Governo de Minas: educadores formulam criação do Curso de Extensão em Educação Musical

Especialistas e professores de conservatórios estaduais participam de planejamento.

Professores e especialistas dos 12 conservatórios estaduais de música de Minas Gerais iniciaram o planejamento para a criação do Curso de Extensão em Educação Musical. O objetivo é oferecer formação inicial e continuada em educação musical para professores da rede pública de educação básica. As reuniões começaram nesta semana na Escola de Formação e Desenvolvimento Profissional de Educadores (Magistra). O curso está previsto para começar no segundo semestre deste ano.

“Nesse encontro, pegamos as experiências que os Conservatórios Estaduais de Música têm para formular um plano de curso para trabalhar de forma criativa e inovadora com os professores das escolas regulares”, destacou Gilbert Gouvêa, coordenador dos Conservatórios.

Entre os temas discutidos no encontro estão: os componentes curriculares, a ementa, a carga horária, a metodologia, os procedimentos didáticos, as formas de monitoramento e avaliação e a organização do atendimento a partir das demandas dos candidatos. Todo o trabalho será construído a partir de uma articulação entres os conservatórios, a Secretaria de Estado de Educação (SEE) e a Magistra.

Nas reuniões, também foram debatidas as possíveis ferramentas de apoio que os participantes poderão contar durante o curso de formação. O Centro de Referência Virtual do professor (CRV) é uma dessas possibilidades para os educadores durante o curso.

O curso será desenvolvido pelos conservatórios em módulos semestrais e abordará conhecimentos teóricos e práticos da área musical. “Essa será uma retomada em uma das funções das escolas de música que é a da formação musical”, lembra Gilbert Gouvêa.

Em um primeiro momento, os cursos seriam ofertados para professores de arte, supervisores pedagógicos e estudantes dos cursos de Magistério e Pedagogia. Para a primeira fase. estão previstos 50 participantes distribuídos em duas turmas. Até o final do ano, a previsão é que o curso de extensão atenda a 600 cursistas.

 Conservatórios

Minas é o único estado do Brasil que conta com escolas de música na rede pública de ensino. São 12 Conservatórios de Música mantidos pela Secretaria de Estado de Educação. Com o objetivo de atender a diversas regiões do estado, Minas conta com escolas nas cidades de Araguari, Ituiutaba, Uberaba e Uberlândia, no Triângulo Mineiro, em São João Del Rei, Juiz de Fora, Leopoldina e Visconde do Rio Banco, cidades da Zona da Mata, em Montes Claros no Norte de Minas, Diamantina no Vale do Jequitinhonha, e em Pouso Alegre e Varginha, cidades do Sul do Estado. As escolas de música atendem cerca de 30 mil alunos com a oferta de cursos técnicos.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/educadores-formulam-criacao-do-curso-de-extensao-em-educacao-musical/

Governo de Minas: cidades mineiras se preparam para Conferência da Pessoa com Deficiência

Mais de 50 cidades estão envolvidas e vão promover, até 30 de abril, conferências municipais ou regionais

Os municípios mineiros estão se mobilizando, desde março deste ano, para promover melhorias das políticas públicas destinadas às pessoas com deficiência. Mais de 50 cidades estão envolvidas e vão promover, até o dia 30 de abril, conferências municipais ou regionais para discutir e elaborar propostas a serem apresentadas no encontro estadual, marcado para 19 a 21 de junho, em Belo Horizonte.

Com o apoio da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese), os municípios provocam discussões divididas em quatro eixos: Educação, esporte, trabalho e reabilitação profissional; acessibilidade, comunicação, transporte e moradia; saúde, prevenção, reabilitação, órteses e próteses; segurança, acesso à justiça, padrão de vida e proteção social adequados.

Os municípios de Varginha, Timóteo, Governador Valadares, São Tomé das Letras, Araguari, Três Corações e Itabira já realizaram suas conferências e apresentaram demandas que podem ser transformadas em políticas públicas em prol das pessoas com deficiência de todo o Estado.

“Com a apresentação das propostas, vamos saber o que os municípios precisam e querem do Estado. Além disso, teremos discussões importantes para a elaboração do Plano Estadual de Políticas para Pessoas com Deficiência”, destacou a coordenadora Especial de Apoio e Assistência à Pessoa com Deficiência, Ana Lúcia Oliveira.

Cada conferência elege delegados para representarem os respectivos municípios na III Conferência Estadual ‘Um Olhar para a Convenção Sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência’. O evento será promovido pela Sedese, por meio da Coordenadoria de Apoio e Assistência à Pessoa com Deficiência (Caade), e pelo Conselho Estadual de Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência (Conped).

O encontro estadual visa o processo de construção e reestruturação das Redes Estadual e Nacional de Proteção e Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência, além de identificar avanços, desafios e priorizar as demandas no âmbito estadual e federal. A expectativa é que cerca de 40 propostas, oriundas da conferência estadual, sejam levadas à Conferência Nacional, a ser realizada em Brasília, de 3 a 6 de dezembro.

Próximas conferências

24 de abril – Limeira, Rosário de Limeira, Sabará, São Lourenço, Três Marias e Martinho Campos

25 de abril – Itajubá, São Tomé das Letras, Uberlândia.

26 de abril – Araxá, Barbacena, Capelinha, Cássia, Cláudio, Coronel Fabriciano, Lassance, Lavras, Piraúba, Pouso Alegre, Santa Rita do Sapucaí, Uberaba.

27 de abril – Brumadinho, Cataguases, Guarani, Itapecirica, Ouro Preto, Poços de Caldas, Santa Luzia e São João do Paraíso.

28 de abril – Divinópolis, Ipatinga,

30 de abril – Piumhi, São João del-Rei.

Informações sobre as conferências municipais devem ser solicitadas por meio do e-mail: conferenciapcd@social.mg.gov.br.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/cidades-mineiras-se-preparam-para-conferencia-da-pessoa-com-deficiencia/

Gestão Anastasia: governo de Minas inaugura nova sede do Conservatório de Música de Patos de Minas

Estado investiu R$ 823,9 mil na construção do prédio de dois pavimentos com 25 salas, construído no Parque do Mocambo

Joaquim Amaral/Divulgação
O prédio de dois pavimentos, com 25 salas de aula, foi construído no Parque do Mocambo
O prédio de dois pavimentos, com 25 salas de aula, foi construído no Parque do Mocambo

O vice-governador Alberto Pinto Coelho inaugura, nesta sexta-feira (30), às 10h30, a nova sede do Conservatório Municipal Galdina Corrêa da Costa Rodrigues, em Patos de Minas, no Alto Paranaíba. O prédio moderno, de dois pavimentos, foi construído no Parque do Mocambo. O investimento foi de R$ 906,3 mil – R$ 823,9 mil de recursos estaduais e R$ 82,4 mil destinados pela prefeitura.

A nova sede tem 25 salas e elevador para facilitar o acesso de alunos com deficiência física. As salas do primeiro piso são amplas e serão usadas para aulas de teoria musical e musicalização. Serão destinadas também às atividades do coral, do grupo de seresta, da Lira Mariana e da oficina Pró-orquestra. No segundo piso, as salas são menores e preparadas acusticamente para receber alunos que aprendem a tocar instrumentos de corda, sopro e percussão.

Além de melhorar as condições de ensino e aprendizado, o novo prédio colocará fim à necessidade de mudança a cada vez que termina o contrato de locação do imóvel, um drama vivido por professores e alunos desde que o Conservatório foi inaugurado, 18 anos atrás.

Aulas gratuitas

A escola de música de Patos de Minas tem 1.200 alunos matriculados em cursos ministrados na sede e outros 300 em cursos de extensão realizados na zona rural do município, totalizando 1.500 estudantes atendidos. O corpo docente é formado por 26 professores e um coordenador pedagógico. Os cursos são totalmente gratuitos.

Os alunos do Coral, da Oficina Pró-Orquestra e da Lira Mariana prepararam números especiais para a cerimônia de inauguração.

Conservatórios estaduais

Além da parceria com a Prefeitura de Patos de Minas, o governo mineiro mantém, com recursos exclusivamente do Tesouro do Estado, 12 Conservatórios de Música em municípios de diversas regiões: Araguari, Uberlândia, Uberaba e Ituiutaba, no Triângulo Mineiro; Juiz de Fora, Leopoldina e Visconde do Rio Branco, na Zona da Mata; São João Del Rei, no Campo das Vertentes; Pouso Alegre e Varginha, no Sul de Minas; Montes Claros, no Norte do Estado; e Diamantina, no Vale do Jequitinhonha.

Minas é o único estado do Brasil que conta com escolas especializadas no ensino da música na rede pública de ensino. Os 12 Conservatórios do Estado reúnem corpo docente de 1.500 professores que ensinam e ajudam a desenvolver aptidões e o talento musical de 30 mil alunos.

Os conservatórios oferecem, gratuitamente, cursos básicos, de qualificação e requalificação na área de Educação Musical. Podem concorrer a uma vaga adultos, jovens e crianças a partir dos seis anos idade, com atendimento prioritário para alunos da educação básica, matriculados na rede pública de ensino. São oferecidos ainda cursos técnicos de Formação Profissional, voltados para formação de instrumentistas e cantores.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/governo-de-minas-inaugura-nova-sede-do-conservatorio-de-musica-de-patos-de-minas/

Gestão em Minas: Secretaria de Saúde vai distribuir 4 milhões de preservativos durante o Carnaval

O objetivo da campanha “Curta o carnaval com camisinha” é estimular o uso da camisinha em qualquer situação

Ramon Jader
Além de preservativos, cartazes e folders informativos também serão distribuídos
Além de preservativos, cartazes e folders informativos também serão distribuídos

Com a chegada do carnaval, muita gente se prepara para os dias da festa, mas se esquece de tomar algumas precauções, como a prevenção às Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST/Aids). Por isso, para alertar a população, o Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de Saúde (SES), em parceria com Organizações não Governamentais, promove uma série de ações que objetivam conscientizar a população para o uso frequente da camisinha, independente da idade, sexo, raça e orientação sexual. Durante o Carnaval, serão distribuídos 4 milhões de preservativos masculinos em todo o Estado e para as 60 entidades civis cadastradas.

Com o slogan “Curta o carnaval com camisinha”, a campanha visa estimular o uso do preservativo em qualquer situação. Em Minas Gerais, o total de casos notificados até janeiro de 2012 soma 31.559. A tendência geral da epidemia da doença no Estado é a heterossexualização, a feminização, a interiorização e a pauperização.

De acordo com a coordenadora estadual de DST/Aids, Fernanda Junqueira, do número total de casos, 45% ocorrem em jovens na faixa etária de 20 a 34 anos. “Temos que nos preocupar. O nosso objetivo é realmente chamar a população para a necessidade do uso do preservativo em todas as relações, pois é a única maneira de se evitar não só a Aids, mas também uma série de outras doenças”, reforçou. Atualmente, os heterossexuais correspondem a 51,28% dos casos notificados e os homossexuais correspondem a 15,11%.

O Ministério da Saúde estima que, hoje, tenhamos conhecimento de cerca de 50% dos números da epidemia, o que reforça a necessidade do diagnóstico precoce também como forma de se prevenir.

Informativos

Materiais informativos, como cartazes e folders, já foram distribuídos para as 28 Regionais de Saúde e para as entidades civis que farão atividades nos municípios. Outra ação importante será o ônibus “Expresso Folia”, uma parceria com a Subsecretaria de Políticas Sobre Drogas, que vai circular por mais de 60 cidades distribuindo folders e preservativos. A SES também distribuiu material informativo em hotéis e pousadas, principalmente nas cidades históricas, onde o número de foliões é maior.

“Os materiais não são apenas sobre Aids, trabalham também a dengue e a saúde do viajante. Essas ações são fundamentais para o combate à Aids e outras doenças, já que ocorre em um período em que as pessoas estão bastante expostas, situação agravada pelo elevado consumo de bebidas alcoólicas”, lembrou Fernanda.

Frequência de casos

Em Minas, 706 municípios apresentam pelo menos um caso notificado de Aids. Os dez municípios com maior frequência de casos notificados de 1983, ano de surgimento da doença, até 2012, são: Belo Horizonte, Juiz de Fora, Uberlândia, Contagem, Uberaba, Betim, Ribeirão das Neves, Governador Valadares, Araguari e Poços de Caldas, que somam 18.379 casos, correspondendo a 58,24% do total dos casos de Aids no Estado.

Dos 31.559 casos de Aids notificados no Estado desde o início da epidemia, na década de 80, 10.817 (34,28%) evoluíram para óbito. Os dados mostram que nos anos 2000, o número de óbitos reduziu em 50%, chegando a 25,52%, se comparado com a década de 90, quando os óbitos chegavam a 55,24%.

Sexo e faixa etária

Em ambos os sexos a predominância do acometimento é na faixa etária de 20 a 49 anos, que corresponde a mais de 83% do total de casos do Estado. Na faixa etária que vai de 20 a 34 anos, são 14.178 casos notificados (45%). E na faixa etária que vai dos 35 a 49 anos, 12.217 casos (39%).

O número de casos entre mulheres vem aumentando gradativamente. O primeiro registro entre mulheres foi em 1986, quando a razão entre os sexos era de 31 homens para uma mulher. A partir da década de 90, essa razão vem se aproximando. Na faixa etária que vai de dez a 19 anos, ocorre uma inversão do número de casos desde 1998, com número maior entre mulheres do que homens. Dados parciais da Coordenadoria Estadual de DST/Aids apontam que, em 2011, 911 casos acometeram o sexo masculino e 399 o feminino. Em 2007, esse número era de 1232 novos casos masculinos e 735 femininos.

Em Minas Gerais, a média de casos novos notificados nos últimos cinco anos foi de 1.736 casos. E a taxa de incidência é de 6,68 casos a cada 100 mil habitantes.

Caso o município solicite, a Coordenação Estadual de DST/Aids também fornece testes de rápido diagnóstico de HIV para as mobilizações dos Centros de Testagem e Aconselhamento (CTA). O objetivo é incentivar o diagnóstico precoce e, assim, melhorar a qualidade de vida das pessoas que vivem e convivem com o vírus do HIV.

Fonte: Agência Minas

Governo de Minas: Secretaria de Saúde divulga o primeiro levantamento de infestação para o Aedes aegypti de 2012

Pesquisa indica que o lixo doméstico, bebedouros de animais e pratinhos de plantas são os focos mais comuns de dengue no Estado
Divulgação/SES
Setenta e quatro municípios já realizaram o levantamento em 2012
Setenta e quatro municípios já realizaram o levantamento em 2012

Dados da Secretaria de Estado de Saúde (SES) apontam que dos 74 municípios que realizaram o Levantamento Rápido de Índices de Infestação para Aedes aegypti (LirAa), em 2012, 30 apresentaram alto índice de infestação (acima de 3,9%); 42 apresentaram médio risco (LirAa entre 1,0% e 3,9%) e duas cidades (Conselheiro Lafaiete, com 0,7% e Poços de Caldas, com 0,1%) tiveram baixo risco. Até o momento, foram notificados, em 2012, 4.491 casos de dengue em Minas Gerais.

De acordo com o subsecretário de Vigilância em Saúde, Carlos Alberto Gomes, comparando os dados de janeiro de 2012 com o mesmo período de 2011, observa-se que dois terços dessas cidades mantiveram os mesmos índices ou abaixaram, porém as demais pioraram. “Quando se faz o LirAa, são identificados quais são os focos mais comuns de infestação pelo Aedes aegypti. Neste LirAa de janeiro de 2012, por exemplo, pudemos constatar que os focos mais comuns foram o lixo (doméstico, principalmente), bebedouros de animais (lata d’água de cães e gatos) e os pratinhos para plantas”, detalhou Carlos Alberto.

O LirAa é uma pesquisa de verificação domiciliar por amostragem que revela o índice de infestação da larva do mosquito. Ele ajuda os municípios a acompanharem de forma rápida e atualizada a situação da infestação, além de ser um instrumento que auxilia na rápida tomada de decisões dos gestores para o controle da doença e demonstra como os municípios estão distribuídos em todas as regiões do Estado, o que espelha o aumento da infestação.

“O levantamento funciona como um alerta para os municípios e aponta para um potencial de epidemia, se nada for feito para impedir. A primeira providência dos municípios, e dos estados, com base nesses números, é intensificar as ações de controle nos pontos críticos, utilizando os indicadores como referência, principalmente, os depósitos predominantes. Também é fundamental a mobilização da sociedade civil, pois 85% dos focos de dengue estão dentro da casa das pessoas”, afirma a referência técnica em dengue da SES, Geane Andrade.

Minas Gerais conta com a Força-Tarefa de combate a dengue. Ela já atuou em vários municípios do Estado reforçando as ações de combate à dengue e mobilizando a população sobre a necessidade de evitar a doença. Aimorés, no Leste de Minas, é uma das cidades que recebe a equipe da força tarefa a partir desta semana.

Reunião com 30 municípios

No dia 1º de fevereiro, o secretário de Estado de Saúde, Antônio Jorge de Souza Marques, recebeu secretários municipais de saúde de 30 municípios mineiros com o objetivo de reforçar o combate ao vetor e impedir o avanço da doença, que causou 23 mortes no Estado em 2011.

Entre as ações efetivas para a solução do problema, Antônio Jorge anunciou a liberação de R$ 1 milhão, recurso do Sistema Estadual de Transporte em Saúde (Sets), para a compra de 30 veículos do tipo picape, que irão auxiliar no transporte dos agentes e insumos, considerado pelos secretários municipais como um dos grandes gargalos na promoção das ações.

Além disso, vem sendo feito o treinamento de 50 médicos que irão, por meio das regionais de saúde, aprimorar e capacitar a ação de profissionais locais para um eficaz diagnóstico da doença, uma vez que muitos dos casos que evoluem para óbito estão diretamente ligados ao manejo clínico.

Outro anúncio feito pelo secretário foi que, neste ano, os municípios não serão mais responsáveis pela hospedagem e alimentação dos agentes da Força-Tarefa, transferindo a responsabilidade para a SES.

Os municípios convocados foram: Pocrane, São José da Safira, Marilac, Recreio, Glaucilândia, Central de Minas, Mathias Lobato, Naque, Aimorés, Araguari, Bocaiúva, Bom Despacho, Campo Belo, Curvelo, Dores do Indaiá, Ipatinga, Itabira, Itaúna, Ituiutaba, Januária, Montes Claros, Nova Serrana, Pará de Minas, Pirapora, Pompéu, Teófilo Otoni, Timóteo, Ubá, Unaí e Várzea da Palma.

Clique aqui para ver os índices do LirAa de janeiro/2012 (arquivo Word).

Fonte: Agência Minas

Governo de Minas: Hospital Hélio Angotti, de Uberaba, passa a integrar rede Pro-Hosp

Desde 2003, o programa já investiu R$ 45,5 milhões no Triângulo Mineiro, em hospitais de Uberaba e nas cidades de Uberlândia, Frutal, Ituiutaba e Araguari
Divulgação/Secom MG
Rede de hospitais beneficiados pelo Pro-Hosp inclui 132 unidades, localizadas em 105 municípios de todas as regiões de Minas
Rede de hospitais beneficiados pelo Pro-Hosp inclui 132 unidades, localizadas em 105 municípios de todas as regiões de Minas

O Hospital Hélio Angotti, em Uberaba, Triângulo Mineiro, já recebeu os primeiros repasses do Programa de Fortalecimento e Melhoria da Qualidade dos Hospitais (Pro-Hosp), do Governo de Minas. A instituição é uma das quatro em todo o estado que passaram a fazer parte do Programa neste ano. Assim, a rede de hospitais beneficiados pelo Pro-Hosp inclui 132 unidades, localizadas em 105 municípios de todas as regiões de Minas.

Todos os hospitais da rede Pro-Hosp são contemplados com recursos para melhorar a qualidade da assistência, ampliar a capacidade de atendimento, reforma da infraestrutura, compra de equipamentos, modernização gerencial e custeio hospitalar.

Com média de 11,5 mil atendimentos por mês, o Hospital Hélio Angotti (HHA) é  referência no tratamento oncológico na região, sendo que cerca de 90% dos pacientes são atendidos pelo Sistema Único de Saúde (SUS). “O Pro-Hosp é de fundamental importância para a consolidação da instituição como centro de tratamento oncológico no Triângulo Mineiro, Alto Paranaíba e Noroeste de Minas”, diz o presidente do HHA,  Délcio Scandiuzzi.

Com os recursos do Pro-Hosp, o atendimento do Hospital Hélio Angotti será ampliado, evitando assim que muitos moradores precisem se deslocar para cidades do interior de São Paulo para buscar um tratamento mais especializado. “Já adquirimos equipamentos e medicamentos importantes e novos estão sendo viabilizados com os recursos já remetidos pelo Governo do Estado”, destaca o doutor Scandiuzzi.

Expansão

Além do Hélio Angotti, foram incluídos também na rede Pro-Hosp, em 2012, os hospitais Odilon Behrens e Mário Penna, em Belo Horizonte, e o Cristiano Varella, em Muriaé, na Zona da Mata. As quatro instituições já receberam, juntas, um total de R$ 6,5 milhões.

De acordo com o coordenador do Programa, Tiago Lucas, a expansão da Rede se deu por meio da inclusão de hospitais que exercem papel regional e inter-regional relevante para o SUS, por sua participação imprescindível na resolubilidade de clínicas de especialidades estratégicas, tais como cirurgia neurológica, cirurgia e tratamento em oncologia, cirurgia ortopédica e cirurgia cardiovascular.

Segundo ele, o Pro-Hosp possibilita à população mineira atendimento hospitalar de qualidade e com resolutividade o mais próximo possível das residências dos cidadãos. “O objetivo é que o paciente se desloque o mínimo possível de seu município para receber assistência médica necessária, evitando ter que viajar ou ser transportado para os grandes centros ou para Belo Horizonte”, explica Tiago Lucas.

Desde 2003, o Governo de Minas liberou cerca de R$ 700 milhões para unidades hospitalares, com recursos provenientes da Tesouro estadual. Apenas em 2011, foram aplicados R$ 115 milhões. Para 2012, a previsão de investimentos do Pro-Hosp é da ordem de R$ 130 milhões. Na região do Triângulo Mineiro, o programa já investiu, desde 2003, cerca de R$ 45,5 milhões em hospitais da própria Uberaba e nas cidades de Uberlândia, Frutal, Ituiutaba e Araguari.

Critérios para o repasse de recursos

A transferência de recursos do Tesouro estadual para os  hospitais beneficiados pelo Pro-Hosp leva em conta a população das macrorregiões e microrregiões (base de cálculo per capita) e também a realidade socioeconômica de cada uma, buscando atender ao princípio da equidade. Assim, nas áreas mais carentes – como nos Vales do Jequitinhonha, Mucuri e Rio Doce e nas regiões Nordeste e Norte de Minas – as unidades hospitalares recebem um valor per capita diferenciado, o quê, ao final, representa um maior volume de investimentos.

O Pro-Hosp se fundamenta em uma parceria entre o Estado e os hospitais públicos e filantrópicos que integram o Programa, com a participação dos gestores municipais, Colegiados dos Secretários Municipais de Saúde (Cosems-MG) e Conselhos de Saúde Municipal e Estadual. Por meio da Secretaria de Saúde de Minas Gerais, o Governo de Minas faz o repasse dos recursos, e as instituições se comprometem a cumprir metas assistenciais e gerenciais.

Fonte: Agência Minas

Gestão Anastasia: saúde reúne 30 municípios mineiros para aprimorar o combate à dengue

Entre as ações efetivas anunciadas está a liberação de R$ 1 milhão para a compra de 30 veículos que irão auxiliar no transporte dos agentes e insumos.
Vivian Campos/SES-MG
Secretário de Saúde, Antônio Jorge Souza Marques, anuncia medidas para impedir o avanço da dengue em 30 municípios
Secretário de Saúde, Antônio Jorge Souza Marques, anuncia medidas para impedir o avanço da dengue em 30 municípios

Secretários municipais de saúde de 30 municípios mineiros em situação crítica de infestação do mosquito Aedes aegipty se reuniram, nesta quarta-feira (1), com o secretário de Estado de Saúde, Antônio Jorge Souza Marques, com o objetivo de reforçar o combate ao vetor e impedir o avanço da doença, que causou 23 mortes no Estado em 2011. A média de infestação por dengue (LirAa) nessas cidades chega a 4,6%, e a Organização Mundial de Saúde (OMS) e o Ministério da Saúde consideram 1% como Alto Risco de Transmissão de Dengue.

De acordo com o secretário Antônio Jorge, o Estado apresenta uma situação climática totalmente favorável ao mosquito, mas isso não pode ser usado como justificativa para 100% do problema, mesmo que o volume de água trazido pelas chuvas tenha representado, em algumas cidades, o maior volume de água dos últimos 100 anos. “Tivemos um enorme êxito em 2011, se compararmos com 2010, em que houve uma redução de mais de 80% dos casos notificados. Porém, é fundamental que os gestores municipais tenham uma atenção especial e redobrem a atenção em 2012”. Ele ressaltou, ainda, a introdução do sorotipo 4 do mosquito, que aumenta e fragiliza a cadeia de contaminação.

Entre as ações efetivas para a solução do problema, Antônio Jorge anunciou a liberação de R$ 1 milhão, recurso do Sistema Estadual de Transporte em Saúde (Sets), para a compra de aproximadamente 30 veículos do tipo picape, que irão auxiliar no transporte dos agentes e insumos, considerado pelos secretários municipais, como um dos grandes gargalos na promoção das ações.

Além disso, vem sendo feito o treinamento de 50 médicos que irão, por meio das regionais de saúde, otimizar e capacitar a ação de profissionais locais para um eficaz diagnóstico da doença, uma vez que muitos dos casos que evoluem para óbito estão diretamente ligados ao manejo clínico.

Outro anúncio feito pelo secretário é que, neste ano, os municípios não serão mais responsáveis pela hospedagem e alimentação dos agentes da força-tarefa, transferindo a responsabilidade para a SES.

Notificações

Este ano, dos 2.459 casos de dengue notificados nas 853 cidades mineiras, 30% estão nos municípios convocados, o que representa 328 casos e 10% da população do Estado. “Estamos atentos a qualquer necessidade e pedimos que esses municípios redobrem a atenção para a dengue. Queremos entender os problemas e resolver as questões pontuais”, disse Antônio Jorge.

Outra proposta foi a criação de uma feira, ainda no primeiro semestre, em que os gestores de saúde terão a oportunidade de apresentar e trocar experiências exitosas das ações de dengue. “Parte do resultado negativo nesta guerra contra o mosquito está ligada às políticas de gestão, que muitas vezes podem ser mal aplicadas ou formatadas. Sendo assim, devemos pensar em estratégicas, ações diferentes para provocar melhores resultados, pois a dengue já é uma agenda no Estado há 15 anos e com resultados de melhora distintos”, explicou o secretário.

Os municípios convocados foram: Pocrane, São José da Safira, Marilac, Recreio, Glaucilândia, Central de Minas, Mathias Lobato, Naque, Aimorés, Araguari, Bocaiúva, Bom Despacho, Campo Belo, Curvelo, Dores do Indaiá, Ipatinga, Itabira, Itaúna, Ituiutaba, Januária, Montes Claros, Nova Serrana, Pará de Minas, Pirapora, Pompéu, Teófilo Otoni, Timóteo, Ubá, Unaí e Várzea da Palma.

Fonte: Agência Minas