Blog do Anastasia – Governo de Minas: Edital para pesquisas no setor elétrico recebe aporte de R$ 40 milhões

BELO HORIZONTE (20/01/12) – As propostas aprovadas no Edital 11/2011, fruto da parceria entre Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig) e Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) para o financiamento de pesquisas no setor elétrico, receberão investimento de R$ 70 milhões. “Em face do grande número de projetos e da excelência da maioria deles, a Cemig e a Fapemig decidiram aumentar os recursos do edital”, afirma o diretor de Ciência, Tecnologia e Inovação da Fapemig, José Policarpo. Anteriormente, seriam destinados R$ 30 milhões para os projetos contemplados pelo edital.

A demanda total foi de 229 projetos, somando R$ 385 milhões em recursos solicitados. O novo montante, R$ 70 milhões, será destinado aos 40 projetos contemplados. Adicionalmente, a Cemig contratará diretamente outros 26 projetos selecionados no edital.

A gestão dos projetos aprovados será discutida entre Cemig, Fapemig e as instituições beneficiadas para verificar a necessidade de ajustes. Assim, cada um dos coordenadores dos projetos aprovados será convocado para uma reunião de negociação, quando ocorrerá análise detalhada e os possíveis acertos. Em razão destas reuniões, a fundação não divulga, nesta oportunidade, os valores relativos a cada uma das propostas aprovadas. A contratação dos projetos estará condicionada ao resultado dessa análise e ao acerto dos ajustes identificados como necessários.

Os prazos constantes no edital serão contados a partir de 23 de fevereiro, em razão das férias coletivas da Fapemig, que terão início no próximo dia 23 de janeiro.

Parceria inovadora

O Edital 11/2011 foi lançado durante a cerimônia de comemoração dos 25 anos da fundação, em maio do ano passado, marcando o início da execução de uma parceria inovadora, assinada em janeiro de 2011. Ao todo, serão destinados R$ 150 milhões em estudos específicos no prazo de cinco anos. Segundo o acordo, a Cemig responderá por R$ 100 milhões e a Fapemig pelo montante de R$ 50 milhões.

O valor será destinado a pesquisas ligadas às áreas de atuação da Cemig (geração, transmissão, distribuição e comercialização de energia elétrica), buscando o desenvolvimento de fontes alternativas renováveis e limpas, como solar, eólica e biomassa. Estão previstos, ainda, estudos sobre a proteção do meio ambiente, o uso racional da energia e a eficiência operacional da empresa. “Esses objetivos estão fundamentados nos pilares da sustentabilidade e do melhor atendimento à população e sociedade em geral, através de redução de custos e aumento da qualidade no fornecimento da energia”, destacou Arlindo Porto Neto, vice-presidente da Cemig.

Blog do Anastasia – Gestão Anastasia: Programa Farmácia de Minas conta com 52 unidades na região Sul do Estado

BELO HORIZONTE (20/01/12) – Criado com o objetivo de oferecer uma rede de farmácias para distribuição gratuita de medicamentos do Sistema Único de Saúde (SUS), o Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de Saúde (SES), implementou, desde 2007, 303 unidades do Programa Farmácia de Minas. Do total, 52 foram inauguradas na região do Sul de Minas, um investimento aproximado de R$ 4,7 milhões para a construção e compra de equipamentos. Em 2011, foram inauguradas 197 unidades, com investimentos do Tesouro Estadual, que somaram R$ 9 milhões, sendo R$ 90 mil para cada município contemplado. Somente no Sul de Minas, 31 farmácias foram abertas no ano passado. A região também foi contemplada com a primeira unidade do programa no Estado, inaugurada no município de Arceburgo, em fevereiro de 2009.

A rede se propõe a ser referência de serviços farmacêuticos para a população. Cada unidade disponibiliza 159 tipos dos chamados medicamentos básicos. Em 2003, eram apenas 40 tipos. Por meio do programa, o Governo de Minas custeia a construção de farmácias públicas e a contratação de farmacêuticos, com o repasse de R$ 1.200 para complementação salarial.

Sul de Minas

Inaugurada em maio de 2009, a unidade farmacêutica de Fortaleza de Minas já atendeu 28 mil pessoas até janeiro deste ano. Anteriormente, o município com 4 mil habitantes possuía uma unidade de medicamentos que ficava dentro do Pronto-Atendimento de Saúde da cidade. O farmacêutico responsável pela unidade de Fortaleza de Minas, Juscelino Prado, destaca as mudanças vividas pela população com a abertura da Farmácia de Minas na cidade.

“A qualidade do acolhimento, o local de fácil acesso e o atendimento individualizado são as principais características do programa. Antes, o setor que distribuía os medicamentos funcionava em um local apertado e não tínhamos contato com o paciente. Com a Farmácia de Minas a realidade é outra, há acompanhamento do fornecimento de medicamentos, se identificamos que um determinado paciente não veio buscar o medicamento controlado, por exemplo, acionamos o agente de saúde. Dessa forma, formamos uma rede de atendimento multidisciplinar”, destacou Prado.

Turvolândia, com 4,6 mil habitantes, é um dos municípios da região que foi contemplado com uma unidade da Farmácia de Minas no ano passado. Antônio Fernandes é um dos pacientes da cidade que recorre mensalmente à unidade farmacêutica. Aposentado, 62 anos, portador de reumatismo e hipertensão, Fernandes recebe um salário mínimo por mês para sustentar a casa. “Se eu tivesse que comprar os remédios iria ficar muito caro. Nunca imaginei que um dia teríamos uma farmácia com essa estrutura e com essa quantidade de medicamentos à disposição em Turvolândia”, disse Fernandes.

O aposentado também destaca o atendimento individualizado da farmácia. “A farmacêutica da nossa unidade conhece cada paciente e nos trata de forma personalizada, isso é muito importante”, afirmou Fernandes.

Meta

Em 2012, serão inauguradas mais 200 farmácias de Minas em todo o Estado, totalizando 500 unidades. Até 2014, a rede contemplará 700 municípios (80% do total de 853), sendo todos os 493 municípios mineiros com população inferior a 10 mil habitantes, 200 com até 30 mil habitantes e o restante com até 500 mil. As primeiras unidades foram construídas em 2008, em 67 municípios com até 10 mil habitantes.

Além de farmacêutico, o profissional também é gestor do projeto e acompanha, desde a fundação da obra até a montagem final dos equipamentos. Todas as farmácias possuem ainda um Sistema Integrado de Gerenciamento da Assistência Farmacêutica, o que garante o gerenciamento o adequado controle dos medicamentos e cadastro dos pacientes atendidos pela farmácia, bem como de toda a rede.

Confira onde estão as unidades do programa Farmácia de Minas na região:

Inauguradas em 2009: Arceburgo, Cana Verde, Carvalhos, Delfim Moreira, Fortaleza de Minas, Itutinga, Liberdade, Monsenhor Paulo, Ribeirão Vermelho, São José da Barra, São Vicente de Minas, Serrania.

Inauguradas em 2010: Bom Jardim de Minas, Capetinga, Coqueiral, Ipuíuna, Jacuí, Perdões, Santana da Vargem, São Thomé das Letras, São Tomás de Aquino.

Inauguradas em 2011: Aguanil, Aiuruoca, Alpinópolis, Andrelândia, Arantina, Bom Jesus da Penha, Caldas, Campo Belo, Capitólio, Carmo do Rio Claro, Caxambu, Claraval, Consolação, Cruzília, Divisa Nova, Estiva, Heliodora, Ijaci, Ilicínea, Itamogi, Itapeva, Itumirim, Jesuânia, Lambari, Passa-Vinte, Pratápolis, São João Batista do Glória, São José do Alegre, Silvianópolis, Turvolândia e Virgínia.

Fonte: Agência Minas

Blog do Anastasia – Governo de Minas: imagens aéreas mostram estágio avançado da obra do Mineirão

BELO HORIZONTE (20/01/12) – Imagens aéreas, produzidas na manhã desta sexta-feira (20), mostram estágio avançado das obras da terceira e última etapa da modernização do estádio Governador Magalhães Pinto, o Mineirão.

Os destaques são para os pré-moldados, que já dão forma à esplanada no entorno do estádio, para a construção da arquibancada inferior e para a primeira grua montada dentro do Mineirão, com alcance de 75 metros. O Mineirão terá capacidade para 64 mil torcedores. As obras se encontram 100% dentro do cronograma e serão concluídas em dezembro deste ano. As imagens estão disponíveis em um novo álbum de fotos no http://www.facebook.com/NMineirao.

“Estamos a menos de um ano da conclusão das obras do Mineirão, uma das maravilhas que a Copa do Mundo está nos proporcionando. Essas imagens demonstram que o trabalho está a todo vapor. Em pouco tempo, alcançaremos o pico de operários trabalhando nas obras, chegando a dois mil”, comenta o secretário de Estado Extraordinário da Copa do Mundo, Sergio Barroso. No momento, 1,5 mil operários trabalham na modernização do Mineirão, incluindo detentos e mulheres.

O diretor-presidente da Minas Arena, Ricardo Barra, reitera o ritmo acelerado da construção. “Estamos todos empenhados e temos trabalhado intensamente para garantir a celeridade da obra e a entrega da arena no prazo”.

Esplanada

As imagens dão boa noção da dimensão da esplanada no entorno do estádio. Serão 80 mil metros quadrados, com capacidade para 65 mil pessoas, que transformarão o Mineirão em uma arena multiuso, que poderá ser palco de eventos de diversas modalidades esportivas, culturais, de lazer e religiosas. Quando for reinaugurada, a nova arena contará com 7 mil metros quadrados para comércio e estacionamento com 2.521 vagas para carros, sendo 1.534 vagas cobertas e 987 descobertas.

Obra em etapas

A modernização do Mineirão foi planejada em três etapas. Na primeira, de 25 de janeiro a junho de 2010, foram feitos reparos estruturais das vigas de sustentação do estádio. O custo foi de R$ 8,2 milhões, investidos pelo Governo de Minas. Na segunda etapa, de 26 de junho a 20 de dezembro, foi realizada a demolição de parte da arquibancada inferior e da geral, além de rebaixamento do gramado em 3,4 metros, com recursos de R$ 3,5 milhões, também do Governo do Estado.

Já a terceira e última etapa teve início em 22 de dezembro de 2010 e será finalizada em dezembro de 2012. Nessa fase, o Mineirão vem sendo adequado ao mais alto padrão de qualidade estabelecido pela Fifa. Para viabilizar a etapa, orçada em R$ 654 milhões, o Governo de Minas Gerais optou pelo modelo da gestão compartilhada.  A empresa Minas Arena conduz a obra e terá direito a operar o estádio por 25 anos.

Fonte: Agência Minas

Blog do Anastasia – Gestão Anastasia: centros vocacionais tecnológicos trabalham pelas vítimas das enchentes em Minas

BELO HORIZONTE (20/01/12) – O excesso de chuvas em Minas Gerais durante todo o mês de dezembro e início de janeiro trouxe prejuízos de toda ordem, incluindo vidas humanas que se foram. Milhares de famílias tiveram suas casas destruídas, ficaram sem roupas e alimentos. Diante desse quadro dramático vivido por parte significativa do território mineiro, os centros vocacionais tecnológicos (CVTs) de Patos de Minas, Lavras e Manhumirim têm trabalhado com empenho para ajudar as vítimas das chuvas. Segundo a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec), são cerca de 50 mil pessoas desalojadas e 4,7 mil desabrigadas, principalmente em municípios da Zona da Mata.

O CVT de Patos de Minas já arrecadou mais de 170 kg de alimentos não-perecíveis. Para conseguir esses donativos, a equipe centro pediu a todos os alunos que realizaram matrículas para os cursos deste ano, a contribuição de pelo menos 1 kg de mantimento. “Como a população está envolvida em ajudar as vítimas dessa fatalidade, o CVT também se solidarizou. Todo o material foi entregue para a Polícia Militar que, juntamente com o Corpo de Bombeiros e o Sindicato dos Produtores Rurais de Patos de Minas, trabalha na campanha em favor das vítimas das enchentes em Minas Gerais”, destacou o coordenador-geral do CVT, Gustavo Gonçalves.

Em Lavras, os funcionários do CVT têm agido de maneira rápida e solidária. A unidade divulgou, por meio da internet e rádio, a campanha de recolhimento de materiais destinados a todos os afetados pela chuva na região do Campo das Vertentes. O programa busca reunir o maior número possível de roupas, agasalhos, calçados e material de limpeza. De acordo com o coordenador do CVT, Marcelo Junqueira, “até o momento, foi arrecadada uma boa quantidade de roupas, mas é necessário coletar mais produtos de limpeza”. Para isso, toda a equipe do CVT estará entre 21 e 22 de janeiro, na praça Doutor Augusto Silva, recebendo doações da comunidade local. “Caso a pessoa não esteja na cidade nessas datas, ela pode ir ao CVT de Lavras até segunda-feira (23)”, esclarece Junqueira. Na próxima semana, todo o material arrecadado será encaminhado à Polícia Militar.

O CVT de Manhumirim, junto com o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial de Minas Gerais (Senac-MG), aderiu ao projeto Ação Solidária. “A iniciativa contemplará os municípios indicados pela Defesa Civil Estadual em situação de emergência”, afirmou Uelisson Nascimento, coordenador-geral do CVT. A unidade está recebendo materiais, como roupas de cama, cobertores, toalhas de banho e alimentos não-perecíveis. As doações podem ser feitas até a primeira semana de fevereiro.

Endereço dos CVTs:

– CVT Lavras

Rua Raul Soares, 65/1º andar – Centro

(35) 3694 4158

– CVT Manhumirim

Av. Teófilo Tostes, 75 – Centro

(33) 3341 2003

Fonte: Agência Minas

Blog do Anastasia – Gestão em Minas: projeto visa resgatar hortaliças não convencionais e fortalecer segurança alimentar

BELO HORIZONTE (20/01/12) – Das 10 mil espécies de alimentos já consumidos pela população mundial há, atualmente, apenas 150, diminuindo drasticamente a variedade de produtos na mesa das famílias e aumentando o risco de um colapso na produção de alimentos. Boa parte dessas espécies foi extinta ou está ameaçada de extinção. A queda na diversidade genética das espécies tornou-se um dado preocupante para a Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação (FAO).

A Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig), em parceria com outros órgãos, como o Conselho de Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável de Minas Gerais (Consea-MG), está desenvolvendo o projeto “Alimentação Saudável: Implantação de hortas caseiras e comunitárias”. O objetivo é incentivar o resgate das chamadas hortaliças não convencionais, que tiveram seu consumo diminuído por falta do produto no mercado em consequência da mudança de hábitos alimentares. Dentro dessa temática, o Consea-MG tem desenvolvido um trabalho de conscientização junto às associações e comunidades visitadas pelos assessores técnicos.

Segundo a engenheira agrônoma da Epamig, Marinalva Woods Pedrosa, hortaliças não convencionais são aquelas presentes em determinadas localidades ou regiões, que exercem uma grande influência na alimentação de populações tradicionais e que compõem pratos típicos regionais. “De um modo geral, são hortaliças que em algum momento foram largamente consumidas pela população e, por causa da mudança de comportamento alimentar, passaram a ter expressões econômicas e sociais reduzidas. Elas foram, aos poucos, perdendo espaço e mercado para outros produtos como tomate, cenoura, alface, por exemplo, que são produzidos, hoje, em alta escala”, comentou.

Segurança alimentar

O projeto desenvolvido pela Epamig vem ao encontro dos objetivos do Consea-MG, que tem como foco a garantia de uma alimentação saudável, adequada e solidária, por meio do controle social das políticas e ações públicas de segurança alimentar. Segundo a assessora técnica do Consea-MG, Maria Isabel de Oliveira, uma das principais atividades do órgão é incentivar as comunidades a resgatar os valores e os hábitos de uma alimentação saudável, valorizando as culturas e os hábitos locais, fazendo uso de plantas que, hoje, não são mais conhecidas ou valorizadas.

“As mudanças de hábitos alimentares e do cotidiano das pessoas, que, hoje, por não terem mais tempo para fazer uma refeição adequada, apelam para os chamados fast-food, fizeram com que as hortaliças não convencionais fossem perdendo cada vez mais espaço e deixando de ser cultivadas. Muitas dessas plantas são nativas, como o caruru, beldroega, azedinha e serralha. Nem é preciso plantá-las em algumas regiões. Elas nascem naturalmente, basta reconhecê-las para fazer o consumo, e, é claro que precisa ser em local sem contaminação ou poluição”, comentou Maria Isabel.

Ainda segundo a assessora técnica, em muitas comunidades rurais visitadas pelos técnicos do Consea-MG, pode-se notar que várias dessas espécies são encontradas facilmente, mas, em sua maioria, são utilizadas para alimentar as criações, como porcos e galinhas. “Essas plantas têm elevado poder nutritivo e de baixo custo, não requerem muitos cuidados. Temos feito um trabalho de incentivo às comunidades para que elas voltem a cultivar em seus quintais e consumir essas hortaliças, que podem se transformar em pratos saborosos e criativos”, finalizou.

Para mais informações sobre as chamadas hortaliças não convencionais, acesse http://www.conselhos.mg.gov.br/uploads/1/cartilha_hortalicas.pdf

Consea-MG

Criado em 1999 pelo Decreto n° 40.324 do governador do Estado, o Conselho de Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável de Minas Gerais (Consea-MG) é um órgão colegiado de interação do poder público estadual com a sociedade civil, vinculado ao Gabinete do Governador. Seu objetivo é deliberar, propor e monitorar ações e políticas de segurança alimentar e nutricional sustentável em Minas.

O conceito de segurança alimentar consiste na realização do direito de todos ao acesso regular e permanente a alimentos de qualidade, em quantidade suficiente, sem comprometer o acesso a outras necessidades essenciais, tendo como base práticas alimentares promotoras da saúde que respeitem a diversidade cultural e que sejam ambiental, cultural, econômica e socialmente sustentáveis.

Fonte: Agência Minas

Blog do Anastasia – Governo de Minas: alunos da rede estadual passam por preparação para olimpíadas internacionais

BELO HORIZONTE (20/01/12) –  Durante o ano, seis alunos da rede estadual de ensino terão a oportunidade de participar de uma preparação diferente. Eles foram selecionados para participar do Programa de Preparação Especial para Competições Internacionais (Peci). A iniciativa visa acompanhar os alunos que conquistaram medalhas de ouro na Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (Obmep) e prepará-los para provas de outras olimpíadas de matemática, inclusive as internacionais.

Dos nove estudantes mineiros selecionados para participar do programa em 2012, seis são alunos da rede estadual de ensino. Ao todo, 31 estudantes representando dez estados brasileiros participarão do Peci este ano. Esses estudantes terão aulas com professores e monitores com experiência na capacitação de alunos para olimpíadas internacionais.

Entre os mineiros que participarão do programa está o aluno do 9º ano do ensino fundamental da Escola Estadual Cel. Américo Augusto de Oliveira, no município de Passa Tempo, João César Campos Vargas. O estudante está ansioso para o início das atividades do programa. “A minha expectativa é muito grande. Além de ter conquistado medalha de ouro na última edição da Obmep, tive que fazer dois testes. Vou dar o meu melhor para conseguir me destacar e representar bem minha cidade e a minha escola”.

O treinamento dos estudantes acontecerá em encontros presenciais que ocorrerão, este ano, em Brasília. Nesse treinamento os alunos passarão por um programa de aulas integrais. Durante essas aulas eles passarão por avaliações com conteúdo dado em competições regionais e internacionais. Além disso, eles também participarão de atividades oferecidas em um fórum. O primeiro encontro acontecerá no mês de fevereiro.

Mesmo o programa sendo voltado para alunos que estejam cursando 9º ano do ensino fundamental em 2012, alguns estudantes que já participavam do Peci se destacaram em competições envolvendo a matemática e continuaram apresentando bom desempenho escolar, foram mantidos no programa. Assim como o estudante do 2º ano do ensino médio da Escola Estadual Deputado Esteves Rodrigues, no município de Montes Claros, Jair Gomes Soares Júnior. Para o estudante, o Peci tem influenciado no seu bom desempenho. “Eu participo do programa há três anos. Durante a preparação, nós aprendemos sobre geometria, álgebra, combinatória, entre outras coisas. Continuo me destacando nas competições, mas ainda não participei de nenhuma olimpíada internacional. Minha expectativa para este ano é muito boa”, afirma Jair.

Blog do Anastasia – Governo de Minas: secretário de obras vai a Brasília em busca de recursos para rodovias mineiras

BRASÍLIA (19/01/12) – O secretário de Estado de Transportes e Obras Públicas, Carlos Melles, e o diretor-geral do Departamento de Estradas de Rodagem do Estado de Minas Gerais (DER-MG), José Elcio Monteze, estiveram em Brasília para reuniões nos ministérios dos Transportes, Integração Nacional e Agricultura, com objetivo de pleitear recursos para a recuperação dos estragos provocados pelas chuvas em Minas. Uma quarta reunião foi realizada no Departamento Nacional de Infraestrutura dos Transportes (Dnit) para tratar do projeto de recuperação do Anel Rodoviário.

Os custos apresentados foram divididos entre as rodovias federais delegadas ao Estado, com investimento previsto de R$ 36 milhões, e as estradas estaduais com investimento de R$ 118 milhões. O secretário Carlos Melles explicou que o custo das MGs foi apresentado ao ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra, e o custo das rodovias federais delegadas, ao ministro dos Transportes, Paulo Sergio. “Ambos consideram os valores pertinentes. O próximo passo será a apresentação desses valores à presidente Dilma Roussef, na próxima semana”, afirmou Melles.

No total, o levantamento que o DER-MG fez, para a recuperação da malha rodoviária atingida pelas chuvas, representa um investimento de R$ 154 milhões. “No primeiro momento, o trabalho da Secretaria de Obras e o DER tem se concentrado na garantia das condições de tráfego nas rodovias estaduais mineiras e o apoio emergencial aos municípios atingidos pelas chuvas no estado”, explicou o secretário.

Agricultura

A reunião com o ministro de Estado, Interino, da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, José Carlos Vaz, foi solicitada pelo Governo de Minas, em função da preocupação com relação à população do interior, onde predominam as estradas vicinais de terra. “A chuva causa muitos transtornos na comunicação do homem do campo com a cidade. Os caminhos ficam interrompidos, o que impede o transporte da produção e interrompe a chegada de bens e serviços. Com a aproximação do início do período letivo de 2012, a preocupação se volta para a rede de estradas vicinais, por onde as crianças buscam acesso a escola”, explicou o secretário.

Na avaliação feita pelo DER-MG, dos 174 municípios em estado de alerta decretado, a estimativa é de que existam cerca de 50 quilômetros de estradas vicinais, o que chegaria a um total de 8,7 mil quilômetros, onde seriam encontrados pontos críticos que necessitam de recuperação. O custo para a realização de intervenções, apresentado ao Ministério da Agricultura, foi de R$ 261 milhões. Somente com os levantamentos da Defesa Civil são mais 330 pontes destruídas e mais de 450 danificadas, o que prejudica o deslocamento das pessoas.

Para atender a essa demanda específica, o secretário Melles explicou que o governador Anastasia autorizou o procedimento para a aquisição de materiais necessários para montagem pelos municípios de cerca de 600 pontes. “Além disso, a Setop está colocando um sistema de gestão de informações de emergência, o Sigem, que deverá facilitar e acelerar o processo de comunicação entre as prefeituras e a secretaria, possibilitando um diagnóstico das intervenções de emergência, bem como de possíveis atendimentos a serem realizados através de doações de materiais”, concluiu Melles.

Anel Rodoviário

No Dnit o tema central da reunião com o diretor-geral Jorge Ernesto Pinto foi a licitação para execução do projeto executivo das obras de reforma do Anel Rodoviário de Belo Horizonte, com custo estimado de R$ 20 milhões.

Fonte: Agência Minas

Blog do Anastasia – Oposição: senador Aécio Neves avisa que PSDB vai apontar erros de gestão do Planalto

Sem gestão pública, ineficiência pública, Gestão do PT, 
Fonte: Baptista Chagas de Almeida – Estado de Minas

PSDB pretende ir às armas

Tucanos vão usar os palanques das disputas municipais para aumentar o tom dos ataques contra o governo Dilma

Horário eleitoral no rádio e na TV também será usado para as críticas

Os tucanos vão aproveitar as eleições municipais deste ano para começar a bater asas com ataques mais fortes ao governo da presidente Dilma Rousseff. O confronto será feito com base em pontos fracos que o PSDB identificou na atual gestão (veja quadro). Nas cidades em que houver horário gratuito de rádio e televisão, o comando da legenda vai aproveitar para apresentar propaganda de caráter nacional e mostrar as diferenças sobre o que pensam o PSDB e o  PT. “O rolo compressor do governo deu um tiro no pé nos estados e municípios com os vetos da presidente Dilma à regulamentação da Emenda 29. Isso precisa ser mostrado ao eleitorado”, reclama o senador Aécio Neves (PSDB-MG), dando um exemplo da estratégia a ser usada.

Aécio destaca que, há dez anos, a União era responsável por 58% dos investimentos em saúde. Hoje, aplica 45%. Os estados e municípios, que investiam 42%, atualmente são responsáveis por 55%. “No mesmo período, a receita da União foi a única que teve crescimento real, mas o dinheiro a mais não vai para a saúde, é usado para fazer obras sem licitação”, ataca o senador.

Diante de pesquisas indicando que a população já colou no PT a imagem da corrupção, os tucanos vão procurar também mostrar a ineficiência da gestão na infraestrutura do país. A Copa do Mundo de 2014 será um dos principais alvos. “As obras estão atrasadas por causa do modelo de gestão. Durante oito anos do governo Lula, o PT não fez as concessões dos aeroportos por uma questão ideológica. Agora é obrigado a correr contra o tempo, por causa do caos, dos atrasos e das filas em todas as capitais importantes”, destaca Aécio.

O presidenciável tucano não cita a candidatura do ministro da Educação, Fernando Haddad, ao governo de São Paulo, mas é severo sobre o setor: “Não dá para aceitar que o currículo de uma escola de Rio Branco, no Acre, seja o mesmo de uma escola em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul. São realidades completamente diferentes. Sem respeitar as características de cada região, o resultado só pode ser os altos índices de repetência e de evasão escolar”.

Pelo país afora O PSDB pretende dar um caráter nacional às eleições de outubro, sem deixar de lado as peculiaridades de cada região ou município. A definição da estratégia estabelece três diretrizes. A prioridade é a candidatura própria. Se não for possível, aliança com os partidos de oposição e com eventuais aliados que não têm tanto compromisso assim com o governo federal. Em último caso, aliança com os candidatos que tenham o PT como principal adversário.

“A eleição presidencial não é este ano, mas o PSDB pode discutir agora alguns problemas nacionais”, pondera Aécio Neves. E avisa: “A partir de 2013 os tucanos vão às armas”.

>> Os alvos tucanos

Área    Principais críticas

Saúde    Omissão do governo e os vetos à Emenda 29
Inchaço    Aparelhamento do serviço público
Má gestão    Gastos muito elevados com a máquina pública e custeio e poucos investimentos
Corrupção    Pesquisas mostram que o problema colou no PT
Copa 2014    Caos na infraestrutura, dos aeroportos às estradas e no transporte público
Educação    Desde a universalização no governo Fernando Henrique Cardoso, nada mais foi feito

Você se lembra?

 (Paulo de Araujo/CB/D.A. Press - 27/9/11)

Nessa tentativa de desvio, preferem criar um clima no país como se a corrupção fosse do governo e não no governo – Do ex-deputado José Dirceu (PT-SP), em dezembro, em resposta a críticas de tucanos ao governo Dilma

Diante desta pérola, só nos resta a todos constatar que o governo não é do governo. E estamos conversados– Do senador Aécio Neves (PSDB-MG) (foto), sobre a frase postada no blog de José Dirceu em dezembro*