Gestão da Educação: alunos mineiros serão avaliados pelo Proeb

Gestão da Educação em Minas: Programa de Avaliação da Rede Pública de Educação Básica será aplicado a alunos das redes estadual e municipais

Fonte: Agência Minas

Divulgação/SEE
Apenas na rede estadual de ensino, serão 496.471 alunos avaliados no Proeb 2012

Apenas na rede estadual de ensino, serão 496.471 alunos avaliados no Proeb 2012

A partir desta segunda-feira (26), cerca de 750 mil alunos participarão do Programa de Avaliação da Rede Pública de Educação Básica (Proeb), do Governo de Minas. Apenas na rede estadual de ensino, serão 496.471 alunos avaliados, nas 3.762 escolas. As provas são destinadas aos estudantes do 5º e 9º anos do ensino fundamental e 3º ano do ensino médio e constarão de questões dos conteúdos de Língua Portuguesa e Matemática. Os resultados das avaliações, que serão aplicadas até o próximo dia 30, possibilitarão a elaboração de políticas públicas com foco na melhoria do ensino em Minas.

No Proeb, os alunos fazem as provas no horário regular das aulas. Para os estudantes do 5º ano do ensino fundamental e do 9º ano do ensino fundamental que serão avaliados, as provas serão compostas de 26 questões para cada disciplina. Já os estudantes do 3º ano do ensino médio farão provas compostas por 30 questões de Língua Portuguesa e 30 de Matemática. As questões são de múltipla escolha, com quatro alternativas de respostas para os alunos do 5º e 9º anos e cinco alternativas para os alunos do 3º ano.

Também serão avaliados pelo Proeb os alunos do Programa Acelerar para Vencer (PAV), da Secretaria de Estado de Educação (SEE). O PAV atua na correção da distorção idade/série. Ao todo, 24.015 alunos que participam dessa ação farão as provas de Língua Portuguesa e Matemática.

Logística de aplicação

A distribuição dos pacotes de provas é de responsabilidade das 47 Superintendências Regionais de Ensino. Após a aplicação das avaliações, as mesmas serão recolhidas pelas Superintendências e encaminhadas ao Centro de Políticas Públicas e Avaliação da Educação da Universidade Federal de Juiz de Fora, responsável pela aplicação, correção e análise das provas.

Para a aplicação das provas no 5º ano do ensino fundamental haverá o rodízio de professores, ou seja, a avaliação não será aplicada pelo professor regente da turma. Já para as turmas do 9º ano do ensino fundamental e 3º ano do ensino médio, as provas serão aplicadas pelos professores de qualquer disciplina, com exceção dos educadores de Língua Portuguesa e Matemática. O objetivo é garantir a fidedignidade dos resultados das avaliações.

A aplicação das provas terá o acompanhamento da equipe central e das equipes regionais do Programa de Intervenção Pedagógica (PIP) e das equipes regionais que coordenam as avaliações educacionais.

Sistema Mineiro de Avaliação

O Programa de Avaliação da Rede Pública de Educação Básica integra o Sistema Mineiro de Avaliação da Educação Pública (Simave), assim como o Programa de Avaliação da Alfabetização (Proalfa). O Proalfa avalia alunos do 3º ano do ensino fundamental em leitura e escrita.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/mais-de-750-mil-estudantes-mineiros-serao-avaliados-no-proeb-2012/

Anastasia critica MP do setor elétrico e comenta perdas

MP do setor elétrico: Anastasia (PSDB), afirmou que com a extinção e a desoneração de tarifas Minas perde R$ 500 mi com ICMS.

MP do setor elétrico: Governo Dilma quer impor perdas

Fonte: Valor Econômico

SP ameaça devolver concessão da Cesp

 MP 579 gera protesto de governadores

MP do setor elétrico: José Anil ameça entregar a Cesp, já Anastasia(PSDB), afirmou que com a extinção e a desoneração de tarifas Minas perde R$ 500 mi com ICMS.

Governadores criticaram ontem, durante audiência pública no Senado, o fato de não terem sido consultados pelo governo federal sobre a prorrogação das concessões do setor elétrico e as consequências da redução das tarifas de energia para a receita dos Estados. As mudanças foram feitas pela Medida Provisória (MP) 579, em análise por uma comissão mista no Congresso.

Já o secretário de Energia de São Paulo, José Aníbal, disse ao Valor que, mantidas as atuais condições da MP 579, a estatal paulista Cesp não terá outra saída a não ser a devolução das concessões. “É isso. Não tem outro jeito. O rombo na receita é bilionário, não temos como assumir isso”, disse.

O governador de Minas Gerais, Antonio Anastasia (PSDB), afirmou que com a extinção e a desoneração de tarifas que incidem sobre a conta de luz o Estado perderá cerca de 10% do total que arrecada com o Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), cuja base de cálculo é afetada por essas taxas. “Essa perda real é de fato expressiva. Perderemos quase R$ 500 milhões com essa redução.”

Anastasia ponderou, no entanto, que a queda na arrecadação do ICMS não é o ponto mais crítico da MP, pois avalia que “o governo terá que pensar em medida compensatória“. Segundo ele, o que causa “dúvida e temeridade” é o fato de as concessionárias de transmissão e geração terem que decidir, até 4 de dezembro, se querem prorrogar o contrato com o governo. O Congresso, por sua vez, tem até 18 de dezembro para votar a MP 579.

“Nós estamos sendo convidados [a decidir sobre a prorrogação das concessões] diante de circunstâncias que não são definitivas, que podem ser alteradas pelo próprio Congresso, que ainda vai votar essa medida, e eventualmente pela presidente da República“, afirmou o governo de Minas.

O governador do Pará, Simão Jatene (PSDB), também estima perda de arrecadação do ICMS de 10%. Ele destacou que no momento há diversas medidas em discussão que devem resultar na redução de receita para os Estados, como a revisão dos critérios do Fundo de Participação dos Estados (FPE) e a unificação do ICMS interestadual.

“Não dá mais para se discutir redução de receita, aumento de despesas para os Estados, sem que os Estados possam efetivamente participar dessa discussão”, afirmou Jatene.

O vice-governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão (PMDB), estimou que o Estado perderá R$ 460 milhões em receitas de ICMS com a redução das contas de luz em 20,2%, em média, conforme o plano de barateamento das tarifas de energiaelétrica anunciado pela presidente Dilma Rousseff, em setembro. “É uma tragédia para qualquer Estado brasileiro”, disse Pezão.

Pezão lembrou que o Rio já corre o risco de arcar com outra perda, referente aos royalties do petróleo, cujo projeto de lei que trata de sua redistribuição foi recém-aprovado pela Câmara dos Deputados: “Nesse caso é a falência total do Estado.”

Presidente do Fórum de Secretários Estaduais de Energia, José Aníbal disse que a renovação das concessões é “muito difícil” nos termos apresentados pelo governo. Ele criticou a indenização de aproximadamente R$ 1 bilhão feita pelo governo em relação aos ativos não amortizados. Disse que a própria Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) apresentou uma conta de R$ 3,4 bilhões, quando o valor estimado pela Cesp é de R$ 7,8 bilhões.

MP do setor elétrico: Governo Dilma quer impor perdas – Link da matéria: http://www.valor.com.br/politica/2903720/sp-ameaca-devolver-concessao-da-cesp

Governo Anastasia vai gerar 905 empregos com expansão de indústrias

Governo Anastasia vai gerar 905 empregos. Investimento em siderurgia, informática e eletrônicos vai criar vagas na região metropolitana de BH.

Governo Anastasia: Investimentos em Minas

Fonte: Agência Minas

Protocolos de intenção prevêem aportes de R$ 211 milhões na indústria mineira

Setores de siderurgia, informática e eletrônicos na Região Metropolitana de Belo Horizonte devem receber novos investimentos

 Governo Anastasia vai gerar 905 empregos

Governo Anastasia vai gerar 905 empregos

Três novos protocolos de intenções para investimentos de R$ 211,52 milhões acabam de ser assinados pelo Governo Anastasia para expansão de unidades industriais nas áreas de siderurgia, informática e eletrônicos. Os três empreendimentos, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, serão responsáveis pela geração de 905 novos empregos diretos e indiretos.

Durante a assinatura do protocolo com a Metalsider Ltda., a secretária de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais, Dorothea Werneck, comemorou os novos investimentos e salientou que o Governo Anastasia está desenvolvendo um contato mais direto com o empresário. “Nossa prioridade é ter o empresário como parceiro e, através dele, atrair novos investimentos para o Estado. Quando um investidor é bem recebido e fica satisfeito, transforma-se em nosso principal contato com outros empresários na busca de novos empreendimentos”, acrescentou.

Já o presidente do Instituto de Desenvolvimento Integrado (INDI), José Frederico Álvares, lembrou que o Instituto está implantando a gestão de qualidade e quer ouvir o investidor e saber o seu grau de satisfação. “O trabalho mais importante do INDI começa após a assinatura dos protocolos. Trata-se de um apoio mais personalizado, com assistência em todas as etapas de implantação do projeto”, destacou.

Siderurgia

O diretor-presidente da Metalsider Ltda., Bruno Melo Lima, comemorou a assinatura do protocolo, lembrando que em 30 anos de história, é a primeira vez que a empresa busca a parceria do Governo. “Estamos participando de um processo em que o Estado está ajudando as empresas a crescerem e consequentemente a fortalecer a economia”, acrescentou.

A Metalsider Ltda. é uma empresa siderúrgica não-integrada, produtora de ferro-gusa, com sede e usina em Betim. Para construir uma fundição de peças automotivas e viabilizar o uso da matéria prima ferro-gusa no estado líquido proveniente dos altos-fornos, serão investidos R$ 148,3 milhões e gerados 128 empregos diretos e 87 indiretos.

Essa fundição inovará na composição da carga metálica, reduzindo custos, e, consequentemente, aumentando a competitividade. A fundição está dimensionada para a produção de 70 mil toneladas de peças ao ano, em uma primeira etapa que deverá entrar em operação em 2015 e de mais 70 mil toneladas de peças ao ano em uma segunda etapa. O mercado principal será, direta ou indiretamente, a indústria automobilística. A Metalsider atende indústrias de autopeças, fundições diversas e aciarias, além de consumidores do mercado externo, em especial, Estados Unidos e países asiáticos.

Durante a assinatura do protocolo, Bruno Melo Lima explicou que a companhia possui um parque industrial composto de sete altos-fornos com capacidade de produção de aproximadamente 420 mil toneladas de ferro-gusa por ano. A empresa conta ainda com recursos próprios de 40 mil hectares de florestas plantadas para atender ao seu suprimento de carvão vegetal. É também autosuficiente em energia elétrica. Gera 8.8 megawatts de energia em uma termoelétrica que utiliza os gases dos altos-fornos. O excedente de energia é ofertado ao mercado.

Computadores

A secretária de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais também assinou protocolo de intenção para expansão da Megaware Industrial Ltda., destinada à montagem e comercialização de produtos eletroeletrônicos (Note/Net book, Desktop, servidor médio, gabinete com fonte, placas mãe, módulo e CI), com investimento de R$ 62,05 milhões. A empresa, fabricante de computadores, diferencia-se pelo pioneirismo na produção vertical Surface-Mount Technology (SMT) no Brasil e pretende investir em estrutura, pesquisa, desenvolvimento e capacitação pessoal.

A fábrica, localizada em Belo Horizonte, atua com um sofisticado sistema de produção e montagem de semicondutores por meio do SMT. Esse sistema consiste em máquinas robotizadas de última geração que inserem os componentes eletrônicos na fabricação de cada placa, são as responsáveis pela inspeção, solda, acabamento e promovem rigorosos testes de qualidade. O processo resulta em agilidade na produção, qualidade na montagem e significativa redução de custos, o que proporciona computadores com preços acessíveis e altamente resistentes.

Além de estar entre os maiores fabricantes brasileiros de computadores, a Megaware trabalha em parceria com líderes mundiais, como Intel e Microsoft, e possui uma rede de serviços técnicos em todo o país. Serão gerados 580 empregos diretos e indiretos ao final do projeto.

Eletrônicos

Já a JFA Eletrônicos Indústria e Comércio Ltda., também em Belo Horizonte, irá investir R$ 1,17 milhão e expansão da unidade industrial localizada em Belo Horizonte, destinada à fabricação e comercialização de aparelhos de recepção, reprodução, gravação e amplificação de áudio e vídeo. O projeto de expansão deverá ser concluído até 2015, quando a produção passará de 42 mil peças mensais para 70 mil peças por mês e serão gerados 75 novos empregos diretos e 35 indiretos.

A JFA Eletrônicos iniciou suas atividades no ano de 2004, com desenvolvimento de produtos eletrônicos. Em 2009, adquiriu sua primeira insersora automática de SMD (Semi Metalic Disc), com capacidade de inserção de 2.800 componentes/hora. Com a melhoria dos processos e com o crescimento contínuo das vendas, foi necessário ampliar a produção e adquirir máquinas de maior capacidade, atingindo hoje a capacidade de 42.000 componentes/hora.

Governo Anastasia: Investimentos em Minas – Link da matéria: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/multimidia/galerias/protocolos-de-intencao-preveem-aportes-de-r-211-milhoes-na-industria-mineira/

IDEB: Veja destaca Educação em Minas

IDEB: Especialista afirma que Minas faz a “lição de casa” em matéria de Educação e que segue “a receita de estruturar o ensino”.

IDEB 2011: Educação em Minas

Fonte: Agência Minas

VEJA destaca excelência da educação pública de Minas e os bons resultados do Estado no IDEB

Entrevistado da publicação declara que municípios mineiros estão fazendo a “lição de casa”; escolas públicas de Minas são citadas como exemplo

 IDEB: Veja destaca educação em Minas

IDEB: Especialista afirma que Minas faz a “lição de casa” em matéria deEducação e que segue “a receita de estruturar o ensino”.

A edição nacional da revista VEJA desta semana destaca em duas matérias os bons resultados alcançados pelas escolas públicas mineiras no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB), divulgado na semana passada pelo Ministério da Educação.

Na entrevista de Páginas Amarelas, o especialista João Batista Araujo e Oliveira, presidente do Instituto Alfa e BetoONG dedicada a estudos educacionais – afirma que vários municípios de Minas Gerais, de São Paulo e do Ceará estão fazendo a “lição de casa” em matéria de Educação. “Elas seguem a receita de estruturar o ensino, de cuidar de questões que realmente fazem a diferença”, pontua o educador. Clique aqui para ler a íntegra da entrevista.

As escolas públicas mineiras também são destacadas na reportagem em que a VEJA analisa especificamente os resultados do IDEB. A matéria utiliza o exemplo de Minas Gerais para afirmar que “mais dinheiro não é condição necessária para alcançar excelência” no ensino.

“O estado é campeão nacional no primeiro ciclo do ensino fundamental – com IDEB 5,9 em contraste com o IDEB 5 da média brasileira –, mas no ranking dos gastos por aluno está em apenas 14º. Em contraponto, a revista cita o caso do Amapá, que tem IDEB 4,1 (30% menos que o de Minas) mas aparece na terceira colocação entre os estados mais gastadores.

 IDEB: Veja destaca educação em Minas

IDEB: Veja destaca educação em Minas

De acordo com a especialista Maria Helena Guimarães, ex-presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira(INEP), citada na matéria, a explicação é que a educação em Minas está fundada sobre as bases da continuidade nas políticas públicas e na articulação entre estado e municípios.

“Além disso, o estado – que ainda emplacou em primeiro lugar a Escola Municipal Carmélia Dramis Malaguti, de Itaú de Minas – tem dado relevante ênfase aos programas de alfabetização”, conclui a reportagem.

Clique aqui para ler a íntegra da reportagem da VEJA.

IDEB: educação em Minas – Link para matéria – http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/veja-destaca-excelencia-da-educacao-publica-de-minas-e-os-bons-resultados-do-estado-no-ideb/

Read more: http://www.jogodopoder.com/blog/politica/ideb-veja-destaca-educacao-em-minas/#ixzz24OpmZ16W

Gestão da Segurança: Uberaba vai ganhar projeto Olho Vivo

Governo Anastasia: O investimento será de R$ 6 milhões, oriundos do financiamento realizado pela Seds com o BID

Gestão da Segurança: Govenro Anastasia

Fonte: Agência Minas

Projeto ajuda a reduzir até 50% a incidência de crimes violentos

O reforço na segurança foi anunciado durante reunião da Integração da Gestão em Segurança Pública (Igesp)

A cidade de Uberaba, no Triângulo Mineiro, vai ganhar uma das ferramentas de Defesa Social mais eficientes no combate à criminalidade. Até o início do próximo ano serão instaladas cerca de 50 câmeras de monitoramento do Olho Vivo, projeto que contabiliza até 50% de diminuição de crimes violentos nas regiões onde já foi implantado. A previsão é que as câmeras sejam implantadas na região do Centro Comercial da cidade. O investimento será de R$ 6 milhões, oriundos do financiamento realizado pela Seds com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

Por meio do Olho Vivo as imagens das ruas onde as câmeras de videomonitoramento estão instaladas são enviadas para uma central onde passam a ser visualizadas, gravadas, reproduzidas e arquivadas. Além da inibição dos crimes, o projeto também tem bons resultados na pronta resposta das polícias na identificação e prisão de suspeitos.

O reforço foi anunciado nesta quarta-feira (8) durante reunião da Integração da Gestão em Segurança Pública (Igesp), na 5ª Região Integrada de Segurança Pública (5ª Risp), sediada em Uberaba. O município é o quinto do Estado a receber a cúpula da Defesa Social que, até final do ano, irá se reunir com todos os comandantes das regiões daPolícia Militar e chefes de departamentos regionais da Polícia Civil nas 18 Risps do Estado.

Nestas reuniões, o secretário de Estado de Defesa Social, Rômulo Ferraz, o comandante geral da Polícia Militar, Cel. Márcio Martins Sant´Ana, e o chefe da Polícia Civil, Dr. Cylton Brandão da Matta vão até as cidades sedes das Risps para fazer uma discussão regionalizada dos problemas. A partir deste diagnóstico, são traçadas metas objetivas e de curto prazo para a contenção da violência, como as anunciadas em Uberaba.

Além do projeto Olho Vivo, a cidade vai contar com um Posto de Perícia Integrada (PPI), iniciado no primeiro semestre do ano que vem que reunirá as atividades do Instituto Médico Legal (IML) e da Perícia Criminal. A delegacia regional da 5ª Risp também será reformada – obra estimada em 1,5 milhão – e até que o PPI fique pronto, será realizada uma reforma também no atual IML. O secretário de Defesa Social acredita que as medidas adotadas terão impacto em breve na criminalidade do município, além de refletirem na capacidade de trabalho das polícias.

Durante a reunião, o chefe da Polícia Civil, Dr. Cylton Brandão, também salientou a importância da contratação imediata de estagiários de direito para dar suporte às atividades burocráticas das delegacias da 5ª Risp e da chegada de novos delegados e escrivães à região, ainda neste ano. “Nossa previsão é que os escrivães estejam trabalhando já em outubro e os delegados, entre fevereiro e março.”

Igesp

A nova metodologia das reuniões do Igesp (Integração da Gestão em Segurança Pública) foi anunciada pelo secretário Rômulo Ferraz em maio, no lançamento do Plano Integrado de Enfrentamento à Violência. Além das reuniões regionalizadas nas Risps do interior, baseadas nas reuniões do Comitê Interinstitucional de Monitoramento dos Crimes Violentos, o novo formato da metodologia prevê a realização do Igesp Temático de Proteção Pública, voltado para o acompanhamento das metas definidas no ano para o Corpo de Bombeiros. As Risps de Montes Claros, Ipatinga, Poços de Caldas e Divinópolis já receberam reuniões da cúpula da Defesa Social, que contam também com o envolvimento da Justiça e do Ministério Público.

A Integração da Gestão em Segurança Pública (Igesp) é um modelo de organização e gestão do trabalho policial para integrar ações e informações de segurança. Iniciada de forma pioneira em Minas Gerais em 2003, a metodologia foi um dos fatores responsáveis pela redução de quase 50% dos índices de criminalidade no Estado nos últimos anos. O Igesp contempla áreas de atuação, procedimentos, metodologias e delimitação de territórios geográficos comuns, em níveis operacionais, táticos e estratégicos.

Link da matéria: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/uberaba-vai-ganhar-cerca-de-50-cameras-de-monitoramento-do-projeto-olho-vivo/

Minas: Educação nota 10

Minas: Educação nota 10. Trabalho iniciado no governo Aécio Neves reduz déficit de aprendizagem com índice quase zero de reprovação.

Minas: gestão da educação no governo Antonio Anastasia

 Minas: Educação nota 10

Encontro com foco nos anos finais do ensino fundamental serão realizados no decorrer de agosto.

Fonte: O Estado de S.Paulo 

Em Minas Gerais, aprovação passou dos 99% em 2011

Em 2011, a aprovação nos anos iniciais do ensino fundamental (1º ao 5º) na rede estadual de Minas Gerais passou dos 99%. O número é resultado de um programa de intervenção pedagógica, implementado em 2007, que prevê avaliação de frequência, grupos de reforço para os estudantes com dificuldade e formação docente contínua.

O projeto resulta de um mapeamento da rede que mostrou que os estudantes aprovados com déficit de aprendizagem conseguiram aprender mais no ano seguinte que os reprovados.

Para repetir o “índice zero” de reprovação também nos anos finais do ensino fundamental e no ensino médio, o mesmo projeto de monitoramento e avaliações sistêmicas do governo de Minas começa a ser adotado agora, no segundo semestre de 2012.

Se reprovação fosse qualidade, o Brasil seria o melhor do mundo”” resume Raquel Elizabete Santos, subsecretária da Educação Básica de Minas

MinasGestão da Educação – link da matéria:  http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,em-minas-gerais–aprovacao-passou-dos-99-em-2011-,912910,0.htm