Gestão da Saúde: Tumiritinga encerra ações da Força Tarefa de combate à dengue

Os moradores da cidade puderam trocar materiais recicláveis que podem servir de focos para o mosquito por materiais escolares

Fotos: Frederico Bussinger
953 pneus foram recolhidos pela Força Tarefa em Tumiritinga
953 pneus foram recolhidos pela Força Tarefa em Tumiritinga

A Força Tarefa de combate à dengue esteve entre os dias 16 e 20 de abril, em Tumiritinga, município que pertence à Regional de Saúde de Governador Valadares. A equipe da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) atuou em parceria com a prefeitura no controle vetorial para a  eliminação de criadouros do mosquito nas residências. Também desenvolveram ações de mobilização social, através do Dengue Móvel que promoveu a troca de material escolar como lápis, borracha e caderno por materiais recicláveis, garrafa pet, lata e pneu.

A estratégia faz parte do Programa Estadual de Controle Permanente da Dengue do Governo de Minas, cujo objetivo é a diminuição do risco de epidemias em municípios com maior índice de infestação e notificação, somando força aos agentes municipais e mobilizando a população sobre a necessidade de evitar a doença.

O prefeito de Tumiritinga, Luiz Denis Alves Temponi, destacou a atuação conjunta entre estado e município no combate à dengue. “Esta parceria da Força Tarefa com os agentes municipais foi muito importante na mobilização dos moradores. A ação executada em várias frentes proporciona um resultado melhor”, afirmou.

O secretário municipal de Saúde, Maicon José Francisco Gonçalves, endossou as palavras do prefeito, acrescentando que “a conscientização e ação foram fundamentais para dar uma sacudida nos moradores, contribuindo para diminuir os  possíveis focos do mosquito da Dengue”, analisou.

Antes de Tumiritinga, as equipes atuaram  no Vale do Rio Doce, nos  municípios de Governador Valadares, Aimorés, Sobrália, Fernandes Tourinho, Engenheiro Caldas e São José da Safira.

A moradora Ana Helena Ferreira dos Santos compareceu para a troca com centenas de garrafas pet. “Foi ótimo essa idéia da troca porque fiz uma limpeza  geral nos fundos da minha casa e pude levar material escolar para minha família”, frisou.

O farmacêutico e  dono de uma drogaria do centro do município, Jacinto José Sales prontamente autorizou a afixação em seu estabelecimento de um cartaz da campanha contra a Dengue “Apoio este trabalho porque conscientiza e envolve todas as pessoas na luta  contra o mosquito”, comentou.

Balanço

No município foram recolhidas 10.2540 garrafas pet, 8.627 latas e 953 pneus que foram trocados por 8.640 lápis, 6.000 borrachas e 1.521 cadernos.

Todo o lixo recolhido pelo Dengue Móvel em Tumiritinga foi encaminhado para ecopontos em Governador Valadares. No caso dos pneus, o destino foi o Galpão  da Companhia de Armazéns e Silos de Minas Gerais (CASEMG) e as garrafas pet, latas e vasilhas plásticas para a Associação de Catadores de Materiais Recicláveis Natureza Viva (ASCANAVI).

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/tumiritinga-encerra-acoes-da-forca-tarefa-de-combate-a-dengue/

Governo de Minas já investiu mais de R$ 50 milhões em hospitais do Leste de Minas

Recursos do Pro-Hosp são utilizados para reformas, ampliações e aquisição de equipamentos e UTIs

Divulgação/SES
Programa possibilitou investimentos em novos equipamentos em Caratinga e Resplendor
Programa possibilitou investimentos em novos equipamentos em Caratinga e Resplendor

O Programa de Fortalecimento e Melhoria da Qualidade dos Hospitais (Pro-Hosp), do Governo de Minas, têm mudado a realidade de muitos hospitais que atendem pacientes pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Somente na região no Leste do Estado, o programa alcançou, em 2011, o volume de R$ 53,3 milhões investidos.

Os recursos foram liberados para hospitais das cidades de Governador Valadares, Mantena, Resplendor, Santa Maria do Suaçuí, São João Evangelista, Guanhães, Ipatinga, Coronel Fabriciano, Timóteo e Caratinga.

Todos os hospitais da rede Pro-Hosp no Leste de Minas são contemplados com recursos para melhorar a qualidade da assistência, ampliar a capacidade de atendimento, reforma da infraestrutura, compra de equipamentos, modernização gerencial, treinamento de funcionários e custeio hospitalar.

O Hospital Nossa Senhora do Carmo, na cidade de Resplendor, é um dos vários exemplos da eficiência do Pro-Hosp. Beneficiada pelo programa desde 2004, a instituição foi transformada em uma unidade microrregional, para atender os pacientes do SUS do próprio município e também das cidades de Aimorés, Itueta, Santa Rita do Itueto, Conselheiro Pena, Goiabeira, Cuparaque e Alvarenga.

Até o ano passado, o hospital recebeu R$ 2,3 milhões do Pro-Hosp, que foram usados na ampliação da estrutura e na compra de equipamentos, entre outros benefícios. “O Pro-Hosp mudou a cara do hospital. Antes, nós fazíamos apenas atendimentos básicos. Com os recursos do Governo de Minas, remodelamos o prédio e reequipamos todas as áreas. Hoje, temos condições até de atender casos de média complexidade, inclusive fazer cirurgias, sem precisar encaminhar o paciente para outros locais”, diz o diretor do hospital, Agnaldo Maria Polito.

Um dos equipamentos adquiridos com recursos do Pro-Hosp foi um mamógrafo. A chegada do aparelho, em 2006, fez com que as mulheres da região deixassem de se deslocar até 160 quilômetros até Governador Valadares para fazer um exame essencial para o diagnóstico precoce de câncer de mama. “Já foram mais de três mil exames realizados e não há mais fila de espera. Todas as mulheres da nossa microrregião, que são acompanhadas pelas prefeituras, estão com a mamografia em dia devido por ter o equipamento mais próximo”, informa Agnaldo Polito.

Cidade ganha nova maternidade e UTIs

O Hospital Nossa Senhora Auxiliadora, de Caratinga, passou a fazer parte da Rede Pro-Hosp desde 2005 e já recebeu investimentos de aproximadamente R$ 4,9 milhões. A maior parte dos recursos foi utilizada na construção de um anexo ao antigo prédio. O número de leitos passou de 77 para 130. Dez dos 53 novos leitos são de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) – o que evita que pacientes que precisam de um tratamento mais complexo sejam transferidos para Ipatinga e Governador Valadares.

Também com recursos do Pro-Hosp foi implantada no anexo uma maternidade com sete UTIs para partos de alto risco. “O hospital passou a resolver 100% dos casos de partos de alto risco da microrregião de Caratinga. E, frequentemente, recebemos pacientes de fora da microrregião. Bom para nossa região e bom para as cidades para onde outrora encaminhavam os pacientes”, destaca Cláudio de Oliveira Paiva, administrador do Hospital.

Além de Caratinga, o Hospital Nossa Senhora Auxiliadora também atende pacientes das cidades de Bom Jesus do Galho, Córrego Novo, Entre Folhas, Imbé de Minas, Inhapim, Piedade de Caratinga, Santa Bárbara do Leste, Santa Rita de Minas, São Domingos das Dores, São Sebastião do Anta, Ubaporanga, Vargem Alegre e Vermelho Novo.

Pro-Hosp já investiu R$ 700 milhões em todo o Estado

Desde 2003, o Governo de Minas liberou cerca de R$ 700 milhões para unidades hospitalares em 105 cidades de todas as regiões, com recursos provenientes da Tesouro Estadual. Apenas em 2011, foram aplicados R$ 115 milhões. Para 2012, a previsão de investimentos do Pro-Hosp é da ordem de R$ 130 milhões.

De acordo com o coordenador do Programa, Tiago Lucas, as instituições beneficiadas pelos repasses exercem papel regional e inter-regional relevante para o SUS, por sua participação imprescindível na resolubilidade de clínicas de especialidades estratégicas, tais como cirurgia neurológica, cirurgia e tratamento em oncologia, cirurgia ortopédica e cirurgia cardiovascular.

Segundo ele, o Pro-Hosp possibilita à população mineira atendimento hospitalar de qualidade e com resolutividade o mais próximo possível das residências dos cidadãos. “O objetivo é que o paciente se desloque o mínimo possível de seu município para receber assistência médica necessária, evitando ter que viajar ou ser transportado para os grandes centros ou para Belo Horizonte”, explica Tiago Lucas.

Critérios para o repasse de recursos

A transferência de recursos do Tesouro estadual para os  hospitais beneficiados pelo Pro-Hosp leva em conta a população das macrorregiões e microrregiões (base de cálculo per capita) e também a realidade socioeconômica de cada uma, buscando atender ao princípio da equidade. Assim, nas áreas mais carentes – como nos Vales do Jequitinhonha, Mucuri e Rio Doce e nas regiões Nordeste e Norte de Minas – as unidades hospitalares recebem um valor per capita diferenciado, o quê, ao final, representa um maior volume de investimentos.

O Pro-Hosp se fundamenta em uma parceria entre o Estado e os hospitais públicos e filantrópicos que integram o Programa, com a participação dos gestores municipais, Colegiados dos Secretários Municipais de Saúde (Cosems-MG) e Conselhos de Saúde Municipal e Estadual. Por meio da Secretaria de Saúde de Minas Gerais, o Governo de Minas faz o repasse dos recursos, e as instituições se comprometem a cumprir metas assistenciais e gerenciais.

Fonte: Agência Minas

Governo de Minas: Força Tarefa de combate à dengue chega ao município de Aimorés

Uma equipe de 21 agentes de endemias e duas mobilizadoras sociais ficam na cidade até sexta-feira

A Força Tarefa de Combate à Dengue da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) já está no município de Aimorés, na região Leste de Minas. Uma equipe formada por 21 agentes de endemias e duas mobilizadoras sociais da SES ficam na cidade até a próxima sexta-feira (17) para, em parceria com a prefeitura, atuar em áreas críticas do município.

A estratégia faz parte do Programa Estadual de Controle Permanente da Dengue do Governo de Minas, cujo lema em 2012 é “A Guerra continua – Todos Contra Dengue”. O objetivo central é a diminuição do risco de epidemias em municípios com maior índice de infestação, somando força aos agentes municipais e mobilizando a população sobre a necessidade de evitar a doença.

Para o superintendente Regional de Saúde de Governador Valadares, Augusto Barbosa, esta ação “demonstra a preocupação do Governo de Minas em dividir as responsabilidades com os municípios mineiros, buscando resolver os problemas da saúde, principalmente a dengue. Esta guerra apresenta excelentes resultados no Estado e o sucesso desta luta depende fundamentalmente do esforço conjunto do poder público e da sociedade, para que a esta ameaça seja eliminada em nossa região e no Estado”, ressaltou.

A Força Tarefa está capacitada para executar atividades de controle vetorial através de eliminação de criadouros do mosquito, tratamento focal e bloqueio de transmissão.

Mobilização Social

Uma das estratégias a serem utilizadas pelo Estado são as ações de mobilização social. As articuladoras sociais da SES, Bárbara Parreiras de Aquino e Marília Takahahi, promoveram nessa terça-feira (14), uma reunião com representantes da Prefeitura de Aimorés para estabelecimento das estratégias de trabalho.

Atividades de mobilização:

Dia 15-02 (quarta-feira) –14h, reunião intersetorial para sensibilização e mobilização das lideranças do município.

Dia 16-02 (quinta-feira) – 7h30 – panfletagem educativa nos postos de gasolina do município;

9h30, panfletagem na Praça do Relógio;

14h30, reunião com Instituições Estratégicas;

19h, reunião na Comunidade Conceição do Capim.

Dia 17-02 (sexta-feira) – 8h – reunião com a Associação Comercial, Industrial, Agropecuária e de Serviços de Aimorés e com a Câmara de Dirigentes  Lojistas (CDL) e participação do Café Empresarial  promovido pela Instituição.

Situação em Aimorés

O município de Aimorés está incluído na lista das 30 cidades mineiras que apresentaram o último LirAa (Levantamento Rápido de Índices de Infestação) com índice parcial elevado de infestação (4,6%) e, por consequência, com alto risco de epidemia. Segundo dados do SINAN desde janeiro deste ano, a cidade contabiliza 194 casos notificados de dengue.

Fonte: Agência Minas

Governo de Minas: Secretaria de Saúde divulga o primeiro levantamento de infestação para o Aedes aegypti de 2012

Pesquisa indica que o lixo doméstico, bebedouros de animais e pratinhos de plantas são os focos mais comuns de dengue no Estado
Divulgação/SES
Setenta e quatro municípios já realizaram o levantamento em 2012
Setenta e quatro municípios já realizaram o levantamento em 2012

Dados da Secretaria de Estado de Saúde (SES) apontam que dos 74 municípios que realizaram o Levantamento Rápido de Índices de Infestação para Aedes aegypti (LirAa), em 2012, 30 apresentaram alto índice de infestação (acima de 3,9%); 42 apresentaram médio risco (LirAa entre 1,0% e 3,9%) e duas cidades (Conselheiro Lafaiete, com 0,7% e Poços de Caldas, com 0,1%) tiveram baixo risco. Até o momento, foram notificados, em 2012, 4.491 casos de dengue em Minas Gerais.

De acordo com o subsecretário de Vigilância em Saúde, Carlos Alberto Gomes, comparando os dados de janeiro de 2012 com o mesmo período de 2011, observa-se que dois terços dessas cidades mantiveram os mesmos índices ou abaixaram, porém as demais pioraram. “Quando se faz o LirAa, são identificados quais são os focos mais comuns de infestação pelo Aedes aegypti. Neste LirAa de janeiro de 2012, por exemplo, pudemos constatar que os focos mais comuns foram o lixo (doméstico, principalmente), bebedouros de animais (lata d’água de cães e gatos) e os pratinhos para plantas”, detalhou Carlos Alberto.

O LirAa é uma pesquisa de verificação domiciliar por amostragem que revela o índice de infestação da larva do mosquito. Ele ajuda os municípios a acompanharem de forma rápida e atualizada a situação da infestação, além de ser um instrumento que auxilia na rápida tomada de decisões dos gestores para o controle da doença e demonstra como os municípios estão distribuídos em todas as regiões do Estado, o que espelha o aumento da infestação.

“O levantamento funciona como um alerta para os municípios e aponta para um potencial de epidemia, se nada for feito para impedir. A primeira providência dos municípios, e dos estados, com base nesses números, é intensificar as ações de controle nos pontos críticos, utilizando os indicadores como referência, principalmente, os depósitos predominantes. Também é fundamental a mobilização da sociedade civil, pois 85% dos focos de dengue estão dentro da casa das pessoas”, afirma a referência técnica em dengue da SES, Geane Andrade.

Minas Gerais conta com a Força-Tarefa de combate a dengue. Ela já atuou em vários municípios do Estado reforçando as ações de combate à dengue e mobilizando a população sobre a necessidade de evitar a doença. Aimorés, no Leste de Minas, é uma das cidades que recebe a equipe da força tarefa a partir desta semana.

Reunião com 30 municípios

No dia 1º de fevereiro, o secretário de Estado de Saúde, Antônio Jorge de Souza Marques, recebeu secretários municipais de saúde de 30 municípios mineiros com o objetivo de reforçar o combate ao vetor e impedir o avanço da doença, que causou 23 mortes no Estado em 2011.

Entre as ações efetivas para a solução do problema, Antônio Jorge anunciou a liberação de R$ 1 milhão, recurso do Sistema Estadual de Transporte em Saúde (Sets), para a compra de 30 veículos do tipo picape, que irão auxiliar no transporte dos agentes e insumos, considerado pelos secretários municipais como um dos grandes gargalos na promoção das ações.

Além disso, vem sendo feito o treinamento de 50 médicos que irão, por meio das regionais de saúde, aprimorar e capacitar a ação de profissionais locais para um eficaz diagnóstico da doença, uma vez que muitos dos casos que evoluem para óbito estão diretamente ligados ao manejo clínico.

Outro anúncio feito pelo secretário foi que, neste ano, os municípios não serão mais responsáveis pela hospedagem e alimentação dos agentes da Força-Tarefa, transferindo a responsabilidade para a SES.

Os municípios convocados foram: Pocrane, São José da Safira, Marilac, Recreio, Glaucilândia, Central de Minas, Mathias Lobato, Naque, Aimorés, Araguari, Bocaiúva, Bom Despacho, Campo Belo, Curvelo, Dores do Indaiá, Ipatinga, Itabira, Itaúna, Ituiutaba, Januária, Montes Claros, Nova Serrana, Pará de Minas, Pirapora, Pompéu, Teófilo Otoni, Timóteo, Ubá, Unaí e Várzea da Palma.

Clique aqui para ver os índices do LirAa de janeiro/2012 (arquivo Word).

Fonte: Agência Minas

Gestão Anastasia: peças de tricô e crochê produzidas por detentos em Minas Gerais ganham o mundo

Cantora Daniela Mercury se apresenta no Carnaval de Salvador com um dos modelos
Divulgação
As peças são vendidas no showroom em São Paulo, feiras em Paris e Tóquio e 70 lojas pelo Brasil
As peças são vendidas no showroom em São Paulo, feiras em Paris e Tóquio e 70 lojas pelo Brasil

O cenário é inusitado. Agulhas em punho, novelo de lã ao lado e tem início uma produção de peças de tricô e crochê atípica: os artesãos, além de serem todos homens, são detentos da Penitenciária Professor Ariosvaldo Campos Pires, localizada em Juiz de Fora, Zona da Mata mineira. O trabalho dá tão certo, que as peças já ganharam o mundo e são vendidas no showroom em São Paulo, feiras em Paris e Tóquio e 70 lojas multimarcas no Brasil. Além disso, a cantora Daniela Mercury vai usar uma peça no Carnaval de Salvador e, recentemente, a apresentadora da TV Globo, Angélica, apareceu em um programa com um dos modelos.

Os detentos, normalmente 12, se dedicam oito horas por dia à produção. Em alguns períodos, o número de artesãos pode chegar a 35. A marca, Doisélles, foi criada pela empresária mineira Raquell Guimarães, que teve a ideia de buscar mão de obra na prisão, já que não conseguia no mercado. “Normalmente, quem realiza esse tipo de trabalho são pessoas mais idosas, senhoras, que não conseguiam se dedicar como precisávamos. Então pensei nessa parceria, mas imaginei mulheres. Quem sugeriu que fossem os homens foi a diretora do presídio”, conta a empresária.

Ândria Valéria Andries Pinto é quem comanda a penitenciária e apostou nos detentos. “Falei com ela que em dez dias a gente ia conseguir provar que eram capazes. E deu tão certo que eles até já criaram um modelo”, revela. Os detentos realizam o trabalho desde 2009, quando foram capacitados e aprenderam o ofício. Célio Tavares de Souza foi um deles. Hoje no regime semi-aberto, ele foi contratado pela Doisélles. Trabalha na sede da empresa como auxiliar de produção e acredita que a oportunidade dada dentro da penitenciária foi fundamental. “Levantou minha auto-estima saber que a gente pode ser capaz de se reintegrar à sociedade. Essa é uma oportunidade muito importante para os recuperandos da unidade”, afirma.

Este também foi um dos motivos que levou a proprietária da marca a trabalhar com os detentos. “Eu acredito que o trabalho é o caminho para a ressocialização”, destaca Raquell Guimarães. Ela também cita como benefícios da parceria o controle da produção. “Queria organizar um grupo, ensinar, treinar. Isso ajuda muito no controle de qualidade da produção”, relata.

Profissão

Adenilson da Silva de Jesus participa do trabalho desde o início, em 2009. Ele calcula já ter produzido cerca de 300 peças. “É uma profissão. É bom saber que a gente que fez e é bom fazer uma coisa diferente”, diz.

Rafael Nogueira, ao contrário de Adenilson, está há poucos meses no ofício, mas também já aprendeu a tricotar e crochetar e surpreendeu a família. “Eles ficaram felizes. Meu pai, principalmente, ficou muito surpreso. Pode ser que eu trabalhe com isso lá fora. A gente aprende bastante aqui e, com certeza, pode ajudar a recuperar uma pessoa”, destaca.

A Doisélles realiza o pagamento por peça de roupa produzida. O ‘salário’ é depositado na conta dos detentos que, em dois anos de trabalho, já acumulam uma produção de mais de 10 mil peças. Além disso, a cada três dias trabalhados, eles ganham a redução de um dia na pena.

Daniela Mercury

A cantora baiana Daniela Mercury vai usar no Carnaval em Salvador, na Bahia, um modelo produzido pelos detentos. Ela é embaixadora da Unicef e procurou o projeto após ficar sabendo do trabalho. Segundo a diretora-geral da penitenciária, Ândria Valéria Andries, “uma empresária da Daniela veio aqui e buscou uma roupa para ela ver. A cantora gostou muito e abraçou a causa”.

Para o secretário de Estado de Defesa Social, Lafayette Andrada, oportunidades como essa reforçam o compromisso do Estado com a ressocialização dos presos. “O trabalho e o estudo são pilares importantes na busca por reinserir os detentos na sociedade, por isso o Governo de Minas tem investido bastante nessa área. Interessante destacar que, ao contrário do que algumas pessoas pensam, os presos podem fazer trabalhos bastante qualificados, como este que vem sendo desenvolvido em Juiz de Fora”, ressalta.

Trabalho

Além dos 12 presos que confeccionam as roupas, outros 370 detentos da Penitenciária Ariosvaldo Campos Pires também trabalham enquanto cumprem pena. O número representa cerca de 80% dos presos da unidade empregados em alguma atividade.

Números no Estado

Minas Gerais é o Estado do país que tem, proporcionalmente, o maior número de presos trabalhando. Hoje, mais de 11 mil detentos realizam atividades profissionais enquanto cumprem pena. As atividades são variadas e vão desde a produção artesanal até a construção civil.

Há unidades em que os presos fabricam bolas, sacolas ecológicas, equipamentos eletrônicos e uniformes, além daquelas em que há padarias, açougue e, até mesmo, uma fábrica de gessos. Pelo trabalho, os presos recebem remição de pena – a cada três dias trabalhados, um a menos no cumprimento da sentença – e, em muitos casos, remuneração (normalmente, ¾ do salário mínimo). O principal retorno, no entanto, não pode ser contabilizado: é a oportunidade de começar uma vida nova, ainda dentro dos presídios e penitenciárias.

Fonte: Agência Minas

Governo de Minas: municípios do Vale do Rio Doce recebem Caravana Solidária BDMG

Reuniões serão em Governador Valadares, Conselheiro Pena, Aimorés e Resplendor

Divulgação/BDMG
Desde o mês passado, equipes do BDMG têm percorrido municípios atingidos pelas chuvas
Desde o mês passado, equipes do BDMG têm percorrido municípios atingidos pelas chuvas

A Caravana Solidária do Banco de Desenvolvimento do Estado de Minas Gerais (BDMG) visita, nesta semana, entre os dias 8 e9, as cidades de Governador Valadares, Conselheiro Pena, Resplendor e Aimorés, na região do Rio Doce. O objetivo é divulgar entre empresários, cooperativas e produtores rurais o BDMG Campo Solidário, linha destinada aos produtores rurais que tiveram prejuízos com as chuvas, e o Programa Emergencial de Socorro a Empresas e Cooperativas com Empreendimentos Afetados por Chuvas Intensas (Fundese Solidário VI).

O Fundese Solidário VI – que tem este nome porque está na sexta edição – é destinado a empresas e cooperativas que estão localizadas nos municípios declarados em situação de emergência e que sofreram danos em decorrência das chuvas.  Além dos documentos de praxe, os interessados devem agregar ao processo um laudo da Defesa Civil, estadual ou municipal, comprovando o prejuízo causado. O financiamento tem carência de até seis meses para o início do pagamento, que pode ser feito em até três anos, com juros de 6% ao ano. Podem ser financiados de R$ 5 mil a R$ 100 mil por empresa, com valor limitado a 20% do faturamento anual.

Os recursos poderão ser usados em investimentos fixos como realização de obras físicas, reparos de ativos danificados e também para recomposição de capital de giro, para cobrir gastos com a folha de pagamento, fornecedores, impostos, taxas, aquisição de insumos, mercadorias para revenda e material de consumo. Os pedidos de financiamento devem ser encaminhados ao BDMG até o dia 31 de maio de 2012 e a documentação solicitada até 30 de junho.

BDMG Campo Solidário

Este ano, o BDMG oferece também, pela primeira vez, uma linha de financiamento para socorrer os produtores rurais que tiveram prejuízos com as chuvas. O BDMG Campo Solidário financia até R$ 15 mil por produtor, com prazo de pagamento de 36 meses, incluindo seis meses de carência, e juros anuais de 6,75%. Os financiamentos serão feitos por intermédio das cooperativas do Sistema Sicoob. Detalhes sobre as linhas de financiamento estão disponíveis na página do Banco na internet: http://www.bdmg.mg.gov.br.

Caravana Solidária do BDMG na região do Rio Doce:

Data: 08/02

Local: Governador Valadares

Endereço: Auditório da FIEMG, Av. Brasil 4000, Centro

Horário: 9h

Data: 08/02

Local: Conselheiro Pena

Endereço: Salão Social da Associação Comercial, Av. Getúlio Vargas, 1404, Centro

Horário: 17h

Data: 09/02

Local: Resplendor

Endereço: Salão Paroquial, Rua Moraes de Carvalho, 456, Centro

Horário: 9h30

Fonte: Agência Minas

Gestão Anastasia: saúde reúne 30 municípios mineiros para aprimorar o combate à dengue

Entre as ações efetivas anunciadas está a liberação de R$ 1 milhão para a compra de 30 veículos que irão auxiliar no transporte dos agentes e insumos.
Vivian Campos/SES-MG
Secretário de Saúde, Antônio Jorge Souza Marques, anuncia medidas para impedir o avanço da dengue em 30 municípios
Secretário de Saúde, Antônio Jorge Souza Marques, anuncia medidas para impedir o avanço da dengue em 30 municípios

Secretários municipais de saúde de 30 municípios mineiros em situação crítica de infestação do mosquito Aedes aegipty se reuniram, nesta quarta-feira (1), com o secretário de Estado de Saúde, Antônio Jorge Souza Marques, com o objetivo de reforçar o combate ao vetor e impedir o avanço da doença, que causou 23 mortes no Estado em 2011. A média de infestação por dengue (LirAa) nessas cidades chega a 4,6%, e a Organização Mundial de Saúde (OMS) e o Ministério da Saúde consideram 1% como Alto Risco de Transmissão de Dengue.

De acordo com o secretário Antônio Jorge, o Estado apresenta uma situação climática totalmente favorável ao mosquito, mas isso não pode ser usado como justificativa para 100% do problema, mesmo que o volume de água trazido pelas chuvas tenha representado, em algumas cidades, o maior volume de água dos últimos 100 anos. “Tivemos um enorme êxito em 2011, se compararmos com 2010, em que houve uma redução de mais de 80% dos casos notificados. Porém, é fundamental que os gestores municipais tenham uma atenção especial e redobrem a atenção em 2012”. Ele ressaltou, ainda, a introdução do sorotipo 4 do mosquito, que aumenta e fragiliza a cadeia de contaminação.

Entre as ações efetivas para a solução do problema, Antônio Jorge anunciou a liberação de R$ 1 milhão, recurso do Sistema Estadual de Transporte em Saúde (Sets), para a compra de aproximadamente 30 veículos do tipo picape, que irão auxiliar no transporte dos agentes e insumos, considerado pelos secretários municipais, como um dos grandes gargalos na promoção das ações.

Além disso, vem sendo feito o treinamento de 50 médicos que irão, por meio das regionais de saúde, otimizar e capacitar a ação de profissionais locais para um eficaz diagnóstico da doença, uma vez que muitos dos casos que evoluem para óbito estão diretamente ligados ao manejo clínico.

Outro anúncio feito pelo secretário é que, neste ano, os municípios não serão mais responsáveis pela hospedagem e alimentação dos agentes da força-tarefa, transferindo a responsabilidade para a SES.

Notificações

Este ano, dos 2.459 casos de dengue notificados nas 853 cidades mineiras, 30% estão nos municípios convocados, o que representa 328 casos e 10% da população do Estado. “Estamos atentos a qualquer necessidade e pedimos que esses municípios redobrem a atenção para a dengue. Queremos entender os problemas e resolver as questões pontuais”, disse Antônio Jorge.

Outra proposta foi a criação de uma feira, ainda no primeiro semestre, em que os gestores de saúde terão a oportunidade de apresentar e trocar experiências exitosas das ações de dengue. “Parte do resultado negativo nesta guerra contra o mosquito está ligada às políticas de gestão, que muitas vezes podem ser mal aplicadas ou formatadas. Sendo assim, devemos pensar em estratégicas, ações diferentes para provocar melhores resultados, pois a dengue já é uma agenda no Estado há 15 anos e com resultados de melhora distintos”, explicou o secretário.

Os municípios convocados foram: Pocrane, São José da Safira, Marilac, Recreio, Glaucilândia, Central de Minas, Mathias Lobato, Naque, Aimorés, Araguari, Bocaiúva, Bom Despacho, Campo Belo, Curvelo, Dores do Indaiá, Ipatinga, Itabira, Itaúna, Ituiutaba, Januária, Montes Claros, Nova Serrana, Pará de Minas, Pirapora, Pompéu, Teófilo Otoni, Timóteo, Ubá, Unaí e Várzea da Palma.

Fonte: Agência Minas