Governo de Minas: Banco Travessia amplia rede de inclusão social em mais 30 municípios mineiros

Programa do Governo de Minas vai beneficiar mais 22 mil famílias em várias regiões do Estado

Rômulo Ávila
Apenas até 2011, o Programa Travessia beneficiou 154 cidades mineiras
Apenas até 2011, o Programa Travessia beneficiou 154 cidades mineiras

A partir desta terça-feira (8), mais 30 agências do Banco Travessia serão inauguradas pelo Governo de Minas em várias regiões do Estado. A expectativa é que famílias de quase 22 mil domicílios sejam beneficiadas. O projeto faz parte do novo escopo do Programa Travessia, coordenado pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese).

As primeiras inaugurações serão nas cidades de Natalândia, nesta terça-feira (08), às 17h; e em Santa Fé de Minas (11), às 18h. A previsão é que até o final de junho todas as unidades estejam prontas para atender a população dos 30 municípios.

Com a iniciativa, o Banco Travessia passa a atender 40 cidades mineiras, já que outras unidades estão em funcionamento em dez municípios: Sabará, Confins, Capim Branco, Presidente Kubitschek, Arinos, Matutina, Juiz de Fora, Ninheira, Santo Antônio do Jacinto e Itinga.

Banco Travessia

Lançado pelo Governo de Minas, em setembro de 2011, o Banco Travessia visa incentivar o retorno das pessoas aos estudos e, consequentemente, aumentar as chances de inserção no mercado de trabalho.

Para conhecer a real demanda das famílias por escolaridade, o projeto utiliza o diagnóstico do Porta a Porta, também coordenado pela Sedese. Cada morador dessas cidades inserido no programa, e que retomar os estudos, vai abrir uma poupança para a família no Banco Travessia. Se passar de ano, garante mais dinheiro no banco.

Cada ação da família que garanta qualificação profissional ou eleve o nível de escolaridade também será transformada em mais dinheiro na poupança. A permanência no programa pode ser de dois ou três anos, e uma família pode receber, no máximo, R$ 5 mil.

Próximas inaugurações

As próximas inaugurações de agências do Banco Travessia estão previstas para Lagoa dos Patos, em 15 de maio; São João do Pacuí e Campo Azul, no dia 17; Joaquim Felício, em 22 de maio; Santo Antônio do Itambé e Serranópolis de Minas, no dia 24 de maio; Josenópolis e Alvorada de Minas, no próximo dia 25; Santo Hipólito e Ponto Chique, em 29 de maio; Presidente Juscelino, no próximo dia 31; Dom Joaquim e Quartel Geral, em 01 de junho.

Já as cidades de Campanário, Carvalhos, Consolação, Diogo de Vasconcelos, Fernandes Tourinho, Frei Lagonegro, Ibituruna, Marilac, Nacip Raydan, Oratórios, Passabém, Pescador, São Geraldo da Piedade, São José da Safira e São José do Divino deverão contar com agências do Banco Travessia até junho.

Programa Travessia

O programa foi lançado em 2008 e é coordenado pela Sedese. O Travessia visa, por meio de ações articuladas junto a várias secretarias e órgãos estaduais, promover a inclusão social e produtiva da população, bem como minimizar as privações sociais em que esta população se encontra. Até 2011, o Travessia beneficiou 154 cidades.

Neste ano, o Travessia ganhou um novo escopo e foi divido estrategicamente em sete projetos: Porta a Porta, Travessia Social, Travessia Renda, Travessia Saúde, Travessia Educação, Banco Travessia e Com Licença Vou à Luta.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/banco-travessia-amplia-rede-de-inclusao-social-em-mais-30-municipios-mineiros/

Gestão em Minas: Projeto Banco Travessia vai chegar a mais 21 mil famílias mineiras em 2012

Iniciativa do Governo de Minas visa incentivar o retorno e a inserção de pessoas aos estudos
Rômulo Ávila
Representantes de 30 municípios participam de reunião em BH para tratar da expansão do Banco Travessia
Representantes de 30 municípios participam de reunião em BH para tratar da expansão do Banco Travessia

Prefeitos e secretários municipais de 30 cidades mineiras vivem a expectativa de receber as ações do Banco Travessia, iniciativa que concede incentivos para a volta aos estudos e que já é desenvolvido em dez cidades. Na manhã desta quinta-feira (9), eles se reuniram em Belo Horizonte com representantes da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese), para tratar da expansão do programa em 2012. Dez cidades já têm o Banco Travessia.

Lançado em setembro do ano passado pelo Governo de Minas, o Banco Travessia visa incentivar o retorno e a inserção de pessoas aos estudos. Cada morador inserido no programa, e que retomar os estudos, vai abrir uma poupança para a família no Banco Travessia. Se passar de ano, garante mais dinheiro no banco. Cada ação da família que garanta qualificação profissional ou eleve o nível de escolaridade também será transformada em mais dinheiro na poupança.

“É muito comum na nossa região ter famílias sem nenhuma pessoa com ensino fundamental. Isso nos deixa tristes, mas é uma realidade. O Banco Travessia vem com a possibilidade de resgatar essas pessoas, deixando-as mais próximas do mundo do trabalho. Ninguém tem futuro sem ter escolaridade. É um projeto fantástico e nossa expectativa é muito grande”, destacou o prefeito de Lagoa dos Patos, Hércules Vandy Durães, município de 4.500 habitantes localizado no Norte do Minas.

A previsão é que 21 mil famílias desses municípios sejam incluídas na iniciativa. As adesões começam em abril. Antes, técnicos do projeto vão visitar cada um dos 30 municípios para mobilizar a rede e verificar o local onde vai funcionar a agência. Haverá também capacitações regionalizadas para preparar os gestores municipais.

“Temos que destacar a expansão para mais 30 municípios como uma resposta às questões de privações, levantadas pelos indicadores de educação identificados por meio do Projeto Porta a Porta. É um projeto muito simples e fácil de ser implantado. O município só precisa disponibilizar um local para a instalação da agência, duas pessoas e fazer a mobilização”, ressaltou a subsecretária de Projetos Especiais da Sedese, Roberta Albanita, lembrando que uma família, bem trabalhada, pode receber, no mínimo, R$ 3 mil após dois anos.

Primeiras agências

Dez agências já foram implantadas nos municípios de Sabará, Confins, Capim Branco, Presidente Kubitschek, Arinos, Matutina, Juiz de Fora, Ninheira, Santo Antônio do Jacinto e Itinga, tendo condições de beneficiar até 14 mil domicílios.

O objetivo do Banco Travessia é atender famílias com pelo menos uma privação educacional. O projeto é um dos braços do Programa Travessia, lançado em 2008, e que combate a pobreza nas cidades com graves privações sociais em Minas. O combate é feito por meio da ação integrada e simultânea de secretarias e órgãos estatais, nas áreas de saúde, educação, geração de renda, infraestrutura urbana, saneamento e capacitação profissional.

O secretário de Administração de Santa Fé de Minas, município do Norte do Estado com 4 mil habitantes, Anderson José de Abreu Braga, participou do encontro desta quinta-feira (9) e falou sobre a implantação do projeto no município com otimismo.

“Geralmente, em cidades pequenas, com o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) menor, existe muita evasão escolar. Muitas pessoas precisam abandonar os estudos para trabalhar e ajudar na renda familiar. Por isso, a expectativa para receber o Banco Travessia é muito boa. De modo geral, o Programa Travessia já tem ajudado muito nosso município, na área da educação, da saúde e até de infraestrutura, e agora vem com mais essa ação do Banco Travessia”, concluiu.

Novos municípios no primeiro semestre de 2012

Alvorada de Minas, Campanário, Campo Azul, Carvalhos, Consolação, Diogo de Vasconcelos, Dom Joaquim, Fernandes Tourinho, Frei Lagonegro, Ibituruna, Joaquim Felício, Josenópolis, Lagoa dos Patos, Marilac, NacipRaydan, Natalândia, Oratórios, Passabém, Pescador, Ponto Chique, Presidente Juscelino, Quartel Geral, Santa Fé de Minas, Santo Antônio do Itambé, Santo Hipólito, São Geraldo da Piedade, São João do Pacuí, São José da Safira, São José do Divino e Serranópolis de Minas.

Gestão Anastasia: Bandas de Ouro Preto, Mariana, Itabirito e Diogo de Vasconcelos são contempladas com instrumentos

Governo de Minas entregou em todo o Estado 802 instrumentos a 126 corporações musicais

O Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de Cultura (SEC), entregou 802 instrumentos de sopro, metal e percussão a 126 corporações musicais contempladas por meio do Edital 2011 do programa “Bandas de Minas”. Nas cidades de Diogo de Vasconcelos, Itabirito, Mariana e Ouro Preto, sete bandas serão beneficiadas, com a entrega de 36 instrumentos musicais.

Além da doação de instrumentos musicais, o Programa Bandas de Minas vai realizar cursos/oficinas de capacitação e aperfeiçoamento artístico, e o lançamento de um CD, que será gravado com a participação de bandas agraciadas nesta edição.

As bandas civis representam uma instância de valorização da cultura popular e contam com o apoio da Secretaria de Estado de Cultura, por meio de convênio com a Codemig, que garante a doação de instrumentos musicais e a democratização do acesso a diferentes repertórios.

Novidade

Uma das mudanças implementadas em 2011 foi a criação de um edital específico para o programa. Segundo a secretária de Estado de Cultura, Eliane Parreiras, este é um mecanismo que favorece o relacionamento institucional entre os grupos e a secretaria, estimula o cadastramento das bandas, democratiza o processo de seleção, entre outros benefícios. “A criação do edital foi uma maneira de estabelecer um relacionamento formal entre essas corporações e a Secretaria de Estado de Cultura, para detectarmos o número de bandas existentes em Minas, se elas estão ou não ativas, e se representam instituições jurídicas ou não”, explica.

Nesta edição, o programa recebeu 350 projetos de 323 municípios mineiros. De acordo com Eliane Parreiras, o sucesso do número de inscrições ocorreu graças ao estreito diálogo entre a SEC e as corporações musicais. “A equipe técnica da secretaria realizou um atendimento minucioso, auxiliando desde a emissão de documentos e certidões, até no esclarecimento de dúvidas sobre registros”, comenta. “O processo foi extremamente democrático, justamente por levar em conta as limitações de cada corporação, bastando a elas apenas estarem devidamente legalizadas junto à secretaria”, completa.

Investimento crescente

Minas Gerais é o um dos estados brasileiros que abriga o maior número de corporações musicais e, a cada ano, novas instituições participam do programa. Das cerca de 800 bandas civis distribuídas pelo território mineiro, 753 estão cadastradas na Secretaria de Estado de Cultura, sendo que 537 delas já foram beneficiadas com a entrega de 7.435 instrumentos musicais, nos últimos oito anos (2003 a 2011). Os recursos destinados ao programa ultrapassam a soma de R$ 5,67 milhões.

Tradição das bandas em Minas

De caráter popular e espontâneo, as corporações musicais são consideradas patrimônio do povo mineiro, por serem guardiãs de uma tradição que data do século 18, no período aurífero. As bandas civis no Estado agregam cerca de 30 mil músicos.

A importância das bandas em Minas também se dá pelo fato de que essas corporações desempenham ações de caráter técnico-musical e comunitário, atraindo em torno de si a formação de verdadeiras escolas de música, oferecendo a todas as comunidades a oportunidade de exercitar talentos e descobrir vocações artísticas transmitidas há gerações.

Justamente por entender que as bandas são elementos primordiais de construção de relações culturais e históricas nas comunidades, o Governo de Minas reserva atenção especial a esse segmento da cultura, por meio do Programa Estadual de Apoio às Bandas de Música.

Relação das bandas contempladas em Diogo de Vasconcelos, Itabirito, Mariana e Ouro Preto:

Diogo de Vasconcelos                União Musical São Domingos

Itabirito                                   Corporação Santa Cecília

Itabirito                                   Corporação Musical União Itabirense

Mariana                                    Sociedade M. N. S. da Conceição de Furquim

Mariana                                    Sociedade Musical União XV de Novembro

Mariana                                    Sociedade Musical Oito de Dezembro

Ouro Preto                                Sociedade Musical Sr Bom Jesus das Flores

Governador Anastasia recebe prefeitos do Vale do Rio Piranga

Prefeitos apresentaram as demandas da região, que foi fortemente atingida pelas chuvas, e agradeceram a ajuda imediata e os investimentos realizados nos municípios nos últimos anos
Gil Leonardi/Imprensa MG
Estiveram presentes 9 prefeitos, das 11 cidades que compõe a área da Amapi
Estiveram presentes 9 prefeitos, das 11 cidades que compõe a área da Amapi

O governador Antonio Anastasia recebeu, nesta segunda-feira (6), no Palácio Tiradentes, nove prefeitos das 11 cidades que compõe a área da Associação dos Municípios da Microrregião do Vale do Rio Piranga (Amapi). Eles levaram ao governador demandas da região, que foi fortemente atingida pelas chuvas, e agradeceram pela ajuda imediata e pelos investimentos realizados nos municípios mineiros nos últimos anos.

Participaram da reunião o presidente Amapi e prefeito de Guaraciaba, Eli Dorneles; os prefeitos João do Carmo Macedo (Acaiaca), Fernando Magalhães (Barra Longa), Aroldo Gomes (Diogo de Vasconcelos), João Antônio Vidal (Ponte Nova), Vicente de Paula Barboza (Raul Soares), José Sílvios Rios (São Pedro dos Ferros), Maria das Dores Vilas Boas (Jequeri) e Terezinha Ramos (Mariana); além do deputado estadual, Bonifácio Mourão.

Fonte: Agência Minas