Gestão Eficiente: em alta, exportações mineiras totalizam US$ 10,4 bilhões até abril

Se considerados os últimos 12 meses, vendas externas somam US$ 40,17 bilhões, alta de quase 13%

As exportações mineiras totalizaram US$ 10,4 bilhões nos primeiros quatro meses do ano. Com o resultado, a participação de Minas Gerais sobre o total do Brasil ficou em 14%. Se considerados os últimos 12 meses (maio de 2011 a abril de 2012) as exportações totalizaram US$ 40,17 bilhões e apresentaram uma expansão de 12,9% em relação ao período de maio de 2010 a abril de 2011. A participação sobre o total brasileiro ficou em 15,5%.

Os dados preliminares foram divulgados nesta sexta-feira (04) pela Central Exportaminas, órgão da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (SEDE), que realiza mensalmente o Mapeamento das Exportações de Minas Gerais com base nos números do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC).

Importações

A análise da Central Exportaminas constatou que as importações em abril deste ano totalizaram US$ 941,4 milhões, valor 5,9% superior ao mesmo mês de 2011. A média diária das importações foi de US$ 47,1 milhões.  Houve redução de 2,4% no valor importado em relação a março de 2012.

As importações aumentaram, de janeiro a abril, 7,2% na comparação com o mesmo período de 2011, totalizando US$3,7 bilhões. Importou-se 5,3%  do total brasileiro. Também no período de maio de 2011 a abril de 2012, as importações aumentaram 23,3% na comparação com o mesmo período de 2010 a 2011, totalizando US$ 13,3 bilhões. O crescimento das importações mineiras ficou acima da variação das importações nacionais (+18,1%). Minas Gerais importou 5,7% do total brasileiro.

No mês passado, o saldo comercial de Minas reduziu 25,1% alcançando o valor de US$ 1,68 bilhão em relação a abril de 2011. Em relação a março deste ano a redução foi de 9,4%. Em contrapartida, a queda verificada no saldo comercial do Brasil no mesmo período foi de 52,7%, para US$ 881 milhões.

Entre janeiro e abril de 2012, o saldo comercial de Minas Gerais foi de US$ 6,65 bilhões, queda de 18,2%, enquanto o saldo nacional ficou em US$ 3,3 bilhões (- 33,7%). Já no acumulado dos últimos 12 meses (maio de 2011 a abril de 2012) o saldo comercial mineiro atingiu U$ 26,9 bilhões (+ 5%), enquanto o saldo comercial nacional foi de US$ 28,1 bilhões (+ 3,2%).

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/em-alta-exportacoes-mineiras-totalizam-us-104-bilhoes-ate-abril/

Gestão Antonio Anastasia: exportações de Minas Gerais superam os US$ 2,8 bilhões em março

Dados da Central Exportaminas apontam alta de 6% na comparação com fevereiro de 2012

As exportações mineiras atingiram o valor de US$ 2,8 bilhões e média diária de US$ 128 milhões em março de 2012. Na comparação com o mês de fevereiro de 2012, houve um aumento de 6%. Os dados preliminares foram divulgados pela Central Exportaminas, órgão da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sede), que realiza mensalmente o Mapeamento das Exportações de Minas Gerais com base nos números do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC).

Já as importações registraram no mês passado um aumento de 5% em relação ao mesmo mês de 2011, totalizando US$ 964 milhões. A média diária das importações foi de US$ 43,8 milhões. Houve um aumento de 16,3% no valor importado em relação a fevereiro de 2012.

Por sua vez o saldo comercial de março de 2012 alcançou US$ 1,8 bilhão. Em relação a fevereiro deste ano, houve um aumento de 1,4%. Também a corrente de comércio contabilizou queda de 5,8% em relação ao valor do mesmo mês em 2011, atingindo US$ 3,8 bilhões no mês passado, enquanto a participação de Minas Gerais no comércio exterior nacional ficou em 9,5%.

Acumulado

No primeiro trimestre do ano as exportações mineiras totalizaram US$ 7,8 bilhões. Houve redução de 8,4% em relação ao período de janeiro a março de 2011. A participação sobre o total brasileiro ficou em 14,2%.

No mesmo período as importações aumentaram 7,6% na comparação com o mesmo período de 2011, totalizando US$2,83 bilhões. A participação de Minas Gerais nas importações brasileiras foi de 5,4% do total.

No acumulado de 2012, o saldo comercial estadual foi de U$ 4,9 bilhões, enquanto o saldo nacional ficou em US$ 2,4 bilhões. No período analisado, registrou-se queda de 15,5% no saldo comercial mineiro.

A corrente de comércio registrou valor de US$ 10,63 bilhões no período analisado. Esse valor correspondeu a 9,9% do total nacional. A corrente teve a variação negativa de 4,6%.

Já nos últimos 12 meses, as exportações totalizaram US$ 40,6 bilhões, tendo expansão de 17,7% em relação ao período de abril de 2010 a março de 2011. A participação sobre o total brasileiro ficou em 15,7%.

As importações aumentaram 24,7% na comparação com o mesmo período de 2010/2011, totalizando US$ 13,2 bilhões. O crescimento das importações mineiras ficou acima da variação das importações nacionais (+20,6%). Minas Gerais foi responsável por 5,7% do total importado pelo Brasil.

O saldo comercial mineiro foi de U$27,4 bilhões no acumulado dos últimos 12 meses enquanto o saldo nacional foi de US$ 29 bilhões. No período analisado, registrou-se crescimento de 5,8% no saldo comercial mineiro.

A corrente de comércio registrou valor de US$ 53,9 bilhões no período analisado. Esse valor correspondeu a 11% do total nacional. A corrente teve a variação de 6,4% se comparado aos 12 meses anteriores.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/exportacoes-de-minas-gerais-superam-os-us-28-bilhoes-em-marco/

Gestão Anastasia: frutas e cachaça de Minas Gerais fazem sucesso em feira internacional

Fruit Logistica 2012 é a principal feira do setor de frutas, verduras e legumes, e porta de entrada para todo o mercado europeu

Divulgação/Central Exportaminas
Estande mineiro reuniu diversas autoridades na Fruit Logistica, em Berlim, na Alemanha
Estande mineiro reuniu diversas autoridades na Fruit Logistica, em Berlim, na Alemanha

Produtores e exportadores mineiros estiveram em Berlim, na Alemanha, promovendo as frutas da região do Jaíba e cachaça de Minas Gerais, durante a Fruit Logistica 2012, principal feira do setor de frutas, verduras e legumes, e porta de entrada para todo o mercado europeu. A feira aconteceu entre 8 e 10 de fevereiro.

A Central Exportaminas coordenou, pelo terceiro ano consecutivo, a delegação mineira durante a feira. O estande mineiro, localizado no “Brazilian Fruit”, pavilhão oficial do Brasil organizado pelo Instituto Brasileiro de Frutas (Ibraf), em conjunto com a Agência Brasileira de Promoção das Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), recebeu a visita de centenas de compradores internacionais, autoridades e imprensa especializada.

Dentre as autoridades presentes no estande de Minas Gerais estiveram as ministras da Agricultura de Portugal, Assunção Cristas, e da Alemanha, Ilse Aigner. Visitantes e autoridades puderam conhecer as frutas e a cachaça mineiras, além de degustarem a famosa caipirinha, feita na hora com a cachaça Pendão, produzida e engarrafada em Itatiaiuçu, a 70 km de Belo Horizonte.

Durante a feira, a Embaixada do Brasil em Berlim ofereceu uma recepção à delegação de Minas Gerais que, segundo a coordenadora especial de Comércio Exterior do Governo de Minas, Elisabete Serodio, “de grande valia para a aproximação entre o governo federal e os empresários mineiros”.

“Participaram da delegação mineira 32 empresários e produtores de frutas da região do Jaíba, alguns deles pela primeira vez e outros com o objetivo de conhecer novos mercados para seus produtos”, afirma o diretor da Central Exportaminas, Ivan Barbosa Netto, presente na feira. Também participaram da missão o secretário de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), Elmiro Alves do Nascimento; a coordenadora Especial de Comércio Exterior da Secretaria de Desenvolvimento Econômico (Sede), Elisabete Serodio; o superintendente de Gestão dos Mercados Livres dos Produtores Rurais da Seapa, Lucas Scarascia; o diretor-geral do Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA), Altino Rodrigues Neto; a analista de comércio exterior da Exportaminas, Andressa Borges; os técnicos do Sebrae-MG Claudio Luiz Oliveira, Claudio Wagner de Castro, Jadilson Ferreira Borges e Raquel Brasil; o aluno do curso de Relações Internacionais do Centro Universitário Newton Paiva Wellington Corelli, além de produtores e empresas de grande, médio e pequeno porte do Norte de Minas, como Brasnica, Benassi, Grupo Borborema, Aslim e Abanorte, entre outros.

Missão Comercial

A promoção comercial de produtos de Minas Gerais continuará neste mês de fevereiro. Entre os dias 12 e 16, a Central Exportaminas participa da Missão Empresarial do Brasil ao Oriente Médio, Arábia Saudita e Emirados Árabes liderada pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), a Câmara de Comércio Árabe Brasileira (CCAB) e a Confederação Nacional da Indústria (CNI).

O objetivo é contribuir para a ampliação do fluxo comercial, promovendo as exportações brasileiras e auxiliando as empresas no seu processo de internacionalização. Participarão da missão a coordenadora de Comércio Exterior da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Elisabete Seródio; o diretor da Central Exportaminas, Ivan Barbosa Netto; consultores de investimentos do BDMG e as empresas Café Fazenda Caeté (café individual preparado por imersão) e Maricota (massas e alimentos congelados), além da Associação dos Fruticultores do Norte de Minas – Abanorte e de representantes da CeasaMinas.

Gulf Food

Pelo terceiro ano consecutivo, a Central Exportaminas vai liderar missão de Minas Gerais à GulFood, maior feira de alimentos e bebidas do mundo árabe e principal porta de entrada para os mercados do Oriente Médio e Norte da África, que será realizada em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, entre 19 e 22 de fevereiro. A Central Exportaminas coordenará o estande Minas Gerais no pavilhão oficial do Brasil, organizado pelo Instituto Brasileiro de Frutas (Ibraf) em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), sob a identidade visual BrazilianFruit. Participam da 17ª edição da feira empresas associadas à Associação dos Fruticultores do Norte de Minas (Abanorte), a TranscomexGG,  o Grupo Borborema, Ceasa Minas e Café Fazenda Caeté.

Fonte: Agência Minas

Gestão Anastasia: Exportações de Minas Gerais atingem US$ 2,3 bilhões em janeiro

No acumulado dos últimos 12 meses, o resultado das exportações mineiras continuou apresentando resultados expressivos e atingiram US$ 40,98 bilhões

Divulgação
SEDE/Central Exportaminas, sobre a base de MDIC/Secex
SEDE/Central Exportaminas, sobre a base de MDIC/Secex

As exportações de Minas Gerais atingiram o valor de US$ 2,3 bilhões em janeiro de 2012, com uma média diária de US$ 105,5 milhões. Os dados preliminares foram divulgados nesta sexta-feira (3) pela Central Exportaminas, órgão da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sede), que realiza mensalmente o Mapeamento das Exportações de Minas Gerais com base nos números do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC).

Já as importações totalizaram US$ 1,03 bilhão, valor 17,1% superior ao mesmo mês de 2011. A média diária das importações de janeiro/12 foi de US$ 47,07 milhões. Houve um acréscimo de 16,3% tanto no valor importado quanto na média diária em relação a dezembro de 2011. O saldo comercial do mês passado alcançou US$ 1,28 bilhão, com uma redução de 30,4%, em relação a janeiro de 2011.

Acumulado

No acumulado dos últimos 12 meses (fevereiro de 2011 a janeiro de 2012), o resultado das exportações mineiras continuou apresentando resultados expressivos e atingiram US$ 40,98 bilhões, com expansão de 26,2% em relação ao período de fevereiro/2010 a janeiro/2011. O crescimento das exportações mineiras ficou bem acima da variação das exportações nacionais (+24,8%) e a participação sobre o total brasileiro ficou em 15,9%.

No mesmo intervalo, as importações aumentaram 28,6% na comparação com o mesmo período de 2010/2011, para US$ 13,2 bilhões. Enquanto isso, as importações nacionais cresceram 23,7%. As importações do Estado responderam por 5,8% do total brasileiro.

Minas Gerais continuou sendo o principal responsável pelo superávit da balança comercial brasileira. O saldo comercial do Estado foi de U$ 27,8 bilhões no acumulado dos últimos 12 meses, enquanto o saldo nacional foi de US$ 28,1 bilhões. Sendo assim, Minas Gerais possui 98,9% do saldo comercial brasileiro. Em relação ao período de fevereiro/2011 a janeiro/2012, o crescimento foi de 7,6% no saldo comercial mineiro.

Fonte: Agência Minas

Governador Antonio Anastasia recebe cônsul-geral do Japão

Governador de Minas confirma participação no Festival do Japão em Minas 2012, que será realizado pela primeira vez em Belo Horizonte, de amanhã a domingo
Gil Leonardi/Imprensa MG
O cônsul do Japão, Masaru Watanabe e o governador de Minas, Antonio Anastasia
O cônsul do Japão, Masaru Watanabe e o governador de Minas, Antonio Anastasia

O governador Antonio Anastasia recebeu em audiência, nesta quinta-feira (2), no Palácio Tiradentes, o cônsul-geral do Japão no Rio de Janeiro, Masaru Watanabe, que estava acompanhado do vice-cônsul, Daisuke Hattori. Formado em Direito, na Universidade de Tóquio, Masaru Watanabe ocupa, desde 1980, importantes cargos na diplomacia japonesa, incluindo o de Ministro da Embaixada do Japão nas Filipinas, Argentina e Espanha. Em outubro do ano passado, Watanabe assumiu o Consulado Geral do Japão no Rio de Janeiro.

Na ocasião, o governador Antonio Anastasia confirmou sua participação na cerimônia de encerramento do Painel Econômico Minas-Japão e posse do novo cônsul-geral honorário do Japão em Belo Horizonte, o empresário Wilson Brumer. Os eventos integram a programação do Festival do Japão em Minas 2012, que será realizado de sexta-feira (3) a domingo (5), no Expominas, em Belo Horizonte. É a primeira vez que a capital mineira recebe o festival, cujo objetivo é preservar, fomentar e divulgar a cultura japonesa para os mineiros, nipo-brasileiros e turistas.

O cônsul-geral do Japão no Rio de Janeiro, Masaru Watanabe, ficou satisfeito com a visita. Na avaliação do diplomata, o governador de Minas Gerais, além de gentil, compreende a cultura japonesa e trabalha para desenvolver cada vez mais as relações culturais e econômicas com o país asiático.

“Expressei meu agradecimento pela cooperação do governador para a promoção das nossas relações bilaterais, pela sua participação em nosso seminário econômico e na cerimônia de nomeação do nosso novo cônsul-geral honorário do Japão em Belo Horizonte, senhor Brumer, nesta sexta-feira (3). Falamos ainda de várias possibilidades de futuros projetos econômicos e outras possibilidades que temos na área de economia”, disse.

Relações comerciais

Faz parte da estratégia de ampliação do comércio exterior do Governo de Minas, a ampliação do comércio com o Japão. A Central Exportaminas, ligada à Secretaria de Desenvolvimento Econômico, tem como objetivo promover o processo de internacionalização dos produtores, exportadores e dos serviços de Minas Gerais.

Em 2011, o Japão foi o segundo principal parceiro comercial de Minas, considerando o valor das exportações. E no ranking das importações feitas pelo Estado o Japão é o sexto país. Entre os estados brasileiros, Minas é o que mais exporta para o Japão e o quarto que mais importa. A corrente de comércio foi de US$ 3,75 bilhões, um aumento de 30,9% em relação a 2010. Em 2011, Minas Gerais exportou cerca de US$ 3,28 bilhões e importou US$ 474 milhões. O superávit comercial foi da ordem de US$ 2,8 bilhões.

Fonte: Agência Minas

Governo Anastasia obtém apoio de Agência Japonesa para investimento na fruticultura da região do Jaíba

Gestão Pública, produção agrícola, 

Fonte: Estado de Minas

Governo japonês vai doar US$ 3 milhões para a melhoria da produção na região voltada para fruticultura no Norte de Minas. Recursos serão destinados à compra de equipamentos

Do Japão para o Jaíba

Os fruticultores da região do Jaíba no Norte de Minas vão contar com uma “mãozinha” dos japoneses. A Agência de Cooperação Internacional do Japão (Jica) – órgão do governo japonês responsável pela implementação da Assistência Oficial para o Desenvolvimento (ODA) – e o governo de Minas Gerais, por meio das secretarias de Desenvolvimento Econômico (Sede) e de Agricultura, Pecuária a Abastecimento (Seapa), assinaram um memorando de entendimentos para a doação de US$ 3 milhões para a melhoria dos processos de produção de frutas no Projeto Jaíba. Os recursos serão usados nos próximos quatro anos, na execução do Projeto de Desenvolvimento de Capacidades na Pós-colheita e Práticas de Marketing na Região do Jaíba, que prevê a compra de máquinas e equipamentos para a classificação e embalagem de frutas.

O memorando, assinado pela secretária de Desenvolvimento Econômico, Dorothea Werneck, pelo secretário adjunto de Agricultura, Paulo Afonso Romano, e pelo representante chefe da Jica para o Brasil, Katsuhiko Haga, inclui a implantação de um sistema de informação de mercado a ser desenvolvido e disponibilizado aos produtores locais para melhorar as condições de negociação de frutas, bem como a capacitação para planejamento de marketing. Além disso, está previsto o controle de qualidade por meio da melhoria na infraestrutura de armazenagem (câmaras frias e túnel de resfriamento), a doação de máquina de seleção e classificação de frutas, bem como treinamento e certificação.

Dorothea Werneck agradeceu aos japoneses pelo trabalho conjunto. Segundo ela, a parceria entre os governos de Minas Gerais e do Japão apresenta resultados positivos, especificamente neste momento de busca de melhoria dos gargalos na comercialização da produção do Jaíba. Já o representante-chefe da Jica, Katsuhiko Haga, lembrou que a agência de cooperação já realizou importantes projetos na área da agricultura no Brasil. “Apesar deste ter tido uma boa avaliação, sabemos que na área agrícola nunca podemos parar e nos dar por satisfeitos. A demanda por alimentos é sempre crescente e os consumidores cada dia mais exigentes, assim há sempre a necessidade de adaptação dos agricultores ao mercado.”

Katsuhiko Haga enfatizou que a Jica quer muito que a região do Jaíba se desenvolva de modo a se transformar em uma referência nacional da agricultura irrigada. A criação de uma marca própria para a região – “Produtos de Jaíba” – está entre os desejos da Jica.

A assinatura do memorando foi precedida por um diagnóstico apresentado aos técnicos da Jica, em 2010, pela Central Exportaminas, órgão vinculado à Secretaria de Desenvolvimento. O trabalho, que conta também com o cenário futuro (até 2025) da produção e exportação de frutas da região, faz parte do Projeto Perecíveis, que foi financiado pelo Banco Mundial (Bird).

Cada dia mais profissional 

A profissionalização faz parte da evolução da produção no Jaíba. Prova disso foi que os produtores já conquistaram o principal selo de certificação para a venda de alimentos na Europa, o Globalgap. E em 2010, foi comercializado 1,3 milhão de toneladas de produtos agrícolas colhidos na região.

Situado no extremo Norte de Minas Gerais, em uma área total de 67.526 hectares (pouco mais de 53.066ha irrigados), o Projeto Jaíba compreende os municípios de Jaíba e Matias Cardoso. Está inserido em uma região de clima semiárido, distante 700 km de Belo Horizonte. Configura-se, em termos de área contínua, no maior projeto hidroagrícola da América Latina.

O fim da década de 1980 foi marcado pelo início de operação do Jaíba, com o assentamento das primeiras famílias de irrigantes. A partir dos anos 1990, foram agregados mais recursos financeiros internacionais ao projeto, com a contratação de um novo financiamento junto ao Japan Bank for Internacional Cooperation (JBIC). O período foi também marcado pela incorporação da iniciativa privada, por meio da criação do Distrito de Irrigação de Jaíba.

Conversa afinada

Em julho, o governador Antonio Anastasia e a secretária Dorothea Werneck estiveram no Japão e se reuniram com autoridades da Jica para discutir o assunto. No mês passado, foi a vez de uma equipe da Jica se reunir com o governo de Minas, em Belo Horizonte, para detalhar a implementação dos recursos para a contratação de serviços e a aquisição de equipamentos para a região do Jaíba.

Governos Aécio e Anastasia colaboram para ampliar fatia de Minas nas exportações

Estado aumenta sua fatia na exportação

Fonte: Tereza Rodrigues – Estado de Minas

CONJUNTURA
A participação de Minas Gerais nas exportações brasileiras aumentou de 16% em dezembro de 2010 para 17,9% no mês passado. Os dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) mostram que o recorde histórico no país para o mês de janeiro, ao atingir a cifra de US$ 15,215 bilhões, foi puxado por um crescimento ainda mais expressivo – as exportações mineiras chegaram a US$ 2,73 bilhões no primeiro mês de 2011, alta de 84,7% em relação ao mesmo período de 2010.

Os dados preliminares foram divulgados ontem pela Central Exportaminas. Para a secretária de Estado de Desenvolvimento Econômico, Dorothea Werneck, os números positivos foram influenciados principalmente pela elevação das cotações internacionais de minério de ferro e de produtos alimentícios. ”O resultado não foi uma surpresa porque é um objetivo aumentar continuamente o nosso percentual de participação nas exportações do país. Os números do último mês, no entanto, são uma junção de vários fatores. Além de os empresários terem aumentado o volume total de mercadorias exportadas, fomos beneficiados pelo bom preço das commodities no mercado internacional”, afirmou a secretária.

De acordo com o diretor da Central Exportaminas, Jorge Duarte de Oliveira, o minério de ferro continua no topo entre os produtos enviados ao exterior. “Acredito que o açúcar também mereça destaque neste ranking, porque houve uma queda expressiva de safra na Índia e os empresários mineiros se beneficiaram ao ter capacidade de ofertar a mercadoria quando a cotação subiu”, explicou.

O óleo de soja também impulsionou o bom resultado para Minas. De acordo com dados da Secretaria da Agricultura do estado, a receita das exportações do grão somou US$ 75,6 milhões em 2010. O valor foi o mais alto desde 2001 e superou em 6,2% o último recorde, registrado em 2008.