Governo de Minas: SES recebe comitiva de Santa Catarina

Técnicos da Fundação Catarinense de Municípios conhecem experiências exitosas da saúde de Minas

A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) recebeu uma visita técnica de colaboradores da Fundação Catarinense de Municípios (FECAM), no Sul do país, nesta terça-feira (8), para uma apresentação do modelo de gestão pública em saúde adotada por Minas, visando a consolidação intermunicipal em saúde dos dois estados.

Na reunião estiveram presentes o Secretário Adjunto da SES, Breno Henrique Avelar de Pinho Simões, a chefe de Gabinete, Martha de Souza Lima e os técnicos responsáveis pela Assessoria de Cooperação Intermunicipal em Saúde (ACIS), Darlan Venâncio Pereira e Lenira de Araújo Maia. De Santa Catarina participaram doze representantes, dentre Secretários, Prefeitos e demais autoridades locais. Durante o encontro, o secretário adjunto apresentou um desenho detalhado do planejamento e gestão em saúde e suas demais especificidades.

Minas, que é um dos maiores Estados do Brasil em extensão territorial, busca oferecer uma assistência à saúde de qualidade e que englobe os quase 20 milhões de habitantes, por meio da implantação de novas diretrizes que vão de acordo com a aplicação e desenvolvimento de redes de atenção à saúde e o incentivo da auto-gestão intermunicipal.

Consórcios

Segundo a Chefe de Gabinete da SES-MG, Martha Souza Lima, a assistência em saúde fornecida pelo Estado, atende grande parte da população, na medida em que diretrizes, como a criação de redes de atenção e o incentivo dos consórcios intermunicipais, são fomentados pelo governo. “Em Minas, os consórcios se consolidam como importantes parceiros, associados a importantes instrumentos de economia de recursos e racionalização dos custos na área da saúde, em especial para os municípios de menor porte”, disse.

O Estado conta atualmente com 65 consórcios intermunicipais, podendo variar de tamanho, nível de gestão, cultura, perfil epidemiológico e condições assistenciais. Um consórcio pode abranger de 4 a 35 municípios, dependo da necessidade da região.

Troca de Experiências

A reunião teve como objetivo promover um intercâmbio de informações entre Minas e Santa Catarina, já que no estado do Sul, o projeto de consorcialização municipal ainda é recente e não possui uma estrutura completa que atenda boa parte da região. O Consórcio Intermunicipal de Saúde do Oeste de Santa Catarina, integrado aos SUS funciona como elemento integrador que possibilita o remanejo de pacientes a atendimentos clínicos em outros locais.

Em Minas Gerais, a consorcialização municipal está ligada há vários fatores, alguns exemplos são o transporte de pacientes, a realização de exames, atendimentos especializados e distribuição de medicamentos. O Estado incentiva a criação de consórcios intermunicipais, por meio do repasse de verbas, fazendo com que os municípios tenham autonomia para definir as principais diretrizes que melhor atendam a região como um todo.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/ses-recebe-comitiva-de-santa-catarina/

Anúncios