Governo de Minas: Epamig Centro-Oeste promove discussão ambiental e ações visando popularizar a ciência

Ação faz parte da Semana de Ciência e Tecnologia e visou possibilitar que a população conheça e discuta os resultados, a relevância e o impacto das pesquisas científicas e tecnológicas

Divulgação/Epamig
Os participantes conheceram a Unidade Demonstrativa de Integração Lavoura-Pecuária e Floresta na Fazenda Experimental
Os participantes conheceram a Unidade Demonstrativa de Integração Lavoura-Pecuária e Floresta na Fazenda Experimental

Terminou, nesta quinta-feira (10), a Semana de Ciência e Tecnologia realizada pela Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig) na Fazenda Experimental Santa Rita, em Prudente de Morais, região Central do Estado. O evento, cujo tema foi “Mudanças climáticas, desastres naturais e prevenção de riscos”, contou com atividades gratuitas, como palestras, visitas técnicas, trilha ecológica, mostras de vídeos e oficina.

Em três dias de evento, os 150 estudantes de ensino médio, universitários, pesquisadores e técnicos da área ambiental puderam conferir palestras sobre mudanças climáticas, hortaliças e resgate da biodiversidade, educação ambiental, sequestro de carbono, vulnerabilidade e impactos climáticos nos recursos hídricos e química para um mundo melhor.

As atividades visaram estimular a difusão dos conhecimentos e o debate sobre as estratégias e maneiras de se enfrentar as mudanças climáticas e de prevenir riscos decorrentes de desastres naturais e de situações criadas pela ação humana.

Alunos da Escola Estadual João Rodrigues da Silva, de Prudente de Morais, participaram da palestra “Educação ambiental e mudanças climáticas” e, em seguida fizeram trilha ecológica na Fazenda Experimental. Durante o trajeto, os estudantes puderam conhecer diversas espécies vegetais e animais. Para a pesquisadora da Epamig, Andréia Fonseca, a trilha é ótima oportunidade para estudantes perceberem a biodiversidade brasileira. “Estima-se que no Brasil existam 1,8 milhão espécies, mas apenas 200 mil foram descritas pela ciência”, afirma.

Os participantes ainda puderam conhecer a área de pesquisa em Integração Lavoura-Pecuária e Floresta (ILPF) e visitaram o Banco de Germoplasma de Hortaliças Não Convencionais da Epamig Centro-Oeste, onde os participantes conheceram as espécies cultivadas, como: araruta, azedinha, almeirão-de-árvore, cansanção, jacatupé, mangarito, ora-pro-nóbis, peixinho e vinagreira, dentre outras.

A Semana de Ciência e Tecnologia teve como objetivo possibilitar que a população conheça e discuta os resultados, a relevância e o impacto das pesquisas científicas e tecnológicas em nossas vidas e suas aplicações. O evento é resultado do projeto de pesquisa “Semana Nacional de Ciência e Tecnologia para estudantes dos municípios de Prudente de Morais e Sete Lagoas de Minas Gerais”, de autoria da pesquisadora da Epamig, Nádia Nardely Parrela, com o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa de Minas Gerais (Fapemig) e do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI).

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/epamig-centro-oeste-promove-discussao-ambiental-e-acoes-visando-popularizar-a-ciencia/

Governo de Minas: Epamig lança novas cultivares de arroz durante dia de campo

O dia de campo de arroz acontece no dia 1º de março na Fazenda Experimental de Lambari, no Sul de Minas

A Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig) realiza no dia 1º de março, o dia de campo de arroz, que acontece na Fazenda Experimental de Lambari, no Sul de Minas. Durante o evento serão apresentadas duas novas cultivares de arroz desenvolvidas por pesquisadores da Epamig, em parceria com outras instituições de pesquisa, para cultivo em Minas Gerais. Os participantes conhecerão em dinâmica de campo as características dessas novas cultivares para cultivo em terras altas e várzeas.

Desde a década de 70 a Epamig desenvolve pesquisas de avaliação e seleção de linhagens e cultivares de arroz, realizadas em parceria com outras instituições. O programa de melhoramento genético dessas culturas alimentares busca desenvolver cultivares mais produtivas e com melhor aceitação no mercado.

Segundo o diretor de Operações Técnicas da Epamig, Plínio Soares, que é também melhorista de arroz, as pesquisas para desenvolvimentos das cultivares BRSMG Rubelita – cultivo em várzea e BRSMG Caçula – cultivo em terras altas – foram conduzidas por cerca de 10 anos, em diversas regiões do Estado.“Antes do lançamento de novas cultivares são realizadas avaliações de qualidade de grãos em termos de rendimento de grãos inteiros no beneficiamento dos materiais genéticos, além de pesquisa de aceitação do produto por donas de casa, quanto à textura, sabor e aroma após o cozimento”, explica o pesquisador.

A cultivar Rubelita, testada por pesquisadores da Epamig e Embrapa Arroz e Feijão, é recomendada para plantios em condições de irrigação por inundação em várzea. Já a cultivar Caçula, pesquisada pela Epamig, Embrapa Arroz e Feijão e Universidade Federal de Lavras (Ufla), é indicada para terras altas com ou sem irrigação por aspersão. Essas cultivares apresentaram adaptabilidade e estabilidade de produção em diversas regiões de Minas Gerais.

As pesquisas foram viabilizadas através de projetos de pesquisas aprovados pela Fundação de Amparo à Pesquisa de Minas Gerais (Fapemig) e Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), que apoiaram tanto em aporte financeiro, quanto em bolsas de produtividade e iniciação científica.

Segundo Plínio, a produção de arroz e feijão em Minas Gerais é realizada, principalmente, por pequenos produtores, mas as cultivares de arroz desenvolvidas pela Epamig atendem do pequeno ao grande orizicultor. Ele explica que para o pequeno produtor, que tem menos capacidade de assumir riscos, é fundamental realizar o plantio na época correta, que deve ser concentrado em outubro e novembro. O pesquisador também alerta para outro importante aspecto: o ponto ideal da colheita. “Deve ocorrer quando os grãos da panícula estão verde-amarelados”, explica.

Melhoramento genético em arroz

Recentemente aprovado pela Fapemig, o projeto “Avaliação, seleção e recomendação de cultivares e linhagens de arroz irrigado em Minas Gerais” dará continuidade aos trabalhos desenvolvidos no programa de melhoramento genético do arroz da Epamig. O projeto, de autoria do pesquisador Plínio Soares, testará novas linhagens e cultivares adaptadas às condições de várzeas.  Serão realizados ensaios de avaliação nas Fazendas Experimentais da EPAMIG em: Lambari (Sul de Minas), Leopoldina (Zona da Mata) e Nova Porteirinha (Norte de Minas). A previsão para conclusão desse projeto é de dois anos. Os resultados esperados são lançamentos de cultivares mais tolerantes às principais pragas e enfermidades e que possuam grãos longos e finos, agulhinha, de boa qualidade industrial e de cozimento.

Serviço:

Dia de Campo de Arroz em Lambari – Sul de Minas Gerais

Data: 1° de março de 2012

Horário: 8h às 11h

Local: Fazenda Experimental da Epamig – Rodovia BR 460, Km 10 – Nova Baden

Informações: (35) 3271-1381 / felb@epamig.br

Fonte: Agência Minas