Saúde: PSDB lidera movimento em Minas.

Campanha cobra que governo federal cumpra a Emenda 29 e aplique 10% da sua receita na área da Saúde.

Saúde: falta de investimento

Fonte: Minas Transparente

Campanha Assine + Saúde terá dia “D” para coleta de assinaturas

Meta é fazer o Governo Federal do PT aplicar 10% na saúde

Saúde – Diante da falta de compromisso e investimentos efetivos do governo federal do PT na saúde pública, o movimento “Assine + Saúde”, lançando em abril pela Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), vai ganhando mais força dentro e fora do Estado. A campanha já conta com grande adesão, os organizadores e parceiros da iniciativa se reuniram no Salão Nobre da ALMG para fechar o balanço do primeiro semestre e traçar as diretrizes dos próximos meses.

Somente com o trabalho da Caravana da Saúde, os postos móveis de coletas e a mobilização dos parlamentares, lideranças da sociedade civil e de entidades, já foram coletadas quase 300 mil assinaturas em pouco mais de três meses de campanha. “Há muitas cidades e entidades que estão contribuindo com muito êxito para o movimento. Há com eles um número muito expressivo de assinaturas que ainda não foram contabilizados”, explicou o deputado Carlos Mosconi (PSDB-MG).

O objetivo da campanha é coletar 1,5 milhão de assinaturas para fazer o governo federal cumpra a Emenda 29 e aplique 10% da sua receita na área da Saúde. Ao sancionar a Emenda, em janeiro deste ano, a presidente Dilma vetou partes do texto que estabeleciam o repasse fixo da Receita Federal para a saúde, jogando para os estados e municípios a responsabilidade de financiar a área. Contra essa atitude do governo, a campanha Assine + Saúde está montando um abaixo assinado em prol de um projeto de lei de inciativa popular que vai ser apresentado ao Congresso Nacional.

O comportamento do governo federal em relação à Emenda 29 foi, na avaliação da deputada Liza Prado (PSB), um grande decepção. “A Emenda 29 era a nossa esperança. O governo federal não pode continuar com o bolo todo (das arrecadações) e deixar a sociedade de pires na mão”, criticou.

Sobre o andamento da campanha, o deputado Mosconi afirmou estar muito otimista. “O momento é muito propício e existe uma adesão muito grande da opinião pública porque esta campanha é a maneira que nós temos de melhora a saúde pública no país”, afirmou. Para ele, o movimento se faz necessário uma vez que “a saúde no Brasil vive um momento de penúria e não há nada sendo feito em Brasília que indique qualquer melhora nesta situação”.

DIA D

O próximo dia 10/08 será o dia “D” da Saúde em Minas. Nesta data, todo o Estado se mobilizará para ampliar a coleta de assinaturas da campanha que quer fazer virar lei a aplicação do percentual fixo de 10% da receita do Governo Federal na área da Saúde. O dia 10 foi escolhido justamente para fazer alusão ao percentual que o governo se nega a investir.

De acordo com o superintendente da Associação Mineira de Municípios (AMM), Gustavo Persiccin, a meta da entidade é fazer com que cada município mineiro recolha no dia D o mínimo de mil assinaturas. “Se cada município se mobilizar, teremos ao final do dia 853 mil assinaturas. Como sabemos para muitos municípios a meta pode não ser facilmente alcançada, estamos trabalhando com uma quebra e, mesmo que esta quebra seja de 90%, ainda assim teríamos mais de 100 mil assinaturas, o que é muito bom para um único dia”.

Saúde: falta de investimento – Link da matéria: http://www.transparenciaeresultado.com.br/noticias/campanha-assine-saude-tera-dia-%E2%80%9Cd%E2%80%9D-para-coleta-de-assinaturas-meta-e-fazer-o-governo-federal-do-pt-aplicar-10-na-saude/

Governo de Minas: Secretaria de Saúde repassa mais de R$ 1 milhão para Sete Lagoas

A nova unidade terá a capacidade de atender mais 450 pacientes por dia

A Secretária de Estado de Saúde (SES) repassou nesta quarta-feira (25) para a Prefeitura de Sete Lagoas, na região central do estado, R$ 1.171.315,880 em recursos, que serão destinados para a aquisição de equipamentos e outros materiais permanentes e de consumo para a implantação da Unidade de Pronto Atendimento (UPA), Porte III.

“Considerando a importância para o atendimento aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) da região central, a SES por meio desse convênio auxiliou a prefeitura com essa transferência. A intenção é contribuir de forma significativa para o fortalecimento da Saúde da população”, afirmou o secretário de Estado de Saúde, Antônio Jorge de Souza Marques.

A UPA que contará com um número mínimo de seis médicos por plantão terá capacidade para atender 450 pacientes por dia. A Unidade será equipada com leitos de observação, sala de classificação de risco, salas de exames, sala de urgência e beneficiará  cerca de 200 mil pessoas.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/secretaria-de-saude-repassa-mais-de-r-1-milhao-para-sete-lagoas/

Gestão da Saúde: vacinação contra a Influenza começa dia 5 de maio em todo o Estado

A meta é imunizar 80% do público alvo, o que representa 2.522.623 milhões de mineiros

André Btant/SES-MG
A meta é, durante as três semanas da campanha, imunizar 80% do público alvo
A meta é, durante as três semanas da campanha, imunizar 80% do público alvo

Começa no dia 5 de maio e se estende até o dia 25 a campanha de vacinação contra a Influenza. Trata-se de uma vacina trivalente, que protege contra três vírus diferentes, incluindo gripe sazonal e Influenza A H1N1.

Em todo o Estado, serão imunizados idosos, gestantes, crianças com idade entre seis meses e dois anos, trabalhadores da área de saúde e indígenas que vivem em aldeias. Este ano, ainda irá receber a vacina, a população carcerária. A meta é, durante as três semanas da campanha, imunizar 80% do público alvo, o que representa 2.522.623 milhões de mineiros.

“Nosso objetivo é proteger a parcela da população que corre mais risco de ter a doença na forma mais grave. Com isso, vamos evitar as internações e, principalmente, a mortalidade em virtude da doença. A meta é vacinar pelo menos até 80% da população alvo”, afirma a coordenadora Estadual de Imunização da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG), Tânia Brant.

Com o slogan “Proteger é Cuidar”, a campanha envolverá cerca de 13 mil profissionais de saúde em Minas Gerais. Haverá ainda 5.500 postos fixos e volantes, além de 1.525 veículos. Foram investidos R$ 2.696.972,91, sendo R$ 804.960,51 provenientes do tesouro estadual. Outros R$ 1.891.967,40 serão repassados aos Fundos Municipais de Saúde para operacionalização da campanha.

A vacina contra a influenza é composta por diferentes cepas do vírus Myxovirus influenza e inativados, fragmentados e purificados. A composição e concentração das substâncias que compõem a vacina são atualizadas a cada ano, levando em consideração os dados epidemiológicos e as recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS).

A vacina é contra indicada para pessoas que têm alergia grave a ovo de galinha e a seus derivados, bem como para aquelas que apresentaram reações anafiláticas graves a doses anteriores. “A contraindicação é válida somente nos casos de alergia grave. Ou seja, são aquelas pessoas que não podem comer sequer alimentos feitos que levem ovo”, explica Tânia.

Além disso, pessoas que estiverem com doenças agudas febris moderadas ou graves devem adiar a vacinação até o desaparecimento dos sintomas.

Doença

Os sintomas da Influenza Sazonal e da H1N1 costumam ser parecidos, sendo  que as duas são caracterizadas por febre repentina, tosse, dor de cabeça, dores musculares e nas articulações e coriza (nariz escorrendo). Elas, no entanto, são causadas por diferentes subtipos do vírus Influenza.

A Influenza ou Gripe A (H1N1) é uma doença respiratória aguda, altamente contagiosa de pessoa para pessoa, causada por um novo subtipo do vírus Influenza, que teve origem na recombinação genética do vírus de origem suína, humana e provavelmente aviária.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/vacinacao-contra-a-influenza-comeca-dia-5-de-maio-em-todo-o-estado/

Gestão Anastasia: caravana Mães de Minas encerra atividades em Divinópolis

As oficinas levaram informações bem práticas ao dia a dia das mães e familiares

Willian Pacheco/SES-MG
As oficinas passaram informações essenciais que a mulher precisa saber durante a gravidez
As oficinas passaram informações essenciais que a mulher precisa saber durante a gravidez

A caravana Mães de Minas, da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG), encerrou suas atividades nessa segunda-feira (16), em Divinópolis, com mais 105 gestantes cadastradas no programa. As oficinas levaram informações bem práticas ao dia a dia das mães e familiares, com a participação das moradoras de Medeiros, Campo Belo, Santo Antônio do Monte, Carmo do Cajurú e Lagoa da Prata.

Informações essenciais que a mulher precisa saber neste momento especial da vida, como a posição adequada para a amamentação, o que é o colostro, horário e duração das mamadas, arroto, elementos presentes no leite materno, cuidados com o umbigo, ter atenção para cor das fezes, assaduras, cólicas, troca de fraldas e banho do bebê foram alguns dos temas abordados nas oficinas em formato de roda de conversa.

Além de participar das oficinas, gestantes, mães e familiares tiveram a oportunidade de gravar seus depoimentos no Stand Roda de Conversa, onde puderam expor suas expectativas e sentimentos com relação à maternidade. Os interessados puderam, também, tirar fotos na cabine disponibilizada no local do evento.

A superintendente adjunta da Regional de Saúde de Divinópolis, Kênia Carvalho, explica que a caravana faz parte do programa Mães de Minas e tem como principal objetivo a redução da mortalidade infantil e materna. “O programa deriva do Viva Vida e busca atender as gestantes tanto da rede pública quanto da privada. E a caravana veio para isto. Para orientar mães e familiares  durante a gestação”, explica.

Para a moradora de Divinópolis, Renata Cristina, grávida de quase nove meses, e participante da Oficina de Brinquedos, a caravana foi muito proveitosa. “Gostei muito, principalmente de tirar fotos na cabine. É uma recordação”, conta. A moradora de Campo Belo, Jéssica Amanda, grávida de seis meses, compartilha da mesma opinião. “Eu adorei. Foi ótimo. Eu participei da Oficina de Brinquedos, contei minha história e tirei fotos”, comenta.

Para a secretária de Saúde de Divinópolis, Rosenilce Cherrie Mourão, a caravana é um exemplo nítido de promoção à saúde. “O que está acontecendo em Divinópolis é promoção e valorização da saúde da gestante. São esclarecimentos de tudo aquilo que as mães e gestantes precisam saber”.

Caravana      

A caravana já passou por Ribeirão das Neves e Divinópolis, e ainda passará por Juiz de Fora, Varginha, Diamantina, Governador Valadares, Montes Claros, Teófilo Otoni, Patos de Minas, Uberaba e Uberlândia. Ela é formada por uma equipe de 15 pessoas, entre técnicos da área de saúde, lideranças comunitárias e profissionais com experiência em trabalhos voltados para a mulher.

A capacitação foi acompanhada pela SES e pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), instituição que também desenvolve ações em parceiras com o Governo de Minas no combate à mortalidade infantil e materna no Norte e Nordeste do Estado.

Serviço 155

Para ser acompanhada e garantir uma gravidez saudável, a gestante assistida pela rede pública e particular deve ligar para o call center 155 e se cadastrar no Sistema de Identificação da Gravidez. Já foram cadastradas, até o momento, 5.093 gestantes, de 377 municípios mineiros. Feito o cadastro, as mulheres passam a ter acompanhamento especializado.

A equipe de atendentes é formada por avós e mães treinadas para oferecer atendimento humanizado. Elas checam se a gestante foi à consulta agendada; ligam para saber sobre o parecer médico e resultado de exames, se foram diagnosticadas com gravidez de alto risco.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/caravana-maes-de-minas-encerra-atividades-em-divinopolis/

Governo de Minas: laboratórios da Funed mantêm acreditação de qualidade junto a organização nacional

Acreditação comprova a qualidade dos serviços prestados pela Funed no monitoramento de 33 enfermidades

Leo Drumond
Todos os meses são realizadas, em média, 25 mil análises, atingindo 300 mil exames ao ano
Todos os meses são realizadas, em média, 25 mil análises, atingindo 300 mil exames ao ano

Uma auditoria realizada nos laboratórios que realizam diagnóstico de doenças da Fundação Ezequiel Dias (Funed) garantiu a manutenção da acreditação junto à Organização Nacional de Acreditação (ONA). O termo “acreditação” significa a consolidação do papel de excelência das organizações e, neste caso, comprova a qualidade dos serviços prestados pela Funed no monitoramento de 33 enfermidades, a exemplo de dengue, febre amarela, meningite, tuberculose, Aids, leishmaniose, dentre outras. Todos os meses são realizadas, em média, 25 mil análises, atingindo 300 mil exames ao ano.

A ONA, entidade não governamental reconhecida pelo Ministério da Saúde (MS), avalia e certifica a qualidade de serviços de saúde, de forma voluntária e periódica, a partir de um manual próprio, que inclui critérios de biossegurança, relacionamento com clientes e fornecedores e capacitação de pessoal, por exemplo. O processo é voltado para a melhoria contínua. A Funed conquistou a primeira acreditação junto à ONA em 2009 e, no ano seguinte, numa nova auditoria, a Organização recomendou a renovação por mais três anos, ou seja, até 2013, da certificação dos Laboratórios da Funed.

Durante esse período, a Funed fica submetida a avaliações de manutenção da condição de acreditado, como a que ocorreu dessa vez. Além dos laboratórios, foram avaliadas áreas administrativas, a exemplo dos serviços de manutenção e dos setores responsáveis pelo processo de compras. Isso exigiu uma integração ainda maior entre as diretorias da Funed, que trabalham em equipe para alcançar os bons resultados. Após o processo de auditoria, a ONA recomendou novamente a manutenção da acreditação da Fundação Ezequiel Dias.

As instituições acreditadas pela ONA são reconhecidas por oferecer mais segurança para pacientes e profissionais, qualidade na assistência, capacitação contínua das equipes e gerenciamento eficaz. “Essa recomendação confirma nosso compromisso com a qualidade do serviço prestado e soma-se a outros esforços nesse mesmo sentido”, afirma o presidente da Funed, Augusto Monteiro Guimarães.

A Fundação Ezequiel Dias tem ensaios habilitados junto a outras organizações de qualidade como a Rede Brasileira de Laboratórios Analíticos em Saúde (Reblas), o Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro) e também possui processos certificados pela norma ISO 9001:2008. “A avaliação externa é uma forma de manter constante o desafio de melhorar, sempre, a qualidade dos serviços prestados à população”, afirma o presidente.

Um relatório conclusivo da auditoria será enviado pela equipe da ONA à Funed que terá o prazo de 15 dias para desenvolver o plano de ação para correção de pequenas não conformidades verificadas. “Enviaremos evidências de atuação aos auditores que verificarão, in loco, a eficácia das ações realizadas nas próximas auditorias”, explica o analista de saúde e tecnologia da Funed, Marcelo Pimenta.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/laboratorios-da-funed-mantem-acreditacao-de-qualidade-junto-a-organizacao-nacional/

Gestão Eficiente: Anastasia inaugura obras de infraestrutura e anuncia construção do Hospital Regional do Mucuri

Em visita a Teófilo Otoni, governador entregou prédio do Complexo de Urgência e Emergência, barragem, Estação de Tratamento de Esgoto e novo posto do Sine

Wellington Pedro/Imprensa MG
Antonio Anastasia apresenta maquete do Hospital Regional do Vale do Mucuri
Antonio Anastasia apresenta maquete do Hospital Regional do Vale do Mucuri

O Governador Antonio Anastasia anunciou, neste sábado (14), em visita a Teófilo Otoni, a construção do Hospital Regional do Vale do Mucuri. Com investimentos de R$ 100 milhões para a construção e compra de equipamentos, o hospital deve ser concluído em até três anos. A doação do terreno onde o hospital será construído, na Avenida Alfredo Sá, foi formalizada durante a visita do governador. O termo de compromisso foi assinado pelos empresários Luiz Fernando Rodrigues da Silva e Geraldo Hélbio de Miranda e pelo deputado Neilando Pimenta.

“Agradeço as famílias pela doação do terreno, que é de suma importância para a construção do novo Hospital Regional do Mucuri, reivindicação antiga da região. A obra vai ser realizada entre dois e três anos, com um custo de R$ 100 milhões”, disse o governador, durante entrevista coletiva.

Em Teófilo Otoni, Antonio Anastasia também inaugurou o Complexo de Urgência e Emergência da região, o posto do Sine/Diretoria Regional do Trabalho, a barragem Aécio Ferreira da Cunha e uma Estação de Tratamento de Esgoto (ETE). Neste conjunto de obras o Governo de Minas investiu R$ 100 milhões, gerando 420 empregos diretos e beneficiando 1,2 milhão de pessoas.

“Estamos resgatando compromissos históricos do passado com a população de Teófilo Otoni e do Mucuri e que agora se concretizam. Fico muito feliz em poder inaugurar essas obras aqui”, disse Anastasia.

Urgência e emergência

O Complexo de Urgência e Emergência marca a implantação da Rede Macrorregional de Atenção às Urgências e Emergências do Nordeste do Estado e do Vale do Jequitinhonha. Com sede em Teófilo Otoni, a Rede atenderá a população de 86 municípios, estimada em 1,2 milhão de pessoas.

Nas Redes de Atenção às Urgências e Emergências, as unidades do Serviço de Atendimento Móvel de Saúde (Samu) atuam integradas a um Complexo Regulador, que controla o fluxo do serviço. Isso quer dizer que a ambulância do Samu, ao resgatar o paciente, saberá imediatamente qual o hospital mais próximo  que tem leito disponível e está em condições de fazer o atendimento adequado. A macrorregião receberá 26 ambulâncias do Samu, doadas pelo Ministério da Saúde.

Mais saúde

Com a entrega da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) de Teófilo Otoni, o Governo de Minas resolve um problema ambiental e garante mais saúde à população. A obra foi construída com recursos da Copasa que somam R$ 43 milhões. Já operando em fase de testes, a estação está tratando 50% do esgoto coletado no município. A previsão é que 100% do esgoto seja tratado a partir de 2014.

Outra importante obra de infraestrutura inaugurada foi a barragem Aécio Ferreira Cunha, no Rio Todos os Santos , na localidade de Cabeceira de São Pedro.  A barragem tem uma área de 128 hectares de área inundada, com o objetivo de aumentar a oferta de água e diminuir os transtornos causados pelas enchentes no período chuvoso.

Na área de prestação de serviços, o governador inaugurou novo posto da Diretoria Regional do Trabalho, que vai atender 54 municípios da região, prestando apoio técnico e acompanhando a execução das ações relativas às funções de trabalho, emprego e renda desenvolvidas pelo Estado, prefeitura municipal e demais parceiros.

Aeroporto

Em seu pronunciamento, o governador afirmou que o Governo de Minas vai reformar o aeroporto de Teófilo Otoni e construir outro de caráter regional, na cidade de Itambacuri, a 40 km de Teófilo Otoni.

“Já determinei ao Departamento de Obras Públicas, que está fazendo o projeto para a construção do aeroporto regional, em Itambacuri, para atender de modo muito claro esta região”, afirmou o governador.

Ele também anunciou, oficialmente, a recém criada Área de Proteção Ambiental (APA) do Alto do Mucuri, localizada entre os municípios de Caraí, Catuji, Itaipé, Ladainha, Novo Cruzeiro, Malacacheta, Poté e Teófilo Otoni.

Também participaram da cerimônia os secretários de Estado Antonio Jorge (Saúde), Carlos Pimenta (Trabalho e Emprego), Adriano Magalhães (Meio Ambiente), Gil Pereira (Desenvolvimento dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri e Norte de Minas), Bilac Pinto (Desenvolvimento Regional e Política Urbana), o presidente da Assembleia Legislativa, Dinis Pinheiro, a prefeita Maria José Haueisen, entre outras autoridades.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/anastasia-inaugura-obras-de-infraestrutura-e-anuncia-construcao-do-hospital-regional-do-mucuri/

Governo de Minas: municípios da Regional de Saúde de Pedra Azul realizam diagnóstico do Porta a Porta

O objetivo do diagnóstico é a inclusão dessas pessoas vulneráveis em ações e programas como o Travessia

Os municípios de Cachoeira de Pajeú, Comercinho, Divisa Alegre, Divisópolis, Felisburgo, Jordânia, Mata Verde, Rio do Prado, Rubim, Salto da Divisa e Santa Maria do Salto irão concluir, nesta sexta-feira (13), o diagnóstico do Projeto Porta a Porta, que visa identificar as vulnerabilidades existentes em cada município, por meio de questionários que envolvem perguntas no âmbito da saúde, educação e padrão de vida. O objetivo do diagnóstico é a inclusão dessas pessoas vulneráveis em ações e programas do Governo de Minas, como o Travessia.

O diagnóstico do Porta a Porta possibilitará aos gestores avaliar, por exemplo, a quantidade de crianças de 6 a 14 anos que frequentam a escola; se existe algum adulto ou criança desnutrida; se a casa possui energia elétrica ou banheiro; ou, se existe alguém na residência que receba o benefício do bolsa família.

Cada município, de acordo com as informações repassadas via Porta a Porta, poderão ser beneficiados com até quatro projetos. Para aqueles municípios com população mais carente, será implantado o projeto Travessia Renda que visa à criação de oportunidades de emprego e geração de renda. O Travessia Educação visa a melhoria na qualidade da gestão e da infraestrutura educacional contribuindo para a melhoria do ensino e da aprendizagem do aluno.

Já o Travessia Saúde irá melhorar a infraestrutura das Unidades Básicas de Saúde (UBS) e aumento do número de domicílios atendidos pela Estratégia Saúde da Família (ESF). Por sua vez, o Banco Travessia irá promover a mobilidade social, através do desenvolvimento escolar, das famílias que apresentam ao menos uma grave privação educacional, identificadas pelo Porta a Porta, por meio de incentivo financeiro.

O assistente social de Comercinho, Patrico Soares, informou que, no município, 11 profissionais irão ajudar na digitação das informações do diagnóstico para o sistema. “Teremos até o dia 25 de abril para informar os dados ao sistema. Até o momento, uma das maiores dificuldades que tivemos para concluir o diagnóstico foi o fato de que a maior parte da nossa população mora na zona rural. Além disso, algumas famílias têm uma certa resistência para responder o questionário, mas a presença dos agentes comunitários de saúde, que já conhecem essas famílias, ajudam a resolver esse problema”, disse, ao ressaltar o esforço na realização do diagnóstico, principalmente, porque 67,3% da população de Comercinho reside na zona rural, onde o acesso é mais difícil.

No município de Cachoeira de Pajeú, serão 2551 domicílios visitados pelos agentes comunitários de saúde. A psicóloga do Centro Referência de Assistência Social (CRAS) de Cachoeira de Pajeú, Vitória Machado, informou que o diagnóstico do Porta a Porta tem apontado três principais problemas que merecem uma atenção especial do Governo. “A nossa realidade aponta que temos um grande número de pessoas desempregadas, com baixa escolaridade e domicílios sem documentos”, relatou.

A referência técnica da secretaria municipal de Saúde de Salto da Divisa, Diego Moreira, acredita que através do projeto Porta a Porta, o Governo de Minas terá condições de realizar as devidas intervenções para minimizar as privações sociais identificadas no diagnóstico. “Os primeiros diagnósticos realizados na região nos mostram que o programa realmente funciona. Um exemplo disso é o município de Santo Antônio do Jacinto, que realizou o diagnóstico em outra oportunidade e já tem conseguido melhorar os seus indicadores de saúde, educação e de qualidade de vida. A expectativa agora é de que o nosso município possa concluir o diagnóstico com êxito e que possamos receber os investimentos necessários para melhorar a qualidade de vida da nossa população”, desejou.

Exemplo para a região

O secretário municipal de Saúde de Santo Antônio do Jacinto e presidente do Colegiado de Secretários Municipais de Saúde (Cosems) Regional de Pedra Azul, Arlan Lima, informou que uma das propostas era a de que fossem realizados no município cursos técnicos com o propósito de qualificar de uma forma simples e dinâmica o aluno para ingressar no mercado de trabalho ou um profissional que já estivesse na área e que quisesse ampliar o seu conhecimento.

O município também recebeu investimentos para criação do Banco Travessia, que visa incentivar o retorno e a inserção de pessoas aos estudos. A proposta do programa é de que cada morador inserido no programa e que retomasse aos estudos abrisse uma poupança para a família no Banco Travessia. Se passasse de ano, o morador garantia mais dinheiro no banco. Cada ação da família que garanta qualificação profissional ou eleve o nível de escolaridade também seria transformada em mais dinheiro na poupança.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/municipios-da-regional-de-saude-de-pedra-azul-realizam-diagnostico-do-porta-a-porta/

Gestão Anastasia: regional de saúde de Pedra Azul e Salto da Divisa reforçam ações contra a dengue

Foram realizadas palestras nas escolas que mobilizaram tanto professores, quanto alunos

Allan Campos/SES-MG
Foram disponibilizadas duas bombas de Ultra Baixo Volume (UBV) de borrifação de inseticida
Foram disponibilizadas duas bombas de Ultra Baixo Volume (UBV) de borrifação de inseticida

O Núcleo de Epidemiologia da Gerência Regional de Saúde de Pedra Azul e o município de Salto da Divisa realizaram, entre os dias 19 e 30 de março, um trabalho de promoção da saúde e prevenção ao mosquito da dengue. Foram realizadas palestras nas escolas que mobilizaram tanto professores, quanto alunos.

Para reforçar as ações de prevenção, a Regional de Saúde de Pedra Azul disponibilizou para o município duas bombas de Ultra Baixo Volume (UBV) de borrifação de inseticida. Já o município tem realizado o bloqueio dos quarteirões onde houve registros da doença, e disponibilizou 18 agentes comunitários de saúde e nove agentes de endemias para participarem das ações.

O coordenador de Endemias da Secretaria Municipal de Saúde de Salto da Divisa, Rodrigo Souza, informou que para reforçar as ações de promoção à saúde, o município está aderindo ao projeto Saúde na Escola e que, com isso, o trabalho de mobilização dos alunos será intensificado.

“Os nossos agentes de saúde também estão focados e têm buscado realizar nas casas que visitam um importante trabalho de prevenção contra o mosquito. Como coordenador de endemias, tenho o dever de ajudar o meu município, o máximo possível, para evitar que mais pessoas adoeçam”, disse.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/regional-de-saude-de-pedra-azul-e-salto-da-divisa-reforcam-acoes-contra-a-dengue/

Gestão da Saúde: hemocentro de Belo Horizonte faz coleta de sangue na UFMG

A expectativa é atender cerca de 50 candidatos à doação de sangue

O Hemocentro de Belo Horizonte realiza coleta de sangue, nesta terça-feira (3), das 8h30 às 11h30, na Faculdade de Engenharia, localizada no Campus Pampulha da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). A expectativa é atender cerca de 50 candidatos à doação de sangue.

Segundo a Portaria 1.353/2011 do Ministério da Saúde, podem doar sangue cidadãos com boa saúde, idade entre 18 e 67 anos. Os candidatos devem pesar acima de 50 quilos, não ter ingerido bebida alcoólica nas últimas 12 horas, não ter tido hepatite após os 11 anos de idade, e que não tenham doença de Chagas.  Jovens com 16 e 17 anos, somente poderão se candidatar à doação de sangue com a presença dos responsáveis legais ou autorização dos responsáveis com firma reconhecida em cartório, cujo modelo de autorização está disponível no site www.hemominas.mg.gov.br.

A idade máxima para a primeira doação de sangue é 60 anos. Os candidatos, que já tiverem doado pelo menos uma vez antes dos 60 anos, poderão doar até a idade de 67 anos. Para mais informações sobre os critérios para doação de sangue acessar http://www.hemominas.mg.gov.br/hemominas/menu/cidadao/doacao/condicoes_doacao ou ligar para o 155.

Para os jovens, principalmente, o hotsite www.projetonaveia.com.br promove interatividade e participação também na divulgação da doação. Acesse e conheça o Projeto na Veia.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/hemocentro-de-belo-horizonte-faz-coleta-de-sangue-na-ufmg/

Gestão Anastasia: regional de Saúde de Valadares finaliza capacitação na atenção básica

Objetivo da oficina é aprimorar o conhecimento dos municípios sobre a importância da atenção primária

Frederico Bussinger
Coordenadores de atenção básica participam de capacitação oferecida pela Secretaria de Estado de Saúde
Coordenadores de atenção básica participam de capacitação oferecida pela Secretaria de Estado de Saúde

A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG), por meio da Superintendência Regional de Saúde de Governador Valadares, em parceria com o Colegiado dos Secretários Municipais de Saúde (Cosems-MG), concluiu a oficina de capacitação do Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica (PMAQ). O curso foi iniciado na última semana, para os municípios da microrregião de Governador Valadares, e agora foi aplicado para os coordenadores da atenção primária das microrregiões de Resplendor, Mantena e Santa Maria do Suaçuí/São João Evangelista.

O PMAQ é um programa do Ministério da Saúde, que procura induzir as instituições de processos que ampliem a capacidade das gestões federal, estadual e municipal, além das equipes de atenção básica, em ofertarem serviços para maior acesso e qualidade de acordo com as necessidades concretas da população.

A coordenadora de Atenção Primária à Saúde da SRS-GV, Flávia Augusta Viana, explicou que “o objetivo da capacitação é que os participantes compreendam o projeto de fortalecimento da qualidade da atenção nos municípios de suas regiões; entendam os fundamentos sobre a qualidade na APS; realizem o diagnóstico da gestão da qualidade, identifiquem as situações problemas a partir do diagnóstico e elaborem matriz de intervenção”, afirmou.

Segundo ela, “a proposta do PMAQ é garantir a universalidade e o acesso dos usuários à saúde, por meio dos cuidados primários, otimizando a promoção, a prevenção, assistência e reabilitação com foco na comunidade, propondo a redução das desigualdades”.

O secretário municipal de Saúde de São João Evangelista, Franklin Lima da Cruz, falou sobre a iniciativa de reunir os municípios que têm problemas afins, mas experiências diferentes, colocando-os juntos para encontrar soluções. “Acredito que o PMAQ, assim como o Saúde em Casa, são ações muito efetivas e resolutivas”, declarou.

Para a coordenadora de Atenção Primária de Resplendor, Anna Paula Marques, a capacitação foi importante para aprimorar a atenção primária nos municípios. “Através das oficinas, vamos ter competências para retornar aos nossos municípios e repassar para as equipes, corrigindo deficiências e, com isso, conseguindo uma melhoria na atenção primária. Com o PMAQ, vamos ter instrumentos de avaliação para avaliação da qualidade das ações da APS”, ressaltou.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/regional-de-saude-de-valadares-finaliza-capacitacao-na-atencao-basica/