Gestão Eficiente: Governo de Minas deixa Mineirão quase pronto

Gestão Eficiente: Mineirão – Em fase final de acabamento, o novo Mineirão está praticamente pronto para 2014.

Gestão Eficiente: Mineirão 2014

Fonte: Superesportes publicado por Turma do Chapéu

Grama já começou a ser plantada no Novo Mineirão

COPA DE 2014

O maior palco do futebol mineiro está retomando a velha forma: proxímo da conclusão da obra, o Mineirão já começa a receber a grama. O tapete escolhido é do tipo Bermuda Celebration, recomendado pela Fifa para a Copa do Mundo. As obras devem estar concluídas em 21 de dezembro desse ano, e a inauguração deve acontecer em março, com um jogo da seleção brasileira. O ex-beatle Paul McCartney também é cotado para tocar no estádio reinaigurado, segundo o secretário extraordinário para a Copa, Tiago Lacerda.

Plantio do gramado do Mineirão – Foto: Divulgação/Secopa

 Gestão Eficiente: Mineirão quase pronto para 2014

Gestão Eficiente: Mineirão quase pronto

Tapete estendido para o espetáculo

Mineirão recebe as primeiras sementes e deve ter o gramado pronto em fevereiro. Secopa prepara reabertura em março, com a Seleção

Gestão Eficiente – Assegurado o tempo de céu carregado, muitos ventos e chuva que baixou sobre Belo Horizonte, há grandes chances de a grama do novo Mineirão estar pronta para a bola rolar antes dos 90 dias necessários para o completo crescimento. O tapete verde tipo Bermuda Celebration, reconhecido por especialistas como a melhor opção para a prática do futebol, começou a ser plantado como o primeiro gramado dos 12 estádios da Copa do Mundo’2014 e dos seis para a Copa das Confederações, em junho. Após ultrapassar o Castelão, em Fortaleza, no ranking das obras, o Gigante da Pampulha é o estádio mais adiantado: passou dos 93% de execução.

O plantio da grama deve ser concluído até o fim da próxima semana. Num prazo aproximado de 15 dias, o secretário de Estado Extraordinário da Copa (Secopa), Tiago Lacerda, espera já ter uma data definida para a reinauguração do estádio – entre o fim de janeiro e início de fevereiro. Diversas possibilidades vêm sendo avaliadas pela Secopa. “Temos um pedido junto à CBF para ter a seleção”, antecipa Lacerda, se referindo ao amistoso prometido pelo presidente da entidade, José Maria Marin, durante visita às obras. Duas datas em aberto no calendário de amistosos do Brasil indicam que o confronto, uma das festividades que marcarão a reabertura da arena, poderá ser em 22 ou 26 de março.

Até chegar ao campo, o novo gramado – mesma qualidade utilizada no novo Independência – foi submetido a rigoroso processo de seleção, desenvolvimento e transporte. Definidas pela Fifa como padrão, as sementes passaram por seleção feita nosEstados Unidos. Elas foram plantadas numa fazenda de Bom Sucesso (Sul de Minas Gerais) em abril para então ser transportadas a BH em caminhões frigoríficos a uma temperatura de 5°C. Pelo fato de a preparação ter sido programada para o verão, haverá o complemento com sementes de inverno em março de 2013. A expectativa do presidente do consórcio Minas Arena, responsável pela obra e futura operação, Ricardo Barra, é de que o campo esteja pronto para jogo no fim de janeiro. “Aí teremos condições de jogar. A ideia é desenvolver junto com a Fifa um sistema que proteja o tapete”, declarou.

Um dos funcionários especializados contratados pela carioca Greenleaf Gramados, o servente Manoel Messias da Silva elogiou a qualidade do campo. Além da instalação, a empresa ficará responsável pela manutenção. “De todos os gramados onde trabalhei, esse aqui é o melhor, pela adubação diferenciada e sistema de vazão. Pode chover que não vai encharcar”, garantiu Silva, que já marcou ponto nas obras da Arena da Baixada, em Curitiba, e Maracanã, no Rio.

Antes do plantio, o terreno passou por várias etapas para recebê-lo: terraplanagem, preparação de drenagem, irrigação e solo e, por fim, adição de fertilizantes e corretivos pré-plantio para correção do pH do solo. O sistema de irrigação será automatizado com aspersores escamoteáveis que distribuem a água em horários programados na quantidade e frequência desejadas.

Quase pronto Em fase final de acabamento, o novo Mineirão está praticamente pronto. Dentro de campo, alguns detalhes chamam a atenção. No teto, faltam apenas instalar três partes da inédita cobertura translúcida que, aos poucos, vem clareando graças à incidência do sol – inicialmente as peças possuíam coloração amarelada. Um dos telões que ficarão nos lados extremos do campo já foi colocado (o outro aguarda uma trégua das chuvas para ser içado). Cada painel é composto por 40 placas de Leds, sendo necessária uma equipe formada por 20 pessoas para fixá-lo, o que foi feito em 15 dias. Nas arquibancadas, apenas algumas cadeiras ainda não foram instaladas. Nos camarotes, lanchonetes e bares, estarão disponíveis 250 TVs de 46 polegadas, além de 3,8 mil caixas de som. Concluído, o estádio terá capacidade para 62.170 espectadores.

Em números

540 mil
mudas em toda a área gramada

60
mudas é a média por metro quadrado

30cm
é o altura da camada de Topsoil, mistura de areia com matéria onde as raízes da grama se faixarão

105m x 68m
são as dimensões do novo campo, reduzido para atender os padrões da Fifa

110m x 75m
era o tamanho anterior, antes do início da reforma

2,5 mil
carros, a capacidade do estacionamento

62.170
torcedores será a lotação do estádio

Gestão Eficiente: Mineirão 2014 – Link da matéria: http://turmadochapeu.com.br/grama-novo-mineirao/

Aecio: Copa 2014 e gestão eficiente no Mineirão

Aecio: Copa 2014 e gestão eficiente no Mineirão. Modelo de Gestão adota em Minas para as obras do estádio foi elogiado pela Fifa.

Aecio: Copa 2014 e gestão eficiente

Fonte: Jogo do Poder

Minas Gerais: “exemplo de integração e trabalho”

Secretário geral da FIFA é mais um a reconhecer a vanguarda do modelo de gestão implantado pelo Governo de Minas

 Aecio: Copa 2014 e gestão eficiente no Mineirão

Aecio: Copa 2014 e gestão eficiente no Mineirão. Modelo de Gestão adota em Minas para as obras do estádio foi elogiado pela Fifa.

A promessa de Aecio Neves, quando ainda era governador de Minas Gerais, de que as obras de modernização do estádio Magalhães Pinto, o Mineirão, estariam prontas ainda em 2012 está a um passo de se concretizar. E absolutamente dentro do prazo previsto: 21 de dezembro. E a forma como oGoverno de Minas soube conduzir o projeto em parceria com a Prefeitura de Belo Horizonte e com o Governo Federal foi tida como “exemplar” pelo secretário geral da FIFA, Jerome Valcke.

Mais do que estar com o cronograma absolutamente em dia – 84% das obras já estão concluídas faltando ainda três meses para o prazo final proposto -, o que chamou a atenção do diretor da FIFA foi o modelo de gestão que Minas Gerais adotou, onde, desde o planejamento, passando pelo financiamento e chegando à execução, houve uma sintonia fina entre Estado, município e União.

Ao afirmar que “Belo Horizonte é um exemplo de integração e trabalho”, Valcke confirma o que o então governador de Minas Gerais, Aecio Neves, em 2006, quando da decisão de lançar a capital mineira como candidata a sede da Copa de 2014, já destacava os diferenciais do Estado: atransparência na aplicação dos recursos públicos, a gestão eficiente e a abertura para parcerias, seja no campo público ou junto à iniciativa privada.

Em vistoria às obras do Mineirão, nesta terça-feira (16/10), o diretor da FIFA chegou a recomendar que as outras sedes da Copa do Mundo de 2014 se espelhassem em Minas Gerais tanto no que se refere às obras de modernização dos estádios quanto nos projetos de infraestrutura das cidades.

Em Belo Horizonte, por exemplo, cerca de 50 obras de mobilidade, segurança e infraestrutura urbana ficarão como legado da Copa do Mundo e da parceria que o Governo de Minas formou com a Prefeitura Municipal e a União.

Muitos foram os críticos ao então governador de Minas Gerais, Aecio Neves, quando lançava o desafio de colocar a “gestão eficiente”, o “Choque de Gestão” e a “profissionalização da máquina pública” nas discussões da agenda nacional. Para eles, isso não passava de peça de marketing sem efeito direto para a sociedade ou para o país.

Talvez agora, com o reconhecimento internacional e ao legado que o Governo de Minas deixará com o Mineirão e todas as obras de infraestrutura visando a Copa do Mundo, fique mais fácil para os críticos argumentarem.

Aecio: Copa 2014 e gestão eficiente

Governo Dilma: números apontam gestão deficiente

Governo Dilma: números apontam gestão deficiente. Relatório do TCU mostra necessidades de ajustar os gastos públicos e problemas de planejamento e monitoramento.

Governo Dilma: gestão deficiente

Fonte: PSDB na Câmara

Primeiro ano do governo Dilma é marcado por falhas de gestão e projetos só no papel, aponta TCU

Governo Dilma: números apontam gestão deficiente

Governo Dilma: números apontam gestão deficiente

Relatório sobre as contas do governo Dilma apresentado nesta semana ao Congresso pelo Tribunal de Contas da União (TCU) demonstra com clareza as falhas de gestão no governo petista. O documento traz quarenta recomendações e vinte ressalvas aos órgãos da esfera federal para fazer com que o país possa voltar aos trilhos.  Nele, o tribunal identifica inúmeros pontos fracos da administração petista, como a morosidade em tocar projetos importantes, falta de planejamento e lentidão. Basta citar, por exemplo, que Dilma tirou do papel apenas um quinto das ações relacionadas como prioritárias na Lei de Diretrizes Orçamentárias. Confira abaixo um resumo do diagnóstico de cada uma das sete áreas estratégicas abordadas no sumário executivo elaborado pelo TCU:

Política econômica: O relatório destaca que os juros praticados no país continuam entre os mais altos do mundo. O texto reconhece que a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), uma iniciativa tucana, permitiu maior disciplinamento e rigor fiscal. Porém, como o Planalto poucas vezes tem feito o dever de casa, é destacado que “a manutenção de déficits nominais maiores que os superávits primários resultam em expansão continuada da dívida líquida em valores nominais, a despeito do decréscimo em percentual do PIB”. Segundo o documento, os juros nominais ampliaram a dívida líquida em R$ 236,7 bilhões (5,71% do PIB) em 2011.

O TCU destaca algo que tem sido alertado constantemente por parlamentares do PSDB: a necessidade de se ajustar os gastos públicos. O relatório aponta dificuldades nos sistemas de planejamento e monitoramento das ações governamentais; baixa execução financeira de ações prioritárias e altos valores inscritos em restos a pagar. A elevada carga tributária é apontada como geradora de custos e desestimulo à atividade produtiva. “A carga elevou-se de 33,71% do PIB em 2010 para 35,88%, em 2011”. Também há deficiências nas prestações de contas e ausência de indicadores de efetividade do uso dos recursos advindos da renúncia de receitas, o que dificulta sua gestão e a noção de seu impacto sobre o crescimento sustentável da economia.

Infraestrutura: São diversos problemas na área. No Setor Elétrico, o TCU lembra que o governo nunca definiu as diretrizes sobre as concessões, cujos contratos vencerão em 2015. Além disso, afirma que há atrasos na implementação de projetos hidrelétricos e de linhas de transmissão. Na Comunicação, o destaque é para o Plano Nacional de Banda Larga que, mesmo considerado fundamental para a inclusão digital, sofre com a falta planejamento, precisa ser atualizado periodicamente e contemplar metas mais detalhadas, indicadores, prazos e unidades responsáveis por cada uma de suas ações. No setor de Gás Natural, há uma série de limitações para a expansão da produção e transporte do combustível por causa da ausência de diretrizes e planejamento. Nos Transportes, o tribunal observou projetos setoriais inconclusos definidos no Plano Nacional de Logística e Transportes (PNLT) como outro grande entrave. Outras ações setoriais fundamentais para reduzir o custo-Brasil e para equilibrar a matriz de transporte de cargas ficaram só na propaganda governamental.

PAC: O Programa de Aceleração do Crescimento, como o nome já diz, deveria ser uma alavanca para o país, mas não é isso que se observa. Como o PSDB tem alertado nos últimos anos, o PAC tem sido mais um emaranhado de obras e ações inconclusas do que realmente um projeto de desenvolvimento nacional. “Os atrasos na implantação de obras estruturantes representam risco à consecução da totalidade dos investimentos previstos e, consequentemente, ao impacto do programa sobre o crescimento econômico”, ressalta o TCU. “Há uma baixa capacidade de gerenciar grandes obras de engenharia e projetos complexos por parte das entidades responsáveis”. Exemplos dessa incompetência são a hidrelétrica de Belo Monte e o Trem de Alta Velocidade, que deveriam ser entregues em 2014, mas agora têm previsão de conclusão para 2019.

Copa de 2014: Como boa gestora que o PT sempre disse que a presidente Dilma era, a Copa do Mundo de Futebol de 2014 seria para ela a oportunidade ideal para atrair investimentos e promover crescimento. Mas não tem sido assim. O TCU identificou situações “não condizentes com o planejamento e os cronogramas traçados, que podem resultar em custos adicionais aos cofres públicos, e até mesmo a não conclusão de determinados projetos”. Essa é uma antiga preocupação de vários deputados tucanos, que temem pelos atrasos em obras de aeroportos, estádios e mobilidade urbana nas cidades-sedes dos jogos.

Desenvolvimento regional: As tímidas ações do governo, mais focadas na propaganda institucional do que propriamente na redução das desigualdades, não têm surtido efeito. De acordo com o Tribunal de Contas, “a ação do governo não tem sido suficiente para reverter o panorama na velocidade necessária, ante a gravidade do quadro de disparidades inter e intrarregionais”. O documento cobra a adoção rápida de ações adicionais para diminuir as diferenças sociais e destaca problemas como o déficit de infraestrutura produtiva, os níveis regionais inferiores de educação e a reduzida qualificação institucional dos territórios menos desenvolvidos.

Ciência, Tecnologia e Inovação: Nessa área o país também caminha a passos lentos. O governo tem dificuldade em adotar políticas que atraiam investimentos em pesquisa e desenvolvimento (P&D). Diferentemente do que ocorre em países desenvolvidos, o investimento privado é acanhado e está aquém daquele praticado pelo Estado, já considerado pequeno. No ritmo atual, serão “necessários vinte anos para o Brasil alcançar o nível médio atual de investimentos privados observados nos países desenvolvidos”.

Educação Profissional: O documento afirma que a falta de qualificação da mão de obra é uma barreira ao preenchimento dos postos de trabalho. A evasão escolar é pouco combatida. O índice de conclusão do ensino médio no Brasil está em torno de 50%. Na União Europeia é de 80%. Verificou-se ainda que 20% dos cargos de professores e 25% dos cargos de técnicos estão vagos, causando problemas de  sobrecarga dos docentes em atividade e insuficiência no apoio de técnicos ao funcionamento de laboratórios e bibliotecas. Pesquisas com alunos e professores conduzidas pelo TCU indicam que há necessidade de melhorias em instalações, mobiliários e equipamentos. Faltam ainda ações de incentivo ao empreendedorismo, sobretudo no interior do país.

Conheça o blog “Obras Empacadas”, produzido pela Liderança da Minoria na Câmara dos Deputados

Governo Dilma: gestão deficiente – Link da matéria:

Gestão Antonio Anastasia: Palavra do Governador destaca ações do Governo que preparam Minas para receber turistas de todo o mundo na Copa

Antonio Anastasia fala sobre as obras na Região Metropolitana e de incentivos às atrações turísticas nas cidades do interior.

links relacionados

No Palavra do Governador desta semana, Antonio Anastasia destaca a preparação do Estado para receber dois grandes eventos esportivos: a Copa das Confederações no ano que vem e a Copa de 2014. A menos de 800 dias para a Copa do Mundo, o Governo de Minas cumpre, rigorosamente em dia, o cronograma das obras do Mineirão, de mobilidade urbana, do setor hoteleiro e da reforma do aeroporto de Confins.

“Nós estamos tendo praticamente o dobro do número de leitos na rede hoteleira, mas muito mais importante é a melhoria da infraestrutura urbana. Estamos trabalhando para mostrar Minas não só para os brasileiros, mas especialmente para todos os cidadãos do mundo que irão nos visitar”, destaca Anastasia.

O governador lembra também que, em 2013, a jornada universitária católica reunirá jovens de todo o mundo em Belo Horizonte. E destaca as atrações  turísticas do Estado. “Nós temos não só as nossas cidades históricas, como temos também as belezas das instâncias hidrominerais, o circuito das grutas, o ecoturismo, as riquezas gastronômicas, tudo aquilo que se refere à cultura de Minas Gerais, que será demonstrado de modo muito belo para os participantes destes eventos internacionais”.

Antonio Anastasia fala ainda sobre o ICMS turístico, um recurso do Governo de Minas que pode ser investido em ações, programas e projetos voltados para o desenvolvimento turístico dos municípios. Este ano, 63 cidades vão receber esses recursos.

“Como exemplo, poderia citar o município de São Tiago, a famosa capital do biscoito, onde nós estamos construindo na sua praça principal um forno que é a atração do grande festival que ocorre no mês de setembro, onde acorrem turistas de todo o Brasil para provar as suas delícias”, ele conclui.

O Palavra do Governador pode ser reproduzido por qualquer veículo de imprensa, sem ônus e de forma espontânea. O programa é disponibilizado todas as quintas-feiras nas modalidades texto (para jornais impressos e online), áudio (para rádio e pudicas/web) e vídeo (em qualidade HD).

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/palavra-do-governador-destaca-acoes-do-governo-que-preparam-minas-para-receber-turistas-de-todo-o-mundo-na-copa/

Governo de Minas: Secopa participa de reuniões temáticas sobre transparência e cultura em Brasília

Representantes da Secopa participaram da 5ª Reunião da Câmara Temática de Transparência e também da apresentação do plano executivo do Ministério da Cultura

A Secretaria de Estado Extraordinária da Copa do Mundo (Secopa) participou da 5ª Reunião da Câmara Temática de Transparência e também da apresentação do plano executivo do Ministério da Cultura, durante reunião da Câmara Temática de Cultura, ambas realizadas nessa terça-feira (27), em Brasília.

O encontro da Câmara de Transparência foi realizado para apresentação dos gastos com estádios em construção das 12 cidades-sede da Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014. O modelo de gestão compartilhada do novo Mineirão foi detalhado aos participantes da reunião, que incluiu representantes da Controladoria Geral da União (CGU), Tribunal de Contas da União, Advocacia Geral da União, Ministério do Esporte, Senado e da sociedade civil representada pelo Instituto Ethos.

Para a assessora jurídica da Secopa presente na reunião, Lívia Magaldi, a iniciativa reforçou a necessidade de atualização de dados orçamentários da Copa de 2014 junto aos principais portais de acompanhamento de gastos para a Copa do Mundo. “É necessário alimentar esses canais para que a sociedade possa acompanhar a destinação dos recursos públicos nas ações relacionadas à Copa. Além disso, com a entrada em vigor da Lei de Acesso à Informação em 16 de maio, esse compromisso será ainda mais premente entre estados e municípios”, adiantou.

Cerca de 40 pessoas participaram da reunião que teve como destaque a palestra sobre a importância da integração de dados entre os portais de transparência da CGU e do Senado. A instrução é para que o portal da CGU reúna as informações acerca de recursos federais e o do Senado o conteúdo dos gastos estaduais e municipais. “A uniformização dos portais facilitará o trabalho dos gestores e trará maior clareza à sociedade civil sobre os recursos investidos na organização da Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014”, explica Lívia Magaldi.

PPP do Mineirão

Com o modelo de gestão compartilhada de Minas, o Governo não investe recurso público diretamente na obra. O parceiro privado usa recursos próprios para a execução da obra e assume a operação do estádio pelo período de 25 anos. O Governo do Estado fará o controle e monitoramento dessas ações, utilizando indicadores de desempenho e sanções pecuniárias definidos em contrato. Quanto melhor o rendimento do negócio, menor será a contrapartida do Estado, que poderá até mesmo lucrar com a concessão do estádio. Além de Minas Gerais, mais quatro estados desenvolvem parcerias público-privadas para as obras em estádios: Rio Grande do Norte, Bahia, Pernambuco e Ceará.

Cultura

O Ministério da Cultura (Minc) apresentou o programa ‘Cultura na Copa’ durante a reunião da Câmara Temática de Cultura, Educação e Ação Social. Formado a partir de ações construídas de acordo com as Diretrizes do Minc, o plano tem como objetivo qualificar todo o setor cultural para a Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014. Além da Secopa, participaram também a Secretaria de Estado da Cultura, o Comitê Municipal Organizador da Copa e a Fundação de Cultura.

A assessora do Núcleo de Centros de Treinamento de Seleção da Secopa, Fernanda Fonseca, destacou a criação da Arena Cultural, que são espaços coletivos de convivência propostos para o Mundial. “Esta é uma boa estratégia para a promoção da cultura brasileira, cujos 12 estados envolvidos poderão expor sua música, gastronomia, arte, artesanato e dança. Para Minas, é uma grande oportunidade de divulgação de seus produtos para os turistas nacionais e internacionais”, relata.

Mineirão

O consórcio responsável pelas obras e posterior operação do estádio é a Minas Arena, formado pelas construtoras Egesa, Hap e Construcap. A modernização do Mineirão foi dividida em três etapas: as duas primeiras receberam recursos do Estado de R$ 11,7 milhões. A terceira e atual, com previsão de conclusão para 21 de dezembro de 2012, tem orçamento de R$ 654 milhões do parceiro privado.

Atualmente, 50% das obras estão concluídas. O novo Mineirão terá 64 mil assentos; restaurante com vista para o campo, 80 camarotes com 1.500 lugares, área VIP com cerca de 3.500 assentos a poucos metros do campo e com lounges. O estacionamento terá 2.521 vagas para carros, sendo 1.534 vagas cobertas e 987 descobertas. A área de imprensa poderá receber cerca de 3.000 jornalistas e conta com estúdios, sala de conferência e espaço para entrevistas.

A área destinada ao comércio terá 7.064 m2, abrangendo tanto o interior como a esplanada externa. Já a cobertura receberá placas fotovoltaicas capazes de captar energia solar e transformá-la em energia elétrica que será lançada na rede de distribuição da Cemig. A quantidade de energia gerada será suficiente para atender cerca de 1.200 residências de médio porte.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/secopa-participa-de-reunioes-tematicas-sobre-transparencia-e-cultura-em-brasilia/

Governo de Minas: vereadores acompanham progresso das obras nos estádios de Belo Horizonte

A visita serviu para comprovar o comprometimento do Estado com a entrega dos estádios no prazo

Bruno Sales/Secopa MG
Sergio Barroso apresentou o avanço das obras aos vereadores
Sergio Barroso apresentou o avanço das obras aos vereadores

Os avanços das obras de modernização dos estádios Mineirão e Independência foram apresentados, nesta terça-feira (6), pelo secretário de Estado Extraordinário da Copa, Sergio Barroso, a membros da Comissão Especial da Copa do Mundo da Câmara Municipal de Belo Horizonte em primeira visita do grupo às duas arenas. Barroso destacou a importância do encontro. “É importante mostrar aos representantes eleitos pela população como vão ficar os dois estádios. O Mineirão é a casa dos mineiros com prioridade para o futebol mineiro. Seu museu dedicado ao futebol vai abrigar a história dos principais times do Estado. O cronograma segue em dia com finalização das obras em 21 de dezembro de 2012”, reiterou o secretário.

Para o relator da comissão, Daniel Nepomuceno, a visita serviu para comprovar o comprometimento do Estado com a entrega dos estádios no prazo. “Esse é o momento propício para demonstrar aos dirigentes da Fifa que Minas Gerais cumpre com seu cronograma e que não precisamos receber puxão de orelha. É uma prova de que aqui está sendo feito um trabalho sério para que a Copa do Mundo seja um sucesso em nosso Estado”, disparou.

O presidente da comissão, Alberto Rodriguez, lembrou de momentos históricos como narrador de futebol. “Narrei o jogo inaugural do Mineirão em 1965 e isso me enche de orgulho. O Mineirão será um dos estádios mais bonitos do mundo. Daqui a três meses voltaremos e, com certeza, com esses 1.700 operários trabalhando, teremos um cenário completamente distinto”, disse. Sobre o Independência, o vereador também voltou ao passado. “É um estádio que estava muito velho, meio abandonado, mas agora está muito moderno. Os torcedores vão receber um presente”, elogiou.

O fim das obras no Mineirão está marcado para 21 de dezembro deste ano. Metade das obras foi concluída. Três gruas trabalham hoje no canteiro para otimizar o transporte de materiais. Nas próximas semanas, terá início a montagem da arquibancada inferior com os pré-moldados. A obra também vai receber as treliças de aço da nova cobertura, onde serão montadas as placas fotovoltaicas da futura usina solar.

O Independência tem prazo de entrega para final deste mês. Atualmente, cerca de mil operários trabalham nesta fase final, que se caracteriza pela finalização do vestiário e estacionamento. Na Copa de 2014, deverá ser usado como Campo Oficial de Treinamento, que é onde as seleções treinam dois ou três dias antes do jogo oficial nas cidades-sede. Terá capacidade ampliada de 10 mil para 25 mil pessoas.

Fonte: Agência Minas

Governo de Minas: obra do Mineirão fica pronta em 21 de dezembro de 2012

Existe um contrato que implica multas caso a obra não esteja concluída até 21 de dezembro de 2012

Sylvio Coutinho/Divulgação
Obras do Mineirão estão na terceira e última etapa
Obras do Mineirão estão na terceira e última etapa

A modernização do Mineirão está na terceira e última etapa. Essa fase é fruto de uma Parceria Público-Privada (PPP). Existe um contrato entre o Governo de Minas e o parceiro privado Minas Arena que implica multas caso a obra não esteja concluída até 21 de dezembro de 2012. A multa é de R$ 100 mil por dia de atraso.

A Minas Arena, constituída pelas construtoras Construcap S.A. Indústria e Comércio, Egesa Engenharia S.A. e Hap Engenharia Ltda, é a empresa responsável pelas obras e, posteriormente, pela operação do estádio por 25 anos e mantém o cronograma rigorosamente em dia.

“A obra do Mineirão está em dia e vai ficar pronta na data marcada, 21 de dezembro de 2012, seis meses antes da Copa das Confederações que começa no em junho de 13. Isso é fundamental, porque o estádio simboliza a Copa e, de certa forma, dita o ritmo das demais obras. Minas estará 100% pronta para a Copa ”, afirma o secretário de Estado Extraordinário da Copa do Mundo, Sergio Barroso.

Mineirão

Metade da obra já está pronta. Atualmente são 1.700 operários, sendo entre eles cerca de 100 mulheres e cerca de 20 detentos. 75% das peças para construção da esplanada (pré-moldados) já estão prontos, e 50% das peças já instaladas; três das quatro gruas previstas já foram instaladas. A montagem dos anéis de arquibancada inferior já começou e, neste mês de março, chegam as treliças (estruturas em aço) da nova cobertura.

O Novo Mineirão, após a reforma, terá 64 mil lugares, esplanada com capacidade para 65 mil pessoas, 80 camarotes, 2.500 vagas para carros, tribuna para quase três mil jornalistas, sete mil m2 para comércio e cobertura que capta energia solar e transforma em elétrica capaz de abastecer 1.200 residências de médio porte.

Hotéis

Estão em construção na capital 34 hotéis, outros 17 empreendimentos estão na reta final do processo de licenciamento e na Região Metropolitana serão mais 24 hotéis até a Copa. Seis novos hotéis já estão em funcionamento na Grande BH. Com isso, BH poderá ter até 75 hotéis a mais que acrescentarão 25.438 leitos até 2014. Atualmente, são 30.194 leitos distribuídos em 314 meios de hospedagem situados a, no máximo, 100 quilômetros de Belo Horizonte. Desses 34 em construção um tem classificação cinco estrelas; 13, quatro estrelas; 18, três estrelas e um de uma estrela. Em fase de licenciamento, há mais cinco hotéis cinco estrelas.

Capacitação

Até o final deste ano, cerca de 5 mil pessoas serão capacitadas para a Copa em projetos que envolvem parcerias do Governo de Minas com a iniciativa privada (cursos de línguas, agentes de informação turística, guia de turismo, auxiliar de cozinha, camareira, garçom, recepcionista, gestão de negócio, planejamento de emergência hospitalar externa e princípios de medicina de catástrofe).

Mobilidade urbana: Belo Horizonte vai ganhar até a Copa de 2014, três corredores exclusivos para ônibus articulados, os chamados Bus Rapid Transit (BRT) que transportarão cerca de 750 mil pessoas e que estarão concluídos em 2013.

Aeroporto

Obra federal em andamento com conclusão prevista para dezembro de 2013. Após a reforma o aeroporto Internacional Tancredo Neves terá capacidade ampliada de 10,2 (2011) para 16,5 milhões de passageiros/ano, sendo 11,6 milhões no do terminal de passageiros 1 e 4,9 milhões no do terminal remoto; nova área de carga e descarga; ampliação da área comercial; substituição de escadas rolantes; instalação de 17 elevadores e reforma dos pontos de check-in. Também está sendo elaborado o projeto executivo para aumento da pista de pouso em 600 m e aumento da área do pátio em 192.400 m².

Fonte: Agência Minas

Governo de Minas está em contagem regressiva para a entrega do Independência

Arena será reaberta em março, com estrutura mais moderna, segura e repleta de conforto, em concordância com os mais altos padrões do futebol internacional

Gil Leonardi/Imprensa MG
Secretário Sergio Barroso e deputados estaduais visitam Independência
Secretário Sergio Barroso e deputados estaduais visitam Independência

Faltam poucos dias para que o Estádio Independência seja entregue totalmente reformado. A arena, um dos maiores patrimônios do torcedor mineiro, será reaberta em março, com estrutura mais moderna, segura e repleta de conforto, em concordância com os mais altos padrões do futebol internacional. Por isso, o novo Independência poderá ser utilizado em 2014, como Centro Oficial de Treinamento (COT) para as seleções que vierem disputar a Copa do Mundo.

Nesta quarta-feira (15), o secretário de Estado Extraordinário da Copa do Mundo, Sergio Barroso, destacou a modernização do estádio durante a visita realizada por deputados de quatro comissões parlamentares da Assembléia Legislativa de Minas Gerais (ALMG).

“A reabertura do estádio é de extrema importância para o retorno das famílias mineiras a esse grandioso e belo espaço que zela pela segurança do torcedor do nosso estado. Sua modernização é um passo fundamental para a profissionalização do futebol. É essencial reiterar que o Governo de Minas busca alternativas para resolver a questão da visibilidade de alguns pontos da arquibancada para que o torcedor seja o maior beneficiário desse presente, que será motivo de orgulho para todos nós mineiros”, disse Barroso.

O deputado Marques de Abreu, ex-jogador de futebol e presidente da Comissão de Esporte, Lazer e Juventude da ALMG, reiterou o protagonismo do estádio, no momento em que a capital mineira carece de espaços para disputas profissionais de futebol.

“Belo Horizonte precisa do Independência o mais rápido possível. A beleza do estádio impressiona, principalmente se considerarmos sua estrutura anterior. Sem dúvida alguma, todo e qualquer problema com relação à visibilidade de alguns setores será solucionado. O Independência precisa ser reaberto”, disse.

O líder do governo na Assembleia, deputado Luiz Humberto Carneiro, ficou impressionado com a estrutura do novo estádio. “O Independência está lindo. É elogiável o resultado alcançado. Os detalhes de visibilidade comprometida serão resolvidos entre as partes envolvidas. Quanto a isso, não tenho dúvidas. O mais importante é o estado contar com um estádio para o futebol mineiro, além de servir à Copa de 2014”, lembrou.

O roteiro dos parlamentares também incluiu visita ao Mineirão. Sergio Barroso lembrou ao grupo que o Gigante da Pampulha será o primeiro estádio do país a ser entregue para a Copa das Confederações, em 2013. “As obras terminam em 21 de dezembro de 2012, o que nos orgulha de ser a primeira das 12 cidades-sede a ter uma das arenas mais modernas deste país”, comentou.

Os deputados tiveram a oportunidade de conhecer as obras dentro e fora do estádio, onde operários, máquinas e gruas trabalham com o cronograma em dia.

Fonte: Agência Minas

Governo de Minas: jovens começam aulas de idiomas no Plug Minas para a Copa de 2014

Jovens de 14 a 22 anos começaram esta semana as primeiras aulas de inglês e espanhol

Jovens de 14 a 22 anos começaram esta semana as primeiras aulas de inglês e espanhol dentro do núcleo Laboratório de Culturas do Mundo, do Plug Minas, para atender as demandas que virão com a Copa das Confederações, em 2013, e a Copa do Mundo, em 2014. Esse novo projeto do Governo de Minas, por meio de acordo assinado entre a Secretaria de Estado Extraordinária da Copa do Mundo (Secopa) e o Sebrae, pretende capacitar jovens socialmente vulneráveis para os dois eventos esportivos.

Foram selecionados 240 alunos de um total de quatro mil inscritos de escolas públicas de Belo Horizonte e Região Metropolitana. “Essa é uma grande oportunidade de formar e inserir jovens desassistidos à sociedade, reforçando a importância da educação e nossa responsabilidade social com vistas à Copa do Mundo de 2014. A capacitação desses jovens carentes será um dos maiores legados desse grande evento”, comemora o secretário Sergio Barroso, da Secopa.

O projeto se divide em dois idiomas: o inglês, oferecido pelo Instituto Cultural Brasil Estados Unidos (ICBEU); e o espanhol, resultado de parceria com o Instituto Cervantes. No total, são 180 vagas para espanhol e 60 para inglês. Os cursos têm duração de cinco semestres, com previsão de conclusão da primeira turma em junho de 2014. O Plug Minas oferece atividades de formação, produção e experimentação em diversas áreas, pautadas pela cultura digital e pelas artes. O projeto atendeu cerca de 15 mil pessoas em 2010.

Outros cursos

Até o final de 2012, devem ser capacitadas 4,5 mil pessoas através de vários acordos de capacitação firmados com parceiros do Estado para os dois grandes eventos esportivos. O assinado entre a Secopa e a Fecomércio é um dos exemplos. Serão oferecidas 1.845 vagas para diversos cursos em Belo Horizonte, arredores e destinos turísticos do interior do Estado. Os cursos são de agentes de informação turística, guia de turismo, auxiliar de cozinha, camareira, garçom, recepcionista e inglês para agentes de segurança, o que inclui policiais civis, militares, bombeiros e defesa civil.

Outra iniciativa é o Programa Taxista Nota 10, em conjunto com o Sest-Senat/ Sebrae, para ensinar inglês e espanhol a 2.000 taxistas, à distância, que inclui um CD com 20 horas de conteúdo.

O Transporte na Copa, em parceria com o Sest-Senat/CNT, foca em cursos de turismo, qualidade no atendimento, meio ambiente e cidadania, inglês e espanhol instrumental ou básico, em que o conteúdo é separado em quatro apostilas, com 60 horas presenciais, para taxistas, motoristas de transporte urbano ou turístico, agentes de turismo etc. de BH.

Haverá ainda cursos de planejamento de emergência hospitalar externa e princípios de medicina de catástrofe, através da Sociedade Portuguesa de Cuidados Intensivos, da Sociedade Mineira de Terapia Intensiva e da Associação de Medicina Intensiva Brasileira. Até o momento, 64 profissionais concluíram os cursos, sendo que outras quatro turmas de 32 alunos (128 pessoas) devem começar em 2012.

Na área de hotelaria, serão oferecidas 154 vagas para cursos de camareira em meios de hospedagem, agente de informações turísticas, planejamento e coordenação de eventos sociais e recepcionista em meios de hospedagem através de acordo feito com a Prefeitura de BH e o Senac. Já foram capacitadas pela Belotur 157 pessoas no curso de introdução ao turismo, história e atrativos turísticos.

Fonte: Agência Minas