Lula e Maluf: artigo fala do encontro histórico

Artigo fala do encontro histórico de Lula e Maluf – Segundo Carlos Eduardo Leão o fato abriga o “que há de mais torpe na política nacional”.

Lula e Maluf

Fonte:  Carlos Eduardo Leão* – Publicado no site da Fundação Dom Cabral

De causar náusea

Deu causa náusea - Lula e Maluf
Está registrado nos anais do fotojornalismo um dos momentos mais repulsivos da política brasileiro

A fotografia jornalística talvez seja o mais claro e objetivo meio de informação da mídia em todos os tempos. Ela tem a imprescindível capacidade de transmitir, após um competente clic, todo um conjunto de informações, ricas em detalhes, conseguido através da sempre aguçada sensibilidade do fotógrafo que, na escolha correta do enquadramento, dará alma à notícia.

O fotojornalismo é, portanto, uma demonstração tácita do mais puro conceito de arte plástica a serviço da informação.

Quem não se lembra daquela personagem que virou símbolo da guerra do Vietnã, uma criança queimada, totalmente nua, correndo no meio de uma estrada que ligava o nada a lugar nenhum? Aquela fotografia resumiu toda uma guerra, suas atrocidades, suas consequências e, sobretudo, todo o sofrimento estampado no horror daquela imagem de dor e desesperança que marcou para sempre aquele rosto da infância vietnamita.

A fotografia de Neil Armstrong, naquele 20 de julho de 1969, quando pisava na Lua, marcou a história e todas as gerações a partir daquele momento. A frase “Um pequeno passo para um homem, um grande salto para a humanidade” dita por Armstrong no momento do clic, não precisaria ser dita. A fotografia falava por ela.

Outras fotografias, apenas para ilustrar esse pensamento, como a daquele avião-míssil  disparado contra o World Trade Center no fatídico 11 de setembro de 2001 ou ainda do famoso Concorde em chamas quando decolava do Aeroporto Charles de Gaulle em Paris para cair momentos depois, não precisavam de textos para explicar as suas tragédias. As imagens perfeitas obtidas pelas excelentes câmeras de notáveis profissionais mostraram com nitidez o perfeito enquadramento do desastre.

Entretanto, nenhuma dessas fotos teve efeito mais devastador, mais chocante, mais incrível, mais surrealista, mais desanimador do que a de Lula “in love” com Maluf, sob as bênçãos do medíocre Fernando Hadad, encenada nos jardins daquela famosa mansão paulistana, que abriga o que há de mais torpe na política nacional. A nitidez da fotografia mostra-nos com detalhes que ambos são idênticos no tocante à moralidade e à honestidade nos preceitos políticos, bem ao estilo “farinha do mesmo saco”.

Já o enquadramento revela dois semblantes de verdadeiros brincalhões que, naquele momento, parecem gozar com a fé de um povo que neles depositaram, por várias vezes, todas as suas esperanças, em lados, porém, totalmente opostos em pensamento, ideologia e, sobretudo, filosofia de linhagem política.

A acuidade da câmera foi definitiva para mostrar o oportunismo de dois inimigos figadais históricos que, em nome do vale-tudo, posam como verdadeiros amigos (e na realidade o são) em prol de interesses que maculam a honra e a ética, atributos raros em políticos que rezam nessa linha de pensamento.

E, por fim, o talento dos fotógrafos foi determinante para mostrar a decepção da natureza que enfeita os jardins da mansão. Parecia que ela entendia a tristeza daquele momento, ao ver ruir o que sobrou daquele outrora bastião da moralidade, sucumbindo aos baixios caminhos da politicagem que só trazem decepção, incredulidade e amargura.

Lembro-me também de uma fotografia que marcou a humanidade. A beleza da Terra focalizada da Lua, com matizes de azul misturadas ao branco, num fundo esverdeado, enfim, uma explosão de cores que seguirá para sempre enfeitando a imensidão.

Assim sendo, continuamos à espera da fotografia em que dois políticos brasileiros estarão abraçados pela honra e o bem de seu povo, não em defesa de interesses mesquinhos e vulgares. Mesmo que seja em preto e branco, esse flagrante será suficiente para transformar a referida foto numa explosão de cores de uma só tradução: Esperança. E quanto ao fotógrafo que imortalizar tal momento, com certeza será candidato ao World Press Photo Award, o “Oscar” do fotojornalismo.

*Carlos Eduardo Leão é médico e cronista

Lula e Maluf – link do artigo : http://www.domtotal.com/noticias/detalhes.php?notId=461284

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s