Gestão Anastasia: governo de Minas lança o Portal da Copa

O novo site destaca-se pela interatividade e transparência oferecidas ao usuário

Divulgação/Secopa
Reprodução da página inicial do Portal da Copa
Reprodução da página inicial do Portal da Copa

A Secretaria de Estado Extraordinária da Copa (Secopa) lança seu novo portal – www.copa.mg.gov.br – com informações sobre os preparativos de Minas Gerais para a Copa das Confederações da Fifa Brasil 2013 e Copa do Mundo da Fifa Brasil 2014. A nova ferramenta destaca-se pela interatividade e transparência oferecidas ao usuário. Já na página inicial o internauta encontra cronômetro regressivo para as duas copas e uma brincadeira para criar um avatar. Outra novidade é a reformulação do site Novo Mineirão e a incorporação dele ao portal Copa.

Na home do portal Copa é possível clicar na imagem do novo mineirão e ter acesso a todas as informações sobre o estádio, como custo da obra,   andamento da reforma, projeto, sustentabilidade, histórico, jogos da seleção brasileira, documentos, matérias jornalísticas, fotos, vídeos etc. O domínio ‘www.novomineirao.mg.gov.br’ continua ativo. Por meio dele, o internauta tem acesso às informações sobre o estádio, mas na parte inferior à direita, clicando na marca do Governo de Minas, ele será reencaminhado para o Portal da Copa.

O link Transparência aparece tanto na aba que trata apenas do Mineirão como no portal Copa. Os usuários têm acesso a todos os sites existentes no momento para fiscalização dos gastos realizados pelos governos federal, estadual e municipal.

No portal Copa, o internauta terá a oportunidade de conhecer um pouco mais sobre a Secopa e sobre tudo o que está sendo feito em Minas para as copas de 2013 e 2014. Uma das abas trata especialmente do legado, o que inclui meio ambiente, mobilidade, tecnologia da informação etc. O site será abastecido com novas informações constantemente, à medida que os projeto e ações forem avançando.

Em Circuito Copa, estão disponíveis as principais estratégias para o turismo durante a Copa. Há detalhes sobre Centro de Treinamento de Seleções (CTS) e Campo Oficial de Treinamento (COT), com tabelas e gráficos explicativos relativos às cidades candidatas a receber seleções.

A Sala do Turista será uma ferramenta útil para aquele viajante de primeira viagem ao estado e à capital, com telefones úteis, informações turísticas, meios de transporte e contato de consulados, por exemplo.

Para o secretário de Estado Extraordinário da Copa, Sergio Barroso, o portal é mais uma ferramenta para comunicar as ações e interagir com internautas. “É muito importante para o Governo de Minas que todas as nossas ações em relação ao Mundial sejam transparentes e de fácil acesso do público em geral. Esse é o objetivo do Portal da Copa, que agora está disponível para todos”, comenta Sergio Barroso.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/governo-de-minas-lanca-o-portal-da-copa/

Gestão Anastasia: governo e sociedade avançam no plano de ações para o Norte de Minas

Encontro realizado em Montes Claros incorpora a participação da população na gestão pública

Paulo Boa Nova/Seplag
No encontro de Montes Claros, foram apresentadas as ações que já estão sendo executadas na região Norte
No encontro de Montes Claros, foram apresentadas as ações que já estão sendo executadas na região Norte

Governo de Minas reuniu-se com representantes da sociedade civil, nesta quarta-feira (21), em Montes Claros, no Norte do Estado, para discutir os planos de ação que promovem a intersetorialidade entre órgãos e secretarias regionais e também a implementação das estratégias priorizadas pela sociedade em 2011.

O encontro, que integra o Estado em Rede, foi dividido em duas etapas. Pela manhã foi realizada a 4ª reunião do Comitê Regional, formado por membros governamentais que atuam na região. À tarde teve início o 2º Fórum Regional do Norte de Minas, com a participação dos representantes da sociedade civil organizada. O evento foi coordenado por técnicos daSecretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag) e pela Ouvidoria-Geral do Estado (OGE).

O Estado em Rede trabalha a regionalização da gestão governamental, uma das prioridades definidas pelo governador Antonio Anastasia, e incorpora um modelo de gestão transversal do desenvolvimento, viabilizando a intersetorialidade das políticas públicas e a articulação dos agentes responsáveis pelo sucesso de sua implementação. O programa, que teve início nas regiões do Rio Doce e no Norte de Minas, no ano passado, está sendo ampliado para as outras oito regiões de planejamento do Estado.

Na região Norte, após a realização em 2011 de reuniões do comitê regional, a equipe da Superintendência Central de Coordenação Geral da Seplag realizou um balanço do projeto-piloto na região para o governador Antonio Anastasia. As ações priorizadas pelas instâncias de governança integrarão o Acordo de Resultados de diversas secretarias, compondo a Agenda de Prioridades Regionais.

Ações em execução

No início da reunião desta quarta-feira, os representantes governamentais locais expuseram ações em execução na região, que estão contribuindo para a implementação das cinco estratégias priorizadas na primeira reunião do fórum, em novembro do ano passado.

Na apresentação do painel de contextualização do trabalho e da metodologia de priorização e integração da estratégia governamental, foram citados o Choque de Gestão e o Estado Para Resultados – os dois ciclos anteriores do Governo de Minas – para apresentar as metas do novo modelo, a Gestão para a Cidadania, que incorpora a sociedade como coautora e não apenas como destinatária das políticas sociais.

No período da tarde teve início o 2º Fórum Regional, um encontro permanente com os representantes da sociedade civil organizada, eleitos no encontro regional em outubro passado. Os técnicos da Seplag apresentaram o detalhamento dos programas e ações governamentais que representam os desdobramentos das cinco estratégias priorizadas em novembro. Foram mostrados cronogramas, valores e municípios que serão atendidos na região, entre outras informações.

A participação dos presentes foi intensa. Mediados pelos técnicos da Seplag, membros do governo na região e representantes da sociedade civil fizeram diversas intervenções. De acordo com eles, os encontros têm sido muito úteis para aprofundar as discussões sobre as estratégias priorizadas, a partir do olhar dos cidadãos do Norte do Estado.

Voz local

Para Adicléia Oliveira Azevedo, que representa a Rede Rural Sustentável, a sociedade civil está tomando parte de todas as fases de implementação das estratégias. “Este processo tem início, meio e fim. Em outras vezes foi implantado, mas não houve acompanhamento. Agora, com o trabalho em rede, fica mais fácil implantar as prioridades com eficácia”, disse ela.

Juliana de Fátima Miranda Santos, da Secretaria Regional de Trabalho e Emprego de Montes Claros, destaca que essas reuniões tem sido uma oportunidade única oferecida à sociedade: a de trazer suas necessidades, suas demandas, e ver suas reivindicações acolhidas nas discussões. “Acho que estamos tendo um retorno bem interessante. Desde o encontro passado, percebemos que estamos atendendo às expectativas dos participantes”, afirmou.

Os resultados deste 2º Fórum serão apresentados em 23 de abril, na próxima reunião da Câmara Multissetorial, formada pelos secretários adjuntos de cada pasta de governo. A Câmara se reúne para garantir o alinhamento estratégico entre necessidades das regiões de planejamento do Estado, apontando as maneiras de viabilizá-las.

O Fórum irá se reunir a cada quatro meses, para que se possa monitorar a implementação das estratégias. A próxima reunião no Norte de Minas está prevista para a segunda quinzena de junho, também em Montes Claros.

Próximas etapas

No próximo dia 29 será realizada a primeira reunião do Comitê Regional do Sul de Minas, em Varginha. Em abril é a vez do Comitê do Triângulo. No fim do primeiro semestre tomam posse os membros dos comitês regionais das regiões do Noroeste; Alto Paranaíba; Centro-Oeste e Central, totalizando a formação de comitês nas dez regiões de planejamento do Estado.

O trabalho de coordenação do Estado em Rede é de competência conjunta da Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão; Secretaria de Estado de Casa Civil e Relações Institucionais (SECCRI); Ouvidoria Geral do Estado (OGE) e Secretaria de Estado do Governo (Segov).

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/governo-e-sociedade-avancam-no-plano-de-acoes-para-o-norte-de-minas/

Governo Anastasia: parceria vai atender 7.500 micro e pequenas empresas em Minas até 2014

Governo de Minas e Sebrae assinaram protocolo de intenções para execução do Programa Agentes Locais de Inovação

José Carlos Paiva/Imprensa MG
Secretário Narcio Rodrigues e presidente do Sebrae Nacional, Luiz Barreto, durante solenidade
Secretário Narcio Rodrigues e presidente do Sebrae Nacional, Luiz Barreto, durante solenidade

secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Narcio Rodrigues, e o presidente do Sebrae Nacional, Luiz Barreto, assinaram protocolo de intenções para a execução do Programa ALI (Agentes Locais de Inovação) em Minas Gerais.

O ALI faz um atendimento personalizado às pequenas empresas, por meio de um diagnóstico que aponta as principais necessidades de intervenção para a melhoria dos processos e produtos. A meta do Governo de Minas é oferecer esta consultoria e assistência técnica a 7,5 mil empresas até 2014, em cerca de 70 segmentos definidos pela Secretaria do Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sectes) e o Sebrae, que coordenarão juntos a implementação do ALI no Estado.

Ao todo, serão recrutados 150 agentes na categoria de bolsistas do CNPq (Conselho Nacional de Pesquisa). Cada agente será responsável pelo diálogo com 50 empresas nos próximos dois anos. Os primeiros agentes serão selecionados em abril e capacitados nos meses de maio e junho. A previsão de início das atividades, com os agentes já em campo, é a partir do segundo semestre.

“Este projeto terá uma repercussão extraordinária no interior de Minas Gerais. Os agentes locais de inovação permitirão potencializar áreas em que temos condições de promover o surgimento de pequenas indústrias e empresas importantes ao desenvolvimento do Estado, como na área de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC)”, afirmou o secretário Narcio Rodrigues.

O semiárido mineiro também será atendido pelo ALI, ampliando a motivação para inovação e empreendedorismo na região. “Vamos multiplicar as ações do ALI, que irão atuar em sintonia com os oito Polos de Inovação da Sectes, presentes no norte de Minas e vales do Jequitinhonha e Mucuri”, explicou o secretário Narcio Rodrigues.

“Essa parceria com a Sectes é mais um passo no enfretamento de uma agenda fundamental para o Brasil, que envolve a inovação, a ciência e a tecnologia. O último Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Cageb), do Ministério do Trabalho e Emprego, revelou que as micro e pequenas empresas são responsáveis por 71% dos empregos formais gerados em fevereiro. Este é um setor fundamental do país, que nem sempre é atendido por políticas públicas condizentes com a sua importância. Para que o desenvolvimento brasileiro não deixe de fora as micro e pequenas empresas, precisamos de parcerias como essas, que atendem um segmento muitas vezes desprovido de um departamento de P&D para acompanhar as rápidas mudanças tecnológicas”, esclareceu o diretor-presidente do Sebrae, Luiz Barreto.

As ações do ALI também contarão com o apoio do Sistema Mineiro de Inovação (Simi), projeto desenvolvido pela Sectes, desde 2007, com o objetivo de promover a interação entre agentes de inovação diversos, vinculados à instituições de ensino e pesquisa, do setor empresarial e governamental. Por meio do portal http://www.simi.org.br mais de seis mil estudantes, pesquisadores e empresários – de aproximadamente 1.200 instituições – podem participar de uma rede social e trabalhar juntos em propostas de inovação tecnológica.

Nesta rede, as empresas podem publicar desafios tecnológicos que estimulem a produção de soluções por parte de pesquisadores e estudantes, e estes, por sua vez, passam a contar com um espaço para divulgar suas pesquisas. Com o projeto ALI, a interação virtual entre os agentes vai estimular e facilitar ainda mais a criação de novos produtos que impulsionam o desempenho das empresas no mercado e asseguram o desenvolvimento socioeconômico de Minas Gerais.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/parceria-vai-atender-7500-micro-e-pequenas-empresas-em-minas-ate-2014/

Governo de Minas: Seminário debate investimentos japoneses no Brasil e em Minas Gerais

Objetivo é oferecer aos brasileiros conhecimentos que permitam ampliar capacidade e qualidade de atendimento a potenciais investidores

José Carlos Paiva/Imprensa MG
Eduardo Celino, José Frederico Álvares, Satoshi Murosawa e Guilherme Velloso Leão
Eduardo Celino, José Frederico Álvares, Satoshi Murosawa e Guilherme Velloso Leão

Principal destino dos investimentos japoneses no Brasil, Minas Gerais sedia, até esta sexta-feira (23), o 3º Seminário de Capacitação em Atração de Investimentos: A Experiência Japonesa. O objetivo do evento é oferecer aos técnicos das secretarias estaduais de Desenvolvimento, Indústria e Comércio conhecimentos que permitam ampliar a capacidade e qualidade de atendimento a potenciais investidores. Especificamente, a cooperação com a Agência de Cooperação Internacional do Japão (Jica) busca apresentar aos estados brasileiros elementos da experiência governamental japonesa em atração de investimentos.

A abertura do seminário foi realizada no Auditório Juscelino Kubitschek, na Cidade Administrativa Presidente Tancredo Neves. Além de representantes de todos os estados, o seminário reúne o representante chefe da Jica no Brasil, Satoshi Murosawa; o representante da Rede Nacional de Informações sobre o Investimento (Renai)/MDIC, Eduardo André de Brito Celino; e o presidente do Instituto de Desenvolvimento Integrado de Minas Gerais (Indi), José Frederico Álvares, que abriu os trabalhos destacando que “vivemos em um ambiente extremamente competitivo em termos de atração de investimentos no Brasil. O país alcançou um volume recorde de investimentos estrangeiros diretos em 2011, mas precisamos estar preparados para atuar neste novo ambiente de negócios”.

Já Satoshi Murosawa afirmou que “até o início da década de 80, as empresas japonesas tinham atuação forte no Brasil, mas essa participação se reduziu devido às sucessivas crises econômicas no país. A realização deste seminário ocorre em um momento bastante oportuno, em que a economia brasileira está crescendo e voltou a atrair investimentos”, enfatizou.

Prioridades

A programação teve início com a palestra do diretor do Departamento de Indústrias Intensivas em Mão de Obra e Recursos Naturais do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), Marcos Otávio Bezerra Prates. Ele apresentou as prioridades do plano industrial brasileiro denominado Plano Brasil Maior, cujo objetivo é melhorar o ambiente de negócios no país, além de intensificar a progressão tecnológica da indústria de transformação e de incentivar o investimento com estudos para promover a desoneração tributária e da folha de pagamentos.

Já Ryo Ishiguro, da Jica, citou os principais investimentos feitos em Minas Gerais e falou das possibilidades de cooperação técnica e financeira com os estados brasileiros.

Investimentos japoneses

Dados do Renai indicam que os investimentos japoneses anunciados no Brasil, no período de 2004 a fevereiro de 2012, registraram o valor de US$ 51,6 bilhões, em um total de 213 projetos. Por unidade da federação, o Estado de Minas Gerais se destaca como principal destino dos investimentos japoneses anunciados, em valor, representando 40,8% do total previsto (US$ 21 bilhões). Os principais subsetores contemplados em Minas foram metalurgia (US$ 13,9 bilhões); papel e celulose (US$ 2,8 bilhões); minerais metálicos (US$ 2,1 bilhões); e borracha e plástico (US$ 2 bilhões).

Grandes grupos japoneses dominam ou participam do controle acionário de empresas líderes nos setores de mineração (Mitsui controla 15% das ações da Vale), siderurgia (Nippon Steel e Sumitomo têm participação acionária na Usiminas) e papel e celulose (a Cenibra é controlada pela holding Japan Brazil Paper and Pulp Resources Development, formada por várias empresas japonesas, entre as quais a Oji Paper, a Itochu e a Nippon Paper).

Segundo o Banco Central, em 2011, o Japão foi o 4º maior país investidor, com aproximadamente US$ 7,536 bilhões investidos (10,8% do total). Dados de janeiro de 2012 mostram que os investimentos japoneses atingiram o volume de US$ 301 milhões (5,6% do total – 6º maior investidor no Brasil no mês de janeiro).

Programação

Além de participar do seminário, os participantes aproveitaram para conhecer a Cidade Administrativa, quando visitaram também as instalações da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sede) e do Indi.

A programação da quarta-feira continuou com a apresentação do perito da Jica, Teiji Sakurai, sobre o Processo de atração de investimentos. Sakurai falou sobre estratégia para atração de investimento, incentivo à exportação, investimento das empresas japonesas no Brasil e as dificuldades das empresas japonesas e estrangeiras. Mostrou ainda os países bem sucedidos em atração de investimentos e como atrair as missões estrangeiras para o seu Estado, assim como a metodologia para receber missões estrangeiras e falou também sobre os brasileiros e os chineses.

O seminário prossegue, nesta quinta-feira (22), no Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG). Estarão em debate temas como Experiência brasileira em atração de investimentos: Minas Fácil, Experiência brasileira em atração de investimentos: missões internacionais e Projeto Forte (Fiemg), Experiência brasileira em atração de investimentos: Indi.

Na sexta-feira (23), a programação será encerrada pela Jica, com o tema da atração de investimentos. Teiji Sakurai falará sobre Classificação da Associação Mundial das Agências de Promoção de Investimentos; Conteúdo da Associação Mundial das Agências de Promoção de Investimentos; Introdução às atividades das Agências de atração de investimentos da Ásia; e fará recomendações ao Brasil.

Parceria

O evento é promovido pela Rede Nacional de Informações sobre o Investimento (Renai), pela Agência de Cooperação Internacional do Japão, pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais e pelo Instituto de Desenvolvimento Integrado de Minas Gerais (Indi). A parceria é da Federação das Indústrias de Minas Gerais (Fiemg) e da Japan External Trade Organization (Jetro).

A Renai é o órgão da Secretaria de Desenvolvimento da Produção do MDIC que trabalha com o objetivo de fornecer ao potencial investidor informações úteis ao processo de tomada de decisão, apoiar as estruturas federais e estaduais no desenvolvimento de atividades voltadas à promoção de inversões produtivas e articular medidas de facilitação a novos empreendimentos no país.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/seminario-debate-investimentos-japoneses-no-brasil-e-em-minas-gerais/

Gestão em Minas: Anastasia recebe visita de embaixadores da Austrália e Dinamarca

Assuntos como cultura, negócios, intercâmbio universitário e questões minerais foram abordados nos encontros

Omar Freire/Imprensa MG
Antonio Anastasia durante encontro com o embaixador da Austrália, Brett Hackett

O governador Antonio Anastasia recebeu, nesta quarta-feira (21), no Palácio Tiradentes, a visita dos embaixadores da Austrália, Brett Anthony Hackett e da Dinamarca, Svend Roed Nielsen.

Ao governador, Hackett mostrou a intenção do governo da Austrália em ampliar o intercâmbio entre universidades australianas e mineiras. Os dois ainda conversaram sobre a questão mineral, setor forte na economia de ambos os territórios.

Cultura foi o principal tema do encontro entre o governador e o embaixador da Dinamarca. Nielsen conversou com Anastasia sobre a intenção do seu país de trazer ao Estado uma delegação de empresários para conhecer as oportunidades de negócios em Minas.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/anastasia-recebe-visita-de-embaixadores-da-australia-e-dinamarca/

Governo de Minas: coordenador de Políticas Pró-Igualdade Racial explica como agir ao ser vítima de racismo

Segundo Clever Machado, muitas pessoas que sofrem com o preconceito não procuram ajuda por desconhecimento

Rômulo Ávila
Servidores públicos foram lembrados sobre Dia Internacional de Luta pela Eliminação da Discriminação Racial
Servidores públicos foram lembrados sobre Dia Internacional de Luta pela Eliminação da Discriminação Racial

Muitas pessoas que sofrem com o preconceito ou racismo não procuram ajuda, porque não sabem como agir. O alerta é do coordenador Especial de Políticas Pró-Igualdade Racial, Clever Machado, no Dia Internacional de Luta pela Eliminação da Discriminação Racial, comemorado nesta quarta-feira (21). “Ao ser vítima de um desses crimes, a pessoa deve chamar imediatamente a Polícia Militar e registrar o boletim de ocorrência, apresentando testemunhas. Se o caso for de racismo, o praticante do ato será preso em flagrante”, ressalta Machado, lembrando que o crime de racismo é inafiançável.

Clever explica que o racismo é o ato de impedir o acesso de um individuo a locais ou serviços, ao mercado de trabalho e aos campos político, econômico, social, cultural, entre outros, pela cor da pele, raça, religião ou orientação sexual.

A Coordenadoria Especial de Políticas Pró-Igualdade Racial (Cepir), vinculada à Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese), está à disposição para atender todos esses casos. “As vítimas podem procurar a Cepir para orientação. Se for o caso, a coordenadoria faz um termo de declaração, que é enviado para delegacia, Ministério Público e Defensoria Pública”, afirma.

Já o preconceito, segundo o coordenador, é caracterizado pela injúria e xingamento, atribuído a uma pessoa pelas mesmas razões que o racismo. Clever ressalta que a confusão no momento de relatar os crimes pode comprometer o processo: o preconceito também gera processo judicial, mas aceita fiança.

“Assim sendo, é importante que o profissional responsável pelo boletim de ocorrência ouça atentamente o caso e faça o relato de acordo com o depoimento da vítima”, conclui.

Contra o racismo

Servidores públicos e pessoas que passaram pela Cidade Administrativa, na manhã desta quarta-feira (21), foram lembrados sobre Dia Internacional de Luta pela Eliminação da Discriminação Racial. A Cepir distribuiu cerca de três mil folderes e panfletos com informações sobre como denunciar e buscar apoio contra o racismo.

Cepir

Criada pelo Governo de Minas, em janeiro de 2011, a coordenadoria tem por finalidade coordenar e acompanhar as ações de promoção da igualdade étnica e racial desenvolvidas no Estado de Minas Gerais, em consonância com o Estatuto da Igualdade Racial.

Os interessados no atendimento da Cepir devem entrar em contato com a coordenadoria por meio do telefone (31) 3976-7996/7997 ou do e-mail: cepir@social.mg.gov.br.

O Conselho Estadual de Promoção da Igualdade Racial também está à disposição para prestar atendimento ao cidadão: conepir@social.mg.gov.br, telefone: (31) 3224-0258.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/coordenador-de-politicas-pro-igualdade-racial-explica-como-agir-ao-ser-vitima-de-racismo/

Governo de Minas: plantio de mudas em Divinópolis incentiva conservação da natureza

A atividade irá efetuar o plantio de 300 mudas

Divulgação/Semad
Projeto ‘Guardiões do Verde’ começou em maio de 2011 e vai até maio de 2013 em Divinópolis
Projeto ‘Guardiões do Verde’ começou em maio de 2011 e vai até maio de 2013 em Divinópolis

O projeto ‘Guardiões do Verde’ vem mobilizando várias instituições e pessoas para melhorar a arborização urbana em Divinópolis. A atividade irá efetuar o plantio de 300 mudas em ruas da cidade, além de promover a realização de diversas ações de educação ambiental junto aos moradores do município localizado no Centro-Oeste de Minas Gerais.

A doação das mudas e a assessoria técnica para o plantio são realizadas pelo Instituto Estadual de Florestas (IEF), instituição que integra o Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Sisema). O projeto, que começou em maio de 2011 e vai até maio de 2013, tem ainda a participação da prefeitura de Divinópolis, da organização não governamental ‘Lixo e Cidadania’ e do Sindicato das Indústrias do Vestuário de Divinópolis.

O chefe do Escritório Regional Centro-Oeste do IEF, Rodrigo Martins Goulart, observa que, mais do que plantar árvores, o projeto visa conscientizar a população da importância da presença da vegetação na melhoria da qualidade de vida. “O enfoque é mais educacional do que propriamente de arborização, daí não ter uma grande meta quantitativa de plantio de mudas”, explica.

“O projeto se inspira no teólogo Leonardo Boff, que, em sua defesa da ‘ética do cuidado’, pede reformas e ações que estimulem o pensamento, para a preservação da vida, em todas as suas formas”, explica o coordenador de Conservação Florestal do IEF Centro-Oeste, Geraldo Magela da Silva. “O espírito do projeto é o de reunir pessoas que se comprometem com cada árvore”, completa.

O projeto ‘Guardiães do Verde’ dá continuidade à filosofia do trabalho ‘Mães Guardiãs do Verde’, que contou com a participação de mães da região Sudeste de Divinópolis. Desde outubro de 2011, elas se responsabilizaram e se envolveram no plantio de árvores na região, com o apoio do IEF.

Fontehttp://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/plantio-de-mudas-em-divinopolis-incentiva-conservacao-da-natureza/

Gestão Anastasia: mais de 1.600 trabalhadores são inseridos no mercado pelo Sine em Minas

Dados de fevereiro atestam êxito das ações da Secretaria de Trabalho e Emprego

Divulgação/Sete
Secretário Carlos Pimenta destaca que Minas possui uma das menores taxas de desemprego do país
Secretário Carlos Pimenta destaca que Minas possui uma das menores taxas de desemprego do país

A conquista de um emprego tornou-se realidade no mês de fevereiro para 1.676 trabalhadores inscritos em uma das 133 unidades do Sine que são coordenadas pela Secretaria de Estado de Trabalho e Emprego (Sete) em Minas. No mesmo período, segundo dados da Superintendência de Política de Geração de Emprego da Sete, foram captadas 16.364 vagas de empresas parceiras.

A operadora de caixa Gesiele Abdala está no emprego há um mês. Ela procurou a unidade do Sine Floresta, em Belo Horizonte. “É a segunda vez que consigo emprego por meio do Sine. Fiquei desempregada apenas uma semana e o Sine já me ajudou a encontrar uma vaga. Com a carta de indicação na mão, é muito melhor. Eu sou muito grata. Muitos dos meus colegas que trabalham comigo também foram encaminhados pelo Sine”, comemora.

Para a assistente de Recursos Humanos de uma rede de lojas hortifrutigranjeiras de Belo Horizonte, Letícia Luene, a oferta de vagas, por meio do Sine, é uma facilidade para o empregador, que amplia sua divulgação, e também para o trabalhador que não tem acesso às vagas disponíveis na empresa. “Divulgando nossas vagas no Sine, também damos oportunidades a trabalhadores de outros bairros e também da Região Metropolitana, que muitas vezes não conhecem a loja por morarem em áreas em que não estamos presentes”, ressalta ela, que, em uma semana, contratou cinco candidatos encaminhados pelo Sine, das 15 vagas anunciadas.

“Estamos numa situação quase confortável, com um alto número de vagas ofertadas e uma das menores taxas de desemprego do país. Além da intermediação de mão de obra, investimos bastante na qualificação profissional. Este ano, vamos qualificar mais de 30 mil trabalhadores em todo o Estado, para que tenhamos números cada vez mais próximos entre as vagas ofertadas e os trabalhadores colocados no mercado de trabalho”, destaca o secretário de Estado de Trabalho e Emprego, Carlos Pimenta.

Em fevereiro, o número de atendimentos nas unidades do Sine em Minas Gerais chegou a 327.372, entre intermediação de mão de obra, emissão de carteiras de trabalho, postagem do seguro-desemprego e informações ao trabalhador.

Fontehttp://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/mais-de-1600-trabalhadores-sao-inseridos-no-mercado-pelo-sine-em-minas/

Gestão Antonio Anastasia: ICMS Turístico impulsiona o desenvolvimento de municípios mineiros

Em 2012 serão destinados cerca de R$ 10 milhões para 63 cidades de várias regiões do Estado
Divulgação
Arquitetura arrojada na construção do Memorial dos Presidentes
Arquitetura arrojada na construção do Memorial dos Presidentes

Varginha, Araporã e São Tiago são alguns dos municípios mineiros que receberam recursos do ICMS Turístico, repassados pelo Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de Turismo (Setur), em 2011. Para 2012, o repasse previsto é de aproximadamente R$ 10 milhões para 63 municípios que se habilitaram ao incentivo no ano anterior. O recurso pode ser investido em ações, programas e projetos voltados para o desenvolvimento turístico dos municípios.

Dos 63 municípios habilitados, 31 (49,2%) estão recebendo o benefício pela segunda vez, como é o caso da cidade de São Tiago, no Campo das Vertentes, mais conhecida como a “terra do café com biscoito”. Lá, está sendo construído, em praça pública no centro da cidade, um forno que produzirá biscoitos durante todo o ano, se tornando a principal atração turística. Para a obra, foram utilizados recursos do ICMS Turístico de aproximadamente R$ 115 mil. A previsão é que o forno seja inaugurado em maio deste ano.

De acordo com o presidente do Conselho Municipal de Turismo, Geraldo Sampaio, o foco é atrair turistas não apenas em setembro, quando acontece a “Festa do Café com Biscoito”, mas também nos outros meses do ano, já que o forno irá funcionar durante todos os finais de semana. “Como estamos inseridos na região da Trilha dos Inconfidentes, com municípios que recebem muitos turistas, como Tiradentes e São João del-Rei, pretendemos atrair essas pessoas para São Tiago também. O incentivo para a construção da nossa atração turística vai trazer mais visitantes, agregando valor ao município”, destaca.

São Tiago possui 45 fábricas de biscoito que produzem cerca de 200 toneladas por mês. Na “Festa do Café com Biscoito” cerca de 50 mil turistas passam pela cidade, quando são distribuídas gratuitamente cinco toneladas de biscoitos.

Benefício para o desenvolvimento do turismo

Em Araporã, município do Triângulo Mineiro, com sete mil habitantes, cerca de R$ 23 mil, oriundos do ICMS Turístico de 2010, foi destinado à obra do Memorial dos Presidentes, que homenageia os ex-presidentes da República Afonso Pena, JK e Lula. O recurso foi disponibilizado no ano passado, quando R$ 6,6 milhões foram destinados para 44 municípios.

De acordo com o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico e Turístico de Araporã, André Donizete Martins, por estar situada na divisa com Goiás, a cidade recebe constante fluxo de pessoas durante as festividades locais. “Araporã abriga, num raio de 500 quilômetros, um Memorial dos Presidentes aberto para visitação sem nenhum custo para o visitante da região e de outros estados. O ICMS Turístico colabora para o desenvolvimento da nossa região”, destaca. A cidade recebe visitantes de Goiás e de outras cidades mineiras.

Outra cidade contemplada foi Varginha, no Sul de Minas. Dados do Conselho Municipal de Turismo de Varginha apontam que, mensalmente, circulam cerca de 12 mil visitantes na cidade, em sua maioria, para o turismo de negócios. Segundo o presidente do Conselho, Vinícius Amantea Campos, a idéia é fomentar o turismo de lazer. “Por isso, a prefeitura iniciou diversas ações, desde a instalação de sinalização turística, à campanha de conscientização e o projeto RedeTur, utilizando recursos provenientes do ICMS. Aproximadamente R$ 100 mil vêm sendo aplicados”, informou.

Para a instalação de 100 totens de sinalização com informações turísticas, o investimento foi de R$ 65 mil. Até meados deste ano, haverá sinalização em toda a cidade. Outra ação que contou com recursos do imposto foi o projeto Alô Turismo, um serviço telefônico de informação ao turista criado em maio de 2011. O Projeto RedeTur, em fase inicial, engloba a gastronomia e o setor hoteleiro por serem setores de frente, com acesso imediato. Por último, a Campanha de Conscientização feita nas escolas, com o intuito de formar multiplicadores.

Para 2012 está prevista a utilização do recurso do ICMS Turístico para a construção, em Varginha, do Centro de Atendimento ao Visitante, onde o turista será recebido adequadamente com conforto e qualidade. A obra está orçada em R$ 80 mil.

Descentralização de recursos

A inclusão do critério “turismo” no Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) em Minas Gerais é resultado de esforço coletivo entre as Associações de Circuitos Turísticos, por meio da Federação de Circuitos Turísticos, e a  ICMS.

De acordo com o secretário de Estado de Turismo, Agostinho Patrus Filho, Minas continua dando exemplo de descentralização de recursos e de execução de política pública na ponta. “Queremos dar oportunidade a todos os nossos municípios de se beneficiarem com o ICMS Turístico e fomentarem o desenvolvimento da atividade em suas regiões. Os municípios detêm o conhecimento de suas reais necessidades e sabem quais ações o benefício será melhor aplicado para o desenvolvimento do turismo”, afirma o Secretário.

Dos 63 municípios habilitados, 21 encontram-se na região Sul, 14 estão na região Central e 9 são da Zona da Mata. O restante está dividido entre as demais regiões do Estado.

Neste ano, os municípios terão até o dia 15 de abril para entregar toda a documentação referente à habilitação ao benefício do ICMS Turístico em 2012. O recurso será repassado aos municípios em 2013, como resultado das ações executadas durante o ano de 2011.

Fontehttp://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/icms-turistico-impulsiona-o-desenvolvimento-de-municipios-mineiros/

Governo de Minas: produtor mineiro de coco-da-baía aposta na recuperação do preço

Cotação atual do fruto no Estado é 44,0% superior à registrada no ano passado

Divulgação/Seapa
Segundo a Secretaria de Agricultura, Minas deve colher 45,6 milhões de cocos em 2012
Segundo a Secretaria de Agricultura, Minas deve colher 45,6 milhões de cocos em 2012

Minas Gerais deve colher 45,6 milhões de cocos-da-baía em 2012, informa a Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), com base em dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O crescimento estimado da produção, comparado à safra anterior, é apenas de 1%, mas os produtores acreditam que a renda do setor vai aumentar, principalmente como consequência da recuperação dos preços do fruto registrada desde a última semana de fevereiro.

Arlim Maria Ribeiro Neto, administrador da Fazenda Coqueiro Verde, no município de Várzea da Palma (Norte do Estado), diz que o preço líquido do coco ao produtor em Minas oscila atualmente entre R$ 0,70 e R$ 0,75 a unidade. “Caso este valor seja mantido, o produtor poderá garantir a sua renda. Nesta situação, mesmo considerando que houve retração dos preços de janeiro até a terceira semana de fevereiro, a média atual será cerca de 44% superior à registrada em 2011.

De acordo com o administrador, o mercado de coco, em Minas Gerais, sempre tem boas condições de recuperação, porque o produto é de alta qualidade e disputado inclusive por outros estados, sendo o consumo crescente principalmente no litoral de São Paulo e do Rio de Janeiro.

“O produtor precisa ter certeza de que venderá grandes volumes para investir no aumento da produção e na melhoria da qualidade do coco”, explica Neto. ”A Fazenda Coqueiro Verde acredita na recuperação do mercado e vem obtendo safras cada vez maiores, sendo a de 2012 estimada em 4 milhões de frutos. O volume é 14,2% superior ao registrado no ano passado e corresponde a 30% da produção prevista este ano para a região Norte.”

Atividade sustentável

A área plantada com coco na Coqueiro Verde é de 180 hectares, a maior do Estado, representando 26,2% da área total ocupada pela cultura na região. “O trabalho na fazenda é orientado por práticas recomendadas para a obtenção da sustentabilidade. Utilizamos processos automatizados de irrigação que controlam o volume de água para cada área de plantio, conjugando a prática com a adubação, principais responsáveis pela produtividade da ordem de 36 mil frutos por hectare. O volume equivale ao dobro do rendimento médio das áreas de coco de todo o Estado, conforme a previsão do IBGE para 2012.

Um dos projetos da Coqueiro Verde para este ano é a implantação de mais 150 hectares de coqueiros, que devem começar a produzir até 2016. Segundo Neto, a boa localização de Várzea da Palma em relação principalmente aos mercados de São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte é um fator importante para a decisão de manter o plano de expansão do plantio.

Além da região Norte, que responde por cerca de 19,1 milhões de frutos ou 42,0% da colheita de coco no Estado prevista para este ano, a produção do fruto é expressiva também no Rio Doce (11,6 milhões de frutos), Jequitinhonha/Mucuri (5,7 milhões de frutos), Zona da Mata (5,7 milhões de frutos), e Triângulo (2,3 milhões de frutos).

“O destaque do Norte de Minas e especialmente do município de Várzea da Palma na produção de coco é uma prova do papel transformador da irrigação na agricultura”, diz o secretário de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Elmiro Nascimento. “Conjugados com a adubação orientada por técnicos, os programas de irrigação ampliam os períodos de produção dos alimentos, como no caso da Fazenda Coqueiro Verde, onde coco de qualidade é colhido em grande volume o ano inteiro. Segundo estimativa da FAO, nos próximos vinte anos, cerca de 40% do aumento da produção de alimentos deverão ser gerados pelas áreas irrigadas”, finaliza.

Fontehttp://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/produtor-mineiro-de-coco-da-baia-aposta-na-recuperacao-do-preco/