Blog do Anastasia – Governo de Minas: BDMG tem linha especial para empresas que sofreram prejuízos com as chuvas

BELO HORIZONTE (11/01/12) – O Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG) está operando uma linha de crédito especial para atender as empresas que sofreram prejuízos com as chuvas. É o Programa Emergencial de Socorro a Empresas e Cooperativas com Empreendimentos Afetados por Chuvas Intensas (Fundese Solidário), que viabilizará apoio financeiro às micro e pequenas empresas e cooperativas para a reparação de danos causados por chuvas e inundações. Essa é uma das medidas anunciadas pelo governador Antonio Anastasia em apoio às cidades afetadas pelas enchentes. O decreto que cria essa linha de crédito especial foi publicado na edição desta quarta-feira (11) do Jornal Minas Gerais.

Para solicitar o financiamento, basta preencher o formulário, que estará disponível no site do BDMG dentro dos próximos dias ou procurar um dos parceiros do banco – Cecremge, Crediminas, Fiemg, FCDL, Fecomércio, Federação dos Contabilistas, Federaminas e Sebrae-MG –  na cidade ou região em que está localizada a empresa. Este ano, o BDMG conta também com os correspondentes bancários. São 36 cooperativas já credenciadas que poderão auxiliar as empresas que necessitarem do crédito a fazer o pedido de financiamento.

Programa Solidário

Esta é a sexta versão do Programa Solidário que, desde o período chuvoso dos anos 2000/2001, já socorreu 2.317 micros, pequenas e médias empresas, com o desembolso de mais de R$ 112 milhões em todas as regiões de Minas. Este ano, estão à disposição das empresas e cooperativas R$ 30 milhões. Nas próximas semanas, uma equipe do BDMG visitará algumas cidades que foram atingidas pelas chuvas e fará reuniões com lideranças e empresários locais.

As empresas e cooperativas que estão localizadas nos municípios em situação de emergência devem agregar à documentação um laudo da Defesa Civil, estadual ou municipal, comprovando o prejuízo causado em razão de desastres ou incidentes decorrentes das chuvas. O financiamento tem carência de até seis meses para o início do pagamento, que pode ser feito em até três anos, com juros de 6% ao ano. Podem ser financiados de R$ 5 mil a R$ 100 mil por cada empresa, com valor limitado a 20% do faturamento anual.

Os recursos poderão ser usados em investimentos fixos para substituição e reparos de ativos danificados e também para recomposição de capital de giro, para cobrir gastos com a folha de pagamento, fornecedores, impostos, taxas, aquisição de insumos, mercadorias para revenda e material de consumo.

Os pedidos de financiamento devem ser encaminhados ao BDMG até o dia 31 de maio de 2012 e a documentação solicitada, até 30 de junho.

Blog do Anastasia – Gestão: Caixa Econômica Federal também reforçará ações do Estado para atingidos pelas chuvas

BELO HORIZONTE (11/01/12) – O governador Antonio Anastasia recebeu informação do presidente em exercício da Caixa Econômica Federal, Marcos Roberto Vasconcelos, de que o banco colocará serviços para ajudar às pessoas e comunidades afetadas pelas fortes chuvas que assolam o Estado.

A Caixa está disponibilizando uma conta bancária para receber donativos para os atingidos pelas enchentes. Os depósitos poderão ser feitos tanto nas agências quanto nas casas lotéricas, sem limites de valor. O interessado deverá fazer o depósito para a agência 0935; operação 006; conta 700-8, em nome da Defesa Civil MG.

Para os clientes, serão disponibilizados produtos e serviços em condições especiais, como prorrogação do prazo de vencimento de parcelas de empréstimos comerciais, suspensão do leilão para operações de penhor, liberação dos limites do construcard para reforma de imóveis urbanos e rurais, além de redução da taxa de juros para crédito consignado.

Também haverá produtos e serviços especiais para a área de habitação, como a suspensão do prazo de vencimento das parcelas e a carência de seis meses nas contratações de crédito imobiliário nas cidades atingidas. As micro e pequenas empresas instaladas nesses municípios terão acesso a operações com limites maiores e menores taxas de juro.

O atendimento nas agências dos municípios atingidos pelas enchentes será reforçado. Também será disponibilizado caminhões para atendimento móvel de acordo com a necessidade de cada cidade. O primeiro já está sendo direcionado para o município de Guidoval, um dos mais atingidos pelas enchentes.

Emergência

Ato do governador Antonio Anastasia publicado na edição desta quarta-feira (11) do Minas Gerais decreta situação de emergência no trecho da rodovia MGC-120, entre Ubá e o entroncamento com a MGC-265 (Guidoval-Dona Euzébia), em função da destruição da ponte sobre o rio Xopotó. O governador destacou entre as justificativas para baixar o projeto, os transtornos que a população que necessita da rodovia vem sofrendo com a interrupção do tráfego na via e os reflexos no aumento de custos para transporte de pessoas e mercadorias na região. Com o decreto, haverá maior agilidade para a reconstrução da ponte.

Fonte: Agência Minas

Blog do Anastasia – Governo de Minas libera mantimentos para as populações de São João del-Rei e Carandaí

BELO HORIZONTE (11/01/12) – As populações de São João del-Rei e Carandaí, no Campo das Vertentes, começarão a receber mantimentos enviados pelo Governo de Minas para auxiliar as famílias mais afetadas pelas chuvas dos últimos dias. Os donativos já foram liberados pela Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec) e incluem colchões, cobertores e cestas básicas.

Em Carandaí, de acordo com a Defesa Civil Municipal, o rio que corta a cidade subiu mais de seis metros acima do nível normal. Oito bairros da cidade foram inundados e a estimativa é de que tenha chovido 120 milímetros na madrugada do último dia 9. Já em São João del-Rei, o Rio das Mortes e o Córrego do Lenheiro transbordaram, deixando, segundo a Defesa Civil do município, cerca de 300 pessoas desalojadas e 16 desabrigadas.

Neste ano de 2012, o Governo de Minas já enviou comboios com mantimentos para 40 cidades afetadas, mas as ações do Estado de enfrentamento aos efeitos das chuvas não param por aí. O governo também está arrecadando donativos (roupas e alimentos), que podem ser entregues pela população nos Batalhões da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros.

Além disso, esta semana, o governador Antonio Anastasia lançou a Força Estadual de Saúde, que, por meio de médicos, enfermeiros, psicólogos e assistentes sociais, vai atender às populações dos municípios mais atingidos pelas chuvas. Segundo Anastasia, os voluntários começarão, em primeiro lugar, por Guidoval e Dona Euzébia, na Zona da Mata, e dali deverão circular pela região.

“Temos em torno de 450 voluntários e o cadastramento ainda está aberto. Foi feito um cadastramento pela internet e telefone. Temos profissionais que são do Estado e que não são de Minas. Essas pessoas devem receber sempre o nosso aplauso. Vamos montar 20 equipes, com 60 profissionais. Eles irão em uma caminhonete com tração para poderem chegar a lugares com dificuldade de acesso. Cada caminhonete vai ter uma equipe com um motorista e três profissionais de saúde”, explica o governador.

Kits de Atendimento às Calamidades

A Secretaria de Estado de Saúde (SES) também está atuando junto aos municípios afetados pelas chuvas e está disponibilizando Kits de Atendimento às Calamidades para a população. Estão sendo distribuídos também medicamentos, de acordo com a demanda apresentada pela Cedec.

Os kits contêm itens que atendem às principais necessidades dos municípios para a prevenção e o atendimento em casos de enfermidades decorrentes do período chuvoso, como amoxicilina, analgésicos, paracetamol, sais de reidratação e sulfametoxazol. A SES garante também a vacinação nos municípios mais afetados. A vacina contra o tétano (dupla adulto) é a mais solicitada no período chuvoso. As 28 Superintendências / Gerências Regionais de Saúde estão com estoque garantido e as doses são encaminhadas de acordo com demanda dos municípios.

Novas medidas

O governador Antonio Anastasia anunciou, ainda, uma série de medidas para minorar os efeitos das chuvas para a população e as atividades empresariais, no âmbito da Copasa, Cemig, Banco de Desenvolvimento (BDMG) e Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese).

Ações preventivas

Desde setembro de 2011 – antes do início do período chuvoso –, foram realizadas reuniões técnicas quinzenais, envolvendo Corpo de Bombeiros, Polícias Militar e Civil, Cemig, Copasa, Feam, Igam, Emater e Ruralminas, além das secretarias de Transportes e Obras Públicas, Saúde, Planejamento e Gestão, Meio Ambiente, Desenvolvimento Regional e Política Urbana, Desenvolvimento Social, e dos Vales do Jequitinhonha, Mucuri e Norte de Minas.

Durante as reuniões, foram definidas as ações de preparação e resposta aos eventos adversos causados pelas chuvas, tanto para o atendimento emergencial quanto para o apoio operacional durante as ocorrências.

Fonte: Agência Minas

Blog do Anastasia – Governo de Minas envia ajuda humanitária a municípios do Sul do Estado

BELO HORIZONTE (11/01/12) – A Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec) disponibilizou, nessa terça (10) e nesta quarta-feira (11), ajuda humanitária aos municípios de Ijaci e Ribeirão Vermelho, atingidos pelas chuvas nesta semana.

A ajuda humanitária enviada à cidade de Ijaci, nesta terça-feira (10), é composta por cestas básicas, cobertores, colchões, roupas, kits de limpeza e telhas, e já começou a ser distribuída aos atingidos pelas chuvas. Já a Coordenadoria Municipal de Defesa Civil de Ribeirão Vermelho receberá, nesta quinta-feira (12), cestas básicas, colchões, lonas e kits de limpeza.

Balanço

Desde outubro de 2011, início do período chuvoso, a Cedec enviou ajuda humanitária a outros três municípios da região do Sul do Estado: Andrelândia, Jacutinga e São João da Mata.

Em todo o Estado, já foram cerca de 135 toneladas de alimentos distribuídos pelo Governo de Minas, em todas as regiões, para vítimas de acidentes causados pelas chuvas. No total, o governo distribuiu, desde outubro de 2011 até esta quarta- feira (11), 8.540 cestas básicas para moradores dos municípios. Também foram enviados 8.390 colchões, cerca de 7.000 cobertores, além de água potável, lonas, roupas, telhas e kits higiênicos.

Os municípios atingidos pelas chuvas, independentemente de haver decreto de situação de emergência, estão sendo beneficiados pelo envio de alimentos, colchões, cobertores, roupas e água potável. Além de serem distribuídos aos municípios, os mantimentos abastecem os 13 depósitos avançados do governo – completamente estruturados para armazenar as doações – estrategicamente espalhados por todas as regiões de Minas.

Fonte: Agência Minas

 

Blog do Anastasia – Gestão Anastasia: Minas Gerais atrai novos investimentos com geração de mais de 1.300 empregos

BELO HORIZONTE (11/01/12) – Três novos projetos de instalação e de expansão de unidades produtivas em Minas Gerais foram anunciados nesta quarta-feira (11). Os protocolos de intenções das empresas Biobase Indústria e Comércio Ltda., BH Colchões e Espumas Ltda. (Colchobel) e TCR Distribuição S/A com o Governo de Minas foram assinados por meio do Instituto de Desenvolvimento Integrado de Minas Gerais (Indi), órgão vinculado à Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sede). Os investimentos totalizam R$ 11,45 milhões, com geração de 1.324 empregos.

A Biobase Indústria e Comércio Ltda. pretende expandir sua unidade industrial, localizada em Pouso Alegre, no Sul de Minas. A meta da empresa é ampliar a atual produção, de 1,7 milhão de peças descartáveis de uso médico-hospitalar (frascos, equipos e dispositivos para incontinência urinária), para um total de 5 milhões de peças já em meados de 2013. A empresa irá investir R$ 6,8 milhões no projeto, com a geração de 350 empregos diretos e 900 indiretos, e pretende iniciar as obras de expansão da unidade industrial ainda este ano.

Ao assinar o protocolo de intenção, o presidente do Indi, José Frederico Álvares, informou que, durante o ano de 2011, o órgão firmou 160 protocolos, que totalizaram R$ 28,35 bilhões em investimentos, com a geração de 43.987 empregos diretos e 91.510 indiretos. O presidente do Indi ressaltou que o resultado foi alcançado graças ao diferencial do órgão na atração de investimentos para o Estado.

“Estamos no ápice de um ciclo de investimentos e se estamos conseguindo atrair indústrias e empresas de todos os setores e das mais diversas nacionalidades é graças a um trabalho disciplinado, que vai desde a pontualidade das nossas ações até a seriedade com que recebemos nossos parceiros, orientando-os, encurtando seu caminho, oferecendo assistência desde o desenvolvimento de projetos até o início da produção ou prestação de serviços. E mais, também apoiamos iniciativas relacionadas à expansão, relocalização e modernização”, enfatizou.

Localizada no município de Pouso Alegre, a Biobase atua há nove anos no segmento de produtos médicos-hospitalares, atendendo principalmente os estados de Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo. Com o projeto de expansão, a empresa busca ampliar sua linha de correlatos e modernizar sua linha de frascos para nutrição enteral, produto de larga utilização no âmbito hospitalar e com poucos fabricantes no país.

Expansão de fábrica

Outro protocolo assinado nesta quarta-feira é o de expansão da fábrica de colchões da Colchobel, no Distrito Industrial do Jatobá, em Belo Horizonte. Com investimentos de R$ 3 milhões, a empresa irá implantar uma nova linha de montagem de colchões de molejo bonnel e pocket (molas ensacadas).

“Queremos triplicar a nossa fábrica, aumentando de 10% para 40% a participação do mercado desses colchões. Além disso, vamos ampliar a atuação no mercado nos estados que são nossos clientes tais como Minas Gerais, Paraná, Santa Catarina, Mato Grosso do Sul, Goiás, Bahia, Sergipe, Pernambuco e Alagoas”, afirma o diretor da empresa, Tadeu Maia.

A empresa, que atualmente conta com 75 empregados, irá gerar com o projeto mais 50 empregos diretos e 60 indiretos. A previsão é que as obras de ampliação sejam concluídas ainda no primeiro semestre deste ano.

A Colchobel foi fundada em 1993 e, desde 2005, possui sede própria no Distrito Industrial do Jatobá, onde mantém ritmo de operação de 100% da capacidade instalada.

Centro de Distribuição

A terceira empresa a assinar o protocolo de intenções com o Governo de Minas foi a TCR Distribuição S/A. A empresa irá investir R$ 1,65 milhão na implantação de um centro de distribuição em Uberlândia, no Triângulo Mineiro.

“Vários fatores contribuíram para instalarmos o nosso Centro de Distribuição em Minas Gerais, dentre eles as facilidades logística e de contratação de mão de obra, tendo em vista que a região é conhecida como um corredor de distribuição”, afirma o diretor-geral da empresa, Fábio Michels.

O Centro de Distribuição em Uberlândia será destinado ao comércio eletrônico e televendas de aparelhos de ar condicionado e demais aparelhos de qualidade de ar. A empresa opera em diversas regiões do país por meio de uma rede de representantes. “O nosso diferencial hoje em dia é que vendemos o produto com a instalação”, explica Fábio.

De acordo com o cronograma de execução do projeto, em abril deste ano as obras do empreendimento estarão concluídas. A empresa irá contratar oito empregados diretos e outros seis indiretos. A TCR Distribuição foi fundada em 2009 para atender o mercado nacional de refrigeração e ar condicionado.

Fonte: Agência Minas

Blog do Anastasia – Favorecimento: Aécio Neves critca Governo Dilma por não fiscalizar aliados

Fonte: Folha de S. Paulo

Marca de Dilma é o favorecimento político, ataca Aécio

O senador Aécio Neves (MG) criticou ontem em entrevista à Folha o governo Dilma Rousseff e anunciou a decisão do PSDB de criar uma central de acompanhamento dos gastos federais.

“A marca do governo da ‘gerente’ é o abuso dos critérios políticos em detrimento dos interesses da população”, disse Aécio.

O ataque aconteceu no mesmo dia que a Folha mostrou que, em nome de Aécio, o PSDB evitaria ataques ao ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra (PSB).

Na esperança de contar com o apoio do PSB em 2014, líderes tucanos procuraram o DEM para informar que não atuariam como protagonistas na oposição a Bezerra.

Segundo Aécio, a inauguração da central está prevista para o mês que vem.

A estrutura é uma resposta à avaliação de que o tucanato poupa aliados de Dilma sonhando com uma coligação na eleição de 2014.

Além da central, o presidente nacional do PSDB, Sérgio Guerra (PE), disse que três equipes serão destacadas para fiscalização de políticas públicas do governo, como saúde e sustentabilidade.

Segundo Guerra, Aécio telefonou-lhe ontem para perguntar sobre a central.

“Não recebi nenhuma orientação de Aécio para que Bezerra seja poupado.”

Guerra é um dos que defendem que, em 2012, o PSDB exerça uma oposição mais vigorosa do que no primeiro ano do governo Dilma.

Potencial candidato à Presidência, Aécio flerta com partidos da base do governo.

No fim do ano passado, por exemplo, chegou a se reunir com o DEM para avaliar a hipótese de apoio à candidatura de Gabriel Chalita (PMDB) à Prefeitura de São Paulo.

INVESTIGAÇÃO

O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, decidiu encaminhar para a primeira instância do Ministério Público Federal o pedido do DEM para investigar Coelho.

Gurgel entende que os fatos apresentados pelo partido, por enquanto, não trazem indícios de crime.

Blog do Anastasia – Aécio Neves diz que envio de recursos para vítimas das chuvas precisam ser fiscalizados

Fonte: Assessoria de Imprensa do senador Aécio Neves

Aécio Neves propõe grupo de trabalho para fiscalizar liberação de recursos federais

PSDB acompanhará critérios usados na distribuição de recursos pelos ministérios 

O senador Aécio Neves (PSDB/MG) propôs a criação pelo PSDB de um grupo de trabalho para acompanhar a distribuição de recursos federais. O objetivo dos trabalhos será avaliar os repasses realizados nos ministérios e os critérios utilizados na distribuição. A proposta foi discutida pelo senador e pelo presidente nacional do PSDB, deputado federal Sérgio Guerra (PE).

“Tem sido uma marca desse governo – que se diz o governo do gerenciamento competente – a utilização de critérios políticos, e não de critérios técnicos, para a liberação de recursos orçamentários, recursos da população brasileira. Isso ocorreu em inúmeros ministérios, inclusive com a queda de ministros que privilegiavam ONGs ligadas seus partidos políticos, parlamentares ligados aos seus partidos, ou estados governados por aliados. Para enfrentar isso, propus ao presidente do PSDB, deputado Sergio Guerra, que criemos uma central nacional de acompanhamento da distribuição de recursos pelos principais ministérios do governo federal. Queremos saber quais são os critérios utilizados, vamos denunciar quando o interesse político sobrepuser o interesse da população, como parece estar sendo uma regra neste governo”, disse o senador.

Calamidades

Aécio Neves criticou também a demora na liberação dos recursos emergenciais destinados ao atendimento dos municípios atingidos por calamidades, como as chuvas que castigam este mês Minas Gerais, Espírito Santo e Rio. Até esta quarta-feira (11/01), 127 municípios mineiros haviam decretado situação de emergência. O governo federal, no entanto, não reconheceu a emergência de nenhum desses municípios até o momento, impedindo os repasses de R$ 30 milhões prometidos 

“A burocracia excessiva vem causando ainda mais transtornos e dramas maiores às populações atingidas. É fundamental que haja uma articulação mais efetiva do governo não apenas no momento das tragédias, mas durante todo o ano. Vamos acompanhar mais detidamente e denunciar quando o critério político continuar sendo a marca na distribuição dos recursos, pois quem perde é a população brasileira”, afirmou.

O senador alertou, ainda, para os baixos valores investidos pelo governo federal na prevenção de catástrofes naturais. O levantamento do Conselho Nacional de Municípios divulgado essa semana mostrou que os investimentos em ações preventivas foram seis vezes menores que os gastos no socorro a municípios e vítimas de calamidades.

“Nos últimos dez anos, entre 2000 e 2010, o governo federal investiu em prevenção de catástrofes em todo o país apenas R$ 750 milhões, um valor irrisório. E, ao mesmo tempo, investiu cerca de R$ 6 bilhões em socorro às vítimas dessas tragédias, o que mostra um descompasso, uma falta de coordenação e de planejamento. Infelizmente, esse drama também vem aumentando em razão da burocracia do governo federal seja no reconhecimento do estado de calamidade e de emergência das cidades atingidas até a liberação dos recursos”, afirmou Aécio Neves