Copa 2014: Governo de Minas qualifica trabalhadores

Copa 2014: Alunos concluíram o curso “Noções de inglês para o turismo”, promovido pelo Governo de Minas

Gestão Anastasia: Governo de Minas

Jean Oliveira/Sete
Os 123 alunos foram qualificados visando a Copa
Os 123 alunos foram qualificados visando a Copa

A Secretaria de Estado de Trabalho e Emprego (Sete) certificou, nesta segunda-feira (5), no Auditório Juscelino Kubitschek, na Cidade Administrativa Presidente Tancredo Neves, 123 alunos entre taxistas, policiais militares, frentistas e agentes de saúde, no curso “Noções de inglês para o turismo”. A iniciativa faz parte das ações de qualificação profissional do Governo de Minas para a Copa do Mundo de 2014.

O curso foi realizado na unidade de atendimento ao trabalhador do Sine do município de Vespasiano, com recursos do Plano Territorial de Qualificação (Planteq), do Ministério do Trabalho e Emprego, geridos pela Sete. Após 200 horas, entre aulas teóricas e práticas, os alunos participantes receberam o certificado de conclusão do curso, que teve como parceiro o Instituto de Gestão de Políticas Sociais (Gesois). O conteúdo abordado durante o curso passou pelas situações cotidianas vivenciadas pelos profissionais, como se apresentar, dar informações, ajudar em situações de emergência.

Durante a cerimônia o secretário de Estado de Trabalho e Emprego, Hélio Rabelo, destacou a importância do primeiro passo. “O Governo de Minas dá o primeiro passo qualificando esses profissionais, que além de serem a nossa porta de entrada são também vitais no atendimento àqueles estrangeiros que chegam até a nossa cidade”.

Rabelo, disse ainda, que “ensinar uma língua estrangeira não é tarefa fácil, mas se queremos entrar no cenário mundial precisamos aproveitar as oportunidades. Hoje esses formandos souberam aproveitar essa oportunidade e estão se preparam também para o mundo”, comemorou.

O Tenente Bragança, do 36º Batalhão de Vespasiano, na região metropolitana, soube do curso de inglês e não perdeu a oportunidade. “Se é o Estado que me oferece essa chance, não posso deixar de aceitá-la. Já tinha uma vontade em fazer esse tipo de curso, mas não tinha tempo e nem condições financeiras”. O militar se diz satisfeito com o resultado. “O curso atendeu as minhas expectativas. Tudo que aprendi será muito útil no meu trabalho”.

Raissa Helena Castilho dos Reis, também aprovou a iniciativa. Agente de saúde em Vespasiano, a aluna acredita que a oportunidade traz bons resultados. “Aprendi noções básicas de inglês que são fundamentais para o meu trabalho. Agora, quando tiver que lidar com algum turista estrangeiro, estarei preparada para atendê-lo da melhor forma possível”.

O taxista Márcio Júnior Campos, que atua também na região de Vespasiano, disse estar aliviado com a conclusão do curso. “Antes era complicado entender o que os passageiros estrangeiros falavam. Até perdia corridas. Agora consigo atender melhor meus passageiros.

Participaram da reunião o secretário de Estado Extraordinário da Copa do Mundo, Tiago Lacerda, o superintendente de Política de Formação e Qualificação para o Trabalho da Sete, Bruno Magalhães, o presidente da Gesois, Hidelmano Amorim, o Comandante do 36º Batalhão da Polícia Militar, o Tenente Coronel Marcelo Martins de Resende e o coordenador do Sine de Vespasiano, Glauco Souza.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/governo-de-minas-qualifica-trabalhadores-para-a-copa-do-mundo/

Gestão Anastasia: iniciativa do Governo de Minas para a segurança pública é referência para o Estado de Rondônia

Delegação da Secretaria de Justiça de Rondônia vem a Minas conhecer o cartão Trabalhando a Cidadania

Luiza Muzzi
Durante o encontro, foram apresentadas as diversas ações do programa Trabalhando a Cidadania
Durante o encontro, foram apresentadas as diversas ações do programa Trabalhando a Cidadania

A Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds) recebeu, nesta quinta-feira (10), representantes da Secretaria de Justiça do Estado de Rondônia, que vieram a Belo Horizonte conhecer o cartão Trabalhando a Cidadania. A iniciativa, pioneira no país, é fruto de trabalhos desenvolvidos pela Superintendência de Atendimento ao Preso (Sape), da Subsecretaria de Administração Prisional (Suapi), em parceria com o Banco do Brasil. Desde maio do ano passado, detentos de Minas Gerais que trabalham enquanto cumprem pena recebem o salário por meio de cartões magnéticos, que podem ser usados para sacar dinheiro ou realizar pagamentos a débito.

Segundo o superintendente de Atendimento ao Preso, Helil Bruzadelli, o governo de Rondônia procurou a Seds para aprender as boas práticas de ressocialização desenvolvidas em Minas. “A comitiva quer conhecer o cartão Trabalhando a Cidadania para depois implantar a inciativa naquele estado”, conta. Além dos representantes de Rondônia, a superintendência já recebeu visitas de comitivas de Santa Catarina e de Pernambuco, com o mesmo objetivo de conhecer a experiência mineira do cartão. “O mais importante nessas visitas é o intercâmbio de informações”, completou.

Durante o encontro, foram apresentadas as diversas ações do programa Trabalhando a Cidadania, que prevê a reinserção social de detentos. “Avançamos muito na área de ressocialização e atendimento nos últimos quatro anos e, nesse processo, é fundamental a participação da sociedade. Atualmente mantemos mais de 400 parcerias de trabalho”, destacou o superintendente Helil Bruzadelli.

Programação

Ao longo da manhã, o diretor de Trabalho e Produção da Suapi, Guilherme Augusto Lima, apresentou à comitiva o funcionamento do sistema de gerenciamento do trabalho dos presos e o fluxo operacional de pagamento. Na parte da tarde, os visitantes conheceram o Centro de Referência à Gestante Privada de Liberdade e o Presídio de Vespasiano.

Na sexta-feira (11), a Superintendência de Atendimento ao Preso vai apresentar para a equipe de Rondônia o sistema de classificação de presos, realizado por meio das Comissões Técnicas de Classificação (CTC). Em seguida, a comitiva irá conhecer as três unidades prisionais do complexo de São Joaquim de Bicas.

Benefícios

Atualmente, cerca de 11,5 mil presos trabalham enquanto cumprem pena nas unidades prisionais do Estado. Os detentos atuam nas mais diversas atividades, como produção de bolas, sacolas ecológicas, equipamentos eletrônicos, cortinas, uniformes, roupas e, até mesmo, na reforma do Mineirão para a Copa do Mundo de 2014. Pelo trabalho, os presos recebem redução da pena – a cada três dias trabalhados, um a menos na sentença a ser cumprida – e, em muitos casos, remuneração.

O valor do pagamento para o detento é distribuído em três partes: 50% pago ao preso no mês seguinte à realização do trabalho, 25% destinado a pecúlio, que é levantado quando o detento se desliga do sistema prisional e outros 25% utilizados para ressarcimento do Estado. Antes do cartão, o pagamento pelo trabalho era creditado em uma única conta por unidade prisional e um agente penitenciário ou servidor ficava responsável pelo repasse aos detentos, mediante assinatura de comprovante. Agora, o salário é depositado em uma conta-benefício e o próprio detento, ou alguma pessoa a quem ele concedeu procuração, pode sacá-lo em qualquer agência ou caixa eletrônico.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/iniciativa-do-governo-de-minas-para-a-seguranca-publica-e-referencia-para-o-estado-de-rondonia/

Governo de Minas: Artesanato e turismo rural ganham reforço em capacitação da Emater-MG

O evento será realizado em Curvelo e conta com parcerias das secretarias de Desenvolvimento Econômico e de Turismo

A Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater-MG) programou, para os períodos de 21 a 25 de maio e de 28 a 31 de maio, em Curvelo, na região Central do Estado, duas oficinas que visam promover a integração e a socialização de conhecimentos e experiências nas áreas de artesanato e turismo rural. O evento, que tem as parcerias das secretarias de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sede) e de Turismo (Setur), além da Universidade do Estado de Minas Gerais (Uemg) e da Cooperativa Dedo de Gente, de Curvelo, será dirigido a 70 extensionistas, entre técnicos locais e coordenadores regionais e estaduais da Emater-MG.

Responsável pela organização do evento, a coordenadora técnica estadual das áreas de Artesanato e Turismo rural, Cléa Venina, falou da importância dessa capacitação para os profissionais técnicos da empresa. “Esta é uma ação muito importante para prepararmos melhor os grupos de artesãos agricultores familiares, visando a um melhor alcance de mercado, com ampliação de postos de trabalho, ocupação e melhoria da renda. Queremos melhorar a qualidade de vida desse segmento rural sem perder de vista o respeito ao meio ambiente e às tradições da cultura local”, explicou.

Para a coordenadora técnica, a realização dos jogos da Copa do Mundo de 2014 no Brasil também justifica a necessidade de preparar mais os agricultores familiares envolvidos nessas duas atividades. “A proximidade dos jogos da Copa 2014 traz a possibilidade de abertura de novos mercados para o artesanato e o turismo rural mineiros. Por isso a preparação desses grupos produtivos é de grande valia. Nosso papel é orientar para uma produção com melhor qualidade e buscar junto a esses grupos novas possibilidades de mercado”, disse.

A coordenadora técnica regional de Diamantina, Claudete Maria Souza e Costa, que acompanha projetos de incentivo ao turismo rural vinculados à produção artesanal em comunidades do município e da região, reforça os argumentos de Cléa Venina. Ela afirma que a Emater-MG já atua no sentido de preparar os agricultores familiares para o maior evento do futebol mundial. “Participamos do conselho do Circuito Turístico dos Diamantes, composto por 13 municípios da região, que tem como estratégia desenvolver ações integradas de roteiro e de divulgação com outros circuitos, como o Circuito da Serra do Cipó. A intenção é viabilizar o fluxo de turistas, durante os jogos”, explica.

Diamantina

Entre os temas a serem tratados nas oficinas de Curvelo, será destaque a apresentação de casos de sucesso de turismo comunitário da regional de Diamantina. Uma das iniciativas acontece desde 2008 na comunidade rural de Vau. Ela envolve cerca de 55 famílias locais atendidas pelo Programa de Turismo em Comunidade Rural. O programa é assistido pela Emater-MG e pelo Centro Vocacional Chica da Silva. No local, produtores de doces, quitandas, conservas e artesanato de fibra de bambu recebem apoio e orientação em gestão, qualificação, organização e comercialização dos produtos da comunidade. De acordo Claudete Maria, o resultado tem sido uma melhoria na renda dos moradores da comunidade que puderam adquirir mais equipamentos para incrementar a produção. “Eles comercializam a produção na Vila Real, um espaço com loja dos produtos tradicionais, salão de convivência, acesso à internet, nas margens da Estrada Real”, conta.

Outro trabalho desenvolvido pela Emater-MG na perspectiva da vocação turística da região de Diamantina, é promovido na comunidade de Cuiabá, no município de Gouveia. É o projeto Turismo de Vilarejo, que, de acordo com Claudete Maria, beneficia mais de 50 famílias de agricultores locais. “Entramos no processo este ano e estamos apoiando o 2º Festival de Comidas Típicas de Gouveia, que será realizado de 25 a 27 de maio”, informa. Ela acrescenta que a empresa faz parte da comissão organizadora do evento, apoiando a divulgação e a articulação junto a outras instituições para captação de recursos. “Além de Diamantina ser patrimônio cultural da humanidade, esta é uma região de grandes atrativos na natureza, como grutas, cachoeiras, rios, matas e parques. O nosso objetivo é inserir os agricultores no processo de desenvolvimento rural sustentável”, justifica.

ICMS diferenciado para artesãos

A capilaridade da Emater-MG, presente em 788.municípios do Estado, será uma importante aliada na implantação de uma política pública de apoio mais abrangente para o artesanato mineiro, a partir de um diagnóstico sobre o real alcance da atividade.  A constatação é da diretora de Desenvolvimento do Artesanato da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sede), Patricia Miranda, que ministrará uma palestra nas oficinas de Curvelo para falar sobre a tributação do artesanato produzido em Minas. “Hoje, a capilaridade da Emater-MG é uma ferramenta e tanto para mensurar o universo de artesãos no Estado”, ressalta.

A diretora da Sede vai explicar aos 70 extensionistas participantes do evento sobre o regime diferenciado de ICMS para os artesãos. Segundo ela, pelo novo regime “o artesão, ao fazer a venda de seu produto, em vez de pagar de 12% a 18%, conforme o Simples Nacional, ele pagará apenas a alíquota de 7%, sendo que, na verdade, ele arcará com 3% e o governo estadual, 4%”. De acordo com Patrícia, a condição para que o artesão possa usufruir desse regime é ser representado ou vinculado à cooperativa ou associação. “Não pode ser pessoa física”, salienta. Miranda calcula que existam mais de 20 mil artesãos no Estado. “Algumas publicações falam em 20 mil, mas ainda acho pouco, pois existem aqueles que fazem alimentos artesanais”, argumenta.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/artesanato-e-turismo-rural-ganham-reforco-em-capacitacao-da-emater-mg/

Governo de Minas: Circuito dos Diamantes cria arte para o mundo

Agricultura Familiar amplia horizontes com a profissionalização do artesanato no Vale do Jequitinhonha

Bonecas de palhas originalmente coloridas exportadas para a Itália e Alemanha; ampliação de espaços no mercado consumidor interno por meio de lojistas de renome e a inserção do Circuito dos Diamantes no Programa Talentos do Brasil Rural, que na Copa do Mundo de 2014 terá o objetivo de divulgar e comercializar produtos oriundos da agricultura familiar para turistas de várias partes do mundo que vierem ao Brasil.

Estas são algumas das conquistas que cerca de 450 artesãos residentes em 12 municípios integrantes do Circuito dos Diamantes, no Vale do Jequitinhonha, obtiveram nos últimos seis anos por meio de várias ações implementadas pelo Governo de Minas. O trabalho investe na profissionalização da atividade artesanal que, no Vale do Jequitinhonha, se constitui numa das principais fontes de geração de emprego e renda para centenas de famílias.

O trabalho de organização dos artesãos do Vale do Jequitinhonha implementado pela Emater, é voltado para o desenvolvimento e consolidação de arranjos produtivos locais. O foco das ações envolve o desenvolvimento de novos produtos; formação de grupos e organização de pequenas associações comunitárias, levando-se em conta as peculiaridades e as tradições de cada município na exploração da atividade artesanal.

“Muitas famílias se mantêm a partir da dedicação ao artesanato que, no caso do Vale do Jequitinhonha, se constitui numa atividade altamente includente, envolvendo homens e mulheres de todas as idades” – ressalta o coordenador técnico da Emater, Dario Magno de Miranda Maia.

Vocação regional

Em cada município a Associação Vale Circuito é composta por pequenas associações comunitárias, através das quais a Emater tem viabilizado a realização de treinamentos voltados para o desenvolvimento e melhoria da qualidade de produtos, bem como o acesso a mercados. A ênfase no associativismo tem sido uma das prioridades.

“A grande opção da agricultura familiar é a agroindústria. Quando se agrega valor à produção, pequenos produtores obtêm ganhos significativos o que se reverte na fixação do homem no campo e na melhoria da qualidade de vida”, explica a coordenadora regional da Emater e gestora do Projeto Artesanato no Vale do Jequitinhonha, Maris Stela Pires Lima.

Um dos exemplos de sucesso do trabalho que conta com o apoio do Governo de Minas é a exportação de bonecas de palhas coloridas para a Alemanha e Itália, envolvendo artesãos da comunidade de Planalto de Minas. Nos últimos dois anos as exportações já aconteceram três vezes.

Sempre Vivas: foco na sustentabilidade

Com apoio da Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM), 29 famílias integrantes da Associação de Artesãos de Sempre Vivas da localidade de Galheiros, zona rural de Diamantina, iniciaram recentemente a implementação de pesquisas voltadas para a reprodução de espécies de sempre vivas ameaçadas de extinção.

“A principal fonte de renda das famílias de Galheiros é o artesanato. A agricultura existente na região é de subsistência e, por isso, estabelecemos parcerias com a Emater, IEF, Instituto Brasileiro de Proteção do Meio Ambiente (Ibama) e Universidade Federal visando desenvolvermos técnicas de preservação de várias espécies de sempre vivas. Trata-se de matéria-prima fundamental para a manutenção do nosso trabalho e sobrevivência – salienta a secretária da Associação de Artesãos de Sempre Vivas, Juraci Borges da Silva. As pesquisas implicam em plantio de espécies ameaçadas de extinção e técnicas de manejo e de exploração.

Criada em 2001 a Associação, que conta com a participação de dez artesãos do sexo masculino, tem conquistado clientes em vários estados através da participação em feiras e exposições realizadas nas principais capitais do Centro/Sul do país. Além da comercialização no tradicional e histórico Mercado de Diamantina, há cinco anos os artesãos atendem encomendas de lojistas. “Em determinadas épocas do ano chegamos a receber encomendas de até mil peças. Assim que entregamos os produtos recebemos o pagamento. Nunca tivemos prejuízo”, comemora Juraci Silva.

As atividades em favor da produção artesanal são desenvolvidas pela Emater e contam com a participação da Secretaria de Desenvolvimento dos Vales do Jequitinhonha, Mucuri e Norte de Minas (Sedvan), do Instituto de Desenvolvimento do Norte e Nordeste de Minas Gerais (Idene), Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae); Instituto Estadual de Florestas (IEF), Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM). Também estão diretamente envolvidas no trabalho as prefeituras de Diamantina, Alvorada de Minas, Felício dos Santos, Santo Antônio do Itambé, Serro, Presidente Kubitschek, Datas, Gouveia, Monjolos, Couto de Magalhães, Rio Preto e Senador Modestino, que compõem o Circuito dos Diamantes.

Copa do Mundo abre novos horizontes

Este ano a Associação Vale Circuito foi selecionada pelo governo federal para participar do Programa Talentos do Brasil Rural, coordenado pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA). O objetivo é valorizar e ampliar a divulgação da agricultura familiar, principalmente durante a Copa do Mundo de 2014.

No tradicional mercado de Diamantina, a Associação Vale Circuito comercializa peças com preços variando de R$ 5,00 a R$ 450,00. De tapetes arraiolo, a bonecas de palha, bordados, panos de prato, caminhos de mesa, passando por artesanato de argila, de sempre vivas e de cabaças, a loja comercializa mensalmente uma média de 800 peças. O movimento é concentrado nos finais de semana, especialmente nas famosas vesperatas de Diamantina.

“Para mim, independentemente do preço, cada peça vendida tem um grande significado. O valor arrecadado é integralmente repassado ao autor da obra que, em muitos casos, tem na atividade sua principal fonte de sobrevivência”, explica a gestora do Centro de Comercialização da Associação Vale Circuito, Aparecida Angélica Medeiros.

Vaticano

A artesã e dirigente da Associação Ciranda Cirandinha do município de Datas, Aracy Cardoso, atesta que o trabalho de profissionalização do turismo no Vale do Jequitinhonha tem proporcionado o alcance de resultados positivos. Envolvendo 17 artesãos especializados na produção de peças do Divino Espírito Santo, o grupo é um dos destaques na participação em feiras e exposições realizadas em todo o país. “Aqui temos pessoas que sobrevivem apenas da produção de artesanato”, ressalta Aracy.

No ano passado, em apenas uma feira o grupo comercializou cerca R$ 30 mil. As peças esculpidas em madeira maciça e revestidas com lâminas também de madeira decoram igrejas e casas em várias regiões do país e também um dos salões do Vaticano, em Roma. O presente foi entregue ao papa João Paulo II, numa de suas viagens ao Brasil.

Terapia

Por meio do Instituto Milho Verde, integrante da Associação Vale Circuito, 18 agricultoras da comunidade Barra da Cega, localizada na zona rural do município de Serro, dedicam parte do dia à produção de bordados. O trabalho foi difundido na comunidade pela agricultora, Maria José Matos Oliveira que, por recomendação médica, foi orientada a desenvolver outras atividades para combater a depressão.

“Me dediquei à produção de bordados e consegui superar os problemas de saúde. Como outras mulheres da comunidade não tinham uma atividade que lhes proporcionassem renda, resolvi ensiná-las e o resultado tem sido muito bom”, revela Maria Oliveira.

Atualmente, além de blog na internet, as bordadeiras de Barra da Cega participam de feiras e exposições através das quais tem incrementado a comercialização dos produtos que se diferenciam no mercado por utilizar retalhos e a criatividade das próprias artesãs.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/circuito-dos-diamantes-cria-arte-para-o-mundo/

Governo de Minas: mineirão recebe estrutura de sustentação da nova cobertura

Todas as cadeiras do estádio ficarão cobertas, inclusive as que serão instaladas na arquibancada inferior

As estruturas de aço que irão sustentar a cobertura do Novo Mineirão já estão chegando ao estádio da Pampulha. A cobertura que está sendo construída será um prolongamento de 26 metros da estrutura já existente.

Com as obras, todas as cadeiras do estádio ficarão cobertas, inclusive as que serão instaladas na arquibancada inferior do Novo Mineirão. A modernização do estádio fará com que Minas Gerais seja uma referência durante a realização da Copa do Mundo de 2014.

A cobertura será feita com um material especial, que reduz o calor, sem interferir na passagem de luz, assegurando mais conforto aos torcedores, atletas e profissionais de imprensa.

A estrutura será, ainda, um exemplo de sustentabilidade. Calhas coletoras armazenarão água da chuva, para reutilização no próprio Mineirão. Além disso, a cobertura também fará absorção da luz solar, para conversão em energia. As obras serão concluídas até dezembro de 2013.

Para mais informações, assista o vídeo ao lado. Para saber mais sobre a nova cobertura do Mineirão clique aqui.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/mineirao-recebe-estrutura-de-sustentacao-da-nova-cobertura/

Gestão Anastasia: cotação da mandioca estimula produtor de Minas Gerais

Próximo plantio deve aumentar para atender ao mercado na Copa do Mundo

Divulgação/Seapa MG
A agricultura familiar em Minas responde por 84% da produção estadual de mandioca
A agricultura familiar em Minas responde por 84% da produção estadual de mandioca

Com base nos resultados contabilizados nos dois últimos meses, os produtores mineiros de mandioca para consumo de mesa apostam na manutenção de boas vendas em 2012. Neste início de colheita, o valor da caixa de 22 quilos nas propriedades alcança até R$ 20,00, uma alta de 150% em relação ao preço médio registrado há um ano, informa a Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa).

A perspectiva de aumento da remuneração, principalmente no período de frio, estimula os agricultores de Bonfim, município da Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH). Eles estão interessados também na ampliação da área plantada de mandioca, a partir de outubro, para atender ao possível aumento do consumo na Copa do Mundo de 2014.

O extensionista da Emater-MG, Sidney Lacerda Marcelino do Carmo, explica que o período de cultivo da mandioca é de cerca de um ano e meio. “Portanto, a parte principal da colheita nas lavouras em expansão deverá coincidir mesmo com o período dos jogos, e tudo indica que a demanda do produto pelos bares, restaurantes e hotéis será incrementada”, ressalta.

Produtor tradicional

Diante da perspectiva de aumento temporário do número de consumidores –  grande parte constituída por turistas dispostos a pagar mais pelo produto –, os agricultores de Bonfim acreditam que a posição do município como um dos polos tradicionais da mandioca em Minas será reforçada. Entre os 500 produtores locais que se dedicam à cultura, a maioria trabalha em lavouras de até quatro hectares, conforme a avaliação de Sidney Lacerda.

“Além de aumentar a área de plantio, os produtores também deverão investir mais em tecnologia”, enfatiza o extensionista. Por enquanto, o foco para os produtores é atender à expansão da demanda por mandioca no mercado da RMBH. Dados da Ceasa Minas mostram que, no acumulado de fevereiro e março deste ano, o município de Bonfim colocou no entreposto 1,1 mil tonelada de mandioca. Esse volume equivale a 37,1% da entrega total do produto pelos agricultores mineiros à Ceasa nesse período.

Da lavoura do agricultor Vandeir Fernandes do Carmo, numa área de 20 hectares, saíram 18 mil caixas de 22 quilos em 2011. Embora a colheita prevista para este ano seja um pouco menor, por causa de problemas climáticos no período anterior, a cotação do mercado deverá compensar. “O preço varia de R$ 25,00 a R$ 26,00 a caixa nas vendas para a Ceasa e para um grande supermercado de Belo Horizonte”, ele explica.

O custo médio de produção, principalmente com a aquisição de adubo e calcário, é R$ 4,00 por caixa, segundo a avaliação do produtor. “Por isso, a caixa deve ser vendida no mínimo por R$ 10,00 para garantir algum retorno”, finaliza Vandeir.

Agricultura familiar

De acordo com o Censo Agropecuário 2006 do IBGE, a agricultura familiar em Minas, contando com cerca de 440 mil estabelecimentos, responde por 84% da produção estadual de mandioca (o total estimado para este ano é 808,4 mil toneladas). Para o subsecretário de Agricultura Familiar, Edmar Gadelha, esse número mostra a importância da atividade voltada para um produto utilizado em grande escala na culinária do Estado, tanto para o consumo “in natura” quanto nas formas processadas.

O subsecretário também observa que as diversas variedades de mandioca existentes em Minas facilitam a produção. “Em Almenara, no Vale do Jequitinhonha, foram identificadas mais de 30 variedades com resistências diferentes às situações de clima e solo”, ele explica.

Gadelha destaca, ainda, a importância da assistência da Emater-MG aos estabelecimentos de agricultura familiar na adoção de boas práticas com o objetivo de garantir mandioca de alta qualidade para consumo de mesa ou industrialização. “Esse acompanhamento é fundamental também para a inclusão, nos estabelecimentos, de tecnologias de baixo custo que possibilitem o processamento da mandioca conforme as normas de qualidade e segurança alimentar e, como consequência, ajudem a aumentar a renda do produtor”, finaliza.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/cotacao-da-mandioca-estimula-produtor-de-minas-gerais/

Governo de Minas: Programa de Voluntariado para a Copa do Mundo de 2014 é apresentado em Manaus

Secopa-MG destaca a importância da participação de voluntários durante o evento esportivo

Portal da Copa / Divulgação
Programa Oficial de Voluntários foi apresentado pelo gerente de Voluntários do COL, Rodrigo Hermida
Programa Oficial de Voluntários foi apresentado pelo gerente de Voluntários do COL, Rodrigo Hermida

Representantes do Comitê Municipal da Copa de Belo Horizonte e da Secretaria de Estado Extraordinária da Copa do Mundo de Minas Gerais (Secopa-MG) participam nesta sexta-feira  (04), em Manaus (AM), do I Seminário de Voluntariado, promovido pelo Comitê Organizador Local (COL) da Copa do Mundo da FIFA 2014™. O Programa Oficial de Voluntários foi apresentado pelo gerente de Voluntários do COL, Rodrigo Hermida. A sessão também contou com a presença de Fábio Starling, gerente geral de Relações com as sedes, e Marcello Cordeiro, gerente geral de competições, do COL, além de representantes das 12 cidades-sede.

Hermida explicou detalhes do funcionamento do programa, como o processo de inscrição e seleção, requisitos para participar e iniciativas de inclusão. No período da tarde, as cidades-sede terão a oportunidade de apresentar suas propostas e esclarecer dúvidas. De acordo com estimativas da FIFA, a Copa 2014 deve contar com a participação de 18 mil voluntários. Em 2013, a expectativa para a Copa das Confederações é de 6.000 voluntários. A Secopa-MG e o Comitê da Copa de Belo Horizonte elaboram um planejamento conjunto, buscando a integração de iniciativas locais ao programa oficial de voluntariado.

A assessora da Secopa-MG presente ao encontro, Ludimila Kai, acrescentou que o trabalho com voluntários da agenda de 2013 e 2014 será fundamental em vários aspectos. “O programa vai colher resultados muito positivos porque o COL pretende realizar um trabalho integrado entre as 12 cidades-sede, reforçando a parceria necessária para o êxito dessa iniciativa que tanto mobiliza a sociedade”, disse Ludimila Kai, em Manaus.

No âmbito municipal, o projeto é coordenado pelo secretário adjunto de Lazer, Roberto Tross, representado no Seminário pelos assessores do Comitê, Alessandra Santos e Alexandre Maestrini. “A soma de esforços para a mobilização de voluntários gera um movimento muito interessante junto à população, com repercussões muito positivas, que são também uma forma de legado”, explica Maestrini

O lançamento do Programa Oficial de Voluntários será divulgado na imprensa e no site oficial da FIFA (www.fifa.com).  Somente serão aceitas inscrições realizadas online. Para participar, é necessário fazer a inscrição via internet, participar do processo seletivo e acompanhar as notícias que serão divulgadas no site.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/programa-de-voluntariado-para-a-copa-do-mundo-de-2014-e-apresentado-em-manaus/

Gestão em Minas: cobertura do Novo Mineirão começa a ser montada

Com as obras mais avançadas do Brasil, estádio será referência na Copa do Mundo de 2014

Sylvio Coutinho/Divulgação
Material, feito de dióxido de titânio, permite melhor passagem de luz natural
Material, feito de dióxido de titânio, permite melhor passagem de luz natural

Os trabalhos de modernização do estádio da Pampulha avançam com a recente chegada da estrutura metálica da cobertura do novo Mineirão. As novas treliças tubulares de aço vão receber uma membrana translúcida e auto-limpante em sua parte superior. O material, feito de dióxido de titânio, permite melhor passagem de luz natural e oferece maior resistência contra intempéries, além de ser mais econômico.

A cobertura está sendo instalada para proporcionar maior segurança e conforto a todos os visitantes da nova arena. A estrutura atual será expandida em 26 metros com a instalação das treliças para proteger os assentos mais próximos ao gramado. As cerca de 500 peças em fabricação vão totalizar aproximadamente mil toneladas. O projeto da nova cobertura foi concebido pela empresa Engserj, de renomados acadêmicos da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). As treliças, fabricadas em São Paulo, são empregadas também no estádio de Durban, África do Sul, e em outros de futebol americano dos EUA.

Iniciado em outubro de 2011, o trabalho de reforço da estrutura atual deu início à preparação para instalação da nova cobertura. Nessa etapa, foi construída a estrutura que hoje recebe os chamados tirantes, que são cabos de tração com a finalidade de sustentar o peso da cobertura. Esses cabos serão tensionados à uma força equivalente ao peso de 5 mil toneladas. Foi necessário, inclusive, fazer reforço na fundação do estádio.

O trabalho será executado por cerca de 100 operários especializados, incluindo profissionais com formação em montanhismo. Tem previsão de término para novembro deste ano. “Será uma nova cobertura feita com estruturas mais leves, material com alto desempenho, além de esteticamente agradáveis”, conclui José Severiano Braga da Silva, gerente de operações da obra.

Estágio avançado

Esta semana, a obra atingiu o pico máximo de trabalhadores, com 2.000 operários em campo, e a marca de 58% dos trabalhos concluídos. Cerca de 80% das peças da esplanada já foram instaladas ao redor da fachada 100% já tratada. Na parte interna, 30% da arquibancada inferior está instalada e 80% dos bares e banheiros já receberam acabamento (reboco e piso) com instalação de bancadas e divisórios de granito (50%).

As instalações do novo fosso de segurança também estão em fase final, com 90% de execução. Seguem em andamento as atividades de infraestrutura elétrica, hidráulica e de drenagem, além da execução dos pisos da esplanada e do estacionamento coberto. Serão disputadas no novo estádio três partidas durante a Copa das Confederações, em 2013, e outros seis jogos na Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014 (quatro na primeira fase, um na oitava de final e outro na semifinal).

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/cobertura-do-novo-mineirao-comeca-a-ser-montada/

Gestão Eficiente: palavra do Governador destaca o Novo Independência, primeiro estádio do país para a Copa 2014

“É um estádio histórico, não só para Belo Horizonte, mas para Minas Gerais, que servirá também como campo de apoio para a Copa do Mundo”, diz Antonio Anastasia

No Palavra do Governador desta semana, Antonio Anastasia fala sobre o Novo Independência. O Estádio, completamente reconstruído, foi reinaugurado nessa quarta-feira (25).

“É o primeiro a ser construído no Brasil nessa nova fase. O Independência que está sendo entregue agora é um estádio de padrão internacional, com quase 25 mil lugares, com todos os confortos necessários”, afirma o governador.

Anastasia destaca o compromisso de Minas Gerais com a Copa do Mundo de 2014. O cronograma de obras de mobilidade urbana na capital está em dia e o Mineirão já tem data de inauguração.

“No dia 21 de dezembro deste ano, 2012, devemos inaugurar o Mineirão, que é um grande orgulho de todos os mineiros. Um dos maiores estádios do Brasil está sendo também reconstruído e por isso o nome o Novo Mineirão. E tenho certeza que servirá de belo palco não só para a Copa das Confederações em 2013, a Copa do Mundo em 2014, mas especialmente para o futebol nos anos seguintes”, ressalta Anastasia.

Para o governador, a Copa do Mundo será uma oportunidade para todo o Estado, já que 19 cidades mineiras são candidatas a sediar um Centro de Treinamento de Seleção (CTS). “Convidamos a seleção italiana para fazer sua preparação em Minas. É bom lembrar que, depois do Brasil, a Itália é a que tem o maior número de títulos da Copa do Mundo e há uma grande colônia italiana em Minas Gerais. Pela sua localização geográfica, pelo clima, pelas instalações esportivas que temos, tenho certeza, Minas poderá ser a sede de muitas seleções estrangeiras”, conclui Anastasia.

O Palavra do Governador pode ser reproduzido por qualquer veículo de imprensa, sem ônus e de forma espontânea. O programa é disponibilizado todas as quintas-feiras nas modalidades texto (para jornais impressos e online), áudio (para rádio e pudicas/web) e vídeo (em qualidade HD).

Veja aqui a Galeria de Fotos do Palavra do Governador

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/palavra-do-governador-destaca-o-novo-independencia-primeiro-estadio-do-pais-para-a-copa-2014/

Governo de Minas: estádio Independência recebe jogo-teste e está pronto para inauguração

No primeiro jogo após as obras estiveram em campo, operários, jornalistas e ex-jogadores profissionais

Sylvio Coutinho/Divulgação
Estiveram em campo, operários, jornalistas e ex-jogadores profissionais nesta primeira partida
Estiveram em campo, operários, jornalistas e ex-jogadores profissionais nesta primeira partida

A bola rolou no novo estádio Independência, que recebeu na noite dessa segunda-feira (23) o seu primeiro jogo após as obras de modernização. Em campo, operários, jornalistas e ex-jogadores profissionais. Além de ser uma homenagem àqueles que trabalharam nas obras do Independência, o jogo serviu para testar o estádio, que tem reinauguração marcada para esta quarta-feira (25), às 21h30, com o jogo América x Argentino Juniors.

“O estádio está pronto para ser reinaugurado. Hoje, quero agradecer a todos os operários envolvidos nesta importante obra, e que hoje estão muito bem representados dentro de campo”, comenta o secretário de Estado Extraordinário da Copa, Sergio Barroso. De acordo com ele, o estádio marca uma nova era do futebol mineiro. “Esse é o pontapé da profissionalização do nosso futebol. Mais que isso, estamos devolvendo para os mineiros um estádio moderno e seguro, que receberá novamente famílias e pessoas de todas as cidades para torcer nas arquibancadas”.

Welix Dejan, carpinteiro, foi um dos oito operários que participaram do jogo-teste. Ele entrou em campo como titular. “Participei da construção desse estádio e, apesar de ser um sonho, nunca imaginei jogar neste campo de verdade. Eu participo de peladas, mas agora, que tive contato com um estádio profissional, percebi as diferenças. A iluminação é ótima e o gramado é um tapete”, aponta o operário.

O jornalista e ex-jogador Toledo fez o primeiro gol no novo Independência. Ele recebeu um passe de seu colega de profissão Thiago Reis e encobriu o goleiro. “Fiz o primeiro gol no novo Independência. Já posso morrer em paz”, exclamou o ex-jogador, ainda comemorando a façanha. No segundo tempo, Marcos Guiotti, também jornalista, marcou de pênalti.

Célio Lúcio, ex-jogador profissional do Cruzeiro, comenta sua emoção em testar o novo estádio. “O primeiro gol da minha carreira profissional foi aqui mesmo, em um jogo contra o Corinthians durante a Copa do Brasil de 1996. É emocionante voltar a jogar aqui, neste estádio que está maravilhoso”, afirma o jogador.

O ex-goleiro profissional Milagres que atuou no América também entrou em campo no jogo-teste. “Três pontos se destacam na arena: a iluminação afinada, o gramado FIFA e os vestiários, que são de última geração. Já é um grande legado que o futebol mineiro tem para se profissionalizar”, disse.

“O gramado é de primeiro mundo, com padrão FIFA. O estádio tem muito a ver com as arenas européias, ou seja, o que tem de melhor no mundo”, comentou o ex-jogador do Atlético Mineiro, André Figueiredo.

: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/estadio-independencia-recebe-jogo-teste-e-esta-pronto-para-inauguracao/