Gestão da Educação: em Minas, estudos em ciência e tecnologia estão ao alcance de todos

Programa da Sectes estimula estudantes a apreciar e conhecer mais sobre o assunto

Sectes / Divulgação
Alunos visitam Parque da Ciência
Alunos visitam Parque da Ciência

O programa de popularização da Ciência e Tecnologia, desenvolvido pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sectes), já atingiu desde o início desse ano, 2.500 pessoas em Teófilo Otoni e região.

Com a mobilização do Polo de Inovação, aproximadamente 900 crianças e jovens foram estimuladas a visitar o Parque da Ciência na Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM) e a participar da elaboração de programas para a Rádio Ciência. Nas redes sociais, cerca de mil pessoas já integram um grupo no Facebook que discute iniciativas de ciência e tecnologia no nordeste de Minas Gerais.

Na escola Tiradentes de Teófilo Otoni, em apenas um dia, o projeto “Ciência na Escola” atendeu a 500 alunos. Eles participaram de diversas oficinas com os equipamentos do Parque e da Rádio Ciência, que fizeram parte de uma exposição na escola.

Na área externa do campus da UFVJM em Teófilo Otoni, o projeto “Terça no espaço” possibilitou que mais de 100 pessoas pudessem observar o espaço com o telescópio do Parque da Ciência.

De acordo com o coordenador do programa de Popularização da Ciência e Tecnologia em Teófilo Otoni, Wallas Siqueira Jardim, a parceria entre o Polo de Inovação e a UFVJM é importante para o desenvolvimento da educação na região. A estrutura da Universidade permite ao Polo promover o contato dos estudantes com diversos jogos, experimentos, brinquedos e desafios propostos nas visitas ao Parque da Ciência e à emissora de rádio.

“Os alunos percebem que a ciência não está apenas nos livros e decoreba das fórmulas matemáticas, mas também no olhar e no toque. O mundo a sua volta pode ser percebido e entendido de uma maneira fácil e divertida”, explicou Wallas.

Polos de Inovação

O polo de Teófilo Otoni é um dos oito instalados também nos municípios de Araçuaí, Almenara, Janaúba, Diamantina Januária, Pirapora e Salinas. Eles atuam no norte de Minas e vales do Jequitinhonha e Mucuri com o objetivo de catalisar oportunidades para o desenvolvimento econômico e social da região. As atividades oferecidas pelos Polos desenvolvem potenciais, fortalecem vocações e promovem a cidadania.

Para saber mais e participar das ações de popularização da ciência e tecnologia em Teófilo Otoni, entre em contato com o coordenador de Popularização da Ciência do Polo de Inovação de Teófilo Otoni, pelo email wallasmat@yahoo.com.br .

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/em-minas-estudos-em-ciencia-e-tecnologia-estao-ao-alcance-de-todos/

Governo de Minas: Antonio Anastasia toma posse na Academia Nacional de Economia

Governador foi eleito por unanimidade e passa a ocupar a cátedra que tinha como titular o jornalista Roberto Marinho

Wellington Pedro/Imprensa MG
Antonio Anastasia vai ocupar cadeira que pertencia a Roberto Marinho
Antonio Anastasia vai ocupar cadeira que pertencia a Roberto Marinho

O governador Antonio Anastasia tomou posse, nesta quarta-feira (25), no Rio de Janeiro, como membro titular imortal da Academia Brasileira de Ciências Econômicas, Políticas e Sociais – Academia Nacional de Economia (ANE). Anastasia foi indicado por um dos membros da Academia e foi escolhido por uma comissão de seleção por seu currículo, segundo os critérios do estatuto social e do regimento, e eleito por unanimidade pela instituição para ocupar a Cátedra número 4.

Durante seu discurso de posse, o governador ressaltou que aceitou o convite para tomar assento em uma das cátedras da Academia como uma homenagem a Minas Gerais.

“Minas jamais refugou diante dos desafios e das missões que lhe atribuiu a Pátria. Jamais desertamos da causa única da República: a Liberdade. Liberdade que é o tônico da política e o bálsamo da economia”, disse.

A cátedra número 4 tinha como titular o jornalista Roberto Marinho, cujo patrono é o político, escritor e jornalista Aureliano Cândido Tavares Bastos, considerado um precursor do federalismo, destacado por sua luta contra a excessiva centralização administrativa durante o segundo reinado (1840-1889).

Lembrando seu patrono, o governador mais uma vez se colocou contra o centralismo político administrativo, a favor de uma forte e verdadeira federação.

“Do patrono desta cátedra tomo a medida de minha responsabilidade. É preciso urdir um sistema de colaboração institucional entre os diversos atores do cenário político nacional, para permitir que o Estado e seus governos convivam harmoniosamente, assim como previu a Constituição. É apenas essa harmonia que permite que governos e mercados mantenham uma coexistência saudável e progressista”, declarou Anastasia.

Academia

Fundada em 1944, a Academia Nacional de Economia é uma sociedade particular, com caráter científico e cultural, com sede no Rio de Janeiro. Tem por finalidade estimular o progresso e desenvolvimento das Ciências Econômicas, Políticas e Sociais, estudando e discutindo os assuntos dessas áreas. Busca também preservar a história e a memória das ciências e profissões afins e estimular a reverência e a homenagem aos colegas profissionais importantes do passado e do presente.

Podem ser membros titulares acadêmicos da Academia Nacional de Economia, os brasileiros que tenham inquestionável notoriedade – profissionais de notória competência e saber –, em qualquer das ciências ou profissões abrangidas pela sociedade.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/antonio-anastasia-toma-posse-na-academia-nacional-de-economia/

Governo de Minas: Secretaria de Cultura realiza eleição presencial para o Conselho Estadual de Política Cultural

Integrantes do setor elegeram seus representantes no Consec

Osvaldo Afonso / Imprensa MG
Votação ocorreu nesta segunda-feira na Cidade Administrativa
Votação ocorreu nesta segunda-feira na Cidade Administrativa

A Secretaria de Estado de Cultura (SEC) realizou nesta terça-feira (17), na Cidade Administrativa, a eleição presencial para a escolha dos representantes da sociedade civil que vão compor o Conselho Estadual de Política Cultural (CONSEC). Participaram os eleitores indicados pelas entidades civis que fizeram cadastramento prévio junto à SEC e que apresentaram documentação de acordo com as exigências do Edital de Convocação. O resultado será divulgado no dia 23 de abril, com a totalização dos votos enviados por entidades do interior.

A eleição ocorreu nos 8º e 9º andares do prédio Gerais com absoluta tranqüilidade. Com o apoio do Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais (TRE-MG), a votação foi realizada por meio de 11 urnas eletrônicas, uma para cada seguimento que terá representação do conselho.

Muita gente optou por comparecer logo no início do horário de votação. Foi o caso de Rosalba Lopes, representante do Instituto Inhotim. Ela destacou a importância da criação do Conselho e da participação da sociedade na eleição dos integrantes. “A importância principal desse Conselho está vinculada à presença da sociedade civil nas decisões da cultura. Essa abertura indica uma tentativa de democratizar esse campo no Estado”, considerou.

O presidente do Sindicato dos Produtores de Artes Cênicas de Minas Gerais (Simparc-MG), Rômulo Duque, considera essa eleição uma vitória histórica da classe artística. “São quase trinta anos de uma reivindicação do setor cultural que se realiza hoje. O Conselho Estadual de Política Cultural é um instrumento que nos permite participar lado a lado com o Governo de Minas na elaboração de uma política pública de Cultura”, comemorou.

Bete Arenq, da Associação Será Quê Cultural, destacou o fato de o Conselho ser composto por representantes de entidades que estão atuando no cenário cultural. “Por haver em sua composição pessoas do meio artístico, tem uma possibilidade maior de que as políticas culturais estejam de acordo com as demandas da classe. É importante ter pessoas conversando e interagindo com o governo sobre as demandas da área cultural”, destacou.

Interior

A votação de ontem foi presencial, no entanto, representantes das entidades do interior que não tiveram condições de se deslocar para a Cidade Administrativa puderam votar por carta.

Paulo Henrique Valadares Neves, representante da Associação Fundamental Cidade Feliz, preferiu se deslocar de Sabará para escolher o representante do setor de produção cultural. Ele destacou a ação da SEC no incentivo à participação das entidades do interior no Conselho. “O que acho bastante interessante é a questão da interiorização. Minas Gerais é um estado muito grande e cada região tem uma particularidade cultural que difere da outra. A existência de um Conselho como possibilidade para a sociedade participar de forma mais ativa das decisões que o governo precisa tomar poderá beneficiar e valorizar muitas regiões”, analisa.

Após a apuração dos votos, a Comissão Eleitoral do Consec vai elaborar as listas tríplices de cada segmento, compostas pelos três primeiros colocados em cada votação. Em seguida, a Secretária de Estado de Cultura, Eliane Parreiras, encaminha essas listas ao governador do Estado, Antonio Anastasia, que designará e nomeará os membros da sociedade civil que irão compor o Conselho Estadual de Política Cultural.

O Consec

O Conselho Estadual de Política Cultural representa o empenho do Governo de Minas para modernizar a administração pública estadual. Entre as diversas atribuições do Consec estão auxiliar a Secretaria de Estado de Cultura na elaboração do Plano Estadual de Cultura, bem como manifestar-se a respeito de programas e projetos de incentivo a artistas e demais representantes do setor cultural, da gestão de acervos culturais, de campanhas de divulgação, conscientização e defesa do patrimônio cultural, entre outras funções.

Também compete ao Consec manter instâncias de discussão com as associações representativas de artistas e produtores culturais, contribuir para integração entre os órgãos públicos e entidades da iniciativa privada do setor cultural, bem como elaborar seu regimento interno e respectivas alterações. O conselho é composto por 11 representantes do Poder Público e 11 representantes da sociedade civil organizada, e será presidido pela SEC-MG.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/secretaria-de-cultura-realiza-eleicao-presencial-para-o-conselho-estadual-de-politica-cultural/

Governo de Minas: universidade Estadual de Montes Claros prepara o I Congresso de Ciências Humanas

O evento que está previsto para o mês de agosto irá proporcionar novos desafios para os alunos

Ascom/Unimontes
Professores discutem conteúdo do I Congresso de Ciências Humanas
Professores discutem conteúdo do I Congresso de Ciências Humanas

Avaliar o curso de graduação e pós-graduação e discutir novas perspectivas para as atividades de ensino, pesquisa e extensão são os principais objetivos do I Congresso de Ciências Humanas da Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes).

O conteúdo programático do evento será elaborado pelo Conselho de ciências humanas (CCH). A primeira reunião para discutir esse tema foi na terça-feira (10). A ideia é realizar palestras, mesas redondas, conferências com professores, dirigentes da instituição e especialistas convidados, apresentar  trabalhos científico e publicação de resumos.

“Como proposta coletiva, o Congresso permitirá à comunidade acadêmica debater medidas concretas para a revitalização das licenciaturas em Ciências Humanas, além de apresentar resultados – e ao mesmo tempo demandas – dos projetos de pesquisa, de estágios e da formação inicial, para o acadêmico, e da formação continuada do docente”, observa Antônio Wagner Veloso Rocha, diretor do CCH.

O evento que tem o apoio da Fundação de amparo à pesquisa do estado de Minas Gerais (Fapemig), da Coordenação de aperfeiçoamento de pessoal de nível superior (Capes) e do Ministério da Educação será realizado entre os dias 8 e 10 de agosto no campus-sede.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/universidade-estadual-de-montes-claros-prepara-o-i-congresso-de-ciencias-humanas/

Gestão da Educação: alunos da rede estadual representam Minas em feira internacional

Estudantes da Escola Estadual Manuel Antônio de Sousa, em Azurita, irão aos EUA em maio

Divulgação/SEE
Estudantes irão representar Minas Gerais em competição internacional nos Estados Unidos
Estudantes irão representar Minas Gerais em competição internacional nos Estados Unidos

Estudantes da rede estadual de ensino de Minas Gerais participarão, em maio, de um dos principais encontros internacionais de ciências do mundo. Tudo começou há pouco mais de cinco meses, quando Júlia Maria Resende Ferreira, Jaqueline Campos Costa e Cristopher Mateus Carvalho foram convidados pela professora de biologia, Fernanda Aires Guedes, a participarem de uma pesquisa que envolvia uma velha conhecida dos moradores da pequena Azurita, no distrito de Mateus Leme: o Pariri. O objetivo do trabalho era comprovar o potencial medicinal da planta. O que começou como uma pesquisa para ser apresentada na feira de ciências da escola, hoje tomou proporções inimagináveis.

Os estudantes do primeiro ano do ensino médio, da Escola Estadual Manuel Antônio de Sousa participarão no mês de maio, nos Estados Unidos, da International Science and Engineering Fair (Intel ISEF), a maior feira para estudantes que ainda não chegaram ao nível universitário.

“Em 2011, orientei um trabalho dos alunos do 3º ano do ensino médio da Educação de Jovens e Adultos (EJA), no qual eles analisaram a parte hematológica do Pariri, ou seja, a eficácia curativa. Esses estudantes se formaram e então resolvi dar continuidade ao trabalho com os três melhores alunos da escola. Fiz o convite e eles aceitaram”, conta a Fernanda Aires Guedes.

Na continuidade do trabalho, os estudantes analisaram o potencial anti-inflamatório e antimicrobiano da planta. A primeira parte foi a pesquisa de campo. Os alunos entrevistaram moradores da cidade que faziam uso do Pariri e perguntaram, por exemplo, como elas consomem a planta e a quantidade ingerida.

A segunda parte foi a análise das propriedades químicas da planta. O grupo analisou quais os princípios ativos que o Pariri tem e que faz com que ele haja em determinadas doenças. Essa etapa da pesquisa foi realizada em um laboratório de Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e contou com a coorientação do doutorando em Química, Fernando César Silva. “A maior parte da pesquisa foi realizada no laboratório da escola, mas para essa etapa precisamos de equipamentos mais sofisticados dos quais a escola não dispunha”, ressalta a professora de Biologia.

Após a análise e já de volta ao laboratório da escola, os estudantes estudaram o potencial de inibição do crescimento de bactérias utilizando estratos da planta. “Nós trouxemos os estratos do Pariri para escola e testamos em quatro bactérias (Salmonella, Lactobacillus, Ecoli e Shigella). Nessa fase, verificávamos quais estratos eram capazes de inibir a proliferação de bactérias”, afirma Júlia.

A última etapa do trabalho foi a produção de três produtos fitoterápicos. “Fizemos pomada, sabonete e hidratante. São produtos que são utilizados na cicatrização e lavagem de feridas”, conta Jaqueline. O controle de qualidade dos produtos também ficou por conta dos ‘jovens pesquisadores’. “Em todos os produtos fizemos testes para observar o PH, temperatura, concentração e textura ideais”, conclui a estudante.

Depois de todo trabalho, os estudantes já se sentem verdadeiros pesquisadores. “Aprendemos muitas coisas que não sabíamos como o nome de vários equipamentos do laboratório. Além disso, nós conseguimos provar que o Pariri consegue inibir o crescimento de bactérias e isso é muito importante”, ressalta Júlia.

Durante os cinco meses de pesquisa todo o trabalho realizado foi registrado no ‘livro de bordo’ e os números são surpreendentes. Para o estudo foi utilizado mais de 1Kg da folha, o que daria para encher mais ou menos quatro sacolas grandes. Essa quantidade deu para fazer 12 sabonetes, quatro vidros de hidratantes e quatro pomadas.

Vaga na Intel Isef

A oportunidade de participar da competição internacional foi conquistada após a participação do grupo na Feira Brasileira de Ciência e Tecnologia (Febrace), feira promovida pela Universidade de São Paulo (USP). Durante o evento, além de conquistar a vaga na Intel Isef, com a pesquisa ‘comprovação do potencial medicinal da planta pariri (Arrabidae Chica) e suas aplicações químicas em produtos fitoterápicos’, os estudantes receberam outras três premiações: primeiro lugar como melhor stand, segundo lugar na categoria ciências biológicas e professora destaque da feira.

A professora destaque, Fernanda Aires Guedes, ressalta a importância de incentivar os jovens a realizar pesquisas. “Eu sempre gostei de incentivar os alunos a trabalharem com pesquisas. Não são apenas eles que aprendem comigo, eu também aprendo muito com eles e faço tudo com muito amor”.

A participação na feira trará para os estudantes a chance de conquistar diferentes prêmios, entre eles uma bolsa na universidade de Havard, nos Estados Unidos. Mais de 60 trabalhos serão apresentados na Intel Isef e para competir em pé de igualdade com os outros projetos, os estudantes estão contando com uma maratona de preparação. “Estamos fazendo aulas de inglês, por causa da apresentação. A participação na feira é algo novo e diferente. Vai ser muito bom para o meu currículo, já que pretendo seguir carreira na área”, confessa Cristopher Mateus Carvalho.

Pariri

O Pariri é velho conhecido dos moradores de Mateus Leme. Segundo os estudantes, a planta começou a ficar famosa em 1995, quando um dentista da cidade estava fazendo um tratamento contra o câncer e ao começar a tomar o chá feito com a planta começou a perceber um aumento das hemácias. Ao ser curado, ele prometeu que iria divulgar os benefícios do Pariri. Então sempre que um morador pede ele distribui folhas já secas da planta e quando a pessoa começa a fazer uso frequente ele distribui as mudas do Pariri.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/alunos-da-rede-estadual-representam-minas-em-feira-internacional/

Governo de Minas: estudantes da rede estadual poderão trocar vouchers por livros na Bienal do Livro de Minas

Alunos irão receber um voucher que poderá ser trocado por um livro de até R$ 5

No próximo mês de maio, os estudantes mineiros irão viajar no mundo da literatura. Eles terão a oportunidade de participar da Bienal do Livro de Minas Gerais e para que eles possam levar um ‘pedacinho’ desse universo para casa, a Secretaria de Estado de Educação (SEE) irá oferecer vouchers para 25 mil alunos da rede estadual de ensino. Os professores que acompanharem os estudantes também receberão os vouchers. O evento será realizado entre os dias 18 e 27 de maio, no Expominas, em Belo Horizonte.

Serão contemplados alunos de escolas de Belo Horizonte e Contagem. O voucher do estudante poderá ser trocado por um livro de até R$ 5. Já o voucher dos professores será no valor de R$ 30. A SEE também irá repassar para as escolas recurso para o transporte e lanche dos alunos.

“São escolas que participam de diferentes projetos da secretaria, como o Escola Viva Comunidade Ativa e o Educação em Tempo Integral, também foram selecionadas escolas que demonstraram uma evolução nos resultados do Programa de Avaliação da Alfabetização (Proalfa)”, ressalta a subsecretária de Desenvolvimento da Educação Básica, Raquel Elizabete de Souza Santos.

Inscrições para Bienal do Livro

Escolas da rede pública e particular já podem se inscrever para participar da Bienal do Livro de Minas Gerais. Por meio da Visitação Escolar, os estudantes terão acesso gratuito ao evento. O cadastro das escolas deverá ser feito pelo endereço www.bienaldolivrominas.com.br. As inscrições serão encerradas quando todas as vagas forem preenchidas. A expectativa é que 46 mil alunos participem do evento.

Ao realizar a inscrição pela internet, os responsáveis devem enviar um pequeno texto explicando os objetivos da visita: o que esperam que os alunos aprendam, como a Bienal é capaz de potencializar o conhecimento passado em sala de aula e de que forma as crianças podem aproveitar melhor o passeio. Escolas de todos os municípios mineiros podem se inscrever. As escolas que visitarem a bienal receberão um manual exclusivo, que irá auxiliá-las durante a vista.

Professores, bibliotecários e profissionais do livro também têm acesso gratuito à Bienal do Livro Minas, independente de estarem inscritos na Visitação Escolar. Para isso, devem apresentar CPF, identidade e carteira profissional nos guichês de entrada ou se cadastrar antecipadamente pelo site do evento a partir do mês de abril.

Bienal do Livro de Minas

A terceira edição da Bienal do Livro de Minas é uma iniciativa de estímulo à leitura e desenvolvimento pedagógico. Além da Visitação Escolar, a organização do evento estuda a possibilidade de abrigar outros eventos educacionais.

Entre as novidades anunciadas para este ano, está a criação de novos espaços culturais, voltados para o debate e entretenimento do público, como o Território Jovem e o Livro Encenado.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/estudantes-da-rede-estadual-poderao-trocar-vouchers-por-livros-na-bienal-do-livro-de-minas/

Governo de Minas: Daniela Mercury usa vestido de crochê produzido por detentos mineiros

A cantora estava vestida com uma peça produzida por presos da Penitenciária Professor Ariosvaldo Campos Pires, de Juiz de Fora
Osvaldo Afonso/Imprensa MG
Detentos da Penitenciária Professor Ariosvaldo Campos Pires durante produção das peças
Detentos da Penitenciária Professor Ariosvaldo Campos Pires durante produção das peças

A cantora baiana Daniela Mercury, que concedeu entrevista coletiva sobre o Carnaval 2012 nessa terça-feira (14), é mais uma artista que aparece com peças produzidas por detentos mineiros da Penitenciária Professor Ariosvaldo Campos Pires, de Juiz de Fora, na Zona da Mata. Ela usou um vestido vermelho, de crochê, produzido a partir de uma parceria da penitenciária com a empresa mineira Doisélles, de Raquell Guimarães.

Daniela usou o vestido para compor parte do figurino de Dona Flor, personagem do escritor Jorge Amado, que faria 100 anos em 2012 e será homenageado pela cantora no Carnaval. Além do vestido, os detentos ajudaram a produzir outras quatro peças que foram enviadas à cantora pela Doisélles, a pedido de Daniela, e existe a expectativa que ela vista mais uma das peças durante os dias de folia.

Além da artista, a apresentadora Angélica também já usou modelo produzido pelos detentos durante um programa da TV Globo, e a socialite Beth Szafir adquiriu peças da marca, que mantém um showroom em São Paulo, está presente em 70 lojas multimarcas em todo o Brasil e participa, constantemente, de feiras em Paris e Tóquio. Lá fora, as peças também conquistaram a cantora japonesa Crystal Kay, sucesso entre os jovens no país. Ela usa uma blusa durante o clipe de uma de suas músicas mais famosas, “Superman”.

Os modelos também já apareceram em campanhas publicitárias e todas as peças, sem exceção, trazem uma etiqueta que identifica o trabalho social realizado pela penitenciária estadual e a empresa Doisélles.

Fonte: Agência Minas

Governo de Minas: grupo mineiro trabalha a inovação do design em peças de cerâmica

Trabalho experimental busca agregar valor histórico-cultural da região de Diamantina nas peças
Divulgação/Sectes
Catadoras de Sempre Viva
Catadoras de Sempre Viva

Diamantina, antigo Arraial do Tijuco, no Vale do Jequitinhonha, é a terra dos desbravadores de diamantes, da seresta e da Vesperata, apreciada por personagens curiosos e filhos ilustres – como Juscelino Kubitschek e a escrava que virou rainha, Chica da Silva –, e que se tornou um destino cultural e turístico obrigatório em todo o país. Resgatar essa forte cultura, retratá-la e transformá-la em arte através das mãos, com inovadoras possibilidades, foi o principal desafio de um grupo de artesãos que trabalha com cerâmica na região.

Essa é a proposta do projeto “Terra Queimada”, desenvolvido pelo Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sectes), que deseja incrementar a cultura ceramista local na busca da sustentabilidade, utilizando da inserção dos valores que constituem a identidade histórica, cultural e ambiental da região.

Criado em 2008, o projeto é integrado ao Polo de Inovação da Sectes, em parceria com o Laboratório de Turismo e Artesanato do Centro Vocacional Tecnológico (CVT) de Diamantina, para estimular a produção associada ao turismo, visando à criação de um artesanato original que fortalecesse a cultura ceramista no município. Como resultado expressivo no ano de 2009, o Laboratório de Turismo e Artesanato do CVT conseguiu identificar e montar um grupo de artesãos com aptidão para a cerâmica e, assim, iniciar a parte mais aplicada do projeto. Até hoje, o Polo de Diamantina liberou R$ 27 mil para o projeto.

Na primeira etapa do processo foi realizada a seleção e depois a qualificação dos oito ceramistas do grupo de produção, a fim de aprimorar o desenvolvimento das peças. O objetivo específico da etapa inicial é fazer com que os ceramistas sejam multiplicadores desta cadeia produtiva na região de Diamantina para que, em um futuro próximo, essa atividade possa ser inserida no mercado turístico local, gerando trabalho e renda.

Público alvo

O aperfeiçoamento do design e da identidade visual realçou, de forma incisiva, o elo entre a produção e o turismo. Um dos resultados finais desse trabalho relaciona-se à definição do grupo de produção a partir do entendimento real das expectativas do público alvo para a aquisição das peças: os clientes.

Assim, foram delineados os perfis principais dos turistas que visitam a cidade, para os quais a identidade histórica e cultural de Diamantina se torna um dos principais atrativos para a aquisição do produto.

Outra avaliação refere-se à matéria prima utilizada na fabricação das peças – a argila – e em como as peças devem ser pensadas de forma funcional para o uso diário, sendo mais do que decorativas.

Como fruto do trabalho experimental, o grupo criou várias ferramentas de trabalho, tais como o forno a gás, reaproveitando a estrutura de uma geladeira; o torno com componentes de um tanquinho; dentre outros, cumprindo a ação inicial proposta pelo Polo de Inovação, ao propiciar a autonomia do artesão para ser capaz de transformar a sua história em arte, qualificar e agregar valores à produção artesanal, como estratégia e oportunidade de mercado.

Contudo, a cerâmica a ser desenvolvida terá identidade própria, se diferindo de outras regiões. O produto final irá ostentar no seu design a marca ou o registro cultural de Diamantina, por meio dos elementos que nelas estarão inseridos.

Produção aprovada

Desde o início da produção das peças, os artesãos já criaram várias, todas com a aplicação de um design diferenciado, buscando sempre representar a cultura local. Os itens criados e já validados são:

Catadoras de Sempre Viva– A aplicação do design para a evolução do produto, buscando novos personagens da cultura local, dando movimento às peças – pontos a observar desse movimento, saia rodada frisada, posicionamento dos braços – com dimensionamentos menores e destaque para as pigmentações naturais, diferenciando as vestimentas do corpo.

A Chica da Silva– O design estudado para a peça foi o de utilizar um segmento artesanal já consagrado como “as namoradeiras”.  A inovação da peça valoriza uma figura da história local e nacional, tornando-a única como referência de uma região.

Cultura primitiva– Inovação do design para essa produção foi construir uma peça que realçasse o conjunto das figuras marcantes da ceramista, ao invés de colocar peças isoladas, solitárias. Assim, elaborou um criativo móbile, dando leveza e funcionalidade à peça.

Bijuterias– O design buscou valorizar a peça com a introdução de material nobre na sustentação, optando-se pelo couro encerado com forte tendência do mercado. Como aprimoramento do acabamento final, incluíram-se os fechos.

A cultura musical– O design buscou criar um mix de produtos com embalagem que busca valorizar a peça. Um dos exemplos é o conjunto de notas musicais. Também buscou novo dimensionamento, capaz de realçar as notas musicais, dispostas de forma real, como numa introdução de uma música de seresta tradicional de Diamantina.

Luminárias– Para sua criação, o design se preocupou em  melhorar a funcionalidade das peças com dimensionamentos adequados para as instalações elétricas e com opções de uso em parede e chão.

Vasos– Neles, o profissional agregou novas possibilidades, utilizando-se da versatilidade das peças geométricas com a linha de produto ou como modernos castiçais.

O patrimônio histórico– Nesse aspecto, buscou-se reforçar a valorização do patrimônio histórico da cidade, reproduzindo o chafariz existente em Diamantina, adicionando a funcionalidade à peça, como um porta-chaves, onde se percebe os furos para encaixar as estruturas que sustentarão as chaves.

A pinha– O design buscou dar funcionalidade à peça, acrescentado uma base à pinha, a fim de que a peça se torne um charmoso peso de papel.

Fonte: Agência Minas

Blog do Anastasia – Governo de Minas: atrações culturais, natureza e arte são opções de lazer nas férias em Minas

BELO HORIZONTE (06/01/12) – Para quem quer aproveitar as férias de janeiro e conhecer os encantos de Minas Gerais, opções de lazer e cultura não vão faltar. São festivais, festas populares, teatro e diversão que agradam a todos os gostos. O Estado oferece várias opções para os primeiros dias do ano novo.

Belo Horizonte cultural

A tradicional e aguardada Campanha de Popularização do Teatro e da Dança promete agitar a vida cultural dos belohorizontinos até 4 de março. Em sua 38ª edição, poderão ser conferidas mais de 140 peças teatrais e espetáculos de dança a preços promocionais, em todos os teatros da cidade. Para programação completa, acesse www.sinparc.com.br.

E a criançada também poderá se divertir com a 18º Festival Alterosa de Teatro Infantil. Até 29 de janeiro, sempre de quarta a domingo, serão apresentados espetáculos e shows que vão animar as férias dos pequenos. Outras informações, acesse www.alterosa.com.br.

O Palácio das Artes apresenta de 13 a 19 de janeiro a Mostra Internacional Imagem dos Povos. A mostra audiovisual reúne obras e artistas de diversos lugares do mundo. Este ano, o destaque vai para a produção realizada na cidade de Belo Horizonte e sobre a cultura local. A entrada é gratuita.

O Festival Cachaça Gourmet, que acontece de 10 de janeiro a 10 de fevereiro, oferece ao público pratos tradicionais da culinária mineira preparados com cachaças produzida no Estado, oferecidas como aperitivos e coquetéis. São cerca de 20 restaurantes participantes que concorrerão aos prêmios de “Melhor prato” definidos por voto popular e por um júri técnico, “Melhor visual” e “Melhor receita original”.

Festa popular

A Folia de Reis, uma festa religiosa e folclórica, é uma das mais tradicionais e populares do mês de janeiro. De origem portuguesa, a festa foi trazida para o Brasil já nos primeiros anos da formação da identidade cultural brasileira e se mantém viva em muitas regiões do país, representando a história da viagem dos três Reis Magos à Gruta de Belém.

Nesta sexta-feira (6), em Belo Horizonte, na Praça da Liberdade, o Sesc-MG promoverá o XII Encontro de Folias de Reis, a partir das 17h. Serão 10 grupos de Folia de Reis, vindos de Curvelo, Lagoa Santa, Santana do Pirapama, Mocambeiros, além das folias de Belo Horizonte: Folia de Dona Guidinha do bairro Caiçara, Folia do bairro Santo André; Folia do São José, Folia da Serra, Folia do bairro Londrina e do bairro Aparecida.

A festa também acontece em Milho Verde, distrito de Serro, que integra o Circuito Turístico dos Diamantes, onde os foliões visitam, em cortejo musical, as casas que têm presépios montados. Em Lagoa Santa, no Circuito das Grutas, a folia, organizada pela Secretaria Municipal de Turismo e Cultura, acontece até o dia 6, na Capela São Sebastião. Em São Gonçalo do Abaeté, Circuito Lago Três Marias, a tradição acontece nos dias 5 e 6 de janeiro.

Inhotim é pura diversão e conhecimento

Até 29 de janeiro, Inhotim preparou uma programação especial para as férias de toda a família. As atividades acontecem de terça a domingo, sempre a partir das 10h. Com o tema “Desenho e Narrativa” serão desenvolvidas atividades educativas com espaço para experimentação e registro. Para os mais aventureiros haverá jogos e brincadeiras ambientais, visita ao viveiro educador e uma caminhada ecológica pela Trilha dos Guigós. As oficinas de confecção de histórias em quadrinhos, flipbooks e Mini Horta Inhotim prometem envolver um público de todas as idades.

Na Estação Jardim acontecerão jogos e brincadeiras ambientais, além da oficina “Cada conto um encanto”, quando serão contadas histórias das florestas. No Espaço Ciência os participantes aprenderão curiosidades sobre a representação científica das espécies. O público também poderá conhecer mais a respeito da diversidade vegetal do Jardim Botânico através dos circuitos temáticos “Botânica e Sustentabilidade” e “Mata Atlântica”.

Cinema em Tiradentes

Atração do cinema contemporâneo, a 15ª Mostra de Cinema de Tiradentes, será realizada de 20 a 28 de janeiro, em Tiradentes. Nesta edição, que terá como tema “O ator em expansão”, serão apresentadas 84 atrações, entre filmes e curtas, representando 12 estados brasileiros. As exibições serão realizadas em três locais: no Centro Cultural Yves Alves, no Cine Praça e no Cine-Tenda-Bar-Show.

Também na programação estão: Mostrinha de cinemas, oficinas e seminários. Além de uma homenagem ao ator Selton Mello que comemora, em 2012, 30 anos de carreira. Na ocasião serão apresentados filmes em retrospectiva à carreira do artista.

Férias nos parques

Os parques municipais de Belo Horizonte prepararam programação especial para toda a família curtir as férias. No Parque das Mangabeiras, a programação começa no dia 14 e vai até 28 de janeiro. As opções são várias, como oficinas esportivas, rua de lazer, apresentação teatral e jogos.

O Parque Américo Renné Giannetti (Parque Municipal) terá atividades de recreação com trilhas ecológicas e brincadeiras, do dia 17 ao dia 28 de janeiro. Nos dias 20, 22 e 26, apresentações teatrais prometem animar quem passar pelo lugar. Já nos dias 28 e 29, o Sesc-MG realiza Rua de Lazer e, no dia 29, a criançada pode se divertir com a apresentação do grupo teatral Trupe Gaia e participar da oficina de práticas circenses.

No Parque Lagoa do Nado as atividades começam no dia 17 e vão até o dia 20 de janeiro. Serão várias atividades de recreação e educação ambiental, além de contação de histórias, oficina de práticas circenses e observação de aves. Informações sobre a programação dos outros parques no telefone: 3277-9244.

Viagem virtual pelos parques estaduais

O Instituto Estadual de Florestas (IEF) disponibilizou, na quinta-feira (5), um espaço para divulgar e estimular o turismo nas áreas protegidas de Minas Gerais. O site “Parques de Minas” reúne informações sobre as unidades de conservação estaduais, com foco no visitante.

O “Parques de Minas” é um guia eletrônico para conhecer as unidades de conservação estaduais que dispõem de infraestrutura para receber o turista. Mapas, fotos e textos possibilitam uma visita virtual prévia à unidade de conservação escolhida, que permitem que o interessado planeje sua viagem e estadia.

No site, estão disponíveis informações detalhadas dos parques estaduais do Itacolomi, Ibitipoca, Sumidouro, Rio Doce, Rio Preto, Serra do Brigadeiro, Nova Baden e Serra do Rola-Moça.

Essas oito unidades de conservação são consideradas ‘abertas’ por disporem de infraestrutura para recebimento do turista, que pode incluir portaria, restaurante, área de camping, dentre outras. Também estão disponíveis informações sobre os 30 parques considerados ‘fechados’ por não possuírem essa estrutura e as visitas devem ser solicitadas previamente.

O site parques de Minas está disponível no endereço http://parquesdeminas.meioambiente.mg.gov.br/

Fonte: Agência Minas

Calendário Sociocultural movimenta a Cidade Administrativa

Centenas de pessoas acompanharam a apresentação de três coreografias pelo Grupo Corpo Cidadão, nesta segunda-feira (2), no Auditório JK, durante o lançamento do Calendário Sociocultural da Cidade Administrativa Presidente Tancredo Neves. A dança aconteceu no horário do almoço, após uma breve explicação da secretária de Estado de Planejamento e Gestão, Renata Vilhena, sobre o processo de construção e implantação do calendário e abertura do evento pelo governador Antonio Anastasia.

O Calendário Sociocultural da Cidade Administrativa Presidente Tancredo Neves traz, nesta semana, de 2 a 6 de maio, atrações artísticas e atividades físicas, que vão ocupar os vários e diversos espaços da sede do Governo de Minas. A secretária Renata Vilhena salientou que o calendário é dinâmico e que está em construção. “Ele é do servidor e para o servidor”, afirmou.

A apresentação do Grupo Corpo Cidadão foi feita por 19 bailarinos, que executaram coreografias de Eliane Batista para a música “Prece da alma”; do coreógrafo Peter Lavratti para a música “Oca tupi”; e de Rodrigo Pederneiras para a música “Os passos do meu sonho”. Criado há 12 anos, o grupo trabalha com arte educação junto a crianças e jovens da periferia da Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH).

“Achei ótima a iniciativa, pois é muito importante para estes jovens, que querem se profissionalizar, ter acesso a todos os espaços da cidade e eles também conheceram a sede do governo. Esta é uma oportunidade boa para o público e para o grupo e, se tivermos a chance, traremos mais apresentações”, informou uma das fundadoras do Grupo Corpo, Miriam Pederneiras.

Este sentimento foi compartilhado por Alice Caldeira Liberato de Souza, de 18 anos, uma das bailarinas do Grupo Corpo Cidadão. “Aqui é muito bonito, achei incrível e o público é animado”.

As coreografias emocionaram muita gente, e atenções foram divididas com a dupla Mandioca e Macaxeira, personagens vividos pelos atores Clécio Luiz e Denise Leal, do Centro de Formação Artística (Cefar) do Palácio das Artes, que invadiu o auditório para convidar os presentes a apreciarem as outras atrações do dia.

Valorização

Enquanto isso, na Praça Cívica, às 12h40, teve início a apresentação do Projeto Fica Vivo. O grupo se dedicou a demonstrações de acrobacias e outras técnicas circenses. De acordo com a gestora do Núcleo de Prevenção à Criminalidade Jardim Felicidade, Andreza Naves, os meninos ficaram muito felizes em sair da comunidade e poder estar na Cidade Administrativa, tendo a oportunidade de mostrar o seu trabalho. “Eles se sentem valorizados e ficam motivados a querer progredir”, contou.

Para assessora da Coordenadoria Especial de Prevenção à Criminalidade, Sílvia Medeiros, o projeto do calendário “é muito válido e a iniciativa é muito interessante, já que é uma vitrine maravilhosa para as crianças poderem exibir todo o seu potencial”. A diretora de Gestão de Processos da Intendência da Cidade Administrativa, Márcia Morais, acredita que o evento é também uma oportunidade da equipe do governo enxergar e valorizar o talento dos servidores, motivando-os e, dessa forma, ficando mais próximo deles.

Ainda na programação desta segunda-feira (2), cerca de 30 jovens do Valores de Minas apresentaram um espetáculo multidisciplinar com dança, teatro e música, explorando o tema de mitos guerreiros universais. O trabalho foi elogiado pela servidora do Ipsemg, Ivonete Viera Gonçalves, que resumiu a importância de o Governo de Minas ter lançado o Calendário Sociocultural da Cidade Administrativa Presidente Tancredo Neves: “Nós estávamos precisando mesmo desse tipo de coisa”.

A Grande Roda, uma aula de dança circular que também contou com a presença de membros do Cefar do Palácio das Artes, atraiu gente para o térreo do prédio Gerais. No espaço, a bailarina e professora de dança Cristiana Menezes buscou envolver os funcionários na atividade como uma forma de se divertir e relaxar. “Estou amando! É muito bom. A gente fica aqui muito tempo preso no trabalho e agora eu estou me divertindo e relaxando”, comemorou a funcionária da MGS, Rosely Pereira da Silva.

Samba no pé

Com arranjos variados e já com uma grande expectativa por parte do público, o Grupo de Choro do Palácio das Artes iniciou sua apresentação por volta das 13h30. “Muito legal, principalmente o Chorinho. Gosto muito de música e até tinha que ir embora, mas estou aqui até agora porque descontrai muito”, disse o funcionário da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), Marcio Augusto de Castro,.

Já a servidora do Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Sisema), Edite dos Anjos Mendes, sem nenhuma timidez, caiu no samba. Dançou sozinha, com as amigas e com o bailarino Lucas Veríssimo, que estimulava nos espectadores a vontade de dançar. “Estou adorando; está tudo muito alegre, muito festivo, assim eu começo bem a semana”, resumiu a servidora. Mardélia da Silva Martins, da Secretaria de Planejamento e Gestão, também não precisou ser convidada mais de uma vez: “Sou louca por dança, podia ficar aqui o dia inteiro”.

No mesmo palco, montado no térreo do prédio Gerais, aconteceu a última apresentação do dia: Rodolfo Mendes e Bárbara Barcelos, que abriram seu show com as músicas do Clube da Esquina. Entre os participantes, estava a servidora da Prodemge, Jaqueline Verona, que chamou a atenção para a musicalidade do grupo.

Ela também destacou o fato da arte estar a serviço de um trabalho social, como é o caso do Grupo Corpo Cidadão, Fica Vivo! e Valores de Minas. Jaqueline também é uma das incentivadoras da criação do Coral Em Canto, que reúne mais de 100 funcionários da Cidade Administrativa. O Coral Em Canto é uma das atrações desta terça-feira (3).