Governo de Minas: Anastasia lança Plano de Ação de Combate a Incêndios Florestais

Seis programas operacionais divididos em prevenção e controle, capacitação, combate, infraestrutura e logística, comunicação, fiscalização e investigação integram a proposta

Osvaldo Afonso / Imprensa MG
Segundo Anastasia, plano envolve o poder público, os cidadãos e a sociedade civil nas ações de prevenção
Segundo Anastasia, plano envolve o poder público, os cidadãos e a sociedade civil nas ações de prevenção

O governador Antonio Anastasia lançou, nesta quarta-feira (02), no Palácio Tiradentes, o Plano de Ação 2012 de Prevenção e Combate a Incêndios Florestais, que irá receber investimentos de R$ 26 milhões. O objetivo do Plano é diminuir o número de ocorrências de queimadas nas Unidades de Conservação (UCs) de Minas e dar respostas rápidas no combate ao fogo, além de envolver cidadãos e sociedade civil nas ações de prevenção.

“Estamos chamando toda Minas Gerais para em conjunto combatermos a essa questão do fogo descontrolado no período da seca. Vamos trabalhar duplicado, triplicado, quadriplicado, quintuplicado de maneira muito enfática durante este ano para diminuirmos os efeitos do fogo e seus prejuízos. Peço, não só aos presentes, às instituições presentes, mas a todos os mineiros, para que tenham muita cautela. Vamos trabalhar na prevenção para que, em 2012, tenhamos um ano menos sofrido”, afirmou o governador Antonio Anastasia.

O secretário de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Adriano Magalhães, destacou os investimentos para 2012, inclusive em parceria com entidades privadas.

“Saímos de um orçamento de R$ 4 milhões para um orçamento direto de R$ 26 milhões, ou seja, quase sete vezes mais. Além das parcerias com as empresas, que representam mais R$ 9 milhões e a contratação de pessoal para as nossas unidades de conservação, que são 75 ao todo no Estado. Com isso, somamos um investimento superior a R$ 50 milhões, o que mostra a relevância e a preocupação do Estado com o tema”, disse Magalhães.

Plano

Levantamentos da Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) apontam que 90% das queimadas nas unidades de conservação estaduais têm origem criminosa. Integram o Plano de Ação 2012 de Prevenção e Combate a Incêndios Florestais seis programas operacionais divididos em Prevenção e Controle, Capacitação, Combate, Infraestrutura e Logística, Comunicação, Fiscalização e Investigação.

“Orientei ao secretário Adriano Magalhães a sermos, neste ano, mais cautelosos, mais empreendedores e mais prevenidos em relação ao que fomos no passado e prepararmos um projeto mais amplo, ambicioso e abrangente para não permitirmos que, em 2012, tenhamos a repetição do que ocorreu em anos anteriores quando os incêndios grassaram nosso Estado”, afirmou Anastasia.

Combate a incêndios

O governador assinou decreto que define diretrizes para a Força Tarefa do Programa de Prevenção e Combate a Incêndios Florestais de Minas Gerais (Previncêndio), voltado para a proteção das Unidades de Conservação (UCs) sob responsabilidade do Estado, seus entornos e áreas de relevante interesse ecológico.

O decreto cria, ainda, uma sub-base da Força Tarefa, que será instalada na estrutura da Adjuntoria de Emergência Ambiental do Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais, instalada no Parque Estadual Serra do Rola Moça. Com isso, serão intensificadas as ações de prevenção e combate dentro de uma das mais importantes unidades de conservação estaduais da Região Metropolitana de Belo Horizonte. Além da sede do Previncêndio em Curvelo, estão em funcionamento sub-sedes em Januária e Viçosa.

A Diretoria de Meio Ambiente e Trânsito (DMAT) da Polícia Militar de Minas Gerais (PMMG) recebeu 28 viaturas que reforçarão a frota que atua dentro das UCs estaduais e nas rodovias que cortam essas áreas protegidas. São 16 blazers e 12 caminhonetes, nos quais foram investidos R$ 2,5 milhões.

Depois da solenidade, a Força Tarefa Previncêndio (FTP) fez uma simulação de combate a incêndio na Praça Cívica da Cidade Administrativa. Foram usados helicópteros do Comando de Radiopatrulhamento Aéreo (Corpaer) da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros no combate aéreo e equipes de brigadistas simularam o combate em solo. Uma exposição apresentou os equipamentos e veículos usados no combate às chamas.

Força Tarefa Previncêndio

A Força Tarefa (FTP) do Programa de Prevenção e Combate a Incêndios Florestais de Minas Gerais (Previncêndio) foi criada em 2005, para aperfeiçoar o trabalho de combate a incêndios florestais no Estado. É a primeira do gênero na América Latina e integrada pela Semad, Instituto Estadual de Florestas, o Corpo de Bombeiros Militar, as Polícias Militar e Civil e a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec). Integra a estrutura da Semad.

O objetivo da FTP é apoiar as ações de prevenção e coordenar o combate a incêndios florestais nas unidades de conservação sob responsabilidade do Estado. A equipe da Força Tarefa está de prontidão 24 horas por dia para atendimento às ocorrências e denúncias pelo telefone 0800 28 32323.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/anastasia-lanca-plano-de-acao-de-combate-a-incendios-florestais/

Gestão Anastasia: municípios atingidos pela seca recebem apoio prioritário do Governo de Minas

Moradores e lideranças do Grande Norte comemoram Plano lançado pelo Estado

A decisão do Governo de Minas em antecipar a apresentação das ações previstas no Plano de Seca 2012 foi bem recebida por prefeitos e lideranças do Norte de Minas. O presidente da Associação dos Municípios da Área Mineira da Sudene (Amams), Valmir Morais de Sá, disse que, “ao contrário de outras épocas em que a região enfrentou sérios problemas causados pela seca, pela primeira vez a região está sendo tratada com respeito e consideração por parte do Governo do Estado”.

“A iniciativa do Governo de Minas, por meio da Cedec, em mobilizar os prefeitos para se unirem em torno do Governo e buscar soluções para os problemas causados pela estiagem se constitui num fator altamente positivo, pois mostra que o governador, Antonio Anastasia e a Defesa Civil estão atentos às necessidades da região”, completou Valmir.

Os deputados Arlen Santiago e Luiz Henrique destacaram que “o problema da seca se constitui num desafio que tem sido enfrentado pelo Governo do Estado”, por meio de uma série de investimentos que visam dotar a região de infraestrutura capaz de possibilitar a convivência da população com os períodos de estiagem. “A atenção especial que o governador Antonio Anastasia tem dado no sentido de direcionar investimentos públicos e atração de novas empresas para o Norte de Minas, se constitui num fator importante para possibilitar a diversificação da economia regional aliado à geração de emprego e renda para a população”, declarou Santiago.

O prefeito de Rio Pardo de Minas, Antônio Pinheiro, reforçou que os municípios, por meio da Amams e da Associação dos Municípios do Médio São Francisco (Amesf), precisam unir esforços para, em parceria com os governos estadual e federal, viabilizarem a elaboração de projetos para construção de novas barragens na região do semiárido.

Outra liderança que também comemorou as ações do Governo do Estado no Norte de Minas foi o prefeito do município de Padre Carvalho, José Nilson Bispo de Sá. Segundo ele, através do Programa de Combate à Pobreza Rural (PCPR), muitos problemas de abastecimento nas comunidades rurais têm sido solucionados com a instalação de sistemas simplificados de água, o que tem evitado o agravamento dos problemas causados por longos períodos de seca.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/municipios-atingidos-pela-seca-recebem-apoio-prioritario-do-governo-de-minas/

Gestão Anastasia: mapa identificará áreas de inundações em Minas Gerais

Objetivo é identificar os locais que mais correm risco de enchentes no Estado e buscar dados que auxiliem no planejamento de ações de prevenção, controle e mitigação de cheias

O Estado de Minas Gerais está construindo seu primeiro Mapa de Inundações. O objetivo é identificar os locais que mais correm risco de enchentes no Estado e buscar dados que auxiliem no planejamento de ações de prevenção, controle e mitigação de cheias. Desenvolvido pelo Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Sisema), com o apoio da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec), Corpo de Bombeiros e Comitês de Bacias Hidrográficas, o trabalho integra um mapeamento mais amplo, coordenado pela Agência Nacional de Águas (ANA), que resultará no Atlas Nacional de Vulnerabilidade a Inundações.

O levantamento das áreas inundadas em Minas começou em setembro de 2011 e deve ser concluído no final de fevereiro. Estão sendo coletadas informações sobre os trechos inundáveis dos principais rios do Estado, a frequência das inundações e os danos causados pelas cheias. “Nessa primeira etapa contamos com o envolvimento da população local, que detém o conhecimento das bacias hidrográficas”, explica Zenilde Guimarães Viola, diretora de Prevenção e Combate a Incêndios Florestais e Enchentes da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad).

Por meio da secretaria, foram enviados mapas das bacias hidrográficas para os conselheiros de 36 comitês mineiros identificarem áreas de inundações. “Também estamos trabalhando com as coordenadorias municipais de Defesa Civil e as unidades do Corpo de Bombeiros do Estado, com apoio da Cedec”, complementa Zenilde.

De acordo com a diretora, os colaboradores estão identificando nos mapas os rios que apresentam inundações e a frequência, podendo ser alta (áreas que inundaram nos último cinco anos), média (entre cinco e dez anos) ou baixa (há dez anos). E também descrevendo os impactos: alto, se houve dano a vida humana e danos significativos a serviços essenciais, instalações e obras de infraestrutura públicas e residenciais; médio, se esses danos foram razoáveis, e baixo para danos localizados e privados.

As informações coletadas serão analisadas pela equipe do Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Sisema) e complementadas com os dados do Sistema de Meteorologia e Recursos Hídricos de Minas Gerais (Simge) operado pelo Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam), entidade que integra o Sisema. “O Simge monitora o tempo, o clima e o comportamento dos cursos de água em todo o Estado desde 1997 e possui uma série histórica que poderá contribuir significativamente com este trabalho” informa a coordenadora do Simge, Paula Souza.

Atlas Nacional de Vulnerabilidade a Inundações

A construção do Atlas Nacional de Vulnerabilidade a Inundações começou em janeiro de 2011, com a coordenação da ANA e participação de todos os estados brasileiros, que estão criando seus respectivos mapas de inundações. “O Atlas é uma importante ferramenta de planejamento a prevenção de inundações, que permitirá identificar os pontos mais críticos e as estimativas dos impactos das cheias”, explica o gerente de Eventos Críticos da ANA, Marcelo Medeiros. De acordo com o gerente, o lançamento do Atlas está previsto para o segundo semestre de 2012, e será disponibilizado no site http://www.ana.gov.br.

Fonte: Agência Minas

Governo de Minas: campanha de arrecadação para vítimas das chuvas recebe 1,2 mil toneladas em donativos

Nos últimos 30 dias, milhares de mineiros atenderam ao chamado de solidariedade e ajudaram com 1,2 mil toneladas em donativos para as famílias desabrigadas pelas chuvas no Estado

O Movimento Minas Solidária – representado pelo Serviço Voluntário de Assistência Social (Servas) e Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec) –  agradece a cada um dos mineiros que têm participado do esforço de arrecadação de donativos e, nesse momento, solicita que sejam interrompidas as doações de roupas e utensílios domésticos, tendo em vista o grande volume já arrecadado.

A campanha continua recebendo doações financeiras em duas contas bancárias: Bradesco – Agência 3421-5 – Conta Corrente 49.709-6; Banco do Brasil – Agência 1229-7 – Conta Corrente 64529-X. Esses recursos serão utilizados com o acompanhamento do Ministério Público do Estado de Minas Gerais para apoiar as pessoas no retorno à sua rotina familiar. A destinação dos recursos será tornada pública.

Medidas preventivas

Desde o início do ano passado, o Governo de Minas vem realizando uma série de ações preparatórias para o enfrentamento ao período chuvoso, com foco nas medidas preventivas. A capacitação de agentes para atuação em situações de risco e treinamentos para criação de Coordenadorias Municipais de Defesa Civil (Comdec) nas cidades mineiras estão entre as principais providências tomadas pelo Estado.

Nos últimos oito anos, o número de Comdecs quase dobrou em Minas – saltando de 374, em 2004, para 696 atualmente. O Governo disponibiliza suporte técnico permanente a todas as Comdecs, além de promover reuniões técnicas quinzenais para avaliação das medidas de enfrentamento às chuvas. Em outubro do ano passado, o Governo de Minas lançou o Plano de Emergências Pluviométricas 2011/2012, que abrange detalhamentos sobre os recursos humanos e logísticos de todos os órgãos do Estado, com constante apoio às prefeituras.

As ações do Estado também incluem a prorrogação de prazo para recolhimento do ICMS, a remissão do pagamento de IPVA e inúmeras facilidades para pagamento das contas de água e luz nas cidades atingidas pelas chuvas. O Governo assegurou, ainda, a reconstrução de pelo menos 650 casas destruídas pelas enchentes, criou linhas de crédito especiais do BDMG para empresários e produtores rurais e decidiu adiantar os recursos do Piso Mineiro de Assistência Social aos municípios em situação de emergência.

Fonte: Agência Minas

 

Gestão Antonio Anastasia: força-tarefa agiliza projetos para recuperação de danos causados pelas chuvas

Minas buscar obter liberação, pelo governo federal, de R$ 2 bilhões em investimentos para drenagem, contenção de encostas, esgotos, estudos e planos de redução de riscos

Divulgação/Sedru
Força-tarefa formada pelo governador Anastasia se reúne para apressar projetos para recuperação de estragos
Força-tarefa formada pelo governador Anastasia se reúne para apressar projetos para recuperação de estragos

A força-tarefa do Governo de Minas, encarregada pelo governador Antonio Anastasia de captar recursos para obras de prevenção de riscos e de recuperação dos estragos causados pelas chuvas no Estado, intensifica os trabalhos para obter liberação, pelo governo federal, de cerca de R$ 2 bilhões em investimentos para drenagem, contenção de encostas, esgotos, estudos e planos de redução de riscos.

Comandada pelo secretário de Estado de Desenvolvimento Regional e Polícia Urbana, Bilac Pinto, a força-tarefa discutiu esta semana, na Cidade Administrativa, detalhes das obras emergenciais, já em análise pelo Ministério do Planejamento, em Brasília, abrangendo de imediato R$ 1,05 bilhão para projetos de drenagem, R$ 330,4 milhões para contenção de encostas, R$ 590,4 milhões para redes de esgotos, R$ 31 milhões para estudos e R$ 6 milhões para planos de redução de riscos. Além de ações preventivas, o documento contempla projetos estruturantes de saneamento básico em municípios de todas as regiões mineiras.

Além de especialistas da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Regional e Política Urbana (Sedru), a força-tarefa é integrada por dirigentes e técnicos da Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa), da Companhia de Habitação de Minas Gerais (Cohab Minas), da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec) e do Escritório de Prioridades Estratégicas.

O maior volume de recursos, de R$ 481 milhões, está previsto para o sistema integrado de contenção de cheias na Bacia do Rio Sapucaí nos municípios de Itajubá, Santa Rita do Sapucaí e Pouso Alegre, já com projetos de engenharia concluídos. O objetivo é a construção de um dique em Pouso Alegre e de três barragens de contenção nos rios Sapucaí, Vargem Grande e Lourenço Velho. Além disso, o projeto de R$ 27 milhões prevê a construção de um dique e de galerias em Pouso Alegre, para evitar que as águas do Rio Mandu invadam casas e ruas durante as chuvas.

Ribeirão Arrudas

A proposta prevê ainda a aplicação de R$ 147 milhões em obras na Bacia do Ribeirão Arrudas em Belo Horizonte e Contagem, já com projetos de engenharia concluídos. Um deles, de R$ 127,2 milhões, prevê obras de contenção de cheias no Córrego Riacho das Pedras, tributário do Córrego do Ferrugem, em Contagem. Outro, no valor de R$ 16,3 milhões, é destinado a requalificação urbana e ambiental de aglomerados, estando previstos ainda R$ 3,41 milhões para complementação de obras no PAC no Arrudas.

Estão incluídos, ainda, R$ 99,2 milhões para recuperação e ampliação de calha de drenagem no Rio Betim, na Grande BH, já com projeto básico de engenharia concluído. Projeto de engenharia já finalizado prevê implantação de um sistema de contenção de cheias nos rios Muriaé e Preto, na Zona da Mata, com remoção de rochas, ampliação de calhas, construção de muros-dique, avenidas sanitárias e barragens de retenção, num valor total de R$ 300 milhões. “A importância da participação da Cohab Minas é, principalmente, a de contribuir com sua experiência, a exemplo do que aconteceu na execução do Proacesso, no qual foi necessário um trabalho muito grande na remoção e reassentamento das famílias”, afirmou o presidente da Cohab Minas, Octacílio Machado.

De acordo com a proposta, apenas para a contenção de encostas e obras de prevenção são solicitados R$ 256 milhões. Para a Bacia do Rio Paraopeba, está prevista a aplicação de R$ 112 milhões para ampliação de esgotamento sanitário em Betim, Bonfim, Contagem, Esmeraldas, Juatuba e Sarzedo, beneficiando mais de 690 mil pessoas. Na Bacia do Rio das Velhas, os projetos contemplam com esgotamento sanitário os municípios de Nova Lima, Ribeirão das Neves e Vespasiano, num total de 208 milhões.

Também já está com projeto de engenharia concluído a despoluição da Bacia do Rio Grande, envolvendo a implantação de esgotamento sanitário nos municípios de Barbacena, Botelhos, Campanha, Congonhal, Guaxupé, Tiradentes e Três Corações, no valor total de R$ 176 milhões. Recursos de R$ 51 milhões estão previstos para esgotamento sanitário nas bacias dos rios Paraíba do Sul e Paraná, envolvendo os municípios de Além Paraíba, Camanducaia e Patos de Minas e beneficiando população de 165 mil pessoas. Foram ainda incluídos no documento a liberação de R$ 43,5 milhões para projetos de esgotamento sanitário em 14 municípios às margens do Lago de Furnas.

Para a contratação de projetos emergenciais de recuperação dos estragos das chuvas, a Sedru reivindica R$ 31 milhões, sendo R$ 6 milhões para a Região Metropolitana de Belo Horizonte; R$ 10 milhões para Além Paraíba, Cataguases, Dona Euzébia, Guidoval, Governador Valadares, Jeceaba, Ouro Preto, Ponte Nova e Ubá; e para ações nas bacias dos rios Doce, Itabapoana e Paraíba do Sul. O Estado pretende aplicar ainda R$ 6 milhões em planos municipais de redução de riscos de 38 municípios assolados pelas cheias.

Fonte: Agência Minas

Blog do Anastasia – Gestão Anastasia: centros vocacionais tecnológicos trabalham pelas vítimas das enchentes em Minas

BELO HORIZONTE (20/01/12) – O excesso de chuvas em Minas Gerais durante todo o mês de dezembro e início de janeiro trouxe prejuízos de toda ordem, incluindo vidas humanas que se foram. Milhares de famílias tiveram suas casas destruídas, ficaram sem roupas e alimentos. Diante desse quadro dramático vivido por parte significativa do território mineiro, os centros vocacionais tecnológicos (CVTs) de Patos de Minas, Lavras e Manhumirim têm trabalhado com empenho para ajudar as vítimas das chuvas. Segundo a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec), são cerca de 50 mil pessoas desalojadas e 4,7 mil desabrigadas, principalmente em municípios da Zona da Mata.

O CVT de Patos de Minas já arrecadou mais de 170 kg de alimentos não-perecíveis. Para conseguir esses donativos, a equipe centro pediu a todos os alunos que realizaram matrículas para os cursos deste ano, a contribuição de pelo menos 1 kg de mantimento. “Como a população está envolvida em ajudar as vítimas dessa fatalidade, o CVT também se solidarizou. Todo o material foi entregue para a Polícia Militar que, juntamente com o Corpo de Bombeiros e o Sindicato dos Produtores Rurais de Patos de Minas, trabalha na campanha em favor das vítimas das enchentes em Minas Gerais”, destacou o coordenador-geral do CVT, Gustavo Gonçalves.

Em Lavras, os funcionários do CVT têm agido de maneira rápida e solidária. A unidade divulgou, por meio da internet e rádio, a campanha de recolhimento de materiais destinados a todos os afetados pela chuva na região do Campo das Vertentes. O programa busca reunir o maior número possível de roupas, agasalhos, calçados e material de limpeza. De acordo com o coordenador do CVT, Marcelo Junqueira, “até o momento, foi arrecadada uma boa quantidade de roupas, mas é necessário coletar mais produtos de limpeza”. Para isso, toda a equipe do CVT estará entre 21 e 22 de janeiro, na praça Doutor Augusto Silva, recebendo doações da comunidade local. “Caso a pessoa não esteja na cidade nessas datas, ela pode ir ao CVT de Lavras até segunda-feira (23)”, esclarece Junqueira. Na próxima semana, todo o material arrecadado será encaminhado à Polícia Militar.

O CVT de Manhumirim, junto com o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial de Minas Gerais (Senac-MG), aderiu ao projeto Ação Solidária. “A iniciativa contemplará os municípios indicados pela Defesa Civil Estadual em situação de emergência”, afirmou Uelisson Nascimento, coordenador-geral do CVT. A unidade está recebendo materiais, como roupas de cama, cobertores, toalhas de banho e alimentos não-perecíveis. As doações podem ser feitas até a primeira semana de fevereiro.

Endereço dos CVTs:

– CVT Lavras

Rua Raul Soares, 65/1º andar – Centro

(35) 3694 4158

– CVT Manhumirim

Av. Teófilo Tostes, 75 – Centro

(33) 3341 2003

Fonte: Agência Minas

Blog do Anastasia – Governo de Minas: entidades empresariais vão ajudar na construção das casas dos atingidos pelas chuvas

 

BELO HORIZONTE (17/01/12) – O governador Antonio Anastasia se reuniu, nesta terça-feira (17) com o senador Aécio Neves, o coordenador estadual de Defesa Civil, coronel Luis Carlos Martins, a presidente do Servas, Andrea Neves, e os presidentes da Fiemg, Olavo Machado, e da Fecomércio, Lázaro Luiz Gonzaga. Eles discutiram propostas para ajuda do setor privado para a reconstrução de casas destruídas pelas chuvas que assolaram o Estado.

As entidades se comprometeram com o governador a doar material para a construção de casas para a população atingida pelas chuvas em Minas. A Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec) já fez um levantamento das famílias que precisarão de apoio do poder público, constatando que hoje seria preciso a construção de cerca de 650 unidades.

“Depois dos anúncios relativos ao adiamento do recolhimento de ICMS, às tarifas de energia e de água, a entrega de materiais, a questão tributária, a questão do Fundese, nós tivemos uma reunião com a presença do presidente da Federação do Comércio e da Federação das Indústrias para tomar uma iniciativa sugerida pelo senador Aécio, que é a reconstrução das casas totalmente destruídas pelas enchentes. Nós vamos contar mais uma vez com a parceria das entidades empresariais e das prefeituras. Estamos estimando em cerca de 650 casas. Vamos entregar para as prefeituras o material de construção, que será originário de doações organizadas pela Fiemg e a Fecomércio, bem como assistência técnica”, anunciou o governador.

Anastasia explicou que a ação faz parte das duas primeiras etapas da estratégia do Governo para o atendimento às vítimas das chuvas, que são a volta à normalidade e a reconstrução das regiões afetas. A ideia é que terminado o período de chuvas já se tenha toda logística do sistema montado e identificado qual apoio técnico será necessário.

“É um esforço importante que o Governo vai realizar em parceria com a sociedade com o objetivo de restaurar essa normalidade no prazo mais curto. Claro que só vamos começar esse tipo de procedimento tão logo haja o término do período chuvoso e que deve ser, no mais tardar, no final do mês de fevereiro. Enquanto isso, vamos identificar todas as questões de logística. E vamos continuar sempre identificando outras possibilidade de minimizar as questões relativas aos danos das enchentes”, assegurou Anastasia.

A intenção é que o material de construção seja repassado para as prefeituras que ficarão encarregadas de construir as casas. O governo do Estado e as entidades, que participarão desse esforço, vão solicitar ao Ministério Público Estadual que fiscalize a aplicação dos recursos. “A Federação das Indústrias e a Federação do Comércio serão responsáveis, junto com as empresas, pela doação do material de construção. Vão identificar qual o material necessário para a construção dessas casas e vão ser responsáveis para que esse material seja doado. Nós vamos levá-los às prefeituras e também vão participar com assistência técnica, com engenheiros, com técnicos para orientarem as prefeituras, claro, de acordo com cada realidade, na reconstrução das casas”, explicou.

Referência

O senador Aécio Neves, presente na reunião que discutiu o plano para reconstrução das casas, destacou o trabalho que o governo de Minas vem fazendo para atendimento das regiões mais afetadas pelas chuvas. “Desde o início do período chuvoso, mesmo no ano passado, tenho conversado quase que diariamente com o governador Anastasia. A nossa Cedec é reconhecida pelo Governo Federal hoje como a mais bem estruturada do país”, disse.

“Eu trouxe ao governador Anastasia essa sugestão, que obviamente ele já trabalhava, e hoje nós iniciamos uma conversa com as duas principais entidades de classe de Minas Gerais para que nós voltemos a ter o apoio solidário das empresas que podem contribuir para a reconstrução. Acho que é uma resposta efetiva que nós podemos dar a partir da experiência que nós acumulamos ao longo dos últimos nove anos”, afirmou o senador mineiro.

Depois da intervenção do governador, que pediu a União agilidade na liberação dos recursos para ajuda aos municípios, o Estado recebeu hoje o primeiro repasse do Governo Federal para o atendimento emergencial para as vítimas das chuvas. O dinheiro será gasto para garantir a volta da normalidade aos municípios mais atingidos, primeira etapa do plano feito pelo Governo de Minas para atendimento às comunidades mineiras.

“Depois que o governador Anastasia requereu ao ministro da Integração o repasse dos recursos, o Governo do Estado conseguiu, hoje, receber o primeiro depósito, que é pertinente ao Estado. Foram R$ 3 milhões de R$ 10 milhões que serão repassados ao Estado de Minas. Outros quatro municípios, Muriaé, Ouro Preto, Vespasiano e Cipotânea, também receberam recursos do repasse emergencial direto do Governo Federal”, afirmou o coordenador da Cedec, coronel Luis Carlos Martins.

Fonte: Agência Minas

Blog do Anastasia – Governo de Minas libera mantimentos para as populações de São João del-Rei e Carandaí

BELO HORIZONTE (11/01/12) – As populações de São João del-Rei e Carandaí, no Campo das Vertentes, começarão a receber mantimentos enviados pelo Governo de Minas para auxiliar as famílias mais afetadas pelas chuvas dos últimos dias. Os donativos já foram liberados pela Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec) e incluem colchões, cobertores e cestas básicas.

Em Carandaí, de acordo com a Defesa Civil Municipal, o rio que corta a cidade subiu mais de seis metros acima do nível normal. Oito bairros da cidade foram inundados e a estimativa é de que tenha chovido 120 milímetros na madrugada do último dia 9. Já em São João del-Rei, o Rio das Mortes e o Córrego do Lenheiro transbordaram, deixando, segundo a Defesa Civil do município, cerca de 300 pessoas desalojadas e 16 desabrigadas.

Neste ano de 2012, o Governo de Minas já enviou comboios com mantimentos para 40 cidades afetadas, mas as ações do Estado de enfrentamento aos efeitos das chuvas não param por aí. O governo também está arrecadando donativos (roupas e alimentos), que podem ser entregues pela população nos Batalhões da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros.

Além disso, esta semana, o governador Antonio Anastasia lançou a Força Estadual de Saúde, que, por meio de médicos, enfermeiros, psicólogos e assistentes sociais, vai atender às populações dos municípios mais atingidos pelas chuvas. Segundo Anastasia, os voluntários começarão, em primeiro lugar, por Guidoval e Dona Euzébia, na Zona da Mata, e dali deverão circular pela região.

“Temos em torno de 450 voluntários e o cadastramento ainda está aberto. Foi feito um cadastramento pela internet e telefone. Temos profissionais que são do Estado e que não são de Minas. Essas pessoas devem receber sempre o nosso aplauso. Vamos montar 20 equipes, com 60 profissionais. Eles irão em uma caminhonete com tração para poderem chegar a lugares com dificuldade de acesso. Cada caminhonete vai ter uma equipe com um motorista e três profissionais de saúde”, explica o governador.

Kits de Atendimento às Calamidades

A Secretaria de Estado de Saúde (SES) também está atuando junto aos municípios afetados pelas chuvas e está disponibilizando Kits de Atendimento às Calamidades para a população. Estão sendo distribuídos também medicamentos, de acordo com a demanda apresentada pela Cedec.

Os kits contêm itens que atendem às principais necessidades dos municípios para a prevenção e o atendimento em casos de enfermidades decorrentes do período chuvoso, como amoxicilina, analgésicos, paracetamol, sais de reidratação e sulfametoxazol. A SES garante também a vacinação nos municípios mais afetados. A vacina contra o tétano (dupla adulto) é a mais solicitada no período chuvoso. As 28 Superintendências / Gerências Regionais de Saúde estão com estoque garantido e as doses são encaminhadas de acordo com demanda dos municípios.

Novas medidas

O governador Antonio Anastasia anunciou, ainda, uma série de medidas para minorar os efeitos das chuvas para a população e as atividades empresariais, no âmbito da Copasa, Cemig, Banco de Desenvolvimento (BDMG) e Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese).

Ações preventivas

Desde setembro de 2011 – antes do início do período chuvoso –, foram realizadas reuniões técnicas quinzenais, envolvendo Corpo de Bombeiros, Polícias Militar e Civil, Cemig, Copasa, Feam, Igam, Emater e Ruralminas, além das secretarias de Transportes e Obras Públicas, Saúde, Planejamento e Gestão, Meio Ambiente, Desenvolvimento Regional e Política Urbana, Desenvolvimento Social, e dos Vales do Jequitinhonha, Mucuri e Norte de Minas.

Durante as reuniões, foram definidas as ações de preparação e resposta aos eventos adversos causados pelas chuvas, tanto para o atendimento emergencial quanto para o apoio operacional durante as ocorrências.

Fonte: Agência Minas

Blog do Anastasia – Governo de Minas envia ajuda humanitária a municípios do Sul do Estado

BELO HORIZONTE (11/01/12) – A Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec) disponibilizou, nessa terça (10) e nesta quarta-feira (11), ajuda humanitária aos municípios de Ijaci e Ribeirão Vermelho, atingidos pelas chuvas nesta semana.

A ajuda humanitária enviada à cidade de Ijaci, nesta terça-feira (10), é composta por cestas básicas, cobertores, colchões, roupas, kits de limpeza e telhas, e já começou a ser distribuída aos atingidos pelas chuvas. Já a Coordenadoria Municipal de Defesa Civil de Ribeirão Vermelho receberá, nesta quinta-feira (12), cestas básicas, colchões, lonas e kits de limpeza.

Balanço

Desde outubro de 2011, início do período chuvoso, a Cedec enviou ajuda humanitária a outros três municípios da região do Sul do Estado: Andrelândia, Jacutinga e São João da Mata.

Em todo o Estado, já foram cerca de 135 toneladas de alimentos distribuídos pelo Governo de Minas, em todas as regiões, para vítimas de acidentes causados pelas chuvas. No total, o governo distribuiu, desde outubro de 2011 até esta quarta- feira (11), 8.540 cestas básicas para moradores dos municípios. Também foram enviados 8.390 colchões, cerca de 7.000 cobertores, além de água potável, lonas, roupas, telhas e kits higiênicos.

Os municípios atingidos pelas chuvas, independentemente de haver decreto de situação de emergência, estão sendo beneficiados pelo envio de alimentos, colchões, cobertores, roupas e água potável. Além de serem distribuídos aos municípios, os mantimentos abastecem os 13 depósitos avançados do governo – completamente estruturados para armazenar as doações – estrategicamente espalhados por todas as regiões de Minas.

Fonte: Agência Minas

 

Blog do Anastasia – Governo de Minas: Campanha de solidariedade inicia entrega de doações às vítimas das chuvas

 

BELO HORIZONTE (11/01/12) – Quinze toneladas de donativos e materiais de ajuda humanitária foram encaminhadas, nesta quarta-feira (11), a famílias atingidas pelas chuvas no Estado. Essa é a primeira entrega de doações, arrecadadas pelo Movimento Minas Solidária, campanha de solidariedade às vítimas das chuvas, lançada no último dia 6 pelo Governo de Minas. A campanha está sendo executada pela Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec) em parceria com o Serviço Voluntário de Assistência Social (Servas).

O primeiro comboio do Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais saiu às 9h30, da Academia de Bombeiros, em Belo Horizonte, levando alimentos, leite em pó, roupas, calçados, material de higiene e limpeza e fraldas descartáveis para os municípios de Jeceaba, Juatuba, Ponte Nova e São João del-Rei.

Já foram arrecadadas 130 toneladas de alimentos e outros materiais essenciais ao suprimento das necessidades básicas da população, como higiene e limpeza. Segundo a Cedec, nesta quarta-feira (11) cerca de 25 mil pessoas estavam desalojadas e mais de 2,4 mil desabrigadas, em 182 municípios mineiros.

Para a presidente do Servas, Andrea Neves da Cunha, a solidariedade do povo mineiro demonstra o esforço de todo um Estado para ajudar aqueles que sofrem com perdas em decorrência das fortes chuvas.

“O ritmo da campanha está, felizmente, muito positivo. Já arrecadamos, de sexta-feira até hoje, 130 toneladas de alimentos e, nesse momento, eu gostaria de agradecer a cada um que pode colaborar com esse esforço que, na verdade, é um esforço de toda Minas Gerais. Esse é o primeiro comboio, vamos chamar assim, que já está partindo com essas doações, 15 toneladas estão saindo hoje para quatro municípios atingidos pelas chuvas. Nossa expectativa é que possamos continuar todos juntos mobilizados porque infelizmente ainda estamos atravessando um período difícil para Minas Gerais”, disse Andrea Neves.

Segundo o secretário-executivo da Cedec-MG, coronel Eduardo César Reis, os materiais de ajuda humanitária irão ajudar famílias que, hoje, estão sem acesso a produtos de necessidades básicas, levando em conta que, além de residências, o comércio das cidades atingidas pelas chuvas também foi afetado.

“O balanço inicial da campanha é altamente positivo, reflete o espírito de solidariedade do povo mineiro que é externado a cada dificuldade que a comunidade enfrenta em razão do período das chuvas. Sabemos, por exemplo, no caso de Guidoval, que boa parte da área comercial da cidade foi afetada e isso inviabiliza o acesso das pessoas a terem suas necessidades básicas de alimentação, de vestuário e de higiene atendidas, porque eles não vão encontrar no mercado local esses itens”, explica o coronel Eduardo.

O secretário-executivo da Cedec-MG disse que a Defesa Civil já distribuiu um volume significativo de cestas básicas, em torno de 10 mil unidades, além de colchões, cobertores, roupas, medicamentos, lonas plásticas, kits de higiene e de limpeza, que foram entregues à população logo após a ocorrência dos desastres.

Distribuição

Uma força tarefa com 50 bombeiros militares e com meninos que integram o projeto social “Voluntários da Cidadania” fizeram o carregamento de três caminhões, uma carreta e dois furgões do Corpo de Bombeiros, com as cestas básicas e o material de ajuda humanitária.

A prioridade é arrecadar leite em pó, fraldas, material de higiene e de limpeza, além de utensílios domésticos. Segundo Andrea Neves, o Governo de Minas se compromete a fazer com que as doações cheguem a quem precisa. A campanha durará o tempo indispensável ao suprimento dessas necessidades. “Estamos todos juntos acompanhando o desenvolver das chuvas, para que possamos estar o mais próximo possível dessas centenas de famílias até o momento em que elas possam retomar a sua rotina de vida diária. O nosso compromisso com cada um que fizer doação é garantir que essa doação chegue a quem realmente precisa”, destacou.

Nos municípios beneficiados, esse material será distribuído às famílias pelas coordenadorias municipais de Defesa Civil, em um trabalho articulado entre o Governo de Minas, por meio da Cedec, do Servas, do Corpo de Bombeiros, da Polícia Militar, com o apoio das prefeituras. A Defesa Civil e o Servas dispõem de recursos para o transporte dos donativos. “Também vamos solicitar às prefeituras municipais que tiverem condições para buscar os donativos em uma unidade da Polícia Militar ou do Corpo de Bombeiros mais próxima, fazendo com que o recurso chegue imediatamente à comunidade”, explicou coronel Eduardo.

As doações podem ser feitas nas unidades do Corpo de Bombeiros e da Polícia Militar, na capital e no interior, e também na sede do Servas, em Belo Horizonte, localizada na avenida Cristóvão Colombo, nº 683, bairro Funcionários. As doações financeiras devem ser depositadas no Banco do Brasil, C/C 64.529-X, agência 1229-7.

Também acompanharam a saída do primeiro comboio do Corpo de Bombeiros com os donativos o chefe interino de Comunicação Social do Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais, major Rubem Cruz; o superintendente técnico operacional da Cedec, major Edylan Arruda; e o chefe de comunicação da Polícia Militar, major Freitas.

Fonte: Agência Minas