Governo de Minas: Epamig Centro-Oeste promove discussão ambiental e ações visando popularizar a ciência

Ação faz parte da Semana de Ciência e Tecnologia e visou possibilitar que a população conheça e discuta os resultados, a relevância e o impacto das pesquisas científicas e tecnológicas

Divulgação/Epamig
Os participantes conheceram a Unidade Demonstrativa de Integração Lavoura-Pecuária e Floresta na Fazenda Experimental
Os participantes conheceram a Unidade Demonstrativa de Integração Lavoura-Pecuária e Floresta na Fazenda Experimental

Terminou, nesta quinta-feira (10), a Semana de Ciência e Tecnologia realizada pela Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig) na Fazenda Experimental Santa Rita, em Prudente de Morais, região Central do Estado. O evento, cujo tema foi “Mudanças climáticas, desastres naturais e prevenção de riscos”, contou com atividades gratuitas, como palestras, visitas técnicas, trilha ecológica, mostras de vídeos e oficina.

Em três dias de evento, os 150 estudantes de ensino médio, universitários, pesquisadores e técnicos da área ambiental puderam conferir palestras sobre mudanças climáticas, hortaliças e resgate da biodiversidade, educação ambiental, sequestro de carbono, vulnerabilidade e impactos climáticos nos recursos hídricos e química para um mundo melhor.

As atividades visaram estimular a difusão dos conhecimentos e o debate sobre as estratégias e maneiras de se enfrentar as mudanças climáticas e de prevenir riscos decorrentes de desastres naturais e de situações criadas pela ação humana.

Alunos da Escola Estadual João Rodrigues da Silva, de Prudente de Morais, participaram da palestra “Educação ambiental e mudanças climáticas” e, em seguida fizeram trilha ecológica na Fazenda Experimental. Durante o trajeto, os estudantes puderam conhecer diversas espécies vegetais e animais. Para a pesquisadora da Epamig, Andréia Fonseca, a trilha é ótima oportunidade para estudantes perceberem a biodiversidade brasileira. “Estima-se que no Brasil existam 1,8 milhão espécies, mas apenas 200 mil foram descritas pela ciência”, afirma.

Os participantes ainda puderam conhecer a área de pesquisa em Integração Lavoura-Pecuária e Floresta (ILPF) e visitaram o Banco de Germoplasma de Hortaliças Não Convencionais da Epamig Centro-Oeste, onde os participantes conheceram as espécies cultivadas, como: araruta, azedinha, almeirão-de-árvore, cansanção, jacatupé, mangarito, ora-pro-nóbis, peixinho e vinagreira, dentre outras.

A Semana de Ciência e Tecnologia teve como objetivo possibilitar que a população conheça e discuta os resultados, a relevância e o impacto das pesquisas científicas e tecnológicas em nossas vidas e suas aplicações. O evento é resultado do projeto de pesquisa “Semana Nacional de Ciência e Tecnologia para estudantes dos municípios de Prudente de Morais e Sete Lagoas de Minas Gerais”, de autoria da pesquisadora da Epamig, Nádia Nardely Parrela, com o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa de Minas Gerais (Fapemig) e do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI).

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/epamig-centro-oeste-promove-discussao-ambiental-e-acoes-visando-popularizar-a-ciencia/

Anúncios

Gestão em Minas: projeto Da Gema é encerrado com a entrega de produtos inovadores feitos a partir de resíduos

Durante o projeto em Coronel Murta, foram desenvolvidos 48 protótipos que contemplam souvenires, objetos de adorno, decorativos e utilitários

Mara Guerra
O projeto possibilitou a inserção estratégica do design em todo o processo de elaboração dos produtos
O projeto possibilitou a inserção estratégica do design em todo o processo de elaboração dos produtos

O Projeto Da Gema – Itaporarte, coordenado pelo Centro Minas Design (CMD), ligado à Universidade do Estado de Minas Gerais (Uemg), na cidade de Coronel Murta, no Vale do Jequitinhonha, chega ao fim com o desenvolvimento de 48 protótipos inovadores. Desde 2010, ele possibilitou associar resíduos, design e trabalho.

A ação do CMD capacitou 40 jovens e dois lapidários, que se tornaram artesãos minerais empreendedores. Por meio do Laboratório Itaporarte de Lapidação e Artesanato Mineral – pertencente à Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig) e à Uemg – foi apresentada uma atividade aos habitantes da região, com a criação de joias e adornos de descartes de feldspato e turmalina, mineral encontrado em grande quantidade na cidade.

O incentivo do Da Gema – Itaporarte possibilitou o desenvolvimento de um artesanato profissionalizado, com a inserção estratégica do design em todo o processo de elaboração dos produtos. Os 48 protótipos desenvolvidos contemplam quatro linhas de produtos: souvenires, objetos de adorno, objetos decorativos e objetos utilitários.

Para o consultor do projeto, o designer Adriano Mol, o Da Gema permitiu alcançar de forma definitiva a maturidade do laboratório Itaporarte, possibilitando um convênio com a prefeitura da cidade de dez anos de cessão do espaço.

“Por intermédio do Centro Minas Design, o Sebrae fez um diagnóstico e deve também apoiar as atividades do Itaporarte. O trabalho tem sido construído desde o início de uma perspectiva do design integrado, contemplando aspectos produtivos, materiais e iconográficos da região, para chegarmos ao resultado apresentado: produtos de joalheria contemporâneos, sustentáveis e voltados ao empreendedorismo social”, afirmou.

A profissionalização dos participantes ocorreu com treinamento em lapidação e em pintura com pigmentos retirados da terra, uso de maquinário específico, processos e sustentabilidade.

A conclusão do projeto proporcionou a geração de novas oportunidades de negócios e o aumento de renda da população de Coronel Murta e região. O Da Gema – Itaporarte foi financiado pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sectes) e pela (Fapemig).

Gestão Anastasia: Governo de Minas e parceiros mostram sequenciamento do zebu leiteiro

O projeto, inédito no mundo, significa informações expressivas para o melhoramento genético dos rebanhos

Divulgação/Sectes MG
Criadores  e pesquisadores assistem à apresenção do sequenciamento do genoma do zebu leiteiro
Criadores e pesquisadores assistem à apresenção do sequenciamento do genoma do zebu leiteiro

Apesar da forte tradição, Minas Gerais sabe que pode avançar ainda mais em muitas áreas ao agregar conhecimento e tecnologia aos produtos. Na genética bovina, sob a liderança do Polo de Excelência da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sectes), foi apresentado, nesta sexta-feira (4), durante a 78ª Expozebu, em Uberaba, Triângulo Mineiro, o sequenciamento do genoma do zebu leiteiro. O projeto, inédito no mundo, significa informações expressivas para o melhoramento genético dos rebanhos.

O Governo de Minas investiu R$ 1,3 milhão desde 2009 no projeto, por meio da Sectes e da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig). A parceria na execução do projeto contou com uma rede de pesquisadores da Embrapa Gado de Leite, Centro de Bioinformática (Cebio/Fiocruz Minas), Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig), Associação Brasileira dos Criadores de Zebu (ABCZ), Associação dos Criadores da Raça Guzerá (ABCG) e Associação de Criadores da Raça Gir (ABCGIL).

O estudo foi apresentado pelos pesquisadores Marcos Vinicius Barbosa (Embrapa Gado de Leite) e Guilherme Oliveira (Fiocruz Minas). Eles expuseram a utilidade do sequenciamento para a pecuária leiteira nacional, visando a uma maior eficiência do setor. Guilherme Oliveira ressaltou que o trabalho não se encerra com uma versão apenas, e lembrou que o genoma humano já se encontra na versão de número 37. Explicou também que todo o processamento de bilhões de informações está sendo possível, por meio da infraestrutura construída na Fiocruz Minas (Cebio), com boa parte dos recursos do governo mineiro.

A gerente executiva do Polo de Genética, Beatriz Cordenonsi, disse que a obtenção do genoma do zebu leiteiro representa um marco na história da pecuária brasileira, pois vai permitir, num futuro próximo, a identificação de genes de relevância econômica para incrementar os sistemas de produção nacional. O chefe geral da Embrapa Gado de Leite, Duarte Vilela, e o diretor de Relações Internacionais da ABCZ, Rafael Cunha Mendes, expuseram a parceria no projeto e reconheceram a importância dele para o Brasil ganhar mais competitividade e qualidade no seu rebanho.

Representando o secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Narcio Rodrigues, a superintendente de Ciência, Tecnologia e Inovação Ambiental, Déa Fonseca, homenageou pesquisadores integrantes da rede que estavam presentes no evento. Ela falou sobre a importância do Governo de Minas apoiar a ciência para entregar os produtos à sociedade, mas não se esqueceu de valorizar as parcerias com instituições e entidades para grandes conquistas como a do sequenciamento genético do zebu leiteiro.

Lançamento do livro

Também foi lançado pelo Polo de Excelência em Genética Bovina da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, o livro “Genética Bovina Brasileira: Mercado Internacional e Mapeamento das Competências e Tecnologias Mineiras”. A publicação estará disponível para os interessados na sede do Polo em Uberaba. Posteriormente também estará em formato eletrônico na internet.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/governo-de-minas-e-parceiros-mostram-sequenciamento-do-zebu-leiteiro/

Governo de Minas: Anastasia participa da abertura da Expozebu, maior feira de agronegócio do mundo

Governador defendeu o desenvolvimento constante da tecnologia no agronegócio em Minas para melhoria da economia do Estado e da qualidade de vida das pessoas

Na abertura do evento, Anastasia destacou a importância da feira para Minas Gerais e para o Brasil

O governador Antonio Anastasia participou, nesta quinta-feira (03), em Uberaba, no Triângulo Mineiro, da abertura oficial da Exposição Internacional das Raças Zebuínas, ExpoZebu 2012, uma das maiores feiras de genética, tecnologia e negócios do mundo, promovida anualmente pela Associação Brasileira dos Criadores de Zebu (ABCZ). A ExpoZebu reúne as cadeias produtivas da carne e do leite do Brasil, além de empresas de diversos segmentos, especialmente as vinculadas ao agronegócio.

Anastasia destacou a importância da feira para Minas Gerais e para o Brasil. “A cada ano, no dia 3 de maio, nesse solo sagrado de Uberaba nos reunimos para uma cerimônia que é emocionante e que, fundamentalmente, representa a realização e a consagração de um dos ramos mais prósperos do nosso agronegócio. Desde a década de 1930, quando o presidente Getúlio Vargas, aqui, lançou as raízes e as sementes de um projeto, esse segmento se expandiu muito. Hoje temos a consagração, uma exposição com diversas e inúmeras raças do nosso gado para demonstrar de modo cabal a Minas, ao Brasil e ao mundo, a capacidade de realização de investimentos fundamentais não só para a alimentação, mas para a preservação da vida e o desenvolvimento da raça humana”, afirmou.

Esta é a 78ª edição da feira, cujo tema é o “Zebu: o futuro em boas mãos”. A sustentabilidade, com ênfase nas questões referentes ao setor pecuário, está entre os assuntos abordados. A temática envolve reflexões sobre a pecuária sustentável, especialmente motivada pela realização da Rio +20, conferência internacional sobre desenvolvimento sustentável, que ocorrerá no mês que vem no Brasil.

A expectativa é que a feira mantenha os bons números alcançados na edição de 2011, quando foram movimentados cerca de R$ 100 milhões. Em 2012, a ExpoZebu deverá reunir aproximadamente 3.000 bovinos e um público próximo de 300 mil pessoas, incluindo visitantes de mais de 20 países.

“Quando o campo produz bem, quando ele tem o reconhecimento da sociedade, observamos um circulo virtuoso da economia em todos os segmentos, porque aí as cidades menores e médias tem uma produção econômica importante a alimentar toda uma cadeia produtiva que inclui o comércio e a indústria”, lembrou Anastasia, destacando a importância do desenvolvimento do setor.

Certificação

Além do segmento de carnes, Minas Gerais agora terá leite, pescado e ovos reconhecidas dentro do Sistema Unificado de Atenção à Sanidade Agropecuária (Suasa), do Ministério da Agricultura. Por meio de portaria, assinada durante o evento pelo ministro Mendes Ribeiro, o Instituto Mineiro de Agropecuário (IMA) está sendo integrado ao Sistema Brasileiro de Inspeção de Produtos de Origem Animal (Sisbi-Poa), do Suasa. A equivalência foi concedida pelo Ministério após uma auditoria na sede da Gerência de Inspeção de Produtos do IMA, na coordenadoria regional de Curvelo e em sete estabelecimentos.

“Neste ano de 2012, estamos chegando em um patamar tecnológico que nos permite muito mais conforto e tranquilidade. Essa portaria é o reconhecimento não só dos nossos avanços tecnológicos, mas também demonstra a capacidade e a eficiência desse setor em Minas. A inclusão desses dados vai facilitar em muito a vida dos produtores rurais e a expansão do setor em nosso Estado”, afirmou o governador.

Com a adesão ao sistema, os municípios do Estado podem qualificar indústrias locais que poderão comercializar sua produção para todo o país. Os fabricantes de produtos de origem animal receberão um selo que identifica os estabelecimentos, ou indústrias de alimentos, incluídos no Sisbi-Poa. A medida beneficia especialmente os pequenos agricultores.

O ingresso no Suasa é voluntário e pode ser solicitado nas Superintendências Federais de Agricultura (SFAs). Para obter a equivalência, é necessário comprovar a aptidão para certificar a qualidade e a inocuidade dos produtos de origem animal com a mesma eficiência do Ministério da Agricultura. Atualmente, quatro estados (Bahia, Minas Gerais, Paraná e Rio Grande do Sul), sete serviços municipais, entre eles o de Uberlândia, e um consórcio de municípios (Consad – São Miguel do Oeste-SC) já aderiram ao Sistema.

Genoma Zebuínos

Anastasia anunciou, também, a conclusão do estudo de sequenciamento do Genoma de Zebuínos Leiteiros – raça Gir e Guzerá. Financiado pelo Governo de Minas, por meio da Fapemig, que investiu cerca de R$1,3 milhão, o projeto vai gerar e processar informações para estudos do genoma zebuíno leiteiro, incorporando-as aos programas de melhoramento genético. O projeto é o primeiro esforço significativo, no Brasil e no mundo, para geração e análise de sequências do genoma desses animais com tecnologias de última geração.

“A conclusão de parte desse belíssimo projeto, com o sequenciamento genético, vai identificar de forma mais precisa essas matrizes, permitindo um aperfeiçoamento genético e desenvolvendo cada vez mais as raças do gado. A tecnologia está a nosso dispor e ela nos permite avançar”, afirmou Anastasia

A obtenção do Genoma do Zebu Leiteiro será um marco na história da pecuária brasileira, porque permitirá, num futuro próximo, identificar genes de relevância econômica nos animais para incrementar os sistemas de produção de leite nacional. Oitenta por cento do rebanho brasileiro advém de genética zebuína ou de seus mestiços, enquanto 70% do leite do país vêm de rebanhos com diferentes graus de sangue zebu em sua composição.

Minas e o agronegócio

O Governo de Minas tem implantadas diversas ações para melhorar e qualificar cada vez mais a produção do agronegócio no Estado. Minas Gerais abriga o segundo maior rebanho bovino do país, com 23,8 milhões de cabeças, sendo também o maior produtor de leite do país, com 8,4 bilhões de litros/ano.

Em 2011, o produto interno bruto do agronegócio mineiro foi de R$ 118 bilhões. Os primeiros estudos apontam para expansão neste ano, sendo que, segundo o Cepea/USP, em janeiro foi registrado crescimento de 0,2%. O levantamento do Cepea/USP leva em consideração quatro grupos: atividades primárias (dentro da porteira), agroindústria, insumos e distribuição.

O Valor Bruto da Produção (VBP) Agrícola de Minas Gerais, que é a soma dos valores das 20 principais culturas do Estado, deve alcançar neste ano R$ 24,5 bilhões, ou seja, 10,4% superior ao de 2011. Já a produção de grãos na safra 2012 deverá ser recorde. O volume esperado é de 11,9 milhões de toneladas, 11,4% superior ao da safra de 2011. As principais culturas irão registrar crescimento: milho, soja, feijão. Para a produção nacional a expectativa é de queda de 2,2%.

A produção de cana-de-açúcar deve alcançar 54,4 milhões de toneladas, volume 9,1% superior ao registrado na safra passada. Minas Gerais é o segundo maior produtor de cana do país. A expectativa é de que a produção de café fique entre 35,5 milhões e 27,1 milhões de sacas (60 quilos). Minas é o maior produtor do país.

“Os números são bons, bem melhores que a média brasileira. Mas isso não pode nos fazer descansar em louros de vitória. Ao contrário, só pode nos aguçar mais a inspiração, a ousadia, o empreendedorismo e ampliar os esforços para susperarmos as dificuldades e conseguirmos resultados positivos em favor dos cidadãos de Minas e do Brasil, por meio de uma agropecuária moderna, avançada e inclusiva”, concluiu Anastasia.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/anastasia-participa-da-abertura-da-expozebu-maior-feira-de-agronegocio-do-mundo/

Governo de Minas: acordo de cooperação visa à certificação de construções sustentáveis

Convênio prevê a implantação do Instituto Bioerg, que terá o papel de agência reguladora e certificadora

Divulgação / Fiemg
Acordo de cooperação técnica vai garantir certificação à indústria de construções sustentáveis
Acordo de cooperação técnica vai garantir certificação à indústria de construções sustentáveis

O Governo de Minas, a Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg) e a Agência para a Energia de Portugal assinaram nesta sexta-feira (27) um acordo de cooperação técnica para estimular o uso de energias renováveis com o objetivo de gerar oportunidades de negócios e conforto ao cidadão. O convênio prevê a criação e implantação do Instituto Bioerg, que será uma agência reguladora e certificadora governamental, para estabelecer um programa de Edificações Sustentáveis, de Energia Renovável, de Eficiência Energética e Mobilidade Elétrica em âmbito estadual. O Bioerg será o responsável pelo Projeto de Energia Inteligente e Sustentabilidade do Estado de Minas Gerais.

A iniciativa é liderada pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, com a participação da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig), Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig), Fundação Centro Tecnológico de Minas Gerais (Cetec), Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg) e a Agência para a Energia do Governo da República de Portugal  (Adene).

O secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Narcio Rodrigues, considera que a experiência portuguesa será fundamental para que Minas Gerais possa regulamentar e certificar a nascente indústria de edificações sustentáveis. “Vamos promover o crescimento econômico e social, potenciado pelos recursos naturais e energéticos que o Estado dispõe. O mais importante para o Governo de Minas no que diz respeito à eficiência energética é a integração com a Federação das Indústrias, que está criando um distrito industrial para a área de construção”, com a perspectiva de criação da Escola de Construção.

As metas do acordo de cooperação são qualificar recursos humanos para a governança e gestão das atividades inerentes ao Instituto Bioerg; desenvolver estudos que indiquem soluções tecnológicas inovadoras e econômicas, social e ambientalmente relevantes para o Estado de Minas Gerais; realizar outras ações que possam contribuir para o desenvolvimento de projetos cooperativos entre os signatários e que visem promover a inovação, melhoria da qualidade ambiental, a eficiência energética e o crescimento econômico e social no Estado de Minas Gerais.

Para o presidente da Fiemg, Olavo Machado Junior, o acordo de cooperação técnica é uma grande oportunidade para a indústria mineira. “O Instituto Bioerg é da maior importância, criando novos nichos de mercado para a indústria mineira. Vamos ganhar mais eficiência com a experiência da Adene”, afirmou. O vice-presidente da Cemig, Arlindo Porto Neto, disse que a empresa está orgulhosa de participar do Bioerg, uma iniciativa governamental para oferecer condições necessárias ao desenvolvimento. “Quero destacar e referendar o projeto que aqui estou assinando, resultado da política de ciência e tecnologia que gera o desenvolvimento econômico e social, com a preocupação de agregar valor ao produto industrial mineiro”.

O Bioerg vai estruturar ações concretas de estímulo ao desenvolvimento do conhecimento na área de energia renovável, incluindo a participação de instituições de pesquisa e ensino superior. Segundo o secretário, a Adene promove projetos de edificações sustentáveis, de energia renovável e de eficiência energética na Europa, tendo-se especializado na regulamentação e certificação de produtos nessa área, podendo contribuir decisivamente para a internacionalização de ações a serem empreendidas em Minas Gerais.

O Conselho Gestor do Bioerg será constituído por sete membros, sendo três representantes indicados pela Sectes; um representante indicado pela Fiemg; um representante indicado pelo Senai; um representante indicado pela UFMG e um representante indicado pela Cemig. O Conselho Gestor funcionará em instalações da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/acordo-de-cooperacao-visa-a-certificacao-de-construcoes-sustentaveis/

Governo de Minas: Fapemig lança novo edital em parceria com Canadá

Serão disponibilizados R$1,2 milhão para o financiamento projetos elaborados em associação entre empresas de Minas Gerais e do Canadá

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig) publicou nesta quinta-feira (26) o Edital 11/2012, em parceria com o International Science and Technology Parnership Canada (ISTP Canda). O objetivo é fomentar projetos de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (PDIs) de empresas mineiras e canadenses para a introdução de novos produtos, processos e/ou serviços no mercado destes países. A FAPEMIG irá disponibilizar R$1,2 milhão para financiamento das propostas aprovadas.

O ISTP é uma entidade ligada ao governo canadense que busca implementar projetos de pesquisa e desenvolvimento em cooperação com países parceiros. A novidade deste edital é o foco nas empresas: o financiamento destina-se a projetos elaborados em associação entre empresas de Minas Gerais e do Canadá.

“Geralmente, empresas de um mesmo segmento já possuem um diálogo, mas não possuem recursos para desenvolver suas propostas. O objetivo do programa é garantir meios para que tais projetos possam sair do papel”, explica Flávia Cerqueira, assessora de cooperação internacional da FAPEMIG. Serão apoiadas propostas desenvolvidas para as seguintes linhas temáticas: tecnologia de comunicação e inovação; ciências da vida, energia verde e tecnologia limpa.

As propostas devem ser submetidas à FAPEMIG em versão eletrônica e preenchidas em português, no aplicativo AgilFap (www.agilfap.fapemig.br) até o dia 30 de julho. Importante destacar que o valor individual de cada proposta não pode ser superior a R$300 mil. Outras informações pelo e-mail: ci@fapemig.br .

O ISTP disponibiliza, para conhecimento, o formulário que será utilizado pelas empresas canadenses para submissão de propostas e um manual com orientações para preenchimento, que podem ser acessadas na página do ISTP Canada.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/fapemig-lanca-novo-edital-em-parceria-com-canada/

Governo de Minas: Fapemig realizará Oficina de Prioridades de Pesquisa do Edital PPSUS Redes

Comunidade científica poderá contribuir para a definição dos cinco temas prioritários

Uma edição especial do Edital PPSUS, que será lançado em breve e contemplará a área de Gestão em Saúde, receberá R$ 8 milhões. A comunidade científica poderá contribuir para a definição dos cinco temas prioritários. Para isso, será organizada nesta sexta-feira (27) a Oficina de Prioridades de Pesquisa – Edital PPSUS Redes, promovida pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig) em parceria com a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) e o Ministério da Saúde. O evento acontece, a partir das 9h, no auditório Carlos Ribeiro Diniz, rua Raul Pompéia, 101, bairro São Pedro, Belo Horizonte.

Durante todo o evento os pesquisadores terão a oportunidade de debater com as equipes técnicas das três instituições e contribuir para a definição das linhas de pesquisas do edital PPSUS Redes. Além disso, será ministrada a palestra: “Desafios do SUS em Minas gerais: uma visão a luz dos instrumentos de gestão e da legislação vigente.”

O programa

O PPSUS é um programa de incentivo à pesquisa, viabilizado por meio da parceria entre instâncias estaduais e federais de saúde e de ciência e tecnologia. O seu principal objetivo é financiar pesquisas referentes a temas considerados como prioridades para a saúde, cujas estratégias desenvolvidas sejam capazes de dar resposta aos principais problemas de saúde da população que necessitam do conhecimento científico para sua resolução.

A cada dois anos, um edital é lançado no Estado para financiamento de pesquisas conforme a temática definida para aquele período. Para o ano de 2012, foi definida a temática: Redes de Atenção à Saúde.

Serviço:

Oficina de Prioridade Científica

Data: 27/04/2012

Local: Auditório Carlos Ribeiro Diniz, Rua Raul Pompéia, 101, São Pedro, Belo Horizonte.

Informações e confirmação de presença (31) 3280 2102 / (31) 3916 0684

flaviafaria@fapemig.br / helton.barros@saude.mg.gov.br

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/fapemig-realizara-oficina-de-prioridades-de-pesquisa-do-edital-ppsus-redes/

Gestão Anastasia: Governo de Minas incentiva fruticultura na região das Vertentes

Plantio de fruteiras de clima temperado é opção para agricultura familiar e geração de trabalho e renda
Marco Evangelista/Imprensa MG
O pesquisador Paulo Norberto tem boas expectativas com relação ao plantio da figueira na região
O pesquisador Paulo Norberto tem boas expectativas com relação ao plantio da figueira na região

O cultivo de maçã, uva e figo vem ganhando espaço entre os produtores rurais do Campo das Vertentes. Isso graças ao incentivo do Governo de Minas que, desde 2007, desenvolve a fruticultura na região. Por meio da Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig), foram implantadas 21 unidades demonstrativas, distribuídas nas cidades de São João del-Rei, Barroso, Tiradentes, Prados, Resende Costa, Coronel Xavier Chaves, Lagoa Dourada, Carandaí e Piedade do Rio Grande.

O pesquisador da Epamig, Paulo Márcio Norberto, que realiza o trabalho da fruticultura juntamente com outros dois pesquisadores, conta que as unidades demonstrativas são instaladas em propriedades particulares. “Essas propriedades contempladas estão sempre abertas à comunidade, servindo de modelo para outros produtores interessados em aprender e entrar na atividade, possibilitando o acompanhamento de todo o processo de produção, desde o plantio até a colheita”, explica.

Segundo ele, a fruticultura representa uma boa alternativa para a região. “Como o fluxo de turistas é grande e a região tem um forte apelo turístico, favorece a possibilidade de colocação de produtos no mercado, inclusive com agregação de valor, como doces em calda, geleias e cristalizados”, avalia. O plantio das fruteiras de clima temperado é também uma opção diferente das usuais, principalmente na agricultura familiar. “Hoje, muitos produtores locais já aderiram e estão colhendo os frutos, o que possibilita um incremento significativo em suas rendas e, além de ocupar a mão de obra familiar, acaba gerando novos postos de trabalho em suas comunidades”, afirma o pesquisador da Epamig.

Em Coronel Xavier Chaves, o produtor Antônio Catarino de Almeida possui uma unidade demonstrativa de videira há um ano. Ainda não foi possível comercializar a uva, mas ele acredita que em dois anos a produção já seja satisfatória. “Está sendo uma boa experiência e a expectativa é boa, acho que vai dar certo”, diz. Catarino recebeu da Epamig 200 mudas para iniciar a plantação. “Desde então, o técnico vem aqui, explica como é a manutenção, orienta, apoia muito o nosso trabalho. Com certeza vai ser possível aumentar nossa renda, porque a região não tem muito esse tipo de plantação”, conclui o agricultor. Ele conta com a ajuda do filho para cuidar das videiras e das outras cultivares que possui na propriedade, que inclui mexerica, baroa, mandioca e inhame.

Apoio técnico

Ilceu Carvalho, produtor de Prados, também recebeu apoio técnico para o plantio de uva e figo e, em 2011, fez sua melhor colheita. “Tive uma produção de cerca de 700 kg de uva e vendi 500 kg in natura, que é a forma mais lucrativa. Todo mundo elogiou a qualidade”, conta. Agora, Ilceu quer aumentar a produção. “Quero ver se consigo colher duas vezes ao ano, em vez de apenas uma. Minha meta é uma colheita no meio do ano e uma no final. Por isso vou começar a usar um sistema de irrigação”, relata.

As pesquisas na área de fruticultura são desenvolvidas na Fazenda Experimental Risoleta Neves, em São João del-Rei, com apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig), que já destinou mais de R$ 300 mil para projetos de pesquisa e bolsas de pós-doutorado, iniciação científica e apoio técnico. O trabalho de difusão e transferência de tecnologia também conta com a parceria da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater-MG).

Com relação à cultura da videira, o pesquisador Paulo Norberto destaca que as plantas estão começando a expressar todo o seu potencial produtivo. “As variedades que estão sendo testadas aqui na região são de grande importância econômica, são rústicas e toleram mais as variações climáticas que ocorrem na região”, pontua.

A cultura da figueira também tem boa expectativa de produção. “Estamos testando e validando novas tecnologias de manejo para a cultura, que tem mostrado um grande potencial na região. A caminhada de implantação e desenvolvimento da fruticultura já possui um histórico, que foi iniciado em 2007 e precisa ser continuado, pois foram e estão sendo geradas e validadas diversas tecnologias, adaptadas para o pequeno produtor”, completa.

Cultivo de oliveiras

O produtor José Lásaro Mendes Morais se uniu à Epamig para implantar uma unidade demonstrativa de oliveiras há quatro anos. O projeto Rendimento Agronômico das Oliveiras também recebe o apoio da Fapemig. O experimento, localizado em Piedade do Rio Grande, é o único da região e vai ajudar a definir as melhores variedades a serem produzidas.

“Tenho cinco variedades plantadas, vamos ver qual se adapta melhor. Hoje a produção ainda é pequena, não dá para comercializar, mas já é possível perceber que algumas variedades se manifestaram mais precocemente”, comenta. O tempo médio para a oliveira entrar em produção é de seis a oito anos.

José Lásaro também cultiva maçã e, por meio de um trabalho conjunto com a Epamig, estão sendo introduzidos novos materiais genéticos com potencial produtivo para as condições de clima e solo da região. “Além de trabalhos de análise de folhagem das plantas e de conservação dos frutos da maçã”, completa o produtor.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/governo-de-minas-incentiva-fruticultura-na-regiao-das-vertentes/

Governo de Minas: universidade Estadual de Montes Claros prepara o I Congresso de Ciências Humanas

O evento que está previsto para o mês de agosto irá proporcionar novos desafios para os alunos

Ascom/Unimontes
Professores discutem conteúdo do I Congresso de Ciências Humanas
Professores discutem conteúdo do I Congresso de Ciências Humanas

Avaliar o curso de graduação e pós-graduação e discutir novas perspectivas para as atividades de ensino, pesquisa e extensão são os principais objetivos do I Congresso de Ciências Humanas da Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes).

O conteúdo programático do evento será elaborado pelo Conselho de ciências humanas (CCH). A primeira reunião para discutir esse tema foi na terça-feira (10). A ideia é realizar palestras, mesas redondas, conferências com professores, dirigentes da instituição e especialistas convidados, apresentar  trabalhos científico e publicação de resumos.

“Como proposta coletiva, o Congresso permitirá à comunidade acadêmica debater medidas concretas para a revitalização das licenciaturas em Ciências Humanas, além de apresentar resultados – e ao mesmo tempo demandas – dos projetos de pesquisa, de estágios e da formação inicial, para o acadêmico, e da formação continuada do docente”, observa Antônio Wagner Veloso Rocha, diretor do CCH.

O evento que tem o apoio da Fundação de amparo à pesquisa do estado de Minas Gerais (Fapemig), da Coordenação de aperfeiçoamento de pessoal de nível superior (Capes) e do Ministério da Educação será realizado entre os dias 8 e 10 de agosto no campus-sede.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/universidade-estadual-de-montes-claros-prepara-o-i-congresso-de-ciencias-humanas/

Governo de Minas: Fapemig repassa recursos para Programa de Apoio a Núcleos Emergentes

Edital contempla 54 projetos com R$ 10 milhões, divididos em duas parcelas

Com o objetivo de criar, fortalecer e consolidar grupos emergentes de pesquisa em Minas Gerais, a Fapemig, em parceria com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), lançou em 2010 o edital do “‘Programa de Apoio a Núcleos Emergentes”. A Fapemig realiza neste mês de abril o repasse ao Pronem, que será aplicado em 54 projetos. O valor total para ser pago é de R$ 10 milhões, divididos em duas parcelas.

Há algum tempo, os programas de apoio à pesquisa não contemplavam um grupo de pesquisadores que, mesmo tendo avançado em sua produção científica ou tecnológica, ainda não atingiu a exigência dos núcleos com excelência. A parceria entre a Fapemig e CNPq veio para suprir essa demanda.

Um Núcleo Emergente de Pesquisa é aquele formado por um conjunto de pesquisadores (mínimo de três doutores), de uma ou mais instituições, reunidos por uma linha de pesquisa comum e que, dado seu tempo de formação e instituição de origem, ainda não atingiram patamar de competitividade suficiente para captar recursos de valores mais elevados, quando apresentam suas propostas de projetos de pesquisas a outros editais semelhantes.

Outras informações: ci@fapemig.br

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/fapemig-repassa-recursos-para-programa-de-apoio-a-nucleos-emergentes/