Governo de Minas: educadores formulam criação do Curso de Extensão em Educação Musical

Especialistas e professores de conservatórios estaduais participam de planejamento.

Professores e especialistas dos 12 conservatórios estaduais de música de Minas Gerais iniciaram o planejamento para a criação do Curso de Extensão em Educação Musical. O objetivo é oferecer formação inicial e continuada em educação musical para professores da rede pública de educação básica. As reuniões começaram nesta semana na Escola de Formação e Desenvolvimento Profissional de Educadores (Magistra). O curso está previsto para começar no segundo semestre deste ano.

“Nesse encontro, pegamos as experiências que os Conservatórios Estaduais de Música têm para formular um plano de curso para trabalhar de forma criativa e inovadora com os professores das escolas regulares”, destacou Gilbert Gouvêa, coordenador dos Conservatórios.

Entre os temas discutidos no encontro estão: os componentes curriculares, a ementa, a carga horária, a metodologia, os procedimentos didáticos, as formas de monitoramento e avaliação e a organização do atendimento a partir das demandas dos candidatos. Todo o trabalho será construído a partir de uma articulação entres os conservatórios, a Secretaria de Estado de Educação (SEE) e a Magistra.

Nas reuniões, também foram debatidas as possíveis ferramentas de apoio que os participantes poderão contar durante o curso de formação. O Centro de Referência Virtual do professor (CRV) é uma dessas possibilidades para os educadores durante o curso.

O curso será desenvolvido pelos conservatórios em módulos semestrais e abordará conhecimentos teóricos e práticos da área musical. “Essa será uma retomada em uma das funções das escolas de música que é a da formação musical”, lembra Gilbert Gouvêa.

Em um primeiro momento, os cursos seriam ofertados para professores de arte, supervisores pedagógicos e estudantes dos cursos de Magistério e Pedagogia. Para a primeira fase. estão previstos 50 participantes distribuídos em duas turmas. Até o final do ano, a previsão é que o curso de extensão atenda a 600 cursistas.

 Conservatórios

Minas é o único estado do Brasil que conta com escolas de música na rede pública de ensino. São 12 Conservatórios de Música mantidos pela Secretaria de Estado de Educação. Com o objetivo de atender a diversas regiões do estado, Minas conta com escolas nas cidades de Araguari, Ituiutaba, Uberaba e Uberlândia, no Triângulo Mineiro, em São João Del Rei, Juiz de Fora, Leopoldina e Visconde do Rio Banco, cidades da Zona da Mata, em Montes Claros no Norte de Minas, Diamantina no Vale do Jequitinhonha, e em Pouso Alegre e Varginha, cidades do Sul do Estado. As escolas de música atendem cerca de 30 mil alunos com a oferta de cursos técnicos.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/educadores-formulam-criacao-do-curso-de-extensao-em-educacao-musical/

Anúncios

Gestão Anastasia: na véspera do Dia das Mães, Cohab Minas entrega casas a mulheres no Alto Paranaíba

Das 60 unidades entregues em Carmo do Paranaíba, 58 são destinadas a mulheres, chefes de família

A Cohab Minas vai entregar, neste sábado (12), as chaves de 60 casas a mutuários contemplados pelo Programa Lares Geraes Habitação Popular, em Carmo do Paranaíba, região do Alto Paranaíba. Deste total, 58 são destinadas a mulheres, chefes de família, que têm prioridade na política habitacional do Governo de Minas.

As 60 unidades a serem inauguradas em Carmo do Paranaíba integram o Conjunto Habitacional Esperança, que deverá abrigar cerca de 240 pessoas, levando em consideração uma média de quatro moradores por casa. O investimento total na obra foi de R$ 2 milhões, entre recursos do Tesouro do Estado, do governo federal (Programa Minha Casa, Minha Vida) e da prefeitura.

Famílias mineiras que têm mulheres como arrimo de família já somam mais da metade dos mutuários atendidos pelo programa habitacional do Estado executado pela Cohab Minas, em parceria com o governo federal e municípios. Das 30 mil casas já entregues pela Cohab Minas, desde 2005, 15 mil foram destinadas a mulheres.

Essa proporção é resultado da adoção de critérios de seleção socioeconômicos que permitem às mulheres a aquisição de casa própria em condições compatíveis com sua capacidade de pagamento.

A solenidade de inauguração do Conjunto Habitacional Esperança contará com a presença do Secretário de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Elmiro Nascimento; do diretor de Habitação da Cohab Minas, Fradique Gurita; do prefeito de Carmo do Paranaíba, Helder Costa Boaventura; e lideranças políticas da região.

 

Serviço:

Inauguração de 60 unidades habitacionais pelo Programa Lares Geraes Habitação Popular

Data: 12/05/12 (sábado)

Local: Conjunto Habitacional Esperança – bairro Santa Cruz (próximo à penitenciária)

Horário: 15 horas

Telefone de contato: (31) 9824-9567 – Vagner Luiz (Assessoria de Imprensa da Cohab Minas)

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/na-vespera-do-dia-das-maes-cohab-minas-entrega-casas-a-mulheres-no-alto-paranaiba/

Gestão Anastasia: Epamig promove Encontro Técnico da Cafeicultura Irrigada no Semiárido de Minas Gerais

Evento vai destacar resultados das pesquisas sobre cultivo do café no Jaíba

Vânia Aparecida Silva/Epamig Sul de Minas
Cafeicultura irrigada com cultivo intercalar na Fazenda Experimental de Mocambinho
Cafeicultura irrigada com cultivo intercalar na Fazenda Experimental de Mocambinho

A Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig) realiza, nesta terça-feira (15), em Mocambinho (Jaíba/Norte de Minas), o 1º Encontro Técnico da Cafeicultura Irrigada do Semiárido de Minas Gerais. O evento vai destacar os resultados das pesquisas sobre o cultivo de café no Perímetro Irrigado do Jaíba desenvolvidas pela Epamig desde 2008.

Durante o evento, o extensionista da Emater-MG/Projeto Jaíba, Idelmar Pereira da Silva, apresentará a palestra “Realidade da cafeicultura no perímetro irrigado do Jaíba”. O pesquisador da Epamig Sul de Minas, Gladyston Rodrigues de Carvalho, falará sobre os cuidados na colheita e pós-colheita do café. A pesquisadora Vânia Aparecida Silva, também da Epamig Sul de Minas, abordará os benefícios do cultivo intercalar em lavouras de café. Segundo a pesquisadora o plantio de outras culturas entre os cafeeiros é uma forma de otimizar a área irrigada, possibilitando novas formas de renda para o produtor. “A palestra abordará a viabilidade técnica e econômica de diferentes sistemas de cultivo de milho, feijão, mamão e abacaxi intercalares ao cafeeiro”, afirma.

Os participantes do Encontro Técnico ainda conhecerão em campo os experimentos com café na Fazenda de Mocambinho.

O 1º Encontro Técnico da Cafeicultura Irrigada do Semiárido de Minas Gerais será realizado na Fazenda Experimental de Mocambinho/Epamig – Praça Cepti 1, Zona Rural – e terá início às 8h. As inscrições são gratuitas e devem ser feitas no dia do evento. Outras informações pelo telefone (38) 3833-4137.

Cafeicultura na região do Semiárido

A pesquisadora Vânia Silva explica que a cafeicultura no Norte de Minas Gerais é uma atividade recente. “Os primeiros plantios, realizados há menos de 20 anos, estão concentrados no perímetro irrigado no entorno do Rio São Francisco e apresentam boas perspectivas para tornar a região uma nova zona cafeeira do Estado”, afirma.

Os experimentos iniciados pela Epamig em 2008 utilizam as variedades Canephora e Arábica. “Não existem informações conclusivas sobre as cultivares recomendadas para região. Entretanto, no perímetro irrigado, existem experiências de plantio de arábica produzindo 60 sacas por hectare, o que deixa os produtores animados”, informa Vânia.

De acordo com a pesquisadora, o cultivo de café na região do Semiárido tem apresentado resultados positivos e consiste em uma boa opçãopara os produtores locais

Já o pesquisador da Epamig Sul de Minas, Júlio César de Souza, faz um alerta. Segundo ele, o clima semiárido é favorável para a proliferação de outra praga: o bicho-mineiro. “As altas temperaturas e a baixa umidade relativa do ar favorecem a infestação. Para que o cafeeiro tenha uma boa adaptação na região, é imprescindível o controle do bicho-mineiro, evitando desfolhas drásticas”, diz Júlio César.

Seviço:

Evento: 1º Encontro Técnico da Cafeicultura Irrigada do Semiárido de Minas Gerais

Data:15 de maio de 2012

Local:Fazenda Experimental de Mocambinho/EPAMIG – Praça Cepti 1, Zona Rural – Mocambinho/ Jaíba – MG

Horário:8h

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/epamig-promove-encontro-tecnico-da-cafeicultura-irrigada-no-semiarido-de-minas-gerais/

Gestão da Educação: Fórum de educadores avalia o panorama do ensino médio noturno no país

Grupo de trabalho formado para discutir e planejar ações para o ensino médio noturno se reúne em Brasília

Os coordenadores do ensino médio nos estados brasileiros e Distrito Federal estão reunidos em Brasília, nesta sexta-feira (11), para uma apresentação das ações desenvolvidas em cada estado com foco no ensino médio noturno. Os educadores compõem o grupo de trabalho criado pelo Ministério da Educação para planejar ações com foco nesse nível de escolaridade. Formado no ‘Fórum Técnico de Ensino Médio’, realizado em abril. A representante da região sudeste é a superintendente de Desenvolvimento do Ensino Médio da Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais, Audrey Regina Carvalho Oliveira.

“Nós, coordenadores do ensino médio na região sudeste do Brasil, Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro e Espírito Santo, faremos uma apresentação das ações desenvolvidas em nossos estados que têm sido bem sucedidas”, adianta Audrey Regina.

Discutir para aprimorar

A ideia do grupo de trabalho é que ao final do ano seja feito um relatório com as ações e os encaminhamentos voltados para o ensino médio no noturno. Essas medidas integram o ‘Ensino Médio Inovador’, programa do Ministério da Educação, que busca fortalecer o desenvolvimento de propostas curriculares inovadoras nas escolas de ensino médio, como a capacitação de educadores. Minas Gerais fará adesão ao projeto em 2013 e ele será complementar às ações desenvolvidas pelo Estado como foco no ensino médio.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/forum-de-educadores-avalia-o-panorama-do-ensino-medio-noturno-no-pais/

Governo de Minas: pesquisa vai apontar as condições da saúde bucal em municípios do Sul de Minas

 

Exames clínicos e questionários vão permitir a caracterização do nível de utilização de serviços odontológicos e dos riscos à Saúde Bucal da população mineira

Pedro Cisalpino
Projeto será realizado em cinco cidades sul-mineiras
Projeto será realizado em cinco cidades sul-mineiras

Os moradores de Boa Esperança, Guaxupé, Santa Rita do Sapucaí, Turvolândia e Varginha estão incluídos na pesquisa da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) que vai mapear as condições da saúde bucal da população mineira. O inquérito epidemiológico está sendo feito desde o final de abril e vai permitir a identificação dos problemas bucais mais freqüentes, a fim de diagnosticar as necessidades e, assim formular ações de prevenção, tratamentos e reabilitação adequados à realidade das comunidades.

A pesquisa abrange outros 55 municípios mineiros. Em cada um deles serão feitos cerca de 100 exames, totalizando, aproximadamente, seis mil exames no Estado. De acordo com a diretora de Saúde Bucal da SES-MG, Daniele Lopes Leal, a pesquisa vai fortalecer a Política de Saúde Bucal, que vem sendo delineada no estado.

“O projeto Saúde Bucal Minas Gerais vai trazer como resultado o diagnóstico epidemiológico de Saúde Bucal da população mineira, a partir do qual serão formuladas ações que contemplem esta população com o desenvolvimento de programas de âmbito estadual”, explica.

Durante a pesquisa, além dos índices tradicionais de aferição das doenças bucais, será aplicado, também, um questionário aos indivíduos examinados. Dessa forma, serão analisados problemas como cárie, doença periodontal, oclusopatias, fluorose (intoxicação pelo flúor e seus derivados), dentre outras, no sentido de se verificar, além da prevalência, a extensão da gravidade dos problemas.

Segundo a diretora, Daniele Leal, a Política Nacional de Saúde Bucal determina a realização de estudos epidemiológicos desse porte como parte componente da Vigilância em Saúde. “A nossa proposta é realizar pesquisas desse tipo a cada 10 anos, com o intuito de avaliar as alterações no quadro epidemiológico da população”, afirma.

O projeto terá financiamento da SES-MG, por meio da Diretoria de Saúde Bucal, no valor de R$168 mil, sendo que cada município participante vai receber R$ 2.800,00 para pagamento de pessoal e ressarcimento de despesas de deslocamento, além de receber todo o material para realização dos exames.

“Os municípios investem disponibilizando os profissionais para a pesquisa. E o Ministério da Saúde é parceiro no processo, uma vez que toda a metodologia do projeto é do Ministério”, acrescenta a diretora de Saúde Bucal, Daniele Leal.

Participação dos municípios

Para que houvesse representatividade em todo o território do estado de Minas Gerais, os municípios participantes do projeto Saúde Bucal Minas Gerais foram sorteados, seguindo um processo de amostragem probalística.

Nesse processo, foram considerados os grupos etários e o fator de alocação dos municípios, definidos a partir da associação dos índices de Necessidade em Saúde e de Porte econômico, que levam em conta variáveis epidemiológicas e socioeconômicas, além da capacidade do município financiar, com recursos próprios, os cuidados com a saúde dos cidadãos.

Para execução do projeto, os municípios participantes contam com um examinador, um anotador e um coordenador municipal, sendo que os exames epidemiológicos são realizados por Cirurgiões Dentistas e os anotadores são profissionais de nível médio, geralmente técnico em Saúde Bucal (TSB) ou auxiliar em Saúde Bucal (ASB), das Secretarias Municipais de Saúde dos próprios municípios.

“As equipes de campo foram treinadas, em oficina com duração de 24 horas, onde foi possível discutir a operacionalização das etapas do trabalho e as atribuições de cada participante, a fim de assegurar um grau aceitável de uniformidade nos procedimentos”, esclarece a diretora de Saúde Bucal da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), Daniele Leal.

Metodologia de pesquisa

Durante a pesquisa, o cirurgião dentista vai percorrer a cidade e examinar, em domicílio, o morador que se interessar em participar voluntariamente do Projeto, sendo aptas a participar da pesquisa, pessoas com idades de 05 e 12 anos e das faixas etárias de 15 a19, 35 a 44 e 65 a74 anos.

O voluntário deverá, também, responder um questionário, composto por perguntas subjetivas que vão ajudar na compreensão do processo saúde/doença bucal. “O questionário vai contribuir para a avaliação das condições socioeconômica e de utilização dos serviços, sendo fundamental para a estruturação da Rede Assistencial em Saúde Bucal”, afirma Daniele Leal.

Projeto

O projeto segue a metodologia do SB Brasil 2010, do Ministério da Saúde, e conta com a colaboração da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-MG), que vai avaliar os resultados por meio do Conselho de Ética em Pesquisa. Outra instituição a avaliar o resultado da pesquisa será o Comitê de Ética em Pesquisa cadastrado junto à Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (CONEP).

Fonte: www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/pesquisa-vai-apontar-as-condicoes-da-saude-bucal-em-municipios-do-sul-de-minas/

Governo de Minas: Dinis Pinheiro visita centro de tratamento de usuários de drogas

Credeq, em Ravena, distrito de Sabará, é uma das comunidades terapêuticas que mantém parceria com o Estado, por meio do programa Aliança pela Vida

Omar Freire/Imprensa MG
Governador em exercício, Dinis Pinheiro, visitou o Credeq, em Ravena, distrito de Sabará
Governador em exercício, Dinis Pinheiro, visitou o Credeq, em Ravena, distrito de Sabará

O governador em exercício, Dinis Pinheiro, visitou, nesta sexta-feira (11), o Centro de Tratamento de Dependência Química (Credeq), em Ravena, distrito de Sabará, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. O Credeq é uma comunidade terapêutica, que atende usuários de drogas e tem parceria com o Estado. Dos 52 usuários internados, 30 foram encaminhados por meio do programa Aliança pela Vida.

Acompanhado pelo presidente da Comissão de Segurança Pública da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, deputado João Leite, e pelo subsecretário de Políticas sobre Drogas, Cloves Benevides, Dinis Pinheiro foi recebido pelo diretor executivo do Credeq, pastor Wellington Vieira.

O governador em exercício conheceu o trabalho realizado pela instituição para a ressocialização dos usuários, a maioria dependentes do crack. Visitou as instalações do Credeq e tomou café da manhã preparado pelos próprios internos, que participam de oficinas profissionalizantes de padaria e cozinha industrial.

Para Dinis Pinheiro, o apoio do Governo de Minas é fundamental para que ações de combate ao uso das drogas tenham sucesso no Estado.

“As comunidades terapêuticas são iluminadas porque elas conseguem retratar aquele ambiente mais positivo e saudável que poderíamos almejar. Consegue retratar aquele ambiente familiar e aconchegante aliado às medidas necessárias e essenciais para o enfrentamento dessa adversidade, que é a dependências das drogas”, disse.

De acordo com o subsecretário de Políticas sobre Drogas, Clóvis Benevides, as instituições prestam um serviço necessário e transformador para o país.

“As comunidades são mais que um equipamento de saúde e de assistência, pois são uma representação muito sólida do exercício do amor. Oferecem suportes que vão para além das políticas convencionais”, afirmou Benevides.

O diretor executivo do Credeq, pastor Wellington Vieira, disse que a instituição é a que registra o maior percentual de recuperação de usuários, com 70% deles retornando ao ambiente familiar, depois de cumprido o programa de tratamento.

“Se não existisse a parceria com o Governo de Minas, 90% das nossas ações serão reduzidas a nada. Precisamos do apoio do Estado para a estruturação física das comunidades, custeio e capacitação de pessoal e realização de oficinas”, disse.

Aliança pela Vida

Minas Gerais é referência em todo o país no que se refere às políticas públicas destinadas ao tratamento a usuários de drogas. Neste ano, o orçamento para área dobrou em relação a 2011, somando cerca de R$ 50 milhões.

Usuários do Credeq são beneficiados, por exemplo, pelo cartão Aliança Pela Vida, que concede auxílio financeiro mensal no valor de R$ 900 a famílias, cuja renda seja de até dois salários mínimos. Desse valor, R$ 810 são para pagamento da comunidade terapêutica. Outra vertente do programa é o SOS Drogas. Em Minas, quem disca o número 155 tem informações sobre a localização e o acesso a serviços de assistência ao dependente químico.  Outro serviço é Centro de Referência Estadual em Álcool e Drogas (Cread) que funciona na Rua Rio de Janeiro, 471 – 3º andar, em Belo Horizonte, para atendimento presencial a pessoas com dependência e apoio as famílias.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/dinis-pinheiro-visita-centro-de-tratamento-de-usuarios-de-drogas/

Governo de Minas: cidades do Centro-Oeste de Minas são beneficiadas por programa de saúde bucal

Em Divinópolis, Lagoa da Prata e Onça de Pitangui, pesquisa da Secretaria de Estado de Saúde apontará condições de cada cidade

links relacionados
Pedro Cisalpino
Ações voltadas para a saúde bucal irão beneficiar moradores do Centro-Oeste
Ações voltadas para a saúde bucal irão beneficiar moradores do Centro-Oeste

Os moradores de Divinópolis, de Lagoa da Prata e de Onça de Pitangui estão incluídos na pesquisa da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) que vai mapear as condições da saúde bucal da população mineira. O inquérito epidemiológico está sendo feito desde o final de abril e vai permitir a identificação dos problemas bucais mais frequentes, a fim de diagnosticar as necessidades e, assim formular ações de prevenção, tratamentos e reabilitação adequados à realidade das comunidades.

A pesquisa abrange outros 57 municípios mineiros. Em cada um deles serão feitos cerca de 100 exames, totalizando, aproximadamente, seis mil exames no Estado. De acordo com a diretora de Saúde Bucal da SES-MG, Daniele Lopes Leal, a pesquisa vai fortalecer a Política de Saúde Bucal, que vem sendo delineada no estado.

“O projeto Saúde Bucal Minas Gerais vai trazer como resultado o diagnóstico epidemiológico de Saúde Bucal da população mineira, a partir do qual serão formuladas ações que contemplem esta população com o desenvolvimento de programas de âmbito estadual”, explica.

Durante a pesquisa, além dos índices tradicionais de aferição das doenças bucais, será aplicado, também, um questionário aos indivíduos examinados.  Dessa forma, serão analisados problemas como cárie, doença periodontal, oclusopatias, fluorose (intoxicação pelo flúor e seus derivados), dentre outras, no sentido de se verificar, além da prevalência, a extensão da gravidade dos problemas.

Segundo a diretora, Daniele Leal, a Política Nacional de Saúde Bucal determina a realização de estudos epidemiológicos desse porte como parte componente da Vigilância em Saúde. “A nossa proposta é realizar pesquisas desse tipo a cada 10 anos, com o intuito de avaliar as alterações no quadro epidemiológico da população”, afirma.

O projeto terá financiamento da SES-MG, através da Diretoria de Saúde Bucal, no valor de R$168 mil, sendo que cada município participante vai receber R$ 2.800,00 para pagamento de pessoal e ressarcimento de despesas de deslocamento, além de receber todo o material para realização dos exames.

“Os municípios investem disponibilizando os profissionais para a pesquisa. E o Ministério da Saúde é parceiro no processo, uma vez que toda a metodologia do projeto é do Ministério”, acrescenta a diretora de Saúde Bucal, Daniele Leal.

Participação dos municípios

Para que houvesse representatividade em todo o território do estado de Minas Gerais, os municípios participantes do projeto Saúde Bucal Minas Gerais foram sorteados, seguindo um processo de amostragem probalística.

Nesse processo, foram considerados os grupos etários e o fator de alocação dos municípios, definidos a partir da associação dos índices de Necessidade em Saúde e de Porte econômico, que levam em conta variáveis epidemiológicas e socioeconômicas, além da capacidade do município financiar, com recursos próprios, os cuidados com a saúde dos cidadãos.

Para execução do projeto, os municípios participantes contam com um examinador, um anotador e um coordenador municipal, sendo que os exames epidemiológicos são realizados por Cirurgiões Dentistas e os anotadores são profissionais de nível médio, geralmente técnico em Saúde Bucal (TSB) ou auxiliar em Saúde Bucal (ASB), das Secretarias Municipais de Saúde dos próprios municípios.

“As equipes de campo foram treinadas, em oficina com duração de 24 horas, onde foi possível discutir a operacionalização das etapas do trabalho e as atribuições de cada participante, a fim de assegurar um grau aceitável de uniformidade nos procedimentos”, esclarece a diretora de Saúde Bucal da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), Daniele Leal.

Metodologia de pesquisa

Durante a pesquisa, o cirurgião dentista vai percorrer a cidade e examinar, em domicílio, o morador que se interessar em participar voluntariamente do Projeto, sendo aptas a participar da pesquisa, pessoas com idades de 05 e 12 anos e das faixas etárias de 15 a19, 35 a 44 e 65 a74 anos.

O voluntário deverá, também, responder um questionário, composto por perguntas subjetivas que vão ajudar na compreensão do processo saúde/doença bucal. “O questionário vai contribuir para a avaliação das condições socioeconômica e de utilização dos serviços, sendo fundamental para a estruturação da Rede Assistencial em Saúde Bucal”, afirma Daniele Leal.

O projeto segue a metodologia do SB Brasil 2010, do Ministério da Saúde, e conta com a colaboração da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-MG), que vai avaliar os resultados através do Conselho de Ética em Pesquisa. Outra instituição a avaliar o resultado da pesquisa será o Comitê de Ética em Pesquisa cadastrado junto à Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep).

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/cidades-do-centro-oeste-de-minas-sao-beneficiadas-por-programa-de-saude-bucal/

Governo de Minas: obras do BRT alteram pontos do transporte coletivo no Centro de Belo Horizonte

No total, 94 linhas gerenciadas pela Setop e 67 pela BHTrans terão seus itinerários alterados

Em função das obras do BRT, Transporte Rápido por Ônibus, na área central de Belo Horizonte, a Secretaria de Estado de Transportes e Obras Públicas (Setop), em ação conjunta com a BHTrans, realizará alteração dos pontos das linhas metropolitanas que trafegam pela avenida Santos Dumont, entre as ruas da Bahia e São Paulo. As alterações entrarão em funcionamento a partir da próxima terça-feira (15).

Noventa e quatro linhas gerenciadas pela Setop e 67 pela BHTrans terão seus itinerários alterados. As linhas metropolitanas que antes trafegavam pela Santos Dumont, no sentido entre a Rodoviária e a Praça da Estação passarão, agora, pelas ruas São Paulo e Caetés.

As linhas metropolitanas que circulavam pela Avenida Santos Dumont, no sentido inverso, entre a Praça da Estação e a Rodoviária, passarão a circular pelas ruas Guaicurus e São Paulo, retornando para a Avenida Santos Dumont.

Todos os pontos de embarque e desembarque localizados na Avenida Santos Dumont, entre as ruas da Bahia e São Paulo, deixarão de operar. As calçadas permanecerão inalteradas, possibilitando o deslocamento dos pedestres e o acesso ao comércio.

Informações

Os usuários do sistema metropolitano serão informados sobre as alterações por meio de cartazes, que serão afixados nos pontos de embarque e desembarque e no interior dos ônibus, onde também receberão informativos. As dúvidas poderão ser obtidas pelo telefone 155, opção 6.

Os locais das alterações serão sinalizados com faixas de tecido para orientação aos condutores. Agentes da Unidade Integrada de Trânsito, BHTrans, Polícia Militar de Minas Gerais e Guarda Municipal irão operar o tráfego na região.

Para mais detalhes sobre as alterações nos itinerários das linhas de ônibus gerenciadas pela Secretaria de Estado de Transportes e Obras Públicas clique aqui (arquivo PDF).

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/obras-do-brt-alteram-pontos-do-transporte-coletivo-no-centro-de-belo-horizonte/

Governo de Minas: Grupo Galpão apresenta “Romeu e Julieta” em Londres

Companhia mineira participará de festival junto com outros grupos de várias partes do mundo

 

Os mineiros do Grupo Galpão, uma das mais famosas companhias de teatro do país, se apresentam nos dias 19 e 20 de maio, no evento Shakespeare’s Globe, em Londres, Inglaterra. O espetáculo “Romeu e Julieta” será reestreado no Globe Theatre. O festival londrino convidou grupos de teatro de todo o mundo para representar em várias línguas as 37 peças de Willian Sheakespeare. A montagem também será uma forma do grupo comemorar 30 anos de existência. Informações pelo G1.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/grupo-galpao-apresenta-romeu-e-julieta-em-londres/

Gestão Eficiente: Rio Doce recebe 23 novas Farmácias de Minas

Hoje, 36 unidades farmacêuticas do programa Farmácia de Minas atendem à região

Divulgação/Farmácia de Minas Marilac
Unidade do Farmácia de Minas de Marilac, inaugurada no último mês de abril
Unidade do Farmácia de Minas de Marilac, inaugurada no último mês de abril

Vinte e três cidades do Rio Doce estão sendo contempladas com unidades da Rede Farmácia de Minas neste primeiro semestre de 2012. O programa, desenvolvido pela Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES/MG), garante o acesso da população a medicamentos voltados para a atenção primária à saúde, melhorando a assistência farmacêutica e incentivando a busca ativa do paciente.

As unidades de Senhora do Porto, Marilac e São Domingos das Dores já foram inauguradas em abril. Neste mês de maio, Aimorés, Galiléia, Divinolândia de Minas, Santa Efigênia, Água Boa, Itueta, Vargem Alegre, Entre Folhas, José Raydan, Santa Maria do Suaçuí, Nova Belém e Pingo D’água também estão sendo contempladas e, para junho, estão previstas inaugurações em Naque, Piedade de Caratinga, Materlândia, Periquito, Alpercata, São Sebastião do Anta, Guanhães e Santa Rita de Minas. Para a instalação das novas unidades no Rio Doce, foram disponibilizados recursos da ordem de R$ 2 milhões, do Tesouro do Estado.

Hoje, 36 unidades farmacêuticas do programa Farmácia de Minas atendem à região. Desde que foi implantado, em 2007, até o final de 2011, foram inauguradas 33 unidades, nos municípios de Alvarenga, Antônio Dias, Braúnas, Bugre, Campanário, Capitão Andrade, Central de Minas, Conceição de Ipanema, Dom Cavati, Engenheiro Caldas, Fernandes Tourinho, Frei Inocêncio, Gonzaga, Iapu, Joanésia, Marliéria, Mathias Lobato, Mendes Pimentel, Mesquita, Nacip Raydan, Nova Módica, Paulistas, Pocrane, Resplendor, São João Evangelista, São João do Manhuaçu, São José da Safira, São José do Divino, Sardoá, Sobrália, Taparuba, Tarumirim e Tumiritinga.

Apenas em 2011, o governador Antonio Anastasia inaugurou, simultaneamente, 200 unidades em todo o Estado. A meta do Governo de Minas é chegar a 700 municípios até 2014. “É bom dizer que entre 2007 e agora nós já aumentamos em mais de 70% o volume de recursos financeiros do tesouro nesse programa e aumentamos também, consideravelmente, os medicamentos disponibilizados”, disse o governador. Até hoje, mais de R$ 18 milhões já foram aplicados no programa, que disponibiliza para a população 162 tipos de medicamentos.

Melhoria para todos

Em Marilac, a nova unidade do programa Farmácia de Minas, inaugurada no último dia 24 de abril, representou melhoria não só para os usuários, como para a própria farmacêutica trabalhar. “A unidade oferece mais conforto para o paciente e o meu trabalho também melhorou muito. Agora, posso dar mais atenção ao paciente. Antes, o medicamento era entregue por uma janelinha”, recorda Thiara Vieira dos Santos, farmacêutica da unidade. Ela destaca também as melhores condições de armazenamento. “Antes, o local tinha mofo. Já aqui é tudo novinho”.

Helmer Lorran de Oliveira Cordeiro, farmacêutico da unidade em Frei Inocêncio, inaugurada em novembro de 2011, também destaca a melhoria na infraestrutura. “Pôde proporcionar um atendimento mais digno e humanizado para o paciente, sem falar que hoje o acondicionamento dos medicamentos é feito de forma correta, em local apropriado, com temperatura adequada”, relata.

Outro benefício proporcionado pela unidade da Farmácia de Minas diz respeito à atenção farmacêutica. “Agora podemos exercer, de fato, a atenção farmacêutica, pois dispomos de uma sala, em que podemos realizar um atendimento mais específico, conversar com o paciente, oferecer mais atenção. A nova estrutura trouxe realmente muitos benefícios”, conclui o farmacêutico.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/rio-doce-recebe-23-novas-farmacias-de-minas/