Gestão em Minas: Regional de Saúde de Patos de Minas realiza oficina de Melhoria da Qualidade da Atenção Primária

A oficina tem como objetivo principal compartilhar os fundamentos e tecnologias desenvolvidas para potencializar a qualidade na APS

Lilian Cunha
A oficina será realizada até quinta-feira (29)
A oficina será realizada até quinta-feira (29)

Os coordenadores municipais da Atenção Primária à Saúde (APS) dos 21 municípios da microrregião de Patos de Minas, no Alto Paranaíba, estarão reunidos, até quinta-feira (29), para a primeira oficina do Projeto para Fortalecimento da Qualidade na Atenção Primária à Saúde – Diagnóstico na Qualidade da Atenção Primária à Saúde. A oficina tem como objetivo principal compartilhar os fundamentos e tecnologias desenvolvidas para potencializar a qualidade na APS.

A oficina é ministrada pela enfermeira da Atenção Primária da Superintendência Regional de Saúde Patos de Minas, Adriana Lúcia Silva, e pelo apoiador do Colegiado dos Secretários Municipais de Saúde (Cosems) da macrorregião Noroeste, Antônio Eustáquio Maia.

A superintendente-adjunta da Regional de Saúde de Patos de Minas, Noemi Romero Augusto de Magalhães Portilho, destacou que a ordenação e a base de todos os programas de saúde estão na Atenção Primária. “Durante os três dias de oficina, os técnicos irão refletir e discutir a melhoria na Atenção Primária. Há um tempo, a preocupação do Governo de Minas era ampliar o número de Unidades Básicas de Saúde e hoje se busca qualificar a Atenção Primária à Saúde. O Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica (PMAQ) tem várias fases e a implantação da primeira fase é primordial para as próximas etapas”.

O Projeto para Fortalecimento da Qualidade na Atenção Primária à Saúde é um regaste do Plano Diretor de Atenção Primária em Saúde, realizado, em 2008, pela Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG). Segundo a secretária de Saúde de Carmo do Paranaíba e presidente do Cosems da regional de Patos de Minas, Leandra de Fátima da Silva Costa, o PMAQ é um desafio para garantir a universalidade e o acesso à atenção. “A porta de entrada precisa estar funcionando adequadamente, senão todo o sistema fica fragmentado. Nesta primeira etapa, teremos que avaliar os itens para realizarmos o diagnóstico e montarmos o Plano de Ação”.

Projeto para Qualificação da APS

O Projeto para a Qualificação da APS em Minas Gerais é destinado não apenas às equipes de APS que aderiram ao PMAQ, mas a todas as equipes do Estado. Ele busca auxiliar as equipes de APS dos municípios a fazerem a gestão de seus processos de trabalho, visando à sua melhoria contínua e considerando a necessidade de saúde da população e as redes prioritárias de saúde. Ao mesmo tempo, para aquelas equipes que aderiram ao PMAQ, deverá auxiliar o desenvolvimento de cada etapa, possibilitando uma melhor preparação e qualificação diante da avaliação externa para aquelas que se dedicarem.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/regional-de-saude-de-patos-de-minas-realiza-oficina-de-melhoria-da-qualidade-da-atencao-primaria/

Governo de Minas já investiu mais de R$ 50 milhões em hospitais do Leste de Minas

Recursos do Pro-Hosp são utilizados para reformas, ampliações e aquisição de equipamentos e UTIs

Divulgação/SES
Programa possibilitou investimentos em novos equipamentos em Caratinga e Resplendor
Programa possibilitou investimentos em novos equipamentos em Caratinga e Resplendor

O Programa de Fortalecimento e Melhoria da Qualidade dos Hospitais (Pro-Hosp), do Governo de Minas, têm mudado a realidade de muitos hospitais que atendem pacientes pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Somente na região no Leste do Estado, o programa alcançou, em 2011, o volume de R$ 53,3 milhões investidos.

Os recursos foram liberados para hospitais das cidades de Governador Valadares, Mantena, Resplendor, Santa Maria do Suaçuí, São João Evangelista, Guanhães, Ipatinga, Coronel Fabriciano, Timóteo e Caratinga.

Todos os hospitais da rede Pro-Hosp no Leste de Minas são contemplados com recursos para melhorar a qualidade da assistência, ampliar a capacidade de atendimento, reforma da infraestrutura, compra de equipamentos, modernização gerencial, treinamento de funcionários e custeio hospitalar.

O Hospital Nossa Senhora do Carmo, na cidade de Resplendor, é um dos vários exemplos da eficiência do Pro-Hosp. Beneficiada pelo programa desde 2004, a instituição foi transformada em uma unidade microrregional, para atender os pacientes do SUS do próprio município e também das cidades de Aimorés, Itueta, Santa Rita do Itueto, Conselheiro Pena, Goiabeira, Cuparaque e Alvarenga.

Até o ano passado, o hospital recebeu R$ 2,3 milhões do Pro-Hosp, que foram usados na ampliação da estrutura e na compra de equipamentos, entre outros benefícios. “O Pro-Hosp mudou a cara do hospital. Antes, nós fazíamos apenas atendimentos básicos. Com os recursos do Governo de Minas, remodelamos o prédio e reequipamos todas as áreas. Hoje, temos condições até de atender casos de média complexidade, inclusive fazer cirurgias, sem precisar encaminhar o paciente para outros locais”, diz o diretor do hospital, Agnaldo Maria Polito.

Um dos equipamentos adquiridos com recursos do Pro-Hosp foi um mamógrafo. A chegada do aparelho, em 2006, fez com que as mulheres da região deixassem de se deslocar até 160 quilômetros até Governador Valadares para fazer um exame essencial para o diagnóstico precoce de câncer de mama. “Já foram mais de três mil exames realizados e não há mais fila de espera. Todas as mulheres da nossa microrregião, que são acompanhadas pelas prefeituras, estão com a mamografia em dia devido por ter o equipamento mais próximo”, informa Agnaldo Polito.

Cidade ganha nova maternidade e UTIs

O Hospital Nossa Senhora Auxiliadora, de Caratinga, passou a fazer parte da Rede Pro-Hosp desde 2005 e já recebeu investimentos de aproximadamente R$ 4,9 milhões. A maior parte dos recursos foi utilizada na construção de um anexo ao antigo prédio. O número de leitos passou de 77 para 130. Dez dos 53 novos leitos são de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) – o que evita que pacientes que precisam de um tratamento mais complexo sejam transferidos para Ipatinga e Governador Valadares.

Também com recursos do Pro-Hosp foi implantada no anexo uma maternidade com sete UTIs para partos de alto risco. “O hospital passou a resolver 100% dos casos de partos de alto risco da microrregião de Caratinga. E, frequentemente, recebemos pacientes de fora da microrregião. Bom para nossa região e bom para as cidades para onde outrora encaminhavam os pacientes”, destaca Cláudio de Oliveira Paiva, administrador do Hospital.

Além de Caratinga, o Hospital Nossa Senhora Auxiliadora também atende pacientes das cidades de Bom Jesus do Galho, Córrego Novo, Entre Folhas, Imbé de Minas, Inhapim, Piedade de Caratinga, Santa Bárbara do Leste, Santa Rita de Minas, São Domingos das Dores, São Sebastião do Anta, Ubaporanga, Vargem Alegre e Vermelho Novo.

Pro-Hosp já investiu R$ 700 milhões em todo o Estado

Desde 2003, o Governo de Minas liberou cerca de R$ 700 milhões para unidades hospitalares em 105 cidades de todas as regiões, com recursos provenientes da Tesouro Estadual. Apenas em 2011, foram aplicados R$ 115 milhões. Para 2012, a previsão de investimentos do Pro-Hosp é da ordem de R$ 130 milhões.

De acordo com o coordenador do Programa, Tiago Lucas, as instituições beneficiadas pelos repasses exercem papel regional e inter-regional relevante para o SUS, por sua participação imprescindível na resolubilidade de clínicas de especialidades estratégicas, tais como cirurgia neurológica, cirurgia e tratamento em oncologia, cirurgia ortopédica e cirurgia cardiovascular.

Segundo ele, o Pro-Hosp possibilita à população mineira atendimento hospitalar de qualidade e com resolutividade o mais próximo possível das residências dos cidadãos. “O objetivo é que o paciente se desloque o mínimo possível de seu município para receber assistência médica necessária, evitando ter que viajar ou ser transportado para os grandes centros ou para Belo Horizonte”, explica Tiago Lucas.

Critérios para o repasse de recursos

A transferência de recursos do Tesouro estadual para os  hospitais beneficiados pelo Pro-Hosp leva em conta a população das macrorregiões e microrregiões (base de cálculo per capita) e também a realidade socioeconômica de cada uma, buscando atender ao princípio da equidade. Assim, nas áreas mais carentes – como nos Vales do Jequitinhonha, Mucuri e Rio Doce e nas regiões Nordeste e Norte de Minas – as unidades hospitalares recebem um valor per capita diferenciado, o quê, ao final, representa um maior volume de investimentos.

O Pro-Hosp se fundamenta em uma parceria entre o Estado e os hospitais públicos e filantrópicos que integram o Programa, com a participação dos gestores municipais, Colegiados dos Secretários Municipais de Saúde (Cosems-MG) e Conselhos de Saúde Municipal e Estadual. Por meio da Secretaria de Saúde de Minas Gerais, o Governo de Minas faz o repasse dos recursos, e as instituições se comprometem a cumprir metas assistenciais e gerenciais.

Fonte: Agência Minas

Governo de Minas: Secretaria de Estado de Saúde participa de reunião de alinhamento junto ao Cosems

Encontro colocou em pauta ações voltadas à melhoria da saúde nos municípios, além de fortalecer a importância dos programas estruturadores do Governo de Minas

Encontro colocou em pauta ações voltadas à melhoria da saúde nos municípios, além de fortalecer a importância dos programas estruturadores do Governo de Minas
Nathália Freitas/Cosems-MG
Secretário destacou a importância de definir, em conjunto, propostas contundentes e eficazes para a saúde
Secretário destacou a importância de definir, em conjunto, propostas contundentes e eficazes para a saúde

A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) participou, nessa quinta-feira (09), no Colegiado dos Secretários Municipais de Minas Gerais (Cosems-MG), de reunião de alinhamento com os presidentes dos Cosems Regionais, secretários Municipais de Saúde e membros da câmara técnica da Comissão Intergestores Bipartite (CIB). Uma das propostas discutidas foi a criação de um portal de transparência, que objetiva permitir a visualização da aplicação dos recursos públicos por todos os atores, de forma a instigar a sua correta aplicação.

O portal busca facilitar o acesso das transferências financeiras realizadas pela SES para os municípios. Além disso, permite, ainda, que os municípios acompanhem o repasse de recursos fundo a fundo e verifiquem quais recursos foram aplicados diretamente no seu município.

Para o presidente do Colegiado, Mauro Junqueira, a reunião é importante para o alinhamento de conceitos e propostas. “É fundamental mantermos este contato porque assim conseguimos definir melhor nossas ações, visando realizar em Minas Gerais uma política universal”, afirma.

O secretário de Estado de Saúde, Antônio Jorge de Souza Marques, enfatizou sobre a responsabilidade que todos os gestores possuem em trabalhar pela melhoria da saúde em Minas. “O SUS acontece pelo trabalho de nós gestores, por isso precisamos definir em conjunto propostas contundentes e eficazes”.

Programas estruturadores

Após a reunião de alinhamento, Antônio Jorge e técnicos da SES, apresentaram quatro programas estruturadores da saúde para demonstrar seus pontos positivos e colocar em discussão, através de uma comissão técnica específica que conta com a participação do Cosems e SES, possíveis formas de aprimoramento.  Os projetos são: Mães de Minas, Plano de enfrentamento do câncer de mama, Implantação do Protocolo de Manchester na Atenção Primária e Rede de Atenção ao Deficiente e Autismo.

Fonte:

Governo de Minas investe R$ 82,7 milhões em hospitais da Macro Sul

Hospitais de 17 municípios da região foram beneficiados pelo Pro-Hosp

André Brant
Ampliação da UTI Neonatal do hospital Vaz Monteiro, em Lavras, foi uma das obras realizadas pelo Pro-Hosp no Sul de Minas
Ampliação da UTI Neonatal do hospital Vaz Monteiro, em Lavras, foi uma das obras realizadas pelo Pro-Hosp no Sul de Minas

Desde 2003, o Governo de Minas investiu cerca de R$ 700 milhões em 132 hospitais, com recursos provenientes do Programa de Fortalecimento e Melhoria da Qualidade dos Hospitais (Pro-Hosp). Do total, R$ 82,7 milhões foram destinados a 20 hospitais de 17 municípios da Macro Sul. Com a ação, foram beneficiados moradores de Alfenas, Guaxupé, Machado, Passos, Piumhi, São Sebastião do Paraíso, Andradas, Itajubá, Poços de Caldas, Pouso Alegre, Baependi, Lavras, São Lourenço, Três Corações, Três Pontas e Varginha.

Apenas em 2011 foram aplicados R$ 115 milhões no programa. Para 2012, a previsão de investimentos do Pro-Hosp é da ordem de R$ 130 milhões. De acordo com o coordenador do programa, Tiago Lucas, a expansão da rede se deu por meio da inclusão de hospitais que exercem papel regional e inter-regional relevante para o Sistema Único de Saúde (SUS), por sua participação imprescindível na resolubilidade de clínicas de especialidades estratégicas, tais como cirurgia neurológica, cirurgia e tratamento em oncologia, cirurgia ortopédica e cirurgia cardiovascular.

Segundo ele, o Pro-Hosp possibilita aos cidadãos mineiros atendimento hospitalar de qualidade e com resolutividade, o mais próximo possível das suas residências. “O objetivo é que o paciente se desloque o mínimo possível de seu município para receber assistência médica necessária, evitando ter que viajar ou ser transportado para os grandes centros ou para Belo Horizonte”, explica Tiago Lucas.

Macro Sul

Situado em Lavras, o Hospital Vaz Monteiro foi uma das unidades a receber recursos do Pro-Hosp. Dentre as melhorias realizadas no hospital está a ampliação da UTI Neonatal e do centro cirúrgico, que passou de quatro para seis salas. Além disso, foram adquiridos materiais e equipamentos para unidade de internação do SUS disponível para recém-nascidos.

Dentre as benfeitorias realizadas pelo Pro-Hosp no hospital das Clínicas Samuel Libânio, em Pouso Alegre, estão a ampliação da Unidade de Terapia Intensiva (UTI), com mais nove leitos adulto, e a construção de um banco de leite e de uma nova área de maternidade, contemplando o Programa Viva Vida, dentre outras melhorias na unidade.

Critérios para o repasse de recursos

A transferência de recursos do Tesouro Estadual para os  hospitais beneficiados pelo Pro-Hosp leva em conta a população das macro e microrregiões (base de cálculo per capita) e também a realidade socioeconômica de cada uma, buscando atender ao princípio da equidade.

Assim, nas áreas mais carentes, como nos vales do Jequitinhonha, Mucuri e Rio Doce, e nas regiões Nordeste e Norte de Minas, as unidades hospitalares recebem um valor per capita diferenciado, o que, ao final, representa um maior volume de investimentos.

O Pro-Hosp se fundamenta em uma parceria entre o Estado e os hospitais públicos e filantrópicos que integram o programa, com a participação dos gestores municipais, Colegiados dos Secretários Municipais de Saúde (Cosems-MG) e Conselhos de Saúde Municipal e Estadual. Por meio da Secretaria de Estado de Saúde (SES), o Governo de Minas faz o repasse dos recursos. E as instituições, por sua vez, se comprometem a cumprir metas assistenciais e gerenciais.

Confira os 20 hospitais beneficiados na Macro Sul, por meio Pro-Hosp:

Alfenas: Casa de Caridade e Hospital Universitário Alzira Velano; Guaxupé: Irmandade de Misericórdia; Machado: Santa Casa de Caridade; Passos: Santa Casa de Misericórdia; Piumhi: Santa Casa de Misericórdia; São Sebastião do Paraíso: Santa Casa de Misericórdia: Andradas: Santa Casa de Misericórdia; Itajubá: Hospital Escola; Ouro Fino: Casa de Caridade; Poços de Caldas: Santa Casa de Misericórdia; Pouso Alegre: Hospital das Clínicas Samuel Libânio; Baependi: Sociedade Caritativa Sagrado Coração de Jesus; Lavras: Hospital Vaz Monteiro e Santa Casa de Misericórdia; São Lourenço: Casa de Caridade; Três Corações: Fundação Hospitalar São Sebastião; Três Pontas: Santa Casa de Misericórdia; Varginha: Hospital Bom Pastor e Hospital Regional do Sul de Minas.

Fonte: Agência Minas

Governo de Minas: Hospital Hélio Angotti, de Uberaba, passa a integrar rede Pro-Hosp

Desde 2003, o programa já investiu R$ 45,5 milhões no Triângulo Mineiro, em hospitais de Uberaba e nas cidades de Uberlândia, Frutal, Ituiutaba e Araguari
Divulgação/Secom MG
Rede de hospitais beneficiados pelo Pro-Hosp inclui 132 unidades, localizadas em 105 municípios de todas as regiões de Minas
Rede de hospitais beneficiados pelo Pro-Hosp inclui 132 unidades, localizadas em 105 municípios de todas as regiões de Minas

O Hospital Hélio Angotti, em Uberaba, Triângulo Mineiro, já recebeu os primeiros repasses do Programa de Fortalecimento e Melhoria da Qualidade dos Hospitais (Pro-Hosp), do Governo de Minas. A instituição é uma das quatro em todo o estado que passaram a fazer parte do Programa neste ano. Assim, a rede de hospitais beneficiados pelo Pro-Hosp inclui 132 unidades, localizadas em 105 municípios de todas as regiões de Minas.

Todos os hospitais da rede Pro-Hosp são contemplados com recursos para melhorar a qualidade da assistência, ampliar a capacidade de atendimento, reforma da infraestrutura, compra de equipamentos, modernização gerencial e custeio hospitalar.

Com média de 11,5 mil atendimentos por mês, o Hospital Hélio Angotti (HHA) é  referência no tratamento oncológico na região, sendo que cerca de 90% dos pacientes são atendidos pelo Sistema Único de Saúde (SUS). “O Pro-Hosp é de fundamental importância para a consolidação da instituição como centro de tratamento oncológico no Triângulo Mineiro, Alto Paranaíba e Noroeste de Minas”, diz o presidente do HHA,  Délcio Scandiuzzi.

Com os recursos do Pro-Hosp, o atendimento do Hospital Hélio Angotti será ampliado, evitando assim que muitos moradores precisem se deslocar para cidades do interior de São Paulo para buscar um tratamento mais especializado. “Já adquirimos equipamentos e medicamentos importantes e novos estão sendo viabilizados com os recursos já remetidos pelo Governo do Estado”, destaca o doutor Scandiuzzi.

Expansão

Além do Hélio Angotti, foram incluídos também na rede Pro-Hosp, em 2012, os hospitais Odilon Behrens e Mário Penna, em Belo Horizonte, e o Cristiano Varella, em Muriaé, na Zona da Mata. As quatro instituições já receberam, juntas, um total de R$ 6,5 milhões.

De acordo com o coordenador do Programa, Tiago Lucas, a expansão da Rede se deu por meio da inclusão de hospitais que exercem papel regional e inter-regional relevante para o SUS, por sua participação imprescindível na resolubilidade de clínicas de especialidades estratégicas, tais como cirurgia neurológica, cirurgia e tratamento em oncologia, cirurgia ortopédica e cirurgia cardiovascular.

Segundo ele, o Pro-Hosp possibilita à população mineira atendimento hospitalar de qualidade e com resolutividade o mais próximo possível das residências dos cidadãos. “O objetivo é que o paciente se desloque o mínimo possível de seu município para receber assistência médica necessária, evitando ter que viajar ou ser transportado para os grandes centros ou para Belo Horizonte”, explica Tiago Lucas.

Desde 2003, o Governo de Minas liberou cerca de R$ 700 milhões para unidades hospitalares, com recursos provenientes da Tesouro estadual. Apenas em 2011, foram aplicados R$ 115 milhões. Para 2012, a previsão de investimentos do Pro-Hosp é da ordem de R$ 130 milhões. Na região do Triângulo Mineiro, o programa já investiu, desde 2003, cerca de R$ 45,5 milhões em hospitais da própria Uberaba e nas cidades de Uberlândia, Frutal, Ituiutaba e Araguari.

Critérios para o repasse de recursos

A transferência de recursos do Tesouro estadual para os  hospitais beneficiados pelo Pro-Hosp leva em conta a população das macrorregiões e microrregiões (base de cálculo per capita) e também a realidade socioeconômica de cada uma, buscando atender ao princípio da equidade. Assim, nas áreas mais carentes – como nos Vales do Jequitinhonha, Mucuri e Rio Doce e nas regiões Nordeste e Norte de Minas – as unidades hospitalares recebem um valor per capita diferenciado, o quê, ao final, representa um maior volume de investimentos.

O Pro-Hosp se fundamenta em uma parceria entre o Estado e os hospitais públicos e filantrópicos que integram o Programa, com a participação dos gestores municipais, Colegiados dos Secretários Municipais de Saúde (Cosems-MG) e Conselhos de Saúde Municipal e Estadual. Por meio da Secretaria de Saúde de Minas Gerais, o Governo de Minas faz o repasse dos recursos, e as instituições se comprometem a cumprir metas assistenciais e gerenciais.

Fonte: Agência Minas