Gestão Anastasia: Governo de Minas e parceiros mostram sequenciamento do zebu leiteiro

O projeto, inédito no mundo, significa informações expressivas para o melhoramento genético dos rebanhos

Divulgação/Sectes MG
Criadores  e pesquisadores assistem à apresenção do sequenciamento do genoma do zebu leiteiro
Criadores e pesquisadores assistem à apresenção do sequenciamento do genoma do zebu leiteiro

Apesar da forte tradição, Minas Gerais sabe que pode avançar ainda mais em muitas áreas ao agregar conhecimento e tecnologia aos produtos. Na genética bovina, sob a liderança do Polo de Excelência da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sectes), foi apresentado, nesta sexta-feira (4), durante a 78ª Expozebu, em Uberaba, Triângulo Mineiro, o sequenciamento do genoma do zebu leiteiro. O projeto, inédito no mundo, significa informações expressivas para o melhoramento genético dos rebanhos.

O Governo de Minas investiu R$ 1,3 milhão desde 2009 no projeto, por meio da Sectes e da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig). A parceria na execução do projeto contou com uma rede de pesquisadores da Embrapa Gado de Leite, Centro de Bioinformática (Cebio/Fiocruz Minas), Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig), Associação Brasileira dos Criadores de Zebu (ABCZ), Associação dos Criadores da Raça Guzerá (ABCG) e Associação de Criadores da Raça Gir (ABCGIL).

O estudo foi apresentado pelos pesquisadores Marcos Vinicius Barbosa (Embrapa Gado de Leite) e Guilherme Oliveira (Fiocruz Minas). Eles expuseram a utilidade do sequenciamento para a pecuária leiteira nacional, visando a uma maior eficiência do setor. Guilherme Oliveira ressaltou que o trabalho não se encerra com uma versão apenas, e lembrou que o genoma humano já se encontra na versão de número 37. Explicou também que todo o processamento de bilhões de informações está sendo possível, por meio da infraestrutura construída na Fiocruz Minas (Cebio), com boa parte dos recursos do governo mineiro.

A gerente executiva do Polo de Genética, Beatriz Cordenonsi, disse que a obtenção do genoma do zebu leiteiro representa um marco na história da pecuária brasileira, pois vai permitir, num futuro próximo, a identificação de genes de relevância econômica para incrementar os sistemas de produção nacional. O chefe geral da Embrapa Gado de Leite, Duarte Vilela, e o diretor de Relações Internacionais da ABCZ, Rafael Cunha Mendes, expuseram a parceria no projeto e reconheceram a importância dele para o Brasil ganhar mais competitividade e qualidade no seu rebanho.

Representando o secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Narcio Rodrigues, a superintendente de Ciência, Tecnologia e Inovação Ambiental, Déa Fonseca, homenageou pesquisadores integrantes da rede que estavam presentes no evento. Ela falou sobre a importância do Governo de Minas apoiar a ciência para entregar os produtos à sociedade, mas não se esqueceu de valorizar as parcerias com instituições e entidades para grandes conquistas como a do sequenciamento genético do zebu leiteiro.

Lançamento do livro

Também foi lançado pelo Polo de Excelência em Genética Bovina da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, o livro “Genética Bovina Brasileira: Mercado Internacional e Mapeamento das Competências e Tecnologias Mineiras”. A publicação estará disponível para os interessados na sede do Polo em Uberaba. Posteriormente também estará em formato eletrônico na internet.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/governo-de-minas-e-parceiros-mostram-sequenciamento-do-zebu-leiteiro/

Governo de Minas: Anastasia participa da abertura da Expozebu, maior feira de agronegócio do mundo

Governador defendeu o desenvolvimento constante da tecnologia no agronegócio em Minas para melhoria da economia do Estado e da qualidade de vida das pessoas

Na abertura do evento, Anastasia destacou a importância da feira para Minas Gerais e para o Brasil

O governador Antonio Anastasia participou, nesta quinta-feira (03), em Uberaba, no Triângulo Mineiro, da abertura oficial da Exposição Internacional das Raças Zebuínas, ExpoZebu 2012, uma das maiores feiras de genética, tecnologia e negócios do mundo, promovida anualmente pela Associação Brasileira dos Criadores de Zebu (ABCZ). A ExpoZebu reúne as cadeias produtivas da carne e do leite do Brasil, além de empresas de diversos segmentos, especialmente as vinculadas ao agronegócio.

Anastasia destacou a importância da feira para Minas Gerais e para o Brasil. “A cada ano, no dia 3 de maio, nesse solo sagrado de Uberaba nos reunimos para uma cerimônia que é emocionante e que, fundamentalmente, representa a realização e a consagração de um dos ramos mais prósperos do nosso agronegócio. Desde a década de 1930, quando o presidente Getúlio Vargas, aqui, lançou as raízes e as sementes de um projeto, esse segmento se expandiu muito. Hoje temos a consagração, uma exposição com diversas e inúmeras raças do nosso gado para demonstrar de modo cabal a Minas, ao Brasil e ao mundo, a capacidade de realização de investimentos fundamentais não só para a alimentação, mas para a preservação da vida e o desenvolvimento da raça humana”, afirmou.

Esta é a 78ª edição da feira, cujo tema é o “Zebu: o futuro em boas mãos”. A sustentabilidade, com ênfase nas questões referentes ao setor pecuário, está entre os assuntos abordados. A temática envolve reflexões sobre a pecuária sustentável, especialmente motivada pela realização da Rio +20, conferência internacional sobre desenvolvimento sustentável, que ocorrerá no mês que vem no Brasil.

A expectativa é que a feira mantenha os bons números alcançados na edição de 2011, quando foram movimentados cerca de R$ 100 milhões. Em 2012, a ExpoZebu deverá reunir aproximadamente 3.000 bovinos e um público próximo de 300 mil pessoas, incluindo visitantes de mais de 20 países.

“Quando o campo produz bem, quando ele tem o reconhecimento da sociedade, observamos um circulo virtuoso da economia em todos os segmentos, porque aí as cidades menores e médias tem uma produção econômica importante a alimentar toda uma cadeia produtiva que inclui o comércio e a indústria”, lembrou Anastasia, destacando a importância do desenvolvimento do setor.

Certificação

Além do segmento de carnes, Minas Gerais agora terá leite, pescado e ovos reconhecidas dentro do Sistema Unificado de Atenção à Sanidade Agropecuária (Suasa), do Ministério da Agricultura. Por meio de portaria, assinada durante o evento pelo ministro Mendes Ribeiro, o Instituto Mineiro de Agropecuário (IMA) está sendo integrado ao Sistema Brasileiro de Inspeção de Produtos de Origem Animal (Sisbi-Poa), do Suasa. A equivalência foi concedida pelo Ministério após uma auditoria na sede da Gerência de Inspeção de Produtos do IMA, na coordenadoria regional de Curvelo e em sete estabelecimentos.

“Neste ano de 2012, estamos chegando em um patamar tecnológico que nos permite muito mais conforto e tranquilidade. Essa portaria é o reconhecimento não só dos nossos avanços tecnológicos, mas também demonstra a capacidade e a eficiência desse setor em Minas. A inclusão desses dados vai facilitar em muito a vida dos produtores rurais e a expansão do setor em nosso Estado”, afirmou o governador.

Com a adesão ao sistema, os municípios do Estado podem qualificar indústrias locais que poderão comercializar sua produção para todo o país. Os fabricantes de produtos de origem animal receberão um selo que identifica os estabelecimentos, ou indústrias de alimentos, incluídos no Sisbi-Poa. A medida beneficia especialmente os pequenos agricultores.

O ingresso no Suasa é voluntário e pode ser solicitado nas Superintendências Federais de Agricultura (SFAs). Para obter a equivalência, é necessário comprovar a aptidão para certificar a qualidade e a inocuidade dos produtos de origem animal com a mesma eficiência do Ministério da Agricultura. Atualmente, quatro estados (Bahia, Minas Gerais, Paraná e Rio Grande do Sul), sete serviços municipais, entre eles o de Uberlândia, e um consórcio de municípios (Consad – São Miguel do Oeste-SC) já aderiram ao Sistema.

Genoma Zebuínos

Anastasia anunciou, também, a conclusão do estudo de sequenciamento do Genoma de Zebuínos Leiteiros – raça Gir e Guzerá. Financiado pelo Governo de Minas, por meio da Fapemig, que investiu cerca de R$1,3 milhão, o projeto vai gerar e processar informações para estudos do genoma zebuíno leiteiro, incorporando-as aos programas de melhoramento genético. O projeto é o primeiro esforço significativo, no Brasil e no mundo, para geração e análise de sequências do genoma desses animais com tecnologias de última geração.

“A conclusão de parte desse belíssimo projeto, com o sequenciamento genético, vai identificar de forma mais precisa essas matrizes, permitindo um aperfeiçoamento genético e desenvolvendo cada vez mais as raças do gado. A tecnologia está a nosso dispor e ela nos permite avançar”, afirmou Anastasia

A obtenção do Genoma do Zebu Leiteiro será um marco na história da pecuária brasileira, porque permitirá, num futuro próximo, identificar genes de relevância econômica nos animais para incrementar os sistemas de produção de leite nacional. Oitenta por cento do rebanho brasileiro advém de genética zebuína ou de seus mestiços, enquanto 70% do leite do país vêm de rebanhos com diferentes graus de sangue zebu em sua composição.

Minas e o agronegócio

O Governo de Minas tem implantadas diversas ações para melhorar e qualificar cada vez mais a produção do agronegócio no Estado. Minas Gerais abriga o segundo maior rebanho bovino do país, com 23,8 milhões de cabeças, sendo também o maior produtor de leite do país, com 8,4 bilhões de litros/ano.

Em 2011, o produto interno bruto do agronegócio mineiro foi de R$ 118 bilhões. Os primeiros estudos apontam para expansão neste ano, sendo que, segundo o Cepea/USP, em janeiro foi registrado crescimento de 0,2%. O levantamento do Cepea/USP leva em consideração quatro grupos: atividades primárias (dentro da porteira), agroindústria, insumos e distribuição.

O Valor Bruto da Produção (VBP) Agrícola de Minas Gerais, que é a soma dos valores das 20 principais culturas do Estado, deve alcançar neste ano R$ 24,5 bilhões, ou seja, 10,4% superior ao de 2011. Já a produção de grãos na safra 2012 deverá ser recorde. O volume esperado é de 11,9 milhões de toneladas, 11,4% superior ao da safra de 2011. As principais culturas irão registrar crescimento: milho, soja, feijão. Para a produção nacional a expectativa é de queda de 2,2%.

A produção de cana-de-açúcar deve alcançar 54,4 milhões de toneladas, volume 9,1% superior ao registrado na safra passada. Minas Gerais é o segundo maior produtor de cana do país. A expectativa é de que a produção de café fique entre 35,5 milhões e 27,1 milhões de sacas (60 quilos). Minas é o maior produtor do país.

“Os números são bons, bem melhores que a média brasileira. Mas isso não pode nos fazer descansar em louros de vitória. Ao contrário, só pode nos aguçar mais a inspiração, a ousadia, o empreendedorismo e ampliar os esforços para susperarmos as dificuldades e conseguirmos resultados positivos em favor dos cidadãos de Minas e do Brasil, por meio de uma agropecuária moderna, avançada e inclusiva”, concluiu Anastasia.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/anastasia-participa-da-abertura-da-expozebu-maior-feira-de-agronegocio-do-mundo/