Blog do Anastasia – Governo de Minas: candidado aprovado no PEP já pode consultar local, dia e horário de matrícula

BELO HORIZONTE (18/01/12) – Os cerca de 30 mil candidatos classificados para a 6º edição do Programa de Educação Profissional (PEP) já podem consultar o seu dia de matrícula e a instituição de ensino na qual deverá se matricular. A consulta pode ser feita pelo site da Secretaria de Estado de Educação (SEE) ou no ambiente virtual do programa. As matrículas deverão ser feitas a partir do dia 23 de janeiro.

Para consultar o local, horário e o dia de matrícula o candidato deve clicar no link do resultado do exame e informar o número do CPF. Nesse link irá aparecer o endereço da instituição e os documentos necessários no ato da matrícula.

Em sua 6ª edição, o PEP ofereceu 30 mil vagas em 60 cursos técnicos gratuitos. Os cursos estão distribuídos em 123 municípios mineiros.

Documentos necessários para matrícula

Para se matricular no curso, o aprovado deve se dirigir à instituição de ensino credenciada, munido de histórico escolar, comprovando a escolaridade requerida para ingresso no PEP, ou declaração de conclusão do ensino médio (validade 30 dias); declaração de frequência, assinada pelo diretor ou representante da escola estadual, se o candidato estiver regularmente matriculado no 2º ou no 3º ano do ensino médio, ou 1º ou 2º ano do curso de Educação de Jovens e Adultos, na modalidade presencial; certidão de nascimento ou casamento; CPF; carteira de identidade; título eleitoral e comprovante de quitação com o serviço eleitoral, para maiores de 18 anos; comprovante de quitação com o serviço militar, se maior de 18 anos – sexo masculino; uma foto 3×4 recente, e comprovante de residência.

Programa de Educação Profissional

Criado pelo Governo de Minas em 2007, o PEP oferece oportunidade de capacitação profissional gratuita aos jovens mineiros. Com a 6ª edição, o programa ultrapassa a marca de 200 mil estudantes atendidos. O investimento total chega a R$ 569 milhões. Os cursos do PEP são oferecidos em escolas credenciadas (sistema S e particulares), em escolas públicas conveniadas e em escolas da rede estadual. Essas instituições formam a Rede Mineira de Formação Profissional Técnica de Nível Médio.

Blog do Anastasia – Governo de Minas: Plug Minas realiza 2ª Mostra de Artefatos com entrada gratuita até 17 de março

 

BELO HORIZONTE (18/01/12) – Com entrada gratuita, já está aberta à visitação a 2ª Mostra de Artefatos do Plug Minas. A exposição, que está em cartaz na galeria do Núcleo Caminhos do Futuro, se estende até 17 de março e traz na interatividade com os visitantes uma de suas marcas mais expressivas. A mostra inaugura a temporada de exposições do Plug Minas em 2012 e reúne uma série de projetos desenvolvidos durante o ano passado pelos jovens e educadores do Centro de Formação e Experimentação Digital.

A gerente de Produção do Plug Minas, Laura Bastos, explica que além dos artefatos, o chão da galeria do Núcleo Caminhos do Futuro é uma atração à parte. “O piso da galeria está todo revestido com papel craft. Dessa maneira, o público participará ativamente da exposição, seja com um desenho ou com um texto, ele estará interagindo com a mostra”, revela Laura.

Segundo a gerente, o ideal é que as visitas sejam realizadas em grupos. “São mais de 20 artefatos sugeridos pelos núcleos que integram o Plug Minas, a maioria deles propõe a interatividade com o visitante, como animações, jogos e vídeo-instalações. Além disso, temos monitores que vão acompanhar grupos durante as visitas, com o intuito de explicar o funcionamento da mostra e propor um trabalho de percepção, sensibilização e concentração do público em jogos interativos”, avalia.

Para estimular a visita em grupos, a equipe do Plug Minas já trabalha para fechar parcerias com projetos sociais e escolas, sobretudo, a partir de fevereiro. Dentre outras atrações, a 2ª Mostra de Artefatos vai reunir: ‘Boneco Articulado’, ‘Argon Loader’, ‘Onde está o Jogo?’, ‘Vídeo Atrative’, ‘Plug Defense’, ‘Híbrido – obra’, ‘Cristo’, Vídeo ‘Fruit Flavor’, ‘Carpinteiro’, ‘Olho Mágico’, Vídeo ‘Bazar das Pulgas’, ‘Dream’, animação em vídeo ‘Torres Gêmeas’, vídeo e figurino do espetáculo ‘A Lira e o Tambor’.

2ª Mostra de Artefatos

Local: Plug Minas – Centro de Formação e Experimentação Digital – Galeria do Núcleo Caminhos do Futuro

Endereço: Rua Santo Agostinho, número 1441 – Bairro Horto

Data: de 17 de janeiro até 17 de março

Horário de visitação:

De segunda a sexta-feira, das 9h às 18h (Durante o mês de janeiro)

De segunda a sexta-feira, das 9h às 21h, sábado, das 9h às 13h (De fevereiro em diante)

Horário das atividades monitoradas:

De segunda a sexta-feira, das 9h às 15h30

Contato: 31 3484-1015

www.plugminas.mg.gov.br

Entrada Gratuita

Fonte: Agência Minas

Blog do Anastasia – Governo de Minas: pesquisa aborda ações da Emater-MG para conservação do solo e da água

 

FUNILÂNDIA (18/01/12) – Conservar o solo e a água. Esse é o objetivo de um projeto desenvolvido pela Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater-MG) em parceria com outras instituições no município de Funilândia, região Central. O trabalho tem ajudado a melhorar, por exemplo, a infiltração de água no solo e a evitar erosões. Além de visar a preservação ambiental, o projeto despertou o interesse do setor acadêmico e foi tema de uma pesquisa do curso de engenharia ambiental do Centro Universitário de Sete Lagoas (Unifemm).

O projeto de monitoramento de conservação do solo e da água em Funilândia foi implantado em 2008. A iniciativa é desenvolvida em parceria da Emater-MG com prefeitura, Câmara Municipal, Ruralminas, Instituto Estadual de Florestas (IEF), Grupo de Pesquisa em Recursos Hídricos (GPRH) da Universidade Federal de Viçosa e Comitê da Bacia Hidrográfica do Ribeirão Jequitibá. O trabalho desenvolvido no município tem como objetivo a revitalização da bacia do ribeirão Jequitibá, que deságua no rio das Velhas, um dos mais importantes afluentes do rio São Francisco.

O primeiro passo para a implantação do projeto foi orientar os agricultores sobre a importância de se preservarem o solo e a água. O trabalho de educação ambiental da Emater envolveu quatro comunidades do município. Os produtores participaram de palestras e cursos.

Além da educação ambiental, outras ações também foram realizadas, como a construção de terraceamentos e bacias de captação de águas pluviais e de enxurradas. Além de evitar erosões, assoreamento de rios e melhorar a infiltração de água no solo, os terraceamentos e, principalmente, as bacias de captação contribuem para a conservação das estradas rurais. O cercamento de nascentes é outra ação do projeto de preservação do solo e da água no município. A medida é necessária para evitar, por exemplo, que o local seja pisoteado por animais.

O trabalho de conservação do solo e da água em Funilândia tem um diferencial. Com o auxílio de aparelhos apropriados, foi possível saber o volume de água captado pela bacia e o quanto infiltrou no solo. Depois de coletados, os dados foram analisados com o auxílio de um software. “Para isso, nós contamos com a ajuda do GPRH da Universidade Federal de Viçosa, que cedeu os equipamentos instalados nos terraços e bacias de captação, para verificar o volume de água que infiltra no solo”, explica o extensionista da Emater-MG Adenilson de Freitas.

De acordo com o técnico, esse tipo de verificação é pouco comum em projetos como o desenvolvido em Funilândia. Neste caso, a iniciativa foi dele e permitiu um monitoramento sistematizado das ações realizadas e propor novas medidas. As ações desenvolvidas no município de Funilândia estão inseridas no Programa de Revitalização da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco. A iniciativa é dos governos federal e estadual, e executada pela Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e Paranaíba (Codevasf), em parceria com a Emater-MG.

Pesquisa

O projeto desenvolvido em Funilândia despertou o interesse do setor acadêmico. A pesquisa “Educação Ambiental e Monitoramento de Práticas Mecânicas de Conservação do Solo e da Água” foi realizada pelo extensionista da Emater-MG e aluno do curso de engenharia ambiental da Unifemm, Adenilson de Freitas, orientado pela professora Marília Queiroz de Rezende.

O trabalho acadêmico teve como proposta demonstrar a eficiência das práticas mecânicas para a conservação do solo e da água, associada à educação ambiental. Para isso, ele analisou as ações desenvolvidas no projeto de conservação do solo e da água em Funilândia. Segundo Freitas, a captação de água de chuvas e enxurradas melhorou a recarga do lençol freático. “O monitoramento das bacias de captação demonstraram resultados satisfatórios, sendo capazes de armazenar e infiltrar 12,3% do total precipitado”.

Outro ponto importante destacado pela pesquisa foi o trabalho de conscientização dos produtores rurais. De acordo com Freitas, apesar de os agricultores se preocuparem com a poluição dos rios, eles não conheciam as práticas de conservação. “Por isso, o trabalho de educação ambiental é muito importante. Sem essa orientação, não é possível alcançar bons resultados na preservação do meio ambiente”, explica. Freitas ainda lembra que é fundamental a continuidade e manutenção das ações realizadas, como a construção de bacias de captação e terraços para a preservação da microbacia do ribeirão Jequitibá. No geral, o trabalho acadêmico demonstrou a importância de práticas mecânicas associadas à educação ambiental para a conservação do solo e da água.

Reconhecimento

A pesquisa de Adenilson de Freitas ficou em terceiro lugar na categoria Estudante de Nível Superior do 10º Prêmio Ouro Azul,  no fim de 2011. O prêmio é uma realização dos Diários Associados em parceria com Furnas Centrais Elétricas. A iniciativa tem como objetivo valorizar ideias viáveis para revitalização e conservação dos recursos hídricos. Nesta edição do Furnas Ouro Azul, foram inscritos 72 projetos em sete categorias.

Fonte: Agência Minas

Blog do Anastasia – Governador vistoria trabalhos de remoção de terra em Ouro Preto

 

OURO PRETO (17/01/12) – O governador Antonio Anastasia, acompanhado do senador Aécio Neves, da presidente do Servas, Andrea Neves, e do coordenador estadual de Defesa Civil de Minas Gerais (Cedec-MG), coronel Luis Carlos Dias Martins, vistoriou, nesta terça-feira (17), os trabalhos finais de remoção de terra e entulhos em Ouro Preto, um das 174 cidades mineiras que decretaram situação de emergência em função dos estragos da chuva. No último dia 2, um deslizamento de terra no Morro do Piolho avançou sobre trecho da rua Padre Rolim, principal via de acesso à cidade, soterrando parte do terminal rodoviário, provocando a morte de duas pessoas.

Recebido pelo prefeito Ângelo Oswaldo, o governador Anastasia acompanhou os trabalhos de máquinas e caminhões para a remoção da terra. Ele se solidarizou com familiares dos dois taxistas mortos, devido ao soterramento. Antonio Anastasia também participou de manifestação religiosa, na Igreja São Francisco de Paula, em solidariedade às vítimas. Ao lado do pároco da igreja, padre Marcelo Moreira Santigo, e de Dom Francisco Barroso Filho, Anastasia assinou o livro de registro da sua visita.

“Essa visita de solidariedade a Ouro Preto também é uma demonstração para Minas e o Brasil de que a cidade histórica está em plenas condições de receber os turistas. O turismo é muito importante para a cidade, sendo a principal fonte de renda para Ouro Preto”, afirmou o governador.

Clique aqui para ver entrevista e imagens da visita de Antonio Anastasia a Ouro Preto.

Projetos

Em entrevista coletiva, o governador de Minas disse que a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Regional e Política Urbana (Sedru) recebeu da prefeitura de Ouro Preto uma lista de projetos de recuperação e prevenção de desastres de chuva. Com investimentos da ordem de R$ 9,1 milhões, as intervenções incluem contenção de encostas, drenagem de ruas e construção de muros de arrimo.

“Os projetos apresentados pelo prefeito Ângelo Oswaldo foram recebidos pela Sedru, estão sendo compatibilizados e serão nencaminhados ao Ministério do Planejamento. São projetos que visam basicamente à contenção de encostas, na medida que Ouro Preto, pela sua geografia, é uma cidade que sofre muito com o deslizamento das encostas”, afirmou.

É a segunda vez que o governador Anastasia visita a cidade histórica em razão dos estragos da chuva. Há duas semanas, Anastasia foi ao local do deslizamento de terra para acompanhar os trabalhos do Corpo de Bombeiros para o resgate das vítimas do acidente.

Solidariedade

Antonio Anastasia lembrou que medidas da ordem tributária, de estímulo às empresas, de recomposição da vida das pessoas, como o adiamento do pagamento de tarifas de energia e de água, entre outras ações, estão contribuindo para a volta a normalidade dos municípios atingidos. Ele aproveitou para agradecer mais uma vez a solidariedade do povo mineiro, diante dos desastres.

“Queria agradecer a solidariedade de todos os mineiros na campanha que está sendo feita pelo Servas, de doação de bens, alimentos, água, e todos os tipos de utensílios, para recompor um pouco as perdas que aconteceram”, disse.

O senador Aécio Neves disse que, graças às ações integradas, Ouro Preto se recompôs rapidamente e está pronta para receber turistas. Ele cobrou do governo federal agilidade na liberação de recursos para a reconstrução da cidade. “Não vou dizer que não há boa vontade, mas temos tantos trâmites burocráticos que acabam fazendo, como já ocorreu no passado, os recursos chegem alguns ou muitos meses depois do acontecido. É preciso que haja uma parceria mais efetiva do governo federal com os governos estaduais e municípios onde tradicionalmente as chuvas ocorrem”, disse.

Turismo

A expectativa da prefeitura municipal é que o trecho da rua Padre Rolim, afetado pelo deslizamento, seja liberado para tráfego de carros e pedestres na próxima semana. Um terminal rodoviário provisório foi instalado próximo ao posto oficial de informações turísticas da cidade, a menos de 500 metros da rodoviária.

O prefeito Ângelo Oswaldo agradeceu a visita do governador Antonio Anastasia. Ele ressaltou que Ouro Preto venceu os obstáculos trazidos pelos temporais e conjuga hoje obras de recuperação dos pontos críticos com a plena normalização da vida urbana. Segundo a prefeitura, existem no município 32 famílias desabrigadas e outras 85 desalojadas.

“A cidade voltou a receber intensos fluxos turísticos e todos que desejam conhecer esse patrimônio que compartilhamos com o mundo inteiro são muito bem-vindos e serão testemunhas da beleza da nossa cidade. O centro histórico não foi afetado e todas as cidades do Circuito do Ouro estão de igual modo de portas abertas para o turismo, responsável pro milhares de empregos da nossa comunidade”, afirmou o prefeito.

Fonte: Agência Minas

Blog do Anastasia – Governo de Minas: micro e pequenos empresários do Triângulo e Alto Paranaíba já podem ter acesso a financiamentos do BDMG

BELO HORIZONTE (17/01/12) – Cooperativas de crédito do Triângulo e do Alto Paranaíba  já podem oferecer, a partir deste mês, financiamentos de baixo custo a micro, pequenas e médias empresas da região. A iniciativa faz parte do projeto Correspondentes Bancários do Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG). O objetivo do Governo de Minas, por meio da instituição, é facilitar o acesso a crédito para o pequeno empresário do interior do Estado.

Ao todo, 11 cooperativas de crédito do Triângulo e Alto Paranaíba concluíram neste mês, em Uberlândia, o primeiro treinamento regional dentro do projeto. Participaram as cooperativas Sicoob Credicopa, com sede em Patos de Minas; Unicred Comércio e Sicoob Crediara, ambas com sede em Araxá; Sicoob Credicarpa, em Carmo do Paranaíba; Sicoob Credicampina, em Campina Verde; Sicoob Uberaba; Sicoob Coopacredi, em Patrocínio; Sicoob Creditril,  em Uberlândia; Sicoob Crediparnor, em Paracatu; Sicoob Aracoop, em Araguari; Sicoob Credipinho, em João Pinheiro; e Sicoob Credisg, em São Gotardo.

“A partir de agora, todas já estão aptas a representar o BDMG em suas respectivas cidades como correspondentes bancários”, afirma a gerente executiva do projeto Aline Verneque.

Segundo Aline, com o programa de correspondentes bancários, os pequenos  empresários terão acesso a financiamentos para investimentos em seus negócios com menos burocracia e sem percorrer grandes distâncias. “São linhas de crédito específicas para micro e pequenas e médias empresas com faturamento anual inferior a R$ 10 milhões, para quase todas as finalidades, desde capital de giro até investimento fixo ou misto”, destaca.

Na linha de crédito mais utilizada por micro empresas, o BDMG Gera Minas, o empresário poderá adquirir, por exemplo, investimentos com juros de cerca de 12% ao ano, o correspondente a 0,95% ao mês.

Estão credenciadas, no momento, 36 cooperativas em todo o Estado. Até o final do ano, o número deve chegar a 70, cobrindo todas as regiões.  A expectativa do Governo de Minas é que o número de micro e pequenas empresas atendidas pelo BDMG chegue a 6 mil, o dobro da quantidade atual.

Fundese Solidário

Para ajudar as vítimas das chuvas em Minas, o governador Antonio Anastasia determinou ao BDMG a criação do Programa Emergencial de Socorro a Empresas e Cooperativas com Empreendimentos Afetados por Chuvas Intensas (Fundese Solidário VI). Trata-se de uma linha de crédito especial para atender às empresas que sofreram prejuízos com as chuvas.

Técnicos do banco estão, nesta semana, na região da Zona da Mata se reunindo com empresários e líderes políticos da região para explicar como as pessoas que tiveram prejuízos com os temporais poderão ter apoio para reerguer os negócios. As primeiras cidades visitadas foram Além Paraíba, Guidoval e Dona Eusébia.O cronograma, que se estenderá ao longo dos próximos dias, visa atender a todas as regiões do Estado afetadas pelas chuvas.

O empresário interessado nos recursos dessa linha de crédito deve fazer a solicitação pelo site do BDMG. Se preferir, pode também procurar um dos parceiros do banco – Cecremge, Crediminas, Fiemg, FCDL, Fecomércio, Federação dos Contabilistas, Federaminas e Sebrae-MG – na cidade ou região em que está localizada a empresa.

Blog do Anastasia – Governo de Minas: entidades empresariais vão ajudar na construção das casas dos atingidos pelas chuvas

 

BELO HORIZONTE (17/01/12) – O governador Antonio Anastasia se reuniu, nesta terça-feira (17) com o senador Aécio Neves, o coordenador estadual de Defesa Civil, coronel Luis Carlos Martins, a presidente do Servas, Andrea Neves, e os presidentes da Fiemg, Olavo Machado, e da Fecomércio, Lázaro Luiz Gonzaga. Eles discutiram propostas para ajuda do setor privado para a reconstrução de casas destruídas pelas chuvas que assolaram o Estado.

As entidades se comprometeram com o governador a doar material para a construção de casas para a população atingida pelas chuvas em Minas. A Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec) já fez um levantamento das famílias que precisarão de apoio do poder público, constatando que hoje seria preciso a construção de cerca de 650 unidades.

“Depois dos anúncios relativos ao adiamento do recolhimento de ICMS, às tarifas de energia e de água, a entrega de materiais, a questão tributária, a questão do Fundese, nós tivemos uma reunião com a presença do presidente da Federação do Comércio e da Federação das Indústrias para tomar uma iniciativa sugerida pelo senador Aécio, que é a reconstrução das casas totalmente destruídas pelas enchentes. Nós vamos contar mais uma vez com a parceria das entidades empresariais e das prefeituras. Estamos estimando em cerca de 650 casas. Vamos entregar para as prefeituras o material de construção, que será originário de doações organizadas pela Fiemg e a Fecomércio, bem como assistência técnica”, anunciou o governador.

Anastasia explicou que a ação faz parte das duas primeiras etapas da estratégia do Governo para o atendimento às vítimas das chuvas, que são a volta à normalidade e a reconstrução das regiões afetas. A ideia é que terminado o período de chuvas já se tenha toda logística do sistema montado e identificado qual apoio técnico será necessário.

“É um esforço importante que o Governo vai realizar em parceria com a sociedade com o objetivo de restaurar essa normalidade no prazo mais curto. Claro que só vamos começar esse tipo de procedimento tão logo haja o término do período chuvoso e que deve ser, no mais tardar, no final do mês de fevereiro. Enquanto isso, vamos identificar todas as questões de logística. E vamos continuar sempre identificando outras possibilidade de minimizar as questões relativas aos danos das enchentes”, assegurou Anastasia.

A intenção é que o material de construção seja repassado para as prefeituras que ficarão encarregadas de construir as casas. O governo do Estado e as entidades, que participarão desse esforço, vão solicitar ao Ministério Público Estadual que fiscalize a aplicação dos recursos. “A Federação das Indústrias e a Federação do Comércio serão responsáveis, junto com as empresas, pela doação do material de construção. Vão identificar qual o material necessário para a construção dessas casas e vão ser responsáveis para que esse material seja doado. Nós vamos levá-los às prefeituras e também vão participar com assistência técnica, com engenheiros, com técnicos para orientarem as prefeituras, claro, de acordo com cada realidade, na reconstrução das casas”, explicou.

Referência

O senador Aécio Neves, presente na reunião que discutiu o plano para reconstrução das casas, destacou o trabalho que o governo de Minas vem fazendo para atendimento das regiões mais afetadas pelas chuvas. “Desde o início do período chuvoso, mesmo no ano passado, tenho conversado quase que diariamente com o governador Anastasia. A nossa Cedec é reconhecida pelo Governo Federal hoje como a mais bem estruturada do país”, disse.

“Eu trouxe ao governador Anastasia essa sugestão, que obviamente ele já trabalhava, e hoje nós iniciamos uma conversa com as duas principais entidades de classe de Minas Gerais para que nós voltemos a ter o apoio solidário das empresas que podem contribuir para a reconstrução. Acho que é uma resposta efetiva que nós podemos dar a partir da experiência que nós acumulamos ao longo dos últimos nove anos”, afirmou o senador mineiro.

Depois da intervenção do governador, que pediu a União agilidade na liberação dos recursos para ajuda aos municípios, o Estado recebeu hoje o primeiro repasse do Governo Federal para o atendimento emergencial para as vítimas das chuvas. O dinheiro será gasto para garantir a volta da normalidade aos municípios mais atingidos, primeira etapa do plano feito pelo Governo de Minas para atendimento às comunidades mineiras.

“Depois que o governador Anastasia requereu ao ministro da Integração o repasse dos recursos, o Governo do Estado conseguiu, hoje, receber o primeiro depósito, que é pertinente ao Estado. Foram R$ 3 milhões de R$ 10 milhões que serão repassados ao Estado de Minas. Outros quatro municípios, Muriaé, Ouro Preto, Vespasiano e Cipotânea, também receberam recursos do repasse emergencial direto do Governo Federal”, afirmou o coordenador da Cedec, coronel Luis Carlos Martins.

Fonte: Agência Minas

Blog do Anastasia – Governo de Minas: cultivo sustentável no Campo das Vertentes favorece exportação de rosas

SÃO JOÃO DEL-REI (17/01/12) – No mercado de flores é fundamental que os produtores tenham atenção quanto à folhagem e à flor, que não podem apresentar danos pelo ataque de pragas ou doenças. Por isso, o uso de agrotóxicos é comum. No entanto, a produção sustentável das flores começa a contar pontos, principalmente para a exportação. Atenta a essas mudanças, a Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig), de São João del-Rei, no Campo das Vertentes, já desenvolve, por meio do Núcleo Tecnológico Epamig Floricultura (Nutef), desde 2009, experimentos para o cultivo de rosas sem agroquímicos.

“O mercado internacional tem mostrado a existência de um movimento de consumidores à procura por alimentos e flores ausentes de resíduos de agroquímicos. A tendência é de que os consumidores se tornem mais exigentes a cada ano e que induzam o setor produtivo a se adequar para tornar-se mais competitivo”, afirma a engenheira agrônoma e pesquisadora da Epamig Elka Fabiana Aparecida Almeida.

Ela desenvolve projetos de Produção Integrada de Rosas. Em 2009, tiveram início dois experimentos, visando ao manejo sustentável do solo e ao controle alternativo de pragas. O terceiro projeto, implantado em 2011, teve por objetivo o uso sustentável da água e a redução da adubação nitrogenada. Segundo a pesquisadora, os três experimentos encontram-se em desenvolvimento e os primeiros resultados já comprovam que é possível cultivar rosas de uma forma sustentável. Elka explica que as tecnologias estão sendo desenvolvidas para reduzir a aplicação de agrotóxicos e adubos com o manejo integrado e controle biológico de pragas e doenças e pela utilização de adubação verde e adubos orgânicos produzidos pelo próprio produtor.

Para este ano, foi aprovado junto à Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig) mais um projeto no âmbito da produção sustentável de rosas, que disponibilizará recurso de R$ 26.800. Com o valor, serão realizados experimentos para verificar o comportamento de outras variedades de rosas e de adubos verdes para o controle biológico de pragas; além da implantação de duas unidades de teste de validação dos resultados em propriedades familiares. “Assim que o recurso for liberado, vamos começar as visitas aos produtores para a implantação de área demonstrativa. Com este novo projeto vamos levar a tecnologia para o produtor”, informa a pesquisadora.

Benefícios

Com as tecnologias geradas pelas pesquisas realizadas na Epamig de São João del-Rei, o produtor poderá diminuir a aplicação de adubos e agrotóxicos na produção de rosas utilizando boas práticas agrícolas. “Desta forma, ele poderá reduzir os custos com a produção, preservar o meio ambiente e obter a certificação de sua propriedade, o que favorecerá a comercialização das rosas”, destaca a engenheira agrônoma.

Segundo ela, as cadeias de distribuidores e grandes pontos de vendas, principalmente da Comunidade Européia, tem exigido dos exportadores que seja levado em consideração o nível de resíduos de agrotóxicos, o respeito ao meio ambiente, a rastreabilidade e as condições de trabalho, higiene e saúde dos trabalhadores na agricultura. “Os consumidores de diversos países têm exigido informações a respeito da origem e do processo de produção de hortaliças, frutas e flores, dando preferência a produtos rastreados e/ou certificados”, completa.

Os projetos de sustentabilidade na produção de rosas contam com o apoio, além da Fapemig, do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e Financiadora de Estudos e Projetos (Finep).

Fonte: Agência Minas

Blog do Anastasia – Gestão Anastasia: Museu Mineiro reabre as portas e inicia comemorações pelos 30 anos de fundação

BELO HORIZONTE (17/01/12) – Inaugurado em 1982 com a missão de preservar, pesquisar e difundir os registros da cultura mineira, além de ser espaço de referência para as demais instituições museológicas de Minas Gerais, o Museu Mineiro, órgão vinculado à Superintendência de Museus e de Artes Visuais da Secretaria de Estado de Cultura, que também integra o Circuito Cultural Praça da Liberdade, reabre suas portas ao público, ao mesmo tempo em que inicia as comemorações pelos seus 30 anos. A cerimônia de reabertura será realizada nesta quarta-feira (18), às 10h, após importantes reformas em sua estrutura física.

Com o patrocínio do BDMG, por meio do BDMG Cultural, da Fiat, por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura, e da parceria com a Fiemg, por meio do Sesi, foi criada nova museografia, que inclui novo projeto luminotécnico, além da recuperação e modernização do sistema elétrico. O Museu Mineiro ganhou, ainda, Sala de Exposição Temporária, com 200 metros quadrados, e um espaço multiuso para palestras e cursos, equipado com computadores.

A reinauguração será realizada com a mostra “Coleções do Museu Mineiro” – com obras da Coleção Arquivo Público, Coleção Geraldo Parreiras, Coleção Pinacoteca do Estado e Coleção Amigas da Cultura. Na Sala de Exposição Temporária, será inaugurada a mostra “Palavras: dos homens, das coisas, das plantas e dos animais”, que reúne 145 desenhos criados por 71 professores índios de seis etnias de Minas Gerais.

Ação Educativa

Mesmo interrompendo temporariamente a visitação do público, o Museu Mineiro continuou realizando regularmente suas ações educativas.  Em 2012, a instituição prepara um amplo calendário de ações educativas junto a estudantes e professores do ensino médio, com o projeto “Circulando na Liberdade”, realizado com os demais equipamentos do Circuito Cultural Praça da Liberdade.

Para a Semana Nacional dos Museus, que é promovida em maio, será aberta a exposição “Quarta Estação: Mulheres, Museus e Memória: novas inspirações”, que consiste em uma exposição de flores, elemento simbólico do universo feminino, e obras que retratam narrativas de memórias afetivas de mulheres.

A instituição mantém oficinas de capacitação de profissionais da área museológica e de educação patrimonial, realizadas junto a professores e estudantes da rede pública e particular.

Nos últimos anos, foram realizadas exposições itinerantes em outros Estados, como a exposição “300 anos de Cultura nas Minas Gerais”, em São Paulo, e seminários que promoveram o debate acerca da importância dos espaços museológicos no mundo contemporâneo, como o seminário “Ações Educativas em Debate: Museus e Centros Culturais – espaços de formação e transformação”.

Recentemente, o Museu Mineiro foi reconhecido na 3ª Edição do Prêmio Cultura Viva, promovido pelo Ministério da Cultura, por seu projeto “Museu Guardas”, ação realizada entre 2006 e 2010 com o objetivo de possibilitar o encontro e o diálogo entre a instituição e representantes do congado no Estado. Pelo mesmo projeto, o Museu Mineiro recebeu prêmio do Programa “Rumos Educação, Cultura e Arte 2011/2013”, promovido pelo Instituto Itaú Cultural.

Realizado a cada dois meses, aos domingos, o “Museu Guardas” convida Guardas de Congado mineiras a festejar seus santos de devoção durante toda uma tarde no Museu Mineiro.

Cultura ao alcance do público

Segundo a secretária de Estado de Cultura, Eliane Parreiras, o Governo de Minas reabre as portas do Museu Mineiro com grande satisfação, não só por seu respeitado acervo estar novamente disponibilizado ao público, mas, principalmente, por representar o esforço da Secretaria de Estado de Cultura em fortalecer o Sistema Estadual de Museus.

“O Museu Mineiro, assim como as demais instituições museológicas de Minas, ocupa papel estratégico na política cultural do Estado. Dessa maneira, mantemos o compromisso de, cada vez mais, aproximar os Museus da população. Seja ampliando o horário de visitação, seja promovendo ações educativas de formação de público e de promoção e valorização da história mineira registrada em seus acervos”, ressalta.

Quatro salas expositivas recebem a mostra “Coleções do Museu Mineiro”

Sala das Colunas – Com a exposição de aproximadamente 130 imagens sacras dos séculos XVIII e XIX, em que se destacam obras atribuídas a Aleijadinho (recentemente, no livro “O Aleijadinho – Catálogo Geral da Obra”, de autoria de Márcio Jardim, duas obras pertencentes ao acervo do Museu Mineiro foram atribuídas ao Grande Mestre: uma imagem de São Francisco de Assis e uma imagem de São Francisco de Paula); obras do Mestre de Piranga e do Mestre de Barão de Cocais.

Sala Vermelha – Exposição da imagem de São Miguel Arcanjo, do século XIX, esculpida em madeira policromada, da Coleção Geraldo Parreiras, além de seis telas atribuídas ao Mestre Ataíde.

Sala do Arquivo Público – Exposição de pinturas retratando os monarcas brasileiros. Possui, ainda, o retrato oficial de Mestre Aleijadinho, dentre outros objetos e documentos referentes à história do Estado de Minas Gerais.

Sala das Sessões – Apresentando a Coleção da Pinacoteca do Estado, com aproximadamente 25 obras de artistas como Aníbal Matos (Solar Tradicional – primeira obra da coleção da Pinacoteca), Belmiro de Almeida (a Má Notícia), Alberto da Veiga Guignard (Retrato de Suzana), Mário Silésio (Abstração) e Celso Renato (Ponte do Rosário), dentre outros.

As coleções do Museu Mineiro – Caracterização

O acervo do Museu Mineiro é formado por objetos que documentam períodos distintos do processo de formação da cultura mineira. Constitui-se de peças de arte sacra e de mobiliário dos séculos XVIII e XIX, pinacoteca ilustrativa de etapas marcantes das artes plásticas em Minas, utensílios pessoais, pecuniários e cerimoniais, esculturas, insígnias e armaria.

No processo de formação desse acervo, distinguem-se três coleções nucleares:

Coleção Arquivo Público Mineiro: composta por 872 peças, resultado de um longo processo de recolhimento de objetos de expressão histórica e artística – de 1895 até o final dos anos 1970 – efetuado pelo Arquivo Público, para compor o acervo do futuro museu, até a sua implantação em 1982.

Coleção Geraldo Parreiras: Composta por 187 peças de arte sacra, reúne um conjunto expressivo de obras representativas do Barroco Mineiro dos séculos XVIII e XIX, entre imaginária, alfaias e mobiliário religioso.

Coleção Pinacoteca do Estado: Tem sua origem vinculada à proposta de criação de uma Pinacoteca do Estado em 1926, por iniciativa do artista plástico Anibal Mattos.

Além dessas, existem ainda várias coleções, de procedências diversas, sob a guarda do Museu Mineiro: Coleção Iepha/MG, Coleção Conselho Estadual de Cultura, Coleção Amigas da Cultura, Coleção Hildegardo Meirelles, Coleção Servas.

Fonte: Agência Minas

Blog do Anastasia – Senador Aécio Neves diz que presidente Dilma ‘virou as costas para a saúde’ por vetar o aumento de recursos na Emenda 29

Fonte: O Estado de S.Paulo

Estados temem impacto fiscal de verbas à saúde

A sanção, com vetos, pela presidente Dilma Rousseff da lei complementar que fixa os recursos mínimos a serem investidos em saúde, a Emenda 29, recebeu ontem duras críticas de parlamentares oposicionistas e já preocupa governadores. Durante um encontro com o governador de Minas, Antonio Anastasia (PSDB), o senador Aécio Neves (PSDB-MG) afirmou em Belo Horizonte que o governo federal “virou as costas” para a saúde.

Aécio reclamou do veto da presidente aos dispositivos que previam gasto mínimo de 10% da receita da União e aumento do investimento federal caso haja revisão para cima do Produto Interno Bruto (PIB), ao qual os gastos são vinculados.

Para ele, do jeito que foi sancionada, a lei é “praticamente inócua” para a União. “O ônus recai quase que exclusivamente sobre Estados e municípios. Os Estados vêm se adequando. Fazendo historicamente esforços nessa direção. A União fez o contrário. Infelizmente não há esforço solidário do governo federal”, disse.

No fim de seu segundo mandato, Aécio foi alvo de ação civil pública proposta pelo Ministério Público Estadual, que o acusou de improbidade administrativa. O MP apontou “fraude contábil” nas prestações de contas do governo mineiro referentes às despesas com saúde. O governo rebateu, alegando que houve uma interpretação errada por parte da Promotoria. A sanção da lei vai obrigar o governo mineiro a readequar a previsão orçamentária para 2012. O Estado ainda não sabe de quanto será o impacto nas contas públicas.

O Rio Grande do Sul, governado pelo petista Tarso Genro, precisaria destinar R$ 945 milhões a mais por ano para atender a exigência da Emenda 29 que manda os Estados destinarem 12% de sua receita corrente líquida para a área da saúde. O Estado não dispõe desses recursos, mas, segundo o secretário do Planejamento, João Motta, vai se enquadrar na norma até 2014.

Com um acréscimo de R$ 340 milhões no orçamento deste ano, o governo do Paraná acredita que conseguirá cumprir o porcentual de 12% das receitas estaduais no setor de saúde. “O que fizemos foi economizar no supérfluo, fechar as torneiras do desperdício e melhorar a gestão pública”, disse o governador Beto Richa (PSDB).

Segundo Richa, o Estado retirou da rubrica da saúde o plano de saúde dos servidores, as pensões para hansenianos e alguns programas de saneamento básico. O governador também reclamou da derrubada do dispositivo que destinava 10% das receitas federais para o setor. / MARCELO PORTELA, ELDER OGLIARI e EVANDRO FADEL