Aécio presidente: eleições 2012 deixam senador mais forte em 2014

Aécio fica forte em 2014. “Agora é Aécio Neves presidente do Brasil. E deixa o Márcio trabalhar!” – discursou Anastasia.

Aécio presidente: Eleições 2012

Fonte:O Globo

Vitória fortalece Aécio na disputa presidencial

 Eleições 2012: Aécio fica forte em 2014

Eleições 2012: Aécio fica forte em 2014.

Senador tem nome lançado ao Planalto na festa da reeleição de Lacerda

BELO HORIZONTE Padrinho “pé quente” da reeleição de Márcio Lacerda para a prefeitura de Belo Horizonte, o senador Aécio Neves (PSDB) teve seu nome lançado para disputar a Presidência da República na festa de comemoração que agitou ontem à noite a Avenida Rajagabaglia, no centro da capital mineira. Ele chegou na festa como a grande estrela, chamado por Lacerda como uma das duas maiores lideranças do Brasil, junto com o governador de Minas Gerais, Antônio Anastasia.

– Agora é Aécio Neves presidente do Brasil. E deixa o Márcio trabalhar! – discursou Anastasia, lançando o grito de guerra acompanhado pela multidão.

– Passamos momentos difíceis esses dias. Agora é trabalhar para eleger Aécio Neves o próximo presidente do Brasil! – emendou o vice de Márcio, Délio Malheiros.

Quem conhece bem Aécio diz que ele segue à risca a cartilha do avô, o ex-presidente Tancredo Neves, que sabia como ninguém aproveitar o momento político e entrar na arena na hora certa. Apagado no cenário político até então, Aécio evitou entrar em bola dividida com o governo federal, mas pulou no colo do prefeito Márcio Lacerda e ocupou o espaço deixado pelo PT, que, no último minuto, rompeu a aliança de anos e lançou a candidatura de Patrus Ananias em Belo Horizonte. Agora, é apontado como o responsável pela segunda vitória do afilhado.

Aécio abraçou a campanha junto com Anastasia e usou o palco político da eleição da capital mineira para abrir uma outra frente com vistas a 2014: a polarização com a presidente Dilma Rousseff, com quem travou um duelo verbal nas últimas semanas.

Com a eleição de Lacerda no primeiro turno, Aécio demarca seu território e sai como uma liderança forte para 2014, não só em Minas, mas também dentro do PSDB, que terá de decidir entre ele e o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin quem concorrerá ao Palácio do Planalto. Dependendo da eleição em São Paulo, José Serra entra nesta disputa interna.

Aécio: “só reagi a ataques”

Tanto Aécio quanto o governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB) saem fortalecidos para 2014, ao eleger seus afilhados no primeiro turno. Dilma e Lula perdem neste primeiro momento. A presidente se desgastou e sai como derrotada em Minas Gerais. Não elegeu Patrus e ainda ajudou a fortalecer Aécio. Próxima batalha: Palácio do Planalto.

Minas Gerais jamais se curva. Pelo contrário, se engrandece no combate – discursou Aécio, comemorando a vitória sobre Dilma, Patrus e o PT.

Ao votar no colégio Milton Campos, onde a presidente estudou no ensino médio, ele não quis continuar o duelo engrossado durante a semana:

– Eu tenho muito apreço pela presidente Dilma. Eu só reagi a ataques. Agora vamos em frente, com paz e amor.

Negou que, por seu embate com Dilma, tenha se transformado em protagonista na eleição de Belo Horizonte.

– De forma alguma! Estou orgulhoso da campanha até agora ao lado de Lacerda. Política não é uma ação solitária, é solidária. É preciso estar sempre bem acompanhado – disse Aécio. – O mineiro não coloca o carro na frente dos bois. Estamos em 2012 e não vamos falar em 2014.

Eleições 2012: Aécio presidente – Link da matéria: http://oglobo.globo.com/pais/eleito-no-1o-turno-marcio-lacerda-prega-distensao-com-pt-6326925

Aécio presidente: candidatura cresce com vitória em BH

Aécio fica forte em 2014. “Agora é Aécio Neves presidente do Brasil. E deixa o Márcio trabalhar!” – discursou Anastasia.

Aécio presidente: Eleições 2012

Fonte:O Globo

Vitória fortalece Aécio na disputa presidencial

 Eleições 2012: Aécio fica forte em 2014

Eleições 2012: Aécio fica forte em 2014.

Senador tem nome lançado ao Planalto na festa da reeleição de Lacerda

BELO HORIZONTE Padrinho “pé quente” da reeleição de Márcio Lacerda para a prefeitura de Belo Horizonte, o senador Aécio Neves (PSDB) teve seu nome lançado para disputar a Presidência da República na festa de comemoração que agitou ontem à noite a Avenida Rajagabaglia, no centro da capital mineira. Ele chegou na festa como a grande estrela, chamado por Lacerda como uma das duas maiores lideranças do Brasil, junto com o governador de Minas Gerais, Antônio Anastasia.

– Agora é Aécio Neves presidente do Brasil. E deixa o Márcio trabalhar! – discursou Anastasia, lançando o grito de guerra acompanhado pela multidão.

– Passamos momentos difíceis esses dias. Agora é trabalhar para eleger Aécio Neves o próximo presidente do Brasil! – emendou o vice de Márcio, Délio Malheiros.

Quem conhece bem Aécio diz que ele segue à risca a cartilha do avô, o ex-presidente Tancredo Neves, que sabia como ninguém aproveitar o momento político e entrar na arena na hora certa. Apagado no cenário político até então, Aécio evitou entrar em bola dividida com o governo federal, mas pulou no colo do prefeito Márcio Lacerda e ocupou o espaço deixado pelo PT, que, no último minuto, rompeu a aliança de anos e lançou a candidatura de Patrus Ananias em Belo Horizonte. Agora, é apontado como o responsável pela segunda vitória do afilhado.

Aécio abraçou a campanha junto com Anastasia e usou o palco político da eleição da capital mineira para abrir uma outra frente com vistas a 2014: a polarização com a presidente Dilma Rousseff, com quem travou um duelo verbal nas últimas semanas.

Com a eleição de Lacerda no primeiro turno, Aécio demarca seu território e sai como uma liderança forte para 2014, não só em Minas, mas também dentro do PSDB, que terá de decidir entre ele e o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin quem concorrerá ao Palácio do Planalto. Dependendo da eleição em São Paulo, José Serra entra nesta disputa interna.

Aécio: “só reagi a ataques”

Tanto Aécio quanto o governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB) saem fortalecidos para 2014, ao eleger seus afilhados no primeiro turno. Dilma e Lula perdem neste primeiro momento. A presidente se desgastou e sai como derrotada em Minas Gerais. Não elegeu Patrus e ainda ajudou a fortalecer Aécio. Próxima batalha: Palácio do Planalto.

Minas Gerais jamais se curva. Pelo contrário, se engrandece no combate – discursou Aécio, comemorando a vitória sobre Dilma, Patrus e o PT.

Ao votar no colégio Milton Campos, onde a presidente estudou no ensino médio, ele não quis continuar o duelo engrossado durante a semana:

– Eu tenho muito apreço pela presidente Dilma. Eu só reagi a ataques. Agora vamos em frente, com paz e amor.

Negou que, por seu embate com Dilma, tenha se transformado em protagonista na eleição de Belo Horizonte.

– De forma alguma! Estou orgulhoso da campanha até agora ao lado de Lacerda. Política não é uma ação solitária, é solidária. É preciso estar sempre bem acompanhado – disse Aécio. – O mineiro não coloca o carro na frente dos bois. Estamos em 2012 e não vamos falar em 2014.

Eleições 2012: Aécio presidente – Link da matéria: http://oglobo.globo.com/pais/eleito-no-1o-turno-marcio-lacerda-prega-distensao-com-pt-6326925

Aécio diz que Dilma foi agressiva com os mineiros

Aécio diz que Dilma foi agressiva com os mineiros. “Nós temos um prefeito e um governador que são muito bem avaliados”, comentou o senador.

Fonte: O Globo

Aécio responde a Dilma: ‘a presidente está precisando de um descanso’

Senador compara agressividade da presidente à de Lula e diz que estado não tem dono

 Aécio diz que Dilma foi agressiva com os mineiros

Aécio diz que Dilma foi agressiva com os mineiros

BRASÍLIA – O senador Aécio Neves (PSDB-MG) aproveitou a carreata final da campanha de Márcio Lacerda em Belo Horizonte, nesta sexta-feira, para responder às críticas da presidente Dilma Rousseff, feitas em comício de Patrus Ananias (PT), nesta quarta-feira.

– Eu fiquei muito honrado da presidente da República ter deixado Brasília para vir aqui em Belo Horizonte responder às minhas citações. Eu só lamento que ela tenha precisado de cola para lembrar as reivindicações de Minas Gerais – disse o senador, sobre Dilma ter chamado seu assessor para trazer um lembrete que ela havia preparado para o comício.

Sobre uma das alfinetadas da presidente ao senador, a de que ela não teria deixado Minas Gerais “para ir à praia”, Aécio respondeu:

– A presidente Dilma está precisando de um descanso.

O senador afirmou que Dilma está mais parecida com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, não por passar a participar de comícios pelos candidatos petistas, mas sim pela agressividade.

– De alguma forma, a presidente Dilma está parecida com o Lula, na agressividade, na desqualificação do adversário. Qualquer decisão que aconteça aqui no domingo será com liberdade. Quer dizer que não votar com o candidato da presidente significa que o eleitor é tutelado? Eu repito, Minas não tem dono – disse Aécio, novamente respondendo a crítica da presidente, que afirmou que o senador “não é dono de Minas Gerais”.

Aécio ainda criticou Dilma, dizendo que ela não trouxe propostas para as reivindicações da cidade.

– Dizer que Minas tem dono é um desrespeito com a população. Nós temos um prefeito e um governador que são muito bem avaliados. E a população tem direito de querer que eles continuem. Dizer que isso é voto tutelado, de cabresto? A presidente foi muito agressiva – disse.

Ele voltou a comentar a crítica feitas pelos tucanos, de que Dilma, apesar de ter nascido em Minas, vota no Rio Grande do Sul.

– Eu tenho muita curiosidade de saber onde que a mineira vai votar lá no Rio Grande do Sul.

VEJA TAMBÉM

Aécio: eleições 2012 – Link da matéria:http://oglobo.globo.com/pais/aecio-responde-dilma-presidente-esta-precisando-de-um-descanso-6297520#ixzz28SKCTfrW A

Aécio: senador sobe o tom da oposição

Aécio sobe o tom da oposição. “Quem nacionalizou a campanha não fui eu, foram eles”, disse o senador sobre antecipação do embate de 2014.

Aécio: oposição – eleição 2012

Fonte: Folha de S.Paulo

De olho em 2014, Aécio sobe o tom contra o PT

Senador mineiro aproveita disputa em BH para se opor a Dilma e Lula

Estratégia do tucano passa pela reeleição de Lacerda para se aproximar de caciques do PSB, hoje com a rival

 Aécio: senador sobe o tom da oposição

Aécio sobe o tom da oposição. “Quem nacionalizou a campanha não fui eu, foram eles”, disse o senador sobre antecipação do embate de 2014.

A eleição municipal deste ano mostra uma ofensiva do ex-governador e senador Aécio Neves (PSDB-MG) para transformar a eleição de Belo Horizonte numa disputa nacional.

O tucano deixou de lado o estilo discreto que vinha adotando até então na oposição.

Foi mais agressivo com o PT, destilou provocações à presidente Dilma Rousseff e atacou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Dilma reagiu. Esteve anteontem em BH para pedir votos a Patrus Ananias (PT), mas ocupou a maior parte do tempo respondendo aos recentes ataques de Aécio. Os dois são potenciais rivais na disputa presidencial de 2014.

Sem citá-lo, mas falando do tucano, Dilma disse que ele tem “visão mesquinha da vida” e não é “dono de Minas”. Insinuou que Aécio deixa BH para “ir à praia”, enquanto ela, também mineira, saiu por causa da ditadura.

Foi uma resposta à declaração de Aécio de que “estrangeiros” não deveriam interferir no pleito local.

A eleição de BH é considerada fundamental por Aécio para suas pretensões presidenciais, por dois motivos.

A reeleição de Marcio Lacerda (PSB), que tem Aécio como principal cabo eleitoral, seria uma vitória dele sobre Dilma na “casa” dos dois.

Ao mesmo tempo, ele teria por perto o PSB, partido de Lacerda e do governador de Pernambuco, Eduardo Campos, outro potencial presidenciável para 2014.

À Folha Aécio admitiu a mudança de tom. “O processo eleitoral leva a isso.”

Ele reconheceu a polarização com Dilma, mas culpou a presidente e Lula por transformar a disputa em BH em um embate nacional. “Quem nacionalizou a campanha não fui eu, foram eles. Na hora em que o PT rompeu a aliança com o Marcio, o Palácio se movimentou”, disse.

“A minha posição é sempre reativa. Não antecipei isso. Reagi à forma como o Lula, a meu ver, se comportou nesse processo eleitoral.”

Recentemente, Aécio chamou Lula de “líder de facção política” pelos ataques que o ex-presidente faz aos rivais.

PSB
Ao reeleger Lacerda, Aécio mira o PSB, presidido pelo governador Eduardo Campos. Ele estuda lançar Lacerda ao governo mineiro em 2014 e assim atrair Campos para seu lado. “Essa leitura é inevitável”, diz o tucano.

Aécio, porém, tenta desvincular a eleição municipal da disputa presidencial. “Não acho que haja vinculação direta. Mas é claro que, exatamente pela entrada pessoal dela [Dilma], ela própria está se colocando na disputa.”

Ele age nos bastidores com os irmãos Ciro e Cid Gomes -ex-ministro e governador do Ceará, respectivamente-, também filiados ao PSB.

Aécio é amigo de Cid, Ciro e Campos, todos da base de Dilma. O tucano pode oferecer ao PSB o espaço que o PT dá hoje ao PMDB. Trabalha também para dar ao PSDB uma cara de centro-esquerda. Por isso, não abre mão da proximidade com o PDT e seu braço sindical, a Força.

Quando o assunto é mensalão, Aécio tem sido dúbio. Chegou a dizer que defendeu no PSDB que o assunto não fosse explorado na campanha, mas o usou para rebater Lula. Posição ambígua ele manteve também sobre o mensalão mineiro, que envolve o PSDB -disse não conhecer o caso e depois defendeu o julgamento dos envolvidos.

DIVISÃO
Ratinho Junior (PSC) é quem atrai mais simpatizantes do PT em Curitiba: tem 50% entre eles; Fruet (PDT) é o segundo nesse eleitorado, com 22%

“Hoje é o Dia do Agente Comunitário de Saúde
HUMBERTO COSTA (PT), candidato em Recife e dono do tuíte ‘efeméride do dia’ de ontem

11 capitais brasileiras tiveram segundo turno para prefeito nas eleições de 2008; o PMDB acabou como o vencedor em quatro delas

Aécio: oposiçãoEleições 2012

Link da matéria: http://www1.folha.uol.com.br/fsp/poder/70185-de-olho-em-2014-aecio-sobe-o-tom-contra-o-pt.shtml

Lula e Haddad punidos por propaganda antecipada

Lula e Haddad punidos por propaganda –  Ratinho do SBT também pagará multa de R$ 5 mil, 2º juíza houve clara ‘indução no pedido de votos”.

Lula e Haddad: propaganda eleitoral fora de época

Lula e Haddad punidos por propaganda -  Ratinho do SBT também pagará multa de R$ 5 mil, 2º juíza houve clara 'indução no pedido de votos".

Lula e Haddad punidos por propaganda – Ratinho do SBT também pagará multa de R$ 5 mil, 2º juíza houve clara ‘indução no pedido de votos” – Reprodução Blog do Noblat

Fonte: O Globo

Lula, Haddad e Ratinho são multados em R$ 5 mil

Juíza eleitoral entendeu que houve propaganda aberta do ex-presidente para o candidato do PT

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o apresentador Ratinho, o SBT e o candidato do PT à prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad, foram multados em R$ 5 mil cada um pela Justiça Eleitoral.

A juíza auxiliar da propaganda eleitoral Carla Themis Lagrotta Germano entendeu que houve propaganda antecipada durante a participação dos petistas no programa de Ratinho no dia 31 de maio. A representação havia sido apresentada pelo PSDB e pelo PPS.

Na sentença, a juíza escreveu que no programa “houve propaganda ainda que de forma dissimulada”. “Há clara indução ao eleitor no pedido de votos, na medida em que o pré-candidato (Haddad) se identifica como sendo o novo na política, e naquele em que a população irá votar, porque quer mudança”, escreveu a juíza.

Na avaliação de Carla Germano, Lula fez “propaganda aberta” para o pré-candidato do PT. A coordenação da campanha de Haddad informou que irá recorrer da decisão ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE). O Instituto Lula e o SBT não quiseram se manifestar. Ratinho ainda seria consultado sobre o caso.

Lula e Haddad – Link da matéria: http://oglobo.globo.com/pais/lula-haddad-ratinho-sao-multados-em-5-mil-5323298#ixzz1z0KrKtXu

Leia também:

Instituto Lula omite foto com Maluf

Instituto Lula omite foto com Maluf – site que publica informações sobre o ex-presidente ignora acordo entre Lula e Maluf.

Instituto Lula e a foto de Maluf

Instituto Lula omite foto com Lula

Instituto Lula omite foto com Lula – Charge do Amarildo

Instituto Lula omite foto com Lula

Instituto Lula omite foto com Lula

 

Fonte: Maíra Teixeira – Folha Online

Site do Instituto Lula não exibe imagem de Maluf com petista

O Instituto Lula mudou a rotina de atualização de sua página na internet e deixou de publicar as imagens do encontro do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva com o ex-prefeito Paulo Maluf (PP) na segunda-feira, em São Paulo.

Eles se encontraram na casa de Maluf, no Jardim América, para selar o apoio do PP à candidatura petista de Fernando Haddad à Prefeitura de São Paulo.

O site do Instituto Lula faz atualizações constantes das notícias e publica as fotos do líder petista em eventos que vão de vacinação contra gripe, visitas de amigos no hospital até atos de apoio a pré-candidatos em eleições.

O fotógrafo oficial do instituto, Ricardo Stuckert, esteve no local e ajudou na organização das fotos do evento. No entanto, de acordo com a assessoria de imprensa do instituto, as imagens do encontro de Lula com Maluf não serão colocadas na página na internet nem tampouco o fato será divulgado no espaço “Notícias” porque já “está na Folha e em todo o lugar”.

JUSTIFICATIVA

A assessoria informou ainda que só divulgam no site imagens quando não há outros fotógrafos nos eventos.

No calendário do Instituto Lula, pela busca no dia 18 de junho de 2012, também não há registro de eventos.

Segundo o relato de um petista que participou do encontro, Maluf exigiu a presença de Lula em sua casa para selar o acordo: “Ele disse que a foto fazia parte do pacote”.

O ex-presidente ficou contrariado, mas decidiu ir. Posou para as fotos, mas saiu do local sem dar entrevista. Fernando Haddad ficou para o almoço com o ex-prefeito.

Instituto Lula – Link da matéria: http://www1.folha.uol.com.br/fsp/poder/49877-site-do-instituto-lula-nao-exibe-imagem-de-maluf-com-petista.shtml

Aécio e a gestão, Lula e o constrangimento histórico

Aécio e a gestão, Lula e o constrangimento histórico. Enquanto senador atua pela transparência, Lula em acordo com Maluf loteia cargos públicos.

Aécio: gestão pública

Aécio e a gestão, Lula e o constrangimento histórico

Aécio e a gestão, Lula e o constrangimento histórico

Fonte: Artigo Jogo do Poder

Dois apertos de mão, um constrangimento histórico e uma esperança

Enquanto Lula e Maluf apertam as mãos para selar troca de cargos públicos por favores eleitorais, em Brasília, várias outras mãos se apertam em prol da gestão pública

Dois apertos de mãos que dominarão o noticiário até o final da semana. Um deles em São Paulo e outro em Brasília. Se um marcará o fim de um discurso defendido pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva durante toda a sua trajetória na vida pública, o outro foi dado em Brasília, ontem, durante a criação da Frente Parlamentar Mista do Fortalecimento da Gestão Pública. Um movimento suprapartidário que busca a adoção e vida longa em nível nacional de um modelo de governança inovador como, por exemplo, Minas Gerais implantou com Aécio Neves em 2003 e que se tornou exemplo mundial de gestão eficiente.

O momento para os petistas é de constrangimento histórico com seu maior líder, que sela uma aliança política-eleitoral em São Paulo calçada na troca de cargos públicos no governo federal. Mas, por outro lado, existem lideranças do mesmo partido que ainda acreditam na transparência, ética e verdadeira “faxina” dentro dos órgãos públicos.

E este grupo de pessoas que ainda acreditam no asseio da máquina pública, dos governantes e, consequentemente, dos servidores públicos, pode encarar a Frente Parlamentar de Gestão Pública como um suspiro de esperança de que no Brasil existe espaço para mudança.

Para estes militantes da restauração da ética, da transparência e da moral no país, o segundo aperto de mão – o de Brasília – surge como alento. O movimento pela profissionalização da gestão pública nasceu da batalha do senador Aécio Neves, mas também é fruto do desejo de diversas lideranças nacionais – petistas, tucanas, verdes, socialistas ou simplesmente brasileiras – que querem ver os princípios da eficiência do serviço público, existentes no modelo de gestão criado pelo Governo de Minas Gerais, adotados em Brasília e nos quatro cantos do país.

Dentro desta Frente de Fortalecimento da Gestão Pública, cabem todos os partidos ou militantes que acreditam na necessidade de transparência, eficiência no uso de recursos públicos e na importância da profissionalização da gestão para levar o Brasil ao patamar de um país não apenas competitivo economicamente, mas também com um crescimento justo e igualitário.

Quando lançou o Choque de Gestão em Minas Gerais, em 2003, Aécio já evocava a necessidade de que a transformação que começaria em seu estado deveria, em poucos anos, ganhar espaço na Agenda Nacional. E no lançamento da frente suprapartidária, o presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Ayres Brito, sintetizou o sentimento de Aécio ao dizer que é dever de todos fazer com que o servidor público seja, na realidade, um “servidor do público”.

E aos constrangidos e estarrecidos com o aperto de mão de Lula em São Paulo, vale uma reflexão sobre a fala do ministro-chefe da Controladoria Geral da União durante o lançamento da Frente Mista da Gestão Pública: “gestão eficiente é gestão proba. São faces da mesma moeda. A transparência não é apenas a melhor vacina contra a corrupção, mas requisito para melhor eficiência na gestão pública.

 

PT de Lula se alia a Maluf em São Paulo

PT repudiava Paulo Maluf que agora é um grande aliado. Ex-governador é procurado pela Interpol por suposto desvio de recursos públicos.

PT e o aliado Paulo Maluf

PT de Lula se alia a Maluf em São Paulo

PT de Lula se alia a Maluf em São Paulo

Por Haddad, Lula vai à casa de Maluf, seu adversário histórico

Ex-presidente faz visita pública; exigência teria sido do deputado do PP

SÃO PAULO – Para garantir que o seu ex-ministro da Educação Fernando Haddad tenha o maior tempo no programa eleitoral de TV da eleição de São Paulo, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi pela primeira vez na vida à casa do deputado federal Paulo Maluf, adversário histórico do PT, no começo da tarde desta segunda-feira.

Lula ficou cerca de 30 minutos no local e saiu sem dar entrevista. De acordo com petistas, a presença do ex-presidente na casa de Maluf foi uma exigência imposta pelo deputado federal para fechar a aliança.

Deputado é procurado pela Interpol por desvio de dinheiro

Depois de uma breve conversa na parte interna da casa, os portões foram abertos para que os fotógrafos registrassem os cumprimentos na saída, com a presença de Haddad.

— Queria agradecer a presença do presidente, que apesar das recomendações médicas de não falar, compareceu à minha casa — disse Maluf, que não pode deixar o país porque é procurado pela Interpol por suposto envio de US$ 11,6 milhões para conta bancária nos Estados Unidos.

A informação de que a visita desta segunda-feira foi a primeira de Lula à casa de Maluf foi passada pela assessoria do próprio deputado. O Instituto Lula não confirmou.

Maluf negou que o apoio seja contrapartida pela nomeação, publicada na última sexta-feira, no Diário Oficial da União, de Osvaldo Garcia, que seria ligado ao deputado, para a secretaria de saneamento ambiental do Ministério das Cidades.

— Não conheço (Garcia). Parece que é do Paraná.

O deputado federal, que é presidente estadual do PP, não quis dizer os motivos que o levaram a desistir de negociar a aliança com o tucano José Serra.

— Haddad é o nosso candidato porque eu amo São Paulo. E por amor a São Paulo eu tenho plena convicção de que São Paulo vai precisar do governo federal para resolver seus problemas.

Questionado sobre as restrições feitas por Luiza Erundina, vice na chapa do petista, na aliança, o deputado elogiou a gestão dela na prefeitura. Também afirmou que no mundo atual “não existe mais esquerda e direita”.

Projeto político nacional já conta com apoio do PP

Maluf se colocou à disposição para aparecer na propaganda eleitoral do petista na televisão, mas Haddad afirmou que a participação do líder do PP na propaganda ainda será avaliada, e disse ser “normal partidos que têm diferença” fazerem uma aliança pela cidade.

Para a candidato do PT, a aliança se justifica porque os dois partidos estão unidos no governo federal.

— Hoje temos um projeto político no país que está dando certo, que pelo terceiro mandato conta com o apoio do Partido Progressista. O PP coordena o Ministério das Cidades. Nós temos que olhar o que é melhor para a cidade.

Questionado sobre a gestão de Maluf como prefeito (1993-1996), Haddad respondeu:

— Nunca neguei a ele que sempre estivemos em campos opostos no passado. A divergência é natural na política.

PT – Link da matéria: http://oglobo.globo.com/pais/por-haddad-lula-vai-casa-de-maluf-seu-adversario-historico-5246720#ixzz1yFeVVXgB

Leia também:

Aécio sobre Lula: “ninguém pode tudo”

Aécio sobre Lula: “ninguém pode tudo” – senador disse que é muito grave um ex-presidente busca interferir numa decisão de um tribunal”.

Aécio Neves critica Lula

Aécio sobre Lula: "ninguém pode tudo"

Aécio sobre Lula: "ninguém pode tudo"

Fonte: Fernando Taquari e Cristiane Agostine – Valor Econômico

PSDB acusa Lula de gerar crise institucional

O senador Aécio Neves (PSDB-MG) classificou ontem como grave a denúncia de que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva teria tentado interferir no julgamento do mensalão . Principal nome do PSDB para a disputa presidencial de 2014, Aécio fez questão de frisar que “ninguém pode tudo, ninguém está acima da lei”.

“Felizmente, temos no Brasil instituições muito sólidas, que não me parecem abaladas por essa crise, mas acho que é muito grave, em um momento em que um ex-presidente busca interferir numa decisão de um tribunal”, disse o senador depois de participar, em Brasília, do encontro nacional dos pré-candidatos a prefeito do PSDB nas 100 maiores cidades do país.

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), acusou Lula de pedir para adiar o julgamento do mensalão em uma conversa na qual também teria participado o ex-ministro da Defesa Nelson Jobim. Em troca, Lula teria oferecido proteção ao ministro do Supremo na CPI do Cachoeira, que investiga as relações do empresário Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, com políticos e empresários. Cachoeira está preso sob acusação de comandar uma rede ilegal de jogos de azar.

Apesar de enfatizar a gravidade da denúncia, Aécio manifestou confiança na capacidade da Corte de julgar o caso com “isenção e de forma técnica”. “Mas é um fato que, realmente, gera constrangimentos, especialmente para os aliados do ex-presidente”, acrescentou o senador tucano.

Em nota, o presidente do PSDB, deputado federal Sérgio Guerra (PE), disse que a ofensiva de Lula contra o Supremo representa uma ameaça à democracia. “Vivemos um momento grave. Uma crise institucional. A democracia no Brasil está ameaçada. Lula e o PT ameaçam o STF e o procurador-Geral da República. Isso nunca aconteceu na história do país.”

O deputado também afirmou que o governo e PT usam a CPI para atacar o PSDB e lançar fumaça sobre o julgamento do mensalão, previsto para ocorrer este ano.

Na mesma linha, o pré-candidato do PSDB à Prefeitura de São Paulo, José Serra, analisou ontem que a denúncia afeta a estabilidade das instituições no Brasil.

“Está tendo problemas entre as instituições, sem dúvida nenhuma”, comentou o pré-candidato tucano, ao participar de uma sabatina promovida pelo SBT e pelo portal Terra, em São Paulo. “Está tendo [uma crise institucional]. Essas coisas que estão acontecendo refletem problemas institucionais, inegavelmente”, reforçou Serra.

Ao falar sobre o caso, o tucano disse que “é importante” que o Judiciário não seja pressionado. “Vamos todos trabalhar para que [o julgamento do mensalão] aconteça e que seja um julgamento isento”, declarou Serra.

O pré-candidato evitou falar sobre a convocação do governador de Goiás, Marconi Perillo, seu correligionário no PSDB, para falar na CPI do Cachoeira. Serra afirmou que Perillo merecia “crédito” por já ter se disposto a falar na CPI e por ter pedido à Procuradoria-Geral da República para que o investigasse. Além de Perillo, o governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz (PT), também foi convocado.

Aécio Neves – Link da matéria: http://www.valor.com.br/politica/2684608/psdb-acusa-lula-de-gerar-crise-institucional

Aécio Neves acusa Lula de ameaçar a democracia

Aécio Neves acusa Lula de ameaçar a democracia: “Ninguém está acima da lei e ninguém pode tudo num país que preze a democracia”, criticou.

Aécio Neves defende atitude democrata

Aécio Neves acusa Lula de ameaçar a democracia

Aécio Neves acusa Lula de ameaçar a democracia

Fonte: Christiane Samarco – O Estado de S.Paulo

PSDB diz que ex-presidente ameaça a democracia

cúpula do PSDB fez ontem duras críticas ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva por causa do encontro que ele teve com o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF). O presidente nacional do partido, deputado Sérgio Guerra (PE), e o senador Aécio Neves (PSDB-MG) acusaram Lula de ameaçar a democracia, ao tentar interferir em outro Poder para adiar o julgamento do processo do mensalão no STF.

“Ninguém está acima da lei e ninguém pode tudo num país que preze a democracia”, criticou Aécio, ao se declarar surpreso com a ação de Lula que, antes de deixar o cargo, anunciava que iria mostrar como deve se comportar um ex-presidente, contrapondo-se ao antecessor Fernando Henrique Cardoso.

“Vivemos um momento grave, uma crise institucional. O Lula e o PT ameaçam o STF e o Procurador-Geral da República, o que nunca aconteceu na história do País”, emendou Guerra.

O senador entende que “há algo de veracidade” nos relatos do ministro Gilmar. Para o presidenciável tucano, se confirmada, a conversa entre eles é algo “triste para a democracia e grave do ponto de vista das instituições”.

Aécio ressaltou que a existência, no Brasil, de instituições “absolutamente sólidas que saberão enfrentar esse “início de crise institucional” o tranquiliza. Mas insistiu que, a seu ver, houve um excesso de Lula que será julgado pela população.

Guerra e Aécio participaram na capital federal de um encontro com pré-candidatos do PSDB às prefeituras das cem maiores cidades brasileiras,

Em São Paulo, durante sabatina no SBT, o ex-governador e pré-candidato do PSDB à Prefeitura de São Paulo, José Serra, também comentou o caso: “Está tendo um problema entre as instituições, sem dúvida alguma. Por outro lado, a presidente Dilma não pode dizer outra coisa (em nota do Planalto, ela negou risco de crise institucional). Ela tem que contribuir para a estabilidade. Se ela diz que tem risco de instabilidade ela contribui para isso.” / COLABOROU FELIPE FRAZÃO

Aécio Neves – Link da matéria: http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,psdb-diz-que-ex-presidente-ameaca-a-democracia-,880292,0.htm