PT: deputado defende Erundina e critica Maluf

PT: deputado defende Erundina e critica Maluf – Marina Silva também criticou aliança feita pelo ex-presidente Lula e afirmou que se trata do “dinheiro pelo dinheiro”.

PT: Lula, Maluf e Erundina

PT: deputado defende Erundina e critica Maluf

PT: deputado defende Erundina e critica Maluf

Fonte: O Globo

Deputado petista diz que Luiza Erundina agiu corretamente

Domingos Dutra (PT-MA) afirma que seria impossível deputada sorrir ao lado de Maluf

Parlamentar dos mais próximos de Luiza Erundina (PSB-SP) na Câmara, o deputado Domingos Dutra (PT-SP) criticou a proximidade de seu partido com Paulo Maluf em São Paulo e disse que a socialista agiu corretamente ao deixar a composição da chapa para disputar a prefeitura paulistana ao lado de Fernando Haddad (PT).

– Lamento que a campanha do Haddad tenha perdido uma militante com a qualidade da Erundina, que continua a mesma de seus tempos de PT. Não só por sua competência administrativa como ex-prefeita, mas também sua vinculação com os movimentos sociais, conhecimento dos problemas da cidade. A presença da Erundina na chapa era um sinal muito claro para os mais pobres, que haveria uma inversão das prioridades. Seria governar para os que mais necessitam – disse Domingos Dutra, que complementou:

– Sou solidário a ela porque, com a história que tem, sua luta pelos direitos humanos, a favor da punição daqueles que cometeram crimes na ditadura, o combate cerrado a favor da transparência e da honestidade, ficaria muito difícil ela ficar sorridente no mesmo palanque ao lado do Maluf. Ela agiu corretamente.

Dutra é presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara, da qual Erundina também faz parte. A deputada, na comissão, preside o grupo que faz uma apuração paralela das violações dos direitos humanos ocorridas no regime militar, uma espécie de Comissão da Verdade paralela. Erundina ainda é autora de um projeto que previa a revisão da Lei de Anistia e defende o julgamento dos agentes de Estado que torturaram, mataram e desapareceram com corpos de militantes de esquerda naquele período.

Domingos Dutra criticou a ampliação da política de alianças do PT.

– Infelizmente na política nacional, todas as cercas foram puladas. O PT nasceu em 82 e não se coligava com ninguém. Era crime falar em coligação naquela época. A Beth Mendes (ex-deputada federal do PT) foi expulsa porque foi ao Colégio Eleitoral (votar em Tancredo Neves presidente da República). Em 86, foram permitidas coligações, mas só com partidos de esquerda. E chegamos agora, em 2012, sem cerca, sem limites. Tudo vale – disse Dutra.

O petista elogiou Haddad, quem chamou de “bom militante”, mas diz que sua campanha perde com a saída de Erundina.

Marco Maia diz que Erundina deveria rever decisão

No Rio de Janeiro, o presidente da Câmara dos Deputados, Marco Maia, disse nesta quarta-feira que a deputada Luisa Erundina deveria reavaliar a decisão dela de ter deixar a chapa do candidato do PT, Fernando Haddad, à Prefeitura de São Paulo.

– Ele deveria reavaliar a opinião dela. É o que eu sempre digo: é preferível que se faça um conjunto de alianças em cima de um projeto que permita ganhar a eleição para administrar bem para o povo do que se afastar dessa possibilidade e não fazer essas transformações na cidade de São Paulo – disse antes de participar da abertura oficial da Rio+20.

Segundo o presidente da Câmara, Erundina e o PSB precisam estar juntos do PT para fazer o que ele chamou de “transformação radical” em São Paulo.

– Precisamos fazer uma transformação radical na estrutura dessa cidade. E por isso, o PT precisa fazer as alianças necessárias que garantam essas mudanças e essas transformações. A Erundina e o PSB precisam estar juntos conosco neste projeto – afirmou Marco Maia.

Marco Maia diz que não vê problemas em fazer aliança com Maluf, já que o PT é coligado com o partido nacionalmente. Mas considerou lamentável a saída de Erundina da chapa.

– É obvio que é lamentável. A deputada é séria, comprometida com as questões sociais. Ela dialoga e muito com o projeto do PT. Já foi prefeita de São Paulo e tem uma base eleitoral fantástica.

Marina Silva diz que aliança PT e PP em SP é “dinheiro pelo dinheiro”

Ex-ministra do Meio Ambiente no governo Lula, a ex-senadora Marina Silva (sem partido) criticou nesta quarta-feira a aliança entre o PT do candidato a prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, e PP do deputado federal Paulo Maluf. Ao ser questionada pelo GLOBO, na Rio+20, sobre o acordo entre os dois partidos e a imagem na qual aparecem Lula, Maluf e Haddad juntos, Marina afirmou que se trata do “dinheiro pelo dinheiro”.

– Vejo este cenário como o poder pelo poder. O dinheiro pelo dinheiro. É o que está prevalecendo.

PT, Lula e Erundina, Maluf – Link da matéria: http://oglobo.globo.com/pais/deputado-petista-diz-que-luiza-erundina-agiu-corretamente-5268367#ixzz1yuNlzP5k

PT: Aliança Lula-Maluf pode prejudicar partido

PT: Aliança Lula-Maluf pode prejudicar partido. Cientista político avalia que acordo pode provocar crise de imagem no PT e perda de votos.

PT: Maluf e Lula

PT: Aliança Lula-Maluf pode prejudicar partido

PT: Aliança Lula-Maluf pode prejudicar partido – Foto Agência Estado

Fonte: O Globo 

PT poderá mais perder do que ganhar com Maluf, diz analista

Professor da UNESP avalia que acordo com PP é uma ‘contradição’ à história dos petistas

A aliança do PT com o PP, de Paulo Maluf, na disputa eleitoral de São Paulo, representa uma contradição à postura histórica do partido e poderá trazer prejuízos à campanha de Fernando Haddad. A avaliação é do professor de ciência política da Universidade Estadual Paulista (UNESP) Marco Aurélio Nogueira, segundo o qual o acordo poderá gerar uma crise na imagem da legenda, que deverá conciliar o discurso da renovação com a expressão do retrógrado. O analista político considera ainda que a aliança com o PP dá mais uma justificativa para que Marta Suplicy se mantenha afastada da campanha petista.

O GLOBO: A aliança em São Paulo do PT com o PP, legenda de Paulo Maluf, contradiz o discurso histórico do partido?

MARCO AURÉLIO NOGUEIRA: O discurso do PT vem se ajustando nos últimos anos, mas é uma contradição. É o reconhecimento de que adversários do passado podem se tornar aliados a qualquer momento, dependendo dos interesses que estão em jogo. É uma mudança não só no discurso, mas na conduta prática do PT. É um reajuste no discurso e na cultura do partido, que pode ter prejuízos no curto prazo, porque uma boa parte da militância partidária não está pronta para isso, ainda não assimilou essa guinada.

O GLOBO: O acordo poderá trazer prejuízos para a campanha de Fernando Haddad?

NOGUEIRA: Pode haver, por um lado, um prejuízo de caráter eleitoral. O que o deputado federal Paulo Maluf trará de votos pode não ser compensado pelo que o PT poderá perder de votos. Por outro lado, pode haver uma crise na imagem do PT. O partido vai para a campanha com o slogan da renovação, mas um dos seus aliados é a expressão do que há de mais antigo e retrógrado na política brasileira, o que pode chamuscar um pouco a imagem do partido.

O GLOBO: A reação da deputada federal Luiza Erundina poderá ser acompanhada pela militância do partido durante a campanha?

NOGUEIRA: Eu acho que vai, sim. Ela vai tentar fazer o papel de consciência crítica do PT.

O GLOBO: A aliança deverá afastar de vez a ex-prefeita Marta Suplicy da campanha eleitoral?

NOGUEIRA: A Marta Suplicy já está afastada da campanha eleitoral. Agora, ela tem uma justificativa a mais para manter esse distanciamento.

O GLOBO: Como disse Paulo Maluf, a “eficiência” dos acordos eleitorais tem predominado hoje sobre as bandeiras da esquerda ou da direita?

NOGUEIRA: Com certeza. Esse fenômeno não é de hoje. Há uma espécie de tendência universal e que está sendo reforçada sistematicamente nos últimos tempos. Essa aliança eleitoral em São Paulo é apenas uma confirmação de que essa tendência é real. O PT nos últimos 20 anos reorganizou a sua conduta nessa direção. O pragmatismo é hoje uma grande variável de avaliação da conduta política dos partidos.

Paulo Maluf, Lula e o PT – Link da entrevista – http://oglobo.globo.com/pais/pt-podera-mais-perder-do-que-ganhar-com-maluf-diz-analista-5259301#ixzz1yuGcxO11

Maluf provoca Erundina por deixar campanha de Haddad

Maluf provoca Erundina por abandonar campanha.  Ex-prefeita de SP (PSB) deixou coligação com PT depois acordo de Lula com Paulo Maluf.

Maluf, Erundina e Lula

Maluf diz que Erundina desistiu de ser vice de Haddad por ciúmes

Maluf provoca Erundina por deixar campanha de Haddad

Maluf provoca Erundina por deixar campanha de Haddad

O deputado federal Paulo Maluf, presidente do PP no estado de São Paulo, disse nesta segunda-feira que a deputada federal Luiza Erundina (PSB) desistiu de ocupar o posto de vice na candidatura do petista Fernando Haddad à prefeitura de São Paulo por “ciúmes”.

Erundina desistiu de concorrer porque o ato de apoio do PP ao petista foi realizado na casa de Maluf com a presença de Haddad e do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A deputada socialista chamou o líder do PP de “nefasto”.

– Isso não é um problema meu. Ele (Lula) tinha recomendação médica para não ir na convenção do PSB, essas coisas nós temos de respeitar. Ele está em tratamento de saúde. Agora se ele veio na minha casa, eu me sinto muito alegre. E se ele vier a segunda e terceira vez, a casa está aberta para o Lula.

Maluf destacou ainda que sempre recebeu em sua casa os presidentes da República.

– Amanhã, se a presidente Dilma (Rousseff) for na minha casa é bem-vinda. O presidente Fernando Henrique esteve em casa. O presidente Itamar Franco esteve em casa . Do (Fernando) Collor, eu fui padrinho do casamento – falou.

O líder do PP negou também que tenha exigido a presença do Lula em sua casa para fechar a aliança com Haddad.

– Quem pode exigir alguma coisa de um presidente da República. Quando o presidente da República vai à casa de alguém, vai porque quer.

Para Maluf, a visita de Lula não poderia deixar de ser registrada.

– Se lá estavam duas dúzias de fotógrafos, não tinha razão nenhuma para na saída não tirar a foto. Seria muito pior se escondessem a foto. Se ele for de novo, eu tiro dez vezes.

Depois de encerrada a entrevista na sede do PP em São Paulo, Maluf voltou à sala onde estavam os jornalistas para mostrar um calendário de 2012, que fez para distribuir para amigos e parentes, em que aparece em fotos, entre outros, com o Papa João Paulo II, com Pelé, Ayrton Senna e com os ex-presidentes americanos Bill Clinton, George Bush e Ronald Reagan.

– Tenho muito orgulho dessas fotos e tenho muito orgulho também da foto com o Lula.

Questionado se o calendário do próximo ano trará a foto do ex-presidente petista, o líder do PP não respondeu.

Maluf garantiu que não está participando das discussões da escolha do vice da chapa do PT em São Paulo e afirmou que a decisão sobre o substituto de Erundina caberá apenas a Haddad. Garantiu que não se opõe nem a um nome do PC do B.

– O governo do PT quando tomou posse em 2003 veio sob dúvidas como iria se comportar ideologicamente. E eu quero dizer em alto e bom tom que o PT se comportou à direita de Paulo Maluf. Eu perto do PT hoje sou comunista. Eles defenderam mais do que eu as multinacionais e os banqueiros – declarou Maluf.

Maluf e Lula – Link da matéria:  http://oglobo.globo.com/pais/maluf-diz-que-erundina-desistiu-de-ser-vice-de-haddad-por-ciumes-5308037#ixzz1yuALywaZ