, Ituiutaba e Passos nos transformará numa das maiores universidade públicas de Minas Gerais. A Fundação Helena Antipoff também é muito bem vinda aos braços da Uemg, que dará um salto ainda maior com a sua inclusão na nossa rede”, destacou o reitor da Uemg, Dijon Moraes.

Hoje, a Uemg tem aproximadamente seis mil alunos matriculados nos 32 cursos de graduação oferecidos. Além das cinco unidades em Belo Horizonte, a universidade mantém outros seis campi nos municípios de Barbacena, Frutal, João Monlevade, Leopoldina, Poços de Caldas e Ubá.

A partir de agora, o subsecretário de Ensino Superior, Fábio Kallas, estará à disposição para receber toda a direção e equipe administrativa da FHA, para esclarecer qualquer dúvida sobre a proposta. “Talvez, ainda neste semestre, possamos consolidar a inserção da FHA no sistema Uemg, sem abandonar nenhuma ação que a Fundação já vem conduzindo”, disse.

Fundação Helena Antipoff

O espaço que começou como escola rural em 1955 abriga hoje cerca de dois mil alunos matriculados em cinco cursos de licenciatura – Ciências Biológicas, Educação Física, Letras, Matemática e Pedagogia. A cada semestre, são ofertadas cerca de 350 vagas. Neste semestre, a Fundação terá ainda processo seletivo para dois cursos de pós-graduação: Educação Física Escolar e Língua Portuguesa e Literatura.

Em uma área total de quase 500 mil m², a Fundação Helena Antipoff mantém em funcionamento o Instituto Superior de Educação Anísio Teixeira (Iseat), onde são conduzidos os cursos de licenciatura e pós, e a Escola de Educação Básica Sandoval Soares de Azevedo, com 2.400 alunos. No espaço, também está instalada uma biblioteca comunitária, nove laboratórios, telecentro, quatro quadras esportivas, um ginásio coberto com piscina olímpica, auditório, horta e oficinas para trabalhos de pedagogia, psicologia, educação física e carpintaria.

Fonte: Agência Minas