Governo de Minas: blitze do DER combatem transporte clandestino nas rodovias mineiras

DER obteve resultado positivo em balanço parcial nas blitze de combate ao transporte ilegal em Minas

O Departamento de Estradas de Rodagem de Minas Gerais (DER/MG), em conjunto com Departamento de Estradas de Rodagem de Minas Gerais (DER/MG), BHTrans e Agência Nacional de Transporte Terrestre (ANTT), obteve resultado positivo em balanço parcial nas blitze de combate ao transporte clandestino no Estado. Nesse Carnaval, foram abordados 14 mil veículos e lavrados 1005 autos de infração nas 350 blitze realizadas. O número de veículos autuados diminuiu em relação ao Carnaval de 2011, quando foram abordados 13.046 veículos e lavrados 2.556 autos de infração.

“Estamos considerando as blitze realizadas este ano um sucesso porque, apesar do maior número de ações de fiscalização realizadas em relação ao ano anterior, do melhor mapeamento das rotas utilizadas no período de Carnaval e dos cerca de 2.000 agentes fiscalizadores que estão trabalhando durante a operação, o número de veículos autuados diminuiu, o que permite concluir que houve no período um uso menor do transporte ilegal, maior conscientização dos nossos passageiros e de quem se presta a atividade de fretamento”, analisou o diretor de Fiscalização do DER/MG, João Afonso Baeta Costa Machado.

Segundo João Baeta, “as estratégias serão permanentemente aprimoradas e a diminuição do número de autos lavrados significa que a instituição está no caminho certo contra os transportadores ilegais, mas que infelizmente a imprudência ainda é significativa por parte dos condutores infratores causadores de muitos acidentes com vitimas fatais”, finalizou o diretor.

Ação conjunta

A repressão ao trânsito de motoristas alcoolizados também foi intensificada nas blitze, já que além dos 383 etilômetros das policiais Civil e Militar, os condutores sob suspeita foram submetidos ao teste do bafômetro nos 140 aparelhos da PRF. A participação da Subsecretaria de Políticas sobre Drogas no Plano Mineiro de Prevenção e Atendimento a Acidentes de Trânsito Terrestre garantiu a abordagem aos estabelecimentos às margens das rodovias, visando o combate à venda de bebidas alcoólicas nestes locais. A campanha advertiu também para o risco do uso de drogas ilícitas.

A ação conjunta permitiu colocar ao mesmo tempo, em diferentes pontos das estradas mineiras, 33 radares móveis, sendo 15 da PRF e os 18 da Polícia Militar, reforçando o papel dos 211 radares fixos já instalados na malha rodoviária sob jurisdição do DER/MG.

“O poder multiplicador do grupo permitiu que as rotas das cidades mais procuradas pelos foliões que permanecem em Minas Gerais – Diamantina, Ouro Preto, Pompéu, Pará de Minas, Abaeté, São João del-Rei e Tiradentes, entre outras, pudessem ser fiscalizadas com mais rigor. Os acessos  a estas cidades receberam um reforço na distribuição do efetivo policial, obtendo desta forma uma melhor cobertura na malha rodoviária, assim como as rotas mais utilizadas no deslocamento para o litoral, o que inibiu, em muito, o transportador clandestino”, acrescentou Baeta.

Uma portaria federal limitou o tráfego de carretas, caminhões bitrens, caminhões silo, de siderúrgicas e de transporte de bobinas durante o Carnaval. O cumprimento da determinação foi fiscalizado pelos agentes do DER/MG, sendo que as mesmas medidas restritivas também foram adotadas pelo DER/MG nas rodovias estaduais (as MGs e federais delegadas) e serão adotadas em todos os feriados do ano de 2012”, finalizou o diretor.

Fonte: Agência Minas

Gestão em Minas: acidentes diminuem mais de 50% no Sistema MG-050

Também houve queda de 59% no total de vítimas

A Concessionária Nascentes das Gerais, responsável pela administração e operação do Sistema MG-050/BR-265/BR-491, registrou a diminuição de 52% nos acidentes durante o feriado de Carnaval. A operação especial, que teve início na última sexta-feira e terminou nessa quarta-feira (22), também apontou outro dado significativo: queda de 59% no total de vítimas. A comparação é com relação ao mesmo período do ano passado.

O gestor de operações da Concessionária Nascentes das Gerais, Marcelo Aguiar, destaca que a performance é positiva e reflete os investimentos ao longo dos 371,4 quilômetros da malha viária. “São R$ 352 milhões investidos em obras e na operação da via. Além disso, temos o trabalho educativo. Em quase cinco anos de concessão, cerca de 2,5 milhões de pessoas já foram alcançadas”, afirma.

Sistema MG-050

O Sistema MG-050/BR-265/BR-491 é a principal via de ligação entre o Centro-Oeste e o Sudoeste de Minas Gerais e tem 371,4 quilômetros de extensão. Desde junho de 2007 é administrado pela Concessionária Nascentes das Gerais por meio da primeira Parceria Público-Privada (PPP) do setor de infraestrutura rodoviária nacional, desenvolvida pelo Governo de Minas. A área de influência da rodovia abrange a Região Metropolitana de Belo Horizonte, regiões Sul e Centro-Oeste de Minas Gerais, totalizando 50 municípios, que somam 1.331.075 habitantes (7,4% da população), representando 7,7% do Produto Interno Bruto (PIB) mineiro.

Fonte: Agência Minas

Governo de Minas: abertas inscrições de trabalhos para o 6º Seminário de Literatura Brasileira

Inscrições poderão ser feitas até 11 de maio

Estão abertas as inscrições dos trabalhos a serem apresentados durante o 6º Seminário de Literatura Brasileira, que será realizado pela Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes) no período de 13 a 15 de junho. O evento é organizado pelo Grupo de Pesquisas em Estudos Literários (GEL), Departamento de Comunicação e Letras e a coordenação do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Letras – Estudos Literários.

As inscrições poderão ser feitas até 11 de maio pela internet, e-mail seminarioliteratura@unimontes.br ou pessoalmente (sala do Grupo de Pesquisas em Estudos Literários e na Secretaria do Mestrado em Letras/Estudos Literários – prédio 2/campus-sede). Outras informações pelo site http://www.cch.unimontes.br/seminariodeliteratura.

Temas

O seminário terá como tema central “Minas e o Modernismo: Memórias, Subjetividade e Ruínas”. Um dos objetivos é debater sobre a literatura contemporânea no Brasil. Uma novidade na programação será o intercâmbio científico diante da participação de outras instituições de ensino superior no evento. Serão parceiros na iniciativa a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-Minas), Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), Centro de Estudos Sociais de Juiz de Fora (CES/JF) e a Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ).

O coordenador geral do evento, Osmar Pereira Oliva, salienta que o seminário pretende debater o Modernismo Brasileiro, com ênfase à literatura produzida em Minas Gerais. “Além disso, em conjunto “com as demais instituições de ensino, vamos também promover e institucionalizar o Projeto “Literatura de Minas Gerais em Rede”, que visa a maior aproximação dos professores e alunos dos programas de pós-graduação em Letras e áreas afins”, explica Osmar Oliva, também pró-reitor de Pós-Graduação da Unimontes.

Outras informações também pelos telefones 3229-8248, 3229-8170 e 3229-8234.

Fonte: Agência Minas

Gestão Anastasia: geração de empregos em Minas Gerais supera a média nacional

No acumulado dos últimos 12 meses, foram criados 207.035 postos de trabalho no Estado
Divulgação
Apenas em janeiro, indústria de transformação em Minas gerou 5.550 novos postos de trabalho
Apenas em janeiro, indústria de transformação em Minas gerou 5.550 novos postos de trabalho

Minas Gerais registrou a geração de 16.542 empregos celetistas em janeiro de 2012, segundo os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério de Trabalho e Emprego, o que equivale a uma expansão de 0,41% em relação ao número de carteiras assinadas observado no mês anterior.

Em termos absolutos, o desempenho de Minas Gerais é o segundo melhor de toda a série histórica do Caged para o período, sendo superado apenas por janeiro de 2010, quando foram gerados 20.492 postos de trabalho no Estado. O resultado mostra Minas Gerais com o segundo melhor saldo da região Sudeste, atrás apenas de São Paulo.

Proporcionalmente, o crescimento registrado em Minas Gerais, em janeiro, de 0,41%, na comparação com dezembro de 2011, supera a média nacional. Em todo o país, no mês de janeiro de 2012, foram gerados 118.895 empregos formais celetistas, o que equivale a um crescimento de 0,31% em relação aos números registrados no mês anterior.

A expansão em Minas decorreu, principalmente, do crescimento nos setores de serviços (+6.556 empregos), da construção civil (+5.584 empregos) e da indústria de transformação (+5.550 empregos), cujos saldos superaram a queda do setor de comércio (-3.005 postos).

Na série ajustada, que incorpora as informações declaradas fora do prazo, no acumulado dos últimos doze meses, o montante de empregos gerados em Minas atingiu 207.035 postos de trabalho, correspondendo a um aumento de 5,39%. Esse resultado, em termos absolutos, foi o segundo melhor, tanto na região Sudeste quanto no país, sendo superado apenas pelo registrado em São Paulo (+519.987 postos).

Dentre as cidades mineiras com o melhor saldo na criação de empregos formais, Belo Horizonte, Uberlândia, Contagem, Nova Serrana e Betim apresentaram os melhores resultados.

Minas em destaque

Os dados divulgados nesta quinta-feira (23) pelo Ministério de Trabalho e Emprego mostram que Minas Gerais mantém posição de destaque no país. Durante todo o ano de 2011, Minas registrou, segundo o Caged, a criação de 206.402 empregos com carteira assinada em todo o Estado. Entre os 27 Estados da Federação, Minas Gerais só perdeu para São Paulo na geração de postos de trabalho. Em todo o Brasil, foram criados 1,94 milhão de empregos formais em 2011.

O setor de serviços, com 103.923 postos, foi o que mais gerou empregos no ano passado em Minas, seguido por comércio (47.170), indústria de transformação (26.015) e construção civil (13.965 postos). Na região Metropolitana de Belo Horizonte foram 88.217 empregos formais no ano de 2011. O resultado de 2011 em Minas foi o segundo maior desde 2003. É a segunda vez, no mesmo período, que o saldo de empregos ultrapassa a marca de 200 mil vagas criadas em um só ano. Em 2010, foram criados, no Estado, 297 mil empregos, enquanto, no Brasil, o número chegou a 2,35 milhões.

Fonte: Agência Minas

Gestão em Minas: alunos de escolas da rede pública estadual destacam-se em vestibulares concorridos

Estudante de escola estadual de Arcos foi aprovado em primeiro lugar para o curso de Medicina da UFMG

Divulgação/SEE
Cristian Roberto Silvano, ex-aluno da Escola Estadual Pacífico Vieira, foi aprovado na UFMG
Cristian Roberto Silvano, ex-aluno da Escola Estadual Pacífico Vieira, foi aprovado na UFMG

Com a volta às aulas, um grupo de ex-alunos da rede estadual retoma os estudos em outro nível de escolaridade, com a conquista de vagas no ensino superior. Entre eles está Igor Fernandes Braz, de 19 anos. O estudante é ex-aluno da Escola Estadual Dona Berenice de Magalhães Pinto, no município de Arcos, no Centro-Oeste do Estado, e foi aprovado em primeiro lugar para o curso de Medicina, na Universidade Federal de Minas Gerais. De acordo com a instituição de ensino superior, 32% dos aprovados no processo seletivo de 2012 são oriundos da rede estadual.

“Enquanto cursava o 3º ano já comecei a me informar e me preocupar com os vestibulares. Não foi difícil escolher o curso, pois há algum tempo já decidira cursar Medicina. É um curso bastante amplo e interessa-me muito a área de pesquisa em alguns campos da Medicina”, lembra o estudante que se formou em 2010.

Além da primeira colação na UFMG, Igor também foi aprovado para Medicina nos vestibulares da Universidade Estadual de São Paulo (USP) e da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Ele também conquistou uma vaga para o mesmo curso na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), por meio do Sistema de Seleção Unificada (SiSU), do Governo Federal. Apesar das várias aprovações, o jovem optou por se preparar para carreira médica na USP.

Aprofundamento de Estudos

Igor, que sempre estudou na rede estadual de ensino, diz quer a preparação específica para o vestibular começou em 2010, na Escola Estadual Dona Berenice de Magalhães Pinto, no vinculada à SRE de Divinópolis, onde cursou o 3º ano. Na escola, ele participou de um projeto desenvolvido pela Secretaria de Estado de Educação (SEE).

“No último ano do ensino médio participei do projeto ‘Aprofundamento de Estudos’, que consiste em aulas de determinadas matérias durante a tarde. Foi-me bastante importante essas aulas, pois estudava matérias que não estavam na minha grade de 3º ano, como Biologia e Física, além de poder tirar diversas dúvidas e direcionar os conteúdos, pois havia maior contato com os professores”, afirma Igor.

No primeiro semestre de 2011, o estudante continuou se preparando para novos vestibulares. Igor estudava apenas em casa, com apostilas, livros e pela internet. Para aprofundar o seu conhecimento no que já sabia, o estudante também fez três meses de cursinho até que veio a tão sonhada aprovação.

A dona de casa Vânia Fernandes é mãe do jovem. Segundo ela, desde a pré-escola, o filho sempre se destacou nos estudos. “As pessoas devem achar que ele estudou muito em casa, mas não. O Igor prestava atenção nas aulas e, em casa, em vez de estudar as matérias da escola, ele fazia leituras de seu interesse”, comenta.

Sobre o fato de ter um futuro médico em casa, a mãe não esconde a alegria. “Isto é um presente para a nossa família. Nem um prêmio na Mega Sena seria tão valioso”, avalia a mãe.

Primeiro lugar em Engenharia de Sistemas

Cristian Roberto Silvano, ex-aluno da Escola Estadual Pacífico Vieira, em Conselheiro Lafaiete, também foi aprovado na Universidade Federal de Minas Gerais. Ele foi classificado em primeiro lugar no curso de Engenharia de Sistemas. “A vontade de engenharia veio quando fiz um curso técnico em eletrotécnica na época do ensino médio. Os professores sempre me deram muito apoio. Durante as aulas eu sempre interrompia as aulas para tirar as minhas dúvidas e tinha alguns alunos que falavam que eu perguntava demais”, explica Cristian, que concluiu o ensino médio em 2007, mas na época, em vez de prestar vestibular, o estudante optou por fazer estágio para carga horária necessária à formação do curso técnico de Eletrotécnica.

Após três anos se dedicando ao trabalho na área, o estudante voltou às salas de aula para se preparar para o vestibular. “Tive uma ótima base na escola, mas se você fica um tempo sem estudar, já sabe que tem que relembrar, por isso entrei em um preparatório”, comenta.

A certeza de que havia passado no vestibular só veio com a matrícula na Escola de Engenharia da Universidade. “Não estava acreditando muito que tinha passado, só quando entre no prédio da Escola de Engenharia que eu acreditei. Com o meu comprovante de matrícula nas mãos eu sentei e chorei como uma criança”, lembra.

A Zona da Mata, também teve o seu destaque no campo das exatas. O estudante Alef Leão Nunes, de 18 anos, foi aprovado para o curso de Engenharia Elétrica, na Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). O jovem participou do vestibular seriado, uma das opções de ingresso adotada pela instituição. Neste caso, o candidato participa do processo seletivo ao longo dos três anos do ensino médio.

“Na minha escola, os professores sempre davam simulados com questões de vestibulares passados da UFJF. Foi uma forma de preparação que me ajudou bastante”, explica Alef, que começa o curso este semestre. “As pessoas falam que é difícil, pois tem uma disciplina chamada Cálculo, mas acho que vou me dar bem. Não é o meu primeiro desafio”, completa.

Quem também conquistou o seu lugar no ensino superior, em uma instituição pública, foi o recém-formado Gabriel Couto Teixeira, de 18 anos. O estudante concluiu o seu ensino médio em 2011 na Escola Estadual Messias Pedreiro, em Uberlândia, no Triângulo Mineiro, e foi aprovado para o curso de Direito na Universidade Federal de Uberlândia (UFU).

Gabriel participou de um processo destinado a estudantes oriundos da rede pública de ensino. Para o jovem, o sonho de seguir a carreira jurídica começa no próximo dia 27, quando tem início as aulas na Universidade.

“Penso em estudar Direito desde o meu ensino fundamental, mas foi no ensino médio que tive essa certeza, por causa das aulas de Filosofia e Sociologia. Com essas disciplinas pude estudar um pouco de política, e de filósofos como Sócrates. Agora vou estudar e penso em seguir carreira pública. Quando me formar, pretendo fazer concurso para Promotor e Juiz”, adianta.

Investimento na formação

Na escola de Gabriel, o estudante não foi o único aprovado na Universidade Federal de Uberlândia, além do jovem, 184 estudantes vão cursar o ensino superior na instituição. De acordo com a diretora, Miriam Antônia dos Santos, a escola procurar dar o suporte necessário aos alunos por meio de projetos e parcerias pedagógicas.

“Para a preparação dos nossos alunos temos professores dão aulas no sexto horário, além de reforço em disciplinas como a Matemática na oferta de aulas aos sábados. Para essa ação temos a parceria de professores de cursinhos da região e de profissionais da UFU”, cita a diretora.

Programa de Bônus

Os candidatos interessados em uma vaga na Universidade Federal de Minas Gerais podem se inscrever pelo Programa de Bônus da instituição. Ao participar do Programa, o interessado pode concorrer ao bônus de 10%, destinado a estudantes que cursam os últimos quatro anos do ensino fundamental e ensino médio em escolas públicas, no Brasil; ou ao bônus de 15%, destinado a estudantes que, além do critério citado acima, se autodeclare pardo ou preto.

O candidato que se inscreve para o bônus de 10% tem aplicado à sua nota final, em cada etapa, um multiplicador de 1,10. Já para o candidato ao bônus de 15% é aplicado, ao final de cada etapa, um multiplicador de 1,15.

Fonte: Agência Minas

Governo de Minas: candidatos já podem consultar comprovante para o concurso da Educação

Mais de 260 mil profissionais participam da prova para ingresso nas carreiras da Educação em Minas

Os 263 mil candidatos inscritos para o concurso da Secretaria de Estado de Educação (SEE) já podem emitir o comprovante de inscrição no site da Fundação Carlos Chagas, organizadora do concurso. O comprovante também foi enviado para o e-mail dos candidatos. O concurso da secretaria oferta 21.377 vagas, distribuídas nas carreiras da educação básica em Minas Gerais. A prova terá duração de quatro horas e será aplicada em 4 de março.

No cartão informativo, consta o horário e local de realização do exame, além da relação de documentos que o participante deverá levar, composta por: documento original de identidade, caneta esferográfica de tinta preta e de material transparente, lápis e borracha. Os candidatos deficientes visuais, que solicitaram prova especial em Braile, deverão levar no dia da aplicação do exame reglete e punção, podendo, ainda, utilizar-se de soroban.

A consulta ao comprovante será de responsabilidade do candidato. No caso do participante não conseguir visualizar o informativo no endereço eletrônico da fundação dentro do período fixado, deverá entrar em contato com o Serviço de Atendimento ao Candidato (SAC), pelo telefone (11) 3723-4388, de segunda a sexta-feira úteis, das 10 às 16 horas para as devidas orientações.

Prova

A prova do concurso da Secretaria de Estado de Educação será objetiva, composta de 60 questões de múltipla escolha, sendo 20 de conhecimentos gerais e 40 de conhecimentos específicos. As referências para estudo constam do anexo V do edital do concurso. Será considerado aprovado na primeira etapa do processo o candidato que obtiver o mínimo de 50% de acertos nas questões de conhecimentos gerais e 50% nas questões de conhecimentos específicos.

O exame será aplicado em dois horários. Para os cargos de Professor Educação Básica – Anos Iniciais do Ensino Fundamental, Assistente Técnico Educacional e Assistente Técnico de Educação Básica a prova terá início às 8h30, mas os candidatos devem chegar ao local de prova às 8h.

Já para os cargos de Professor Educação Básica: Arte/Artes, ; Biologia, Educação Física, Filosofia, Física, Geografia, História, Língua Estrangeira Moderna (Espanhol), Língua Estrangeira Moderna (Inglês), Língua Portuguesa, Matemática, Química, SociologiaAnalista Educacional; Analista Educacional – Inspeção Escolar; Especialista em Educação Básica – Orientação Educacional; e Especialista em Educação Básica – Supervisão Pedagógica, as provas terão início às 14h30, mas os candidatos devem chegar às 14h.

As provas serão realizadas nas sedes das superintendências Regionais de Ensino, com exceção da SRE de Nova Era, que também terá aplicação das provas nos município de Itabira e João Monlevade. O tempo mínimo de permanência nos locais de prova será 60 minutos do início da prova.

Fonte: Agência Minas

Gestão Anastasia: Fundo do BDMG para fomento a cadeias produtivas beneficia 34 empresas em Minas

FIDC / CPMG oferece uma série de benefícios e incentivos aos empreendedores

Divulgação/BDMG
Empresa Tecbet consegue obter desconto médio mensal de até R$ 320 mil por meio do FIDC
Empresa Tecbet consegue obter desconto médio mensal de até R$ 320 mil por meio do FIDC

Em mais uma ação para apoiar o setor produtivo mineiro, o Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG) estruturou, em parceria com a XP Investimentos, o Fundo de Investimentos em Direitos Creditórios /Cadeias Produtivas de Minas Gerais (FIDC/CPMG). O fundo tem o objetivo de captar recursos para financiamento de cadeias produtivas no Estado, começando pela rede de fornecedores da Fiat Automóveis, em Betim, na região metropolitana de Belo Horizonte. Até agora, 34 empresas estão operando com o fundo em Minas.

O FIDC/CPMG realiza uma operação equivalente ao desconto de títulos, entretanto, com certas vantagens, como por exemplo, a isenção do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) e o direito de regresso. Além disso, o fundo não utiliza limites da rede bancária e não há custo de cadastramento, reduzindo significativamente as despesas com capital de giro. A taxa praticada atualmente é de 1,299% ao mês.

Caso de sucesso

A Tecbet – que fornece para a Fiat e para outras empresas elementos de solda e máscaras descartáveis para pintura de lataria – começou a negociar seus recebíveis no FIDC/CPMG no início de dezembro de 2011 e, desde então, o desconto médio por mês tem sido de R$ 320 mil.

Neste curto período, a diretora financeira da empresa, Maria Delfina, e sua filha, Fernanda, que é responsável pelo marketing da Tecbet, tornaram-se grandes defensoras e divulgadoras do fundo. “A adesão ao FIDC foi um dos fatores que fortaleceram a nossa empresa neste final de ano e possibilitaram a superação dos reflexos das crises de 2008 e 2011. Utilizamos este alento oferecido pelo BDMG e pela XP com os juros mais baixos do mercado e com uma agilidade incrível nas respostas”, afirma Maria Delfina.

Fernanda lembra que ela e sua mãe tinham receio de que os reflexos da crise pudessem provocar demissões entre os cerca de 100 funcionários. Porém, operando com o FIDC / CPMG, a empresa encerrou o ano arcando com o 13º salário dos empregados e com outras despesas com maior facilidade. “Antes estávamos operando com taxas de juros muito mais altas e o banco que nos atendia demandava um tempo precioso. Agora, além dos juros baixos, temos a resposta praticamente online, o que nos dá a segurança para programarmos nossos pagamentos”, esclarece.

“Para administrar a escassez de recursos, precisamos de parceiros como o BDMG”, diz Maria Delfina, que prevê para os próximos meses uma média de R$ 500 mil em antecipação de recebíveis junto ao FIDC. Ela espera que todos os seus clientes possam aderir, também, ao fundo, “promovendo melhoria no desempenho financeiro de toda a cadeia produtiva”.

Fonte: Agência Minas

Governo de Minas: exposição Marc Riboud estreia em março no Palácio das Artes

Mostra possui 51 fotos datadas de 1953 a 2009, registradas pelo importante fotógrafo francês que dá nome à exposição

Estreia em 2 de março, no Espaço Mari’Stella Tristão do Palácio das Artes, a exposição Marc Riboud, realizada pela Fundação Clóvis Salgado (FCS) em parceria com a Aliança Francesa de Belo Horizonte. Com curadoria da Delegação Geral da Aliança Francesa no Brasil, a exposição fica em cartaz até 11 de abril e tem entrada gratuita.

Marc Riboud é composta por 51 fotos, de tamanhos variados, datadas de 1953 a 2009, registradas por este importante fotógrafo francês que dá nome à mostra. Apelidado de “andarilho do vento” pelo diretor-geral da Aliança Francesa no Brasil, Yann Lorvo, suas fotos são um testemunho diferenciado dos grandes eventos e de lugares diversos, do Oriente ao Ocidente.

“De Washington ao Vietnã, do Nepal às Ìndias, da China à África, ou no Brasil, ele colecionou as imagens como se colecionam borboletas, com cuidado, prazer e paixão. Sua capacidade de se surpreender, seu amor pela vida, pelo próximo, aparecem na sua maneira de descobrir as culturas distantes e de voltar várias vezes aos países que visitou”, explica Yann Lorvo.

Além dessas fotos, também estarão expostas 10 montagens de fotografias feitas por Riboud no Brasil, em 2009, durante suas visitas a Porto Alegre e Rio de Janeiro. “Lá, como no Rio, cada dia de minha viagem foi um encanto. Mais ainda do que a beleza das paisagens e das cidades, pude apreciar o calor e a elegância das relações humanas; este sentimento que, tão longe da França, a compreensão é imediata, profunda, assim como é imenso o apetite pelos intercâmbios culturais”, declarou o fotógrafo, que esperou 85 anos para vir ao Brasil.

Para a presidente da Fundação Clóvis Salgado, Solanda Steckelberg, “a exposição reafirma as parcerias estabelecidas pela FCS com diversas instituições e tem por objetivo promover a circulação de conteúdos relevantes para a compreensão da arte mineira, brasileira e internacional contemporânea, valorizando as diversas linguagens artísticas”.

Desde 2010, a exposição passou por diversas cidades do Brasil, como Salvador, Recife, Fortaleza, Porto Alegre, São Paulo, Belém e Curitiba, e foi vista por aproximadamente 100 mil pessoas.

Sobre Marc Riboud

Marc Riboud nasceu em 1923, na cidade de Lyon. Durante a Exposição Universal de Paris, em 1937, ele realizou suas primeiras fotografias com o pequeno Vest-Pocket que seu pai lhe deu por ocasião de seus 14 anos. De 1945 a 1948, estudou engenharia na Ecole Centrale de Lyon e trabalhou em uma fábrica antes de resolver dedicar-se à fotografia.

Em 1953, conseguiu publicar na revista Life a foto de um pintor da Torre Eiffel. Convidado por Henri Cartier-Bresson e Robert Capa, integrou a equipe da agência Magnum. Em 1955, passando pelo Oriente Médio e o Afeganistão, foi por terra até a Índia, onde ficou um ano antes de ir para a China. Depois de uma estada de três meses na antiga URSS, em 1960, fez a cobertura das independências na Argélia e na África negra.

Entre 1968 e 1969, realizou reportagens no Vietnã do Sul e também no Vietnã do Norte, onde foi um dos poucos fotógrafos a poder entrar. Nos anos 1980, viajou regularmente pelo Oriente e pelo Extremo Oriente e realizou exposições em Paris, Londres, Nova Iorque, Beijing, Hong Kong e Bilbao.

Além de fotografias, publicou vários livros sobre a China, o Tibete e o Camboja. Seu trabalho foi exposto em diversos museus. Riboud recebeu, entre outras recompensas, dois prêmios do Overseas Press Club, o Time-Life Achievement, o Lucie Award, o ICP Infinity Award e, recentemente, o Sony World Photography Award.

Sobre a Aliança Francesa

A Aliança Francesa é uma associação sem fins lucrativos, constituída livremente por pessoas que têm o objetivo de divulgar a língua e a cultura francesas no seu país de origem. Fundada em Paris, em 1883, está presente em 135 países, possui 1016 estabelecimentos e tem cerca de 490 mil estudantes no mundo inteiro.

No Brasil, a rede das Alianças Francesas conta, atualmente, com 40 associações e nove centros correspondentes, estando presente em praticamente todos os estados brasileiros e formando, assim, uma ponte entre o Brasil e a França. Em Belo Horizonte, a Aliança Francesa foi fundada em 14 de julho de 1944 e está situada em um agradável casarão na região da Savassi.

Fonte: Agência Minas

Goveno de Minas: Companhia de Habitação de Minas Gerais vai sortear 115 prêmios para mutuários em 2012

Campanha visa incentivar o pagamento pontual das prestações da casa própria no Estado

Divulgação/Cohab MG
Concorrem aos prêmios os mutuários da Cohab que estiverem em dia com a prestação de fevereiro
Concorrem aos prêmios os mutuários da Cohab que estiverem em dia com a prestação de fevereiro

Será realizado neste sábado (25), o primeiro sorteio da promoção “Eu Pago em Dia, e Você?”, campanha lançada pela Companhia de Habitação de Minas Gerais (Cohab-MG), que visa incentivar o pagamento pontual das prestações da casa própria. Para cada uma das cinco regiões da campanha, serão sorteados dois prêmios, que incluem aparelhos de som, fornos microondas, câmeras digitais, lavadoras semi-automáticas e fogões.

Poderão concorrer, os mutuários que estiverem em dia com a prestação de fevereiro e que não tiverem débitos anteriores com a Cohab. O boleto da prestação já contém cinco números da sorte, que são definidos a cada mês, aleatoriamente, por um sistema informatizado, para assegurar a lisura do processo. Os números premiados terão por base a extração da Loteria Federal no último sábado do mês e devem ser conferidos conforme combinação que consta do regulamento publicado no site www.cohab.mg.gov.br.

Até novembro deste ano, haverão sorteios mensais de dois prêmios por região. Em dezembro, serão três os ganhadores, que concorrerão a aparelhos de TVs de LCD 32 polegadas, computadores e home-theaters. Ao todo, serão sorteados em 2012, 115 prêmios entre os mutuários que estiverem em dia. Para concorrer, basta que o titular do contrato de financiamento tenha pago a prestação do mês de fevereiro, até 3 dias antes de cada sorteio. Dentro desse prazo, aquele que tiver débitos anteriores, poderá quitá-los, juntamente com a parcela que vence no mês.

Desconto nos juros

A Cohab-MG já oferece aos seus mutuários o Prêmio por Pontualidade, que beneficia, com desconto nos juros cobrados nos financiamentos, aqueles que mantiverem em dia o pagamento da prestação. O desconto é maior para as famílias com menor renda. Além de constituir um benefício social para o próprio mutuário, o Prêmio por Pontualidade realimenta o Fundo Estadual de Habitação com recursos que financiam a construção de novos conjuntos residenciais por todo o estado.

A promoção tem autorização do Ministério da Fazenda, por meio do Certificado de Autorização SEAE/MF nº 01/0522/2011, emitido em 14/12/2011. Os sorteados receberão seus prêmios em casa ou em local a ser definido pela Cohab, sem qualquer despesa ao contemplado.

As informações sobre a campanha “Eu pago em dia, e você?” podem ser obtidas também no Cohab Atende, pelo telefone (31) 3915-7030, ou pelo email eupagoemdia@cohab.mg.gov.br. Os ganhadores serão informados sobre a data e o local da entrega do prêmio por meio de carta emitida pela Cohab. O resultado do sorteio será divulgado também no site da Cohab-MG.

Fonte: Agência Minas

Gestão Anastasia: levantamento do Governo Federal indica que exportação de mel cresce em Minas Gerais

Jequitinhonha e Mucuri destacam-se como regiões produtoras. Estados Unidos são o principal destino.

Divulgação/CBA
Apicultura gera 13 mil empregos em Minas Gerais, grande parte em regime de economia familiar
Apicultura gera 13 mil empregos em Minas Gerais, grande parte em regime de economia familiar

Café, açúcar, carne e soja não foram os únicos produtos que se destacaram no cenário das exportações do agronegócio de Minas Gerais em 2011. De acordo com informações da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), com base nos dados do Ministério de Desenvolvimento, Indústria e Comercio Exterior (MDIC), as exportações do mel vêm se destacando em Minas Gerais e somaram US$ 1,7 milhão em 2011, apontando um crescimento de 18% em relação ao  ano anterior. O volume de exportações também cresceu: foram 559 toneladas, o maior volume desde 2004, quando 290 toneladas do produto deixaram o país.

De acordo a assessora técnica da Seapa, Márcia Aparecida de Paiva Silva, a apicultura mineira é favorecida em decorrência ambiente natural propício para o desenvolvimento da atividade. “A atividade pode ser desenvolvida em consórcio com várias culturas agrícolas, como espécies de árvores frutíferas, silvicultura, café, dentre outros, que são beneficiadas pela polinização das abelhas”, avalia.

Segundo dados Federação Mineira de Apicultura (Femap), Minas Gerais produz quatro mil toneladas de mel por ano, que geram 13 mil empregos, grande parte em regime de economia familiar. São 4,5 mil apicultores, 85 associações e quatro cooperativas que garantem condições ideais para a produção de produtos de extrema qualidade.

“Os fatores positivos para o estado são a resistência e vitalidade das abelhas brasileiras aliadas à diversidade da flora, a abundância de recursos hídricos, o clima, a temperatura e a altitude adequadas”, destaca o presidente da Femap, Irone Martins Sampaio.

Jequitinhonha e Mucuri destacam-se na produção

Minas Gerais é o quinto maior produtor de mel do Brasil. A região que mais produz é Jequitinhonha/Mucuri, representando 22,7%, seguido por Central (15,2%), Sul de Minas (14,5%), Rio Doce (12,8%), Zona da Mata (11,3%), Norte de Minas (9,3%), Centro Oeste (6,4%), Triângulo (4,2%), Alto Paranaíba (2,3%) e Noroeste (1,2%).

Irone Sampaio, da Femap, destaca a orientação de entidades como a Emater e Idene que garantem qualificação junto aos produtores. “Esse auxílio contribui muito para a formação e capacitação dos apicultores. São pequenos produtores que trabalham com várias frentes de atividades rurais e precisam de alguém para mostrar a importância do conhecimento. Por isso estamos estimulando a criação de associações apícolas nas diversas regiões”, explica.

Estados Unidos são o principal destino

O mel brasileiro teve como principal destino o Estados Unidos. As compras americanas aumentaram 66,4% entre 2010 e 2011. O país comprou, em 2011, US$ 1 milhão, correspondendo 58,7% da produção exportada, totalizando 327,2 toneladas. O segundo maior comprador é o Reino Unido, com US$ 342,6 mil, o equivalente a 19,8% das exportações do produto. O terceiro lugar ficou com a Alemanha, com US$ 245,7 mil (14,2%). Os demais países importadores do produto mineiro são Bélgica, Canadá, Japão e Bolívia.

“O significativo consumo contribui para que os Estados Unidos se posicionem na liderança entre os principais importadores mundiais de mel, segundo dados da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO)”, comenta Márcia Paiva Silva, da Seapa.

Fonte: Agência Minas