Governo de Minas: Efficientia substitui lâmpadas da Ceasa por LED

O projeto realizado pelo Programa de Eficiência Energética da Cemig irá proporcionar uma enorme economia de energia

A Efficientia, subsidiária integral da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) apresenta, juntamente com as Centrais de Abastecimento S/A (Ceasa Minas), nesta quinta-feira (10), o projeto de eficiência energética que visa a substituição de todo o sistema atual de iluminação da Ceasa por lâmpadas de tecnologia LED. O projeto está sendo realizado com recursos do Programa de Eficiência Energética (PEE) da Cemig.

A Cemig investiu, por meio da Efficientia, só em 2011,  R$ 35 milhões em projetos de eficiência energética, como na unidade da Usiminas em Ipatinga, no Vale do Aço, na Wilma Alimentos em Contagem, na Regiâo Metropolitana de Belo Horizonte e na troca das lâmpadas dos semáforos da capital mineira para tecnologia LED. A previsão é que os investimentos de 2012 até 2015 sejam de R$ 40 milhões por ano.

Atuando desde 2002 na prestação de serviços de desenvolvimento e viabilização técnica e financeira de projetos de eficiência energética para os clientes da Cemig, a Efficientia implementa projetos de cogeração de energia e de centrais de utilidades, oferece consultoria para otimizar a matriz energética de indústrias, dá treinamentos presenciais e a distância sobre gestão energética e ainda oferece consultoria para certificação na norma ISO 50001.

Os projetos de eficiência energética implementados pela Empresa, além da economia de energia efetiva, proporcionam a redução de potência no horário de ponta do sistema elétrico.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/efficientia-substitui-lampadas-da-ceasa-por-led/

Gestão em Minas: estudo avalia qualidade ambiental nas represas da Cemig em todo o Estado

Programa Peixe Vivo promove encontro em Três Marias para apresentação de resultados

Cemig / Divulgação
Peixe Vivo é um programa da Cemig voltado à conservação da fauna aquática em áreas de abrangência de usinas da empresa
Peixe Vivo é um programa da Cemig voltado à conservação da fauna aquática em áreas de abrangência de usinas da empresa

A comunidade de Três Marias, no Noroeste de Minas, e dos municípios do entorno, recebeu, na última quinta-feira (03), apresentações sobre os resultados obtidos com o Projeto Desenvolvimento de Índices de Integridade Biótica (IBI), promovido pela Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig), por meio do Programa Peixe Vivo. O encontro foi realizado no Centro de Educação Permanente Engenheiro Mário Bhering e permitiu um debate entre órgãos públicos, organizações não governamentais, setor pesqueiro, empresas e instituições da região.

Fruto de parceria com a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Universidade Federal de Lavras (Ufla), PUC Minas e Cefet-MG, o projeto busca desenvolver ferramentas para avaliar a qualidade ambiental e subsidiar a restauração de habitats em área de soltura de alevinos nos reservatórios da Cemig.

A avaliação é feita por meio da análise de fatores bióticos, como insetos, peixes e vegetação ripária, e abióticos, como fluxo hidráulico, assoreamento e ocupação humana. Para a análise, são programadas duas coletas em cada reservatório, sendo a primeira no período de seca, com foco nas drenagens formadoras da bacia principal, e uma segunda no final do período chuvoso, com foco no reservatório.

Em Três Marias, alguns resultados preliminares já demonstram a eficácia da ferramenta. Áreas com baixa qualidade ambiental, qualidade intermediária e ainda preservadas foram diagnosticadas por meio de um extenso esforço amostral, que contou com 40 pontos no reservatório e 40 nos riachos da bacia de drenagem.

Para a analista de meio ambiente da Cemig, Fernanda de Oliveira Silva, as informações geradas pelo IBI terão aplicação prática para a Empresa e outros públicos de interesse. “Os resultados permitem que se faça um amplo diagnóstico do estado de conservação da bacia de drenagem do reservatório e possibilitarão que medidas mais efetivas de mitigação de impactos ambientais sejam tomadas por prefeituras, órgãos ambientais, empresas e comunidade”, explica.

O Projeto Desenvolvimento de Índices de Integridade Biótica, que conta com um investimento de R$ 2 milhões, contempla, além de Três Marias, os reservatórios de Nova Ponte, São Simão e Volta Grande, assim como seus respectivos tributários. O levantamento realizado em Nova Ponte também já obteve resultados, que foram apresentados à comunidade da região no ano passado. Entre eles, foi identificado que as bacias com maior porcentagem de área agrícola possuem menor riqueza e abundância de peixes e macroinvertebrados, e que 73% dos córregos estudados estão moderadamente ou altamente impactados.

Parcerias

O Programa Peixe Vivo é uma iniciativa da Cemig para expandir e criar medidas mais efetivas para a conservação da fauna aquática nas bacias hidrográficas onde estejam instaladas usinas da empresa. As parcerias estabelecidas pelo Peixe Vivo com centros de pesquisa servem como subsídio para programas de conservação e apoiam a Empresa na elaboração de estratégias mais eficientes para a preservação da ictiofauna.

Estimulando a troca de experiências entre suas equipes técnicas e os pesquisadores das universidades, atualmente o Peixe Vivo possui 12 projetos em andamento e outros quatro em fase de contratação. O Projeto do IBI envolve uma equipe de quatro pesquisadores brasileiros, dois pesquisadores americanos – da Oregon State University e US Environmental Protection Agency, um aluno de pós-doutorado, quatro alunos de doutorado, sete alunos de mestrado e quatorze alunos de iniciação científica.

De acordo com o biólogo Marcos Callisto, coordenador do projeto pela UFMG, o IBI traz um novo conceito para a América Latina, com expectativa de tornar-se referência mundial. “Os índices irão avaliar parâmetros físicos, químicos e biológicos, subsidiando a Cemig na escolha dos locais de peixamentos, e o poder público no planejamento de melhorias nos ecossistemas”, analisa.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/estudo-avalia-qualidade-ambiental-nas-represas-da-cemig-em-todo-o-estado/

Gestão Anastasia: Projeto Pescadores do Saber promove educação ambiental no Sul de Minas

Parceria com a Universidade Federal de Lavras beneficia mais de 300 estudantes da rede pública

Conceitos como ictiofauna, bacias hidrográficas e uso do solo não serão mais estranhos para mais de 300 alunos do ensino fundamental na cidade de Lavras, no Sul de Minas. Os estudantes da rede pública de ensino participam do Projeto Pescadores do Saber, realizado pela Universidade Federal de Lavras (Ufla), com o apoio da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig), por meio do Programa Peixe Vivo.

O projeto que atende crianças entre 6 e 11 anos, matriculadas do 1° ao 5° ano do ensino fundamental,  tem como objetivo sensibilizar a comunidade sobre os problemas ambientais enfrentados pela sociedade. Em aulas com 50 minutos de duração, os alunos aprendem sobre os estudos desenvolvidos no Laboratório de Ecologia de Peixes da Ufla.

Nas visitas do Projeto Pescadores do Saber são repassadas informações sobre componentes e mecanismos que regem os sistemas naturais, estimulando nos alunos a curiosidade e o interesse pela observação da natureza. Os estudantes recebem orientações sobre conservação de rios e riachos da região de Lavras, assim como sobre a fauna de peixes.

Em 2011, ano de lançamento do projeto, foram atendidos 377 alunos de 16 turmas das Escolas Estaduais Cristiano de Souza e Firmino Costa. Neste ano, a previsão é que o projeto atenda mais de 300 estudantes da rede pública. O trabalho, iniciado em abril na Escola Estadual Tiradentes, será expandido para outras instituições a partir do próximo mês.

Eficácia

As ações de educação ambiental são realizadas com material confeccionado pela própria equipe do projeto, e inclui coleção didática sobre peixes, flanelógrafo, quebra-cabeças e caça-palavras. As aulas são ministradas pela bióloga e coordenadora do projeto, Nara Tadini Junqueira e conta com o apoio de alunos de graduação e pós-graduação.

De acordo com Nara Junqueira, o Projeto Pescadores do Saber já traz resultados para a comunidade. “É possível observar grande curiosidade das crianças pelos temas abordados, muitos destes temas nunca foram vistos antes Poe estes alunos. A educação pública se apresenta carente de trabalhos interdisciplinares sobre o meio ambiente”, explica a coordenadora.

Para que o trabalho tenha mais eficácia, é realizado um diagnóstico inicial dos alunos por meio da aplicação de um questionário sobre os temas água, energia elétrica e biodiversidade aquática. A partir da análise das respostas, é elaborado um planejamento de aulas para o semestre em busca de um melhor aproveitamento dos temas pelos estudantes.

Ictiofauna

O Programa Peixe Vivo é uma iniciativa da Cemig para expandir e criar medidas mais efetivas para a conservação da fauna aquática nas bacias hidrográficas onde estejam instaladas usinas da empresa. Desde seu lançamento, em 2007, o Peixe Vivo atua em três frentes: nos programas de conservação da ictiofauna e bacias hidrográficas, na produção de conhecimento científico para subsidiar esses programas e no envolvimento da comunidade nas atividades previstas.

As parcerias estabelecidas pelo Peixe Vivo com centros de pesquisa, além de servir como subsídio para os programas de conservação, apoiam a empresa na elaboração de estratégias mais eficientes para a preservação da ictiofauna. Estimulando a troca de experiências entre suas equipes técnicas e os pesquisadores das universidades, atualmente o Peixe Vivo possui 12 projetos em andamento e outros quatro em fase de contratação.

Alguns desses projetos são realizados em parceria com o Laboratório de Ecologia de Peixes da Ufla. O laboratório tem como objetivo principal o desenvolvimento de recursos humanos e a realização de pesquisas na área de ecologia de peixes e conservação de ambientes aquáticos continentais. Atualmente, a equipe do laboratório é formada por alunos de doutorado, mestrado e estudantes de iniciação científica, envolvidos em diferentes projetos.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/projeto-pescadores-do-saber-promove-educacao-ambiental-no-sul-de-minas/

 

 

Governo de Minas: acordo de cooperação visa à certificação de construções sustentáveis

Convênio prevê a implantação do Instituto Bioerg, que terá o papel de agência reguladora e certificadora

Divulgação / Fiemg
Acordo de cooperação técnica vai garantir certificação à indústria de construções sustentáveis
Acordo de cooperação técnica vai garantir certificação à indústria de construções sustentáveis

O Governo de Minas, a Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg) e a Agência para a Energia de Portugal assinaram nesta sexta-feira (27) um acordo de cooperação técnica para estimular o uso de energias renováveis com o objetivo de gerar oportunidades de negócios e conforto ao cidadão. O convênio prevê a criação e implantação do Instituto Bioerg, que será uma agência reguladora e certificadora governamental, para estabelecer um programa de Edificações Sustentáveis, de Energia Renovável, de Eficiência Energética e Mobilidade Elétrica em âmbito estadual. O Bioerg será o responsável pelo Projeto de Energia Inteligente e Sustentabilidade do Estado de Minas Gerais.

A iniciativa é liderada pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, com a participação da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig), Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig), Fundação Centro Tecnológico de Minas Gerais (Cetec), Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg) e a Agência para a Energia do Governo da República de Portugal  (Adene).

O secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Narcio Rodrigues, considera que a experiência portuguesa será fundamental para que Minas Gerais possa regulamentar e certificar a nascente indústria de edificações sustentáveis. “Vamos promover o crescimento econômico e social, potenciado pelos recursos naturais e energéticos que o Estado dispõe. O mais importante para o Governo de Minas no que diz respeito à eficiência energética é a integração com a Federação das Indústrias, que está criando um distrito industrial para a área de construção”, com a perspectiva de criação da Escola de Construção.

As metas do acordo de cooperação são qualificar recursos humanos para a governança e gestão das atividades inerentes ao Instituto Bioerg; desenvolver estudos que indiquem soluções tecnológicas inovadoras e econômicas, social e ambientalmente relevantes para o Estado de Minas Gerais; realizar outras ações que possam contribuir para o desenvolvimento de projetos cooperativos entre os signatários e que visem promover a inovação, melhoria da qualidade ambiental, a eficiência energética e o crescimento econômico e social no Estado de Minas Gerais.

Para o presidente da Fiemg, Olavo Machado Junior, o acordo de cooperação técnica é uma grande oportunidade para a indústria mineira. “O Instituto Bioerg é da maior importância, criando novos nichos de mercado para a indústria mineira. Vamos ganhar mais eficiência com a experiência da Adene”, afirmou. O vice-presidente da Cemig, Arlindo Porto Neto, disse que a empresa está orgulhosa de participar do Bioerg, uma iniciativa governamental para oferecer condições necessárias ao desenvolvimento. “Quero destacar e referendar o projeto que aqui estou assinando, resultado da política de ciência e tecnologia que gera o desenvolvimento econômico e social, com a preocupação de agregar valor ao produto industrial mineiro”.

O Bioerg vai estruturar ações concretas de estímulo ao desenvolvimento do conhecimento na área de energia renovável, incluindo a participação de instituições de pesquisa e ensino superior. Segundo o secretário, a Adene promove projetos de edificações sustentáveis, de energia renovável e de eficiência energética na Europa, tendo-se especializado na regulamentação e certificação de produtos nessa área, podendo contribuir decisivamente para a internacionalização de ações a serem empreendidas em Minas Gerais.

O Conselho Gestor do Bioerg será constituído por sete membros, sendo três representantes indicados pela Sectes; um representante indicado pela Fiemg; um representante indicado pelo Senai; um representante indicado pela UFMG e um representante indicado pela Cemig. O Conselho Gestor funcionará em instalações da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/acordo-de-cooperacao-visa-a-certificacao-de-construcoes-sustentaveis/

Governo de Minas: Cemig instala Centro Integrado de Medição em Belo Horizonte

Unidade monitora consumo e ajuda no combate a fraudes em todo o Estado

A Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) instalou o Centro Integrado de Medição (CIM), visando aprimorar os processos de faturamento e perdas e contribuir para a operação e planejamento do sistema elétrico. Contando com aparelhos de alta tecnologia, o CIM é capaz de monitorar desde a leitura do medidor até a programação de corte e religamento, passando pela identificação de fraudes e interferências indevidas no equipamento, por parte do consumidor.

Para o presidente da Cemig, Djalma Bastos de Morais, o centro é o primeiro passo para a arquitetura das redes inteligentes: “O CIM será o pilar para o nosso projeto de smart grid, o Cidades do Futuro. Ele mostra o empenho da Empresa em acompanhar as inovações tecnológicas mundiais e coloca-las à disposição dos nossos clientes”, disse.

Além de acompanhar de perto a medição dos clientes, o CIM realiza a seleção de alvos para inspeção, ajudando ainda mais no combate a irregularidades envolvendo o consumo de energia elétrica. “Toda informação das grandezas elétricas é fornecida de 15 em 15 minutos ao nosso Centro. Ao depararmos com alguma anormalidade, já acionamos as equipes para averiguar in loco se há ou não a incidência de fraude”, explica o gerente de Gestão e Controle de Perdas da Distribuição da Cemig, Marco Antônio de Almeida.

Com a sua instalação, a Cemig ganha em qualidade e agilidade na prestação de serviço, e o cliente tem a garantia de boa energia, com níveis de tensão adequados e redução das incorreções de leitura. Em funcionamento desde setembro do ano passado, no Barro Preto (região Centro-Sul de Belo Horizonte), o centro já identificou 26 irregularidades em unidades consumidoras. Dessas, 18 foram objeto de negociação.

Estrutura

Com investimentos de cerca de R$ 12 milhões, o Centro conta com uma sala de operação projetada para funcionar com 21 postos de trabalho, sendo 12 destinados às atividades de monitoração dos sistemas de medição e 9 para seleção de alvos de inspeção.

De acordo com o gerente do Centro Integrado de Medição e de Diagnóstico de Medidores, Rosenildo Ramos de Vasconcelos, a capacidade de recuperação de receita e o maior controle do faturamento que a empresa terá agora trarão benefícios diretos também para a sociedade. ”Na medida em que diminuímos a perda comercial, possibilitamos que a tarifa fique menor e os clientes sejam beneficiados, pois as fraudes oneram a tarifa”, afirma.

Para realizar a gestão dos pontos com medição remota, foi adquirida uma moderna plataforma de operação, dentro do conceito denominado MDM (Meter Data Management), que é responsável pela aquisição, armazenamento, processamento e análise de dados de consumidores. Dentre as funcionalidades da plataforma, se destacam leituras automáticas e programação a distância de medidores, corte e religamento remotos, disponibilização de gráficos e relatórios de grandezas elétricas e a verificação de irregularidades na medição, como, por exemplo, a abertura indevida da caixa de medição.

Com a implantação da telemedição prevista nas unidades consumidoras de média e baixa tensão, além dos clientes livres, que já tiveram esse serviço implantado, será blindada aproximadamente 45% de toda a receita da Cemig. Atualmente, cerca de 7 mil consumidores de média tensão já possuem sistema implantado e até o final do ano, está prevista a implantação nos demais clientes desse grupo, além de 6 mil grandes consumidores de baixa tensão, totalizando 18 mil unidades consumidoras em todo o Estado.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/cemig-instala-centro-integrado-de-medicao-em-belo-horizonte/

Governo de Minas: presidente da Cemig é apontado como um dos melhores da América Latina

Djalma Morais ficou na 22ª colocação entre 294 dirigentes de empresas da região

Divulgação / Cemig
Djalma Morais assumiu a presidência da Cemig em 1999 e promoveu uma reestruturação
Djalma Morais assumiu a presidência da Cemig em 1999 e promoveu uma reestruturação

O presidente da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig), Djalma Bastos de Morais, está entre os 50 melhores presidentes de empresas da América Latina, segundo a revista Harvard Business Review. Foram analisados 294 presidentes de 197 empresas de capital aberto da Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, México, Peru e Venezuela. O presidente da Cemig foi o 22º colocado. Informações estão no site da Cemig.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/presidente-da-cemig-e-apontado-como-um-dos-melhores-da-america-latina/

Cemig: Governo Anastasia pode ampliar participação na Light

Gestão eficiente do Governo Anastasia pode levar a ampliar participação na Light. A Cemig é hoje uma das empresas mais eficientes do setor elétrico brasileiro.

Minas quer aumentar influência na Light com criação de diretoria

Fonte: Rodrigo Polito – Valor Econômico

governo de Minas, controlado pelo PSDB, deu um novo passo, por intermédio da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig), para aumentar sua influência política na distribuidora de energia elétrica Light, responsável por mais de 70% do fornecimento no Estado do Rio de Janeiro. O conselho de administração da distribuidora fluminense, que tem a Cemig como acionista majoritária (26,06% de participação direta e 6,04% de participação indireta), pretende criar uma nova diretoria, para a área de comunicação, e indicar para o cargo o atual vice-presidente da Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa), Ziza Valadares.

Uma das empresas mais eficientes do setor elétrico brasileiro, a Cemig é vista hoje como um dos principais trunfos políticos do PSDB. O aumento do poder da estatal mineira na Light cria espaço para a influência tucana no Rio de Janeiro, dois anos antes da campanha presidencial de 2014 para a qual o ex-governador e hoje senador Aécio Neves (PSDB-MG) é um dos principais postulantes à disputa. O atual governador, Antonio Anastasia (PSDB), foi eleito graças ao apoio de Aécio e é seu aliado incondicional.

A criação da nova diretoria foi proposta pelo Conselho de Administração da Light na semana passada e será votada em assembleia geral extraordinária na próxima quarta-feira. Caso a proposta seja aprovada, os conselheiros vão se reunir no mesmo dia para sacramentar o nome do novo diretor.

A indicação de Valadares já é dada como certa internamente na Light. Procurado pelo Valor, ele informou, por meio de sua secretária, que há especulações nesse sentido, mas que não existe nada formalizado. E disse que só se pronunciará somente se houver indicação oficial.

A Light não confirmou a indicação. A companhia admitiu, porém, que será realizada a assembleia para votar a reforma estatutária que criará a nova diretoria. “Na sequência, o conselho de administração se reunirá para apreciar e aprovar a indicação do novo diretor, cujo nome será apresentado formalmente no momento da reunião”, disse a empresa em nota.

Em entrevista concedida ao Valor na semana passada, o diretor de Novos Negócios e Institucional da Light, Paulo Roberto Pinto, disse que a medida visa aumentar a governança corporativa da empresa, já que a área de Comunicação atualmente está ligada diretamente à presidência. “A presidência [da empresa] tem outras prioridades, como assuntos de regulação e tarifas. Não tem como dar a prioridade correta [para a área de Comunicação] no tempo certo”, afirmou. O futuro diretor comandará todas as atividades de comunicação institucional, aprovação de patrocínios e relacionamento com a imprensa.

Ex-jogador de futebol e administrador de empresas, Valadares foi deputado estadual em Minas Gerais por dois mandatos, de 1978 a 1986, e deputado federal constituinte, sendo vice-líder do PSDB. Fundador nacional e secretário-geral do PSDB mineiro, ele ocupou a secretaria estadual de Administração de Minas Gerais no governo Tancredo Neves, em 1983, e a secretaria municipal de Esportes de Belo Horizonte, durante o mandato de Eduardo Azeredo, entre 1990 e 1992. Valadares também foi presidente do Clube Atlético Mineiro, entre 2007 e 2008.

Caso confirmada, essa será a segunda indicação para a diretoria da Light com ligação com viés político. Em setembro de 2011, o Conselho de Administração da Light elegeu o procurador de Justiça de Minas Gerais Fernando Reis para a diretoria Jurídica da empresa. Em março, ele acumulou a diretoria de Gente, após a saída de Ana Silvia Corso Matte.

Gestão Eficiente: Cemig avalia eficácia de repovoamento de peixes em rios de Minas

Centros de pesquisa da empresa vão monitorar evolução de 600 mil peixes que serão soltos em rios e lagos até maio

A Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) pretende repovoar, até o mês de maio, as bacias dos rios Grande, Araguari, Paranaíba, Jequitinhonha e Pardo, com cerca de 600 mil alevinos de espécies de peixes nativas de cada região. Além da iniciativa de recomposição da fauna dos rios onde possui usinas, a empresa conta com três projetos, dentro do Programa Peixe Vivo, que contribuem para que a evolução dos peixes soltos nas bacias hidrográficas do Estado possa ser monitorada.

Um dos projetos é a criação do Centro de Excelência em Ictiologia de Volta Grande, no Triângulo Mineiro. Os recursos do projeto do centro estão sendo investidos na melhoria e construção de instalações da Estação de Piscicultura de Volta Grande e no desenvolvimento de parcerias e convênios com universidades. O objetivo é transformar o local em referência nacional na gestão de recursos pesqueiros, desenvolvendo e transferindo tecnologia para concessionárias de energia e centros de pesquisa do país.

Perfis genéticos

Outra iniciativa é a criação de um banco de DNA para propiciar estudos genéticos do curimbatá (Prochilodus lineatus), espécie de peixe utilizada em programas de repovoamento da Cemig. Antes das solturas, serão determinados os perfis genéticos tanto dos reprodutores da Estação Ambiental de Volta Grande quanto dos alevinos liberados nos reservatórios de Jaguara e Volta Grande, por meio do uso de marcadores de DNA.

Periodicamente, a empresa coletará peixes nos reservatórios onde ocorreram peixamentos e, comparando-se os seus perfis por meio da análise de DNA, será possível determinar, entre os curimbatás coletados nas represas, quantos são provenientes do repovoamento e quantos são de desovas ocorridas na natureza. Desta forma, será possível identificar a ocorrência ou não de reprodução e analisar os locais de soltura que trouxeram melhores resultados.

Esta metodologia está sendo utilizada por dois projetos em andamento dentro do âmbito do Programa Peixe Vivo. Um deles conta com investimento de R$ 2 milhões e é realizado em parceria com a Universidade Federal de Minas Gerais. Além de marcadores moleculares, este projeto conta, ainda, com uma marcação física inédita no Brasil, já utilizada para estudos com salmões na América do Norte.

O outro projeto, realizado em parceria com a Universidade Federal de São João Del-Rei, tem como foco as espécies de peixe que estão com população reduzida no reservatório da Usina Hidrelétrica de Itutinga, no rio Grande, como a piapara, a piracanjuba e o dourado.

De acordo com o analista de meio ambiente do Programa Peixe Vivo, João de Magalhães Lopes, os estudos são fundamentais para a definição de estratégias mais coerentes para a mitigação de impactos ambientais causados à ictiofauna por usinas hidrelétricas. “A avaliação científica da eficiência do processo de repovoamento de peixes aliada a avaliações de parâmetros ambientais realizados nas bacias hidrográficas onde a Cemig possui barragens tornará possível a construção de planos de manejo específicos para cada uma das estações de piscicultura da Empresa. Esses planos deverão determinar indicadores ecológicos e genéticos que guiem as atividades de manejo e conservação da ictiofauna nativa, tornando o processo mensurável e passível de adequações e revisões ao longo do tempo”, explica.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/cemig-avalia-eficacia-de-repovoamento-de-peixes-em-rios-de-minas/

Governo de Minas: cemig informa dicas de segurança com energia elétrica

Palestras, apresentações teatrais e panfletos educativos são alguns dos meios utilizados pela campanha para auxiliar na prevenção de acidentes envolvendo a rede elétrica

Conhecer os perigos que a energia elétrica pode causar é importante para todos os cidadãos e por isso a Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) realiza anualmente a campanha externa de prevenção de acidentes com a população (Cepap). O objetivo da dessa campanha é informar à população sobre os cuidados necessários com a energia elétrica e os riscos das ligações irregulares.

São realizadas palestras educativas nas escolas estaduais de ensino fundamental e nos canteiros de obra da construção civil. No ano passado, as ações da Empresa por meio da Cepap atingiram cerca de 430 mil pessoas em toda a área de concessão da Cemig.

De acordo com levantamento da Cemig, as causas mais frequentes de acidentes em 2011 em Minas Gerais foram construção e manutenção predial, execução de serviços rurais, seguido por instalação de antenas de TV, soltura de papagaio ou pipas e ligações clandestinas. Ainda no ano passado, dos 165 acidentes com a população envolvendo a rede elétrica, 36 foram fatais.

“Esses acidentes estão associados, na maioria dos casos, ao contato ou aproximação à rede da Cemig de ferramentas, equipamentos e materiais de grande porte, utilizados na construção civil. O trabalho da empresa está fortemente ligado a orientações que previnam o manuseio indevido”, explica o gerente de Segurança do Trabalho, Saúde e Bem-Estar da Cemig, João José Magalhães Soares.

Além das palestras, a campanha conta com apresentações teatrais, jogos interativos e exibição de maquetes de instalações elétricas com simulação dos riscos de acidentes, e a distribuição também milhares de materiais educativos, como folhetos e cartilhas com temas relacionados à segurança da população.

Prevenção:

– Antena de TV: instalar antena perto da rede elétrica é perigoso. Para instalar ou consertar antenas, escolha um local longe dos fios da rede elétrica e espere o tempo ficar bom. Se a antena cair, não tente segurá-la ou recuperá-la. Para evitar acidentes, consulte sempre um profissional qualificado.

– Serviços rurais: colheitadeiras de grande porte, caminhões graneleiros e basculantes podem atingir a rede elétrica devido às suas grandes dimensões. Antes de utilizar estas máquinas, deve-se observar a existência de redes elétricas no campo e impedir que elas se aproximem ou toquem nos fios de energia. Ao preparar a terra com o arado, deve-se ter o cuidado para não danificar os estais existentes em alguns postes.

– Ligação clandestina: furtar energia é perigoso e ilegal. Quem faz ligação clandestina corre risco de morte e coloca a vida de outras pessoas em perigo. Mantenha distância dos fios partidos ou caídos e não suba em postes da rede elétrica.

– Construção: construir ou reformar perto da rede elétrica é perigoso. Nunca coloque vergalhões, barras de ferro, arames e outros materiais próximos da rede elétrica na hora de construir ou reformar. Para evitar acidentes, consulte sempre um profissional capacitado.

– Papagaio: empinar papagaio perto da rede elétrica é perigoso. Procure sempre locais afastados da rede elétrica. Além disso, não use fios metálicos ou cerol e não tente soltá-lo, caso fique preso.

Em caso de denúncias, acidente externo com a rede elétrica e mais informações basta ligar para a central de atendimento ao cliente Fale com a Cemig (116).

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/cemig-informa-dicas-de-seguranca-com-energia-eletrica/

Gestão em Minas: Cemig registra em 2011 o maior lucro da sua história

O lucro líquido da Companhia Energética de Minas Gerais atingiu R$ 2,4 bilhões no ano passado

O ano de 2011 vai entrar para a história da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) em função dogrande volume de investimentos, da aquisição de novas empresas, da valorização das ações da companhia, do pagamento expressivo de dividendos e da apresentação do maior lucro desde a sua fundação. O lucro líquido da Cemig atingiu R$ 2,4 bilhões no ano passado.

Para o presidente Djalma Bastos de Morais, 2011 foi um ano de destaques para a empresa, que vem cumprindo de forma contínua e determinada as metas contidas no seu Plano Diretor. “Estamos atentos ao movimento do mercado para continuarmos a crescer nos três segmentos – geração, distribuição e transmissão de energia elétrica -, contribuindo para um maior equilíbrio do nosso portfólio de negócios”.

A geração de caixa, medida pelo Lajida, atingiu R$ 5,4 bilhões, dentro das projeções financeiras da companhia divulgadas ao mercado em maio de 2011. Os dividendos destinados aos acionistas alcançaram um valor superior a R$ 2 bilhões.

De acordo com o diretor de Finanças e Relações com Investidores, Luiz Fernando Rolla, esses resultados evidenciam o acerto da estratégia de crescimento da Cemig via aquisições e novos projetos, dentro do processo de consolidação do setor elétrico. “Isto é comprovado pelo histórico de aquisições bem sucedidas, com uma forte disciplina em nossos critérios de decisão de investimentos. Os consistentes resultados econômicos e operacionais que a companhia vem alcançando ao longo do tempo refletem em retorno para os nossos acionistas. Em 2011, nossas ações ON e PN tiveram uma valorização de 48,62% e 37,23%, respectivamente”.

Já o consumo de energia elétrica na área de concessão da Cemig, em 2011, teve um crescimento de 6% em relação a 2010. Esse resultado é consequência do constante aumento na carteira de clientes da empresa, que no ano passado atingiu 11,465 milhões de consumidores, crescimento de 3%, em relação a dezembro de 2010. As vendas totais da Cemig em 2011 somaram 70.178 milhões de MWh, frente os 66,2 milhões de MWh apurados em 2010.

Perfil da Companhia

A Cemig, que em maio completa 60 anos, é hoje a maior empresa integrada do setor de energia elétrica do Brasil, sendo o maior grupo distribuidor, responsável por aproximadamente 12% do mercado nacional. É ainda o terceiro maior grupo transmissor, com 10.060 km de linha, e o terceiro maior grupo gerador, com um parque gerador formado por 65 usinas hidrelétricas, térmicas e eólicas, com uma capacidade instalada de 6.964 GW.

 

A companhia está presente em 23 estados brasileiros e opera uma linha de transmissão no Chile. Conta com mais de 115 mil acionistas em 44 países e ações negociadas nas Bolsas de Valores de Nova York, Madri e São Paulo.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/cemig-registra-em-2011-o-maior-lucro-da-sua-historia/