Gestão em Minas: produtor mineiro de amendoim prevê situação favorável em 2012

Período de festas juninas deve aquecer as vendas

O mercado já está recebendo parte da safra mineira de amendoim e as perspectivas de vendas para este ano são favoráveis, com base em dados dos produtores analisados pela Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa). Embora o período seja de grande oferta do produto, o preço alcança uma cotação de até R$ 30,00 o saco, cifra cerca de 4% superior à registrada no mesmo período do ano passado.

De acordo com a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), em 2012, a produção estadual de amendoim deve totalizar 8,7 mil toneladas, volume 7,4% superior ao registrado na safra passada.

“Como o cultivo do amendoim em Minas Gerais ocorre no período de seca, os melhores resultados são registrados nas regiões onde os produtores adotam a irrigação conjugada com o preparo do solo e a adubação bem orientada”, explica o superintendente de Política e Economia Agrícola da Seapa, João Ricardo Albanez.

Ele destaca a atuação do Triângulo Mineiro, responsável por mais de 90% da safra mineira de amendoim. Em Tupaciguara, a safra prevista equivale a 73,5% da colheita total de amendoim do Estado, volume que garante ao município a liderança absoluta na produção.

Outros municípios do Triângulo também apresentam números crescentes como consequência dos investimentos nas lavouras. É o caso de Iturama, onde o produtor Osmar Lorenzato informa que a sua produção neste ano deve saltar para 1,6 mil toneladas, volume cerca de 60% superior ao colhido em 2011.

Os 32 mil sacos de 50 quilos da colheita estimada serão vendidos quase exclusivamente às fábricas de doces dos municípios de Ribeirão Preto e Dumont, no estado de São Paulo.

Boas previsões

A valorização do amendoim no período inicial do abastecimento é um dos principais indicadores de boas vendas para este ano. De acordo com Lorenzato, a cotação da saca poderá alcançar R$ 35,00 a partir das festas juninas, período de referência para o aumento do consumo.

O empresário considera que a escalada dos preços do amendoim neste ano deverá estimular os produtores a investir mais nas lavouras. O próximo plantio em Minas Gerais vai começar no fim de outubro e início de novembro, e os trabalhos se estendem por quatro meses dentro do período de estiagem.

“Fazemos a semeadura principalmente em áreas onde foi colhida a cana-de-açúcar, o que possibilita o aproveitamento de nutrientes do solo. Depois da colheita do amendoim, as lavouras são novamente ocupadas pela cana-de-açúcar”, conta o produtor Osmar Lorenzato.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/produtor-mineiro-de-amendoim-preve-situacao-favoravel-em-2012/

Gestão Anastasia: milho amplia recorde da safra mineira em 2012

Produto responde por 63,7% da produção total de grãos do Estado

A produção mineira de milho na safra 2012 deve alcançar 7,4 milhões de toneladas, um aumento de 13,5% em relação ao volume registrado no período ano passado. Os dados fazem parte do levantamento divulgado nesta quinta-feira (9) pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), confirmando a previsão de um novo recorde na produção estadual de grãos, que deverá alcançar 11,6 milhões de toneladas.

Este volume representa um aumento de 9,4% na oferta mineira de grãos, informa a Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa). Minas responde por 7,4% da produção total de grãos do Brasil. Para o montante da produção nacional a estimativa é de uma retração de 3,5% na comparação com a safra de 2011.

O superintendente de Política e Economia Agrícola da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, João Ricardo Albanez, enfatiza a importância do milho na progressão da safra mineira e que responde por 63,7% da produção total de grãos do Estado. “As lavouras de milho, espalhadas em 1,3 milhões de hectares, apresentam uma expansão de área plantada de 6,9% em relação ao período anterior”, explica.

A crescente demanda de milho e a consequente melhora dos preços nos mercados interno e externo estimularam os produtores a intensificar o uso de tecnologia, adotar boas práticas de cultivo e ampliar as áreas plantadas. Segundo Albanez, a produção de milho é beneficiada principalmente pelo grande consumo na avicultura, suinocultura e bovinocultura.

Outro produto em destaque na estimativa de safra 2012 é a soja, que tem produção estimada de 3,1 milhões de toneladas, equivalentes a um aumento de 5,1%, embora a área plantada registre uma pequena redução. Albanez explica que os resultados previstos para a safra de soja nas lavouras mineiras devem ser atribuídos em primeiro lugar às condições climáticas.

“Houve também o incremento da tecnologia nas lavouras de soja no Estado, o que possibilitou a obtenção de uma produtividade média de 3,0 toneladas por hectare, índice 7,4% superior ao registrado no período anterior”, acrescenta o superintendente. “Os produtores do Estado foram estimulados também pela boa cotação do produto nos mercados interno e externo. No cenário da produção nacional de soja, a previsão é de 69,3 milhões de toneladas ou retração de 8,1%.”

Para o trigo de Minas, a estimativa é de uma safra de 90,1 mil toneladas, aumento de 5,7% em relação ao ano passado. O bom resultado é devido principalmente à adoção do cultivo do cereal na entressafra de grãos, com o recurso da irrigação.

Albanez ainda explica que a produção de algodão no Estado também apresenta boas perspectivas, com base no estudo da Conab. A projeção é de uma safra de 116,7 mil toneladas, um avanço próximo de 1,0%.

Safra mineira 2012:

Total de Grãos: 11,6 milhões de t (+9,4%)

Milho: 7,4 milhões de t (+13,5%)

Soja: 3,1 milhões de t (+5,1%)

Trigo: 90,1 mil de t (+5,7%)

Fonte: Agência Minas

Blog do Anastasia – Gestão Anastasia: Minas Gerais deverá ter em 2012 a maior produção de café e de grãos da história

BELO HORIZONTE (10/01/12) – As previsões de safra divulgadas pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), nesta terça-feira (10), indicam que Minas Gerais deverá ter uma produção recorde de café e de grãos em 2012. No caso do café, a produção mineira deverá ficar entre 25,5 milhões e 27,1 milhões de sacas (60 kg). Os números superam os recordes de 2002 e 2010, quando o Estado produziu 25,1 milhões de sacas.

Em relação a 2011, a produção de café em Minas Gerais deverá crescer entre 15,2% e 22,3%. “A expectativa de uma safra recorde é o resultado da melhoria dos tratos culturais nas lavouras e da bienalidade da cultura, que alterna um ano de safra alta e outro de safra baixa”, explica o secretário de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Elmiro Nascimento.

Segundo o secretário, o bom momento vivido pelo setor cafeeiro, com preços elevados nos mercados interno e internacional, justifica o investimento na produção. O crescimento de Minas supera a média nacional, que numa previsão mais otimista terá um aumento da safra de 20,2%. A pesquisa também mostra que, neste ano, o Estado será responsável por 52% da safra brasileira. Os números da Conab se referem aos dados coletados entre 8 de novembro e 17 de dezembro.

Grãos

A Conab também estima que a safra mineira de grãos será recorde, com um crescimento de 2,4% em relação a 2011, até então o melhor ano de produção mineira. Para 2012, a expectativa é de uma colheita de 10,9 milhões de toneladas, segundo o levantamento realizado entre 15 e 21 de dezembro.

“Ainda é cedo para informar se as chuvas de janeiro irão interferir nesta estimativa de produção. Até agora, não houve perdas significativas nas principais regiões produtoras de grãos no Estado”, explica o superintendente de Política e Economia da Secretaria de Agricultura, João Ricardo Albanez.

A produção de milho é o carro-chefe da safra mineira. A colheita deve atingir 6,8 milhões de toneladas, 4,7% a mais que em 2011. Já a produção de soja deverá ser de 2,9 milhões de toneladas, praticamente a mesma quantidade que no ano passado. A produção de feijão deverá ter uma redução de 2,1%. Segundo a Conab, a produção desse grão em Minas Gerais dever ser de 589,5 mil toneladas.

Números de Minas Gerais – safra 2012

Café: 25,5 milhões a 27,1 milhões de sacas (alta de 15,2% a 22,3%)

Grãos: 10,9 milhões de toneladas (alta de 2,4%)