Governo de Minas: Instituições estaduais se unem na luta pelo patrimônio cultural

Educação, transversalidade, leis e distribuição de recursos foram alguns dos temas discutidos

O I Encontro Nacional das Instituições Estaduais de Preservação do Patrimônio Cultural teve um saldo muito positivo. O encontro realizado em Recife durou três dias e possibilitou conversas e debates que resultaram na decisão de dar continuidade à troca de informações e à construção de uma política comum, pautadas no diálogo entre as instituições. Essa decisão deverá ser fortalecida com a criação do fórum Nacional das instituições Estaduais de Preservação do Patrimônio Cultural, de caráter permanente, que terá sua primeira reunião ainda este ano.

No encontro, o presidente do Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas gerais (Iepha/MG), Fernando Cabral leu a carta elaborada por ele, “Carta do Recife”. O documento explicita o intuito da construção dessa rede, fazendo ainda considerações, recomendações e proposições relacionadas à atuação dos órgãos e à política pública de preservação. Educação, transversalidade, exigência de uma nova postura, recomendações acerca de elaboração de novas leis e distribuição de recursos foram algumas das questões pactuadas.

Participaram do Encontro representantes de 13 estados, Amapá, Ceará, Goiás, Santa Catarina, Bahia, Minas Gerais, Paraíba, Distrito Federal, Maranhão, Sergipe, Pernambuco, Paraná e Rio Grande do Sul.

Fernando Cabral, um dos idealizadores do encontro, junto a Severino Pessoa (Fundarpe/PE) e a Frederico Mendonça (Ipac/BA), apresentou um painel sobre a atuação do Iepha/MG e os desafios enfrentados, colocando ainda algumas questões comuns a todas as instituições presentes, como fontes de financiamento, especulação imobiliária, depredação, furtos, vandalismo, mineração e legislação sobre crimes contra o patrimônio cultural.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/instituicoes-estaduais-se-unem-na-luta-pelo-patrimonio-cultural/

Gestão Anastasia: governador participa de lançamento do Banco de Empregos

Ferramenta disponibilizada na internet pelo Sistema Fecomércio tem o objetivo de facilitar processos de seleção para empresas e pessoas que buscam trabalho

Osvaldo Afonso/Imprensa MG
Para Antonio Anastasia, iniciativa da Fecomércio coincide com esforço do Governo de Minas na geração de empregos
Para Antonio Anastasia, iniciativa da Fecomércio coincide com esforço do Governo de Minas na geração de empregos

O governador Antonio Anastasia participou, nesta sexta-feira (13), do lançamento do Banco de Empregos do Sistema Fecomércio Minas, Sesc, Senac e Sindicatos Filiados. Trata-se de uma plataforma on line de cadastramento de currículos de profissionais que procuram vagas nas empresas dos segmentos comerciais de bens, serviços e turismo em todo o Estado.

O Banco de Empregos foi criado pelo Senac e já começou a funcionar pelo endereço  www.bancodeempregos.org.br. O serviço vai ajudar as empresas a encontrar os profissionais de que precisam, de forma mais dinâmica e segura. Também contribuirá para a geração de empregos no comércio das cidades mineiras.

“Essa iniciativa da Federação do Comércio, de lançar esse Banco de Empregos, é muito positiva porque está permitindo o acesso a informação, inclusive, nos municípios pequenos, onde não tem jornais locais e as pessoas, às vezes, nem ficam sabendo das oportunidades de emprego. Hoje, o mundo virtual é muito grande, é uma ferramenta de muito auxílio”, destacou Anastasia, lembrando que a geração de empregos é a prioridade absoluta do governo dele.

O funcionamento do Banco de Empregos é semelhante a um banco de currículos, via internet, e gratuito, tanto para os profissionais que buscam uma oportunidade, quanto para os empresários. Os candidatos cadastram seus currículos e optam por uma ou mais ocupações de seu interesse. As informações dos candidatos são disponibilizadas para consulta das empresas, que poderão pré-selecionar candidatos e convidá-los a participar de seus processos seletivos. As empresas ativas do segmento do comércio de bens, serviços e turismo poderão visualizar os currículos, de acordo com a área de interesse.

“Fico muito feliz em perceber que esse instrumento vem coincidir com esse grande esforço que estamos fazendo em Minas Gerais, governo, empresários, sociedade civil, para gerar empregos de qualidade. São esses empregos que vão possibilitar a inclusão social plena, a paz social, as possibilidades cada vez maiores de desenvolvimento. A Fecomércio tem sido uma parceira fundamental, excepcional, do povo de Minas Gerais”, afirmou o governador.

O presidente do Sistema Fecomércio Minas, Lázaro Luiz Gonzaga, acredita que a nova ferramenta vai facilitar processos não só para quem está em busca de trabalho, mas também para as empresas, que poderão ter economia de tempo e dinheiro em seus processos de seleção. “Aproveitando a tecnologia, estamos estendendo o banco para todo o Estado, o que antes era oferecido apenas para os alunos do Senac”, disse.

Emprego em Minas

Minas possui 750 mil microempresas e empresas de pequeno porte, que correspondem a 99% do total de organizações existentes no Estado. De acordo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Emprego, nos dois primeiros meses deste ano, foram criados, no Estado, 40.488 novos postos de trabalho (o que corresponde a um crescimento de 1% em relação ao mesmo período do ano passado).

Em 2011, o Estado gerou proporcionalmente mais empregos que a média do país, segundo o Caged. O saldo entre número de admissões e demissões foi de 206.402 postos, com crescimento de 5,42%.

A taxa de desemprego na Região Metropolitana de Belo Horizonte permanece em 5,1%, mesmo resultado de janeiro. É o menor índice da série histórica desde 1996. Também é o menor índice entre as sete regiões metropolitanas pesquisadas – Belo Horizonte, Distrito Federal, Fortaleza, Recife, Porto Alegre, Salvador e São Paulo, segundo pesquisa de Emprego e Desemprego (PED), realizada pela Secretaria de Estado de Trabalho e Emprego (Sete), Fundação João Pinheiro (FJP), Dieese e Fundação Seade.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/governador-participa-de-lancamento-do-banco-de-empregos/

Governador Anastasia assina protocolo de intenções para investimentos privados em Uberlândia

B2W e Lojas Americanas, Souza Cruz e Grupo Carol Sodru vão investir cerca de R$ 300 milhões
Wellington Pedro/Imprensa MG
Anastasia assinou protocolo de intenções com a B2W Companhia Global de Varejo e a Lojas Americanas
Anastasia assinou protocolo de intenções com a B2W Companhia Global de Varejo e a Lojas Americanas

O governador Antonio Anastasia assinou, nesta sexta-feira (10), durante visita a Uberlândia, protocolo de intenções com a B2W Companhia Global de Varejo e a Lojas Americanas, para a implantação de dois centros de distribuição, naquele município do Triângulo Mineiro. Com investimentos da ordem de R$ 150 milhões, a expectativa é que os empreendimentos gerem 1.500 empregos diretos e 800 indiretos até 2013, quando deverão entrar em operação. O documento foi assinado pela presidente da Lojas Americanas, Ana Cristina Ramos Saicali.

A Souza Cruz, que tem em Uberlândia a maior fábrica de cigarros da América Latina, informou ao governador investimentos, neste ano, de R$ 140 milhões, para modernização da unidade. A empresa poderá ampliar os investimentos em R$ 250 milhões, até 2015. Já o presidente da Carol Sodru S.A anunciou a transferência da matriz, localizada em São Paulo, para Uberlândia, em que pretende investir cerca de R$ 5 milhões.

Ao comentar esses investimentos, Antonio Anastasia afirmou que o papel do Estado é desburocratizar e criar um ambiente favorável à atração de negócios.

“Estamos muito felizes, porque esses anúncios hoje, aqui em Uberlândia, demonstram que Minas Gerais está correta na sua política de atração de investimentos. Estamos atraindo investimentos em todos segmentos econômicos, na agropecuária, na indústria, nos serviços. Agora temos um esforço ainda maior porque queremos diversificar a economia mineira. Essa diversificação significa não só ficarmos dependentes do minério e do café, que são produtos fundamentais para a nossa economia, mas é importantíssimo que tenhamos indústrias importantes e serviços que, aliás, demonstram a nova economia do século XXI”, afirmou.

O prefeito de Uberlândia, Odelmo Leão, destacou que o município tem seu desenvolvimento vinculado à parceria que mantém com o Estado, a qual deveria servir de exemplo para todos os prefeitos. “Sem essa parceria entre a prefeitura e o Governo de Minas haveria mais dificuldades para gerar emprego e renda para a população”, afirmou

Lojas Americanas

O centro da B2W será destinado exclusivamente à armazenagem, manuseio e despacho de mercadorias comercializadas na modalidade de comércio eletrônico e telemarketing (e-commerce). O centro de distribuição das Lojas Americanas vai repassar mercadorias para seus estabelecimentos comerciais (lojas físicas). Os dois centros irão atender os mercados de Minas, Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Roraima e Acre.

A B2W Companhia Global do Varejo é uma empresa de comércio eletrônico criada no final de 2006 pela fusão entre Submarino, Shoptime e Americanas.com. Controlada pelas Lojas Americanas (54,56% do capital social), detém as marcas Lojas Americanas, Submarino, Shoptime, bem como as subsidiárias Ingresso.com, B2W Viagens e Submarino Finance. O grupo ainda controla as operações da Blockbuster no Brasil.

Souza Cruz

A Souza Cruz vai investir, este ano, R$ 140 milhões na modernização de sua fábrica de cigarros em Uberlândia, no Triângulo Mineiro. Existe a possibilidade de a empresa fazer outros investimentos, que podem chegar a R$ 250 milhões, até 2015. Segundo a empresa, a decisão da compra de máquinas e equipamentos foi tomada após medidas do Governo do Estado no sentido de desburocratizar o processo para importação de maquinário sem similar no mercado nacional. Essas medidas ajudaram decidir pela realização dos investimentos em Uberlândia.

A Souza Cruz implantou a unidade de Uberlândia há 34 anos.  Com 1.100 empregados, a unidade é a maior da América Latina e responsável pelo atendimento de 40% do mercado brasileiro.  A empresa informou que gera R$ 300 milhões por ano em Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) e injeta R$ 70 milhões na economia de Uberlândia. Está entre as cinco maiores empresas pagadoras de impostos do Brasil.

Carol Sodru

Durante reunião no gabinete do prefeito Odelmo Leão, os diretores da Carol Sodru S.A anunciaram a transferência da matriz, localizada em São Paulo, para Uberlândia. Serão investidos cerca de R$ 5 milhões e a nova sede da empresa será instalada em uma área de 1.300 metros quadrados. A expectativa é que a matriz da Carol Sodru seja inaugurada ainda neste semestre, com a geração imediata de cerca de 100 postos de trabalho. Nos próximos cinco anos, o número de vagas pode saltar para 150. Além do novo escritório, os investimentos serão usados para compra de materiais de suporte tecnológico, transferência e contratação de profissionais qualificados. Também a sede da Lider Armazéns Gerais, empresa do grupo, será transferida de São Paulo para Minas Gerais, com aproximadamente oito profissionais de logística e transbordos.

No plano de investimentos da empresa para os próximos cinco anos, a intenção é construir uma Unidade Beneficiadora de Sementes (UBS), com cerca de 30 profissionais, incluindo agrônomos para trabalhar com melhoramento genético. Outro projeto é a aquisição de uma planta industrial para moagem de soja e transformação em óleo, farelo e biodiesel, que contará com cerca de 120 profissionais (executivos, engenheiros e operários).

A Carol Sodru é uma joint venture, criada em 2010, entre o grupo russo Sodrugestvo (51%) e a Cooperativa dos Agricultores da Região de Orlândia (49%) e atua na produção de óleo e farelo de soja. A Sodrugestvo detém a maior processadora de soja da Europa (3.300 toneladas por dia). No Brasil, a empresa emprega 580 pessoas, sendo que no pico da safra o número de postos pode chegar a mil.

O presidente da Carol Sodru, Roger Maynard, disse que as perspectivas da empresa com a transferência para o Triângulo são muito grandes. “Uberlândia é a porta do Cerrado. A localização geográfica e a infraestrutura da cidade é muito positiva para o desenvolvimento da empresa que está vindo para o Brasil”, afirmou.

Repasse

O governador autorizou ainda o repasse da segunda parcela de R$ 9 milhões para custeio e manutenção do Hospital e Maternidade Municipal Dr. Odelmo Leão Carneiro. Os recursos são fruto de convênio assinado em 2011, no valor total de R$ 18 milhões. Desde 2007, o Governo de Minas já repassou para o Hospital cerca de R$ 59,5 milhões, incluindo recursos para obras.

O Hospital Municipal é um hospital geral, de média complexidade, com 258 leitos, sendo 30 de UTI adulto e 28 de UTI Neonatal, e capacidade para 900 atendimentos/mês. Com mais de 55 mil metros quadrados de construção, o projeto atende aos mais exigentes padrões de qualidade hospitalar, adotando conceitos inteligentes, como manutenção de baixo custo e processos ecologicamente corretos.

Viaduto

O governador participou também da abertura ao tráfego do viaduto entre os cruzamentos das avenidas João Naves de Ávila e Rondon Pacheco. A estrutura, de 235 metros de comprimento, 22 de largura e seis pistas de rolamento, três em cada sentido, consumiu R$ 24 milhões, sendo R$ 12 milhões recursos do Governo de Minas e os outros R$ 12 milhões contrapartida do município. A obra beneficiará 25 bairros. Durante a construção, 200 empregos foram gerados.

O viaduto integra o programa viário “Uberlândia Integrada”, que também conta com a participação do governo do Estado com investimentos da ordem de R$ 48 milhões.  Mais de 50% das obras de drenagem pluvial, pavimentação, urbanização, sinalização e iluminação estão concluídas. Pedestres e ciclistas também serão beneficiados com a construção de faixas elevadas para travessia de pedestres, calçadão, ciclovia e áreas verdes.

Fonte: Agência Minas

Gestão em Minas: comunidades terapêuticas serão mapeadas em censo estadual e nacional

O censo será realizado com o objetivo de identificar essas comunidades, conhecer sua distribuição, estrutura de funcionamento e capacidade de atendimento

Bernardo Carneiro/Seds
A capacitação dos 22 pesquisadores aconteceu na Cidade Administrativa
A capacitação dos 22 pesquisadores aconteceu na Cidade Administrativa

Os primeiros passos para o início do Censo das Comunidades Terapêuticas, em Minas Gerais, foram dados nesta quarta-feira (8) na Cidade Administrativa, com a capacitação de 22 pesquisadores. O trabalho tem o apoio da Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds), por meio de suporte técnico e logístico da Subsecretaria de Políticas sobre Drogas (Supod). O censo será realizado em todo o país com o objetivo de identificar essas comunidades, conhecer sua distribuição, estrutura de funcionamento e capacidade de atendimento em todo o território nacional.

A iniciativa é da Secretaria Nacional sobre Drogas (Senad), em parceria com as Federações das Comunidades Terapêuticas, com a participação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul e do Hospital de Clínicas de Porto Alegre. Os resultados obtidos no censo servirão de base na definição de estratégias para o fortalecimento e a integração da rede de atendimento a usuários de álcool e outras drogas.

O subsecretário de Políticas sobre Drogas, Cloves Benevides, avalia o trabalho como um “esforço entre a Senad e o Governo de Minas que pode auxiliar as políticas públicas de combate e prevenção às drogas no estado”. Em Minas Gerais, Espírito Santo, Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Tocantins a supervisão do censo ficará sob a responsabilidade da Federação das Comunidades Terapêuticas Evangélicas do Brasil (Feteb).

Responsabilidades

A Secretaria Nacional sobre Drogas é responsável pelo financiamento do projeto, o Hospital de Clínicas de Porto Alegre cuida de toda a parte administrativa, como contratações e repasses de recursos, e a Universidade Federal do Rio Grande do Sul é responsável pelo processamento das informações. Nos estados da Região Norte e Nordeste a supervisão ficará a cargo da Federação Norte e Nordeste das Comunidades Terapêuticas (Fennoct), no Rio de Janeiro e São Paulo pela Federação Brasileira de Comunidades Terapêuticas (Febract) e nos estados da Região Sul pela Cruz Azul no Brasil. A coordenadora do projeto, Andreia Diel, destaca que o Censo das Comunidades Terapêuticas será viabilizado graças “a uma aliança de competências de profissionais e instituições de todo país”.

As Federações das Comunidades Terapêuticas devem, entre outras atribuições, treinar e supervisionar os coletadores de informações, produzir relatórios semanais sobre o andamento do censo e enviar os dados para a Universidade Federal do Rio Grande do Sul. “No censo as comunidades terapêuticas não serão avaliadas. A intenção é divulgar para as famílias e técnicos, instituições governamentais e não governamentais onde estão e que tipo de atendimento realizam as comunidades de todo o país” enfatiza a psicóloga e técnica do Observatório Brasileiro de Informações sobre Drogas (Obid), Eliana Berger.

Fonte: Agência Minas