Gestão da Saúde: SES promove pesquisa para mapear a saúde bucal da população do Estado

Exames clínicos e questionários vão permitir a caracterização do nível de utilização de serviços odontológicos e dos riscos à Saúde Bucal dos mineiros

links relacionados
Pedro Cisalpino
SB Minas Gerais mapeia a condição da saúde bucal da população mineira
SB Minas Gerais mapeia a condição da saúde bucal da população mineira

A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) está realizando uma pesquisa que tem como objetivo mapear as condições de saúde bucal da população mineira, o SB Minas Gerais. Por meio do projeto, a SES-MG pretende identificar os problemas bucais mais frequentes na população, a fim de diagnosticar as necessidades e, formular ações que contemplem prevenção, tratamentos e reabilitação adequados à realidade das comunidades.

Desde o final de abril, moradores de 60 municípios mineiros estão participando do inquérito epidemiológico. Em cada município serão feitos cerca de 100 exames, totalizando, aproximadamente, seis mil exames no Estado. De acordo com a diretora de Saúde Bucal da SES-MG, Daniele Lopes Leal, a pesquisa vai fortalecer a Política de Saúde Bucal, que vem sendo delineada no estado.

“O SB Minas Gerais vai trazer como resultado o diagnóstico epidemiológico de Saúde Bucal da população mineira, a partir do qual serão formuladas ações que contemplem esta população com o desenvolvimento de programas de âmbito estadual”, explica.

Durante a pesquisa, além dos índices tradicionais de medição dos agravos bucais, será aplicado, também, um questionário aos indivíduos examinados.  Dessa forma, serão analisadas as condições de problemas como cárie, doença periodontal, oclusopatias, fluorose (intoxicação pelo flúor e seus derivados), dentre ouras, no sentido de se verificar, além da prevalência, a extensão da gravidade das doenças bucais.

Segundo a diretora, Daniele Leal, a Política Nacional de Saúde Bucal determina a realização de estudos epidemiológicos desse porte como parte componente da Vigilância em Saúde. “A nossa proposta é realizar pesquisas desse tipo a cada 10 anos, com o intuito de avaliar as alterações no quadro epidemiológico da população”, afirma.

O projeto terá financiamento da SES-MG, através da Diretoria de Saúde Bucal, no valor de R$168 mil, sendo que cada município participante vai receber R$ 2.800,00 para pagamento de pessoal e ressarcimento de despesas de deslocamento, além de receber todo o material para realização dos exames.

“Os municípios investem disponibilizando os profissionais para a pesquisa. E o Ministério da Saúde é parceiro no processo, uma vez que toda a metodologia do projeto é do Ministério”, acrescenta a diretora de Saúde Bucal, Daniele Leal.

Participação dos municípios

Para que houvesse representatividade em todo o território do estado de Minas Gerais, os municípios participantes do projeto SB Minas Gerais foram sorteados, seguindo um processo de amostragem probalística.

Nesse processo, foram considerados os grupos etários e o fator de alocação dos municípios, definidos a partir da associação dos índices de necessidade em saúde e de porte econômico, que levam em conta variáveis epidemiológicas e socioeconômicas, além da capacidade do município financiar, com recursos próprios, os cuidados com a saúde dos cidadãos.

Para execução do projeto, os municípios participantes contam com um examinador, um anotador e um coordenador municipal, sendo que os exames são realizados por Cirurgiões Dentistas e os anotadores são profissionais de nível médio, geralmente técnico em Saúde Bucal (TSB) ou auxiliar em Saúde Bucal (ASB), das Secretarias Municipais de Saúde dos próprios municípios.

“As equipes de campo foram treinadas, em oficina com duração de 24 horas, onde foi possível discutir a operacionalização das etapas do trabalho e as atribuições de cada participante, a fim de assegurar um grau aceitável de uniformidade nos procedimentos”, esclarece a diretora de Saúde Bucal da SES-MG.

Metodologia de pesquisa

Durante a pesquisa, o cirurgião dentista vai percorrer a cidade e examinar, em domicílio, o morador que se interessar em participar voluntariamente do Projeto, sendo aptas a participar da pesquisa, pessoas com idades de 05 e 12 anos, 15 a19 anos, 35 a 44 anos e 65 a74 anos.

O voluntário deverá, também, responder um questionário, composto por perguntas subjetivas que vão ajudar na compreensão do processo saúde/doença bucal. “O questionário vai contribuir para a avaliação das condições socioeconômica e de utilização dos serviços, sendo fundamental para a estruturação da Rede Assistencial em Saúde Bucal”, afirma Daniele Leal.

O projeto segue a metodologia do SB Brasil 2010, do Ministério da Saúde, e conta com a colaboração da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-MG), que vai avaliar os resultados através do Conselho de Ética em Pesquisa. Outra instituição a avaliar o resultado da pesquisa será o Comitê de Ética em Pesquisa cadastrado junto à Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (CONEP).

Municípios Participantes

Guaxupé, Conselheiro Lafaiete, Capela Nova, Betim, Contagem, Itabirito, Sabará, Igarapé, Coronel Fabriciano, Pingo-D’água, Naque, Diamantina, Jenipapo de Minas, Serro, Divinópolis, Lagoa da Prata, Onça de Pitangui, Governador Valadares, Central de Minas, Peçanha, São José da Safira, João Monlevade, Virginópolis, Centralina, São Romão, Varzelândia, Juiz de Fora, Arantina, Cataguases, Simonésia, Pedra Bonita, Montes Claros, Janaúba, Monte Azul, Capitão Enéas, Padre Carvalho, Rio Pardo de Minas, Piumhi, Patos de Minas, João Pinheiro, Águas Vermelhas, Santa Maria do Salto, Santa Fé de Minas, Paula Cândido, Santa Rita do Sapucaí, Turvolândia, Piedade do Rio Grande, Sete Lagoas, Teófilo Otoni, Machacalis,Crisólita,Malacacheta, Ubá, Rosário da Limeira, Araxá, Perdizes, Uberlândia, Unaí, Boa Esperança e Varginha.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/ses-promove-pesquisa-para-mapear-a-saude-bucal-da-populacao-do-estado/

Anúncios

Gestão da Saúde: com investimentos do Governo de Minas, hospital é ampliado em Uberaba

Hospital Hélio Angotti, referência em oncologia no Triângulo Mineiro, conta com 22 novos leitos

O Governo de Minas inaugurou, nesta quarta-feira (02), a ampliação do Hospital Hélio Angotti, em Uberaba, no Triângulo Mineiro. Na solenidade, que contou com a presença do secretário de Estado de Saúde, Antônio Jorge de Souza Marques, foram entregues 22 novos leitos na unidade de saúde.

Até o final deste ano, outros 22 leitos serão entregues à população de Uberaba. “Investir nas Unidades de Tratamento Intensivo (UTIs) é uma prioridade. Por isso, vamos aplicar parte dos recursos do Programa Estadual de Fortalecimento e Melhoria da Qualidade dos Hospitais do SUS (Pro-Hosp) para assegurar a construção da nova unidade”, anunciou o secretário.

Em junho deste ano, deverá ser entregue à população de Uberaba a Unidade de Pronto Atendimento 24 horas (UPA 24h). Nesta obra, o Governo de Minas investiu cerca de R$ 2,5 milhões, sendo mais de R$ 987 mil na construção do complexo, além de mais R$ 198 mil para adequação visual e outros R$ 1,31 milhão para aquisição de equipamentos.

“Depois de viver uma grave crise, o Hospital Hélio Angotti deu a volta por cima. Isso se deve à sua capacidade de gestão, à qualidade do gasto e ao espírito republicano das lideranças que apoiam a instituição”, disse o secretário Antônio Jorge. “Este hospital tem sido exemplo e mostra que é possível acreditar no SUS”, completou o secretário.

Para aprimorar o atendimento à população local, o Governo de Minas ficará responsável pela manutenção dos 22 leitos entregues nesta quarta-feira, com os investimentos do Pro-Hosp. As obras de ampliação do Hospital Hélio Angotti contaram, ainda, com investimento Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração (CBMM), sediada em Araxá.

Investimentos

No ano passado, o Governo de Minas, por meio do Pro-Hosp, aplicou R$ 2 milhões na instituição. Para este ano, está previsto investimento no mesmo valor.  A inclusão do Hospital Hélio Angotti no Pro-Hosp, segundo o coordenador estadual do programa, Tiago Lucas, se deve à sua relevância nos serviços prestados em tratamentos contra o câncer.

Alguns números da instituição demonstram sua importância para o município e para a região do Triângulo Mineiro: 93,78% de atendimentos são feitos pelo SUS; a unidade realiza 16.325 consultas por ano, 4.319 internações e 3.993 cirurgias anuais, sendo que 11.315 são pacientes assistidos por mês na instituição.

Délcio Scandiuzzi, presidente do hospital, afirmou que a instituição preza pela qualidade do atendimento prestado aos usuários do SUS. “Para isso, contamos com investimentos cada vez maiores do Governo de Minas, visando à aquisição das tecnologias mais modernas de tratamento disponíveis no mercado”, destacou.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/com-investimentos-do-governo-de-minas-hospital-e-ampliado-em-uberaba/

Gestão Anastasia: Vice-governador lança edição do Programa Minas Olímpica Oficina de Esportes

Até o final do ano, o Governo de Minas vai investir R$ 700 mil na formação de 500 atletas

Omar Freire/Imprensa MG
Alberto Pinto Coelho durante pronunciamento no lançamento do Minas Olímpica
Alberto Pinto Coelho durante pronunciamento no lançamento do Minas Olímpica

O vice-governador Alberto Pinto Coelho lançou, nesta terça-feira (24), no Palácio Tiradentes, a edição 2012 do programa Minas Olímpica Oficina de Esportes. O objetivo da iniciativa é investir na formação de atletas das categorias de base para aumentar a representatividade de Minas Gerais nas principais competições esportivas nacionais e internacionais.

“Esse programa forma cidadania, criando oportunidades para futuras gerações por meio do esporte, com atletas que representem o nosso Estado em competições nacionais e internacionais. O Minas Olímpica Oficina de Esportes dá oportunidade para a formação sadia de nossa juventude. O Brasil está vivendo uma década de ouro com a realização de dois grandes eventos esportivos mundiais e, naturalmente, esse programa é uma contribuição para a formação de atletas olímpicos”, destacou Alberto Pinto Coelho.

O programa

Até o final do ano, o Governo de Minas vai investir R$ 700 mil para aumentar o rendimento de 28 equipes que treinam em 20 núcleos em atividade em Araxá, Belo Horizonte, Betim, Ipatinga, Itanhandu, Lagoa da Prata, Lavras, Poços de Caldas, Uberaba, Uberlândia, Varginha e Viçosa. Os núcleos foram selecionados por edital e têm histórico de participação e bons resultados nas principais competições esportivas realizadas no país e no mundo.

Para o secretário de Estado de Esportes e da Juventude, Braulio Braz, o programa mostra a opção do governo estadual em investir no desportista e na juventude de Minas Gerais. Segundo ele, o programa, criado em 2006, já recebeu investimentos de R$ 5 milhões, beneficiando 25.369 cidadãos mineiros.

Na edição 2012, o programa vai  beneficiar 500 atletas, com idade entre 7 e 23 anos, que praticam esporte em 11 modalidades: atletismo, basquete, futsal, ginástica artística, goalball, handebol, judô, levantamento de peso, natação, taekwondo e vôlei. Algumas modalidades, como o atletismo, judô e natação, são oferecidas também para atletas com deficiência.

Durante o evento, o Governo de Minas assinou convênio com o Sindicato da Indústria de Laticínios e Produtos Derivados do Estado de Minas Gerais (Silemg) e com o Laticínios Verde Campo, que irão fornecer bebida láctea como suplemento nutricional para os atletas do programa.

Melhores condições

Representando os municípios beneficiados pelo Minas Olímpica Oficina de Esportes, o prefeito de Itanhandu, Evaldo Ribeiro de Barros, destacou a importância do programa em sua cidade. “Temos alcançado resultados brilhantes. O objetivo deste programa é investir no potencial esportivo”, disse o prefeito da cidade sul-mineira.

Com os recursos repassados pelo programa, cada unidade selecionada contribui para a evolução do nível técnico dos atletas, por meio da oferta de melhores condições de equipamentos, uniformes, materiais e recursos humanos. Além disso, o programa possibilita viagens para treinamento e competição.

O Minas Olímpica Oficina de Esportes é uma das vertentes do Programa Estruturador Minas Olímpica, criado em 2005, com o objetivo de contribuir para a promoção da saúde e a inclusão social por meio de programas esportivos. As outras vertentes são Bolsa Atleta, Jogos Escolares (Jemg), Jogos de Minas, Geração Esporte e Minas Paraolímpico.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/vice-governador-lanca-edicao-do-programa-minas-olimpica-oficina-de-esportes/

Governo de Minas: cidades mineiras se preparam para Conferência da Pessoa com Deficiência

Mais de 50 cidades estão envolvidas e vão promover, até 30 de abril, conferências municipais ou regionais

Os municípios mineiros estão se mobilizando, desde março deste ano, para promover melhorias das políticas públicas destinadas às pessoas com deficiência. Mais de 50 cidades estão envolvidas e vão promover, até o dia 30 de abril, conferências municipais ou regionais para discutir e elaborar propostas a serem apresentadas no encontro estadual, marcado para 19 a 21 de junho, em Belo Horizonte.

Com o apoio da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese), os municípios provocam discussões divididas em quatro eixos: Educação, esporte, trabalho e reabilitação profissional; acessibilidade, comunicação, transporte e moradia; saúde, prevenção, reabilitação, órteses e próteses; segurança, acesso à justiça, padrão de vida e proteção social adequados.

Os municípios de Varginha, Timóteo, Governador Valadares, São Tomé das Letras, Araguari, Três Corações e Itabira já realizaram suas conferências e apresentaram demandas que podem ser transformadas em políticas públicas em prol das pessoas com deficiência de todo o Estado.

“Com a apresentação das propostas, vamos saber o que os municípios precisam e querem do Estado. Além disso, teremos discussões importantes para a elaboração do Plano Estadual de Políticas para Pessoas com Deficiência”, destacou a coordenadora Especial de Apoio e Assistência à Pessoa com Deficiência, Ana Lúcia Oliveira.

Cada conferência elege delegados para representarem os respectivos municípios na III Conferência Estadual ‘Um Olhar para a Convenção Sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência’. O evento será promovido pela Sedese, por meio da Coordenadoria de Apoio e Assistência à Pessoa com Deficiência (Caade), e pelo Conselho Estadual de Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência (Conped).

O encontro estadual visa o processo de construção e reestruturação das Redes Estadual e Nacional de Proteção e Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência, além de identificar avanços, desafios e priorizar as demandas no âmbito estadual e federal. A expectativa é que cerca de 40 propostas, oriundas da conferência estadual, sejam levadas à Conferência Nacional, a ser realizada em Brasília, de 3 a 6 de dezembro.

Próximas conferências

24 de abril – Limeira, Rosário de Limeira, Sabará, São Lourenço, Três Marias e Martinho Campos

25 de abril – Itajubá, São Tomé das Letras, Uberlândia.

26 de abril – Araxá, Barbacena, Capelinha, Cássia, Cláudio, Coronel Fabriciano, Lassance, Lavras, Piraúba, Pouso Alegre, Santa Rita do Sapucaí, Uberaba.

27 de abril – Brumadinho, Cataguases, Guarani, Itapecirica, Ouro Preto, Poços de Caldas, Santa Luzia e São João do Paraíso.

28 de abril – Divinópolis, Ipatinga,

30 de abril – Piumhi, São João del-Rei.

Informações sobre as conferências municipais devem ser solicitadas por meio do e-mail: conferenciapcd@social.mg.gov.br.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/cidades-mineiras-se-preparam-para-conferencia-da-pessoa-com-deficiencia/

Gestão Anastasia: Carlos Alberto Parreira será consultor do Governo de Minas na Copa do Mundo

Ex-técnico da Seleção Brasileira tem a missão de atrair delegações estrangeiras para o Estado

Por meio de contrato firmado com a Secretaria de Estado Extraordinário da Copa (Secopa), o ex-técnico da Seleção Brasileira de Futebol, Carlos Alberto Parreira, será consultor para a Copa em Minas Gerais. O trabalho de Parreira será o de atrair as seleções de futebol ao Estado durante a Copa do Mundo da Fifa Brasil 2014, para que elas escolham os Centros de Treinamento de Seleções (CTS) de Minas Gerais.

Atualmente, 19 cidades mineiras são candidatas a CTS junto ao Comitê Local da Fifa (COL): Araxá, Caxambú, Caeté, Divinópolis, Extrema, Formiga, Governador Valadares, Ipatinga, Juiz de Fora, Lagoa Santa, Matias Barbosa, Montes Claros, Patos de Minas, Poços de Caldas, Sacramento, Sete Lagoas, Uberaba, Uberlândia e Varginha. Entretanto, cabe às seleções a escolha do local de treinamento. “Meu trabalho será o de seduzir essas seleções para que elas venham. A forma e o visual têm que ser perfeitos nessa sedução, uma vez que são apenas 32 seleções para um universo enorme de cidades na disputa”, disse o ex-técnico durante coletiva, nesta quinta-feita (19), no BDMG.

Parreira destacou a posição geográfica de Minas Gerais como um dos aspectos favoráveis na disputa. “Belo Horizonte está no epicentro da região Sudeste, a uma hora de qualquer uma das cidades da área. Em 1994, nos Estados Unidos, eu me deslocava com a Seleção Brasileira de avião, porque onde ficamos concentrados era um local que nos atendia em tudo. Em 2006, novamente, ficamos em Frankfurt, mas nos deslocávamos à concentração ideal para nossa permanência”, explicou. O ex-técnico ainda incluiu a paixão do mineiro por futebol, a hospitalidade mineira, simpatia dos habitantes e o clima do Estado como fatores positivos no processo de convencimento das seleções estrangeiras. “Belo Horizonte tem um clima excelente e outros atrativos determinantes na escolha de um CTS pelas seleções”, frisou.

O novo consultor lembrou que sua experiência no assunto irá facilitar seu trabalho de promoção das cidades candidatas a CTS. “Farei visitas a equipes no exterior, irei à Eurocopa, haverá contato pessoal com treinadores mais próximos, farei ligações telefônicas, enfim, sei onde estão as fontes para apresentar a estrutura que está sendo montada em Minas”, explicou. Parreira participou de nove Copas do Mundo. Em três, o ex-técnico foi protagonista na escolha do local de treinamento da equipe do Brasil. Parreira também já treinou seleções da Arábia Saudita, Emirados Árabes, Kuwait e África do Sul. Tem ainda o mérito de ter classificado seleções de cinco países para a Copa do Mundo.

O contrato com o Governo de Minas tem duração até a Copa de 2014. O primeiro desafio será realizar um diagnóstico das 19 cidades para identificar aspectos com necessidade de melhoria. O especialista vai elaborar um material técnico do grupo de cidades para mostrar às Confederações o potencial de cada município. Outra ação serão as visitas às federações e confederações para mostrar o que está disponível em Minas.

O secretário Sergio Barroso comemorou a iniciativa. “Além de infraestrutura para promovermos a interiorização da Copa, necessitamos também de profissionais com credibilidade e experiência. O Parreira é um deles. Ele conhece nosso Estado, os clubes mineiros, nossos estádios, enfim, tem todas as credenciais para realizar uma boa parceria com o Governo de Minas”.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/carlos-alberto-parreira-sera-consultor-do-governo-de-minas-na-copa-do-mundo/

Governo de Minas: Escola de Saúde Pública qualifica dentistas para curso técnico em saúde bucal

Profissionais selecionados supervisionarão os alunos nas atividades práticas do curso

Sara Braga
Dentistas foram qualificados para conduzir curso técnico em saúde bucal
Dentistas foram qualificados para conduzir curso técnico em saúde bucal

A Escola de Saúde Pública de Minas Gerais (ESP-MG) qualificou, na quarta-feira (28), na Regional de Saúde de Uberaba, profissionais para conduzir o curso técnico em saúde bucal na macrorregião Triângulo do Sul. Os dentistas selecionados vão supervisionar os alunos nas atividades práticas do curso, que vão acontecer nos municípios. As aulas teóricas serão realizadas durante uma semana por mês na sede da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social e Esporte (Sedese), em Uberaba.

Quarenta auxiliares em saúde bucal de Araxá, Delta, Comendador Gomes, Conceição das Alagoas, Fronteira, Pedrinópolis, Perdizes, Planura, São Francisco de Sales, Uberaba e Veríssimo participarão do curso, podendo adquirir o título de técnicos. O curso é oferecido pelo Ministério da Saúde, por meio da ESP, com início previsto para 16 de abril. A carga horária é de 1.300 horas, distribuídas em 17 meses.

De acordo com a supervisora pedagógica da Escola de Saúde, Jomara Aparecida de Miranda, “este curso já acontece há anos e seu impacto é a melhoria do trabalho dos profissionais atuantes e, consequentemente, da assistência aos usuários dos serviços”. A coordenadora local do curso, Sheila Beatriz Rezende, afirma que a expectativa é grande. “Após o término do curso, os municípios com equipes de saúde bucal de modalidade 1, ou seja, composta por um assistente em saúde bucal e um cirurgião dentista, poderão pleitear equipes de modalidade 2, ou seja, compostas por um assistente, um técnico em saúde bucal e um cirurgião dentista”.

A coordenadora de saúde bucal de Araxá, Aparecida da Silva de Castro, acompanhará a dispersão dos alunos no município e também será professora do curso. Ela acredita que “haverá melhorias nos processos de trabalho, principalmente porque os alunos poderão testar, na prática, os conhecimentos adquiridos. Além disso, pretendo trabalhar a sensibilização desses profissionais para o tratamento aos usuários, o que acho extremamente importante”, conclui.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/escola-de-saude-publica-qualifica-dentistas-para-curso-tecnico-em-saude-bucal/

Governo de Minas: Produtor do Alto Paranaíba destaca vantagens do Programa Queijo Minas Artesanal

Jales Clemente de Oliveira, de Monte Carmelo, é o primeiro produtor fora das cinco regiões do Estado

Divulgação/IMA
Programa mineiro melhorou a qualidade dos queijos produzidos em Minas
Programa mineiro melhorou a qualidade dos queijos produzidos em Minas

Minas possui o primeiro produtor fora das cinco regiões do Estado, delimitadas como produtoras de queijo, a ser cadastrado pelo Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA), no programa Queijo Minas Artesanal. Jales Clemente de Oliveira, de Monte Carmelo, no Alto Paranaíba, conta que desde a sua adesão ao programa houve uma significativa melhora na qualidade dos queijos produzidos e consequentemente a abertura de novos mercados em sua região.

“Os consumidores estão cada vez mais exigentes e por isso, é muito importante que os produtores se atentem para tornar seus produtos cada vez mais competitivos”, afirma Jales Clemente, que fez um curso de capacitação dentro do programa para aperfeiçoar a qualidade de seus queijos. Ele conta ainda, que profissionalizou toda a produção, já que agora emite nota fiscal, deixando a informalidade. E que passou a vender mais e com maior valor agregado. Sua propriedade recebeu o certificado do IMA no final do ano de 2011.

A inclusão de novos municípios foi possibilitada pela lei 19.492/2011 que amplia o reconhecimento das regiões produtoras do Queijo Minas Artesanal para todo o Estado de Minas Gerais. Sendo assim, todas as regiões mineiras podem ser consideradas produtoras, desde que seja comprovada em seus municípios a fabricação do produto e que os produtores estejam devidamente cadastrados no IMA.

Antes, apenas as regiões do Cerrado, Araxá, Canastra, Serro e Campos das Vertentes eram reconhecidas como produtoras do Queijo Minas Artesanal, conforme a Lei 14.185/2002.

Até dezembro de 2010, havia 63 municípios com este reconhecimento no Estado. Com a nova lei, o cenário da atividade passa a contar com 30 mil agricultores familiares distribuídos em cerca de 600 municípios. Desse montante, estima-se que 98% tem na produção do queijo sua única ou principal fonte de renda.

Programa Queijo Minas Artesanal

O Queijo Minas Artesanal é aquele produzido no estabelecimento rural a partir de leite cru, coalho, pingo (fermento lácteo natural) e sal. O programa tem como finalidade garantir a segurança alimentar por meio de boas práticas de fabricação, controle de doenças no rebanho e cadastro dos produtores, além de incentivar o fortalecimento e a organização do setor no estado.

Contempla também, a organização dos produtores e padronização de seus produtos, normatização de processos de produção, comercialização e certificação da origem e qualidade do queijo.

Segundo o diretor-geral do IMA, Altino Rodrigues Neto, o programa incentiva e fortalece diretamente a organização dos produtores e define a cadeia produtiva através do cadastro e certificação realizados pelo IMA. “Contamos também com parcerias para incentivar cada vez mais os produtores a aderirem ao programa, para que ganhem mercado e agreguem mais valor aos produtos que fazem parte da cultura mineira e são reconhecidos nacionalmente e internacionalmente”, explica.

Atualmente, o Estado conta com 207 queijarias cadastradas no programa. Os interessados em se cadastrarem voluntariamente no Programa Queijo Minas Artesanal devem procurar o Escritório Seccional do IMA mais próximo de suas propriedades.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/produtor-do-alto-paranaiba-destaca-vantagens-do-programa-queijo-minas-artesanal/

Governo de Minas: Anastasia participa de lançamento do livro “A Execução Penal à Luz do Método Apac”

Para governador, resultados da metodologia de recuperação são muito melhores do que os alcançados pelas instituições prisionais tradicionais

Omar Freire/Imprensa MG
Anastasia recebe livro das mãos do presidente do TJMG, desembargador Cláudio Costa
Anastasia recebe livro das mãos do presidente do TJMG, desembargador Cláudio Costa

O governador Antonio Anastasia participou, nesta sexta-feira (16), no auditório da Unidade Raja Gabaglia do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), do lançamento do livro A Execução Penal à Luz do Método APAC. Organizado pela desembargadora Jane Ribeiro Silva, a publicação tem prefácio do governador Anastasia, posfácio do desembargador Joaquim Alves de Andrade e artigos de 23 advogados, juízes, procuradores e desembargadores de Justiça.

O objetivo do livro é divulgar o método da Associação de Proteção e Assistência aos Condenados (Apac) para recuperar e ressocializar presos que cumprem pena nas penitenciárias do país e que se tornou referência para a Lei de Execução Penal brasileira. As Apacs se tornaram importantes instrumentos para desafogar o sistema prisional.

O presidente do TJMG, desembargador Cláudio Costa, entregou um exemplar do livro ao governador Anastasia. Também participaram da solenidade, o presidente do Conselho da Apac, juiz Paulo Antônio de Carvalho, o segundo vice-presidente do TJMG, Joaquim Herculano Rodrigues, entre outras autoridades.

Antonio Anastasia classificou como fato memorável a organização e publicação do livro. “Há alguns anos, muitos duvidavam das ações do método Apac. Hoje, pelo esforço da doutora Jane e dos autores deste livro, já temos uma doutrina do método Apac. Temos de apostar e investir em uma metodologia muito mais racional, com resultados muito melhores de recuperação do que os das instituições prisionais tradicionais. A publicação desta obra é o reconhecimento publico de que estamos no caminho certo com reconhecimento judicial e da sociedade”, afirmou.

Apac

As unidades Apac funcionam como albergues, em que os condenados são mantidos em regime semiaberto. As ações de recuperação e ressocialização são baseadas na participação da comunidade, no trabalho, religião, na assistência jurídica e de saúde, na valorização humana e no apoio da família.

Em Minas, existem 36 unidades Apac. A primeira experiência foi implantada em 1986, em Itaúna, e hoje é reconhecida nacionalmente como modelo na recuperação de condenados. Desde 2003, o Governo de Minas celebrou 36 convênios com as Apacs, sendo nove para construção e 27 para manutenção e despesas, totalizando 2.164 vagas mantidas com verbas do Estado. Cumprem pena em Apacs 1.556 recuperandos. Em 2011, o Governo de Minas investiu R$ 15,2 milhões na manutenção e construção de unidades. Este ano, a previsão de investimentos é de R$ 16 milhões.

As Apacs conveniadas estão localizadas nos municípios de Alfenas, Araxá, Arcos, Campo Belo, Caratinga, Frutal, Governador Valadares, Inhapim, Itajubá, Itaúna, Ituiutaba, Januária, Lagoa da Prata, Leopoldina, Machado, Manhuaçu, Nova Lima, Paracatu, Passos, Patrocínio, Perdões, Pirapora, Pouso Alegre, Rio Piracicaba, Sacramento, Santa Bárbara, Santa Luzia, Santa Maria do Suaçuí, São João del-Rei, Sete Lagoas, Uberlândia e Viçosa.

Fonte: Agência Minas

Governo de Minas: projetos de educação sanitária têm continuidade no município de Araxá

Município trabalha com os projetos Sanitaristas Mirins, Sanitarista Juvenil e Conservação das Florestas/Bioma Cerrado na região

Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA), através do escritório seccional de Araxá, a Secretaria Municipal de Educação e a Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração (CBMM), lançaram os projetos Sanitaristas Mirins, Sanitarista Juvenil e Conservação das Florestas/Bioma Cerrado na região.

As atividades de educação sanitária desenvolvidas em Araxá destacam-se pela adoção de um currículo adaptado nas escolas rurais, em conformidade com o parecer do Conselho Estadual de Ensino CEE/MG nº 1.132/97. São utilizados conteúdos e metodologias apropriadas às peculiaridades da vida rural, com informações sanitárias da agropecuária para os professores, alunos e familiares, favorecendo novas condutas relativas à sanidade animal, vegetal, segurança alimentar e conservação do meio ambiente.

O Projeto Sanitaristas Mirins faz parte do programa do Governo de Minas. Em 2011, atingiu 18.673 escolares. Já em 2012, pretende envolver 19.987 alunos e professores em todo o Estado.  Em Araxá, iniciou-se em 2007, sendo desenvolvido em seis escolas municipais rurais e atualmente, está presente em cinco estabelecimentos de ensino, envolvendo alunos do 5º ano. Neste projeto, os alunos e professores recebem do IMA todo material didático, (livro, DVD com palestras, filmes e textos, manual do professor, pastas, blocos e folders). Os conteúdos são desenvolvidos com a participação efetiva dos professores e parceiros, treinados pelo Instituto.

Já o Sanitarista Juvenil, que é piloto em Araxá desde 2010, foi elaborado pela Secretaria Municipal de Educação e pelo IMA,  a partir da constatação da necessidade de dar continuidade ao Sanitaristas Mirins. O projeto envolve capacitação de jovens multiplicadores do 6º ao 8º ano, de cinco escolas municipais da zona rural, através de aulas teóricas e práticas de acordo com a proposta curricular da Secretaria Estadual Municipal de Educação, abordando os temas produção animal e agrícola sustentável, preservação ambiental e segurança alimentar. O sanitarista juvenil repassa seus conhecimentos adquiridos à comunidade escolar, envolvendo ainda, os pais e proprietários rurais.

A gerente dos Projetos, Elisabeth Rios, afirma que o sucesso deve-se às parcerias firmadas não só com a Secretaria de Educação e a CBMM, mas também com a Emater local, Senar, cooperativas, associações rurais, ONGs, Laboratório Hertape e outros órgãos governamentais. “Os estudantes serão aliados no desenvolvimento sustentável, compreendendo melhor o ambiente e contribuindo para o bem-estar de toda a sociedade. Os programas de educação sanitária são essenciais para conscientizar as futuras gerações sobre a importância de se adotar, desde cedo, práticas agropecuárias responsáveis, focadas na sustentabilidade”, afirma.

Fonte: Agência Minas

Governador Anastasia convida seleção italiana a se instalar em Minas durante preparação para a Copa de 2014

Governador apresentou ao presidente da Federação Italiana de Futebol os investimentos que estão sendo feitos em Minas Gerais para a Copa do Mundo

Soraya Ursine/Imprensa MG
Governador Anastasia recebe do presidente da Federação, Giancarlo Abete, a camisa personalizada da seleção italiana
Governador Anastasia recebe do presidente da Federação, Giancarlo Abete, a camisa personalizada da seleção italiana

O governador Antonio Anastasia se encontrou, nesta terça-feira (6), em Roma, com o presidente da Federação Italiana de Futebol Giuoco Calcio (FIGC), Giancarlo Abete. O governador convidou a seleção italiana de futebol a se instalar em Minas Gerais durante a preparação para a Copa do Mundo de 2014.

“Estou aqui para oferecer Minas Gerais para, se for possível, dar todo suporte à seleção italiana de futebol. Sei dos critérios de escolha dos campos e dos locais onde as seleções vão se hospedar, mas já estamos nos preparando para receber seleções. O mais belo estádio do Brasil será o nosso, chamado Mineirão. Temos um estado muito rico, com muita diversidade e com uma imensa colônia italiana. Minas está abertíssima a receber permanentemente a selação italiana, como também os times italianos que queiram. Haverá as definiões das chaves, os sorteios, mas em um momento de escolha, Minas Gerais se coloca de portas abertas para receber a tão querida seleção italiana antes e durante a Copa de 2014”, enfatizou Anastasia.

O presidente Giancarlo afirmou que está acompanhando as transformações de Minas Gerais para a Copa e que se sente muito honrado em receber o primeiro convite de um estado brasileiro para abrigar a seleção italiana.

“Belo Horizonte é uma grande cidade, tem dois ótimos estádios e é uma honra estar recebendo aqui o primeiro convite de um estado brasileiro que se dispõe a nos dar todo suporte durante a Copa de 2014. Começaremos a fase de qualificação e preparação a partir de setembro de 2012. Não tenho dúvidas de que Belo Horizonte possui todas as características favoráveis para receber bem as seleções de futebol”, destacou o presidente da Giuoco Calcio. Durante o encontro, ele presenteou o governador com uma camisa personalizada da seleção italiana de futebol.

O secretário de Estado de Turismo, Agostinho Patrus, apresentou um book com os Centros de Treinamentos em Minas Gerais e os atrativos turísticos do Estado aos dirigentes da federação. Minas Gerais sediará seis jogos na Copa do Mundo.

“Ofertamos nosso Estado para sediar a seleção italiana, independente de jogar ou não em Belo Horizonte. Temos uma localização pivilegiada no Brasil, um aeroporto com ligação às principais outras sedes, temos um clima ideal e toda infraestrutura necessária. Já estamos recebendo investimentos de hotéis, as obras do nosso estádio já estão bem avançadas e ele estará pronto para a Copa das Confederações. Minas Gerais tem todas as condições necessárias para receber uma seleção importante como a da Itália”, disse o secretário.

O governador esteve na sede da Federação Italiana de Futebol acompanhado do presidente da Câmara Italiana de Comércio de Minas Gerais, Giacomo Regaldo; do secretário de Esportes e da Juventude, Bráulio Braz; do presidente da Fiemg, Olavo Machado; e de empresários da delegação mineira.

Ações do Governo para a Copa do Mundo 2014

Interiorização da Copa

Ações e objetivos: promover a escolha do maior número de cidade como CTS em Minas; organizar no interior do Estado, durante a Copa das Confederações e em 2014, eventos nos moldes das Fan Fests promovidas pela FIFA; elaborar guia especial para a Copa, reunindo os eventos já consolidados em Minas e que possam ser transferidos para o período da Copa; reforçar a mensagem de que Minas Gerais concentra 60% do Patrimônio Histórico do Brasil; as cidades históricas serão usadas como chamariz para turistas.

Experiências de outras Copas mostram que entre um jogo e outro, o turista tem interesse em conhecer o interior do estado. Por isso a importância de se estruturar bons pacotes turísticos e receptivos. Também serão desenvolvidas propostas para valorizar os produtos mineiros como os derivados do leite, o café e a cachaça. Segundo a Embratur, durante a Copa, Minas deve atrair 196,7 mil turistas estrangeiros  e 430,5 mil brasileiros.

Minas tem 19 municípios inscritos junto à Fifa para se qualificar como CTS: Araxá, Caxambu, Caeté, Divinópolis, Extrema, Formiga, Governador Valadares, Ipatinga, Juiz de Fora, Lagoa Santa, Montes Claros, Mathias Barbosa, Patos de Minas, Poços de Caldas, Sacramento, Sete Lagoas, Uberaba, Uberlândia e Varginha.A Fifa pré selecionou 14 campos em 7 cidades de Minas como possíveis Centro de Treinamento:Araxá, Extrema, Juiz de Fora, Matias Barbosa, Montes Claros e Uberlândia e Belo Horizonte.

Capacitação

Cerca de 5 mil pessoas devem ser capacitadas para a Copa até o final de 2012 (cursos de línguas, agentes de informação turística, guia de turismo, auxiliar de cozinha, camareira, garçom, recepcionista, gestão de negócio, planejamento de emergência hospitalar externa e princípios de medicina de catástrofe).

Empregos

14.496 empregos diretosgerados com obras da Copa em BH (Mineirão, Independência, BRT, Confins, hotéis). Mais de 61 empresas envolvidas: 67,21% (41) do total são de BH.

Hotelaria

O número de leitos em hotéis na região de BH crescerá até a Copa de 30.194 para 55.632. São 34 hotéis em construção, sendo um cinco estrelas, 13 quatro estrelas e 18 três estrelas. Destes, 15 possuem centros de convenção o que garante bom uso pós-copa.

Estádios

Independência

Construído para receber jogos da Copa do Mundo de 1950, o Estádio Independência , em Belo Horizonte, está sendo reformado para poder receber jogos do Campeonato Brasileiro, da Copa do Brasil e até da Libertadores durante o período de obras para a modernização do Mineirão.

O governo do Estado está investindo R$ 133 milhões, no projeto que eleva de 15 mil para 25 espectadores a capacidade da nova Arena, que terá de condições de receber outros espetáculos, além de partidas de futebol. Localizado na região central de Belo Horizonte, o estádio conta com estacionamento para 422 veículos, 32 bares e lanchonetes, 16 cabines de rádio e tv e 72 postos de trabalho para imprensa escrita, auditório para coletivas, camarotes para 2.225 pessoas.

Durante as Copas das Confederações e do Mundo, o Independência deverá ser usado como campo oficial de treinamento (COT), local onde as seleções treinam dois ou três dias antes do jogo oficial na cidade-sede.

Mineirão

O Estádio Mineirão será o primeiro a ter as obras para a Copa concluídas. O consórcio responsável tem, contratualmente, até 21 de dezembro de 2012 para entregá-lo. Os investimentos somam R$ 666,3 milhões, sendo R$ R$ 654 milhões via parceria público privada. O Mineirão tem sido bom exemplo de sustentabilidade com 90% dos resíduos da obra reaproveitados, árvores transformadas em artesanato.Atualmente, emprega 1.500 operários. Este mês, começa a montagem dos anéis de arquibancada inferior e chegam as treliças (estruturas em aço) da nova cobertura.

A capacidade será para 64 mil lugares, incluindo 80 camarotes e tribuna para cerca de mil jornalistas. Também está em construção uma esplanada, que poderá receber até 65 mil pessoas. A cobertura fará captação de energia solar, que, transformada em elétrica, poderá abastecer 1.200 residências de médio porte.

A Minas Arena – consórcio responsável pela construção e operação do estádio – contratou, em dezembro de 2011, a portuguesa Lusoarenas e a norteamericana Global Spectrum, duas empresas especializadas ementretenimento e lazer, com foco em estádios de futebol, arenas multiuso e centros de convenções, para auxiliar na gestão do Mineirão.

Aeroporto

As obras são de responsabilidade da Infraero, que vai investir R$ 236,65 milhões. O prazo de execução é de 28 meses. A expectativa de conclusão é para dezembro de 2013.

A área do Terminal 1 passará de 60,3 mil m² para 67,6 mil m². A pista de pouso e decolagem será ampliada em 600 metros.  O terminal receberá novas esteiras de bagagem, novos balcões de chek-in e sistema de ar condicionado, além de ampliação da área de embarque e desembarque, novas lojas, inclusive free shop.

O Plano Diretor do Aeroporto de Confins foi feito pela empresa Changi Airports International, de Cingapura, contratada pelo Governo de Minas. O Plano prevê três terminais de passageiros e três pistas de pouso e decolagem para atender a demanda estimada em 37 milhões de passageiros/ano, nos próximos 30 anos. Atualmente, a movimentação no Aeroporto chega a 8 milhões de passageiros/ano.

No dia 5 de outubro do ano passado, o Governo de Minas publicou edital de licitação internacional para a escolha da empresa que fará os projetos básico e executivo do Terminal 2. Na ocasião, foi confirmada também a publicação do edital para a concorrência que irá escolher o operador master do Aeroporto Indústria no sítio do AITN. A Infraero transferiu ao Estado R$ 10,6 milhões para a elaboração do projeto executivo do Terminal 2. A projeção é que o aeroporto receba cerca de 20 milhões  de passageiros, em 2020.

Fonte: Agência Minas